Kanye West

rapper e estilista norte-americano

Ye[1] (nascido Kanye Omari West; Atlanta, 8 de junho de 1977), mais conhecido por seu antigo nome Kanye West, e também conhecido por Yeezy ,[2] é um rapper, compositor, produtor musical, diretor de arte e estilista americano, nativo de Atlanta, Geórgia.[3][4][5] Ye ficou famoso no início de sua carreira como produtor da Roc-A-Fella Records, onde ganhou reconhecimento pelo seu trabalho no álbum The Blueprint, de Jay-Z, assim como por hits para outros cantores como Alicia Keys, Ludacris, Janet Jackson e outros. Atualmente, como cantor, Ye é o 9º artista que mais vendeu músicas em formato digital,[6] além de ter ganhado vários prêmios, incluindo um total de 22 Grammys,[6] sendo assim o maior rapper da história da premiação. Seu estilo de produção originalmente consistia de samples vocais agudos de músicas soul incorporados à sua própria percussão e instrumentos. Contudo, em produções subsequentes, ele aumentou sua paleta musical e expressou influências que abarcam R&B dos anos 70, baroque pop, trip hop, arena rock, folk, música alternativa, música eletrônica, synthpop e música clássica.[7][8]

Ye
Informação geral
Nome completo Ye
Também conhecido(a) como
  • Ye

Kanye West

  • Yeezy
  • Saint Pablo
  • The Louis Vuitton Don
  • Yeezus
Nascimento 8 de junho de 1977 (44 anos)
Origem Atlanta, Georgia
País Estados Unidos
Gênero(s) Hip hop, hip hop alternativo
Ocupação(ões)
Cônjuge Kim Kardashian (c. 2014; div. 2021)
Filho(s) North West
Saint West
Chicago West
Psalm West
Instrumento(s)
Período em atividade 1996-presente
Outras ocupações
Gravadora(s)
Afiliação(ões)
Página oficial Sítio oficial

Ye lançou o seu álbum de estreia The College Dropout em 2004, seu segundo álbum Late Registration em 2005, seu terceiro álbum Graduation em 2007, o quarto álbum 808s & Heartbreak em 2008, o quinto álbum My Beautiful Dark Twisted Fantasy em 2010, o sexto álbum Yeezus em 2013, o sétimo álbum The Life of Pablo em 2016, seu oitavo álbum Ye em 2018, o seu nono álbum Jesus is King em 2019 e o seu décimo álbum Donda em 2021. Lançou também os álbuns colaborativos Watch The Throne, com Jay-Z em 2011, e Kids See Ghosts com Kid Cudi em 2018. Muitos de seus trabalhos receberam críticas positivas,[9] ganhando vários prêmios, incluindo um total de 22 Grammys.[10] Todos seus álbuns obtiveram bastante sucesso comercial, com 808s & Heartbreak se tornando seu terceiro álbum número um consecutivo, aquando da estreia, nos Estados Unidos. Ye também é dono da G.O.O.D. Music,[11] seu selo de gravação próprio, que possui contratos com artistas como John Legend, Big Sean, Pusha T e Teyana Taylor. O mascote e marca registrada de Ye é o "Dropout Bear", um urso de pelúcia que aparece na capa de três de seus sete discos solos, assim como em várias capas de singles e videoclipes.

Em setembro de 2018, o rapper anunciou na sua conta oficial do Twitter que iria mudar o seu nome artístico para "Ye" por motivos espirituais.[12] Em outubro de 2021, conseguiu mudar seu nome oficialmente para Ye, sem qualquer sobrenome, com autorização judicial, alegando "motivos pessoais" para realizar a mudança.[13]

Em 7 de abril de 2020, Ye anunciou a sua candidatura à Casa Branca, depois de ter apoiado anteriormente Donald Trump.[14] Ele se candidatou numa campanha presidencial independente que lutava por uma vida consistente e ética.[15][16] Sua fé cristã, assim como seu casamento com a celebridade Kim Kardashian, também foram fontes de atenção da mídia.[17][18] Como estilista, ele já fez colaboração com Nike, Louis Vuitton e A.P.C, no segmento de roupas e calçados. A mais proeminente delas foi Yeezy, resultado de uma colaboração com a Adidas começando em 2013. Ele é o fundador e o líder da seção criativa da empresa DONDA.[19]

Ye é um dos artistas que mais vendeu discos do mundo, com mais de 160 milhões de cópias vendidas pelo mundo inteiro. Ele ganhou o total de 22 Grammy Awards, sendo um dos artistas mais premiados de todos os tempos.[20]

BiografiaEditar

 
Ye em concerto de 2007

A maioria das biografias e trabalhos afirmam que West nasceu em 8 de junho de 1977, em Atlanta, Geórgia, porém algumas fontes dizem que o artista nasceu em Douglasville, uma cidade que fica ao oeste de Atlanta.[21][22] "Kanye" significa "o único" em suaíli.[23] Com o divórcio dos pais, aos três anos de idade, Ye se mudou com a mãe para Chicago, Illinois.[24][25] Seu pai é Ray West, um ex-membro dos Panteras Negras que foi um dos primeiros fotojornalistas negros do Atlanta Journal-Constitution e hoje é um conselheiro espiritual cristão,[26] além de ser dono do comércio Good Water Store and Café em Lexington Park, Maryland, com ajuda de seu filho.[27] A mãe de Ye, Dr. Donda West,[28] foi professora de inglês na Clark Atlanta University e trabalhou como professora no departamento de inglês da Chicago State University antes de se aposentar para virar empresária do filho. Ela também escreveu o livro "Raising Kanye", onde conta como era a vida com o Ye. West foi criado no bairro suburbano de Oak Lawn, em Illinois, antes de se mudar para Chicago.[29] O artista credita sua natureza feminina à criação de sua mãe. Com 10 anos, Ye e sua mãe se mudaram para Nanjing, China, onde ela começou a dar aula em uma escola da região, em um projeto de intercâmbio dos Estados Unidos.[30] De acordo com Donda, Ye era o único estrangeiro em sua sala, mas ele se adaptou bem e aprendeu a língua rapidamente, porém desde lá ele já se esqueceu da maioria do aprendizado.[31]

Ye foi um estudante de arte na American Academy of Art em Chicago e também se matriculou na Chicago State University, porém desistiu para se focar na sua carreira musical.[32] Enquanto estava na escola, Ye produzia para artistas locais. Ele posteriormente ganhou fama por produzir hit singles para grandes artistas de hip-hop e R&B, incluindo Jay-Z, Talib Kweli, Cam'ron, Paul Wall, Common, Mobb Deep, Jermaine Dupri, Scarface, The Game, Alicia Keys, Janet Jackson e John Legend, entre outros. Ele também foi "produtor-fantasma" para seu mentor Deric Angelettie segundo a música "Last Call", de Ye, assim como na música "Poppa Was a Playa" do rapper Nas, onde apareceu nos créditos.[33]

1996-2003: Início da carreiraEditar

Ye começou a produzir sob a tutela de seu mentor, o produtor No I.D., que na época produzia para artistas como Common.[34] Foi ele que, inicialmente, encorajou West a samplear hits antigos de soul. Suas primeiras produções profissionais, em 1996, foram para Down to Earth, álbum de estreia do rapper Grav, de Chicago.[35] West produziu oito faixas para o álbum. Embora o álbum não tenha atraído muita atenção e fosse o único a ser lançado por Grav, West logo passou a produzir para artistas de maior calibre. Kanye também lançou mixtapes, sendo Freshmen Adjustment a mais conhecida. Em 1998-99 ele produziu para artistas bastante conhecidos nos Estados Unidos, como Jermaine Dupri, Foxy Brown, Goodie Mob e o grupo Harlem World.

A grande oportunidade de Kanye veio em 2000, quando passou a produzir para artistas da Roc-A-Fella Records.[36] Ele produziu a música "This Can't Be Life" de Jay-Z, positivamente recebida por críticos, do álbum The Dynasty: Roc La Familia. Esse evento foi documentado no outro de "Last Call", de seu álbum chamado The College Dropout. West depois afirmou que para criar a batida de "This Can't Be Life", ele acelerou a percussão da música "Xxplosive" de Dr. Dre.

