Trindade (Goiás)

Disambig grey.svg Nota: Para outras cidades contendo este nome, veja Trindade.
Trindade
  Município do Brasil  
Santuário Basílica do Divino Pai Eterno, templo católico, na noite de Natal em 2010.
Santuário Basílica do Divino Pai Eterno, templo católico, na noite de Natal em 2010.
Símbolos
Bandeira de Trindade
Bandeira
Brasão de armas de Trindade
Brasão de armas
Hino
Apelido(s) "Capital da Fé"
Gentílico trindadense
Localização
Localização de Trindade em Goiás
Localização de Trindade em Goiás
Mapa de Trindade
Coordenadas 16° 38' 56" S 49° 29' 20" O
País Brasil
Unidade federativa Goiás
Região metropolitana Goiânia
Municípios limítrofes Oeste: Santa Bárbara de Goiás;
Nordeste: Goianira;
Norte: Caturaí;
Leste: Goiânia;
Sudoeste: Campestre de Goiás;
Sudeste: Abadia de Goiás;
Sul: Guapó.
Distância até a capital 16 km
História
Fundação 16 de julho de 1920
Aniversário 31 de agosto de 1920 (99 anos)
Administração
Prefeito(a) Jânio Darrot (PSDB, 2017 – 2020)
Características geográficas
Área total [1] 710,328 km²
População total (estatísticas IBGE/2019[2]) 127 599 hab.
 • Posição GO: 8º
Densidade 179,6 hab./km²
Clima tropical (Aw)
Altitude 756 m
Fuso horário Hora de Brasília (UTC−3)
Indicadores
IDH (PNUD/2010[3]) 0,699 médio
PIB (IBGE/2016[4]) R$ 1 943 216,50 mil
PIB per capita (IBGE/2016[4]) R$ 16 276,89
Website www.trindade.go.gov.br (Prefeitura)
www.camaratrindade.go.gov.br (Câmara)

Trindade é um município brasileiro do estado de Goiás, região Centro-Oeste do país. Pertence à mesorregião do Centro Goiano e à microrregião de Goiânia e localiza-se a oeste da capital do estado, distando desta cerca de 16 km. Com uma área de aproximadamente 719 km², é o 8º mais populoso do estado goiano, com 127 599 habitantes segundo estimativas de 2019.

Localizada no centro de Goiás, Trindade surgiu do extinto município de Campinas que, em 1909, tinha como distrito Barro Preto. Após sua fragmentação, em 1920, muda-se de nome em homenagem à história dos garimpeiros Ana Rosa e Constantino Xavier, casal que encontrou uma medalha com a ilustração do Divino Pai Eterno, na mesma região em que se situa, atualmente, o Santuário Basílica, templo o qual atrai cristãos à cidade durante a Festa do Divino Pai Eterno.

A cidade tem uma temperatura anual média de 23,2 °C e vegetação predominantemente de cerrado. Em relação à frota automobilística, em 2012, foram contabilizados 40 192 veículos. Com uma taxa de urbanização da ordem de 95,81 %, seu Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) é de 0,699, considerando-se assim como médio em relação ao país.

HistóriaEditar

Origens e povoamentoEditar

A região, até o século XVI, era povoada por indígenas diversos, com destaque aos goyazes e, com a colonização portuguesa, seu território tornou-se parte da Capitania de São Paulo.[5] Os bandeirantes, após 1602, ocuparam os estados de Goiás, Mato Grosso e Minas Gerais à procura de metais preciosos;[6] como consequência, em 1748, foi fundada a Capitania de Goiás,[7] na qual se localizava a atual cidade de Trindade.[8][9] Em termos geográficos, o local fazia parte do Distrito de Santa Cruz, criado em 1776, o qual abrangia todo o sul da capitania.[10]

 
Capela construída por Ana Rosa e Constantino Xavier em 1848. Nela, estava exposto o medalhão encontrado pelos garimpeiros.

Com o fim do ciclo do ouro, no final do século XVIII, as atividades econômicas se voltaram para a agropecuária, principalmente a agricultura de subsistência. Assim, a região conquistou importância socioeconômica para o estado e sua população começou a aumentar gradativamente.[11] O alferes Joaquim Gomes da Silva estabeleceu sua fazenda e construiu a primeira capela, dedicada a Nossa Senhora da Conceição, por volta da década de 1840 no arraial das Campininhas das Flores (atual Campinas, Guapó e Trindade).[12][13] Simultaneamente, o casal mineiro de garimpeiros Ana Rosa e Constantino Xavier se mudaram para um local próximo ao Córrego Barro Preto, que daria nome ao futuro arraial e distrito. Às margens do curso-d'água, em 1843, eles encontraram um medalhão com a ilustração da Santíssima Trindade coroando a Virgem Maria.[14] A partir daí, os mineiros o expuseram publicamente e inúmeras pessoas imigravam para o arraial de Barro Preto a fim de reverenciar a imagem em devoção.[15]

Por volta de 1848, Rosa e Xavier planejaram a construção de uma capela coberta por folhas de buriti, onde ficaria o medalhão à disposição de todos que desejassem vê-lo.[16] Com o objetivo de atrair mais indivíduos, o garimpeiro pediu ao escultor José Joaquim da Veiga Vale, que morava em Pirenópolis, para produzir uma réplica maior da imagem.[17] Assim, a adoração à figura do Divino Pai Eterno foi o principal fator que contribuiu para o povoamento do lugar.[18]

DesenvolvimentoEditar

Em 12 de dezembro de 1894, padres redentoristas originários do estado de Baviera, na Alemanha, se instalaram no Distrito de Barro Preto para planejar a romaria que iria se iniciar a destino da igreja, a qual estava sob administração do Pe. Francisco Inácio de Sousa, nomeado por D. Eduardo Duarte e Silva. Em 1900, os padres saíram do lugar por causa de um conflito entre fazendeiros, orientado pelo coronel Anacleto Gonçalves; porém, o embate não durou muito tempo. Após a inauguração da Igreja Matriz de Campinas e a transferência da romaria para Campininhas em 1901, a repercussão de Barro Preto diminuiu consideravelmente e, três anos depois, as autoridades eclesiásticas ordenaram que o evento voltasse a ser realizado no local de origem com a presença dos redentoristas.

Os missionários Redentoristas, naturais de Baviera, em Trindade.

Campinas é elevada à categoria de município em 1907, tendo os arraiais de Barro Preto e São Sebastião do Ribeirão incorporados a ele. Dois anos após o estabelecimento do município, o distrito de Barro Preto se muda de nome para Trindade, ainda subordinada a Campinas, pela lei municipal nº 5 de 12 de março de 1909. Com estilo barroco, em 1912, foi inaugurada a Igreja Matriz de Trindade, construída por um dos missionários redentoristas, o Pe. Antão Jorge, com a intenção de receber os romeiros que prestavam homenagens ao Divino Pai Eterno.[19]

Conforme a lei estadual nº 662 de 16 de julho de 1920, Trindade é elevada à categoria de vila, com instalação formal em 31 de agosto de 1920, tendo seu território desmembrado de Campinas e a constituição de dois distritos: Trindade e Ribeirão. Em 20 de julho de 1927, pela lei estadual nº 825, recebe o título cidade. Com a construção de Goiânia, volta a condição de distrito em 1935 e seu território é anexado a nova capital do estado pelo decreto-lei estadual nº 1233 de 31 de outubro de 1938, sendo elevado novamente à categoria de município cinco anos depois, ratificado pelo decreto-lei estadual nº 8305 em 31 de dezembro de 1943. Campestre de Goiás se torna um distrito e é anexado ao município de Trindade em 1963, mas no mesmo ano é feito o desmembramento dos dois municípios.[20][21]

Expansão religiosaEditar

Como comemoração do centenário do encontro do medalhão, em 1943, o arcebispo D. Emanuel Gomes de Oliveira lançou a Pedra Fundamental da Catedral Santíssima Trindade, que simbolizou o início da construção da Santuário Basílica do Divino Pai Eterno. As obras, todavia, demoraram para serem finalizadas, após projetos de D. Fernando Gomes dos Santos apresentados depois da inauguração da Arquidiocese de Goiânia em 1957. Assim, em 1974, as construções foram concluídas, destinando os cristãos ao novo templo e intensificando a repercussão da Festa do Divino Pai Eterno. Dentre os sacerdotes que serviam ao santuário, destacou-se o padre alemão Pelágio Sauter, que além de seus trabalhos em Trindade, desenvolveu atividades em Goiânia e São Paulo. Outra implantação organizada por clérigos foi a Vila São Cottolengo, fundada em 1950, com o objetivo de abrigar pessoas pobres que necessitavam de ajuda. A instituição também recebeu contribuições das Filhas da Caridade de São Vicente de Paulo, uma sociedade de vida apostólica comunitária.

