Abrir menu principal

Eduardo Bandeira de Mello

BiografiaEditar

AdministradorEditar

É formado em Administração de Empresas pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e trabalhou por 35 anos no Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), onde foi chefe do Departamento do Meio Ambiente.

Dirigente esportivoEditar

Sócio proprietário do Flamengo desde 1978. Membro do Conselho de Administração do clube entre 2007 e 2009, Se tornou candidato à presidência pela "Chapa Azul", após Wallim Vasconcelos, o candidato do grupo de empresários que idealizou a chapa, ter sua candidatura impugnada em uma reunião do Conselho Administrativo, em 8 de novembro de 2012 e seu nome surgiu como alternativa. Assim, foi confirmado como candidato ao pleito logo no dia seguinte.

Logo em suas primeiras entrevistas, ainda como candidato, se definiu como um torcedor de arquibancada apaixonado pelo Flamengo. Apoiado por um time de executivos de peso como Luiz Eduardo Baptista, presidente da Sky Brasil; Carlos Langoni, ex-Banco Central e Flávio Godinho, executivo do Grupo EBX. O objetivo definido pelo grupo era a modernização de métodos e práticas e foco na gestão e desejava obter a profissionalização do clube no triênio de 2013 a 2015.

Zico foi o grande apoiador da campanha e um dos responsáveis pela vitória da "Chapa Azul". A ideia é que Zico fosse uma espécie de conselheiro em todas as ações que envolvessem o gerenciamento do futebol.[2]

As eleições ocorreram em 3 de dezembro de 2012 com a "Chapa Azul" obtendo 1.414 votos. A então mandatária Patrícia Amorim obteve 914 votos e o candidato Jorge Rodrigues, 347 votos.[3]

Em 7 de dezembro de 2015 Foi reeleito Presidente para o triênio 2016–2018 Obtendo 1.632 votos. Contra 834 de Wallim Vasconcellos e 259 de Cacau Cotta.[4]

GestãoEditar

A gestão de Eduardo Bandeira de Mello no Flamengo foi muito elogiada, e considerada um exemplo de gestão para o esporte Brasileiro,[5]Sendo a Melhor gestão financeira.[6] ganhou vários prêmios de gestão e transparência.[7][8] sendo destaque no jornal Americano The New York Times,[9] o clube reduziu a sua divida que passava de R$ 750 milhões em 2012[10] para R$ 360 milhões em 2017[11].

Por que isso fosse possível, o clube contratou a empresa de consultoria de gestão EY, que estabeleceu ciclos a cumprir[12]. O primeiro eles chamaram de “recuperação da credibilidade”. Incluiu profissionalizar a gestão, elevar receitas e pagar dívidas. O ciclo seguinte (2016-2018), foi de investimentos. O terceiro ciclo (2018-2020), foi intitulado “virtuoso”.

Administração dos Patrimônios do ClubeEditar
 Ver artigo principal: Centro de Treinamento George Helal

Uma das promessas de Eduardo Bandeira de Mello em seu segundo mandato era de que, até o final de seu mandato, o clube teria o Centro de treinamento mais moderno do pais.

Com o começo da reestruturação econômica iniciada em sua gestão, o Flamengo começou a ter sucessivos superávits, com isso houve a retomada financeira do clube. Com a melhoria da situação financeira, o modelo de reestruturação e modernização do CT foi posto em prática. De inicio, ficou acordado que iria se ter a construção de um módulo para o futebol profissional e posteriormente para as categorias de base. Tiveram inicio, assim, em 2014 as obras de modernização do Ninho do Urubu. Por fim, no ano de 2016, com a investimento de todo o dinheiro vindo com a venda da Mansão Fadel Fadel[13], foram concluídas as obras do primeiro módulo profissional do Centro de Treinamento George Helal, a partir dali, o Flamengo tinha um dos mais modernos Centro de Treinamento do Brasil, tendo as obras um custo estimado de R$ 15 milhões.[14]

Foi em sua gestão também que o clube oficializou a venda Edifício Hilton Santos[15].

