Abrir menu principal

Melodrama (álbum de Lorde)

álbum de Lorde
Melodrama
Álbum de estúdio de Lorde
Lançamento 16 de junho de 2017 (2017-06-16)
Gravação 2015—17
Estúdio(s)
Gênero(s) Pop, electropop
Duração 40:58
Idioma(s) Inglês
Formato(s)
Gravadora(s)
Produção
Cronologia de Lorde
Pure Heroine
(2013)
Singles de Melodrama
  1. "Green Light"
    Lançamento: 2 de março de 2017 (2017-03-02)
  2. "Perfect Places"
    Lançamento: 1 de junho de 2017 (2017-06-01)
  3. "Homemade Dynamite"
    Lançamento: 15 de setembro de 2017 (2017-09-15)

Melodrama é o segundo álbum de estúdio gravado pela cantora e compositora neozelandesa Lorde. O seu lançamento ocorreu em 16 de junho de 2017, através da gravadora Universal Music e suas afiliadas. Um distanciamento do estilo minimalista de seu álbum de estreia, Pure Heroine (2013), Melodrama é um álbum de pop e electropop que incorpora instrumentação de piano e batidas eletrônicas maximalistas. Foi primariamente composto e produzido por Lorde e Jack Antonoff, com assistência de produção por diversos produtores de renome, incluindo Frank Dukes, Flume, Malay, S1 e Joel Little.

Lorde começou a escrever as canções de seu subsequente disco em dezembro de 2013, apenas três meses após a edição de seu aclamado disco de estreia, Pure Heroine. Porém, a exaustiva excursão que empreendera para promovê-lo impossibilitou-a de retornar aos estúdios de gravações àquele momento. A intérprete apenas regressou aos estúdios em março de 2015, após o término do relacionamento com seu namorado de longa-data James Lowe, para iniciar as sessões de composição com Joel Little, o responsável pela produção musical de seu álbum de estreia.

O álbum foi descrito como um álbum vagamente conceitual que explora o tema de solidão. Ele segue a estrutura de uma única festa em casa, e os eventos e sensações que decorrem. Durante suas sessões de composição, Lorde viajou entre os Estados Unidos e a Nova Zelândia diversas vezes, examinando o mundo a sua volta, e continuou a trabalhar através de inícios errôneos, desvios mal-sucedidos e períodos de inatividade enquanto retraía do holofote público. O processo de escrita durou cerca de dezoito meses.

Melodrama foi majoritariamente bem recebido pelos críticos, muitos que elogiaram a sua composição, produção e os vocais de Lorde. O álbum apareceu em diversas listas de fim de ano, com o Metacritic nomeando-o o segundo álbum melhor recebido de 2017 e o 29º álbum melhor avaliado de todos os tempos. Ele também recebeu uma indicação a um Grammy Award na categoria de Álbum do Ano no Grammy Awards de 2018.

Para promover Melodrama, "Green Light" foi lançada como seu primeiro single para sucesso comercial, seguida por "Perfect Places" e um remix de "Homemade Dynamite". O álbum estreou em primeiro lugar na tabela estadunidense Billboard 200, tendo vendido 109 mil unidades equivalentes ao álbum, e liderou as tabelas musicais em três outros países. Recebeu eventualmente certificações de ouro no Reino Unido e nos Estados Unidos, platina na Austrália e Canadá e platina dupla na Nova Zelândia.

Antecedentes e gravaçãoEditar

 
Jack Antonoff co-escreveu e co-produziu a maior parte do álbum com Lorde

Em dezembro de 2013, Lorde anunciou que ela havia começado a escrever material para um futuro segundo álbum de estúdio.[2] No ano seguinte, a cantora disse que estava nos estágios iniciais e que ele era "completamente diferente" de seu álbum de estreia; ela também disse que a mudança na sonoridade era em decorrência de uma mudança nas circunstâncias e cenários de sua vida.[3] Mais tarde em 2014, a Lionsgate anunciou que Lorde curaria a trilha sonora para o terceiro filme da franquia The Hunger Games, que seria seguido pelo lançamento do primeiro single do filme, "Yellow Flicker Beat", que recebeu aclamação crítica.[4][5] Em uma entrevista à estação de rádio australiana Triple J em fevereiro de 2015, Joel Little, que produziu Pure Heroine, disse que ele havia marcado para se encontrar com Lorde para uma sessão de composição em um estúdio no mês seguinte, apesar de que um plano definido não estava estabelecido.[6] Little tornou a falar com a imprensa em abril de 2016, tendo revelado desta vez que os dois estavam a experimentar instrumentações e a certificar-se de que as canções escritas eram realmente boas,[7] mas afirmou em outubro que, apesar de compor algumas canções para o álbum, ele não seria um produtor executivo, atribuindo isto a Lorde "tentando fazer algo diferente".[8] Lorde eventualmente participou da faixa do duo britânico Disclosure, incluída no álbum de 2015 Caracal.[9]

Em janeiro de 2016, o The New Zealand Herald reportou que Lorde e James Lowe, seu namorado, haviam terminado seu relacionamento de três anos.[10] A cantora confirmou o término durante entrevistas seguindo o lançamento de "Green Light" em 2017, levando a que ela cedesse a "beber muito" e perceber que havia um "elemento de escapismo e exploração" em fazê-lo.[11][12] Lorde eventualmente respondeu a um comentário em sua conta no Instagram no final de agosto de 2016, confirmando que ela havia completado o processo de composição de Melodrama — ainda sem título no período — e que ela estava nos estágios de produção.[13] A cantora anunciou o título do álbum no dia 2 de março de 2017.[14] Ela também começou a publicar fotos dela no Electric Lady Studios em Nova Iorque com Jack Antonoff nas mídias sociais, tiradas a partir de dezembro de 2015. Sessões extras de gravação foram realizadas no estúdio privado de Antonoff em Brooklyn Heights, chamado de Rough Customer Studio, e no Jungle City Studios em Nova Iorque, bem como no Westlake Recording Studios e no Conway Recording Studios em Los Angeles.[15] O processo de gravação da dupla durou 18 meses.[16][17] Melodrama foi lanºado através da Universal Music Group, Lava Records e Republic Records em 16 de junho de 2017.[18]

Composição e produçãoEditar

Lorde disse que, durante os primeiros estágios de composição das canções de Melodrama, ela imaginou escrever o álbum da perspectiva de alienígenas saindo do um ambiente hermeticamente selado pela primeira vez, citando a conto de ficção científica "There Will Come Soft Rains" (1950) de Ray Bradbury como inspiração. Ela descartou a ideia e escolheu, ao invés disso, escreveu sobre seus próprios problemas com o início de sua fase adulta.[19] Ela comparou a história do conto supracitado com sua própria realidade, dizendo que ela usualmente se esconderia em sua casa com amigos, "bebendo e fazendo um esforço consciente para bloquear o resto do mundo, como se houvesse ocorrido um apocalipse nuclear".[19] Lorde também buscou inspiração em conversas com seus amigos e viajou múltiplas vezes entre os Estados Unidos e a Nova Zelândia para examinar o mundo a sua volta. Ela continuava a trabalhar através de "falsos inícios, desvios sem resultado e períodos de inatividade" enquanto retraía do holofote público.[19][20]

Melodrama é sobre "lidar com a solidão" após o término de um relacionamento, de acordo com o The New York Times.[20] Entrevistada pela publicação, Lorde disse que Melodrama não é simplesmente um "álbum de término", mas sim um "álbum sobre estar sozinho"; ele inclui tanto os aspectos favoráveis quanto os desfavoráveis associados com "um coração partido e solidão".[20] Apesar disso, ela considerou "Green Light" uma música de término de relacionamento tradicional.[21] Em uma entrevista à Vanity Fair, Lorde disse que o título do álbum é uma "referência aos tipos de emoções que você experimenta quando você tem 19 ou 20 anos," elaborando ao dizer que os últimos anos haviam sido intensos para ela, e que ela havia experimentado uma vasta gama de emoções.[21] Ela citou seu "amor pelo teatro" e desenhou paralelos às tragédias gregas como inspiração para o título do álbum. Segundo ela, foi bastante "irônico" intitular seu álbum Melodrama.[21] A cantora comparou o álbum com Pure Heroine, dizendo que este álbum parecia mais estilizado por seu uma "coleção de momentos, pensamentos e vinhetas". De acordo com Lorde, ela teve que lidar com "sensações muito sérias e vívidas" que ela tinha que expressar após ter seu coração partido pela primeira vez e se mudar da casa de seus pais, e ela passou muito tempo isolada em sua própria casa. Trabalhar com Antonoff ajudou-a a se abrir sobre sua situação interna.[21]