A partir de 1988, um desfile anual de carreiros (popularmente chamado de Romaria dos Carreiros) recebeu espaço no evento religioso com centenas de carros de boi. Como incentivo, as melhores apresentações são condecoradas no Carreiródromo Ada Cira.

GeografiaEditar

A área do município é de 710,328 km², representando 0,2089% do estado de Goiás, 0,0442% da Região Centro-Oeste do Brasil e 0,0083% de todo o território brasileiro.[1] Situa-se a 16°38'58" de latitude sul e 49°29'20" de longitude oeste e está a uma distância de 16 quilômetros a oeste da capital goiana, fazendo parte da Região Metropolitana de Goiânia, ao lado de vinte outras cidades. Seus municípios limítrofes são Caturaí e Goianira a norte, Santa Bárbara de Goiás a oeste, Campestre de Goiás a sudoeste, Abadia de Goiás a sul, Guapó a sudeste e Goiânia a leste. De acordo com a divisão do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística vigente desde 2017,[22] o município pertence às Regiões Geográficas Intermediária e Imediata de Goiânia. Até então, com a vigência das divisões em microrregiões e mesorregiões, o município fazia parte da microrregião de Goiânia, que por sua vez estava incluída na mesorregião do Centro Goiano.[23]

HidrografiaEditar

O município faz parte da sub-bacia do rio do Peixe que, por sua vez, está inserida na Bacia Hidrográfica do Rio dos Bois. A demanda de água gira em torno de 315 litros por segundo e a captação e tratamento no município são realizados pela Companhia Saneamento de Goiás (Saneago),[24] na estação de tratamento ETA Arrozal.[25] O abastecimento é realizado por quatro vias: o Ribeirão Arrozal, os Poços Trindade, o Ribeirão João Leite e o Rio Meia-Ponte, sendo que os dois últimos compartilham atendimento com Goiânia e Aparecida de Goiânia.[24]

A região do Ribeirão Arrozal é marcada pela ação humana, principalmente pela impermeabilização do solo, contaminação e poluição dos cursos d'água, assoreamento de mananciais e nascentes, diminuição da disponibilidade dos recursos hídricos e desmatamento de áreas costeiras.[26] O sistema hidrográfico regional apresenta uma malha de drenagem com escoamento geral de norte para sul integrando-se a bacia do Rio Paranaíba, principal curso d’água de toda a bacia. A região em questão é drenada por contribuintes que escoam para a margem esquerda do Rio dos Bois principal manancial de influência no município. Os principais córregos e ribeirões são: Barro Preto; Barro Branco; Arrozal; Fazendinha; Rio Santa Maria; Córrego dos Pereiras; Rio do Peixe; Córrego do Sabão; Córrego do Dengo e Córrego Bruacas.[27]

RelevoEditar

A região de Trindade está delimitada numa faixas de dobramentos neoproterozoicas, formado principalmente por ortognaisses granulíticos,[28][29] complexo geológico do Conjunto Piroxenítico Gnaisse-Gabróico de Goianira-Trindade, marcado por piroxênios, anfibólios, actinolitas e rochas calciossilicáticas.[30]

O município de Trindade acha-se a 780m de altitude. A região possui topografia classificada como suave ondulado, tendo uma superfície topográfica pouco movimentada, com predominância de declives de 3,9 %, no sentido S-N e uma diferença máxima de cotas de 24 m. As elevações mais destacadas são as serras da Taboca, de Trindade.

VegetaçãoEditar

A área do município está inserida no bioma Cerrado, que é entendido como um complexo de formações vegetativas que vão desde o campo limpo, até o cerradão, além da formação denominada campo aberto, representada por gramas nativas, árvores e palmeiras de pequeno porte. O Cerrado constitui-se no segundo maior bioma do Brasil e da América do Sul, englobando a terça parte de todos os organismos vivos do Brasil e 10% dos animais e das plantas que ocorrem no mundo. Entre as árvores mais conhecidas estão o Jatobá e o Ipê. Em razão da atividade agropecuária intensa no município, a cobertura vegetal nativa vem sendo substituída para o uso alternativo do solo em pastagens.[31]

ClimaEditar

O clima trindadense é caracterizado como tropical com estação seca (Aw segundo classificação climática de Köppen-Geiger).[32] Em janeiro e fevereiro, que são os meses de maior precipitação, podem ocorrer períodos de interrupção total caracterizando o veranico, como é conhecido, que se faz acompanhar de desastres na agricultura. O total pluviométrico anual para costuma ser próximo a 1.600mm, a temperatura média anual é de 23,2 °C, a insolação é de 2588,1 horas/ano, a velocidade média dos ventos é de 3,7 km/h e a umidade relativa é de 66%. A temperatura raramente fica abaixo de 10 °C e acima de 35 °C, a maior temperatura deve ficar entre 35 e 39 °C, e a mínima entre 15 e 20 °C, no verão, a temperatura fica mais baixa devido as chuvas; no inverno, principalmente no mês de agosto, a temperatura pode chegar a 34 °C.

Dados climatológicos para Trindade
Mês Jan Fev Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez
Temperatura máxima média (°C) 28,8 29,2 29,0 27,7 27,0 27,0 29,3 30,3 30,4 29,2 28,3 28,7
Temperatura média (°C) 24,1 24,2 23,7 22,0 20,6 20,3 22,4 24,3 24,9 24,3 23,9 23,4
Temperatura mínima média (°C) 19,4 19,3 18,5 16,4 14,2 13,7 15,5 18,3 19,4 19,5 19,5 18,1
Precipitação (mm) 253 208 196 112 33 7 5 11 44 154 200 244
Fonte: Climate-Data.org[33]

DemografiaEditar

Crescimento populacional
Censo Pop.
19407 616
19508 2478,3%
196013 26560,8%
198030 609
199154 07276,7%
200081 45750,6%
2010104 48828,3%
Est. 2019127 59922,1%
Fonte: Instituto Brasileiro de
Geografia e Estatística
(IBGE)[2]

Em 2010, a população do município foi contada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) em 104 488 habitantes, sendo que 51 445 habitantes eram do sexo masculino, correspondendo a 49,24%, enquanto 53 043 habitantes eram do sexo feminino, totalizando a 50,76% da população. Ainda segundo o censo brasileiro daquele ano, 100 106 pessoas viviam na zona urbana (95,81%), e 4 382 em zona rural (4,19%).[34] De acordo com a estimativa para o ano de 2019, a população ampliou-se a 127 599 habitantes, sendo o 8º mais populoso do estado e o 241º do Brasil. Apresenta, consoante essa estimativa, uma densidade populacional de 147,02 habitantes por km².[2]

Conforme a pesquisa de autodeclaração do censo do IBGE de 2010, a população trindadense era composta por 39 720 brancos (38,01%), 5 710 pretos (5,46%), 1 701 amarelos (1,63%), 57 237 pardos (54,78%) e 120 indígenas (0,11%). Em relação à pirâmide etária referente ao ano 2010, 78 647 (75,27%) pessoas tinham entre 15 a 64 anos da idade, 25 841 (24,73%) menos de 15 anos e 6 145 (5,88%) mais de 65 anos; dezenove pessoas estavam acima dos cem anos.

