Brusque Futebol Clube

Clube de Futebol Brasileiro

O Brusque Futebol Clube é um clube de futebol brasileiro da cidade de Brusque, no estado de Santa Catarina. Suas cores são o amarelo, vermelho, verde e branco.

Brusque
Nome Brusque Futebol Clube
Alcunhas Bruscão[1]
Torcedor(a)/Adepto(a) Brusquense
Quadricolor
Mascote Marreco
Principal rival Marcílio Dias[2]
Fundação 12 de outubro de 1987 (36 anos)[3]
Localização Brusque, Santa Catarina, Brasil
Mando de jogo em Augusto Bauer[4]
Capacidade (mando) 5 000 torcedores
Presidente Danilo Rezini
Treinador(a) Luizinho Vieira
Material (d)esportivo Finta
Competição Catarinense - Série A
Brasileirão - Série B
Copa do Brasil
Website brusquefutebolclube.com.br
Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Uniforme
titular
Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Uniforme
alternativo
Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Uniforme
alternativo

História

editar

Em seu primeiro ano no profissionalismo, o time foi treinado por Lauro Búrigo. A primeira partida aconteceu no dia 24 de janeiro de 1988, no Estádio Augusto Bauer, vitória de 3 a 1 sobre o Hercílio Luz de Tubarão. Touchê, ponta-direita vindo do Rio de Janeiro, foi o autor do primeiro gol da história do Brusque Futebol Clube neste ano, o Brusque classificou-se para o hexagonal final do campeonato, terminando o campeonato na quarta colocação. No segundo semestre, o Brusque ainda participou do Brasileiro da Série C, onde foi eliminado na segunda fase, tendo este mesmo desempenho em 1989.[5]

No ano de 1990, o Brusque ficou com o vice-campeonato da Copa Santa Catarina, competição disputada no segundo semestre, paralela ao campeonato brasileiro, que não possuía catarinenses na disputa. O Figueirense sagrou-se campeão, ao vencer os dois confrontos por 1 a 0 e 2 a 1.[5]

Em 1992 foi o ano mais importante da história do Brusque. O empresário Amílcar Wehmuth, o Chico, era o presidente que trouxe duas importantes conquistas: no primeiro semestre, a conquista da Copa Santa Catarina, que dava ao campeão um ponto no Campeonato Catarinense daquele ano. Na fase de classificação, o Brusque ficou na segunda colocação. Na fase eliminatória, passou pela Chapecoense, empatando por 3 a 3 no oeste catarinense e vencendo por 2 a 0 no Estádio Augusto Bauer. Na fase semifinal, o time bateu o Marcílio Dias de Itajaí por 1 a 0 fora de casa no jogo de ida. Na partida de volta, a derrota pelo mesmo placar levou a decisão para a prorrogação, que terminou em 0 a 0 classificando o Brusque para a final contra o Avaí.[5]

No dia 9 de dezembro de 1992, no jogo de ida em Florianópolis, o Avaí venceu por 1 a 0, com um gol marcado nos momentos finais da partida. O Brusque teria que vencer o jogo de volta e empatar na prorrogação para sagrar-se campeão.[5]

O jogo mais importante da história do Brusque Futebol Clube aconteceu no dia 13 de dezembro de 1992. Cerca de seis mil pessoas lotaram o Estádio Augusto Bauer e viram o Brusque vencer o Avaí por 2 a 1 no tempo normal, gols de Jair Bala e Washington. Na prorrogação, Cláudio Freitas fez um lindo gol sobre o goleiro Carlão, iniciando a festa em todo o município.[5]

O ano de 1993 marcou a ida do Brusque para a Copa do Brasil. O time foi eliminado na primeira fase pelo União Bandeirante, vice-campeão paranaense, com um empate em 2 a 2 no Paraná e derrota por 1 a 0 no Estádio Augusto Bauer. Neste ano, um fato insólito: Brusque e Avaí, campeão e vice de 1992, foram os times rebaixados para a segunda divisão de 1994, vindo o time retornar para a primeira divisão em 1995.[5]

Em 1996, o Brusque foi novamente rebaixado para a Segunda Divisão, retornando em 1998 para a divisão de elite, após conquistar o troféu de campeão da segunda divisão de 1997, vencendo o time do Biguaçu no dia 16 de novembro. Neste ano, a presidência do clube era do advogado e desportista Ricardo Vianna Hoffmann.[5]

No ano de 1998, de volta à Primeira Divisão, o técnico era Gassém Salim Youssef, que conduziu o Brusque à terceira colocação no estadual, com uma campanha valorosa, destaque para a goleada em cima do Figueirense por 4 a 2 em pleno Estádio Orlando Scarpelli, no dia 15 de fevereiro.[5]

