Abrir menu principal

Jogos Olímpicos de Verão de 2020

Competição multi esportiva realizada em Tóquio, Japão
Current event marker.png
Este artigo ou seção é sobre um evento desportivo que ainda não ocorreu.
A informação apresentada pode mudar com frequência. Não adicione especulações, nem texto sem referência a fontes confiáveis.
Sports icon.png
Jogos da XXXII Olimpíada
Tóquio 2020
2020 Summer Olympics new logo.svg
Dados
Países participantes 206 (estimado)
Slogan Descubra o Amanhã (明日あしたをつかもう ashita o tsukamō?) [1]
País anfitrião  Japão
Atletas 12 750 (estimado)
Eventos 306 (estimado)
Cerimônia de abertura 24 de julho
Cerimônia de encerramento 9 de agosto
Estádio principal Novo Estádio Nacional de Tóquio
◄◄ Rio de Janeiro 2016 {{{evento}}} Paris 2024 ►►

Jogos Olímpicos de Verão de 2020 第三十二回オリンピック競技大会 (Dai Sanjūni-kai Orinpikku Kyōgi Taikai?)[2], conhecidos oficialmente como os Jogos da XXXII Olimpíada, mais comumente Tóquio 2020, será um evento multiesportivo realizado no segundo semestre de 2020, na região metropolitana de Tóquio, Japão. A escolha da sede foi feita durante a 125ª Sessão do Comitê Olímpico Internacional, que aconteceu em Buenos Aires, Argentina, em 7 de setembro de 2013.

A região metropolitana de Tóquio sediou os Jogos Olímpicos de Verão de 1964, Assim, será a primeira cidade a sediar os Jogos Olímpicos duas vezes na Ásia. Além disso, esta será a quarta edição dos Jogos a serem realizados no Japão. Juntamente com os Jogos de Verão de 1964, o Japão já sediou duas vezes os Jogos Olímpicos de Inverno. A primeira vez foi Sapporo 1972 e a segunda vez foi Nagano 1998.

Os Jogos de 2020, serão a segunda edição de três edições consecutivas no Extremo Oriente, seguindo os Jogos Olímpicos de Inverno de 2018 em Pyeongchang, Coreia do Sul, e posteriormente a esta edição os Jogos Olímpicos de Inverno de 2022, serão realizados em Pequim, capital da República Popular da China Os Jogos Olímpicos de 2020, serão a oitava vez que os Jogos serão realizados na região da Ásia-Pacífico.

Processo de seleçãoEditar

O processo de seleção da cidade-sede dos Jogos Olímpicos de Verão de 2020 aconteceu no período de janeiro de 2011 a setembro de 2013, segundo cronograma divulgado pelo Comitê Olímpico Internacional.[3]

Em 14 de fevereiro de 2012, um dia antes da data para apresentar as garantias governamentais ao Comitê Olímpico Internacional, a candidatura de Roma foi reprovada pelo então primeiro-ministro italiano Mario Monti, forçando a desistência da cidade.[4]

Ao final do prazo, 3 cidades europeias (Madri, Istambul e Baku) e duas asiáticas (Tóquio e Doha) oficializaram a sua postulação.[5] Após seleção criteriosa do Comitê Olímpico Internacional, foi anunciado, em 23 de Maio de 2012, em um encontro em Quebec, no Canadá, que Istambul, Madri e Tóquio passariam de cidades postulantes para cidades candidatas.[6]

EleiçãoEditar

O Comitê Olímpico Internacional convocou a eleição para selecionar a cidade-sede do torneio em 7 de setembro de 2013, durante a 125ª Sessão do Comitê Olímpico Internacional no Hilton Hotel em Buenos Aires, Argentina. Nenhuma cidade atingiu maioria absoluta dos votos no primeiro turno, terminando com Tóquio na primeira colocação, atingindo 45% dos votos válidos, e Madri e Istambul empataram em segundo lugar com 27,5% dos votos válidos para cada. No turno de desempate, Madrid venceu com 52% dos votos válidos, passando para o segundo turno com Tóquio. Na votação final, Tóquio, foi selecionada com 60 votos favoráveis, correspondendo a 62% dos votos, enquanto Madrid conseguiu 36 votos.

Jogos da XXXII Olimpíada
125ª Sessão do Comitê Olímpico Internacional
7 de setembro de 2013, em Buenos Aires,   Argentina.
Cidades que apresentaram alguma candidatura.
Países candidatos 1ª Rodada Desempate[st] 2ª Rodada
  Tóquio 42 (45%) 60 (62%)
  Istambul 26 (27,5%) 49 (52%) 36 (38%)
  Madri 26 (27,5%) 45 (48%) Eliminada
  • st. ^ Como houve empate entre Istambul e Madri, foi realizada uma votação extra para determinar qual cidade avançaria para a rodada seguinte..