Enquanto escrevia canções para o álbum, Lorde buscou inspiração em diversos cenários e testou novos materiais escutando demos através de fones de ouvido em um restaurante perto do Columbus Circle, algo que fez por cerca de quatro meses para entender como a música soaria no dia-a-dia. Ela se inspirou em conversas de desconhecidos, frequentemente ouvindo frases que fariam-na pensar por horas. Estas frases também ilustraram um "quadro" em seus pensamentos.[20] O restaurante frequentemente tocava rádios com as músicas mais populares, o que ocasionalmente a distraía de sua composição, apesar de que ela às vezes tirava os fones para deixar as canções "lavarem-na". Em sua casa na Nova Zelândia, Lorde tinha uma parede de anotações para suas canções, que ela usava para "esquematizar" todo o álbum; isso permitia que ela encontrasse conexões a casa faixa e "preencher os vazios". Cada canções era colorizada em decorrência de sua sinestesia; Lorde arranjou as cores de acordo com seu tema e emoção.[20] Ela também viajou para uma casa alugada na Ilha Waiheke, onde ela podia compôr sem distrações.[20]

Arte de capaEditar

A arte de capa de Melodrama foi pintada pelo pintor abstrato estadunidense Sam McKinniss, com quem Lorde havia conversado por e-mail. A dupla concordou em se encontrar e começar a discutir a colaboração. Mais tarde, Lorde visitou o estúdio de McKinniss em Williamsburg, Brooklyn, onde ela gostou do retrato da fotografia de capa do álbum Purple Rain (1984), de Prince, e de uma pintura de Lil' Kim. Lorde pediu que McKinniss criasse uma pintura com um "tipo de inquietação colorida adolescente e animação e energia e potencial".[22]

McKinniss e Lorde se encontraram no final de 2016 no estúdio de seu amigo, que consistia em lâmpadas coloridas em um equipamento de iluminação e um espaço com várias janelas. Para a sessão de fotos do álbum, Lorde vestiu um deshabillé vintage e posou por duas horas. De acordo com McKinniss, a arte do álbum é a "convergência e duas mentes parecidas" e "espíritos simpáticos".[23] Ele contou que Lorde o disse; "Eu quero ser uma adolescente em meu quarto após uma longa noite, durante a alvorada". A dupla considerou tornar a sessão de fotos "operática" e inspirada na Irmandade Pré-Rafaelita, mas descartou a ideia por estarem satisfeitos com as expressões faciais de Lorde nas imagens resultantes. McKinniss criou duas pinturas de suas fotografias; uma incluia um brilho azul com um rubor quente sobre a bochecha de Lorde e o outro tinha uma iluminação diferente, com cores "mais pálidas e doces".[24] A pintura não utilizada foi revelada mais tarde em uma entrevista à Dazed.[25]

A NME considerou a obra uma das melhor capas de álbuns do século XXI até então.[26] A Paste a posicionou na 11ª posição em sua lista de melhores capas de álbuns de 2017,[27] e ela também apareceu na lista sem ranking da Billboard. Tatiano Cirisano, escrito da publicação, disse que McKinniss "perfeitamente comunida a história de intimidade e crescimento" do álbum com suas "cores nebulosas do crepúsculo e cenário de cabeceira".[28] A Fuse também incluiu a capa em sua lista de fim de ano.[29]

Música e letraEditar

 
Lorde cita Don Henley, Tom Petty, Phil Collins e Joni Mitchell, bem como as mortes de David Bowie (na imagem) e Prince como inspirações.[30][31]

Os vocais de Lorde em Melodrama foram notados por seu canto emocional e multicanal. Ela cita os vocais emocionais de Kate Bush e Sinéad O'Connor, bem como o uso de vocoder de Laurie Anderson como inspirações para seus vocais no álbum.[31] O escritor Neil McCormick, do The Daily Telegraph, descreveu os vocais de Lorde como um "canto audacioso, que localiza diferentes níveis de intimidade em diferentes timbres vocais, multicanalizando sua voz para que ela frequentemente soe como se as canções estivessem sendo cantadas por versões concorrentes dela mesma".[32] Seus vocais vão de "gorjeios não processados de baixo registro" a "máscaras digitalizadas".[33] De acordo com o NME, diferentes personalidades de Lorde, que vão da "forte, serena jovem mulher" à "psicopata" escondida, são exibidas através de seu canto no álbum.[34]

Melodrama é construído em torno da produção de Jack Antonoff, que incorpora baterias, sintetizadores, camadas de voz e ganchos diretos ao ponto.[35] Lorde e Antonoff se encontraram no início de 2014 em uma festa após o Grammy e depois tiveram diversas sessões de composição "exploratórias" antes de Lorde o contratar como o principal co-escritor no álbum. Lorde trabalhou em Melodrama no estúdio de Antonoff, o Rough Customer Studios, em Nova Iorque, e em sua casa na Nova Zelândia.[20] As estruturas das canções no álbum são tradicionais em suas construções, com melodias baseadas em piano, em contraste com as influências de hip hop no primeiro álbum de Lorde.[36] A cantora teve uma aproximação clássica, geralmente compondo a melodia e então tentando diferentes falsetes; Lorde disse que, por causa disso, todo o álbum pode ser tocada de forma acústica.[20] Ela também citou que seu desejo de explorar um "modo catártico" para o álbum. Diversas publicações notaram sua produção pop maximalista, um distanciamento do estilo minimalista pela qual a cantora era conhecida.[37][38][39] Melodrama foi descrito por críticos como um álbum pop e electropop.[40][41][42][43][44]

As letras do álbum são sobre um coração partido e solidão.[45] Críticos descreveram Melodrama como um álbum vagamente conceitual, apesar de que tal afirmação foi negada por Lorde.[20][46][47][48] Lorde afirmou que Melodrama possui apenas uma narrativa vaga; ela acredita que a "natureza transcendental" que festejar pode trazer, com os intensos "pontos altos intoxicantes e pontos baixos bruscos", paixões e términos, ajudaram a formar a linha narrativa que conecta cada canção.[46]

Lorde desenvolveu desdém pela expressão "voz de uma geração"; de acordo com ela, a mudança de narrativa no álbum foca no "eu", em contraste à inclusão de "nós" em Pure Heroine. As palavras "festa", "pressa" e "violência" se repetem durante o álbum. Lorde queria mostrar um contraste, indo de "grande e importante" a "bem pequeno e íntimo", assim como desejou fazer referência a eventos pessoais, manchetes e temas associados à internet. Ela buscou inspiração no álbum Graceland (1986) de Paul Simon, considerando-o "um lugar que queremos ir" e comparando-o a "Malibu" (2017), de Miley Cyrus, dizendo "que amável que Malibu é o primeiro amor, e Graceland é a iluminação após o amor perdido".[49] Lorde usa diversas metáforas em Melodrama, como os dentes de tubarões-brancos, continuando a incorporação de dentes em suas letras.[50][51] A cantora também citou Don Henley, Tom Petty, Phil Collins e Joni Mitchell como inspirações para Melodrama.[49]

CançõesEditar

Canções 1–5Editar

 
A cantora e compositora sueca Tove Lo co-escreveu "Homemade Dynamite" com Lorde

A faixa de abertura do álbum, "Green Light", inclui metáforas titulares; críticos interpretaram a "green light" (luz verde) como um sinal rodoviário que dá à cantora a permissão para seguir para o futuro.[52] Ela foi descrita por críticos como uma canção de electropop, dance-pop e pós-disco.[53][54][55] Lorde foi inspirada a escrever a faixa após assistir a um concerto de Florence and the Machine com Antonoff; o processo de composição durou 18 meses. Ela disse que a linha de piano na canção se assemelha à introdução de piano na canção de 2008 "Fake Empire", da banda The National.[56] "Sober", que foi construída a partir de um bongô, foi composta depois de Lorde se apresentar no Coachella. A instrumentação da faixa também inclui um saxofone barítono e tenor, um trompete, bem como o som do rugido de um tigre, que foi adicionado quando Antonoff estava procurando por amostras duas sessões antes de concluir a canção.[57][58]