Após produções anteriores para Jay-Z, o som de West foi bastante destacado no álbum The Blueprint, de Jay-Z, sucesso de críticas e lançado em 11 de setembro de 2001.[37] Kanye trabalhou nos singles principais "Izzo (H.O.V.A.)" e "Heart of the City (Ain't No Love)" e na faixa diss "Takeover", direcionada a Nas e Mobb Deep; após o lançamento da faixa, West continuou a trabalhar tanto com Nas como com Mobb Deep.

Depois de grande sucesso comercial e críticas positivas pela sua produção em The Blueprint, West tornou-se um produtor de alto valor na indústria do hip-hop, mesmo antes de se tornar famoso como rapper e artista solo. Entre 2000 e 2003, produziu para artistas como Nas, Scarface, Talib Kweli, Mos Def, T.I., Ludacris, DMX e muitos outros.[38] Continuou produzindo para artistas da Roc-A-Fella Records e contribuiu em quatro faixas para o álbum The Blueprint²: The Gift & the Curse, lançado por Jay-Z após The Blueprint.

Posterior ao seu sucesso como produtor musical, West agora procurava seguir carreira como rapper e artista solo, mas encontrava dificuldades em conseguir um contrato com um estúdio de gravação.[39] Jay-Z admitiu que a Roc-A-Fella estava inicialmente relutante em apoiar Kanye como rapper, afirmando que via ele somente como um produtor.[40][41] Várias companhias de gravação acreditavam que ele não se enquadrava na imagem de um rapper. Começando em sua carreira como rapper, Kanye West fez um verso no álbum The Blueprint²: The Gift & the Curse de Jay-Z, do mesmo selo de gravação com o qual assinou contrato como rapper.

The College Dropout (2004)Editar

Em 23 de outubro de 2002, Ye se envolveu em um acidente de carro quase fatal após acidentalmente dormir enquanto dirigia a caminho de casa do estúdio de gravação.[42] O acidente esmagou sua mandíbula, que teve que ser fechada em uma cirurgia reconstrutiva. O outro motorista quebrou as duas pernas.[43] O acidente, serviu de inspiração para o primeiro single de West, "Through the Wire".[44] Kanye gravou a música no estúdio Record Plant, enquanto a sua mandíbula ainda estava fechada. Na música, West expressa um pouco do acidente, e ajudou a solidificar seu álbum de estreia, dizendo "todos os artistas melhores expressaram o que eles estavam passando".[45][46] A fé de West é aparente em várias de suas músicas, como em "Jesus Walks", sempre utilizada em performances beneficentes, como no concerto Live 8. Ambas as músicas estão no álbum de estreia de Kanye, The College Dropout, lançado sob o selo Roc-A-Fella Records em fevereiro de 2004, recebendo críticas positivas. O álbum definiu o estilo pelo qual Kanye ficaria conhecido, que inclui trocadilhos e sampling. O álbum foi certificado tripla platina. Artistas convidados incluem Jay-Z, Ludacris, GLC, Consequence, Talib Kweli, Mos Def, Common e Syleena Johnson.[47] O álbum também conta com os singles "All Falls Down" e "The New Workout Plan", assim como "Slow Jamz", single número um do rapper Twista. Durante 2003, West também co-produziu para a cantora britânica Javine Hylton, até aparecendo em um videoclipe como interesse romântico de Javine.

Kanye se envolveu em uma disputa financeira com o rapper Royce Da 5'9" por conta da batida de sua música "Heartbeat", produzida por West e lançada em Build & Destroy: The Lost Sessions. West afirma que Royce nunca pagou pela batida, mas ainda assim gravou com ela e lançou a música; ouvindo o rapper na batida, os compradores originais decidiram não comprá-la a West. Após o episódio, West jurou nunca mais trabalhar com Royce. Outros hit singles produzidos por Kanye West durante o período de lançamento de The College Dropout incluem "I Changed My Mind" de Keyshia Cole, "Overnight Celebrity" de Twista e "Talk About Our Love" de Brandy.

Late Registration (2005)Editar

 
West e Jamie Foxx cantando "Gold Digger" na Democratic Convention em Denver, Colorado

Seguindo um caminho mais eclético, Kanye colaborou com o compositor cinematográfico americano Jon Brion para construir seu segundo álbum, Late Registration, lançado em 30 de agosto de 2005. Assim como seu predecessor, o álbum obteve respostas positivas universais de críticos.[48][49][50][51] Late Registration foi primeiro em incontáveis pesquisas de crítica e foi considerado melhor álbum do ano por várias publicações, incluindo o USA Today, Spin e a revista Time. A edição norte-americana da revista Rolling Stone premiou o álbum com a posição mais alta na sua lista de álbuns de fim de ano e o elogiou como um "clássico extremamente generoso e absurdamente virtuoso". O álbum foi número um na pesquisa de crítica Pazz & Jop da Village Voice, em 2005, pelo segundo ano consecutivo. Late Registration foi também um sucesso comercial, vendendo mais de 860 mil cópias na sua primeira semana de vendas e chegando ao topo da Billboard 200. Com 2,3 milhões de unidades vendidas somente nos Estados Unidos ao fim do ano, Late Registration foi considerado o único álbum de grande sucesso, quando do lançamento, da primavera de 2005, temporada marcada por vendas decrescentes de CDs. O álbum foi indicado a oito prêmios Grammy, incluindo Álbum do Ano e Música do Ano por "Gold Digger". O álbum foi certificado tripla platina.

Em 25 de agosto de 2005 o especial da MTV All Eyes on Kanye West foi emitido. Neste, Kanye se posicionou contra a homofobia no hip-hop, afirmando que hip-hop sempre se tratou de "falar o que está na sua mente e quebrar barreiras, mas todos no hip-hop discriminam os gays".[52] Ele então refletiu sobre uma experiência pessoal. West afirmou que foi um "ponto decisivo" quando percebeu que um de seus primos era gay. Sobre a experiência, ele disse: "Este é meu primo. Eu o amo e eu estive discriminando os gays." Ele traçou uma comparação entre a luta de Afro-Americanos por direitos civis e os atuais movimentos de direito dos gays.[53] No ano seguinte, em uma entrevista para a revista norte-americana Entertainment Weekly, West expandiu sobre suas experiências com e sua opinião sobre a relação entre as comunidades negras e gays.

Em setembro de 2005, West anunciou que lançaria a sua linha de roupas, Pastelle Clothing, no outono de 2006: "Agora que tenho um Grammy no bolso e Late Registration está acabado, estou pronto para lançar minha linha de roupas na próxima primavera [do hemisfério norte]."[54] No mesmo ano, West produziu os singles "Go" para Common e "Dreams" para The Game.[55][56]

Graduation (2007)Editar

Em 2007, foi anunciado que West estrelaria uma série televisiva dirigida por Larry Charles. Ele tem trabalhou no episódio piloto nos durante dois anos com Larry Charles e Rick Rubin. Ele também disse em 14 de Janeiro: "Eu não faria algo tão clichê como um reality show. Pelo menos me dê o crédito por ser mais criativo que isso. É uma comédia situacional de meia hora. É fictícia e vagamente baseada na minha vida." West também colaborou com o grupo japonês de hip-hop Teriyaki Boyz para produzir o single "I Still Love H.E.R.", uma referência ao single de 1994 "I Used To Love H.E.R.", de Common. Além disso, durante uma aparição no rádio no início de 2007, West, como muitos de seus colegas, gravou um freestyle improvisado à popular música "Throw Some D's". A música, que para todos os outros rappers era sobre aros automobilísticos, foi usada por West para fazer uma referência cômica a seios. Por conta do sucesso inesperado da música, West fez um vídeo para o freestyle, no qual ele interpreta um primo velho.

 
West e Billy Dec

West também contribuiu em uma nova música chamada "Classic (Better Than I've Ever Been)". Acreditava-se que fosse um single para Graduation, já que ele estava na música, porém a empresa Nike logo explicou que a música havia sido gravada para o aniversário do tênis Nike Air Force 1. A música deveria ser apenas uma faixa exclusiva da companhia.

Em 25 de março de 2007, Kanye e seu pai Ray West apoiaram o Dia Mundial da Água em uma caminhada. Após um hiato de dois anos, West retornou como colunista de moda na revista Complex. Em 7 de julho de 2007, West realizou uma performance com o The Police e John Mayer em Nova Iorque, para o concerto mundial Live Earth. West foi apresentador da edição de 17 de Agosto do The Friday Night Project, show televisivo britânico de comédia e variedades.

