Jogos Paralímpicos de Verão de 2020

evento multiesportivo para atletas com deficiência realizado em Tóquio, no Japão
XVI Jogos Paralímpicos de Verão
Tóquio 2020
2020 Summer Paralympics new logo.svg
Dados
Slogan United by emotion[1]
País anfitrião  Japão
Atletas 4 400 (esperado)
Eventos 540 em 22 modalidades[2][3]
Cerimônia de abertura 24 de agosto de 2021
Cerimônia de encerramento 5 de setembro de 2021
Abertura oficial Imperador Naruhito
Juramento do atleta Shingo Kuneida
Rie Urata
Juramento do árbitro Yumiko Taniguchi
Tocha Paraolímpica Yui Kamiji
Karin Morisaki
Shunsuke Uchida
Estádio principal Estádio Olímpico de Tóquio
◄◄ Rio 2016 IPC logo (2004).svg Paris 2024 ►►

Jogos Paralímpicos de Verão de 2020 (em japonês: 2020年夏季パラリンピック会; 2020-Nen Kaki Pararinpikku?), conhecidos oficialmente como os Jogos da XVI Paralimpíada, mais comumente Tóquio 2020, foi um evento multiesportivo para atletas com deficiência organizado pelo Comitê Paralímpico Internacional (CPI) e sediado em Tóquio no Japão. A eleição da cidade-sede ocorreu em 7 de setembro de 2013 na 125ª Sessão do Comitê Olímpico Internacional, em Buenos Aires, capital da Argentina, América do sul.[4] Os jogos ocorreram entre 24 de agosto e 5 de setembro de 2021.[5]

Originalmente, os jogos estavam programados para ocorrer entre 25 de agosto e 6 de setembro de 2020, porém, em 24 de março de 2020, o Comitê Olímpico Internacional (COI) e o Comitê Organizador local anunciaram oficialmente que os Jogos Olímpicos e Paralímpicos de Verão de 2020 seriam adiados para 2021, devido ao avanço da Pandemia de COVID-19, marcando a primeira vez que os Jogos Paralímpicos foram adiados. Mesmo sendo realizados em 2021, a organização optou por manter a nomenclatura oficial com a data de 2020.[6]

Foi a segunda vez que Tóquio sedia os Jogos Paralímpicos, já que sediaram anteriormente em 1964. Esta edição dos Jogos teve a introdução do badminton e do taekwondo como modalidades esportivas, substituindo a vela e o futebol de sete.

Processo de seleçãoEditar

O processo de eleição da cidade-sede dos Jogos Olímpicos de Verão de 2020 ocorreu entre 2011 e 2013, segundo cronograma divulgado pelo Comitê Olímpico Internacional.[7] O período de inscrições terminou em 1º de setembro de 2011, contando com seis cidades de dois continentes.

Em 14 de fevereiro de 2012, um dia antes da data para apresentar as garantias governamentais ao Comitê Olímpico Internacional, a candidatura de Roma foi reprovada pelo primeiro-ministro italiano Mario Monti, ocasionando a exclusão da cidade europeia da disputa pelos Jogos Olímpicos de Verão de 2020.[8]

Ao final do prazo, 3 cidades europeias (Madri, Istambul e Baku) e duas asiáticas (Tóquio e Doha) oficializaram a sua postulação.[9]

Após o primeiro processo de seleção do Comitê Olímpico Internacional, foram anunciadas, em 23 de Maio de 2012, em um encontro em Quebec City, no Canadá, que Istambul, Madri e Tóquio iriam evoluir de cidades postulantes para cidades candidatas.[10]

Jogos da XVI Paralimpíada
125ª Sessão do Comitê Olímpico Internacional
7 de setembro de 2013, em Buenos Aires, Argentina.
Cidades que apresentaram alguma candidatura.
Países candidatos 1ª rodada Desempate[st] 2ª rodada
  Tóquio 42 (44,68%) 60 (62,5%)
  Istambul 26 (27,66%) 49 (52,13%) 36 (37,5%)
  Madri 26 (27,66%) 45 (47,87%) Eliminada
  • st. ^ Como houve empate entre Istambul e Madri, foi realizada uma votação extra para determinar qual cidade avançaria para a rodada seguinte.