Lorde co-escreveu "Homemade Dynamite" com Tove Lo. É a única canção onde Antonoff não é creditado como compositor ou produtor. Lorde buscou inspiração para compôr "The Louvre" depois de escutar o álbum de 2016 Blonde, de Frank Ocean. Ela afirmou, em uma entrevista em podcast para o The Spinoff, que ela poderia ter feito um "single grande e fácil", mas evitou fazê-lo porque ela sentiu que não significaria muito "simplificar a jornada" ou "forçar um grande refrão".[59] Ela disse que o processo de produção foi "animador", afirmando, "eu posso usar guitarras e eu posso pegar uma grande batida deformada de Flume e jogá-la embaixo d'água."[60] De acordo com o Newsweek, a cadência da cantora em algumas linhas quase se torna rap, o que foi comparado com canções multigênero.[31] "Liability" é a primeira balada de piano no álbum; em um perfil para o The Spinoff, Lorde disse que os acordes da canção pareciam "clássicos" e similares aos trabalhos de Crosby, Stills, Nash & Young e Don Henley. Ela foi inspirada pela faixa "Higher" do álbum de 2016 Anti, de Rihanna, que ela escutou quando estava em um táxi, voltando para casa depois de uma festa.[56]

Canções 6–11Editar

Lorde frequentemente escutava o álbum de 1986 Graceland de Paul Simon (na esquerda) em táxis de volta para casa depois de festas. Críticos também notaram instrumentação similar à de Phil Collins (na direita) no álbum

A primeira parte do pot-pourri "Hard Feelings/Loveless" usa um sintetizador distorcido e elementos dos gêneros de música industrial, noise music e electronica.[33][43][61] Antonoff disse que um de seus momentos mais orgulhosos durante a produção do álbum foi a inclusão de um "sintetizador no final [da canção] que soa como metal entortando".[62] As duas primeiras linhas de "Loveless"—"What is this tape? / This is my favorite tape"—foram retiradas de um documentário sobre o álbum Graceland de Paul Simon, que Lorde havia assistido. O solo de bateria utilizado como a transição entre "Hard Feelings" e "Loveless" foi retirado da canção "In the Air Tonight" (1981) de Phil Collins.[56] Lorde afirmou que essa foi uma das primeiras faixas do álbum a serem criadas. Ela frequentemente escutava a música de soft rock de Leonard Cohen, Joni Mitchell, Fleetwood Mac e Paul Simon enquanto andavas pelos metrôs de Nova Iorque e quando voltava em táxis para sua casa em Auckland depois de festas.[31] Lorde e Antonoff compararam a canção a "The Heart of the Matter" (1989) de Don Henley, com Antonoff também comparando sua mensagem à canção de Henley, já que ambas as canções "lidam com notícias de que um amante passado encontrou alguém novo, e então lamentam outros relacionamentos anteriores".[20]

A canção seguinte, "Sober II (Melodrama)", uma continuação de "Sober", detalha as emoções e sensação de solidão após o fim de uma festa.[63] A canção foi originalmente intitulada "Sober (Interlude)" antes de seu lançamento.[64] Comparando Lorde a Kate Bush, Claire Schafer da Newsweek disse "o refrão comovente de 'Writer in the Dark' [...] é inquietantemente similar ao alto registro de Bush e excesso extraterrestre de sentimentalidade", e que Melodrama "marca uma nova dimensão à voz de Lorde, onde cada pequena respiração e enunciação carrega enorme significado".[31] Lorde acordou no meio da noite e escreveu o tema principal da canção, se sentindo perversa e empoderada enquando o fazia. Para ela, foi um "momento legal e doloroso" no álbum.[49] Lorde disse que "Supercut" é a única canção no álbum onde ela fala com alguém, descrevendo o processo de pensamento como tarde no processo de produção. Grade parte da canção foi construída utilizando baterias, enquando "espaços em branco" eram mais tarde "preenchidos" com sequências de piano.[56] Ela considerou transformar "Liability (Reprise)" em uma canção a cappella antes de decidir "ser sensível" e adicionar uma batida de fundo.[56] "Perfect Places" foi inspirada nas mortes de David Bowie e Prince, dois músicos que Lorde afirmou que foram os mais influentes durante a gravação de Melodrama.[31]

Lançamento e promoçãoEditar

Apenas preciso permanecer a trabalhar no disco um pouco mais para torná-lo tão bom quanto possível. O tão esperado dia não será amanhã nem no próximo mês, mas em breve.

—Declarações de Lorde nas redes sociais acerca do lançamento de Melodrama, em novembro de 2016.[65]

Mesmo sem um anúncio oficial de seu lançamento, o segundo disco de Lorde foi incluído em diversas listas dos mais aguardados de 2016.[66] Como o seu lançamento não ocorreu nesse ano, o disco voltou às listas dos mais aguardados em 2017.[67][68] O registro foi classificado em quinto lugar entre os 101 mais aguardados de 2017 pelo site Stereogum e foi eleito o mais aguardado do ano pelos leitores do Idolator, com 7 720 votos.[69][70] Embora tenha mantido total sigilo acerca do material, a cantora compartilhou diversas mensagens e fotografias nas redes sociais, por meio das quais revelava detalhes sobre o disco aos seus admiradores.[71] No início de 2016, Lorde divulgou ter escolhido o título do disco, porém não o tornou público.[72] Em 7 de novembro, publicou uma mensagem por meio da qual refletia acerca dos acontecimentos desde o lançamento de Pure Heroine e anunciou serem as letras do novo disco as melhores por ela alguma vez escritas. No mesmo mês, a artista publicou uma fotografia de fones de ouvidos em suas mãos, com a legenda: "A ouvir o disco todos os dias. Quero ouvi-lo exatamente como vocês irão ouvi-lo".[65]

Lorde primeiramente promoveu o álbum publicando um link para um website chamado imwaitingforit.com em sua conta no Twitter. O website incluia um curto clipe de Lorde sentada em um carro comendo e bebendo, enquanto uma faixa de piano tocada no fundo; isso foi seguido pelas datas "3.2.17 NYC" e "3.3.17 NZ" aparecendo na tela. O vídeo era intitulado "M", seguido de sete asteriscos e acabando com "A", o que seria mais tarde revelado como o nome do álbum.[73][74] De acordo com a revista Fact, o clipe também foi transmitido nos maiores canais de televisão da Nova Zelândia.[75] Lorde revelou que o disco seria intitulado Melodrama em 2 de março de 2017, por meio de uma mensagem em seu perfil no Twitter.[76] Em 9 de março, a artista revelou que o lançamento do material ocorria em 16 de junho de 2017.[77] Assim como seu primeiro álbum, Melodrama também é editado em vinil pelo selo Virgin Records, lançado em 10 de novembro de 2017 na Amazon. Sua pré-venda está disponível desde o lançamento do álbum.[78]

Para continuar a promoção do álbum, Lorde embarcou em uma turnê mundial com diversos artistas de abertura; ela anunciou a turnê em junho de 2017. A turnê começou no O2 Apollo Manchester na Inglaterra em 29 de setembro de 2017 e terminou em Trondheim, Noruega, em 19 de outubro de 2017.[79] O trecho na Oceania consistiu em 13 apresentações. Lorde fez 30 shows na América do Norte.[80] Nos países lusófonos, Lorde se apresentou no dia 7 de junho de 2018 no NOS Primavera Sound no Parque da Cidade do Porto, Portugal,[81] e em 15 de novembro de 2018 no festival Popload em São Paulo, Brasil.[82]

SinglesEditar

 
Lorde se apresentando no Osheaga Festival em 2017

Em 2 de março de 2017, Lorde lançou "Green Light" como o primeiro single do álbum.[83] O single foi universalmente aclamado pelos críticos, com muitas publicações posicionando-o em suas listas de fim de ano,[84] e sendo reconhecido como o Single do Ano da NME.[85] A canção foi comercialmente bem-sucedida, recebendo uma certificação de platina nos Estados Unidos e platina tripla na Austrália.[86][87] Na semana seguinte, Lorde lançou "Liability" como o primeiro single promocional de Melodrama. Ela apresentou a canção ao lado de "Green Light" pela primeira vez em 12 de março de 2017 no programa Saturday Night Live. Esta foi sua primeira apresentação em mais de dois anos, e foi bem recebida pelos críticos.[88][89][90] Ela apresentou duas novas canções, "Sober" e "Sober II (Melodrama)" em uma "pequena apresentação pré-Coachella" no restaurante Pappy & Harriet's em 15 de abril de 2017. "Sober" foi anunciado como o segundo single promocional em 9 de junho de 2017. Ela lançou "Homemade Dynamite" durante sua apresentação no Coachella no dia seguinte.[91] Críticos consideraram sua apresentação um dos pontos altos do festival.[92][93][94] Lorde também apresentou "Green Light" no Billboard Music Awards de 2017 em uma apresentação que incluia "um salão barato de karaokê, com iluminação vermelha, um sofá desbotado, amigos impassíveis e uma televisão velha que cuspia a letra da canção em letras quadradas".[95]