No mesmo ano, o Índice de Desenvolvimento Humano Municipal (IDH-M) de Trindade, de 0,699, é considerado médio pelo Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). Considerando apenas a longevidade, o valor do índice é de 0,822 (classificado como elevado); de renda, 0,682 e de educação, 0,608.[35] O coeficiente de Gini, que mede a desigualdade social, era de 0,42, sendo que 1,00 é o pior número e 0,00 é o melhor. A taxa de mortalidade infantil era de 11,0 (13,98 até os cinco anos de idade) e a taxa de fecundidade era de 1,99.[35]

ReligiãoEditar



 

Religiões em Trindade (2010)[36]

  Catolicismo Romano (60.22%)
  Protestantismo (30.45%)
  Sem religião (5.93%)
  Espiritismo (1.69%)
  Testemunhas de Jeová (0.71%)
  Outras religiões (1%)

É considerada a capital católica do estado. As novenas têm início nove dias antes do primeiro domingo do mês de julho. Nesta ocasião, ocorre uma romaria com afluência de milhares de turistas e devotos do Divino Pai Eterno.

Todavia, o Censo do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística constatou em 2010 que: 60,22% da população residente era católica romana, 30,45 era protestante, 5,93% era sem religião, 1,69% espírita e 0,71% de Testemunhas de Jeová e 1% eram os membros de todas as demais religiões.[37] O resultado mostra que o número de católicos na cidade foi levemente inferior a média nacional naquele ano que era de 64,6% e o de protestantes foi superior a média brasileira de 22,2%.[38]

Dentro dos 30,45% de protestantes na cidade em 2010, 1.499 pessoas (1,43%) da população trindadense era composta por Evangélicos de Missão, dentre os quais os maiores grupos foram: 1.105 (1,05%) batistas; 280 (0,26%) presbiterianos e 114 (0,1%) de adventistas.

Os pentecostais contaram 22.427 pessoas (21,46%) da população local, dentre os quais destacam-se: as Assembleias de Deus com 12.878 pessoas (12,32%); Igreja Universal do Reino de Deus com 1.150 (1,10%); Igreja Pentecostal Deus é Amor com 1.029 pessoas (0,98%), Congregação Cristã no Brasil com 998 (0,95%) e demais grupos pentecostais não nominados pelo censo (que incluem Igreja Internacional da Graça de Deus, Igreja Apostólica Fonte da Vida, Igreja Verbo da Vida, Igreja de Deus no Brasil, entre outras) com 6.214 pessoas (5,94%).

Trindade foi a cidade com maior número de islâmicos no último censo residentes Estado de Goiás (empatada com Anápolis ), com 105 pessoas, o que corresponde a cerca de 0,1% da população da cidade É uma das quatro cidade goianas (juntamente com Anápolis, Jataí e Goiânia) com mesquitas ou mussalas.[39][40]

PovoEditar

De imigração predominantemente da região do Triângulo Mineiro, tendo em suas raízes grande cultura trazida de Minas Gerais e Portugal.

Domicílios / salário[41] ( %)
Sem Rendimentos 10,1 %
Até 1 23,6 %
1 a 2 28,5 %
2 a 3 14,2 %
3 a 5 13,2 %
5 a 10 7,5 %
Acima de 10 2,9 %

EconomiaEditar

 
Principais atividades econômicas de Trindade em 2014.

Segundo dados do IBGE, o Produto Interno Bruto (PIB) do município de Trindade em 2016 era de R$ 1 943 216,50 bilhão, dos quais R$ 43 676,75 mil da agropecuária, R$ 523 711,11 mil da indústria, R$ 381 122,80 mil referente à administração, defesa, educação e saúde públicas e seguridade social. R$ 1 724 470,00 bilhão é referente ao valor adicionado bruto a preços correntes. Desse total, R$ 218 746,5 mil eram de impostos sobre produtos líquidos de subsídios a preços correntes. O PIB per capita era de R$ 16 276,89.[2]

Economicamente, a cidade se destacou na confecção de roupas e na fabricação de refrigerantes e bebidas não-alcoólicas, impulsionadas a partir da década de 1980, com a ascensão de indústrias e investimentos por empresários. A confecção representou, em 2000, 20% do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços arrecadado pelo município; enquanto a produção de bebidas conquistou espaço após a instalação do Grupo Imperial em 1997 e da Refrescos Bandeirantes (fabricante da Coca-Cola), em vista da posição geográfica estratégica e o incentivo fiscal.

Conforme índices de 2017 do IBGE, o município possuía um rebanho de 15 asininos, 63 661 bovinos, 89 bubalinos, 147 caprinos, 2 192 equinos, 151 galináceos, 103 muares, 1 296 ovinos e 5 989 suínos. Naquele ano, foram produzidos 10 824 mil litros de leite, totalizando um valor de R$ 11 270 mil, e 68 mil dúzias de ovos de galinha, rendimento de R$ 204 mil da produção.[42] Na lavoura permanente, em 2017, destacaram-se a produção de banana (17 hectares cultivados e 179 toneladas produzidas), laranja (46 hectares e 148 toneladas), limão (33 hectares e 54 toneladas) e tangerina (14 hectares e 186 toneladas); na lavoura temporária, em 2018, de cana-de-açúcar (300 hectares e 26 800 toneladas), milho (520 hectares e 3 250 toneladas), soja (2 900 hectares e 8 578 toneladas) e sorgo (235 hectares e 670 toneladas).[43]

Política e administraçãoEditar

A administração municipal se dá pelos Poderes Executivo e Legislativo. O Executivo é exercido pelo prefeito, auxiliado pelo seu gabinete de secretários. O poder executivo do município de Trindade é representado pelo prefeito, consoante determinação da Constituição Brasileira de 1988; o primeiro prefeito foi Anacleto Gonçalves de Almeida, empossado no Paço Municipal em 31 de agosto de 1920. O atual é Jânio Darrot, do Partido da Social Democracia Brasileira (PSDB), eleito em 2012 com 27 174 votos (44,36% dos votos válidos), e reeleito em 2016 com 31 722 (51,34% dos votos válidos), ao lado de Gleyson Cabriny (PSDB) como vice-prefeito. O Poder Legislativo, por sua vez é constituído pela câmara municipal, composta por dezessete vereadores eleitos para mandatos de quatro anos. Cabe à casa elaborar e votar leis fundamentais à administração e ao Executivo, especialmente o orçamento participativo, conhecido como Lei de Diretrizes Orçamentárias.

O município de Trindade é regido por sua lei orgânica, promulgada em 22 de novembro de 2005, em sessão presidida por Flávio Luís Borges Guilarducci. Abriga, ainda, uma comarca do Poder Judiciário estadual, de entrância especial, que funciona no Fórum de Trindade. O município pertence à 49ª zona eleitoral do estado de Goiás e possuía, em junho de 2018, 81 150 eleitores, de acordo com o Tribunal Superior Eleitoral (TSE), o que representa 1,822% do eleitorado goiano.[44]

Estrutura urbanaEditar

SaúdeEditar

A rede de saúde de Trindade inclui 32 unidades básicas de saúde, três hospitais gerais, um hospital especializado e dois centros de atenção psicossocial (CAPS), segundo informações de 2018.[45] O município possuía, em 2009, 37 estabelecimentos de saúde, sendo deles 27 públicos municipais (pronto-socorros, postos de saúde e serviços odontológicos), três atendimentos de emergência, três especializados em clínica médica, três em obstetrícia, três em pediatria e uma em traumato-ortopedia.[46] Neste ano, Trindade dispunha de 597 leitos para internação, 539 destes privados. A cidade também possui atendimento médico ambulatorial em especialidades básicas, atendimento odontológico com dentista e presta serviço ao Sistema Único de Saúde (SUS). Trindade contava em dezembro de 2009 com 22 cirurgiões gerais, 66 clínicos gerais, 27 cirurgiões dentistas, 57 enfermeiros, 14 fisioterapeutas, 13 fonoaudiólogos, 19 psicólogos, 98 auxiliares de enfermagem e 94 técnicos de enfermagem.