PreparaçãoEditar

O governo de Tóquio reservou um fundo de JP¥ 400 bilhões (14,2 bilhões de reais; 3,18 bilhões de euros) para cobrir o custo total dos Jogos. O governo japonês estuda a possibilidade de ampliar a capacidade de voos dos dois aeroportos internacionais de Haneda e Narita, para facilitar a circulação de aeronaves. Existem projetos da expansão das linhas que saem da Estação de Tóquio, reduzindo o tempo de viagem da entre a estação de Tóquio e Haneda de 30 para 18 minutos, e entre a estação de Tóquio e Narita de 55 para 36 minutos. Esta linha custaria cerca de quatrocentos bilhões de ienes e seria financiada principalmente por investidores privados. Porém, a East Japan Railway Company (JR-East) já estava planejando uma nova rota partindo da jarda de Minato para o Aeroporto de Haneda.[11] O financiamento também está previsto para acelerar a conclusão da Central Circular Route (C2), da Estação de Gaikan (C3) e da Ken-Ō Expressway (C4), além de reformar outras grandes vias expressas. Há também planos para estender a linha de aerotrem Yurikamome do seu terminal existente na Estação Toyosu para um novo terminal na Estação Kachidoki, passando pela Vila Olímpica.[12]

O Comitê Organizador dos Jogos é chefiado pelo ex-primeiro-ministro Yoshirō Mori.[13] Enquanto existe a Autoridade Pública Olímpica de Tóquio chefiada por Yoshitaka Sakurada.[14]

Respeitando uma das maiores tradições na realização de eventos de repercussão mundial no país, que é a demonstração de novas tecnologias desenvolvidas no país. Isso também aconteceu durante as três edições anteriores dos Jogos Olímpicos realizadas no país. Um outro caso notório foi a realização da Exposição Universal de 1970,que foi realizada em Osaka.Ao rever este histórico a principal empresa de telefonia do Japão, a NTT DoCoMo assinou um acordo com a finlandesa Nokia para a implementação de redes de internet 5G no país exclusivas para o evento.[15][16]

SegurançaEditar

Desde a invasão da Vila Olímpica durante os Jogos Olímpicos de Verão de 1972 por terroristas palestinos, a organização de cada uma das edições futuras dos Jogos Olímpicos passou a se preocupar a cada vez mais com a segurança dos atletas e do público em geral que está visitando a cidade-sede durante os Jogos.[17] Esta questão ainda é mais delicada para os japoneses, que guardam diversos traumas desde o ataque com gás sarin ao metrô da cidade em março de 1995.[18] Como uma das consequências do Ataque em Abqaiq-Khurais de 2019 realizado na Arábia Saudita, em que drones controlados por rebeldes houtis do Iêmen despejaram explosivos em cima da refinaria do mesmo nome,[19] as autoridades japonesas proibiram o uso da tecnologia durante o revezamento da tocha olímpica e também durante os Jogos. A medida também serviu durante o período de realização Copa do Mundo de Rugby Union de 2019.[20]

VoluntáriosEditar

As inscrições para o programa de voluntariado dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos Tóquio 2020 foram abertas no dia 26 de setembro de 2018 e foram encerradas no dia 18 de janeiro de 2019. Um total de 204,860 inscrições de todo o mundo foram recebidas pelo Comitê Organizador.[21] A primeira fase do treinamento dos voluntários aconteceu em fevereiro de 2019, enquanto que a fase final do treinamento foi realizada em outubro de 2019.[22] Os voluntários nos locais de competição serão chamados de Field Cast e os voluntários que estarão na cidade serão chamados de City Cast.[23]