Lorde lançou "Perfect Places" como o segundo single do álbum em 1 de junho de 2017. Ela apresentou a canção ao vivo pela primeira vez como parte de sua apresentação no Festival de Música Governors Ball. Em 30 de junho de 2017, Lorde também fez uma aparição no Festival Fuji Rock em Niigata, Japão.[96] No MTV Video Music Awards de 2017, Lorde apresentou uma dança interpretativa para "Homemade Dynamite" que foi recebida de forma mista por críticos, muitos que a consideraram "bizarra".[97][98] Sua decisão de não cantar surgiu após ser diagnosticada com gripe. Depois de sua apresentação, Lorde lançou um remix de "Homemade Dynamite" que incluia vocais por Khalid, Post Malone e SZA como o terceiro single do álbum em 16 de setembro de 2017.[99]

RecepçãoEditar

Recepção comercialEditar

Após o lançamento do álbum, Melodrama estreou em primeiro lugar nas tabelas musicais de Nova Zelândia.[100] Também estreou em primeiro lugar nos Estados Unidos, se tornando o primeiro álbum de Lorde a alcançar esta posição na tabela Billboard 200 com 109 mil unidades equivalentes ao álbum, incluindo 82 mil vendas puras de álbum.[101] O álbum caiu para a 13ª posição na semana seguinte.[102] Também foi seu primeiro álbum número um no Canadá, entrando na Canadian Albums Chart com 12 mil unidades equivalentes ao álbum.[103] Além disso, Melodrama estreou no primeiro lugar na Austrália com 12.001 unidades vendidas na primeira semana, e em quinto lugar na tabela britânica UK Albums Chart, vendendo 17.026 na primeira semana.[104][105] Diversas certificações foram eventualmente concedidas ao álbum, como ouro na Austrália, Canadá, Reino Unido e Estados Unidos, bem como platina dupla na Nova Zelândia.[106][107][108][109][110]

Recepção críticaEditar

Críticas profissionais
Pontuações agregadas
Fonte Avaliação
Metacritic 91/100[111]
Avaliações da crítica
Fonte Avaliação
AllMusic      [112]
The A.V. Club A[113]
The Daily Telegraph      [114]
Entertainment Weekly A[115]
The Guardian      [116]
The Independent      [117]
NME      [118]
Pitchfork 8.8/10[119]
Rolling Stone      [120]
Vice B+[121]

Melodrama foi recebido com aclamação crítica generalizada; no agregador de críticas Metacritic, o álbum recebeu uma nota generalizada de 91 de 100, baseado em 32 análises.[122] Alexis Petridis do The Guardian sugeriu que o álbum era um "desafio convencido sendo emitido a seus contemporâneos na música."[123] Em uma análise com uma nota perfeita de cinco estrelas, Dan Stubbs da NME descreveu Melodrama como um "álbum rudemente excelente", elogiando sua introspecção, honestidade e inteligência.[34] Em contraste, Carl Wilson da Slate concedeu que o álbum era "um desvio" em comparação a artistas dos anos 70 como Joni Mitchell e Leonard Cohen.[42]

Em sua análise favorável, Nolan Feeney da Entertainment Weekly elogiou as habilidades de composição de Lorde, descrevendo-as como um "quebra-cabeça que vai te manter ocupado muito tempo depois de a festa acabar."[124] Stacey Anderson, do Pitchfork, concluiu que o álbum era "um álbum pop lustroso e úmido cheio de luto e hedonismo, criado com extremo cuidado e conhecimento."[43] Sal Cinquemani, da Slant, ecoou o julgamento de Anderson, descrevendo o álbum como "catártico, dramático, e tudo mais que você desejaria que um álbum intitulado Melodrama fosse."[125] Will Hermes, da Rolling Stone, louvou a produção, considerando-a um "tour de force."[33]

Meagan Fredette, do The A.V. Club, considerou o álbum "rico e coeso", enquando Joe Goggins da Drowned in Sound, concluiu que Lorde "[opera] no nível artístico mais alto, e ainda assim consegue criar pop moderno de fácil acesso."[126][127] Escrevendo para a Spin, Anna Gaca afirmou que Melodrama "incorpora uma impotência estranha e estudiosa, o azul e preto de luz negra de uma perfeccionista tentando capturar sentimentos imperfeitos".[128] Entretanto, a análise de Mikael Wood para o Los Angeles Times foi menos positiva; ele criticou o tema narrativo do álbum, mas reconheceu o potencial de Lorde "possuindo sua autoridade recém-encontrada".[129]

ReconhecimentoEditar

Melodrama apareceu em diversas listas de fim de ano. Muitas fontes de mídia, incluindo Consequence of Sound, Cosmopolitan, Entertainment Weekly, The Mercury News, No Ripcord, NME, Pretty Much Amazing, Stereogum, Melty e Uproxx nomearam o álbum como o melhor de 2017.[130][131][132][133][134][135][136][137][138][139] Ele também foi votado como o quarto melhor álbum pelo questionário de 2017 aos críticos do Pazz & Jop do jornal The Village Voice, com uma pontuação de 724 pontos. O single "Green Light" foi votado no top 10 da lista de singles do Pazz & Jop.[140] No questionário anual aos leitores da Rolling Stone, Melodrama foi votado como o segundo álbum mais popular do ano, atrás apenas do álbum de estreia solo de Harry Styles.[141] O Metacritic nomeou Melodrama como o terceiro album melhor recebido de 2017, atrás de A Crow Looked at Me de Mount Eerie e DAMN. de Kendrick Lamar. Foi um dos três álbuns a receberem uma nota superior a 90 no site. O Metacritic também o considerou o segundo álbum mais proeminente de 2017, com 122,5 pontos; ele é atualmente o 29º álbum melhor avaliado de todos os tempos.[142][143]

Diversas publicações, incluido The Independent, Interview, The New Zealand Herald, PopMatters, The Ringer e Rolling Stone, incluíram Melodrama em segundo lugar em suas respectivas listas de fim de ano.[144][145][146][147][148][149] Outras publicações, incluindo BBC News, Billboard, Highsnobiety, New York Daily News, Newsday, People, Pigeons and Planes, The Skinny, ABC News, Dazed, Exclaim!, The Guardian, Q, Spin, The Daily Beast, Mashable, NPR, Pitchfork, Time, Vinyl Me, Please e Yahoo! incluíram o álbum entre os cinco melhores do ano.[150][151][152][153][154][155][156][157][158][159][160][161][162][163][164][165][166][167][168][169][170]

Outras publicações que incluíram Melodrama entre os dez melhores álbuns do ano incluem Fuse, Genius, Loud and Quiet, Jon Caramanica e Jon Pareles do The New York Times, Slant, Sputnikmusic, State, Time Out, Tiny Mix Tapes, Uncut, Vice e Vulture.[171][172][173][174][175][176][177][178][179][180][181][182] Publicações que incluíram o álbum em suas listas de fim de ano, mas fora dos dez melhores, incluem The A.V. Club, Complex, Drowned in Sound, The Line of Best Fit, Spectrum Culture e Under the Radar.[183][184][185][186][187][188] AllMusic, The Alternative, The Boston Globe, The Irish Times, The Nation, Newsweek, Kitty Empire do The Observer, Carl Wilson do Slate, The Stranger, The Sydney Morning Herald, USA Today, V e Variety incluíram Melodrama em suas listas, mas sem posição definida.[189][190][191][192][193][194][195][196][197][198][199][200][201] Rolling Stone e PopMatters também incluíram Melodrama em listas de fim de ano específicas a álbuns pop, em sétimo e primeiro lugar, respectivamente.[202][203]