Em julho de 2007, West mudou a data de lançamento de Graduation, seu terceiro álbum, de 18 de setembro de 2007 para a mesma data de lançamento do álbum Curtis, de 50 Cent, em 11 de setembro de 2007. 50 Cent então afirmou que se Graduation vendesse mais cópias que Curtis, ele iria parar de fazer álbuns solo. Contudo, 50 Cent depois negou o comentário. O álbum foi certificado dupla platina. Artistas convidados incluem T-Pain, Mos Def e Lil Wayne.

Em 26 de agosto de 2007, West apareceu como ele mesmo no show televisivo Entourage da HBO, o qual ele utilizou como plataforma para estrear seu novo single "Good Life" durante os créditos finais. Em 9 de Setembro de 2007, Kanye realizou uma performance no MTV Video Music Awards de 2007, perdendo em todas as categorias em que foi indicado; em seguida, ele discursou furiosamente (ver seção "Controvérsias").

Após a situação da MTV, West foi indicado em oito categorias diferentes para a quinquagésima edição dos Grammys. Ele ganhou em quatro delas, incluindo Melhor Álbum de Rap para Graduation e Melhor Performance Solo de Rap para "Stronger" de Graduation. Durante a cerimônia televisionada de quatro horas de duração, West cantou duas músicas: "Stronger" (com Daft Punk) e "Hey Mama" (em reverência à sua mãe recentemente falecida).

Glow in the Dark Tour, 808s & Heartbreak (2008-09)Editar

 
West em concerto em 2008

West iniciou o tour Glow in the Dark em Seattle, na Key Arena, em 16 de abril. O tour havia sido previamente planejado para terminar em Junho, em Cincinnati, mas foi estendido até Agosto. Durante o curso do tour, vários artistas abriram para Kanye, incluindo Lupe Fiasco, Rihanna, N.E.R.D., DJ Craze e Gnarls Barkley. Em 15 de Junho, West estava agendado para uma performance de madrugada no Bonnaroo Music Festival; sua performance começou quase duas horas atrasada e durou metade do tempo esperado, irritando muitos fãs na plateia. West depois escreveu um post em seu blog, indignado, culpando os organizadores do festival e a performance anterior do Pearl Jam, que durou mais do que deveria.

Em 7 de setembro, West debutou a nova música "Love Lockdown" no MTV Video Music Awards de 2008. "Love Lockdown" não contém rap, somente partes cantadas que utilizam a ferramenta auto-tune. A música aparece no quarto álbum de estúdio de Kanye, 808s & Heartbreak. Era esperado que o novo álbum fosse lançado em 16 de Dezembro de 2008, porém West anunciou em seu blog, em 24 de Setembro de 2008, que ele já havia acabado o álbum e que o lançaria em meados de Novembro, mais cedo do que o anteriormente planejado. No início de Outubro, West fez uma aparição surpresa em um concerto do rapper T.I. em Los Angeles, onde ele afirmou que 808s & Heartbreak estava agendado para lançamento em 25 de novembro, embora tenha sido lançado, na realidade, em 24 de Novembro, além de afirmar que o segundo single do álbum era "Heartless". O álbum foi outro número um para West, mesmo que na primeira semana o número de vendas tenha sido menor que o de Graduation, com 450 145 unidades vendidas.

Junto com Alicia Keys, Rihanna, Taylor Swift, Leona Lewis e outros, West cantou na cerimônia do American Music Awards em 23 de novembro. Na mesma noite, ganhou dois prêmios AMA incluindo Álbum Favorito de Rap/Hip-Hop por Graduation e Artista Masculino Favorito de Rap/Hip-Hop. West realizou uma performance na Democratic National Convention em Denver em agosto de 2008, juntamente com Wyclef Jean e N.E.R.D., em apoio a Barack Obama. Em 20 de janeiro de 2009, Kanye West cantou no Youth Inaugural Ball, apresentado pela MTV, para a inauguração da presidência de Barack Obama.

Em 17 de fevereiro de 2009, Kanye foi nomeado um dos Top 10 Homens Mais Estilosos da América pela revista norte-americana GQ. No dia seguinte, em 18 de fevereiro de 2009, West ganhou o prêmio de Artista Internacional Homem Solo no Brit Awards. Ele não estava presente, mas aceitou seu prêmio com um discurso em vídeo, onde diz que "Barack é o 'Melhor Homem Interracial' mas eu sou orgulhoso de ser o Melhor Homem Internacional do mundo".

Em abril de 2009, Kanye West gravou uma música chamada "Hurricane" com a banda 30 Seconds to Mars para o seu álbum This is War, porém ela não foi lançada devido a problemas legais entre as duas gravadoras. O líder de 30 Seconds to Mars, Jared Leto, disse que a música será lançada em algum momento.

Em novembro de 2009, Kanye West viu a sua canção "Amazing", onde atuou com Young Jeezy, ser inserida no videojogo NBA 2K10, que recebeu muita adoração por parte dos seus jogadores.

My Beautiful Dark Twisted Fantasy (2010-2011)Editar

Em maio de 2010 West fez uma aparição animada como convidado da série de televisão animada The Cleveland Show como a voz de "Kenny West", um rival do filho de Cleveland Brown. Em seu primeiro episódio, ele disputou com o filho de Cleveland em uma batalha de rap. Os produtores afirmaram que trabalhar com West foi uma experiência muito boa e o motivo para que o escolhessem foi porque sabiam que Kanye era um fã de Family Guy. Kenny West reapareceu no episódio de estreia da segunda temporada de The Cleveland Show.

West passou a primeira metade de 2010 em Honolulu, no Havaí, trabalhando no seu novo álbum com o título provisório "Good Ass Job", depois confirmado como My Beautiful Dark Twisted Fantasy, lançado em 16 de novembro de 2010. West já havia discutido este quarto álbum antes de 808s & Heartbreak. Ele citou Maya Angelou, Gil-Scott Heron e Nina Simone como inspirações musicais para o álbum. A produção externa venho de RZA e Q-Tip, e outros envolvidos na produção do álbum, incluindo Pete Rock e DJ Premier. Conta-se que West fez com que Justin Vernon viesse de avião para o seu estúdio em Oahu, após aparentemente mostrar interesse em samplear uma das músicas de Bon Iver.

Em 28 de maio, o primeiro single do álbum, "Power" com participação do cantor Dwele, vazou na Internet. Em 30 de junho, a faixa foi oficialmente lançada através do iTunes. Em seguida, um vídeo para "Power", dirigido pelo artista Marco Brambilla, foi publicado na Internet. O vídeo, contudo, não é um videoclipe, mas sim um acompanhamento visual para cerca do primeiro minuto da música. West chamou o vídeo de "o retrato visual do poder".

Em 12 de setembro de 2010, Kanye cantou uma nova música, "Runaway", com participação do rapper Pusha T, no MTV Video Music Awards. A música, single do próximo álbum de West, foi posteriormente liberada para download através do iTunes. Pouco depois da performance, Kanye revelou estar trabalhando em um filme curto de 40 minutos baseado na música. Também afirmou que o filme foi influenciado pelo gênero noir cinematográfico e é sobre uma fênix caída por quem ele se apaixona.

No final de julho, West criou uma conta no Twitter, embora tenha afirmado anteriormente que não faria uso da rede social. Através de seu Twitter, West criou um movimento chamado GOOD Fridays, onde prometeu lançar uma nova música para download grátis, a cada sexta-feira, até o Natal. A primeira música, o remix oficial de "Power", com participação de Jay-Z e Swizz Beatz, foi liberada em 13 de agosto de 2010. Foram liberadas quinze músicas. Todas apresentam vários artistas convidados que incluem Jay-Z, Swizz Beatz, Rick Ross, Bon Iver, Nicki Minaj, Raekwon, Common, Pusha T, Kid Cudi, Big Sean, Charlie Wilson, Mos Def, RZA, Cyhi The Prince, John Legend, Lloyd Banks e Ryan Leslie. West também afirmou através de sua conta no Twitter que fará parte de um álbum colaborativo de doze músicas com Jay-Z intitulado Watch the Throne.

Uma semana depois de estrear seu novo single "Otis", Jay-Z e Kanye West se uniram para formar um grupo chamado The Throne e anunciar sua nova turnê intitulada Watch the Throne Tour, dando início em Setembro 22, em Detroit. No dia 8 de agosto, os bilhetes para a turnê, foram disponibilizados nos sites "Ticketmaster.com" e "LiveNation.com". Fãs que compraram os ingressos pela internet receberam uma cópia digital do álbum.