MedalhasEditar

Respeitando um das medidas propostas pela Agenda 2020 proposta pelo Comitê Olímpico Internacional em que é solicitado o uso de materiais alternativos para a fabricação de materiais institucionais dos Jogos, o Comitê Organizador de Tóquio anunciou em fevereiro de 2017, que estaria implementando um programa de reciclagem de eletrônicos em parceria com o Centro de Saneamento Ambiental do Japão e a NTT DoCoMo. Com esta campanha, as empresas estavam solicitando doações de diversos produtos eletrônicos para serem usados como o material base para a produção das medalhas. A meta da campanha era a de conseguir mais de 8 toneladas de celulares. Postos de coletas foram colocados em diversos locais de grande circulação como rodoviárias, shoppings, supermercados, além das principais lojas da operadora.[24] Um concurso nacional foi aberto para a escolha do design das medalhas foi aberto em dezembro de 2017.[25]

Em maio de 2018, o Comitê Organizador anunciou que havia conseguido a quantidade necessária para a manufatura das medalhas de bronze (2,7 toneladas), mas que eles estavam com dificuldade para conseguir a quantidade de prata necessária. Embora aCarta Olímpica determine que as medalhas de prata e bronze sejam totalmente feitas de seus respectivos materiais, ela determina que as medalhas de ouro também sejam feitas de prata, mas banhadas a ouro.[26] A organização também anunciou que apesar das dificuldades de se conseguir a prata, as estimativas colocavam que a quantidade mínima para as medalhas seria atingida em março de 2019.[27]

Em 24 de julho de 2019, durante as celebrações da contagem regressiva de um ano dos Jogos, o design das medalhas foi revelado.[28][29] As medalhas foram desenhadas por Junichi Kawanishi e significam o big bang criado pela energia dos atletas até a sua conquista.[30]

Presença de públicoEditar

Devido as medidas de restrição por conta da Pandemia de COVID-19, em 20 de março de 2021, a presidente do comitê organizador Seiko Hashimoto, decidiu que o evento não deverá contar com a presença de estrangeiros por conta dos temores quanto as variantes do SARS-COV-2, tendo a presença apenas do público local e de residentes. Quanto aos ingressos adquiridos, será atribuído um sistema de reembolso. O presidente do COI, Thomas Bach, anunciou que a decisão quanto ao número de espectadores nos locais de competição devem ser anunciados até o dia mais próximo da cerimônia de abertura dos Jogos Olímpicos, ou seja, dia 23 de julho.[31] No dia 21 de junho, ficou definido que os jogos devem acontecer com apenas 50% da capacidade total das arenas e estádios e um limite de 10 mil pessoas por sede.[32] No entanto, com o crescimento de casos da COVID-19 no Japão e a extensão do estado de emergência em Tóquio até o dia 22 de agosto, o comité organizador anunciou no dia 8 de julho a realização dos jogos sem a presença de espectadores pela primeira vez na história das olimpíadas na era moderna.[33]