Melodrama garantiu a Lorde a única indicação a uma artista feminina para Grammy Award para álbum do ano no Grammy Awards de 2018, mas ela acabou por perder o prêmio para o álbum 24K Magic (2016) de Bruno Mars.[204][205] Um dia antes do evento, foi reportado que a cantora havia se recusado a se apresentar na cerimônia após pedirem que ela cantasse junto de outros artistas. Sua decisão de protestar surgiu após os outros indicados, que eram todos homens, terem recebido a oportunidade de se apresentarem sozinhos. Um artigo publicado pela Variety reportou que a The Recording Academy pediu que Lorde se apresentasse com outros artistas em um tributo a Tom Petty, que envolvia sua canção "American Girl" (1976).[206]

Alinhamento de faixasEditar

A lista de faixas de Melodrama foi anunciada por Lorde em seu perfil no Twitter em 18 de maio de 2017.[207][208] A edição japonesa inclui um remix de "Green Light" como faixa bônus.[209] A edição encontrada no Spotify inclui o remix de "Homemade Dynamite", lançado como terceiro single do álbum.[210]

Melodrama – Versão padrão
N.º TítuloCompositor(es)Produtor(es) Duração
1. "Green Light"  
  • Lorde
  • Antonoff
  • Joel Little
  • Kuk Harrell(b)
3:54
2. "Sober"  
  • Yelich-O'Connor
  • Antonoff
  • Malaio
  • Lorde
  • Antonoff
  • Malaio
  • Harrell (b)
3:17
3. "Homemade Dynamite"  
  • Yelich-O'Connor
  • Tove Nilsson
  • Jakob Jerlström
  • Ludvig Söderberg
  • Frank Dukes
  • Lorde
  • Harrell(b)
3:09
4. "The Louvre"  
  • Yelich-O'Connor
  • Antonoff
  • Lorde
  • Antonoff
  • Flume(a)
  • Malaio(a)
4:31
5. "Liability"  
  • Yelich-O'Connor
  • Antonoff
  • Lorde
  • Antonoff
2:52
6. "Hard Feelings/Loveless"  
  • Yelich-O'Connor
  • Antonoff
  • Lorde
  • Antonoff
  • Dukes(a) ("Loveless")
6:07
7. "Sober II (Melodrama)"  
  • Yelich-O'Connor
  • Antonoff
  • Dukes
  • Lorde
  • Antonoff
  • Dukes
  • S1(a)
  • Harrell(c)
2:58
8. "Writer in the Dark"  
  • Yelich-O'Connor
  • Antonoff
  • Lorde
  • Antonoff
3:36
9. "Supercut"  
  • Yelich-O'Connor
  • Antonoff
  • Little
  • Lorde
  • Antonoff
  • Little
  • Dukes(a)
  • Jean-Benoît Dunckel(a)
  • Malay(a)
4:37
10. "Liability (Reprise)"  
  • Yelich-O'Connor
  • Antonoff
  • Lorde
  • Antonoff
2:16
11. "Perfect Places"  
  • Yelich-O'Connor
  • Antonoff
  • Andrew Wyatt
  • Lorde
  • Antonoff
  • Andrew Wyatt
  • Dukes(a)
3:41
Duração total:
40:58
Faixa bônus da edição japonesa
N.º TítuloCompositor(es)Produtor(es) Duração
12. "Green Light" (Chromeo Remix)Yelich-O'Connor, Antonoff, Little
  • Lorde
  • Antonoff
  • Little
  • Harrell(b)
  • Chromeo
4:09
Duração total:
45:07
Faixa bônus do Spotify(d)
N.º TítuloCompositor(es)Produtor(es) Duração
12. "Homemade Dynamite" (Remix com Khalid, Post Malone e SZA)
  • Dukes
  • Lorde
  • Harrell(b)
3:34
Duração total:
44:32
Notas
  • Nota a: denota produtor adicional
  • Nota b: denota produtor vocal
  • Nota c: denota produtor vocal adicional
  • Nota d: faixa adicionada ao álbum após seu lançamento como single

Créditos de amostra[15]

  • "Loveless" contém uma amostra de "In the Air Tonight", escrita e cantada por Phil Collins e uma gravação de áudio de Paul Simon que aparece no filme documentário de 2012, Under African Skies: Paul Simon's Graceland Journey.

CréditosEditar

Créditos adaptados das anotações de Melodrama.[211]

Desempenho nas tabelas musicaisEditar

Certificações e vendasEditar

Região Certificação Vendas certificadas(a)
  Austrália (ARIA)[106]   Platina 70 mil
  Canadá (Music Canada)[107]   Platina 80 mil
  Estados Unidos (RIAA)[109]   Ouro 500 mil
  Nova Zelândia (RMNZ)[110]   2× Platina 30 mil
  Reino Unido (BPI)[108]   Ouro 100 mil
Sumários
  Mundo[246] 400 mil
Nota a: vendas baseadas apenas na certificação recebida

Histórico de lançamentoEditar

Região Data Formato Gravadoras Número do catálogo Ref.
Mundialmente 16 de junho de 2017 Download digital, streaming Universal, Lava, Republic N/A [247]
CD B0026615-02 [248]
6 de abril de 2018 Disco de vinil N/A [249]

