Eleição municipal de Marabá em 2016

A eleição municipal da cidade brasileira de Marabá ocorreu em 2 de outubro de 2016[1] para eleger um prefeito, um vice-prefeito e 21 vereadores para a administração da cidade paraense. O prefeito titular é João Salame Neto, do PMDB, que optou por não concorrer à reeleição. As movimentações pré-campanha ocorrem num contexto de crise política envolvendo um pedido de impeachment do segundo mandato da presidente Dilma Rousseff, do PT.[2] Além disso, a cidade de Marabá se apresenta numa situação financeira caótica, enfrentando uma grave crise municipal, resultando em inúmeras ações judiciais contra a prefeitura, ao mesmo tempo em que uma série de greves envolvendo os servidores públicos ocorrem devido ao atraso nos seus pagamentos.[3][4]

2012 Brasil 2020
Eleição municipal de Marabá em 2016
2 de outubro de 2016[1]
Candidato Tião Miranda Manoel Veloso
Partido PTB DEM
Natural de Marabá, PA Belém, PA
Vice Antônio Carlos Cunha Sá
REDE
Zeferino Abreu Neto
PR
Votos 59.416 47.640
Porcentagem 51,64% 41,41%

Como a cidade não possui mais de 200 mil eleitores, não existe a possibilidade de realização de um segundo turno, entretanto, mesmo com este número, a eleição já seria decidida no dia 02 de outubro, pois o eleitorado marabaense elegeu o ex-prefeito e atual deputado estadual Tião Miranda, do PTB com mais de 50% dos votos válidos.[5]

Regras

editar

No decorrer do ano de 2015, o Congresso Nacional aprovou uma reforma política, que fez consideráveis alterações na legislação eleitoral. O período oficial das campanhas eleitorais foi reduzido para 45 dias, com início em 16 de agosto, o que configurou em uma diminuição pela metade do tempo vigente até 2012. O horário político também foi reduzido, passando de 45 para 35 dias, com início em 26 de agosto. As empresas passaram a ser proibidas de financiarem campanhas, o que só poderá ser feito por pessoas físicas.[6][7]

A Constituição estabeleceu uma série de requisitos para os candidatos a cargos públicos eletivos. Entre eles está a idade mínima de 21 anos para candidatos ao Executivo e 18 anos ao Legislativo, nacionalidade brasileira, pleno exercício dos direitos políticos, pelo menos um ano de domicílio eleitoral na cidade onde pretende candidatar-se, alfabetização e filiação partidária até o dia 2 de abril de 2016.[8]

A propaganda eleitoral gratuita em Marabá começou a ser exibida em 26 de agosto e terminou em 29 de setembro.[9] Segundo a lei eleitoral em vigor, nos municípios com mais de 200 mil eleitores, caso o candidato mais votado receber menos de 50% +1 dos votos, é estabelecido o sistema de dois turnos; como a cidade de Marabá ainda não atingiu este índice, não existe tal hipótese.[10]

Definição das candidaturas

editar

O prazo para os partidos políticos realizarem as convenções partidárias destinadas à definição de coligações e escolha dos candidatos aos cargos de prefeito, vice-prefeito e vereador iniciou em 20 de julho e encerrou no dia 05 de agosto.[9] Já o prazo para protocolar o registro de candidatura dos escolhidos nas convenções se encerrou em 15 de agosto. Nesta eleição, quatro partidos lançaram candidatos à prefeitura marabaense. .[11]

Jorge Bichara (PV)

editar

O Partido Verde realizou no dia 05 de agosto, sexta-feira, na Escola “A Fazendinha”, a sua convenção municipal que homologou a candidatura de Jorge Bichara à prefeitura de Marabá.[12]

Jorge Bichara Neto tem 53 anos e é médico especializado em endoscopia. Foi um dos fundadores da Fundação Zoobotânica de Marabá, é presidente do Conselho Municipal de Saúde, presidente da Unimed Sul do Pará e ex-secretário Municipal de Agricultura de Marabá, cargo do qual se desincompatibilizou em abril de 2016. Compondo a chapa, tem como candidata a vice-prefeita Celene Lima, do PTdoB.[13]

A sua coligação, “Certeza de um tempo novo” é formada por seis partidos: PV, PTdoB, PT, PTN, PEN e PSDC.

Manoel Veloso (DEM)

editar

O Democratas realizou no dia 05 de agosto, sexta-feira, no Lions Club, localizado na Cidade Nova, a sua convenção municipal que homologou a candidatura de Manoel Veloso à prefeitura de Marabá.[14]

Manoel Cláudio Veloso tem 50 anos e é médico cardiologista. Nunca assumiu cargo político, entretanto, acompanhou os passos de seu pai, o também médico Geraldo Veloso, ex-prefeito da cidade entre 1997 e 2002. Terá como candidato a vice-prefeito o comerciante Zeferino Abreu Neto, do PR.