Trindade conta com três cemitérios, sendo o principal deles o Cemitério Municipal, administrado pela prefeitura, e na região leste da cidade, fronteiriça com Goiânia, o Cemitério Jardim da Saudade e o Complexo Vale do Cerrado, ambos de gestão privada.[47] Em 2017, foram registrados 752 óbitos por morbidades, dentre os quais as doenças do sistema circulatório representaram a maior causa de mortes (29,12%), seguida pelos tumores (16,22%) e por doenças do sistema respiratório (13,56%).[48] Ao mesmo tempo, foram registrados 1 965 nascidos vivos, sendo que o índice de mortalidade infantil no mesmo ano foi de 6,11 óbitos de crianças menores de um ano de idade a cada mil nascidos vivos.[49] Cabe ressaltar que 2,93% das meninas de 10 a 17 anos tiveram filhos em 2010.

EducaçãoEditar

No campo da educação, o Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (IDEB) obtido por alunos do 5º ano da rede pública de Trindade foi de 5,8 em 2017, enquanto que do 9º ano foi de 5,2, na mesma avaliação que qualifica numa escala de 1 a 10.[50] Em 2010, 96,4% das crianças entre sete e quatorze anos estavam matriculadas em alguma instituição em ensino. A distorção idade-série entre alunos do ensino fundamental, ou seja, com idade superior à recomendada, era de 11% nos anos iniciais e 25,1% nos anos finais e, no ensino médio, a defasagem chegava a 29,3%. Dentre os habitantes de 25 anos ou mais, segundo dados do mesmo ano, 45,57% haviam completado o ensino fundamental, 27,84% o ensino médio e 5% o ensino superior, sendo que a população tinha em média 9,44 anos esperados de estudo.

O valor do Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) da educação era de 0,608 no ano de 2010. No ensino técnico, o Instituto Federal Goiano é um dos principais e, no ensino superior, além das instituições privadas, destaca-se o campus da Universidade Estadual de Goiás (UEG).[51]

Educação de Trindade em números (2018)[52]
Nível Matrículas Docentes Escolas (total)
Educação infantil 4 830 233 43
Ensino fundamental 16 966 734 56
Ensino médio 4 424 321 16

Serviços e habitaçãoEditar

No ano de 2010, segundo o IBGE, havia na cidade 31 998 domicílios particulares permanentes ocupados, média de 3,24 moradores por residência.[53] Desse total, 31 144 eram casas, 132 casas de vila ou em condomínio, 173 apartamentos e 485 eram habitações em casas de cômodos ou cortiço.[54] Acerca da situação do domicílio, 30 547 encontravam-se em área urbana, ao passo que os demais 1 387 em área rural.[55] Do total de domicílios, 21 641 eram próprios, sendo que 20 495 eram próprios já quitados; 1 146 próprios em aquisição e 7 142 eram alugados; 3 016 imóveis foram cedidos, sendo que 637 haviam sido cedidos por empregador e 2 379 foram cedidos de outra maneira; e 135 foram ocupados de outra forma.[56] Ainda, 30 885 possuíam televisão, 7 806 microcomputadores e 4 696 microcomputadores com acesso à internet.[57]

Grande parte do município conta com água tratada, energia elétrica, esgoto, limpeza urbana, telefonia fixa e telefonia celular.[58] Atualmente, o lixo da cidade é jogado no Aterro Sanitário de Goiânia, localizado no quilômetro três da GO-060, fronteira entre Trindade e a capital goiana, sendo que 98,84% da população é atendida pelo serviço de coleta de lixo, segundo dados do IBGE de 2010.[59] Segundo pesquisa realizada pela Secretaria do Meio Ambiente e Recursos Hídricos no período de fevereiro de 2008 a abril de 2009, o município produz aproximadamente 80 toneladas de lixo urbano diariamente, somando os resíduos de tipo domiciliar, comercial, público e de varrição.[60]

O abastecimento de água e coleta de esgoto são feitos pela empresa de Saneamento de Goiás (Saneago),[61] sendo que em 2008 havia 32 345 unidades consumidoras, das quais 24 123 residenciais, e eram distribuídos em média 15 713 m³ de água tratada por dia.[62] Em 2010, segundo o IBGE, 99,08% dos domicílios eram atendidos por água encanada e, em 2013, 95,81% possuíam esgotamento sanitário. Já o serviço de fornecimento de energia elétrica é feito pela Enel Distribuições Goiás.[63][64] A tensão elétrica da rede é de 220 volt e, em 2010, 99,92% dos domicílios possuía acesso à rede, de acordo com o IBGE.[65]

Segurança e criminalidadeEditar

Quantidade de homicídios em Trindade[66]
Ano Total Ano Total Ano Total
2000 14 2006 39 2012 56
2001 16 2007 28 2013 81
2002 20 2008 14 2014 50
2003 21 2009 12 2015 82
2004 27 2010 9 2016 65
2005 14 2011 15 2017[67] 70

A provisão de segurança pública de Trindade é dada por diversos organismos. A Polícia Militar do Estado de Goiás (PM-GO), uma força estadual, é a responsável pelo policiamento ostensivo das cidades, o patrulhamento bancário, ambiental, prisional, escolar e de eventos especiais, além de realizar ações de integração social, tendo como base no município o 16º Comando Regional da PM.[68] Já a Polícia Civil tem o objetivo de combater e apurar as ocorrências de crimes e infrações[69] e é representada por uma Área Integrada de Segurança Pública (AISP), orientada pela Secretaria da Segurança Pública e Administração Penitenciária do Estado de Goiás.[70] A cidade também é atendida por um Pelotão do Corpo de Bombeiros Militar do Estado de Goiás (CMBGO).[71]

ComunicaçõesEditar

Em dados da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), Trindade possuía 112 orelhões em dezembro de 2019.[72] O código de área (DDD) do município é 062[73] e o Código de Endereçamento Postal (CEP) da cidade vai de 75380-001 a 75394-999.[74] O serviço postal é atendido por duas agências da Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos, uma no Centro e outra no Setor Maysa.[75] A cidade também é amplamente coberta pelo serviço de telefonia móvel 4G.[76]

Trindade compartilha acesso às redes de televisão sediadas em Goiânia, como a TV Anhanguera,[77] a TV Serra Dourada,[78] a RecordTV Goiás,[79] a TV Brasil Central,[80] a TV UFG,[81] a Fonte TV[82] e a PUC TV Goiás.[83] O mesmo se dá às estações de rádio: Rádio Sucesso, a Fonte FM, a CBN Goiânia, a Rádio 730, a Rádio Jovem Pan FM a Sara Brasil FM, a Difusora, dentre outras.[84] A TV Pai Eterno é uma rede de televisão sediada em Trindade, em parceria com a Rede de Comunicação Interativa, inaugurada em 2019, cuja programação é baseada principalmente em conteúdo religioso, como as missas realizadas no Santuário Basílica do Divino Pai Eterno.[85][86]

TransportesEditar

A frota municipal em 2016 era de 56 031 veículos, sendo 25 693 automóveis, 1 266 caminhões, 168 caminhões-tratores, 3 392 caminhonetes, 975 caminhonetas, 89 micro-ônibus, 15 916 motocicletas, 4 060 motonetas, 142 ônibus e 116 utilitários.[87] A cidade possui um terminal rodoviário, o Terminal Rodoviário de Trindade, localizado na Vila Pai Eterno, local de importante embarque e desembarque de passageiros, além das linhas do transporte coletivo municipal e da Região Metropolitana de Goiânia. Dois outros terminais estão na fronteira entre o município e a capital goiana: Terminal Padre Pelágio e Terminal Vera Cruz. Conforme o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes, Trindade é atendida pela GO-060, conhecida popularmente como Rodovia dos Romeiros, e pela GO-469. A principal via pública da cidade é a Avenida Manoel Monteiro, cortando a cidade de Norte a Sul.[88]