Watch The Throne foi disponibilizado para venda dia 8 de agosto de 2011 e recebeu criticas variadas, a maior parte positivas.

Cruel Summer, Yeezus (2012-2013)Editar

Em 13 de setembro de 2012, Kanye West lançou junto com sua gravadora GOOD Music, um álbum de compilação intitulado Cruel Summer. O álbum contém 12 faixas, todas elas com participações dos membros da gravadora, e também de outros artistas. Kid Cudi que na época era um dos principais membros da GOOD Music, aparece em apenas uma música, chamada "Creepers". O álbum contém quatro singles, todos eles entraram na Billboard 200.

Em fevereiro de 2013 após um concerto em Paris, Kanye revelou que estava trabalhando em um novo disco de faixa inéditas e que "estaria de volta num espaço de alguns meses". Mais tarde, foi revelado que o músico teria se mudado para a cidade francesa Paris para trabalhar no novo álbum. Thomas Bangalter do duo Daft Punk, que produziu duas das canções, avaliou o processo como sendo "muito cru". S1, The Heatmakerz, Skrillex, Young Chop, Chief Keef, Frank Ocean, Odd Future, Travis Scott, King L, John Legend, James Blake, RZA, Mase e Pusha T foram alguns dos outros nomes que foram referidos como presença assídua no plano de trabalho de West.

No dia 1 de maio de 2013 West recorreu à sua conta oficial no Twitter para colocar a mensagem "June Eighteen (Dezoito de junho)", fazendo com que as mídias especulassem que poderia ser uma referência à data de lançamento do próximo disco do artista. No dia 17 do mesmo mês, Kanye iniciou a promoção ao revelar uma música nunca antes lançada intitulada "New Slaves" através de projeções de vídeo em sessenta e seis locais variados. No dia seguinte, o cantor fez uma participação no programa Saturday Night Live e interpretou ao vivo o tema, e ainda, outra faixa inédita intitulada "Black Skinhead", ambas com participações vocais ao vivo do cantor de R&B Charlie Wilson. Mais tarde, foi revelado na sua página oficial o título do álbum e a respectiva capa. A loja digital iTunes disponibilizou Yeezus para pré-venda dia 20 de Maio, listando catorze faixas sem título; contudo, foi removido logo em seguida. Ainda durante o mês, Jean Touitou, fundador da marca francesa A.P.C., revelou que iria existir uma campanha promocional para a edição do disco. Num comercial para esse efeito, era possível ler-se "sem pré-compras, compre por favor". Numa festa de divulgação do trabalho, West revelou que o disco iria conter dez faixas. O álbum intitulado Yeezus foi lançado dia 18 de junho de 2013. O título do álbum é um trocadilho, é a mistura do nome Yeezy (apelido de Kanye West), com o nome Jesus (o messias do cristianismo). Além do polêmico nome, o álbum também contém uma polêmica faixa, intitulada "I Am God" onde Kanye se descreve como um deus.

The Life Of Pablo (2016)Editar

Em novembro de 2013, Kanye West começou a trabalhar na criação de seu sétimo disco.[1][2] O trabalho recebeu inicialmente o nome So Help Me God e tinha lançamento previsto para 2014.[3] Essa versão inicial do álbum nunca se materializou, mas várias das faixas foram posteriormente lançadas como singles independentes ou gravadas por outros artistas, entre elas "God Level" (divulgada num promo da Adidas para a Copa do Mundo de 2014),[4][57] "All Day", "Only One", "FourFiveSeconds", "Tell Your Friends" (concedida a The Weeknd) e "3500" (concedida a Travis Scott).[5] Em fevereiro de 2015, as únicas canções conhecidas que pareciam ter permanecido nos plano de Kanye eram "Famous" (antes chamada "Nina Chop") e "Wolves", com a qual, no dia 15 daquele mês, Kanye se apresentou no Saturday Night Live em conjunto com Vic Mensa e Sia.[58]

Em maio de 2015, West renomeou o disco para SWISH, esclarecendo que o título do trabalho ainda poderia ser modificado, ainda anunciando a estreia da terceira linha de Yeezy no Madison Square Garden.[59] Em 26 de janeiro de 2016, Kanye postou em sua conta no Twitter a então lista de faixas final[8] juntamente com uma nova mudança no título do álbum, que passou ser Waves.[9][10] Em 4 de fevereiro, o artista, em entrevista na rádio Big Boy's Neighborhood, confessou que ainda não havia decidido o título definitivo.[11] Em 9 de fevereiro, West revelou, num tweet, uma nova troca, cuja sigla era T.L.O.P., oferecendo bilhetes gratuitos de entrada no próximo evento Yeezy Season e um par da coleção Adidas Yeezy a quem adivinhasse o significado da sigla. No dia seguinte, o nome The Life of Pablo foi divulgado, também via Twitter.[12] Kanye compartilhou a capa do disco na mesma rede social em 11 de fevereiro.[13] Em 14 de fevereiro de 2016, Kanye West finalmente lançou seu sétimo álbum de estúdio, chamado The Life Of Pablo. Primeiramente, o álbum foi lançado exclusivamente na plataforma Tidal.[60] O álbum foi lançado com dezoito faixas, mas sofreu duas atualizações, tendo sua versão final, com vinte faixas.

Em fevereiro de 2016, West afirmou no Twitter que ele estava planejando lançar outro álbum no verão de 2016, inicialmente chamado "Turbo Grafx 16" em referência ao console de jogos da década de 90 do mesmo nome.[61] Em junho de 2016, West lançou o single colaborativo nomeado "Champions", do albúm de GOOD Music "Cruel Winter", que ainda iria ser lançado.[62][63]

O álbum contém uma polêmica faixa chamada "Famous" com participação de Rihanna. A polêmica está no verso de Kanye, em que ele diz que ainda quer fazer sexo com a cantora Taylor Swift. A polêmica aumentou, quando West lançou o clipe da música, que contém bonecos de artistas pelados, deitados em uma cama. Entre os artistas estão: O cantor Ray J, o milionário e político Donald Trump, a cantora Taylor Swift, o comediante Bill Cosby e o ex-presidente George W. Bush.[64]

Em 25 de agosto de 2016, Kanye iniciou a sua turnê mundial, a Saint Pablo Tour.[65] A turnê incluía uma plataforma móvel que era pendurada no telhado.[66] Na passagem da turnê em Paris, a mulher de Kanye West sofreu um assalto violento no quarto de um hotel. O assalto causou trauma na família de Kanye, e a turnê sofreu uma pausa por tempo indeterminado.[67] Em 21 de novembro de 2016, West cancelou as 21 datas restantes do Saint Pablo Tour, seguida de uma semana sem shows, com apresentações encurtadas e discursos sobre política.[68] Logo após, Kanye entrou em uma observação psiquiátrica no centro médico da UCLA.[69][70] Ele continuou hospitalizado durante o dia de ação de graças por causa de uma psicose temporária, derivada de deprivação de sono e desidratação extrema.[71] Seguindo esse episódio, West ficou 11 meses longe das redes sociais e do público em geral.[72]

Jesus Is King e DONDA (2019 – presente)Editar

Em 6 de janeiro de 2019, West iniciou sua orquestração semanal do "Sunday Service", que inclui variações de alma das músicas de West e de outras pessoas assistidas por várias celebridades, incluindo as Kardashians, Charlie Wilson e Kid Cudi.[73] West divulgou uma nova música, "Water" em sua performance de orquestração "Sunday Service" no segundo final de semana do Coachella.[74]

Em 25 de outubro de 2019, ele lançou Jesus Is King, um álbum de hip hop cristão.[75] Nas paradas americanas, o álbum se tornou o primeiro a chegar ao topo da Billboard 200, álbuns de R&B/Hip-Hop, álbuns de rap, álbuns cristãos e álbuns gospel ao mesmo tempo.[76] Ele também fez uma colaboração com Vanessa Beecroft em duas óperas, Nabucodonosor e Maria.[77][78] Em 25 de dezembro de 2019, West e Sunday Service lançam Jesus Is Born, contendo 19 músicas, incluindo vários retrabalhos de músicas antigas do Ocidente.[79]

Em 30 de junho de 2020, West lançou o primeiro single do seu décimo álbum de estúdio DONDA, intitulado "Wash Us in the Blood". Apresenta Travis Scott e desenha semelhanças com o som do seu álbum de 2013 Yeezus.[80]No entanto, em setembro de 2020, West declarou que não iria lançar mais música até que "terminasse o seu contrato com a Sony e a Universal"[81], num protesto no Twitter sobre contratos de empresas discográficas, pagamentos a artistas e músicos, e o tópico da propriedade dos seus mestres. Em 16 de outubro, lançou o single "Nah Nah Nah". No dia 29 de outubro, um remix foi apresentado no Twitter, com os rappers americanos DaBaby e 2 Chainz.[82][83] No dia 25 de dezembro de 2020, exatamente um ano após o lançamento de "Jesus is Born", o Sunday Service de Kanye lançou um novo EP intitulado Emmanuel. O mini-álbum, produzido executivamente por West, consiste em 5 canções inteiramente em latim baseadas no estilo do canto gregoriano. Nessa mesma data, foi lançado o álbum de Playboi Carti, chamado Whole Lotta Red, tendo West servido como produtor executivo do álbum[84] e aparecendo na faixa "Go2DaMoon".

