Abrir menu principal

Isabel Farnésio

segunda esposa do rei Filipe V e Rainha Consorte da Espanha em dois períodos diferentes

BiografiaEditar

Isabel foi a segunda filha do príncipe herdeiro do Ducado de Parma e Placência, Eduardo Farnésio, e de sua esposa, Doroteia Sofia de Neuburgo.

As mortes sucessivas de seu irmão mais velho, Alexandre Inácio em 1693 e de seu pai en 1693 deixaram-na como a terceira na linha de sucessão ao ducado, sendo precedida unicamente por seus tios, Francisco (que se tornaria seu padrasto em 1696) e Antônio Farnésio, que reinaria com a morte do irmão e morreu sem descendência. Tal fato não só converteu Isabel na única e legítima herdeira das propriedades dos Farnésio, como também dos bens da família Médici (via sua bisavó Margarida de Médici), uma vez que a família extinguiu-se em 1743.

Em 24 de dezembro de 1714, Isabel Farnésio casou com o rei Filipe V de Espanha, viúvo da princesa Maria Luísa de Saboia. Ela tinha vinte e dois anos, Filipe quase trinta e um.

Isabel motivou as invasões da Sardenha e da Sicília. Motivou a construção de um palácio num bosque de Santo Ildefonso, em Segóvia. Conseguiu fazer de seu filho primogénito Carlos (futuro Carlos III) o rei de Nápoles e da Sicília, e de seu quarto filho, o infante Filipe, o Duque de Parma.

DescendênciaEditar

AncestraisEditar

Referências

Ligações externasEditar

 
O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Isabel Farnésio
Isabel Farnésio
Casa de Farnésio
15 de fevereiro de 1710 – 10 de maio de 1774
Precedida por
Maria Luísa de Saboia
 
Rainha Consorte da Espanha
24 de dezembro de 1714 – 14 de janeiro de 1724
Sucedida por
Luísa Isabel de Orleães
Precedida por
Luísa Isabel de Orleães
 
Rainha Consorte da Espanha
6 de setembro de 1724 – 9 de julho de 1746
Sucedida por
Maria Bárbara de Portugal



  Este artigo sobre uma Rainha é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.