PreparaçãoEditar

 
A torre de conferência do Tokyo Big Sight será utilizada como sede do International Broadcast Center (IBC).

O governo de Tóquio reservou um fundo de JP¥ 400 bilhões (14,2 bilhões de reais; 31,8 milhões de euros) para cobrir o custo total dos Jogos. O governo japonês estuda a possibilidade de ampliar a capacidade de voos dos dois aeroportos internacionais de Haneda e Narita, para facilitar a circulação de aeronaves.Existem projetos da expansão das linhas que saem da Estação de Tóquio, reduzindo o tempo de viagem da entre a estação de Tóquio e Haneda de 30 para 18 minutos, e entre a estação de Tóquio e Narita de 55 para 36 minutos. Esta linha custaria cerca de quatrocentos bilhões de ienes e seria financiada principalmente por investidores privados. Porém, a East Japan Railway Company (JR-East) já estava planejando uma nova rota partindo da jarda de Minato para o Aeroporto de Haneda.[7] O financiamento também está previsto para acelerar a conclusão da Central Circular Route (C2), da Estação de Gaikan (C3) e da Ken-Ō Expressway (C4), além de reformar outras grandes vias expressas. Há também planos para estender a linha de aerotrem Yurikamome do seu terminal existente na Estação Toyosu para um novo terminal na Estação Kachidoki, passando pela Vila Olímpica.[8]

O Comitê Organizador dos Jogos é chefiado pelo ex-primeiro-ministro Yoshirō Mori.[9] Enquanto existe a Autoridade Pública Olímpica de Tóquio chefiada por Yoshitaka Sakurada.[10]

Respeitando a tradição japonesa da demonstração de novas tecnologias em eventos de grande porte como as demonstradas na Exposição Universal de 1970.A principal empresa de telefonia do Japão,a NTT DoCoMo assinou um acordo com a finlandesa Nokia para a implementação de redes de internet 5G no país com foco na transferência de dados relacionados ao evento.[11][12]

SegurançaEditar

Por questões de segurança,o governo japonês decidiu o banimento do uso de drones durante os Jogos.A mesma medida está valendo para a Copa do Mundo de Rugby Union de 2019. Mas de mesma forma os japoneses tem bastante medo de ataques terroristas então por isso reforçou a quantidade de políciais e promete ter uma olimpíada segura [13]

VoluntáriosEditar

As inscrições para o programa de voluntariado dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos Tóquio 2020 foram abertas no dia 26 de setembro de 2018 e foram encerradas no dia 18 de janeiro de 2019.Um total de 204,860 inscrições de todo o mundo foram recebidas pelo Comitê Organizador.[14] A primeira fase do treinamento dos voluntários aconteceu em fevereiro de 2019,enquanto que a fase final do treinamento será realizada em outubro de 2019[15] Os voluntários nos locais de competição serão chamados de Field Cast e os voluntários que estarão na cidade serão chamados de City Cast.[16]

MedalhasEditar

Em fevereiro de 2017, o Comitê Organizador de Tóquio anunciou que estaria implementando um programa de reciclagem de eletrônicos em parceria com o Centro de Saneamento Ambiental do Japão e a principal operadora do país,a NTT docomo, solicitando doações de diversos produtos eletrônicos para serem usados como o material base para a produção das medalhas.A meta da organização era a de coletar mais 8 de toneladas de materiais.Postos de coletas foram colocados em diversos locais como rodoviárias,shoppings,supermercados e lojas da operadora.[17] Um concurso nacional foi aberto para a escolha do design das medalhas foi aberto em dezembro de 2017.[18]

Em maio de 2018, o Comitê Organizou anunciou que conseguiu a metade da quantidade necessária para a manufatura das medalhas de bronze (2,7 toneladas),mas que eles estavam com dificuldade para conseguir a quantidade de prata necessária.Embora as medalhas de prata e bronze utilizem apenas seus respectivos materiais, os requisitos do COI determinam que as medalhas de ouro utilizem a prata como base e sejam banhadas com ouro.[19] A quantidade de bronze necessária foi completada em novembro de 2018,enquanto,que a expectativa para que a prata necessária fosse fechada em março de 2019.[20]

Em 24 de julho de 2019,durante as celebrações da contagem regressiva de um ano dos Jogos,o design das medalhas foi revelado.[21][22] As medalhas foram desenhadas por Junichi Kawanishi e significam o big bang .[23]