Eduardo Bandeira de Mello também foi o responsável pela reinauguração Ginásio Cláudio Coutinho, próprio para a prática de Ginástica artística, após o mesmo ter sido atingido por um incêndio, em 2012[16].

Além disso, num de seus últimos atos como mandatário do clube, ele assinou uma opção de compra de um terreno, próximo ao shopping Via Parque, na Barra da Tijuca, Zona Oeste do Rio de Janeiro, para viabilizar a construção de um Estádio, sonho antigo do clube[17].

Investimentos no futebolEditar

Conquistas e as séries invictas no FutebolEditar

Na gestão de Eduardo Bandeira de Mello, entre os anos de 2013 e 2018, no Futebol o Flamengo foi 3 vezes campeão do Torneio Super Clássicos (2013, 2014 e 2015), 2 vezes Campeão da Taça Guanabara em (2014 e 2018), 2 vezes Campeão Carioca (2014 e 2017) e Campeão da Copa do Brasil 2013.

Outras conquistas não oficiais foram o Troféu 125 anos de Uberlândia em 2013 e o Torneio Super Series em 2015.

Chegou também ao vice-campeonato da Copa do Brasil 2017, da Copa Sul-Americana de 2017 e do Campeonato Brasileiro de 2018.

Entre agosto de 2012 e abril de 2015, o rival Vasco, ficou 11 partidas sem vencer o Flamengo, se tornando uma das maiores series invictas do Clássico dos Milhões.[18]

Uma novidade no futebol foi a parceria com a consultoria Exos, firmada em 2016, que teve como objetivo diminuir o número de dias de afastamento de atletas por lesões. Destinou a esse fim R$ 1,1 milhão em janeiro de 2016. Com novos equipamentos e procedimentos no departamento médico, o resultado apareceu. Houve 64 lesões em 2015 e somente 22 no ano seguinte[12].

Investimentos nas categorias de baseEditar

Em 24/07/2013, Bandeira de Mello prometeu que, em sua gestão, o investimento nas categorias de base seria pesado, para que o Flamengo voltasse a ser um clube formador[19]. Como estratégia, o clube aumentou o número de observadores atentos a novos jogadores, que passou de três para 11 pessoas nessa função[20]. Além disso, o clube tinha uma faixa de 30 a 40 profissionais que trabalhavam para a base do clube, e em sua gestão esse número subiu para 80 a 100 pessoas[21].

Desta forma, o Flamengo também conquistou inúmeros títulos na base, com destaque para a tradicional Copa São Paulo de Futebol Junior, em que o Flamengo sagrou-se campeão por 2 vezes em sua gestão (2016 e 2018), e para a Copa do Brasil de Futebol Sub-17 (campeão na edição de 2018 e vice na de 2013). Nas últimas temporadas, o clube chegou em 37 finais dos 61 campeonatos estaduais disputados nas categorias Sub-13 a Sub-20, com 24 títulos conquistados[22]. Além disso, o Flamengo ficou entre os clubes brasileiros que mais cederam atletas para seleção de base.

Pensando em resultados a médio e longo prazo, om outubro de 2017, o clube contratou a empresa de consultoria belga Double Pass, a fim de aprimorar a formação dos jogadores. Assim, as categorias de base do clube foram reorientadas para formar atletas para o time profissional – e não mais para ganhar torneios de base, que geralmente são vencidos por adolescentes mais fortes, mas nem sempre de maior potencial[12]. Essa empresa foi a responsável pela subida de nível do futebol alemão na década de 2010, quando os clubes da elite do país passaram a usar 23% mais jogadores formados na base do que no período anterior a 2000, que foi quando a empresa foi contratada[12].

Pacotes de Softwares de Tecnologia da InformaçãoEditar

Foi na segunda gestão Eduardo Bandeira de Mello que o clube passou a investir pesado em Tecnologia da Informação para o seu departamento de Futebol.