Em 2000, o Brusque precisou disputar um torneio seletivo. A Rede Brasil Sul (RBS) havia comprado os direitos do estadual, e exigiu que apenas oito equipes integrassem a divisão de elite em 2001, sendo que Avaí, Figueirense, Criciúma e Joinville estavam previamente classificados sem a necessidade de seletiva. O Brusque ficou na sexta colocação, e voltou para a segundona.[5]

Em 2001 a presidência do clube passou para o médico ortopedista André Karnikovsky, num ano que o Brusque teve uma atuação discreta, sem almejar o título. No ano de 2002, o empresário João Beuting tornou-se presidente, para a disputa da Segunda Divisão daquele ano.[5]

O time teve um início muito turbulento, com a seqüência de resultados insatisfatórios do time, treinado por Luiz Freire. No segundo turno, José Antônio Martins foi contratado, e ele implantou uma nova filosofia no clube, que não poderia perder nenhum jogo correndo o risco de eliminação. O time acabou desclassificado no dia 17 de novembro, goleado pelo Kindermann de Caçador. O Brusque estava bastante desfalcado, pois a confusão no jogo de ida, resultou na expulsão de vários titulares.[5]

No ano de 2003 o Clube Atlético Carlos Renaux e o Clube Esportivo Paysandu, através de ações jurídicas, recuperaram a posse dos Estádios Estádio Augusto Bauer e Cônsul Carlos Renaux. Como o "vovô" fez uma proposta fora da realidade à época, a diretoria resolveu não participar de campeonatos profissionais naquele ano, voltando em 2004.[5]

No ano seguinte, o Brusque disputou o Campeonato Catarinense da Série B1, e estreou no dia 25 de abril, vencendo o rival Carlos Renaux por 1 a 0. No clássico seguinte, nova vitória, pelo placar de 2 a 1, em 25 de julho. O time sagrou-se campeão do segundo turno do campeonato, ao vencer o Juventus em Jaraguá do Sul na prorrogação, em 7 de novembro. O mesmo Juventus seria o adversário do Brusque na final do campeonato. O time de Jaraguá do Sul sagrou-se campeão, mas o Brusque havia alcançado o seu objetivo de subir para a Série A2 no ano de 2005, como vice-campeão.[5][6]

Em 2010, após conseguir o tri campeonato da Copa SC, batendo o Joinville na final, se classificou pela segunda vez na história para a Copa do Brasil. Na competição nacional, é eliminado na primeira fase para o Atlético Goianiense pelo critério do gol fora de casa (Venceu em casa por 3 a 2 e perdeu em Goiás por 1 a 0).[5][7]

Após anos de estabilidade no futebol catarinense, vive a maior crise administrativa e política da sua história em 2012. Onde novamente é rebaixado para a segunda divisão estadual.[8] Volta para a elite após o vice campeonato na Divisão Especial de 2013,[9] mas em 2014 sofre novo descenso.[5][10]

Em 2015, o Brusque voltou a conquistar a Divisão Especial, batendo o Camboriú na final e garantindo o retorno à primeira divisão. Na volta à elite, faz boa campanha, terminando na quinta posição.[5][11]

Em 2017, o Quadricolor ganha uma grande repercussão nacional, pois enfrentaria o Corinthians em pleno Estádio Augusto Bauer pela Copa do Brasil. Com estádio lotado, o Brusque conseguiu levar a partida para os pênaltis, mas acabou sendo eliminado pelo time paulista.[12][13]

Já em 2019, a grande ascensão do Brusque vem com a conquista do Campeonato Brasileiro da Série D.[14]

Em 2020 após vencer o Ituano por 4 a 2, garantiu o acesso a Série B do Brasileirão.[15]

Em 2022 o Brusque começou o ano sendo campeão do Campeonato Catarinense,[16] mas terminou a Série B na 19° colocação sendo rebaixado, o Brusque venceu o Náutico por 4 a 3 porém a derrota da Tombense para a Chapecoense por 3 a 2 decretou o rebaixamento.[17]

Em 2023, o Brusque conquistou o acesso à Série B do Campeonato Brasileiro, após ficar em primeiro lugar no Grupo B na segunda fase da Série C, além de se classificar para final, contra o Amazonas. Na final, a equipe acabou sendo derrotada e ficando, assim, com o vice-campeonato da Série C em 2023.[18][19]

Títulos

editar

Torneios com chancela da CBD/CBF

HONORÁRIOS
Competição Títulos Temporadas
  Tríplice Coroa 1

2008

NACIONAIS
Competição Títulos Temporadas
  Campeonato Brasileiro - Série D 1 2019
REGIONAIS
Competição Títulos Temporadas
  Recopa Sul-Brasileira 1 2008 
ESTADUAIS
Competição Títulos Temporadas
  Campeonato Catarinense 2 1992 e 2022
   Copa Santa Catarina 5 1992, 2008, 2010, 2018 e 2019
   Recopa Catarinense 2 2020  e 2023 
   Campeonato Catarinense - Série B 3 1997, 2008 e 2015