Tocha OlímpicaEditar

Após a cerimônia de acendimento da tocha no dia 12 de março de 2020,em Olímpia,na Grécia.A fase grega do revezamento terminará no Estádio Panatenaico em Atenas.A cerimônia de passagem para os japoneses será no dia 19 de março e a chama tocará o solo japonês na Base Área de Matsushima e logo em seguida passará uma semana visitando as áreas das prefeituras de Miyagi, Iwate e Fukushima que foram destruídas durante o Sismo e tsunami de Tohoku de 2011,numa fase que será chamada de "Chama da Reconstrução".A fase nacional do revezamento da tocha olímpica começará em 26 de março na J-Village, o estádio de futebol da província de Fukushima, o epicentro da área afetada pelo Sismo de Tohoku. Nos meses seguintes, a chama atravessará todo o país,passando por todas as 47 prefeituras,percorrendo um total de 857 cidades,aldeias e vilas em um total de 121 dias.Este será particularmente um revezamento mais longo,devido ao contexto local do país. Em média cada dia contará com 80 a 90 pessoas que transportarão a Tocha Olímpica por cerca de 200 metros cada.Aproximadamente,10 mil pessoas irão participar do revezamento.Entre os locais conhecidos estão Rikuzentakata,aonde está o o “pinheiro milagroso”.Esta árvore foi a única da região a permanecer em pé,após a área ser inundada durante o sismo e automaticamente se tornou mundialmente conhecida por simbolizar a resiliência dos japoneses diante de tragédias e desastres naturais.Outro ponto interessante será a visita ao castelo de Matsumoto,em Nagano, que sofreu grandes danos em 2016,após uma sequência de sismos.Outros momentos altos serão as visitas ao Parque Memorial da Paz de Hiroshima e a cidade de Nagasaki.Ao mesmo tempo,que a resiliência dos japoneses será mostrada ao mundo,a sua história será exposta. Exemplos desta escolha incluem a Fábrica de Seda de Tomioka, o castelo Himeji e o Daisenryō-Kofun.A escolha geral dos locais foi feita em consulta aos governos locais, mas também com o objetivo de que 98% da população japonesa pudesse participar do evento. Os detalhes finais de cada perna do revezamento deverão ser divulgados até o final do ano.[24][25]

Locais de CompetiçãoEditar

Foi confirmado em fevereiro de 2012, que caso a região metropolitana ganhasse a disputa para sediar os Jogos Olímpicos de 2020, o histórico Estádio Olímpico de Tóquio, estava defasado para os atuais padrões desportivos seria demolido e um novo estádio seria construído em seu lugar.[26] Como resultado, foi aberta uma competição para a escolha do design do novo estádio. Dez meses depois,em novembro do mesmo ano, o Conselho Superior dos Esportes do Japão anunciou que um projeto de Zaha Hadid foi o escolhido. Os planos incluíam a demolição do Estádio Nacional, e a sua expansão para 80 mil lugares.[27] No entanto, primeiro-ministro japonês Shinzō Abe anunciou em julho de 2015 que o projeto de Hadid, fora descartado,devido aos altíssimos custos de sua construção. No outono de 2015, o arquiteto local Kengo Kuma apresentou o novo projeto do estádio. No projeto de Kuma,o estádio terá uma capacidade modular de 60 a 80 mil pessoas.[28]Dos 33 locais de competições planejados, 28 estão localizados a apenas 8 km da Vila Olímpica, enquanto que estão sendo construídos 11 novos locais.[29]

Os jogosEditar

ProgramaEditar

Com o intuito de revisar o programa olímpico e abrir vaga para um novo esporte, o COI recomendou a exclusão do Wrestling do programa previsto para os Jogos de 2020. O fato foi recebido com surpresa, já que a modalidade (que engloba as categorias Livre e Greco-Romana) esteve presente em todas as edições dos jogos modernos, incluindo sua prática nos Jogos Olímpicos da Antiguidade.

No entanto, a Luta foi incluída em uma lista com outros sete esportes (Beisebol/Softbol, Karatê, Squash, Esportes sobre Rodas, Escalada, Wakeboard e Wushu) para disputar a vaga restante no programa olímpico. No dia 29 de maio de 2013, o COI anunciou que o Wrestling, Beisebol/Softbol e o Squash continuavam como candidatos.[30]

Em 8 de setembro de 2013, na 125ª Sessão do COI em Buenos Aires, na Argentina, o Wrestling foi novamente incluído no programa olímpico não só para os Jogos de 2020, quanto para os de 2024. A modalidade garantiu 49 votos, contra 24 de Beisebol/Softbol e 22 do Squash.[31]

Além destas, em setembro de 2015, o Comitê Organizador dos Jogos apresentou pela primeira vez uma lista de cinco indicações para serem incluídos como esportes opcionais no programa: beisebol/softball, caratê, escalada desportiva, skate e o surf. A lista e a ideia seriam analisadas em uma reunião, que foi realizada dias antes da cerimônia de abertura dos Jogos Olímpicos de Verão de 2016.[32] Assim, esses esportes foram aprovados para serem adicionados ao Programa Olímpico.[33] Em julho de 2017, houve a inclusão de mais um evento nos Jogos, o Basquetebol 3x3[34][35] ao mesmo tempo, também foi incluída mais uma prova ao BMX, o freestyle.[36]

Desta maneira o programa dos Jogos Olímpicos de Verão de 2020 está composto da seguinte forma:

CalendárioEditar

Este calendário é adaptado do Livro de Candidatura de Tóquio 2020, não inclui os eventos incluídos em 2016 e 2017, tal como eventuais alterações no programa dos esportes vigentes.