Em 7 de março de 2021, Cyhi the Prynce declarou numa entrevista com VladTV que West tinha mais uma vez começado a trabalhar no seu próximo álbum no meio do seu divórcio com Kim Kardashian. Em 17 de julho, Consequence publicou um vídeo de West no estúdio com Tyler, the Creator no Instagram. A legenda do post sugeria o lançamento de um álbum no final de 2021.

Em 19 de julho de 2021, o rapper americano Pusha T anunciou na Instagram que West iria realizar um evento de audição para o álbum em 22 de julho no Estádio Mercedes-Benz em Atlanta. No dia seguinte, Beats Electronics estreou um anúncio durante o jogo 6 das finais da NBA 2021 com a atleta Sha'Carri Richardson, editado e marcado por West usando a faixa "No Child Left Behind". O produtor francês Gesaffelstein declarou mais tarde que produziu a canção, que apresentava Cory Henry tocando o órgão. Imediatamente após a estreia do anúncio, Def Jam Recordings confirmou a data de lançamento do álbum em 23 de julho e revelou que o evento de audição em Atlanta seria globalmente transmitido ao vivo pela Apple Music. O álbum acabou por não ser lançado nessa data.

Após a festa de audição de 22 de julho no Estádio Mercedes-Benz, West tinha assumido residência temporária num dos balneários do estádio, convertendo-o em um estúdio de gravação para terminar a gravação e mixar com Mike Dean. Vídeos e fotografias afixados nos meios de comunicação social também mostraram os artistas Playboi Carti e 2 Chainz gravando vocais no vestiário um dia antes da festa de audição.[85][86][87][88] Uma segunda festa de audição no Estádio Mercedes-Benz teve lugar em 5 de agosto de 2021, com West afirmando que o álbum será lançado no mesmo dia,[89][90][91][92] embora isto não se tenha materializado.[93] No dia 13 de agosto de 2021, algumas músicas que possivelmente fazem parte de DONDA começaram a tocar em algumas rádios dos Estados Unidos, como "Pure Souls", "Off The Grid" e "Hurricane". [94][95][96]

Estilo musical e influênciasEditar

 
West no estúdio com seu mentor No I.D. (à esquerda)

No início de sua carreira, a produção musical de Kanye West comumente utilizava samples vocais agudizados, geralmente de músicas soul, com sua própria percussão e instrumentos. Seu primeiro grande lançamento com seu característico estilo de sampling vocal foi "This Can't Be Life", uma faixa do álbum de The Dynasty: Roc La Familia de Jay-Z. West afirmou ter acelerado a percussão de "Xxplosive", de Dr. Dre, como alternativa à sua percussão em "This Can't Be Life".

West disse que o produtor RZA do grupo Wu-Tang Clan o influenciou, e falou em várias ocasiões que os rappers Ghostface Killah e Ol' Dirty Bastard, do Wu-Tang, foram alguns de seus favoritos de todos os tempos. Kanye disse:

O próprio RZA fala positivamente das comparações:

Seguindo o sucesso comercial e de crítica de sua estreia em The College Dropout, West experimentou com o seu estilo de produção nos álbuns seguintes. Em Late Registration durante o qual colaborou com o compositor de filmes Jon Brion, Kanye apresentou um approach mais "cinematográfico" ao som do hip-hop, combinando seu estilo de sampling característico com instrumentos de sopro, loops de piano, arranjos de cordas e vários outros elementos orquestrais para produzir instrumentação rica, em múltiplas camadas. Seu estilo evoluiu ainda mais durante a concepção de Graduation, onde fez uso pesado de batidas orientadas por sintetizadores e efeitos sonoros futurísticos, se distanciando dos samples de soul e optando por variedades mais ecléticas de interpolação de artistas que vão desde Elton John e Michael Jackson até Daft Punk e Public Enemy.

Mesmo tendo uma ocupação como produtor e depois como rapper, West demonstrou um interesse crescente em cantar durante a sua carreira. Os primeiros indícios podem ser encontrados em The College Dropout, em "Spaceship", faixa com um refrão melódico de West meio-cantado, meio-rap, estilo empregado pela primeira vez por ODB e Ghostface Killah, seus rappers favoritos. Na metade de 2008, enquanto participava de singles de vários outros artistas, West começou a cantar versos com o efeito auto-tune em "Put On", de Young Jeezy, e sem, em "Everybody", de Fonzworth Bentley. Isso finalmente culminou no lançamento de "Love Lockdown", single principal do quarto álbum de Kanye, 808s & Heartbreak. A música é o primeiro single solo de West a apresentar virtualmente nenhum rap, sendo, ao invés, totalmente cantada com o efeito auto-tune.

 
West acompanhado por uma orquestra de câmara

Apesar de seu uso de sampling ter diminuído com o passar do tempo, a produção de West continua a apresentar arranjos de corda distintos e complexos. Essa característica surgiu após ouvir o grupo inglês de trip-hop Portishead, cujo álbum ao vivo Roseland NYC Live, gravado em 1998 com a Orquestra Filarmônica de Nova York, o inspirou a incorporar violinos à sua produção de hip-hop. À época da gravação de seu álbum de estreia, Kanye só tinha condições de pagar por notas de violino fornecidas pelo violinista israelita Miri Ben-Ari; contudo, isso mudou com o sucesso posterior do disco, criando condições para que contratasse sua própria orquestra de cordas, composta de onze instrumentos. Durante algum tempo, West foi o único pop star a viajar em tour com uma orquestra de cordas.

Kanye afirmou em várias ocasiões que, quando não está trabalhando, prefere ouvir rock ao invés de hip-hop. Ele cita Franz Ferdinand, Red Hot Chili Peppers e The Killers como alguns de seus grupos musicais favoritos. Adicionalmente, em Graduation, West se inspirou em bandas de arena rock como U2, The Rolling Stones e Led Zeppelin para criar melodias e progressões harmônicas. Tanto um fã como um apoiador da cultura indie, West utiliza seu website para promover bandas de indie rock pouco conhecidas, postando vídeos musicais e MP3s diariamente. A afinidade musical é mútua, e West já colaborou com artistas indie como Santigold, Peter Bjorn and John e Lykke Li, e incontáveis covers de suas músicas foram realizados por uma miríade de bandas de rock.

FilantropiaEditar

Ye criou a "Kanye West Foundation", em Chicago, em 2003. Em 24 de agosto de 2007,ele apresentou o concerto beneficente inaugural para lançar a parceria da fundação com a Strong American Schools. O foco da organização é ajudar crianças de origem latina e afro-americana a continuarem na escola e a receberem educação apropriada no ensino fundamental, médio e superior. A fundação também ajuda os jovens a continuarem a cursar o ensino médio através da música.Ye contribuiu com mais de 500 mil dólares para a sua fundação. A organização também é chamada de "Donda West Foundation" em homenagem a sua mãe.

Yejá apareceu e participou em vários eventos de angariação de fundos e concertos beneficentes. Ele já fez trabalho comunitário de assistência à vítimas do Furacão Katrina e também prestou assistência à Kanye West Foundation, o movimento Millions More e 100 Black Men of America. Além disso, participou dos concertos beneficentes Live Earth e Live 8, da caminhada pelo Dia Mundial da Água, de maratonas da Nike e um especial da MTV, onde ajuda jovens veteranos da Guerra do Iraque com dívidas e estresse pós-traumático com uma segunda chance ao voltarem para casa.