A sua coligação, “Pra reviver Marabá” é composta por cinco partidos: DEM, PR, PDT, PMB e PRTB.

Rigler Aragão (PSOL)

editar

O Partido Socialismo e Liberdade a dos Trabalhadores Unificado realizou no dia 20 de julho, quarta-feira, a sua convenção municipal que homologou a candidatura de Rigler Aragão à prefeitura de Marabá.[15]

Rigler da Costa Aragão é professor da Universidade Federal do Sul de Sudeste do Pará (UNIFESSPA), natural de Belém (PA), iniciou sua militância política na região no município de Parauapebas onde também foi professor. Nas eleições passadas, foi candidato a deputado federal e obteve 542 votos. Tem como candidato a vice-prefeito o advogado Elho Araújo, também do PSOL. Sua chapa não formalizou aliança com nenhum outro partido.

Tião Miranda (PTB)

editar

O Partido Trabalhista Brasileiro realizou no dia 05 de agosto, sexta-feira, a sua convenção municipal que homologou a candidatura de Tião Miranda à prefeitura de Marabá.[16]

Sebastião Miranda Filho tem 59 anos, é empresário e também formado em Engenharia Elétrica. Entrou na política em 1996 como candidato a vice-prefeito na chapa de Geraldo Veloso, sendo eleitos e reeleitos em 2000. Exerceu ainda a função de Secretário de Obras do município. Em 2002, assumiu a prefeitura em decorrência do falecimento do então prefeito, completando este mandato entre 2002 e 2004, quando fora reeleito. Posteriormente, em 2010, foi eleito deputado estadual, cargo que exerce até hoje. Em 2012, foi novamente candidato, sendo derrotado pelo atual prefeito, João Salame Neto, seu ex-aliado político. Tem como candidato a vice-prefeito o delegado Antônio Carlos Cunha, da REDE.

A sua coligação, “Todos por Marabá”, é composta por 18 partidos: PTB, REDE, PSDB, PMDB, PP, PSB, PSD, PRB, SD, PCdoB, PROS, PPS, PSC, PHS, PSL, PMN, PRP e PPL.

Candidaturas oficializadas

editar
Candidato(a) a prefeito Candidato(a) a vice-prefeito Coligação Duração da
propaganda
eleitoral[17]
43
 
Jorge Bichara (PV)
 
Celene Lima (PTdoB) "Certeza de um tempo novo"

2 minutos e 03 segundos
25
 
Manoel Veloso (DEM)
 
Zeferino Abreu Neto (PR) "Pra reviver Marabá"

1 minutos e 52 segundos
50
 
Rigler Aragão (PSOL)
 
Elho Araújo (PSOL) Partido não coligado
21 segundos
14 Tião Miranda (PTB)
 
Antônio Carlos Cunha (REDE) "Todos por Marabá"
5 minutos e 42 segundos

Pesquisas

editar
Data Instituto Tião Miranda
(PTB)
Manoel Veloso
(DEM)
Jorge BIchara
(PV)
Rigler Aragão
(PSOL)
Brancos e Nulos Indecisos
22/09/2016 Acertar[18] 64,1% 18% 6,6% 1,5% 4,5% 5,3%

Resultados

editar

Prefeito

editar
Candidato(a) Vice 1º turno[19]
2 de outubro de 2016
Total Percentagem
Tião Miranda (PTB) Antônio Carlos Cunha (REDE) 59.416 51,64%
Manoel Veloso (DEM) Zeferino Abreu Neto (PR) 47.640 41,41%
Jorge Bichara (PV) Celene Lima (PTdoB) 5.647 4,91%
Rigler Aragão (PSOL) Elho Araújo (PSOL) 2.348 2,04%
Total de votos válidos 115.051 91,85%
→ Votos em branco 2.364 1,89%
→ Votos nulos 7.849 6,27%
Total 125.264 78,76%
Abstenções 33.791 21,24%
Total de inscritos 159.055 100%
  Eleito(a)