Todas as datas estão com a hora de Tóquio (UTC+9).

CA Cerimónia de abertura Competições desportivas 1 Medalhas de ouro EG Exibição de gala CE Cerimónia de encerramento
Julho 22
Qua
23
Qui
24
Sex
25
Sáb
26
Dom
27
Seg
28
Ter
29
Qua
30
Qui
31
Sex
1
Sáb
2
Dom
3
Seg
4
Ter
5
Qua
6
Qui
7
Sex
8
Sáb
9
Dom
Medalhas de ouro
  Cerimônias (abertura / encerramento) CA CE
  Atletismo 3 5 4 5 5 4 6 7 7 1 47
  Badminton 1 1 2 1 5
  Basquetebol 1 1 2
  Boxe 1 1 1 1 1 1 3 4 13
Canoagem   Slalom 1 1 2 16
  Velocidade 4 4 4
Ciclismo   Ciclismo de estrada 1 1 2 18
  Ciclismo de pista 1 2 2 1 1 3
  BMX 2
  Bicicleta de montanha 1 1
  Esgrima 1 1 1 1 2 1 1 1 1 10
  Futebol 1 1 2
Ginástica   Artística 1 1 1 1 4 3 3 EG 18
  Rítmica 1 1
  Trampolim 1 1
  Golfe 1 1 2
  Halterofilismo 1 2 2 2 2 2 1 1 1 1 15
  Handebol 1 1 2
  Hipismo 2 1 1 1 1 6
  Hóquei sobre a grama 1 1 2
  Judô 2 2 2 2 2 2 2 14
  Lutas 2 2 2 3 3 2 2 2 18
  Nado sincronizado 1 1 2
  Natação 4 4 4 4 4 4 4 4 1 1 34
  Pentatlo moderno 1 1 2
  Polo aquático 1 1 2
  Remo 2 4 4 4 14
  Rugby sevens 1 1 2
  Saltos ornamentais 1 1 1 1 1 1 1 1 8
  Tiro 2 2 2 1 2 1 2 2 1 15
  Tiro com arco 1 1 1 1 4
  Tênis 1 1 3 5
  Tênis de mesa 1 1 1 1 4
  Taekwondo 2 2 2 2 8
  Triatlo 1 1 2
  Vela 2 2 2 2 2 10
Voleibol   Voleibol de praia 1 1 4
  Voleibol 1 1
Total medalhas ouro 12 14 14 15 20 19 24 21 22 17 25 16 23 22 30 12 306
Total acumulativo 12 26 40 55 75 94 118 139 161 178 203 219 242 264 294 306
Julho 22
Qua
23
Qui
24
Sex
25
Sáb
26
Dom
27
Seg
28
Ter
29
Qua
30
Qui
31
Sex
1
Sáb
2
Dom
3
Seg
4
Ter
5
Qua
6
Qui
7
Sex
8
Sáb
9
Dom
Medalhas de ouro

Identidade VisualEditar

 
Logótipo do Teatro de Liège
O primeiro logotipo dos Jogos foi apresentado pelo Comitê Organizador numa cerimônia em Tóquio em julho de 2015. Criada pelo designer gráfico Kenjiro Sato, segundo os organizadores ela "refletia a natureza vibrante da cidade assim como o espírito acolhedor de seus habitantes".[37] Algumas acusações de plágio, porém, surgiram após a apresentação, especialmente do artista belga Olivier Debie, que afirmou que o desenho teria sido "plagiado" de uma criação anterior sua para o Teatro de Liége,na Bélgica, em 2013. Centrado numa grande letra T e com um círculo vermelho representando um coração batendo e similar à bandeira japonesa, o trabalho acabou sendo publicamente rejeitado em setembro, juntamente com as denúncias de possível plágio, pelo diretor-geral do Comitê Organizador, Toshio Muto, que anunciou que um novo projeto estava sendo desenvolvido.[38]

Em 24 de novembro de 2015, o Comitê Organizador,criou uma comissão para o novo projeto gráfico para os Jogos e um novo concurso foi aberto para todos os cidadãos japoneses residentes no país com mais de 18 anos, com a data limite de envio até 7 de dezembro do mesmo ano. O ganhador iria receber a quantia de ¥1 milhão,juntamente com os primeiros ingressos para as cerimônias de abertura e encerramento dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos Tóquio 2020.[39][40][41] Em 8 de Abril de 2016, uma nova lista de logótipos para os Jogos Olímpicos e Paraolímpicos foram revelados pela Comissão de Seleção;[39]