Cultura e lazerEditar

Em Trindade, compete à Secretaria Municipal de Educação e Cultura planejar e assegurar as políticas públicas relacionadas não só ao processo educacional, mas também à organização e à difusão das atrações turísticas e dos eventos promovidos e à preservação do patrimônio histórico-cultural.[89] No âmbito da gestão, ainda se destaca a ação de órgãos que complementam a realização de atividades culturais e de lazer: a Agência Municipal de Esportes e Lazer, voltada às práticas desportivas,[90] a Agência Municipal de Segurança Pública e Patrimonial, responsável pelo planejamento operacional e monitoramento do patrimônio público,[91] e a Agência Municipal de Turismo, interessada na manutenção do setor turístico, em especial o turismo religioso, destaque da cidade.[92]

Atrações turísticas e eventosEditar

Trindade é um dos municípios goianos mais conhecidos em razão do turismo, principalmente por causa da tradição religiosa da romaria, peregrinação em torno da figura do Divino Pai Eterno, iniciada popularmente desde a segunda metade do século XIX.[93] A importância cultural e histórica da devoção, impulsionada pelo medalhão que torna ícone a coroação da Virgem Maria pela Santíssima Trindade é consolidada, através da história da cidade, pela construção da Igreja Matriz de Trindade, erguida em estilo barroco,[94][95] e do Santuário Basílica do Divino Pai Eterno, neoclássica.[96] A religiosidade popular, próxima de um modelo colonial, passou por um processo lento de romanização,[97] mas mantém o conservadorismo da romaria, sobretudo durante a Festa do Divino Pai Eterno.[98][99] O evento, de frequência anual, se estende por dez dias e finaliza-se no primeiro domingo do mês de julho e é considerada a maior festividade religiosa do Centro-Oeste e a segunda maior do país.[100] Na edição de 2019, a romaria contou com a participação de aproximadamente 3,2 milhões de pessoas.[101][102]

A Igreja Matriz de Trindade, inaugurada em 1912, primeiro grande templo cultuado na cidade, foi tombada Patrimônio Cultural Material Nacional pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN) em 2014.[103][104] Localizada na Praça do Santuário, chama a atenção o calçamento de paralelepípedos,[105] as janelas-guilhotina pintadas de azul e a cúpula piramidal com cruzeiro.[106][107] Com a construção do Santuário Basílica, o movimento religioso se intensificou em Trindade. Sua posição central e sua grandiosidade permitem vislumbrá-lo em diversos pontos do município, inclusive na rodovia em direção a Goiânia. Além das missas e celebrações, o Santuário agrupa a Sala dos Milagres, acervo de fotografias votivas e diversos objetos deixados pelos turistas, e a Gruta Nossa Senhora de Lurdes.

A Via Sacra também se destaca como uma das principais atrações turísticas. Consiste numa série de painéis expostos na rodovia principal e no conjunto de esculturas que reproduzem as 14 Estações da Via Crúcis, as quais retratam, dentre outras, a corte de Pilatos e o sepultamento de Jesus.[108] No final deste percurso, encontra-se outro ponto bastante visitado: a Igreja do Santíssimo Redentor, fundada em 2004 em homenagem ao padre Pelágio Sauter.[109][110] Ainda na esfera religiosa, o Portal da Fé,[111] localizado na entrada da cidade, com a estrutura de uma grandiosa cruz monumental, a representação central da Santíssima Trindade e o formato de um túnel, recebe inúmeros fiéis que fazem orações.[112] O Carmelo da Santíssima Trindade e da Imaculada Conceição, inaugurado em 2009,[113] é o mosteiro onde ficam as Irmãs Carmelitas e também chama a atenção como um dos pontos mais procurados.[114] Outras instituições religiosas são percorridas em Trindade, como a Igreja Santa Luzia, a Capela do Morro do Cruzeiro, a Igreja Cristã Evangélica, a Igreja Presbiteriana, a Igreja Impactados e o Templo AD.[115][116]

O Museu da Memória guarda em seu acervo uma série de objetos, documentos e fotografias que remontam à história de Trindade, incluindo a réplica do medalhão encontrado pelos garimpeiros.[117][118] Instalado no Sobradinho, construído em 1912, o museu conta por meio de obras de arte pontos históricos importantes da cidade desde meados de 1770 quando ainda era denominada Distrito de Santa Cruz, trazendo esculturas do casal Ana Rosa e Constantino Xavier e notícias que evidenciam a ampliação da romaria.[119] Além dos pontos de interesse religioso, encontra-se no município o Parque Lara Guimarães, com quadras de vôlei de areia e de tênis,[120][121] e o Cineteatro Afipe, em estilo arquitetônico art déco,[122] que recebe espetáculos teatrais e musicais e sessões de filmes.[123][124][125]

EsportesEditar

No futebol, o principal clube de Trindade é o Trindade Atlético Clube, que foi fundado em 7 de setembro de 1955 e disputou diversas edições do Campeonato Goiano, tanto em sua divisão principal quanto em suas categorias de base.[126][127][128] Os jogos da equipe são mandados no Estádio Abrão Manoel da Costa, com capacidade de 6 300 pessoas e dimensões de 103x68 m do gramado.[129][130] Na edição de 2015 do campeonato estadual, o time conseguiu seu melhor desempenho até então, quando se qualificou à semifinal e conquistou o quarto lugar.[131] Ainda sobre a equipe principal, o Trindade venceu a terceira divisão de 2005.[132] O maior destaque, no entanto, advém da formação sub-20, a qual já participou de inúmeras edições da Copa São Paulo de Futebol Júnior,[133] tendo sua melhor posição na competição de 2019.[134][135]

Também há vários locais (quadras ou ginásios) próprios para a prática desportiva, como o Ginásio de Esportes Armando Grecco, de gestão pública, palco principal de diversas disputas,[136] o Ginásio e Centro Poliesportivo Aphonsiano, administrado pela Faculdades e Colégio Aphonsiano,[137] e o Centro Esportivo Wilson Goiano, campo de futebol e treinamentos.[138] Os Jogos da Primavera reúnem estudantes da rede de ensino pública, que se enfrentam em partidas de diversos esportes, como futsal e vôlei,[139][140] e os Jogos Abertos de Goiás agrupam competições de atletas amadores de vários municípios goianos, incluindo Trindade, que enfrentam basquete, handebol, capoeira, entre outros.[141]

Em 2014, Trindade sediou a décima sexta edição do Campeonato Mundial de Motocross nos dias 6 e 7 setembro, nas categorias MXGP e MX2.[142]

FeriadosEditar

Em Trindade, há dois feriados municipais e oito feriados nacionais, além dos pontos facultativos. Segundo a prefeitura, os feriados municipais são: o dia da emancipação do município, em 31 de agosto e o Corpus Christi, que em 2020 é comemorado no dia 11 de junho. De acordo com a lei nº 9.093 de 12 de setembro de 1995, os municípios podem ter no máximo quatro feriados municipais de esfera religiosa, além da Sexta-feira Santa.[143][144]