InstalaçõesEditar

Durante a candidatura da cidade para os Jogos Olímpicos de Verão de 2016, diversos estudos demonstraram que o histórico Estádio Olímpico de Tóquio, estava defasado para os atuais padrões internacionais de arenas multiuso e havia a necessidade de sua demolição para a construção de um estádio mais moderno e dentro destes padrões, o que acabou não acontecendo, pois a cidade acabou perdendo o processo de seleção para a cidade do Rio de Janeiro, a realização do projeto acabou sendo cancelada em 2009. O plano de demolição do estádio foi reavivado em 2012, quando a cidade anunciou que estaria novamente se candidatando para os Jogos Olímpicos de Verão de 2020, a candidatura foi aceita com sucesso no ano seguinte, e por fim os Jogos Olímpicos voltariam ao Japão.[34] Como resultado da vitória, em janeiro de 2013, foi aberto um novo concurso de arquitetura internacional para o Novo Estádio Nacional. Dez meses depois, em novembro do mesmo ano, o Conselho Superior dos Esportes do Japão anunciou que um projeto da arquiteta iraquiana Zaha Hadid foi o escolhido para ocupar o lugar do estádio histórico.[35] No entanto, durante a fase de licitação para a obra, o primeiro-ministro japonês Shinzō Abe anunciou em julho de 2015 que o projeto de Hadid, foi descartado devido aos custos altíssimos e a inviabilidade técnica do projeto e assim foi aberto um novo concurso internacional para a escolha do projeto substituto. Um novo concurso foi aberto no outono de 2015 e o projeto escolhido foi o do arquiteto local Kengo Kuma. No projeto escolhido o estádio teria arquibancadas modulares que permitiriam a sua capacidade variar entre 60 e 80 mil pessoas, além de ter custos reduzidos e ter características discretas nas quais o "skyline" da cidade não seria alterado. A proposta de Kuma ainda incluía a construção de diversas áreas seguindo os máximos padrões de sustentabilidade internacionais exigidos pela Agenda 2020 do Comitê Olímpico Internacional, como o aquecimento por energia solar e diversas áreas verdes em sua volta, além de 185 grandes ventiladores e oito pulverizadores, com o objetivo em diluir as condições climáticas na instalação. A madeira tratada é uma das principais protagonistas da instalação, aonde estão ainda estruturas de mais de 2.000m³ do material, que foi enviado de todo o Japão em alusão a comemoração de 1.300 anos da construção do Templo de Horyuji.[36] Dos 33 locais de competições planejados, 28 estão localizados a apenas 8 km da Vila Olímpica, enquanto que estão sendo construídos 11 novos locais.[37] A inauguração oficial do estádio aconteceu no dia 1º de Janeiro de 2020.[38]

SímbolosEditar

LogotipoEditar

O emblema dos Jogos foi revelado em 25 de abril de 2016. O emblema paralímpico tem a forma de um louro em um padrão de xadrez índigo. O design visa "expressar uma elegância refinada e sofisticação exemplificada pelo Japão".[39] Este design substitui o emblema original, pois foi descoberto que ele imita o logotipo do Liege Theatre.[40]

MascotesEditar

Em 28 de fevereiro de 2018, eles selecionaram o design A-pet criado por Ryo Taniguchi com 109.041 votos, enquanto o Design B criado por Kana Yano obteve 61.423 votos e o projeto C criado por Sanae Akimoto, 35.291 votos. O mascote vencedor é uma forma com caixas xadrez, está ligado ao logotipo dos Jogos. Seus nomes, Miraitowa e Someity, foram revelados em 22 de julho de 2018.[41] O termo Miraitowa é o resultado de uma mistura de palavras japonesas para o futuro (未) e a eternidade (の遠). Enquanto Someity vem do termo somei-yoshino, um tipo de flor de cerejeira do distrito de Yoshino na prefeitura de Nara.[42]

Os JogosEditar

Cerimônia de AberturaEditar

 
Parada das nações durante a Cerimônia de Abertura

A cerimônia aconteceu ás 20:00 (UTC+9) no dia 24 de agosto de 2021 no Estádio Olímpico de Tóquio. O evento trouxe como tema a paz e a inclusão social, além de haver momentos protocolares como apresentações culturais, discursos de boas vindas e a inauguração da tocha paralímpica.[43]

Cerimônia de EncerramentoEditar

 
Cerimônia de encerramento no Estádio Olímpico

A cerimônia aconteceu ás 20:00 (UTC+9) do dia 5 de setembro de 2021 no Estádio Olímpico de Tóquio. Ocorreu a apresentação de elementos culturais locais, desfile das delegações, premiações da maratona, a passagem da bandeira para o prefeito da próxima sede das paralímpiadas, no caso, Paris, a apresentação de elementos da cultura francesa e a extinção da tocha paralímpica.[44]

Programa EsportivoEditar

Diferentes eventos serão disputados nos Jogos de Tóquio em 22 esportes. O ciclismo será dividido em modalidades de pista e estrada. As provas coletivas de Goalball, Voleibol Sentado e Basquetebol em Cadeira de Rodas continuarão sendo eventos masculinos e femininos, o rugby em cadeira de rodas continuará sendo um evento misto, enquanto que o Futebol de 5 será uma competição exclusivamente masculina.[45]

