Abrir menu principal
Bibo Nunes
Deputado federal pelo Rio Grande do Sul
Período 1 de fevereiro de 2018
até a atualidade
Dados pessoais
Nome completo Alcíbio Mesquita Bibo Nunes
Nascimento 09 de janeiro de 1957 (62 anos)
Cruz Alta, Rio Grande do Sul
 Brasil
Nacionalidade brasileiro(a)
Partido PSD (2014-2016)
PMDB (2016-2018)
PSL (2018-atualmente)
Profissão Jornalista

Alcibio Mesquita Bibo Nunes, conhecido como Bibo Nunes (Cruz Alta, 9 de janeiro de 1957), é um jornalista e apresentador de televisão brasileiro.[1] Foi apresentador dos programas de televisão Bibo no 20, no Canal 20 e o Bibo Nunes Show, que passou pela Ulbra TV, TV Urbana e Canal 20. Bibo é torcedor colorado.[2]

Começou a carreira televisiva na década de 1980, no programa Meio-Dia: A Hora Local, na Band RS, onde apresentava o quadro Bibo Nunes e os Sucessos Pepsi, com clipes musicais, dicas de festas e entrevistas sobre o mundo jovem.

No início da década de 1990, Bibo Nunes dirigiu a Fundação Piratini, gestora das emissoras de rádio e televisão públicas do Governo do Rio Grande do Sul, sendo presidente da TVE RS e diretor da FM Cultura, durante o governo de Alceu Collares. A sua administração a frente da Fundação Piratini foi bastante polêmica. Quando dirigiu a TVE RS foi acusado de utilizar a emissora pra propaganda pessoal. Ele mesmo apresentava a principal atração noturna, o 7 No Ar, ao lado de Rejane Noschang, Sérgio Schueller e José Fontela. Em 1994, foi criticado pelo apresentador do programa Câmera 2, Clovis Duarte, contra o qual concorria no horário das 22h a meia-noite. Clovis, que acusava Bibo de plagiar o formato de seu programa, também lançou suspeitas quanto à administração de fundos públicos pelo jovem presidente da emissora estatal. Bibo então protagonizou um momento único na televisão gaúcha: saiu da bancada de seu programa, ao vivo, se transferindo para os estúdios da TV Guaíba, que ficava a poucos metros da TVE, entrando no programa de Clóvis para se defender. As duas emissoras transmitiram ao vivo a briga. Bibo Nunes também foi locutor e DJ na Rádio Universal FM, permanecendo na emissora até sua extinção, em 1997.

Foi candidato a deputado federal pelo Partido Social Democrático em 2014, e a vereador de Porto Alegre pelo Partido do Movimento Democrático Brasileiro, em 2016, não sendo eleito em nenhuma das vezes.[3][4][5] Em 2018, Bibo Nunes candidatou-se novamente ao cargo de deputado federal pelo Partido Social Liberal, sendo eleito com 1,57% do eleitorado (91.664 votos).[6]

ReferênciasEditar

  1. «Câmara Municipal de Porto Alegre». www2.camarapoa.rs.gov.br 
  2. «Maratonista da TV» 
  3. «Bibo Nunes 5555». Eleições 2014 
  4. «Bibo Nunes 15600». Eleições 2016 
  5. «Bibo Nunes». Coletiva.net - Tá todo mundo aqui. 2 de julho de 2018 
  6. «Deputados federais eleitos no Rio Grande do Sul» 

BibliografiaEditar

  Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.