Ver tambémEditar

Referências

  1. a b Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (15 de janeiro de 2013). «Área territorial oficial». Consultado em 16 de julho de 2014. Cópia arquivada em 10 de abril de 2014 
  2. a b c d «Panorama de Trindade (GO)». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Consultado em 7 de agosto de 2018 
  3. Atlas do Desenvolvimento Humano (29 de julho de 2013). «Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil» (PDF). Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). Consultado em 1 de agosto de 2013. Cópia arquivada (PDF) em 1 de agosto de 2013 
  4. a b «Produto interno bruto dos municípios - 2016». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Consultado em 5 de janeiro de 2019 
  5. Quintela, Antón Corbacho (2006). «Os índios 'Goyá', os fantasmas e nós». Faculdade de Artes Visuais da Universidade Federal de Goiás. Consultado em 5 de agosto de 2016. Arquivado do original em 5 de junho de 2009. região próxima da Serra Dourada 
  6. Garcia, Ledonias Franco; Amado, Janaína (1995). «História de Goiás em documentos: Colônia». Goiânia: Ed. da Universidade Federal de Goiás. p. 20. 222 páginas. ISBN 9788572740401 
  7. Barbo, Leonora de Castro e Schlee, Andrey Rosenthal (2011). «As estradas coloniais na Cartografia Setecentista da Capitania de Goiás» (PDF). Universidade de Brasília. Consultado em 5 de agosto de 2016 
  8. Chaim, Marivone Matos (1974). «Os aldeamentos indígenas na Capitania de Goiás: sua importância na política de povoamento, 1749-1811». Virginia: Oriente. p. 12-15. 240 páginas 
  9. de Salles, Gilka Vasconcelos Ferreira (1983). «Economia e escravidão na Capitania de Goiás». Goiânia: CEGRAF. p. 326-356. 369 páginas. ISBN 9788572740036 
  10. Gomes, Luisa (29 de junho de 2014). «Museu preserva memória da origem religiosa de Trindade, em Goiás». G1. Consultado em 5 de agosto de 2016 
  11. Jacób, Amir Salomão (2003). «A Santíssima Trindade do Barro Preto: historia da romaria de Trindade». Goiânia: Ed. da Universidade Católica de Goiás. p. 47. 377 páginas. ISBN 9788571031845 
  12. «Campininha das Flores: narrativa de um drama social». Universidade de São Paulo. Consultado em 5 de agosto de 2016 
  13. Moreira, Antônio (13 de dezembro de 2011). «Mineiro Antônio Moreira lança edição ampliada do livro que conta a história da cidade que virou bairro de Goiânia». O Popular. Consultado em 5 de agosto de 2016 
  14. «Às margens do Barro Preto, Trindade protege nascente». Sistema FAEG. 22 de outubro de 2015. Consultado em 5 de agosto de 2016. Arquivado do original em 22 de agosto de 2016 
  15. «A religiosidade trinitária do povo goiano». Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais. Consultado em 5 de agosto de 2016 
  16. «Nossa História». Faculdades e Colégio Aphonsiano. Consultado em 5 de agosto de 2016 
  17. Salgueiro, Heliana Angotti (1983). A singularidade da obra de Veiga Valle. [S.l.]: Ed. da Universidade Católica de Goiás. p. 48-49. 502 páginas 
  18. «Caracterização do estado de Goiás e competências do PEHIS» (PDF). Secretaria de Saúde. Plano de Habitação de Interesse Social do Estado de Goiás. Consultado em 5 de agosto de 2016 
  19. «Homologado tombamento da Igreja Matriz do Divino Pai Eterno, em Trindade, Goiás». Ministério da Cultura. 24 de setembro de 2014. Consultado em 5 de agosto de 2016 
  20. «Rilda Teles: Um Olhar Geográfico e Cultural Sobre a Festa do Divino Pai Eterno em Trindade-GO» (PDF). Consultado em 8 de fevereiro de 2011 
  21. «IBGE - Formação Administrativa de Trindade-GO» (PDF). Consultado em 8 de fevereiro de 2011 
  22. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (2017). «Divisão Regional do Brasil». Consultado em 25 de setembro de 2017. Cópia arquivada em 25 de setembro de 2017 
  23. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (1990). «Divisão regional do Brasil em mesorregiões e microrregiões geográficas» (PDF). Biblioteca IBGE. 1: 76–78. Consultado em 25 de setembro de 2017. Cópia arquivada (PDF) em 25 de setembro de 2017 
  24. a b Agência Nacional de Águas (ANA) (2010). «Atlas de Abastecimento Urbano». Consultado em 1 de março de 2014 
  25. Lopes, Lis (26 de julho de 2019). «Moradores de 55 bairros estão sem água, em Trindade». G1. O Globo. Consultado em 27 de janeiro de 2020 
  26. Santos, Acauã. «Viabilidade de recuperação da microbacia do Ribeirão Arrozal no município de Trindade, Goiás» (PDF). Consultado em 28 de janeiro de 2020 
  27. Diário da Manhã (27 de novembro de 2017). «Esgoto sem tratamento é jogado em córregos de Trindade». Consultado em 28 de janeiro de 2020 
  28. Lima, Thiers Muniz. «Geologia, estratigrafia e petrologia da porção sul do Complexo Máfico-ultramáfico de Canabrava, Goiás». Universidade de Brasília. Consultado em 29 de janeiro de 2020 
  29. Pimentel, Márcio. «Dados geocronológicos U-Pb preliminares da região de Mara Rosa, Goiás: implicações para a época de mineralização de Au e para a evolução tectônica neoproterozóica no Centro-Oeste» (PDF). Congresso Brasileiro de Geoquímica. Consultado em 29 de janeiro de 2020 
  30. Serviço Geológico do Brasil. «Geologia e recursos minerais do estado de Goiás e do Distrito Federal» (PDF). Consultado em 29 de janeiro de 2020 
  31. Silva, Marcos Vinícius; Ferreira, Nilson (agosto de 2014). «Avaliação da ocupação e uso da terra nas bacias hidrográficas da Região Metropolitana de Goiânia». Ateliê Geográfico. 8 (2). Consultado em 26 de janeiro de 2020 
  32. World Map of the Köppen-Geiger climate classification. «World Map of the Köppen-Geiger climate classification». Institute for Veterinary Public Health. Consultado em 27 de maio de 2018. Cópia arquivada em 27 de maio de 2018 
  33. «Clima: Trindade (Goiás)». Climate-Data.org. Consultado em 10 de agosto de 2018 
  34. «Tabela 3107 - População residente, por situação do domicílio, sexo e grupos de idade - Sinopse». Sistema IBGE de Recuperação de Dados Automática (Sidra). Consultado em 7 de agosto de 2018 
  35. a b «Trindade no Atlas do Desenvolvimento Humano». Atlas do Desenvolvimento Humano. Consultado em 7 de agosto de 2018 
  36. IBGE. «Censo demográfico 2010: resultados da amostra Religião». Consultado em 28 de janeiro de 2020 
  37. «IBGE: Religião em Trindade». Consultado em 10 de junho de 2016 
  38. «Censo 2010: Religiões no Brasil». Consultado em 10 de junho de 2016. Arquivado do original em 24 de novembro de 2016 
  39. «Mussala em Trindade». Consultado em 10 de junho de 2016 
  40. «Mussala em Trindade». Consultado em 10 de junho de 2016 
  41. «UEG - Seminário "Olhares sobre a UEG":Estudo sobre necessidades sociais e higiênicas nos municípios da Região Metropolitana de Goiânia» (PDF). Consultado em 9 de fevereiro de 2011 
  42. «Censo Agropecuário». Consultado em 26 de janeiro de 2020 
  43. «Produção Agrícola - Lavoura Temporária». Consultado em 26 de janeiro de 2020 
  44. Tribunal Superior Eleitoral (TSE). «Consulta Quantitativo». Consultado em 10 de agosto de 2018 
  45. Relatórios Dinâmicos. «Infraestrutura urbana». Centro de Inovação SESI. Consultado em 27 de janeiro de 2020 