Os novos logotipos dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos Tóquio 2020 foram revelados em 25 de abril de 2016 ; desenhados por Asao Tokolo.Os dois assumem as formas de um anel em um padrão de xadrez com a cor índigo. Os desenhos "expressam a refinada elegância e sofisticação que representam o Japão".[42]

MascotesEditar

 Ver artigo principal: Miraitowa e Someity

Foi se aberto um concurso para a escolha dos mascotes e ambos deveriam contar com algum aspecto cultural do Japão.Durante o periodo da postulacao diversos personagens de anime foram escolhidos como embaixadores sendo os mais notáveis :Doraemon,Pikachu e Goku.Quando a cidade se tornou oficialmente uma cidade-candidata,este papel foi assumido por Doraemon.Em 7 de dezembro de 2017,o Comitê Organizador anunciou que seria um casal de mascotes,um para os Jogos Olímpicos e outro para os Jogos Paralímpicos. Diferentemente das ações realizadas para os Jogos Olímpicos de Verão de 2016, eles foram escolhidos apenas por estudantes da educação básica. Dos 2.042 inscritos foram selecionados 3 finalistas: O primeiro par que eventualmente foi escolhido,foi o de dois robôs na estética “ichimatsu” (mais conhecidos como os robôs das séries de super sentai) e tem na sua pintura o mesmo padrão quadriculado presente na logomarca dos Jogos. O segundo era inspirado no “maneki neko”, o gato da boa sorte, e uma raposa comumente vista em santuários xintoístas. O terceiro representava uma raposa e um cachorro com um laço de ouro nas costas. Os mascotes foram anunciados em 28 de fevereiro de 2018.[43] O designer Ryo Taniguchi desenvolveu dois super-heróis ,nas cores azul e rosa,sendo caracterizados pela hospitalidade,sendo que o azul é baseado na cor azul (Konjō-iro) que simboliza a fidelidade,é o mascote dos Jogos Olímpicos enquanto que o baseado na cor rosa (Kōbai-iro) simboliza primavera, juventude e boa saúde servirá para os Jogos Paralímpicos .[44] Em 22 de julho de 2018 foram revelados os nomes dos mascotes: o azul se chama Miraitowa e o rosa Someity[45] O nome do Miraitowa, o é a aglutinação das palavras "futuro" e "eternidade" em japonês.[45] Segundo os criadores, o personagem tem um forte senso de justiça e um super poder que o torna capaz de se mover para qualquer lugar instantaneamente. A mascote das Paralímpiadas, Someity, teve o nome derivado de "Someiyoshino",a principal espécie de cerejeira japonesa e uma adaptação da frase em Inglês e da frase em inglês “I'm so mighty” (eu sou poderoso). Descrita como calma, mas forte quando necessário, ela tem como principal característica a telecinese .[45]

Direitos de TransmissãoEditar

Nos Estados Unidos, os Jogos Olímpicos de Verão de 2020 serão novamente transmitidos pela NBC. Como parte de um acordo de US $ 4,38 bilhões, que começou nos Jogos Olímpicos de Inverno de 2014 e irá até os Jogos Olímpicos de Verão de 2032.[46] A entidade também fez uma versão do mesmo acordo para os direitos de televisão para o Brasil, no qual os Jogos terão transmissão exclusiva pelo Grupo Globo, como parte de um acordo que será vigente também até os Jogos Olímpicos de Verão de 2032.[47]

Na Europa, estes serão os primeiros Jogos Olímpicos de Verão sob o recém criado acordo de direitos exclusivos pan-europeus do COI (Comitê Olímpico Internacional) com a Discovery Communications, que se iniciou nos Jogos Olímpicos de Inverno de 2018. Este acordo irá cobrir quase toda a área da União Europeia de Radiodifusão, excluindo: Alemanha, Espanha, França, Itália, Reino Unido e a Rússia. A Discovery terá a cobertura de sub-licença para canais em sinal aberto em cada território. No Reino Unido, estes serão os últimos Jogos cujos direitos são integralmente pertencentes a BBC, embora, exista um acordo de sub-licenciamento que foi estendido Jogos Olímpicos de Inverno de 2022 e aos Jogos Olímpicos de Verão de 2024, a Discovery detém os direitos de televisão paga exclusivamente para estes Jogos.[48][49][50][51]

Detentoras dos Direitos de TransmissãoEditar

↑1 – Direitos em 22 países na Ásia, para serem revendidos para emissoras locais.Japão,República Popular da China e Península da Coreia não fazem parte deste acordo.
↑2 – Área geográfica da União Europeia de Radiodifusão,não estão inclusos Alemanha,Espanha,França,Itália,Reino Unido e Rússia Os direitos para Oriente Médio e o Norte da África foram negociados em separado.
↑3 – Direitos nas nações integrantes da Comunidade do Pacífico: Ilhas Cook, Fiji, Kiribati, Ilhas Marshall, Estados Federados da Micronésia,Nauru, Palau, Samoa, Ilhas Salomão, Tonga, Tuvalu e Vanuatu.

