Abrir menu principal

Eleições estaduais em Goiás em 1950

As eleições estaduais em Goiás em 1950 ocorreram em 3 de outubro como parte das eleições no Distrito Federal, em 20 estados e nos territórios federais do Acre, Amapá, Rondônia e Roraima.[1] Foram eleitos o governador Pedro Ludovico Teixeira, o vice-governador Jonas Duarte, o senador Domingos Velasco e mais sete deputados federais e trinta e dois deputados estaduais. O resultado oficial, porém, foi conhecido somente após as eleições adicionais de 1951.[nota 1][nota 2]

1947 Brasil 1954
Eleições estaduais em  Goiás em 1950
3 de outubro de 1950
(Turno único)
Pedro Ludovico Teixeira Perfil.jpg Herbert Lehman.jpg
Candidato Pedro Ludovico Teixeira Altamiro Pacheco
Partido PSD UDN
Natural de Goiás, GO Bela Vista de Goiás, GO
Vice Jonas Duarte Aquiles de Pina
Votos 84.553 56.432
Porcentagem 59,97% 40,03%


Brasão de Goiás.svg
Governador de Goiás

O governador Pedro Ludovico Teixeira é formado em Medicina na Universidade Federal do Rio de Janeiro. Nascido na cidade de Goiás, exerceu a profissão em Bela Vista de Goiás e Rio Verde, casando-se na época com a filha de Antônio Martins Borges. Enfrentou o poder do clã Caiado nas páginas de O Sudoeste, foi redator de A Voz do Povo e membro honorário da Academia Paulista de Letras. Preso por sua atividade como jornalista, foi libertado graças ao irromper da Revolução de 1930. Nomeado interventor federal nesse mesmo ano, envolveu-se na fundação de Goiânia e construiu o Palácio das Esmeraldas. Deixou o poder após a queda do Estado Novo em 1945, mesmo ano onde foi eleito senador pelo PSD,[2] mandato ao qual renunciou em favor de José da Costa Pereira ao reconquistar o cargo de governador pelo voto direto cinco anos depois.[3]

Quanto ao vice-governador Jonas Duarte, este é capixaba de Cachoeiro de Itapemirim, mora em Anápolis desde os 13 anos e trabalhou nas Casas Pernambucanas antes de fixar-se como empresário.[4] Filiado ao PSD, foi eleito por voto direto numa chapa diversa do titular, conforme previa a legislação vigente. Assumiu o Palácio das Esmeraldas quando Pedro Ludovico Teixeira renunciou para candidatar-se a senador.[nota 3]

Sobre a eleição para senador, esta foi decidida em prol de Domingos Velasco. Natural da cidade de Goiás, estudou no Colégio Militar do Rio de Janeiro antes de ingressar na Escola Militar do Realengo. Participou do Tenentismo, da Revolta Paulista de 1924 e da Revolução de 1930. Advogado formado na Universidade Federal Fluminense, atuou como secretário de Segurança no governo de Pedro Ludovico Teixeira e combateu a Revolução Constitucionalista de 1932. Jornalista, foi eleito deputado federal duas vezes pelo Partido Social Republicano e ajudou a conceber a Constituição de 1934. A nova Carta Magna determinava a eleição indireta do governador e de dois senadores por estado e nisso foi candidato ao governo goiano no ano seguinte, mas foi derrotado por Pedro Ludovico Teixeira.[5] Chegou a ser preso durante o exercício de seu mandato parlamentar, mas foi libertado e absolvido das acusações que lhe imputaram, contudo o seu mandato foi extinto pelo golpe do Estado Novo. Afastou-se da vida pública até o ingresso na UDN sendo eleito deputado federal em 1945. Membro da tendência interna chamada Esquerda Democrática, ajudou a transformá-la no PSB, legenda pela qual foi eleito senador.[6]

Índice

Resultado da eleição para governadorEditar

Em relação à disputa pelo governo estadual os arquivos do Tribunal Superior Eleitoral informam o comparecimento de 148.730 eleitores, dos quais 140.985 foram votos nominais ou votos válidos. Foram apurados também 5.232 votos em branco (3,52%) 2.513 votos nulos (1,69%).[1]