Novos eventosEditar

Em janeiro de 2014, o Comitê Paraolímpico Internacional passou a aceitar ofertas para agregar novos esportes ao programa Paralímpico. Isso incluía futebol para amputados, badminton, hóquei em cadeira de rodas, futebol em cadeira de rodas e taekwondo. Novas modalidades também foram propostas em eventos existentes, incluindo provas de Match para deficientes visuais, multicascos individuais na Vela e Basquete 3x3.[46][47]

Em 31 de janeiro de 2015, o Comitê Paraolímpico Internacional anunciou oficialmente que o badminton e o taekwondo foram adicionados ao programa paraolímpico para 2020, substituindo o futebol de 7 e a vela (ambos foram retirados devido ao alcance internacional insuficiente para justificar sua permanência).[45]

CalendárioEditar

CA Cerimónia de abertura Competições desportivas 1 Medalhas de ouro EG Exibição de gala CE Cerimónia de encerramento
Agosto /Setembro 2021 24
Ter
25
Qua
26
Qui
27
Sex
28
Sab
29
Dom
30
Seg
31
Ter
1
Qua
2
Qui
3
Sex
4
Sáb
5
Dom
Eventos
  Cerimônias CA CE
  Atletismo 13 16 19 17 21 17 18 18 24 5 168
  Badminton 7 7 14
  Basquetebol em cadeira de rodas 1 1 2
  Bocha 4 3 7
  Canoagem 4 5 9
Ciclismo   Estrada 19 6 5 4 51
  Pista 4 5 5 3
  Esgrima em cadeira de rodas 4 4 2 4 2 16
  Futebol de 5 1 1
  Goalball 2 2
  Hipismo 3 2 1 5 11
  Judô 4 4 5 13
  Levantamento de peso 4 4 4 4 4 20
  Natação 16 14 14 14 13 15 14 15 15 16 146
  Remo 4 4
  Rugby em cadeira de rodas 1 1
  Taekwondo 2 2 2 6
  Tênis de mesa 5 8 8 5 5 31
  Tênis em cadeira de rodas 1 1 2 2 6
  Tiro 3 2 2 1 2 2 1 13
  Tiro com arco 1 1 2 2 1 1 1 9
  Triatlo 4 4 8
  Voleibol sentado 1 1 2
Eventos 24 30 44 55 62 54 58 45 48 56 49 15 540
Cumulativo 24 54 98 153 215 269 327 372 420 476 525 540
Agosto/Setembro 2021 24
Ter
25
Qua
26
Qui
27
Sex
28
Sab
29
Dom
30
Seg
31
Ter
1
Qua
2
Qui
3
Sex
4
Sáb
5
Dom
Eventos

ParticipantesEditar

Devido a crise política e social no país, os dois atletas classificados do Afeganistão não puderam estar presente nessa edição dos jogos. Porém, houve o desfile da bandeira no país na abertura como uma forma de homenagem.[48] Butão, Granada, Maldivas, Paraguai e São Vicente e Granadinas fazem a sua estreia nos Jogos Paralímpicos. A Rússia por sua vez irá competir como Comitê Paralímpico Russo, após ficar ausente nos Jogos de 2016, cumprindo a suspensão por doping, não podendo usar sua bandeira e nem o hino nacional.[49]

Lista de equipes participantes (Quantidade de atletas)

Quadro de MedalhasEditar

     País sede destacado

 Ordem  País            Ordem
por total
1  CHN China 96 60 51 207 1
2  GBR Grã-Bretanha 41 38 45 124 2
3  USA Estados Unidos 37 36 31 104 4
4  RPC Comitê Paralímpico Russo 36 33 49 118 3
5  NED Países Baixos 25 17 17 59 9
6  UKR Ucrânia 24 47 27 98 5
7  BRA Brasil 22 20 30 72 7
8  AUS Austrália 21 29 30 80 6
9  ITA Itália 14 29 26 69 8
10  AZE Azerbaijão 14 1 4 19 20
11  JPN Japão 13 15 23 51 11
77  POR Portugal     2 2 63
Outros países 196 215 254 665
TOTAL 539 540 589 1 668
Os demais países lusófonos não conquistaram medalhas.

