Eleições estaduais em Goiás em 1954

As eleições estaduais em Goiás em 1954 ocorreram em 3 de outubro como parte das eleições gerais no Distrito Federal, em 20 estados e nos territórios federais do Acre, Amapá, Rondônia e Roraima. Foram eleitos nesse dia o governador José Ludovico de Almeida, o vice-governador Bernardo Sayão, os senadores Pedro Ludovico Teixeira e Coimbra Bueno, além de oito deputados federais e trinta e dois deputados estaduais.[1][nota 1][nota 2]

1950 Brasil 1958
Eleições estaduais em  Goiás em 1954
3 de outubro de 1954
(Turno único)
JoseLudovicoAlmeida.png Replace this image male.png
Candidato José Ludovico de Almeida Galeno Paranhos
Partido PSD UDN
Natural de Itaberaí, GO Catalão, GO
Vice Bernardo Sayão Rui Cavalcanti
Votos 107.485 105.980
Porcentagem 50,35% 49,65%


Brasão de Goiás.svg
Governador de Goiás

Sete anos após ser derrotado na luta pelo Palácio das Esmeraldas, o farmacêutico José Ludovico de Almeida saiu vitorioso ao almejar o poder estadual. Nascido em Itaberaí e formado na Universidade Federal de Goiás, foi auxiliar de seu tio, Pedro Ludovico Teixeira, quando o mesmo foi interventor federal no estado durante a Era Vargas. Eleito deputado estadual em 1933, exerceu o mandato até a outorga do Estado Novo.[2] Nomeado prefeito de sua cidade natal em 1938 e secretário de Fazenda em 1940, exerceria o cargo outra vez a pedido do tio. Em 1947 disputou a cadeira de governador pelo PSD, mas foi vencido por Coimbra Bueno, candidato da UDN.[1]

Para vice-governador foi eleito o agrônomo Bernardo Sayão. Nascido na cidade do Rio de Janeiro e graduado na Universidade Federal de Viçosa, foi funcionário do Ministério da Agricultura, dirigiu a Colônia Agrícola Nacional de Goiás e trabalhou na construção de estradas por empreitada.[nota 3] Filiado ao PSD, este é o seu primeiro mandato político.[3]

O senador eleito com maior votação foi Coimbra Bueno. Nascido em Rio Verde, estudou nos estados de São Paulo e Rio de Janeiro antes de formar-se em Engenharia Civil pela Universidade Federal do Rio de Janeiro. Especialista em Urbanismo, comandou por quatro anos a Assumiu a Superintendência Geral de Obras de Goiânia por conta da construção da referida cidade, onde trabalhou numa empresa ao lado do irmão. Membro do Conselho Estadual de Economia e Finanças e da Associação dos Pecuaristas do Brasil Central, filiou-se à UDN embora tenha começado sua carreira política durante a interventoria de Pedro Ludovico Teixeira. Em 1947 tornou-se o primeiro governador goiano eleito por voto direto desde o fim do Estado Novo. Responsável pela direção técnica da terceira Comissão de Estudos e Localização da Nova Capital do Brasil em 1953, elegeu-se senador no ano seguinte.[4]

Nascido na cidade de Goiás, Pedro Ludovico Teixeira é médico com graduação na Universidade Federal do Rio de Janeiro. Exerceu sua profissão em cidades como Bela Vista de Goiás e Rio Verde. Membro honorário da Academia Paulista de Letras e jornalista, foi redator de A Voz do Povo e opôs-se ao poderio da família Caiado nas páginas de O Sudoeste. Libertado da prisão no dia que irrompeu a Revolução de 1930, assumiu o posto de interventor federal em Goiás no mesmo ano e em 1935 foi eleito governador pelos deputados estaduais, porém retornou à condição de interventor devido ao Estado Novo. Eleito senador pelo PSD em 1945 e governador do estado em 1950, reconquistou uma vaga no Senado Federal quatro anos depois.[5][6]

Resultado da eleição para governadorEditar

Em relação à disputa pelo governo estadual os arquivos do Tribunal Superior Eleitoral informam o comparecimento de 225.406 eleitores, dos quais 213.465 foram votos nominais ou votos válidos. Foram apurados também 6.406 votos em branco (3,52%) 5.535 votos nulos (2,46%).[1]