Em fevereiro de 2009,ele contribuiu com 2 dólares para se tornar um produtor do 1 Second Film, um projeto colaborativo de arte sem fins lucrativos, juntamente com mais de 11 mil produtores no mundo todo.

Vida pessoalEditar

RelacionamentosEditar

Ye e a designer Alexis Phifer terminaram seu noivado de 18 meses em 2008. O casal namorava descontinuamente desde 2002, com finalmente pedindo sua mão em casamento em agosto de 2006. De acordo com um amigo, o relacionamento do casal vinha se desgastando, significativamente afetado pela grande quantidade de tempo e atenção que West vinha dedicando ao seu tour na época. "É sempre triste quando coisas assim terminam, e nós continuamos amigos", disse Phifer à revista People.Ele também manteve um relacionamento com a modelo e socialite americana Amber Rose por dois anos, porém West confirmou que o namoro terminou em meados de agosto de 2010. Sobre seu último relacionamento, West afirmou à MTV News:

E em abril de 2012, Ye e Kim Kardashian declararam estar namorando. No final de dezembro de 2012, Ye anunciou em seu show que sua namorada Kim estava grávida de seu primeiro filho. A filha de ambos, North West, nasceu a 15 de junho de 2013 no hospital Cedars Sinai em Los Angeles.

Ye pediu Kim em casamento no aniversário de 33 anos dela.Ele reservou um estádio de baseball em São Francisco e convidou a família e amigos de Kim para a cerimônia surpresa. O anel de noivado foi um diamante de 15 quilates desenhado por Ye. Casaram-se em Itália no dia 24 de maio de 2014. Separaram-se no início de 2021.

Falecimento da mãeEditar

Em 10 de novembro de 2007, a mãe de Ye, Donda West, morreu devido a complicações de uma cirurgia plástica envolvendo abdominoplastia e aumento dos seios.[97][98] O site TMZ informou que o médico Andre Aboolian, de Beverly Hills, aconselhou Donda a não fazer a cirurgia devido a uma condição de saúde que a colocava em risco de sofrer um ataque cardíaco. Aboolian recomendou-lhe outro médico. Donda nunca chegou a conhecer o médico recomendado por Aboolian e resolveu ser operada por um terceiro médico, Jan Adams.

 
Donda West em Agosto de 2007

Adams enviou seus pêsames à família de Donda West porém se negou a discutir publicamente a operação por conta da ética médica de sigilo. Ele havia estado previamente sob investigação do conselho médico. Adams apareceu no programa Larry King Live em 20 de novembro de 2007, mas foi embora antes de ceder entrevista. Dois dias depois ele reapareceu com seu advogado, afirmando que estava lá para "se defender". Ele disse que os resultados da autópsia, recentemente publicados à época, "falam por si mesmos". No laudo final de 10 de janeiro de 2008, o legista concluiu que Donda West morreu de uma "doença na artéria coronária e múltiplos fatores pós-operatórios devido a ou consequentes de lipoaspiração e mamoplastia".[99]

O funeral e enterro de Donda West ocorreu em Oklahoma City em 20 de novembro de 2007. Ye realizou seu primeiro concerto após o funeral no The O2, em Londres, em 22 de novembro. Ele dedicou a performance de "Hey Mama", assim como o cover de "Don't Stop Believin'", de Journey, à sua mãe, assim como em todos outros concertos de seu tour Glow in the Dark.[100]

Em uma entrevista coletiva em dezembro de 2008, na Nova Zelândia, Ye falou sobre a morte de sua mãe pela primeira vez. "Foi como perder um braço e uma perna e tentar andar desse jeito", ele disse aos repórteres.

Em homenagem à seu falecimento, o governador da Califórnia, Arnold Schwarzenegger, decretou a "Donda West Law" (Lei Donda West), legislação que torna obrigatório que pacientes tenham aval médico para realização de cirurgias estéticas.[101]

Problemas legaisEditar

Em dezembro de 2006, Robert "Evel" Knievel o processou por violação de marca registrada pelo vídeo de Ye para a música "Touch the Sky". Knievel se ofendeu com o vídeo com supostos "conteúdos sexuais" no qual West assume a persona de "Evel Kanyevel" e tenta voar sobre um cânion em um foguete. O processo, realizado em tribunal federal, o acusa de violação de seu nome registrado e de sua imagem. Knievel também afirmou que as imagens "vulgares e ofensivas" no vídeo causam prejuízos à sua reputação. O processo buscava indenização e o fim da distribuição do vídeo.[102] Em novembro de 2007, Knievel acertou um acordo, somente alguns dias antes de sua morte.[103]

Em 11 de setembro de 2008, Ye e seu empresário de viagem/segurança, Don Crowley, foram presos no Aeroporto Internacional de Los Angeles e autuados com acusações de vandalismo grave após uma briga com paparazzi durante a qual Ye e Crowley quebraram as câmeras dos fotógrafos.Na qual foi depois liberado do Departamento de Polícia de Los Angeles em Culver City sob fiança de 20.000 dólares. Em 26 de setembro de 2008, a procuradoria de Los Angeles disse que não acusaria Ye de outros crimes por conta do incidente. O caso foi passado à promotoria municipal de L.A. que acusou Ye e seu segurança de vandalismo leve, violação de propriedade privada e agressão. A acusação formal foi adiada para 14 de abril de 2009. West foi novamente preso em 14 de novembro de 2008, em um hotel próximo de Gateshead após outro incidente envolvendo um fotógrafo em frente a um clube noturno em Newcastle upon Tyne. Ele foi depois solto "sem maiores ações", segundo um porta-voz da polícia.[104]

Em junho de 2010, ele foi processado pelo rapper Vincent Peters que o acusou de roubar a música "Stronger". Peters, um rapper da Virgínia, afirma que ele enviou sua versão da música ao empresário de Ye , John Monopoly. Peters tinha esperanças de que Monopoly produzisse a faixa para ele. Ele também afirma que a versão de Ye plagiou várias partes da letra de sua música. Peters nunca conseguiu o acordo com Monopoly.

FamíliaEditar

Ye é casado com a empresária e celebridade Kim Kardashian West, com ela teve 4 filhos: North West (2013), Saint West (2015), Chicago West (2018) e Psalm West (2019), os últimos sendo gerados por barriga de aluguel, porque Kim teve problemas sérios na última gravidez que fariam com que qualquer outra gestação fosse fatal para ela.

NomeEditar

Ye, anteriormente Kanye West, alterou seu nome oficialmente após ter esse pedido aprovado por um juiz em Los Angeles, alegando "motivos pessoais" em 2021.[105]

DiscografiaEditar

 Ver artigo principal: Discografia de Kanye West

Álbuns de estúdioEditar

Álbuns colaborativosEditar

FilmografiaEditar

  • The College Dropout Video Anthology (2004)
  • Late Orchestration (2006)
  • VH1 Storytellers (2010)
  • Runaway (2010)
  • Jesus Is King (2019)

ToursEditar

Principais toursEditar

  • School Spirit Tour (2004)
  • Touch the Sky Tour (2005)
  • Glow in the Dark Tour (2008)
  • Fame Kills: Starring Kanye West and Lady Gaga (cancelada) (2009–2010)
  • Watch the Throne Tour (com Jay-Z) (2011–2012)
  • The Yeezus Tour (2013–2014)
  • Saint Pablo Tour (2016)

Tours de apoioEditar

BibliografiaEditar

  • Criando Kanye: Lições de vida da mãe de uma estrela do hip-hop (2007)
  • Obrigado e De nada (2009)
  • Através do Fio: Letras e Iluminações (2009)
  • Brilha no Escuro (2009)