Ver tambémEditar

Referências

  1. Store HMV. «Melodrama Vinyl». Consultado em 18 de outubro de 2017 
  2. «Lorde Working on New Material, Australian Tour Being Planned». Billboard. Consultado em 22 de setembro de 2019 
  3. Davidson, Amy (5 de junho de 2014). «Lorde's next album "totally different"». Digital Spy (em inglês). Consultado em 22 de setembro de 2019 
  4. «Lorde Bares Her Fangs on 'Hunger Games' Single 'Yellow Flicker Beat'». Spin. 29 de setembro de 2014. Consultado em 22 de setembro de 2019 
  5. «Lorde to Curate 'Hunger Games: Mockingjay Part 1' Soundtrack and Contribute Single». Billboard. Consultado em 22 de setembro de 2019 
  6. «Lorde to Return to the Studio 'Within the Next Month Or So'». Billboard. Consultado em 22 de setembro de 2019 
  7. Quinn Moreland (8/11/2016). "Tracing Lorde's Little Clues About Her Sophomore Album" (em inglês). Pitchfork Media. Consultado em 2 de março de 2017.
  8. «Joel Little's Lorde album update: 'I'm not producing it'» (em inglês). 21 de outubro de 2016. ISSN 1170-0777 
  9. Reed, Ryan; Reed, Ryan (23 de setembro de 2015). «Hear Disclosure, Lorde's Seductive New Song, 'Magnets'». Rolling Stone (em inglês). Consultado em 22 de setembro de 2019 
  10. «Reports: Lorde has split from her boyfriend James Lowe after three years». Stuff (em inglês). Consultado em 22 de setembro de 2019 
  11. Andrew Trendell (10 de maio de 2017). «Lorde discusses the meaning of the 'Green Light' video». NME (em inglês). Consultado em 22 de setembro de 2019 
  12. «Lorde opens up: 'After a break-up, you go to these crazy places'». Stuff (em inglês). Consultado em 22 de setembro de 2019 
  13. «Pigeons & Planes: The Best in New Music Discovery and Curation». Complex (em inglês). Consultado em 22 de setembro de 2019 
  14. Savage, Mark (2 de março de 2017). «Lorde says Bowie inspired her new album» (em inglês) 
  15. a b Melodrama (notas de mídia). Lorde. Republic Records. 2017.
  16. «Lorde Shares Private Videos From 'Melodrama' Sessions: Watch». Billboard. Consultado em 22 de setembro de 2019 
  17. Spanos, Brittany; Spanos, Brittany (2 de março de 2017). «Lorde Explains Long Absence, Return to Music in New Interview». Rolling Stone (em inglês). Consultado em 22 de setembro de 2019 
  18. «Lorde Announces New Album Melodrama». Pitchfork (em inglês). Consultado em 22 de setembro de 2019 
  19. a b c Britton, Luke Morgan (16 de junho de 2017). «Lorde reveals her new album was originally about aliens». NME (em inglês). Consultado em 23 de setembro de 2019 
  20. a b c d e f g h i j Weiner, Jonah (12 de abril de 2017). «The Return of Lorde». The New York Times (em inglês). ISSN 0362-4331 
  21. a b c d Nast, Condé. «Yes, Lorde's New Songs Are Definitely About Her Personal Life». Vanity Fair (em inglês). Consultado em 23 de setembro de 2019 
  22. Eckardt, Stephanie. «The Story Behind Lorde's New Album Cover, From the Artist Who Created It». W Magazine (em inglês). Consultado em 23 de setembro de 2019 
  23. Nast, Condé. «The Artist Behind Lorde's Album Cover Wanted To Capture Youth in All It's Glory». Vogue (em inglês). Consultado em 23 de setembro de 2019 
  24. Tolentino, Jia (24 de março de 2017). «The Artist Sam McKinniss on Capturing Lorde in the Twilight» (em inglês). ISSN 0028-792X 
  25. Dazed (22 de fevereiro de 2018). «Sam McKinniss is painting Google Images of your favourite icons». Dazed (em inglês). Consultado em 23 de setembro de 2019 
  26. Milton, Jamie (20 de novembro de 2017). «Best Album Artwork Of The 21st Century». NME (em inglês). Consultado em 23 de setembro de 2019 
  27. «The 40 Best Album Covers of 2017». pastemagazine.com (em inglês). 14 de dezembro de 2017. Consultado em 23 de setembro de 2019 
  28. «25 Best & Worst Album Covers of 2017». Billboard. Consultado em 23 de setembro de 2019 
  29. Beautiful; Cool-Looking, Thought-Provoking or Just Plain; Eye, These Are the Album Covers That Caught Our. «The Best Album Covers of 2017». Fuse (em inglês). Consultado em 23 de setembro de 2019 
  30. Reporters, Telegraph (3 de março de 2017). «Lorde reveals David Bowie was inspiration for second album as new single Green Light released». The Telegraph (em inglês). ISSN 0307-1235 
  31. a b c d e f EDT, Claire Shaffer On 6/24/17 at 9:30 AM (24 de junho de 2017). «For "Melodrama," Lorde drew inspiration from rock, hip-hop and an avant-garde vocal track». Newsweek (em inglês). Consultado em 23 de setembro de 2019 
  32. McCormick, Neil (16 de junho de 2017). «Lorde, Melodrama, review: 'this imaginatively audacious triumph is just too good to resist'». The Telegraph (em inglês). ISSN 0307-1235 
  33. a b c Hermes, Will; Hermes, Will (16 de junho de 2017). «Review: Lorde's 'Melodrama' Is a Fantastically Intimate Triumph». Rolling Stone (em inglês). Consultado em 23 de setembro de 2019 
  34. a b Stubbs, Dan. «Lorde - 'Melodrama' Album Review». NME (em inglês). Consultado em 23 de setembro de 2019 
  35. Zoladz, Lindsay (30 de novembro de 2017). «How Jack Antonoff Became the Most Important Producer in Pop». The Ringer (em inglês). Consultado em 23 de setembro de 2019 
  36. Kot, Greg. «Review: Lorde and the 'Melodrama' of innocence lost». chicagotribune.com. Consultado em 23 de setembro de 2019 
  37. «Lorde's 'Melodrama' is 2017's best pop album so far». USA TODAY (em inglês). Consultado em 23 de setembro de 2019 
  38. «Album Review: Lorde - Melodrama». Consequence of Sound (em inglês). 20 de junho de 2017. Consultado em 23 de setembro de 2019 
  39. Empire, Kitty (18 de junho de 2017). «Lorde: Melodrama review – maximum overwrought». The Guardian (em inglês). ISSN 0261-3077 
  40. Willman, Chris; Willman, Chris (16 de junho de 2017). «Album Review: Lorde Acts Her Age on 'Melodrama'». Variety (em inglês). Consultado em 23 de setembro de 2019 
  41. «Lorde – 'Melodrama' review». Crack Magazine. Consultado em 23 de setembro de 2019 
  42. a b Wilson, Carl (19 de junho de 2017). «Lorde's Melodrama Is the Best Pop Album of the Year So Far, and the Best We're Likely to Get». Slate Magazine (em inglês). Consultado em 23 de setembro de 2019 
  43. a b c «Lorde: Melodrama». Pitchfork (em inglês). Consultado em 23 de setembro de 2019 
  44. «Lorde: Melodrama Review». pastemagazine.com (em inglês). 26 de junho de 2017. Consultado em 23 de setembro de 2019 
  45. «Lorde's New Album Tells the Story of One House Party». Pitchfork (em inglês). Consultado em 23 de setembro de 2019 
  46. a b Ryan, Patrick. «Lorde breaks down 5 key songs off new album 'Melodrama'». USA TODAY (em inglês). Consultado em 23 de setembro de 2019 
  47. «Lorde's Melodrama Is a Concept Album About a House Party and 7 Things to Know Before Listening». Vulture. Consultado em 23 de setembro de 2019 
  48. «Lorde's new album Melodrama is about a house party, it was originally about aliens». The Independent (em inglês). 16 de junho de 2017. Consultado em 23 de setembro de 2019 
  49. a b c Mackay, Emily (16 de junho de 2017). «Lorde talks fame, growing up and her new album 'Melodrama'». NME (em inglês). Consultado em 23 de setembro de 2019 
  50. Tensley, Brandon. «Lorde Is Talking Teeth — and Status». Pacific Standard (em inglês). Consultado em 23 de setembro de 2019 
  51. Editor, Madeleine Gaudin Senior Arts. «Single Review: Lorde is almighty on 'Green Light'». The Michigan Daily (em inglês). Consultado em 23 de setembro de 2019 
  52. Kornhaber, Spencer (2 de março de 2017). «With 'Green Light,' Lorde Joyfully Crashes Into the Future». The Atlantic (em inglês). Consultado em 23 de setembro de 2019 
  53. Nast, Condé. «We Finally Know When Lorde's New ALBUM Is Coming». Teen Vogue (em inglês). Consultado em 23 de setembro de 2019 
  54. Spanos, Brittany; Spanos, Brittany (2 de março de 2017). «Lorde Explains Long Absence, Return to Music in New Interview». Rolling Stone (em inglês). Consultado em 23 de setembro de 2019 