Vereadores

editar
Candidato(a) Coligação Votação[20]
Total Porcentagem
Miguel Gomes Filho (PP) 11234
"Unidos por Marabá"
2.510 2,10%
Pedro Corrêa (PTB) 14000
"Futuro Melhor"
2.062 1,73%
Alécio Stringari (PSB) 40111
"Unidos por Marabá"
1.920 1,61%
Tiago Koch (PMDB) 15111 1.891 1,58%
Priscila Veloso (PTB) 14150
"Futuro Melhor"
1.880 1,57%
Maria Cristina Mutran (PMDB) 15123 1.846 1,55%
Ronisteu Araújo (PTB) 14150
"Futuro Melhor"
1.819 1,52%
Carlos Roberto Miranda (PSDB) 45144 1.805 1,51%
Nonato Dourado (PMDB) 15155 1.799 1,51%
Mário Farias Gonçalves (PSDB) 45045 1.699 1,40%
Ilker Moraes (PHS) 31100
"Um Novo Tempo"
1.523 1,28%
Mariozan Quintão (PPS) 23234 1.428 1,20%
Edinaldo Machado Proj. Semear (PSC) 20000
"Mobilizando Marabá"
1.421 1,19%
Rodrigo Lima (PRB) 10190
"Um novo pacto por Marabá"
1.410 1,18%
Frank Carreiro (PSB) 40123
"Unidos por Marabá"
1.387 1,16%
Ivanildo Athie (PCdoB) 65555 1.314 1,10%
Morivaldo Marçal (PSC) 20115
"Mobilizando Marabá"
1.132 0,95%
Gilson Dias (PCdoB) 65432 1.103 0,92%
Paulo Sérgio Varela (PTN) 19234
"Renovar para Mudar"
1.027 0,86%
Irismar Araújo Melo (PR) 22211
"Pra reviver Marabá 1!"
999 0,84%
Marcelo Alves (PT) 13222
"Aliança por Marabá"
941 0,79%

Referências

  1. a b Prazeres, Leandro (9 de julho de 2015). «Câmara aprova novas regras para eleições; veja o que pode mudar». UOL. Consultado em 28 de julho de 2015. Para entrar em vigor nas eleições de 2016, a minirreforma precisa ser sancionada até um ano antes do pleito do ano que vem, que ocorrerá no dia 2 de outubro. 
  2. Schreiber, Mariana (21 de outubro de 2015). «Qual seria o curso de um eventual processo de impeachment?». BBC. Consultado em 6 de dezembro de 2015 
  3. «Ninguém quer ser prefeito de Marabá». Correio News. 7 de maio de 2016. Consultado em 9 de outubro de 2016 
  4. «Marabá virou um trem desgovernado, diz MP». Correio do Tocantins. 8 de outubro de 2016. Consultado em 9 de outubro de 2016 
  5. «Tião Miranda é eleito prefeito em Marabá». Correio do Tocantins. 3 de outubro de 2016. Consultado em 9 de outubro de 2016 
  6. Noelle Oliveira e Amanda Cieglinski (19 de julho de 2016). «Menos tempo e dinheiro limitado: conheça regras das eleições municipais de 2016». Empresa Brasil de Comunicação. Consultado em 4 de agosto de 2016 
  7. «Conheça as novas regras das Eleições Municipais de 2016». Tribunal Superior Eleitoral. 5 de janeiro de 2016. Consultado em 4 de agosto de 2016 
  8. Lúcio Costa. «O que é necessário para ser candidato a vereador ou vereadora?». Costa Advogados. Consultado em 4 de agosto de 2016 
  9. a b «Eleições 2016: datas e regras». G1. 5 de janeiro de 2016. Consultado em 25 de junho de 2016 
  10. «Calendário eleitoral 2016». TSE. 26 de novembro de 2015. Consultado em 18 de julho de 2016 
  11. «Quatro candidaturas disputarão prefeitura de Marabá». Hiroshi Bogéa Online. 6 de agosto de 2016. Consultado em 9 de outubro de 2016 
  12. «PV lança Bichara a prefeito». Correio News. 6 de agosto de 2016. Consultado em 9 de outubro de 2016 
  13. «Jorge Bichara registra candidatura com mulher na vice». Hiroshi Bogéa Online. 8 de agosto de 2016. Consultado em 9 de outubro de 2016 
  14. «Veloso concorre prefeito, com Zé Fera de vice». Correio News. 6 de agosto de 2016. Consultado em 9 de outubro de 2016 
  15. «Eleições 2016: PSOL vem com {{subst:Número2palavra2|13}} candidatos a vereadores e candidatura própria a prefeito». Rebojo News. 21 de agosto de 2016. Consultado em 9 de outubro de 2016. Arquivado do original em 10 de outubro de 2016 
  16. «Tião e Toni atraem mais 7 partidos na reta final». Correio News. 6 de agosto de 2016. Consultado em 9 de outubro de 2016 
  17. «Propaganda eleitoral começa no rádio e na TV». Jornal O Vale. 27 de agosto de 2016. Consultado em 9 de outubro de 2016 
  18. «Tião Miranda tem 64,1% do eleitorado». Correio News. 22 de setembro de 2016. Consultado em 9 de outubro de 2016 
  19. «Resultado da apuração das Eleições 2016 em Marabá para prefeito e vereador». G1 Pará – TV Liberal. 2 de outubro de 2016. Consultado em 9 de outubro de 2016 
  20. Eleições 2016 (2 de outubro de 2016). «Eleições em Marabá / PA». Consultado em 22 de abril de 2017