Em 2016, o clube comprou o software SAP S/4HANA, plataforma que digitaliza os processos de gestão de clube. Com isso, os fluxos de gestão de negócios melhoram, assegurando melhor governança e transparência administrativa, ganho de produtividade e economia de tempo e recursos gastos com processos burocráticos em até 80%[23].

Em 2018, o clube foi o primeiro da América do Sul a adotar o Sports One - da empresa alemã SAP - que é um conjunto de softwares que ajuda a tomar decisões táticas com base na coleta e análise de dados[24]. Isso permitirá ao Flamengo digitalizar o gerenciamento de performance, coordenar processos de treinamentos, administrativos, financeiros, contabilidade, médicos, de gerenciamento de times e análise de dados em um único ambiente.

Futebol FemininoEditar

Em 2016, depois de quatro anos parado, o projeto do futebol feminino do clube voltou a funcionar durante a gestão Eduardo Bandeira de Mello, através de uma parceria com a Marinha do Brasil.[25]

Também em 2016, o Flamengo foi o primeiro clube fora do estado de São Paulo a conquistar o Campeonato Brasileiro[26], após bater, na final, o então campeão Rio Preto.[27]

Outros esportesEditar

Outros destaques na sua gestão foram os desportos olímpicos[28]. Entre os clubes que têm time profissional de futebol e disputam a Série A do Campeonato Brasileiro, o Flamengo foi o que mais cedeu atletas para o Brasil na Olimpíada de 2016[29].

No Basquete, em sua gestão, o FlaBasquete foi 4 vezes Campeão do NBB (2013, 2014, 2015, 2016), 1 vez campeão da Copa Super 8 de Basquete (2018), além de Campeão da Liga das Américas e do Mundial Interclubes, ambos em 2014.

Também foi na sua gestão a criação do departamento de eSports do clube[30], como uma estratégia de marketing: “o Flamengo está saindo na frente no mercado brasileiro e, possivelmente vai provocar um movimento dos demais grandes clubes. A nossa ambição para este projeto é tornar o Flamengo uma referência mundial”, Daniel Orlean, vice-presidente de marketing do time da Gávea[31].

Primeira LigaEditar

Eduardo Bandeira capitaneou a criação da Liga Sul-Minas-Rio, posteriormente chamada Primeira Liga, uma competição de futebol estruturada pra contrapor o domínio da CBF, entidade que comanda o esporte no Brasil.[32]

Seleção BrasileiraEditar

Em junho de 2016 foi convidado pela CBF para ser chefe da delegação da Seleção Brasileira durante a Copa América Centenário.[33] porém pediu dispensa devido o grande momento de crise que o Flamengo enfrentava no Campeonato Brasileiro.[34]

PrêmiosEditar

  • Melhor Gestão de Clubes - Prêmio Business FC: 2014[35]
  • Melhor Gestão de Clubes - Prêmio BrSM: 2015[36]
  • Administrador do Ano - Prêmio Estácio: 2017[37]
  • Presidente do Ano - Prêmio Fenaclubes: 2017[38]

PolíticaEditar

Se filiou ao partido Rede Sustentabilidade, sendo candidato a Deputado Federal nas Eleições de 2018.[39] Não conseguiu se eleger.[40]