Direitos de TransmissãoEditar

A rede de televisão NHK transmite os jogos para a população japonesa.[50] A TVNZ realiza a cobertura na Nova Zelândia.[51]

A NBCUniversal realiza a cobertura para os Estados Unidos, dedicando parte da programação para o evento.[52] No Reino Unido, a estação Channel 4 realiza a cobertura, dedicando mais de 300 horas de transmissão ao vivo.[53]

No Brasil, a cobertura foi realizada através da TV Brasil pela segunda edição consecutiva em TV Aberta e no SporTV, sendo esta última com exclusividade em TV por Assinatura e em conjunto com o Globoplay, enquanto que a TV Globo transmitiu apenas a semifinal e a decisão do futebol de 5 na íntegra, devido ao avanço do time brasileiro. O canal realizou a cobertura através de boletins ao vivo na programação e nos telejornais, além de compactos das cerimônias de abertura e encerramento, se tornando uma transmissão mais ampla com relação aos Jogos de 2016.[54][55][56]

Pela primeira vez no Chile, o Comitê Paraolímpico do Chile anunciou que os Jogos Paraolímpicos de Tóquio 2020 serão transmitidos pela TVN.[57]

Lista de transmissorasEditar

Referências

  1. «'United by Emotion' to be Tokyo 2020 Games Motto». International Paralympic Committee (em inglês). Consultado em 24 de agosto de 2021 
  2. «Paralympic medal programme for Tokyo 2020 announced with athletics and swimming events reduced» 
  3. New medal event added to road cycling schedule for Tokyo 2020 Paralympic Games
  4. ESP Brasil (11 de fevereiro de 2010). «Sede da Olimpíada-2020 será escolhida em Buenos Aires - Information for the Media». Consultado em 5 de janeiro de 2011 
  5. «Tokyo Olympics and Paralympics: New dates confirmed for 2021». BBC Sport. 30 de março de 2020. Consultado em 30 de março de 2020 
  6. «Joint Statement from the International Olympic Committee and the Tokyo 2020 Organising Committee». olympic.org (em inglês). 24 de março de 2020. Consultado em 24 de março de 2020 
  7. Comitê Olímpico Internacional. «2020 Bid Process launched» (em inglês). Consultado em 28 de maio de 2011 
  8. Paraná Online. «Governo italiano não apóia candidatura olímpica de Roma». Consultado em 14 de fevereiro de 2012 
  9. Terra Brasil. «Com Tóquio e Madri, COI anuncia candidatos à sede dos Jogos de 2020». Consultado em 3 de agosto de 2011 
  10. BBC Brasil. «COI anuncia cidades candidatas às Olimpíadas de 2020». Consultado em 12 de junho de 2012 
  11. «羽田・成田発着を拡大、五輪へインフラ整備急ぐ». 日本経済新聞. 10 de setembro de 2013. Consultado em 10 de setembro de 2013. Cópia arquivada em 11 de setembro de 2013 
  12. «五輪で東京に1000万人 過密都市ゆえの課題多く». 日本経済新聞. 10 de setembro de 2013. Consultado em 10 de setembro de 2013. Cópia arquivada em 11 de setembro de 2013 
  13. PST (24 de janeiro de 2014). «Mori heads Tokyo 2020 organizing committee». Sports.yahoo.com. Consultado em 4 de fevereiro de 2014. Cópia arquivada em 8 de fevereiro de 2014 
  14. «List of Ministers (The Cabinet) | Prime Minister of Japan and His Cabinet». japan.kantei.go.jp (em inglês). Consultado em 5 de outubro de 2018. Cópia arquivada em 29 de setembro de 2018 
  15. «Nokia, NTT DoCoMo prepare for 5G ahead of Tokyo Olympics launch». 2 de março de 2015. Consultado em 20 de janeiro de 2018. Cópia arquivada em 21 de janeiro de 2018 – via Reuters 