Candidatos a governador do estado
Candidatos a vice-governador Número Coligação Votação Percentual
José Ludovico de Almeida
PSD
Bernardo Sayão
PSD
-
PSD (sem coligação)
107.485
50,35%
Galeno Paranhos
UDN
Rui Cavalcanti
UDN
-
Aliança Democrática
(UDN, PSP)
105.980
49,65%
  Eleito

Resultado da eleição para vice-governadorEditar

Em relação à disputa para vice-governador os arquivos do Tribunal Superior Eleitoral informam o comparecimento de 225.406 eleitores, dos quais 210.893 foram votos nominais ou votos válidos. Foram apurados também 8.859 votos em branco (3,93%) 5.654 votos nulos (2,51%).[1]

Candidatos a vice-governador
Candidatos a governador do estado Número Coligação Votação Percentual
Bernardo Sayão
PSD
José Ludovico de Almeida
PSD
-
PSD (sem coligação)
106.582
50,54%
Rui Cavalcanti
UDN
Galeno Paranhos
UDN
-
Aliança Democrática
(UDN, PSP)
104.311
49,46%
  Eleito

Resultado da eleição para senadorEditar

Em relação à disputa para senador os arquivos do Tribunal Superior Eleitoral informam o comparecimento de 450.812 eleitores, dos quais 413.766 foram votos nominais ou votos válidos. Foram apurados também 30.655 votos em branco (6,80%) 6.391 votos nulos (1,42%).[1]

Candidatos a senador da República
Primeiro suplente de senador Número Coligação Votação Percentual
Coimbra Bueno
UDN
Frederico Nunes da Silva
UDN
-
Aliança Democrática
(UDN, PSP)
104.492
25,25%
Pedro Ludovico Teixeira
PSD
José da Costa Pereira
PSD
-
PSD (sem coligação)
104.383
25,23%
Dário Cardoso
PSD
Guilherme Xavier
PSD
-
PSD (sem coligação)
102.618
24,80%
Alfredo Nasser
UDN
Leopoldo Freire
UDN
-
Aliança Democrática
(UDN, PSP)
102.273
24,72%
  Eleito

Deputados federais eleitosEditar

São relacionados os candidatos eleitos com informações complementares da Câmara dos Deputados.[7][8]

Deputados federais eleitos Partido Votação Percentual Cidade onde nasceu Unidade federativa
Emival Caiado UDN 27.263 Goiás   Goiás
Cunha Bastos UDN 21.227 Rio Verde   Goiás
Taciano Melo PSD 17.328 Capela   Alagoas
Wagner Estelita PSD 14.854 Catalão   Goiás
Nicanor Silva PSP 14.521 Itaberaí   Goiás
Benedito Vaz PSD 14.079 Ipameri   Goiás
João de Abreu PSP 13.655 Taguatinga   Tocantins
Fonseca e Silva PSD 12.685 Jaraguá   Goiás

Deputados estaduais eleitosEditar

Estavam em jogo as 32 cadeiras da Assembleia Legislativa de Goiás.[1]

Notas

  1. No Distrito Federal não houve eleição para governador, apenas para o Senado Federal.
  2. Não houve eleições no Território Federal de Fernando de Noronha.
  3. Sua formação superior aconteceu, à época, na "Escola Superior de Agronomia e Medicina Veterinária de Minas Gerais", a qual pertencera antes a outras universidades; neste caso optamos por citar a "mais recente".

Referências

  1. a b c d e f «Banco de dados do Tribunal Superior Eleitoral». Consultado em 15 de julho de 2016 
  2. «Câmara dos Deputados do Brasil: deputado José Ludovico de Almeida». Consultado em 15 de julho de 2016 
  3. «CPDOC – O Governo de Juscelino Kubitschek: biografia de Bernardo Sayão». Consultado em 15 de julho de 2016 
  4. «Senado Federal do Brasil: senador Coimbra Bueno». Consultado em 15 de julho de 2016 
  5. «Senado Federal do Brasil: senador Pedro Ludovico Teixeira». Consultado em 14 de julho de 2016 
  6. «CPDOC – O Governo de Juscelino Kubitschek: biografia de Pedro Ludovico Teixeira». Consultado em 15 de julho de 2016 
  7. «Página oficial da Câmara dos Deputados». Consultado em 15 de julho de 2016. Arquivado do original em 2 de outubro de 2013 
  8. «BRASIL. Presidência da República: Lei nº 9.504 de 30/09/1997». Consultado em 15 de julho de 2016