  46. «Saúde de Trindade». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Consultado em 10 de agosto de 2018 
  47. Vale do Cerrado. «Complexo Vale do Cerrado». Consultado em 27 de janeiro de 2020 
  48. Cidades@ - IBGE (2017). «Morbidade». Consultado em 27 de janeiro de 2020 
  49. Cidades@ - IBGE (2017). «Taxa de mortalidade infantil». Consultado em 27 de janeiro de 2020 
  50. Afonso, Paulo (8 de setembro de 2018). «Trindade supera metas e avança no IDEB». Jornal Opção. Consultado em 25 de janeiro de 2020 
  51. Teófilo, Sarah (26 de setembro de 2015). «UEG Trindade realiza grande evento de moda». Jornal Opção. Consultado em 26 de janeiro de 2020 
  52. Cidades - IBGE (2018). «Censo escolar - Sinopse». Consultado em 25 de janeiro de 2020 
  53. «Domicílios particulares ocupados, moradores em domicílios particulares ocupados e média de moradores em domicílios particulares ocupados». IBGE. Consultado em 27 de janeiro de 2020 
  54. «Domicílios particulares permanentes, por tipo do domicílio e número de moradores». IBGE. Consultado em 27 de janeiro de 2020 
  55. «Domicílios recenseados, por espécie e situação do domicílio». IBGE. Consultado em 27 de janeiro de 2020 
  56. «Domicílios particulares permanentes, por situação do domicílio e existência de banheiro ou sanitário e número de banheiros de uso exclusivo do domicílio, segundo o tipo do domicílio, a condição de ocupação e o tipo de esgotamento sanitário». IBGE. Consultado em 27 de janeiro de 2020 
  57. «Domicílios particulares permanentes, moradores em domicílios particulares permanentes e valor do rendimento nominal médio e mediano mensal dos domicílios particulares permanentes, por situação do domicílio, número de cômodos e existência de alguns bens duráveis». IBGE. Consultado em 27 de janeiro de 2020 
  58. «Domicílios particulares permanentes, por classes de rendimento nominal mensal domiciliar, segundo o tipo de material das paredes externas, o número de cômodos, o número de dormitórios, a existência de água canalizada e forma de abastecimento de água e a existência de alguns bens duráveis». IBGE. Consultado em 27 de janeiro de 2020 
  59. «Campanha da Fraternidade está aberta no Aterro Sanitário de Goiânia». Arquidiocese de Goiânia. Consultado em 16 de maio de 2012. Arquivado do original em 16 de agosto de 2016 
  60. Correia, Ludmila; Moreira, Yannya (2012). «Estudo da coleta pública de lixo urbano em Trindade» (PDF). Seminário de Pesquisa (FUG). 3 (1). Consultado em 27 de janeiro de 2020 
  61. «Nilson Freire deixa a Presidência da Saneago». Portal 730. Consultado em 16 de maio de 2012 
  62. «Área do setor do saneamento - Sinopse». IBGE. Consultado em 27 de janeiro de 2020 
  63. «Demóstenes tratou de processo da Celg no STF, segundo PF». Estadão. Consultado em 16 de maio de 2012 
  64. «Celg passa a se chamar Enel Distribuição Goiás e promete reduzir quedas de energia em 40% até 2020». G1. O Globo. 8 de março de 2018. Consultado em 10 de agosto de 2018 
  65. «Manual de sobrevivência para o COMUNE em Goiânia». Mídia Independente. Consultado em 29 de maio de 2012 
  66. Atlas da Violência 2019 (5 de agosto de 2019). «Homicídios - município». Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea). Consultado em 5 de setembro de 2019. Cópia arquivada em 5 de setembro de 2019 
  67. Atlas da Violência 2019 (5 de agosto de 2019). «Retrato dos municípios brasileiros» (PDF). Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea). p. 15. Consultado em 5 de setembro de 2019. Cópia arquivada (PDF) em 5 de setembro de 2019 
  68. Prefeitura. «Inaugurado 16º Comando Regional da PM em Trindade». Consultado em 27 de janeiro de 2020 
  69. Brasil 247. «Polícia civil de Caiado, em Goiás, faz ação contra sites de notícias e Marconi denuncia prática nazista». Consultado em 27 de janeiro de 2020 
  70. Polícia Civil de Goiás. «Portaria nº. 0366/2017». Consultado em 27 de janeiro de 2020 
  71. Corpo de Bombeiros. «Corpo de Bombeiros Militar - Trindade». Consultado em 27 de janeiro de 2020 
  72. Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel). «Dados de Telefones Públicos (Orelhões) - Listagem de Municípios - Goiás». Consultado em 27 de janeiro de 2020 
  73. Códigos DDD. «DDD de Trindade». Consultado em 1 de dezembro de 2016 
  74. Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos. «Busca Faixa CEP». Consultado em 1 de dezembro de 2016 
  75. Correios. «Agências». Consultado em 1 de dezembro de 2016 
  76. Tele Síntese. «Oi ativa 4G em 151 cidades ainda este ano». Consultado em 27 de janeiro de 2020 
  77. «TV Anhanguera incentiva torcedores a irem ao estádio usando branco». G1. Consultado em 28 de maio de 2012 
  78. «TV Serra Dourada se destaca na liderança com jornal ao meio dia». Na Telinha. Consultado em 28 de maio de 2012. Arquivado do original em 6 de janeiro de 2017 
  79. «Record Goiás: Audiência cresce 100% em 1 ano». A Redação. Consultado em 28 de maio de 2012. Arquivado do original em 23 de julho de 2013 
  80. «Vem aí a TBC News». Jornal da Imprensa. Consultado em 28 de maio de 2012. Arquivado do original em 5 de setembro de 2012 
  81. «TV UFG comemora 78 anos da Capital com exibição de filmes locais». A Redação. Consultado em 28 de maio de 2012. Arquivado do original em 23 de julho de 2013 
  82. «Quem somos». Goiás de Norte a Sul. Consultado em 28 de maio de 2012 
  83. «UCG TV lançou seu primeiro programa em rede nacional, ontem, com a TV Aparecida». PUC Goiás. Consultado em 28 de maio de 2012 [ligação inativa]
  84. «Estatística Rádios AM/FM mais ouvidas Maio/2012». Rádios.com.br. Consultado em 28 de maio de 2012 
  85. «Nova emissora católica, TV Pai Eterno começa suas transmissões nesta quarta-feira de cinzas». Portal Quatro. 5 de março de 2019. Consultado em 15 de junho de 2019 
  86. «TV Pai Eterno é inaugurada com Missa Especial». Santuário Estadual Nossa Senhora do Rodeio. 17 de maio de 2019. Consultado em 15 de junho de 2019 
  87. «Frota de Trindade». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Consultado em 10 de agosto de 2018 
  88. «Mapa multimodal de Goiás» (PDF). Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes. Consultado em 10 de agosto de 2018 
  89. Prefeitura. «Estrutura organizacional - Secretaria de Educação e Cultura». Consultado em 26 de janeiro de 2020 
  90. Prefeitura. «Estrutura organizacional - Agência de Esportes e Lazer». Consultado em 26 de janeiro de 2020 
  91. Prefeitura. «Estrutura organizacional - Agência de Segurança Pública e Patrimonial». Consultado em 26 de janeiro de 2020 
  92. Prefeitura. «Estrutura organizacional - Agência de Turismo». Consultado em 26 de janeiro de 2020 
  93. Velasco, Murillo (25 de setembro de 2018). «Basílica do Divino Pai Eterno vai ter o maior sino suspenso do mundo, em Trindade». G1. O Globo. Consultado em 26 de janeiro de 2020 
  94. «Peregrinos do Pai Eterno: os carreiros de Damolândia na Festa de Trindade, Goiás» (PDF). IPHAN. Universidade Federal do Rio de Janeiro. Consultado em 13 de novembro de 2016. Cópia arquivada (PDF) em 13 de novembro de 2016 
  95. «Manifestações do Catolicismo» (PDF). Laboter. Universidade Federal de Goiás. 7 de setembro de 2013. Consultado em 12 de novembro de 2016. Cópia arquivada (PDF) em 13 de novembro de 2016 