  55. «Lorde: Melodrama Review». pastemagazine.com (em inglês). 26 de junho de 2017. Consultado em 23 de setembro de 2019 
  56. a b c d e Oliver, Henry (19 de junho de 2017). «The Spinoff Exclusive: Lorde explains the backstory behind every song on her new album». The Spinoff. Consultado em 23 de setembro de 2019 
  57. «Lorde Dissects "Sober" on "Song Exploder": Listen». Pitchfork (em inglês). Consultado em 23 de setembro de 2019 
  58. «Jack Antonoff on his busy 2017 and the Taylor Swift song he calls a 'hint at the future'». EW.com (em inglês). Consultado em 23 de setembro de 2019 
  59. «Lorde Reveals How Frank Ocean's 'Blonde' Inspired Her Album 'Melodrama'». Complex (em inglês). Consultado em 23 de setembro de 2019 
  60. «Lorde Reveals Frank Ocean Influenced Her New Album». Clash Magazine (em inglês). Consultado em 23 de setembro de 2019 
  61. Pareles, Jon (16 de junho de 2017). «Lorde Learns She Can't Party Away Her Melancholy on 'Melodrama'». The New York Times (em inglês). ISSN 0362-4331 
  62. «Jack Antonoff on his busy 2017 and the Taylor Swift song he calls a 'hint at the future'». EW.com (em inglês). Consultado em 23 de setembro de 2019 
  63. «Lorde On Dialing Out And Turning Inward». NPR.org (em inglês). Consultado em 23 de setembro de 2019 
  64. Maine, Samantha (15 de abril de 2017). «Lorde plays first show in over 2 years at tiny surprise gig, see photos, setlist and footage». NME (em inglês). Consultado em 23 de setembro de 2019 
  65. a b Samantha Maine (15/11/2016). "Lorde Teases New Album Again" (em inglês). NME. Consultado em 2 de março de 2017.
  66. "20 Most Anticipated Pop Albums of 2016" (em inglês). Rolling Stone. 8/1/2016. Consultado em 2 de março de 2017.
  67. Hugh McIntyre (27/12/2016). "8 Of The Most Anticipated Pop Albums Of 2017" (em inglês). Forbes. Consultado em 2 de março de 2017.
  68. Andrew Unterberger (29/12/2016). "2017 Music Preview: 40 Most Anticipated Albums" (em inglês). Billboard. Nielsen Business Media, Inc. Consultado em 2 de março de 2017.
  69. "The 101 Most Anticipated Albums Of 2017" (em inglês). Stereogum. 14/12/2016. Consultado em 2 de março de 2017.
  70. "Readers' Poll Results: The 10 Most Anticipated Albums Of 2017" (em inglês). Idolator. 6/1/2017. Consultado em 2 de março de 2017.
  71. Whitney Bauck (23/9/2016). "3 Things We Want to Hear on Lorde's Sophomore Album" (em inglês). Billboard. Nielsen Business Media, Inc. Consultado em 2 de março de 2017.
  72. Patrick Hosken (4/1/2016). "Lorde Just Revealed Her Album Title" (em inglês). MTV News. Consultado em 2 de março de 2017.
  73. «Lorde Teases New Music With Mysterious Video». EW.com (em inglês). Consultado em 23 de setembro de 2019 
  74. «Everything We Know About Lorde's Upcoming Album Release». Time (em inglês). Consultado em 23 de setembro de 2019 
  75. «It looks like a new Lorde single will premiere on Friday». Consequence of Sound (em inglês). 27 de fevereiro de 2017. Consultado em 23 de setembro de 2019 
  76. Amy Phillips e Matthew Strauss (2/3/2017). "Lorde Announces New Album Melodrama" (em inglês). Pitchfork Media. Consultado em 2 de março de 2017.
  77. Sheldon Pearce (9/3/2017). "Listen to Lorde's New Song 'Liability'" (em inglês). Pitchfork Media. Consultado em 10 de março de 2017.
  78. Amazon. «Melodrama Vinyl». Consultado em 18 de outubro de 2017 
  79. Britton, Luke Morgan (8 de junho de 2017). «Lorde announces world tour including UK and Europe dates». NME (em inglês). Consultado em 23 de setembro de 2019 
  80. Kreps, Daniel; Kreps, Daniel (16 de junho de 2017). «Lorde Sets North American Leg of Melodrama World Tour». Rolling Stone (em inglês). Consultado em 23 de setembro de 2019 
  81. Belanciano, Vítor. «Oh, Lorde! Vai ser difícil escolher no Nos Primavera Sound». PÚBLICO. Consultado em 23 de setembro de 2019 
  82. «Lorde e Blondie comandam Popload Festival para 14 mil fãs em São Paulo». G1. Consultado em 23 de setembro de 2019 
  83. Henwood, Bridgett (2 de março de 2017). «"Green Light," Lorde's first single in 3 years, reveals a more upbeat pop star». Vox (em inglês). Consultado em 23 de setembro de 2019 
  84. «Pazz & Jop: It's Kendrick's and Cardi's World. We're All Just Living in It.». www.villagevoice.com. Consultado em 23 de setembro de 2019 
  85. NME (27 de novembro de 2017). «Best Songs of the Year 2017». NME (em inglês). Consultado em 23 de setembro de 2019 
  86. «Gold & Platinum». RIAA (em inglês). Consultado em 23 de setembro de 2019 
  87. «ARIA CHART WATCH #458 | auspOp». web.archive.org. 3 de fevereiro de 2018. Consultado em 23 de setembro de 2019 
  88. «Lorde makes live comeback with dazzling performance on SNL -- watch». Consequence of Sound (em inglês). 12 de março de 2017. Consultado em 23 de setembro de 2019 
  89. «Listen to Lorde's New Song "Liability"». Pitchfork (em inglês). Consultado em 23 de setembro de 2019 
  90. «Lorde unveils new track 'Liability', along with a release date for 'Melodrama'». Dork (em inglês). Consultado em 23 de setembro de 2019 
  91. «Lorde Debuts New Song 'Sober' at First Concert in More Than Two Years». Billboard. Consultado em 23 de setembro de 2019 
  92. Bakare, Lanre; Lee, Benjamin; Khawaja, Jemayel (17 de abril de 2017). «Coachella 2017: Sunday acts Skepta, New Order, Lorde and more reviewed». The Guardian (em inglês). ISSN 0261-3077 
  93. Appleford, Nicolas Stecher,Steve; Stone, Rolling (17 de abril de 2017). «25 Best Things We Saw at Coachella 2017: Weekend One». Rolling Stone (em inglês). Consultado em 23 de setembro de 2019 
  94. «Coachella 2017 Festival Review: From Worst to Best». Consequence of Sound (em inglês). 17 de abril de 2017. Consultado em 23 de setembro de 2019 
  95. Leight, Elias; Leight, Elias (22 de maio de 2017). «Watch Lorde's Karaoke-Party Take on 'Green Light' at BBMAs». Rolling Stone (em inglês). Consultado em 23 de setembro de 2019 
  96. «フジロックにRADWIMPS、YUKI、Cocco、yahyel、サンダーキャットら» [Radwikps, Yuki, Cocco, Yahyel, Thundercat e mais no Fuji Rock] (em japonês). Natalie. 12 de maio de 2017. Consultado em 23 de setembro de 2019 
  97. Abad-Santos, Alex (27 de agosto de 2017). «Lorde had the flu. She performed at the VMAs anyway.». Vox (em inglês). Consultado em 23 de setembro de 2019 
  98. Shipley, Elias Leight,Nick Murray,Al; Stone, Rolling (28 de agosto de 2017). «MTV VMAs 2017: The Best, Worst and Most WTF Moments». Rolling Stone (em inglês). Consultado em 23 de setembro de 2019 
  99. ‎Homemade Dynamite (Remix) [feat. Khalid, Post Malone & SZA] - Single by Lorde (em inglês), consultado em 23 de setembro de 2019 
  100. «charts.org.nz - Lorde - Melodrama». charts.nz. Consultado em 23 de setembro de 2019 
  101. «Lorde Earns First No. 1 Album on Billboard 200 Chart With 'Melodrama'». Billboard. Consultado em 23 de setembro de 2019 
  102. «Lorde's 'Melodrama' has short reign at top of the US charts, falling to No 13». Stuff (em inglês). Consultado em 23 de setembro de 2019 
  103. «On The Charts: June 25, 2017». FYIMusicNews (em inglês). 25 de junho de 2017. Consultado em 23 de setembro de 2019 
  104. «Lorde knocks off Ed Sheeran from the top of the ARIA chart». NewsComAu. 25 de junho de 2017. Consultado em 23 de setembro de 2019 
  105. «Official Charts Analysis: Royal Blood score second chart-topper | Analysis | Music Week». www.musicweek.com. Consultado em 23 de setembro de 2019 
  106. a b «ARIA Charts – Accreditations – 2019 Albums». Australian Recording Industry Association (em inglês). Consultado em 23 de setembro de 2019 
  107. a b «Gold/Platinum». Music Canada (em inglês). Consultado em 23 de setembro de 2019 
  108. a b «Lorde - Melodrama». British Phonographic Industry. Consultado em 23 de setembro de 2019 
  109. a b «Gold & Platinum». RIAA (em inglês). Consultado em 23 de setembro de 2019 
  110. a b «The Official New Zealand Music Chart». THE OFFICIAL NZ MUSIC CHART (em inglês). Consultado em 23 de setembro de 2019 
  111. «Reviews and Tracks for Melodrama by Lorde». Metacritic. Consultado em 23 de setembro de 2019 