  16. «Nokia wins 5G business with Japan's NTT DoCoMo - FierceWireless». www.fiercewireless.com. Consultado em 20 de janeiro de 2018. Cópia arquivada em 21 de janeiro de 2018 
  17. Fernanda RouvenatDo G1 Rio (14 de agosto de 2016). «Israelenses mortos no atentado de Munique em 1972 são homenageados». Olimpíada Rio 2016. Consultado em 24 de agosto de 2021 
  18. G1 > Mundo - NOTÍCIAS - Japão condena à forca mentor de ataque com gás no metrô Obtido em 25 de outubro de 2009 (em português)
  19. Said, Summer; Malsin, Jared; Donati, Jessica (14 de setembro de 2019). «U.S. Blames Iran for Attack on Saudi Oil Facilities» (em inglês). The Wall Street Journal. Consultado em 14 de setembro de 2019 
  20. «Japanese Government announce ban on drones near venues during Tokyo 2020». www.insidethegames.biz. Consultado em 24 de agosto de 2021 
  21. «More than 200,000 applications received for Tokyo 2020 Volunteer Programme». Tokyo 2020 (em inglês). Consultado em 24 de agosto de 2021 
  22. «Tokyo 2020: 180,000 apply to be volunteers». International Paralympic Committee (em inglês). Consultado em 24 de agosto de 2021 
  23. «Volunteer names unveiled for Tokyo 2020 - Olympic News». International Olympic Committee (em inglês). 15 de julho de 2021. Consultado em 24 de agosto de 2021 
  24. «Tokyo 2020 urge public to help create recycled medals». www.insidethegames.biz. Consultado em 24 de agosto de 2021 
  25. Etchells, Daniel (22 de dezembro de 2017). «Tokyo 2020 launches Olympic and Paralympic medal design competition». insidethegames.biz. Consultado em 10 de fevereiro de 2019 
  26. «Japan struggles for silver for Tokyo 2020 medals». insidethegames.biz. Consultado em 10 de fevereiro de 2019 
  27. Pavitt, Michael (25 de novembro de 2018). «Bach donates to project recycling metals for Tokyo 2020 medals». insidethegames.biz. Consultado em 10 de fevereiro de 2019 
  28. «Tokyo 2020 Olympic medal design unveiled». Tokyo 2020 (em inglês). Consultado em 24 de agosto de 2021 
  29. «Tokyo 2020 Olympic Medal: The Greatest Honour For Athletes». Tokyo 2020 (em inglês). Consultado em 24 de agosto de 2021 
  30. Hitti, Natashah (25 de julho de 2019). «Olympic committee unveils 2020 medals made from recycled smartphones». Dezeen. Consultado em 26 de julho de 2019 
  31. «Olimpíadas de Tóquio não terão espectadores do exterior devido à pandemia de Covid-19». noticias.uol.com.br. Consultado em 21 de março de 2021 
  32. «Olimpíada de Tóquio terá limite de 10 mil espectadores por sede». www.uol.com.br. Consultado em 22 de junho de 2021 
  33. «Japão bate o martelo e Olimpíadas não terão público - 08/07/2021 - UOL Olimpíadas». www.uol.com.br. Consultado em 8 de julho de 2021 
  34. «Super Bowl Ads; Japan National Stadium Upgrade; Contador Banned» 
  35. «Notice». Consultado em 19 de agosto de 2016. Arquivado do original em 19 de abril de 2013 
  36. Himmer, Alastair (17 de julho de 2015). «Japan rips up 2020 Olympic stadium plans to start anew». news.yahoo.com. AFP. Consultado em 17 de julho de 2015 
  37. «Tokyo 2020 candidature file – section 8 – Sports and Venues» (PDF). Tokyo 2020. Consultado em 10 de setembro de 2013. Arquivado do original (PDF) em 5 de abril de 2013 