Ver tambémEditar

Referências

  1. «'Descubra o amanhã' é o slogan olímpico de Tóquio-2020». Folha de São Paulo. 19 de Julho de 2012. Consultado em 4 de Setembro de 2017 
  2. (em francês: Jeux de la XXXIIème olympiade)
  3. Comitê Olímpico Internacional. «2020 Bid Process launched» (em inglês). Consultado em 28 de maio de 2011 
  4. Paraná Online. «Governo italiano não apóia candidatura olímpica de Roma». Consultado em 14 de fevereiro de 2012 
  5. Terra Brasil. «Com Tóquio e Madri, COI anuncia candidatos à sede dos Jogos de 2020». Consultado em 3 de agosto de 2011 
  6. BBC Brasil. «COI anuncia cidades candidatas às Olimpíadas de 2020». Consultado em 12 de junho de 2012 
  7. «羽田・成田発着を拡大、五輪へインフラ整備急ぐ». 日本経済新聞. 10 de setembro de 2013. Consultado em 10 de setembro de 2013. Cópia arquivada em 11 de setembro de 2013 
  8. «五輪で東京に1000万人 過密都市ゆえの課題多く». 日本経済新聞. 10 de setembro de 2013. Consultado em 10 de setembro de 2013. Cópia arquivada em 11 de setembro de 2013 
  9. PST (24 de janeiro de 2014). «Mori heads Tokyo 2020 organizing committee». Sports.yahoo.com. Consultado em 4 de fevereiro de 2014. Cópia arquivada em 8 de fevereiro de 2014 
  10. «List of Ministers (The Cabinet) | Prime Minister of Japan and His Cabinet». japan.kantei.go.jp (em inglês). Consultado em 5 de outubro de 2018. Cópia arquivada em 29 de setembro de 2018 
  11. «Nokia, NTT DoCoMo prepare for 5G ahead of Tokyo Olympics launch». 2 de março de 2015. Consultado em 20 de janeiro de 2018. Cópia arquivada em 21 de janeiro de 2018 – via Reuters 
  12. «Nokia wins 5G business with Japan's NTT DoCoMo - FierceWireless». www.fiercewireless.com. Consultado em 20 de janeiro de 2018. Cópia arquivada em 21 de janeiro de 2018 
  13. https://www.insidethegames.biz/articles/1073588/japanese-government-announce-ban-on-drones-near-venues-during-tokyo-2020
  14. https://tokyo2020.org/en/special/volunteer/news/notice/20190124-01.html
  15. https://www.paralympic.org/news/tokyo-2020-180000-apply-be-volunteers
  16. https://www.olympic.org/news/volunteer-names-unveiled-for-tokyo-2020
  17. https://www.insidethegames.biz/articles/1046501/tokyo-2020-urge-public-to-help-create-recycled-medals
  18. Etchells, Daniel (22 de dezembro de 2017). «Tokyo 2020 launches Olympic and Paralympic medal design competition». insidethegames.biz. Consultado em 10 de fevereiro de 2019 
  19. «Japan struggles for silver for Tokyo 2020 medals». insidethegames.biz. Consultado em 10 de fevereiro de 2019 
  20. Pavitt, Michael (25 de novembro de 2018). «Bach donates to project recycling metals for Tokyo 2020 medals». insidethegames.biz. Consultado em 10 de fevereiro de 2019 
  21. https://tokyo2020.org/en/news/notice/20190724-01.html
  22. https://tokyo2020.org/en/games/medals/olympic-design/
  23. Hitti, Natashah (25 de julho de 2019). «Olympic committee unveils 2020 medals made from recycled smartphones». Dezeen. Consultado em 26 de julho de 2019 
  24. «Recycled aluminium from temporary housing in Fukushima to be used for Tokyo 2020 Olympic Torches». Japan Forward. 8 de junho de 2019 
  25. Gillen, Nancy (4 de janeiro de 2019). «Tokyo 2020 Olympic and Paralympic Torch Relays: Routes, Runners and Race Details». insidethegames.biz 
  26. «Super Bowl Ads; Japan National Stadium Upgrade; Contador Banned» 
  27. «Notice». Consultado em 19 de agosto de 2016. Arquivado do original em 19 de abril de 2013 
  28. Himmer, Alastair (17 de julho de 2015). «Japan rips up 2020 Olympic stadium plans to start anew». news.yahoo.com. AFP. Consultado em 17 de julho de 2015 
  29. «Tokyo 2020 candidature file – section 8 – Sports and Venues» (PDF). Tokyo 2020. Consultado em 10 de setembro de 2013. Arquivado do original (PDF) em 5 de abril de 2013 
  30. Estadão (12 de fevereiro de 2013). «Comitê Olímpico Internacional retira luta dos Jogos de 2020 - Information for the Media». Consultado em 10 de setembro de 2013 