Candidatos a governador do estado
Candidatos a vice-governador Número Coligação Votação Percentual
Pedro Ludovico Teixeira
PSD
Jonas Duarte
PSD
-
PSD, PTB
84.553
59,97%
Altamiro Pacheco
UDN
Aquiles de Pina
UDN
-
UDN, PSP, PR, PTN, PRP
56.432
40,03%
  Eleito

Resultado da eleição para vice-governadorEditar

Em relação à disputa para vice-governador os arquivos do Tribunal Superior Eleitoral informam o comparecimento de 148.730 eleitores, dos quais 140.620 foram votos nominais ou votos válidos. Foram apurados também 5.728 votos em branco (3,85%) 2.382 votos nulos (1,60%).[1]

Candidatos a vice-governador
Candidatos a governador do estado Número Coligação Votação Percentual
Jonas Duarte
PSD
Pedro Ludovico Teixeira
PSD
-
PSD, PTB
83.498
59,38%
Aquiles de Pina
UDN
Altamiro Pacheco
UDN
-
UDN, PSP, PR, PTN, PRP
57.122
40,62%
  Eleito

Resultado da eleição para senadorEditar

Em relação à disputa para senador os arquivos do Tribunal Superior Eleitoral informam o comparecimento de 148.730 eleitores, dos quais 134.369 foram votos nominais ou votos válidos. Foram apurados também 11.796 votos em branco (7,93%) 2.565 votos nulos (1,72%).[1][nota 4][nota 5]

Candidatos a senador da República
Primeiro suplente de senador Número Coligação Votação Percentual
Domingos Velasco
PSB
José da Costa Paranhos
PSB
-
PSB, PSD
69.533
51,75%
Coimbra Bueno
PSP
José Camilo de Oliveira
PSP
-
PSP, PR, PTN, PRP
40.108
29,85%
Alfredo Nasser
UDN
Ernani Fagundes
UDN
-
UDN (sem coligação)
24.728
18,40%
  Eleito

Deputados federais eleitosEditar

São relacionados os candidatos eleitos com informações complementares da Câmara dos Deputados.[7][8]

Deputados federais eleitos Partido Votação Percentual Cidade onde nasceu Unidade federativa
Paulo Fleury PSD 16.015 Goiás   Goiás
Jales Machado UDN 9.516 Alfenas   Minas Gerais
Galeno Paranhos PSD 9.496 Catalão   Goiás
José Fleury UDN 9.397 Goiás   Goiás
Plínio Gayer[nota 6] PSD 8.405 Santiago   Rio Grande do Sul
João de Abreu PSP 6.635 Taguatinga   Tocantins
Benedito Vaz PSD 6.111 Ipameri   Goiás

Deputados estaduais eleitosEditar

Estavam em jogo as 32 cadeiras da Assembleia Legislativa de Goiás.[1][nota 1]

Notas

  1. a b As eleições para deputado estadual foram realizadas apenas em 11 de março do ano em voga.
  2. No Distrito Federal não houve eleição para governador, apenas para o Senado Federal.
  3. Para os estados que instituíram o cargo de vice-governador, a escolha dos titulares ocorreu por analogia aos dispositivos da Constituição de 1946 que determinou a eleição indireta de Nereu Ramos para vice-presidente da República. Dessa maneira o médico Hosana Guimarães foi eleito vice-governador pela Assembleia Legislativa de Goiás no ano seguinte.
  4. A composição das coligações partidárias foram colhidas numa mesma fonte e isso permite afirmar que as mesmas poderiam variar, embora aos olhos atuais pareça absurdo.
  5. José da Costa Paranhos elegeu-se suplente do senador eleito numa disputa à parte, e obteve 69.216 votos.
  6. Faleceu no Rio de Janeiro em 8 de julho de 1953 e em seu lugar foi efetivado Guilherme Xavier.

Referências