Referências

  1. «Filiado à Rede, Bandeira de Mello será candidato a deputado federal». Lance!. Consultado em 30 de setembro de 2018 
  2. https://www.terra.com.br Zico ainda apoia Chapa Azul, mas não quer cargo remunerado no Fla
  3. http://globoesporte.globo.com Bandeira de Mello é eleito presidente do Flamengo para o triênio 2013-2015
  4. http://globoesporte.globo.com Bandeira de Mello vence adversários com larga vantagem e é reeleito no Fla
  5. http://esportes.estadao.com.br Flamengo saneia finanças, cresce e vira exemplo
  6. http://www.lance.com.br Amir Somoggi: Flamengo tem hoje a melhor gestão financeira
  7. https://ndonline.com.br Flamengo é premiado por sua transparência financeira em 2013
  8. http://www.flamengo.com.br Clube é premiado por gestão e transparência financeira
  9. https://extra.globo.com ‘New York Times’ aponta o Flamengo como o único a se salvar do ‘caos financeiro do futebol brasileiro’
  10. http://globoesporte.globo.com Dívida de R$ 750 mi assusta, mas Fla traça meta com a torcida: 'É pagável'
  11. http://www.futnet.com.br Arquivado em 26 de dezembro de 2018, no Wayback Machine. Fla nada em dinheiro? Nem tanto. Mas entenda as contas do Rubro-Negro
  12. a b c d epoca.globo.com/ O Flamengo tem um plano para dominar o futebol brasileiro (em grana e taças) até 2020
  13. globoesporte.globo.com/ Em votação, Deliberativo aprova venda da mansão de S. Conrado por R$ 7 mi
  14. «Flamengo inaugura novo módulo profissional no Ninho do Urubu». Terra 
  15. espn.com.br/ Flamengo acerta venda de prédio histórico e vai investir dinheiro no CT
  16. flamengo.com.br/ Ginásio Cláudio Coutinho é reinaugurado com cerimônia
  17. veja.abril.com.br/ Flamengo dá passo para a construção de um estádio na Barra da Tijuca
  18. https://www.pasionfutbol.com Flamengo iguala maior série invicta contra o Vasco
  19. sportv.globo.com/ Presidente diz que Fla só trará reforços sem custo de transferência
  20. espn.com.br/ Flamengo quer ser o "maior celeiro de talentos do mundo", veja os planos para isso
  21. globoesporte.globo.com/ Rede de captação, R$ 17 milhões e Bandeira: diretor explica a "base forte"
  22. lance.com.br/ Com adeus de Bandeira, base do Fla encerra ciclo de "evolução expressiva"
  23. espn.com.br/ Flamengo celebra investimento em estrutura com software de Bayern e City
  24. valor.com.br/ Software vai ajudar Flamengo a tomar decisões táticas
  25. espnw.espn.uol.com.br/ Com mulheres, ‘cheiro de título’ é rotina, e Flamengo pode ser campeão de tudo em 2016
  26. http://www.ebc.com.br Flamengo ganha título do Brasileirão Feminino após derrotar Rio Preto por 2 a 1
  27. «Flamengo vence Rio Preto fora de casa e é campeão do Brasileirão feminino». GloboEsporte.com. 20 de maio de 2016. Consultado em 26 de junho de 2016 
  28. olharolimpico.blogosfera.uol.com.br/ "Marca forte", Flamengo renasce nos esportes olímpicos sem alugar camisa
  29. globoesporte.globo.com/ Promessômetro - As promessas de Bandeira de Mello que estão caminhando - ou nem tanto - no Flamengo: Maior Formador de Atletas Olímpicos
  30. Dos gramados às telas: Flamengo eSports
  31. espn.com.br/ "Nossa ambição é tornar o Flamengo em referência mundial em eSports", diz executivo
  32. http://www.gazetaonline.com.br Bandeira de Mello acredita que CBF apenas adiou sobre Primeira Liga
  33. https://oglobo.globo.com CBF põe presidente do Flamengo para chefiar delegação na Copa América
  34. http://odia.ig.com.br Bandeira de Mello pede dispensa e não será chefe de delegação da Seleção
  35. FLAMENGO É DESTAQUE NO BUSINESS FC E GANHA PRÊMIOS POR MELHOR GESTÃO E TRANSPARÊNCIA
  36. Clube é premiado por gestão e transparência financeira
  37. Presidente do Flamengo é eleito o administrador do ano por instituição de ensino
  38. Eduardo Bandeira de Mello é eleito Presidente do Ano no Prêmio Fenaclubes
  39. «Eduardo Bandeira de Mello é candidato a Deputado Federal pela Rede Sustentabilidade.». Rede Sustentabilidade. Consultado em 9 de setembro de 2018 
  40. «Candidato a deputado federal pelo Rio, Bandeira de Mello não é eleito». Lance!. Consultado em 21 de novembro de 2018 

Ligações externasEditar