  38. País, El (25 de dezembro de 2019). «Galeria de fotos: O novo estádio olímpico de Tóquio para os Jogos de 2020, em imagens». EL PAÍS. Consultado em 16 de janeiro de 2020 
  39. McKirdy, Andrew (25 de abril de 2016). «Checkered pattern by artist Tokolo chosen as logo for 2020 Tokyo Olympics» (em inglês). The Japan Times. Consultado em 22 de julho de 2020 
  40. «Acusan de plagio al logotipo olímpico de Tokio 2020». El Mundo. 30 de julho de 2015. Consultado em 22 de julho de 2020 
  41. Tokio 2020 presentó a los tres pares de mascotas finalistas para los JJ.OO.
  42. «東京2020マスコット「ミライトワ」と「ソメイティ」がデビューしました!» (em japonês). Tokyo 2020. 22 de julho de 2020. Consultado em 22 de julho de 2020 
  43. «Cerimônia de abertura das Paralimpíadas terá paz e inclusão como temas». ge. Consultado em 24 de agosto de 2021 
  44. «Encerramento das Paralimpíadas 2021: onde assistir, data e horário». DCI. 2 de setembro de 2021. Consultado em 5 de setembro de 2021 
  45. a b «IPC announces final Tokyo 2020 Paralympic sports programme». International Paralympic Committee (em inglês). Consultado em 20 de dezembro de 2020 
  46. «Sports apply for 2020 Paralympics». BBC Sport (em inglês). Consultado em 20 de dezembro de 2020 
  47. «Six sports and three disciplines confirmed as bidding for Tokyo 2020 Paralympics inclusion». www.insidethegames.biz. Consultado em 20 de dezembro de 2020 
  48. «Com atletas impedidos de participar, Afeganistão tem bandeira carregada por representante na abertura dos Jogos Paralímpicos em Tóquio». G1. Consultado em 24 de agosto de 2021 
  49. null. «Paralimpíada de Tóquio terá 162 países, com cinco nações estreantes». UmDois Esportes. Consultado em 24 de agosto de 2021 
  50. «NHK releases Paralympic Games broadcast schedule». International Paralympic Committee (em inglês). Consultado em 8 de agosto de 2021 
  51. «Extensive coverage of Tokyo 2020 Paralympic Games to be shown in New Zealand». www.insidethegames.biz. Consultado em 8 de agosto de 2021 
  52. «NBC Universal to air record 1,200 hours of Paralympics from Tokyo». OlympicTalk | NBC Sports (em inglês). 24 de fevereiro de 2021. Consultado em 8 de agosto de 2021 
  53. McLean, Heather; Thursday, Editor; July 15; Story, 2021-17:43 Print This. «Channel 4 launches Tokyo 2020 Paralympic Games campaign with edgy film, Super. Human.». SVG Europe (em inglês). Consultado em 8 de agosto de 2021 
  54. «Globo reformula transmissão e uso de tecnologia para Olimpíada a distância». VEJA. Consultado em 8 de agosto de 2021 
  55. «Globo deve transmitir futebol de cegos na Paralimpíada e Brasil pede Galvão - 13/08/2021 - UOL Esporte». www.uol.com.br. Consultado em 13 de agosto de 2021 
  56. «TV Brasil é a emissora oficial dos Jogos Paralímpicos de Tóquio 2020 no Brasil | TV Brasil | Esportes». TV Brasil. 20 de agosto de 2021. Consultado em 21 de agosto de 2021 
  57. «Comité anunció que TVN transmitirá los Juegos Paralímpicos de Tokio 2020». biobiochile.cl. Consultado em 20 de agosto de 2021 
  58. «Canada to broadcast record number of hours of Paralympic coverage at Tokyo 2020». www.insidethegames.biz. 20 de agosto de 2021. Consultado em 24 de agosto de 2021 

Ligações externasEditar