  31. Terra (12 de fevereiro de 2013). «Luta Olímpica volta aos Jogos de 2020 - Information for the Media». Consultado em 10 de setembro de 2013 
  32. «Tóquio-2020 recomenda lista que inclui surfe e skate na Olimpíada». Veja. Consultado em 28 de setembro de 2015 
  33. O Tempo (12 de fevereiro de 2013). «Cinco novas modalidades serão incluídas nas Olimpíadas em Tóquio 2020». Consultado em 3 de agosto de 2016 
  34. «Basquete 3x3 é incluído nos Jogos Olímpicos de Tóquio 2020 - Gazeta Esportiva». www.gazetaesportiva.com. Consultado em 4 de fevereiro de 2018 
  35. «Basquete 3x3 é confirmado na Olimpíada de Tóquio-2020». globoesporte.com 
  36. «COI inclui basquete 3x3 e BMX freestyle nos Jogos de Tóquio-2020». Folha de S.Paulo 
  37. «Tokyo 2020 Olympic logo unveiled - but not everyone's impressed». Daily Mirror. Consultado em 29 de setembro de 2015 
  38. «Tokyo 2020 Olympics logo scrapped amid plagiarism claim». BBC. Consultado em 29 de setembro de 2015 
  39. a b «Japan unveils final four candidates for Tokyo 2020 Olympics logo». Japan Times. 8 de abril de 2016. Consultado em 11 de abril de 2016 
  40. «Tokyo 2020 Emblems Committee relax competition rules ahead of search for new logo». InsideTheGames.biz. Consultado em 26 de outubro de 2015 
  41. «Tokyo Games organizers decide to scrap Sano emblem». NHK World. 1 de setembro de 2015. Consultado em 1 de setembro de 2015. Arquivado do original em 4 de setembro de 2015 
  42. «Checkered pattern by artist Tokolo chosen as logo for 2020 Tokyo Olympics». Japan Times. Consultado em 25 de abril de 2016 
  43. «Tóquio 2020 divulga mascotes finalistas; estudantes vão definir dupla oficial». Globoesporte 
  44. «Elegidos por estudantes, mascotes dos Jogos de 2020 são anunciados no Japão». GazetaEsportiva.com. 28 de fevereiro de 2018. Consultado em 23 de julho de 2018 
  45. a b c «Tóquio revela nomes oficiais de mascotes dos Jogos Olímpicos de 2020». Estadão. 22 de julho de 2018. Consultado em 23 de julho de 2018 
  46. McCarthy, Michael (7 de junho de 2011). «NBC wins U.S. TV rights to four Olympic Games through 2020». USA Today 
  47. «IOC reaches agreement for broadcast rights in Brazil with Grupo Globo through to 2032». International Olympic Committee. Olympic.org. 10 de dezembro de 2015. Consultado em 10 de dezembro de 2015 
  48. «Olympics coverage to remain on BBC after Discovery deal». The Guardian. Consultado em 7 de junho de 2016 
  49. «IOC awards European broadcast rights to SPORTFIVE». ESPN. 18 de fevereiro de 2009. Consultado em 13 de agosto de 2013 
  50. «Discovery Lands European Olympic Rights Through '24». Sports Business Journal. Consultado em 1 de julho de 2015 
  51. «BBC dealt another blow after losing control of TV rights for Olympics». The Guardian. Consultado em 30 de junho de 2015 
  52. «IOC awards 2018-2024 broadcast rights in Asia». International Olympic Committee. Olympic.org. 29 de julho de 2015. Consultado em 29 de julho de 2015 
  53. «Seven Network reclaims rights to broadcast Summer Olympics in Rio de Janeiro in 2016 and Tokyo in 2020». News.com.au. 9 de julho de 2014. Consultado em 9 de julho de 2014 
  54. Pavitt, Michael (13 de junho de 2016). «Austrian broadcaster ORF agree deal for Pyeongchang 2018 and Tokyo 2020». inside the games. Consultado em 13 de junho de 2016 
  55. «IOC reaches agreement for broadcast rights in Brazil with Grupo Globo through to 2032». International Olympic Committee. Olympic.org. 10 de dezembro de 2015. Consultado em 10 de dezembro de 2015 
  56. «IOC awards 2018-2020 broadcast rights in Canada». International Olympic Committee. Olympic.org. 28 de outubro de 2014. Consultado em 29 de outubro de 2014 
  57. «CBC Joins with Bell, Rogers to Deliver 2018, 2020 Olympics». sportscastermagazine. 28 de outubro de 2014. Consultado em 28 de outubro de 2014 