Prêmios da CarreiraEditar

Referências

  1. «Kanye West muda nome oficialmente para Ye após juiz aprovar pedido». G1. Consultado em 18 de outubro de 2021 
  2. «Hear Ye: Kanye West announces name change ahead of SNL». The Guardian. 29 de setembro de 2018. Consultado em 30 de setembro de 2018 
  3. «New music review: Kanye West goes gospel with mixed results». Star Tribune. Consultado em 12 de agosto de 2021 
  4. «The Year in Christian & Gospel Charts 2019: Kanye West Is Top Gospel Artist». Billboard (em inglês). Consultado em 12 de agosto de 2021 
  5. Editors, Biography com. «Kanye West». Biography (em inglês). Consultado em 12 de agosto de 2021 
  6. a b «The Nielsen Company & Billboard's Music Industry Report» (em inglês) 
  7. «Kanye West». Sungenre (em inglês). Consultado em 13 de agosto de 2021 
  8. «What Genre Is Kanye West?» (em inglês). Consultado em 13 de agosto de 2021 
  9. «Reviews Metacritic» (em inglês) 
  10. «Kanye has 21 Grammys Now» (em inglês) 
  11. «Kanye West's G.O.O.D. Music Label Signed To Exclusive Worldwide Label Agreement With Island Def Jam Music Group» (em inglês) 
  12. «https://twitter.com/kanyewest/status/1046064289944080388». Twitter. Consultado em 13 de agosto de 2021  Ligação externa em |titulo= (ajuda)
  13. «Kanye West files to officially change name to Ye». BBC News (em inglês). 25 de agosto de 2021. Consultado em 18 de outubro de 2021 
  14. «Kanye West anuncia candidatura à Presidência dos EUA» 
  15. Lane, Randall. «Exclusive: Kanye West Indicates That His Spoiler Campaign Is Indeed Designed To Hurt Biden». Forbes (em inglês). Consultado em 12 de agosto de 2021 
  16. «Kanye West picks 'biblical life coach' as presidential running mate - Premier Christian News | Headlines, Breaking News, Comment & Analysis». premierchristian.news (em inglês). Consultado em 12 de agosto de 2021 
  17. Graham, Ruth (28 de outubro de 2019). «Evangelicals Are Extremely Excited About Kanye's Jesus Is King». Slate Magazine (em inglês). Consultado em 12 de agosto de 2021 
  18. Schaffstall, Katherine; Schaffstall, Katherine (25 de outubro de 2019). «Kanye West Unveils New 'Jesus Is King' Album; Talks "Cancel Culture" and "Christian Innovation"». The Hollywood Reporter (em inglês). Consultado em 12 de agosto de 2021 
  19. «How Kanye West's Creative Company DONDA Is Making Its Own Brand of Cool». Complex (em inglês). Consultado em 13 de agosto de 2021 
  20. «Kanye West is rumoured to be dropping a new album this week – but not everyone's convinced». www.indy100.com (em inglês). 19 de julho de 2021. Consultado em 12 de agosto de 2021 
  21. Borus, Audrey; Lynne, Douglas (1 de janeiro de 2013). Kanye West: Grammy-Winning Hip-Hop Artist & Producer (em inglês). [S.l.]: ABDO 
  22. REVOLT (8 de junho de 2018). «A timeline of Kanye West's 41 years of excellence». REVOLT (em inglês). Consultado em 13 de agosto de 2021 
  23. «Kanye West, a história do 'gênio atormentado' que quer ser presidente». VEJA. Consultado em 12 de agosto de 2021 
  24. sarney@pantagraph.com, Steve Arney. «Kanye West coming to Redbird». pantagraph.com (em inglês). Consultado em 13 de agosto de 2021 
  25. «Dr. Donda West tells how she shaped son to be a leader in 'Raising Kanye' Jet - Find Articles». web.archive.org. 13 de novembro de 2007. Consultado em 13 de agosto de 2021 
  26. «Dr. Donda West tells how she shaped son to be a leader in 'Raising Kanye' Jet - Find Articles». web.archive.org. 13 de novembro de 2007. Consultado em 13 de agosto de 2021 
  27. «About Us». web.archive.org. 23 de junho de 2012. Consultado em 13 de agosto de 2021 
  28. Borus, Audrey; Lynne, Douglas (1 de janeiro de 2013). Kanye West: Grammy-Winning Hip-Hop Artist & Producer (em inglês). [S.l.]: ABDO 
  29. «Why You Can't Ignore Kanye | TIME». web.archive.org. 1 de abril de 2007. Consultado em 13 de agosto de 2021 
  30. CHIEF, NANCY DILLONDAILY NEWS COAST BUREAU. «Donda West gave her all to enrich son Kanye West's life». nydailynews.com. Consultado em 13 de agosto de 2021 
  31. Donda West (2007). Raising Kanye. Internet Archive. [S.l.]: Pocket Books 
  32. «Kanye's Connection To The Art World». TheArtGorgeous (em inglês). 23 de julho de 2020. Consultado em 13 de agosto de 2021 
  33. Nas – Poppa Was a Playa, consultado em 13 de agosto de 2021 
  34. Music, News-3 years ago (21 de novembro de 2018). «No I.D. Talks Friendship With Jay-Z and How Kanye Wanted to Disband G.O.O.D. Music Over Him». Okayplayer (em inglês). Consultado em 12 de agosto de 2021 
  35. Stone, Rolling; Stone, Rolling (10 de dezembro de 2010). «Photos: Kanye West's Career Highs -- and Lows». Rolling Stone (em inglês). Consultado em 13 de agosto de 2021 
  36. «JAY-Z & Kanye West: A Look Back at the Rappers' Turbulent Relationship». EW.com (em inglês). Consultado em 12 de agosto de 2021 
  37. «Ronald Rios - 18 anos de Blueprint: o CD que nos deu Kanye West e um novo Jay-Z». rapcru.blogosfera.uol.com.br. Consultado em 12 de agosto de 2021 
  38. «Kanye West: The College Dropout». Pitchfork (em inglês). Consultado em 13 de agosto de 2021 
  39. «MTV.com: Kanye West: Kanplicated». web.archive.org. 6 de abril de 2009. Consultado em 13 de agosto de 2021 
  40. Hess, Mickey (2007). Icons of Hip Hop: An Encyclopedia of the Movement, Music, and Culture (em inglês). [S.l.]: Greenwood Press 
  41. «Kanye West: The Man, the Music, and the Message - Black Collegian». web.archive.org. 25 de janeiro de 2015. Consultado em 13 de agosto de 2021 
  42. Gallagher, Caitlin (7 de agosto de 2017). «How Kanye West's 2002 Car Crash Shaped His Entire Career». POPSUGAR Celebrity (em inglês). Consultado em 12 de agosto de 2021 
  43. «How Kanye West's 2002 Car Crash Shaped His Entire Career». finance.yahoo.com (em inglês). Consultado em 12 de agosto de 2021 
  44. Hunt, Morgan. «Though the Wire: 15 Years Later». WIUX (em inglês). Consultado em 12 de agosto de 2021 
  45. «Kanye West | Biography, Albums, Streaming Links». AllMusic (em inglês). Consultado em 12 de agosto de 2021 
  46. Company, Johnson Publishing (junho de 2004). Ebony (em inglês). [S.l.]: Johnson Publishing Company 
  47. «The College Dropout by Kanye West». Genius (em inglês). Consultado em 12 de agosto de 2021 
  48. «Kanye West: Late Registration». Pitchfork (em inglês). Consultado em 12 de agosto de 2021 
  49. Sheffield, Rob; Sheffield, Rob (8 de setembro de 2005). «Late Registration». Rolling Stone (em inglês). Consultado em 12 de agosto de 2021 
  50. «Review: Kanye West, 'Late Registration'». SPIN. 30 de agosto de 2005. Consultado em 12 de agosto de 2021 
  51. «Kanye West - 'Late Registration' review». NME (em inglês). 12 de setembro de 2005. Consultado em 12 de agosto de 2021 
  52. Hahne, Stephanie (7 de agosto de 2021). «Em 2005, Kanye West falava contra a homofobia no Hip Hop: "é o que faziam contra os negros"». Tenho Mais Discos Que Amigos!. Consultado em 13 de agosto de 2021 
  53. «Kanye West's 2005 Interview About Hip-Hop Homophobia Resurfaces After DaBaby Controversy». Billboard (em inglês). Consultado em 13 de agosto de 2021 
  54. «The Untold Story of Pastelle, Kanye West's First Clothing Line». Complex (em inglês). Consultado em 13 de agosto de 2021 
  55. The Game – Dreams, consultado em 13 de agosto de 2021 
  56. Common (Ft. John Mayer & Kanye West) – GO!, consultado em 13 de agosto de 2021 