  96. «Idoso percorre 700 km de bicicleta para agradecer ao Divino Pai Eterno». ACI Digital. 24 de julho de 2019. Consultado em 26 de janeiro de 2020 
  97. Pereira, Mabel; Santos, Lyndo (2004). Religião e violência em tempos de globalização. São Paulo: Paulinas 
  98. TV Anhanguera (6 de julho de 2019). «Trindade recebe milhares de romeiros durante a Festa do Divino Pai Eterno». JA 1ª Edição. Globoplay. Consultado em 26 de janeiro de 2020 
  99. Aidar, Bruna (21 de junho de 2016). «Prefeito de Trindade garante: "Tudo pronto para receber os romeiros"». Jornal Opção. Consultado em 9 de novembro de 2016 
  100. «Romeiros já caminham de Goiânia para a Festa do Divino Pai Eterno, em Trindade». G1. O Globo. 28 de junho de 2019. Consultado em 26 de janeiro de 2020 
  101. «Festa do Divino Pai Eterno 2019 reuniu 3,2 milhões de romeiros». Ateleia Brasil. 8 de julho de 2019. Consultado em 26 de janeiro de 2020 
  102. Gonçalves, Rodrigo (3 de julho de 2019). «Festa do Divino Pai Eterno recebe sacerdotes de vários estados para atender romeiros». G1. O Globo. Consultado em 26 de janeiro de 2020 
  103. «Igreja Matriz de Trindade se torna Patrimônio Cultural do Brasil». A Redação. Consultado em 6 de agosto de 2016 
  104. «Homologado tombamento da Igreja Matriz do Divino Pai Eterno, em Goiás». Rádio CNM. 24 de setembro de 2014. Consultado em 8 de novembro de 2016 
  105. «Santuário do Divino Pai Eterno vira Patrimônio Histórico Nacional, em GO». G1. O Globo. 28 de setembro de 2012. Consultado em 8 de novembro de 2016 
  106. «Igreja Matriz de Campinas receberá título de Basílica Menor». Pai Eterno. 6 de maio de 2016. Consultado em 13 de novembro de 2016 
  107. «Peregrinos do Pai Eterno: os carreiros de Damolândia na Festa de Trindade, Goiás» (PDF). IPHAN. Universidade Federal do Rio de Janeiro. Consultado em 13 de novembro de 2016. Cópia arquivada (PDF) em 13 de novembro de 2016 
  108. TV Pai Eterno (23 de março de 2017). «Via Sacra: ponto de peregrinação e oração em Trindade». Consultado em 29 de janeiro de 2020 
  109. Redentorista. «Festa do Santíssimo Redentor, em Trindade, Goiás». Consultado em 29 de janeiro de 2020 
  110. Pai Eterno (25 de junho de 2019). «Igreja do Santíssimo Redentor tem programação especial durante Romaria 2019». Consultado em 29 de janeiro de 2020 
  111. Prefeitura. «Portal da Fé». Consultado em 29 de janeiro de 2020 
  112. Pai Eterno (23 de julho de 2014). «Portal da Fé encanta quem chega a Trindade». Consultado em 29 de janeiro de 2020 
  113. Carmelo. «Nossa história». Consultado em 29 de janeiro de 2020 
  114. Pai Eterno (30 de abril de 2016). «Missa celebra 10 anos do Carmelo de Trindade». Consultado em 29 de janeiro de 2020 
  115. Pai Eterno (15 de janeiro de 2015). «Quais igrejas existem em Trindade?». Consultado em 29 de janeiro de 2020 
  116. O Globo (3 de julho de 2015). «Templos históricos atraem romeiros de todo o país até Trindade, GO». Consultado em 29 de janeiro de 2019 
  117. Prefeitura. «Museu da Memória». Consultado em 29 de janeiro de 2020 
  118. Secretaria Especial da Cultura. «Museu da Memória de Trindade». Museusbr. Consultado em 29 de janeiro de 2020 
  119. Gomes, Luísa (29 de junho de 2014). «Museu preserva memória da origem religiosa de Trindade, em Goiás». G1 
  120. Prefeitura. «Parque Municipal Lara Guimarães». Consultado em 29 de janeiro de 2020 
  121. Gouveia, Marcelo (15 de setembro de 2017). «Em parceria com empresários, Jânio inaugura melhorias no Parque Municipal de Trindade». Jornal Opção. Consultado em 30 de janeiro de 2020 
  122. Tomazini, Leicilane (22 de maio de 2019). «Trindade recebe 2ª edição de Festival de Cinema». Jornal Opção. Consultado em 30 de janeiro de 2020 
  123. Prefeitura (2 de dezembro de 2019). «Realizado III Seminário da Educação da Rede Municipal de Trindade, no Cineteatro Afipe». Consultado em 30 de janeiro de 2020 
  124. IBGE. «Clube Recreativo». Consultado em 30 de janeiro de 2020 
  125. Martins, Vanessa (30 de junho de 2019). «Padre Robson lança 'Palavras do Pai', programa que promove momentos de reflexão durante Festa do Divino Pai Eterno». G1. Consultado em 30 de janeiro de 2020 
  126. Rodrigues, Wanessa (29 de janeiro de 2020). «Juiz determina retorno de vereador de Trindade que foi afastado por suspeita de beneficiar clube de futebol». Rota Jurídica. Consultado em 30 de janeiro de 2020 
  127. GloboEsporte (6 de janeiro de 2019). «Flamengo perde para o Trindade e precisa de resultados na próxima rodada para avançar na Copinha». Consultado em 30 de janeiro de 2020 
  128. Sagres (21 de abril de 2019). «Sub-17: Goiás goleia Aparecidense e segue na liderança». Consultado em 30 de janeiro de 2020 
  129. Federação Goiana de Futebol (20 de janeiro de 2009). «Estádio Abrão Manoel da Costa em Trindade está liberado para sediar jogos do Goianão». Consultado em 30 de janeiro de 2020 
  130. GloboPlay (14 de dezembro de 2013). «Trindade reforma estádio para jogar o Goianão». O Globo. Consultado em 30 de janeiro de 2020 
  131. Federação Goiana de Futebol (18 de abril de 2015). «Trindade 0x1 Aparecidense: vitória que vale quatro vagas». Consultado em 30 de janeiro de 2020 
  132. Federal Goiana de Futebol (13 de outubro de 2019). «Jaraguá e Anápolis no Goianão; Trindade e América rebaixados». Consultado em 30 de janeiro de 2020 
  133. Diário da Manhã (2 de janeiro de 2018). «Trindade quer buscar título da Copinha, inédito para Goiás». Consultado em 30 de janeiro de 2020 
  134. GloboEsporte (13 de janeiro de 2019). «Algoz do Fla brilha de novo, Figueirense goleia Trindade-GO e vai às oitavas da Copinha». Consultado em 30 de janeiro de 2020 
  135. O Popular (13 de janeiro de 2019). «Trindade é derrotado pelo Figueirense e está fora da Copinha». Consultado em 30 de janeiro de 2020 
  136. Biblioteca IBGE. «Ginásio de Esportes Armando Grecco». Consultado em 30 de janeiro de 2020 
  137. Aphonsiano. «Estrutura». Consultado em 30 de janeiro de 2020 
  138. Folha Z (2 de setembro de 2014). «Trindade recebe torneio de futevôlei». Consultado em 30 de janeiro de 2020 
  139. Instituto Federal Goiano (3 de dezembro de 2018). «Voleibol masculino do Campus Trindade conquista 3º lugar nos Jogos da Primavera». Consultado em 30 de janeiro de 2020 
  140. Faculdade União de Goyazes. «Alunos FUG nos Jogos de Primavera 2018». Consultado em 30 de janeiro de 2020 
  141. Ferro, Raphaela. «Capoeira está entre modalidades disputadas em Trindade». Mais Goiás. Consultado em 30 de janeiro de 2020 
  142. «Trindade sedia Campeonato Mundial de Motocross». O Popular. 4 de setembro de 2014. Consultado em 10 de agosto de 2018 
  143. Sérgio Ferreira Pantaleão. «Carnaval - é ou não feriado? folga automática pode gerar alteração contratual». Guia Trabalhista. Consultado em 14 de julho de 2010. Cópia arquivada em 23 de setembro de 2011 
  144. Guia Trabalhista. «Lei Nº 9.093, de 12 de setembro de 1995». Consultado em 14 de julho de 2010. Cópia arquivada em 23 de setembro de 2011 

BibliografiaEditar

Ligações externasEditar

Mapas