  58. Furlong, Christopher (20 de julho de 2016). «IOC awards 2018-2020 broadcast rights in the Caribbean». International Olympic Committee. Olympic.org. Consultado em 21 de julho de 2016 
  59. «IOC awards 2018–2024 broadcast rights in China». International Olympic Committee. Olympic.org. 4 de dezembro de 2014. Consultado em 4 de dezembro de 2014 
  60. Lloyd, Tom (2 de junho de 2016). «Discovery sign Croatian and Irish Olympic deals». SportsPro. Consultado em 2 de junho de 2016 
  61. Polák, Lukáš (9 de maio de 2016). «Olympiáda zůstane neplacená, práva od Discovery získala Česká televize». Digitální rádio (em Czech). rozhlas.cz. Consultado em 9 de maio de 2016 
  62. Morgan, Liam (9 de maio de 2016). «Discovery Communications sign broadcast deal with Česká Televize for Pyeongchang 2018 and Tokyo 2020». inside the games. Consultado em 10 de maio de 2016 
  63. «IOC awards all TV and multiplatform broadcast rights in Europe to Discovery and Eurosport for 2018-2024 Olympic Games». International Olympic Committee. Olympic.org. 29 de junho de 2015. Consultado em 29 de junho de 2015 
  64. Lloyd, Tom (21 de abril de 2016). «Finnish broadcaster in Discovery Olympics deal». SportsPro. Consultado em 22 de abril de 2016 
  65. «IOC awards TV rights in Germany, Korea, France». USA Today. 5 de julho de 2011. Consultado em 27 de março de 2012 
  66. Kennedy, Mike (16 de junho de 2015). «France Télévisions in Canal Plus sub-licensing deal». SportsPro. Consultado em 17 de junho de 2015 
  67. «Hungarian Public Television Agrees Deal To Broadcast Summer And Winter Olympics Until 2024». Hungary today. hungarytoday.hu. 20 de junho de 2016. Consultado em 20 de junho de 2016 
  68. «RTÉ secures rights for Tokyo 2020 Olympic Games». RTÉ. 2 de junho de 2016. Consultado em 2 de junho de 2016 
  69. «IOC awards 2018-2024 broadcast rights in Japan». International Olympic Committee. Olympic.org. 19 de junho de 2014. Consultado em 19 de junho de 2014 
  70. «IOC awards 2018-2024 broadcast rights in Middle East and North Africa». International Olympic Committee. Olympic.org. 27 de julho de 2015. Consultado em 27 de julho de 2015 
  71. Emmett, James (21 de março de 2016). «Dutch broadcaster follows BBC with Discovery Olympic deal». SportsPro. Consultado em 21 de março de 2016 
  72. «A RTP adquiriu os direitos de transmissão dos Jogos Olímpicos de Inverno PyeongChang 2018 e dos Jogos Olímpicos Tóquio 2020, através de uma operação de sublicenciamento ao grupo Discovery.». RTP. 9 de fevereiro de 2018 
  73. a b «IOC awards 2018-2024 broadcast rights in New Zealand and Pacific Island Territories». Olympic.org. 23 de março de 2016. Consultado em 23 de março de 2016 
  74. «IOC awards SBS broadcast rights for 2018, 2020, 2022 and 2024 Olympic Games». Olympic.org. 4 de julho de 2011. Consultado em 18 de agosto de 2011 
  75. «Discovery Communications Inc.: Swiss Viewers to Enjoy Enhanced Olympic Games Coverage Following New Discovery Communications and SRG SSR Agreement». The Wall Street Transcript. twst.com. 6 de julho de 2016. Consultado em 6 de julho de 2016 
  76. «IOC awards broadcast rights in United Kingdom for 2014, 2016, 2018 and 2020 Olympic Games to the BBC». Olympic.org. 18 de julho de 2012. Consultado em 18 de julho de 2012 
  77. «BBC & Discovery Communications Sign Long-Term Olympic Games Partnership». Discovery Communications. corporate.discovery.com. 3 de fevereiro de 2016. Consultado em 3 de fevereiro de 2016 
  78. «IOC awards US broadcast rights for 2014, 2016, 2018 and 2020 Olympic Games to NBCUniversal». Olympic.org. 7 de junho de 2011. Consultado em 8 de junho de 2011 

Ligações externasEditar

Precedido por
Rio de Janeiro
Jogos Olímpicos
Tóquio

XXXII Olimpíada (2020)
Sucedido por
Paris