  Campeão invicto

Estatísticas

editar

Participações

editar
Participações em 2024
Competição Temporadas Melhor campanha Estreia Última P   R  
  Campeonato Catarinense 30 Campeão (1992 e 2022) 1988 2024 6
Recopa Catarinense 3 Campeão (2020 e 2023) 2019 2023
Série B 9 Campeão (1997, 2008 e 2015) 1994 2015 6 1
Série C 1 Vice-campeão (2004) 2004 2004 1
Copa Santa Catarina 13 Campeão (5 vezes) 1990 2019
  Série B 4 13º colocado (2021) 1989 2024 1
Série C 3 Vice-campeão (2023) 1988 2023 2
Série D 6 Campeão (2019) 2009 2019 1
Copa do Brasil 8 4ª fase (2020) 1993 2024
Recopa Sul-Brasileira 2 Campeão (2008) 2008 2010

Referências

  1. «Luizinho Lopes projeta Bruscão "na parte de cima da tabela" em 2024». portaldacidade.com. 13 de dezembro de 2023. Consultado em 1 de fevereiro de 2024 
  2. «Brusque abre temporada 2023 com clássico diante do Marcílio Dias valendo o título da Recopa Catarinense». omunicipio.com.br. 11 de janeiro de 2023. Consultado em 1 de fevereiro de 2024 
  3. «Brusque FC comemora 35 anos de fundação». fcf.com.br. 12 de outubro de 2022. Consultado em 1 de fevereiro de 2024 
  4. «Brusque vai disputar a Série B de 2024 no Augusto Bauer». ge.globo.com. 18 de dezembro de 2023. Consultado em 1 de fevereiro de 2024 
  5. a b c d e f g h i j k l m n o p «Hino E História». lab.dextak.com.br/brusque-fc. Consultado em 1 de fevereiro de 2024 
  6. «No aniversário do Brusque, relembre 35 jogos marcantes do quadricolor». omunicipio.com.br. 12 de outubro de 2022. Consultado em 1 de fevereiro de 2024 
  7. «Atlético-GO derrota o Brusque-SC e avança à segunda fase». ge.globo.com. 2 de março de 2011. Consultado em 1 de fevereiro de 2024 
  8. «Brusque perde para o Camboriú por 2 a 1 dentro do Augusto Bauer, pela sexta rodada do Catarinense 2012, e está rebaixado à segunda divisão». omunicipio.com.br. 23 de agosto de 2012. Consultado em 1 de fevereiro de 2024 
  9. «Brusque vence o Concórdia e volta à elite do futebol catarinense em 2014». ge.globo.com. 26 de setembro de 2013. Consultado em 1 de fevereiro de 2024 
  10. «Brusque e Juventus sofrem outro rebaixamento juntos, após seis anos». ge.globo.com. 13 de abril de 2014. Consultado em 1 de fevereiro de 2024 
  11. «Brusque é campeão do Catarinense Série B 2015». fcf.com.br. 30 de agosto de 2015. Consultado em 1 de fevereiro de 2024 
  12. «Nos pênaltis e no sufoco, Corinthians elimina o Brusque da Copa do Brasil». terra.com.br. 2 de março de 2017. Consultado em 1 de fevereiro de 2024 
  13. «Corinthians flerta com vexame, mas elimina Brusque na disputa de pênaltis». espn.com.br. 1 de março de 2017. Consultado em 1 de fevereiro de 2024 
  14. FCF, Imprensa (18 de agosto de 2019). «Brusque Futebol Clube é campeão brasileiro da Série D!». Federação Catarinense de Futebol. Consultado em 31 de janeiro de 2024 
  15. «Do vexatório 8 a 1 até o acesso: Brusque se reergue em 45 dias e garante vaga na Série B de 2021». ge. 13 de janeiro de 2021. Consultado em 31 de janeiro de 2024 
  16. «Brusque empata com Camboriú na decisão e conquista o Catarinense». ge. 2 de abril de 2022. Consultado em 31 de janeiro de 2024 
  17. Brusque está rebaixado para a Série C
  18. «Brusque é vice-campeão da Série C do Campeonato Brasileiro». fcf.com.br. 23 de outubro de 2023. Consultado em 1 de fevereiro de 2024 
  19. «Brusque é vice-campeão da Série C após perder de virada para o Amazonas». omunicipio.com.br. 22 de outubro de 2023. Consultado em 1 de fevereiro de 2024 

Ligações externas

editar