  57. «New Kanye West Track "God Level" Surfaces, Then Disappears [Audio Clip]». Okayplayer (em inglês). 24 de maio de 2014. Consultado em 13 de agosto de 2021 
  58. Almeida, Luccas. «Kanye West canta sua nova música, 'Wolves', junto com a Sia e o Vic Mensa, no palco do Saturday Night Live!». www.portalitpop.com. Consultado em 13 de agosto de 2021 
  59. Nast, Condé (10 de fevereiro de 2016). «Kanye West Announces New Album Title, Shares Final Tracklist». Pitchfork (em inglês). Consultado em 13 de agosto de 2021 
  60. «Kanye West: The Life of Pablo». Pitchfork (em inglês). Consultado em 13 de agosto de 2021 
  61. «KANYE WEST on Twitter: "My next album is titled "Turbo Grafx 16" …». archive.ph. 13 de março de 2016. Consultado em 13 de agosto de 2021 
  62. «Kanye West Drops First Song From New Album 'Cruel Winter'». Time (em inglês). Consultado em 13 de agosto de 2021 
  63. «Kanye West premieres "Champions", first single from Cruel Winter -- listen». Consequence (em inglês). 13 de junho de 2016. Consultado em 13 de agosto de 2021 
  64. «Kanye West Gets Almost No Reactions From Stars Depicted Naked in "Famous" Video». E! Online. 26 de junho de 2016. Consultado em 13 de agosto de 2021 
  65. https://hiphopdx.com, HipHopDX- (26 de agosto de 2016). «Kanye West Soars Above Crowd To Kick Off Saint Pablo Tour». HipHopDX. Consultado em 13 de agosto de 2021 
  66. https://hiphopdx.com, HipHopDX- (26 de agosto de 2016). «Kanye West Soars Above Crowd To Kick Off Saint Pablo Tour». HipHopDX. Consultado em 13 de agosto de 2021 
  67. «Kanye West Reschedules 'Saint Pablo' Tour Dates Following Kim Kardashian Robbery». Billboard (em inglês). Consultado em 13 de agosto de 2021 
  68. Serjeant, Jill (22 de novembro de 2016). «'Exhausted' Kanye West hospitalized, cancels tour after bizarre rants». Reuters (em inglês). Consultado em 13 de agosto de 2021 
  69. «Kanye West hospitalized after national tour abruptly cancelled: sources». NBC News (em inglês). Consultado em 13 de agosto de 2021 
  70. Facebook; Twitter; options, Show more sharing; Facebook; Twitter; LinkedIn; Email; URLCopied!, Copy Link; Print (22 de novembro de 2016). «Kanye West's doctor called 911 during breakdown, report says; Kim Kardashian skips public return». Los Angeles Times (em inglês). Consultado em 13 de agosto de 2021 
  71. «Kanye West To Remain Hospitalized Over Thanksgiving». HotNewHipHop (em inglês). Consultado em 13 de agosto de 2021 
  72. «Kanye West returns to Twitter, writing a philosophy book 'in real time'». the Guardian (em inglês). 18 de abril de 2018. Consultado em 13 de agosto de 2021 
  73. Penrose, Nerisha (1 de abril de 2019). «Stream Kanye's Sunday Service Live on YouTube This Weekend». ELLE (em inglês). Consultado em 23 de julho de 2020 
  74. CNN, Amir Vera. «Kanye West debuts new song 'Water' during Sunday Service at Coachella». CNN. Consultado em 23 de julho de 2020 
  75. Ryan, Patrick. «Review: Kanye West finds God (and Chick-fil-A) on frustrating new album 'Jesus is King'». USA TODAY (em inglês). Consultado em 23 de julho de 2020 
  76. «Kanye West's 'Jesus Is King' Makes History on Hot Christian Songs, Hot Gospel Songs Charts». The Hollywood Reporter (em inglês). Consultado em 23 de julho de 2020 
  77. Woolfe, Zachary (25 de novembro de 2019). «Kanye West Is Operatic. His Opera Isn't.». The New York Times (em inglês). ISSN 0362-4331 
  78. Soto, Alfred. «Here's What Happened in Kanye West's New Opera Mary». Pitchfork (em inglês). Consultado em 23 de julho de 2020 
  79. CNN, Leah Asmelash. «Kanye West dropped a new album on Christmas and called it -- what else? -- 'Jesus Is Born'». CNN. Consultado em 23 de julho de 2020 
  80. Welch, Will. «Inside Kanye West's Vision for the Future». GQ (em inglês). Consultado em 23 de julho de 2020 
  81. «Kanye West Says He Won't Release New Music Until Freed From Sony and Universal Contracts». HYPEBEAST. 15 de setembro de 2020. Consultado em 12 de agosto de 2021 
  82. «https://twitter.com/kanyewest/status/1321875427065913345». Twitter. Consultado em 12 de agosto de 2021  Ligação externa em |titulo= (ajuda)
  83. «Kanye West Remixes "Nah Nah Nah" With DaBaby & 2 Chainz». HotNewHipHop (em inglês). Consultado em 12 de agosto de 2021 
  84. «Playboi Carti Talks to Kid Cudi About Kanye West Executive Producing 'Whole Lotta Red'». HYPEBEAST. 2 de março de 2021. Consultado em 12 de agosto de 2021 
  85. Abubaker, Mustafa; Abubaker, Mustafa (23 de julho de 2021). «We Still Don't Know What's on Kanye's Mind». Rolling Stone (em inglês). Consultado em 12 de agosto de 2021 
  86. «Kanye West living in Atlanta stadium to work on new album». AP NEWS (em inglês). 26 de julho de 2021. Consultado em 12 de agosto de 2021 
  87. Moorwood, Victoria (22 de julho de 2021). «Kanye West teases 'Donda' tracklist». REVOLT (em inglês). Consultado em 12 de agosto de 2021 
  88. «Kanye West Living in Mercedes-Benz Stadium to Finish 'DONDA'». TMZ (em inglês). Consultado em 12 de agosto de 2021 
  89. «Kanye West Bringing 'Donda' Party Back To Atlanta, But Needs New Twist». TMZ (em inglês). Consultado em 12 de agosto de 2021 
  90. SoMajor, Kim (28 de julho de 2021). «Kanye West to Host Another "DONDA" Listening Party in Mercedes-Benz Stadium ATL». The Source (em inglês). Consultado em 12 de agosto de 2021 
  91. «Entrar • Instagram». www.instagram.com. Consultado em 12 de agosto de 2021 
  92. «'Kanye West Presents the Donda Album Release' Event Date Officially Confirmed». Complex (em inglês). Consultado em 12 de agosto de 2021 
  93. «Fans frustrated as Kanye West's album Donda suffers more delays». The Independent (em inglês). 6 de agosto de 2021. Consultado em 12 de agosto de 2021 
  94. r/Kanye - Pure Souls playing on the radio, 105.1 in NY, consultado em 13 de agosto de 2021 
  95. r/Kanye - 105.1 is playing off the grid, consultado em 13 de agosto de 2021 
  96. «https://twitter.com/photosofkanye/status/1425322557624946695». Twitter. Consultado em 13 de agosto de 2021  Ligação externa em |titulo= (ajuda)
  97. «Fire Dept. Called to Donda West's Home». TMZ (em inglês). Consultado em 13 de agosto de 2021 
  98. «Donda West Died of Heart Disease after Surgery». PEOPLE.com (em inglês). Consultado em 13 de agosto de 2021 
  99. Archive-Kurt-Orzeck. «Donda West, Kanye's Mother, Died Of Heart Attack: Coroner's Report». MTV News (em inglês). Consultado em 13 de agosto de 2021 
  100. «Usmagazine.com | VIDEO: Kanye West Dedicates Journey's "Don't Stop Believing" to His Mom». web.archive.org. 27 de abril de 2008. Consultado em 13 de agosto de 2021 
  101. Kaufman, Gil. «Arnold Schwarzenegger Signs Donda West Plastic Surgery Law». MTV News (em inglês). Consultado em 13 de agosto de 2021 
  102. «Evel Knievel Sues Kanye West». The Smoking Gun (em inglês). 12 de junho de 2014. Consultado em 13 de agosto de 2021 
  103. «Evel Knievel, Kanye West settle lawsuit - USATODAY.com». usatoday30.usatoday.com. Consultado em 13 de agosto de 2021 
  104. CNN, By Alan Duke. «Kanye West gets probation in paparazzi attack». CNN. Consultado em 13 de agosto de 2021 
  105. «Kanye West muda o nome oficialmente para Ye após aprovação de juiz». Jornal Correio. 18 de outubro de 2021. Consultado em 19 de outubro de 2021 

Ligações externasEditar

Outros projetos Wikimedia também contêm material sobre este tema:
  Notícias no Wikinotícias