  112. «Melodrama – Lorde». AllMusic. Consultado em 23 de setembro de 2019 
  113. «On Melodrama, Lorde throws a party for all of our messy selves». The A.V. Club. Consultado em 23 de setembro de 2019 
  114. «Lorde, Melodrama, review: 'this imaginatively audacious triumph is just too good to resist'». The Daily Telegraph. Consultado em 23 de setembro de 2019 
  115. «Lorde Makes Partying Sound Holy on 'Melodrama': EW Review». Entertainment Weekly. Consultado em 23 de setembro de 2019 
  116. «Lorde: Melodrama review – a cocky challenge to her pop rivals». The Guardian. Consultado em 23 de setembro de 2019 
  117. «Lorde, Melodrama, album review: Unconventional pop that still bangs». The Independent. Consultado em 23 de setembro de 2019 
  118. «Lorde – 'Melodrama' Album Review». NME. Consultado em 23 de setembro de 2019 
  119. «Lorde: Melodrama». Pitchfork. Consultado em 23 de setembro de 2019 
  120. «Review: Lorde's 'Melodrama' Is Fantastically Intimate, a Production Tour De Force». Rolling Stone. Consultado em 23 de setembro de 2019 
  121. «Robert Christgau on Lorde, Amber Coffman, and Bleachers». Vice. Consultado em 23 de setembro de 2019 
  122. Melodrama by Lorde (em inglês), consultado em 23 de setembro de 2019 
  123. Petridis, Alexis (16 de junho de 2017). «Lorde: Melodrama review – a cocky challenge to her pop rivals». The Guardian (em inglês). ISSN 0261-3077 
  124. «Lorde Makes Partying Sound Holy on 'Melodrama': EW Review». EW.com (em inglês). Consultado em 23 de setembro de 2019 
  125. Cinquemani, Sal. «Review: Lorde, Melodrama» (em inglês). Consultado em 23 de setembro de 2019 
  126. Fredette, Meagan. «On Melodrama, Lorde throws a party for all of our messy selves». Music (em inglês). Consultado em 23 de setembro de 2019 
  127. «Album Review: Lorde - Melodrama». DrownedInSound (em inglês). Consultado em 23 de setembro de 2019 
  128. «Review: Lorde – 'Melodrama'». Spin. 16 de junho de 2017. Consultado em 23 de setembro de 2019 
  129. «Review: Lorde is stronger than she seems on 'Melodrama'». Los Angeles Times (em inglês). 16 de junho de 2017. Consultado em 23 de setembro de 2019 
  130. «Top 50 Albums of 2017 | Consequence of Sound | Page 5». web.archive.org. 1 de dezembro de 2017. Consultado em 23 de setembro de 2019 
  131. Thompson, Eliza (13 de dezembro de 2017). «The 10 Best Albums of 2017». Cosmopolitan (em inglês). Consultado em 23 de setembro de 2019 
  132. «Best Albums of 2017: EW Picks 25 Greatest». web.archive.org. 7 de dezembro de 2017. Consultado em 23 de setembro de 2019 
  133. «Best of 2017: Who's No. 1 on top 10 pop albums list? (Not who you might expect)». The Mercury News (em inglês). 27 de dezembro de 2017. Consultado em 23 de setembro de 2019 
  134. «The Best Albums of 2017». No Ripcord (em inglês). Consultado em 23 de setembro de 2019 
  135. NME (27 de dezembro de 2017). «Best albums of the year 2017». NME (em inglês). Consultado em 23 de setembro de 2019 
  136. Amazing, Pretty Much. «The Best Albums of 2017». Pretty Much Amazing (em inglês). Consultado em 23 de setembro de 2019 
  137. «The 50 Best Albums Of 2017». Stereogum. 5 de dezembro de 2017. Consultado em 23 de setembro de 2019 
  138. Rajaona, Wyzman (20 de dezembro de 2017). «Les 10 meilleurs albums pop de 2017 !». melty (em francês). Consultado em 23 de setembro de 2019 
  139. «The 50 Best Albums Of 2017, Ranked». UPROXX (em inglês). 4 de dezembro de 2017. Consultado em 23 de setembro de 2019 
  140. «Pazz & Jop: It's Kendrick's and Cardi's World. We're All Just Living in It.». www.villagevoice.com. Consultado em 23 de setembro de 2019 
  141. Spanos, Brittany; Stone, Rolling (6 de dezembro de 2017). «Readers' Poll: 10 Best Albums of 2017». Rolling Stone (em inglês). Consultado em 23 de setembro de 2019 
  142. «Best of 2017: Music Critic Top Ten Lists». Metacritic (em inglês). Consultado em 23 de setembro de 2019 
  143. «Best Music and Albums of All Time». Metacritic (em inglês). Consultado em 23 de setembro de 2019 
  144. «The 30 best albums of 2017». The Independent (em inglês). 27 de novembro de 2017. Consultado em 23 de setembro de 2019 
  145. «The 10 best albums of 2017». Interview Magazine (em inglês). 21 de dezembro de 2017. Consultado em 23 de setembro de 2019 
  146. «Aldous Harding, Lorde and Kendrick Lamar: Here are the best albums of 2017» (em inglês). 13 de dezembro de 2017. ISSN 1170-0777 
  147. «The 60 Best Albums of 2017». PopMatters (em inglês). 11 de dezembro de 2017. Consultado em 23 de setembro de 2019 
  148. Harvilla, Rob (6 de dezembro de 2017). «The Best Albums of 2017». The Ringer (em inglês). Consultado em 23 de setembro de 2019 
  149. Sheffield, Christopher R. Weingarten,Jon Dolan,Hank Shteamer,Brittany Spanos,Suzy Exposito,Joseph Hudak,Simon Vozick-Levinson,Keith Harris,Maura Johnston,Joe Levy,Will Hermes,Rob; Weingarten, Christopher R.; Dolan, Jon; Shteamer, Hank; Spanos, Brittany; Exposito, Suzy; Hudak, Joseph; Vozick-Levinson, Simon; Harris, Keith (27 de novembro de 2017). «50 Best Albums of 2017». Rolling Stone (em inglês). Consultado em 23 de setembro de 2019 
  150. Savage, Mark (22 de dezembro de 2017). «The top 10 albums of 2017» (em inglês) 
  151. «Billboard's 50 Best Albums of 2017: Critics' Picks». Billboard. Consultado em 23 de setembro de 2019 
  152. «The 25 Best Albums of 2017». Highsnobiety (em inglês). 14 de dezembro de 2017. Consultado em 23 de setembro de 2019 
  153. Dukoff, Amy Rowe, Spencer. «The 25 best albums of 2017». nydailynews.com. Consultado em 23 de setembro de 2019 
  154. «Best albums of 2017 | Newsday». web.archive.org. 22 de dezembro de 2017. Consultado em 23 de setembro de 2019 
  155. «People: 10 Best Albums of 2017». web.archive.org. 19 de março de 2018. Consultado em 23 de setembro de 2019 
  156. «Pigeons & Planes: The Best in New Music Discovery and Curation». Complex (em inglês). Consultado em 23 de setembro de 2019 
  157. «The Skinny's Top 50 Albums of 2017». web.archive.org. 7 de dezembro de 2017. Consultado em 23 de setembro de 2019 
  158. News, A. B. C. «50 best albums of 2017». ABC News (em inglês). Consultado em 23 de setembro de 2019 
  159. Dazed (13 de dezembro de 2017). «Ranked: The best albums of 2017». Dazed (em inglês). Consultado em 23 de setembro de 2019 
  160. «Exclaim!'s Top 20 Pop & Rock Albums, 10 to 1 Best of 2017». exclaim.ca (em inglês). Consultado em 23 de setembro de 2019 
  161. Petridis, Alexis (19 de dezembro de 2017). «The best albums of 2017, No 4: Lorde – Melodrama». The Guardian (em inglês). ISSN 0261-3077 
  162. «Q Magazine's 50 Best Albums of 2017». Album of The Year (em inglês). Consultado em 23 de setembro de 2019 
  163. «50 Best Albums of 2017». Spin. 18 de dezembro de 2017. Consultado em 23 de setembro de 2019 
  164. Stern, Marlow (28 de dezembro de 2017). «10 Best Albums of 2017: Sex, Rhymes and Heartbreak» (em inglês) 
  165. Tesema, Martha. «Our 10 favorite albums of 2017». Mashable (em inglês). Consultado em 23 de setembro de 2019 
  166. «The 50 Best Albums Of 2017 (10-1)». NPR.org (em inglês). Consultado em 23 de setembro de 2019 
  167. «The 50 Best Albums of 2017 - Page 5». Pitchfork (em inglês). Consultado em 23 de setembro de 2019 
  168. «The Top 10 Albums of 2017». Time (em inglês). Consultado em 23 de setembro de 2019 
  169. «The Best Albums Of 2017». Vinyl Me Please (em inglês). 20 de dezembro de 2017. Consultado em 23 de setembro de 2019 
  170. «The best albums of 2017: Yahoo Entertainment staff picks». www.yahoo.com (em inglês). Consultado em 23 de setembro de 2019 
  171. of 2017, Best. «The 20 Best Albums of 2017». Fuse (em inglês). Consultado em 23 de setembro de 2019 
  172. «The Genius Community's 50 Best Albums of 2017». Genius (em inglês). Consultado em 23 de setembro de 2019 
  173. «The Loud And Quiet top 40 albums of 2017». Loud And Quiet (em inglês). Consultado em 23 de setembro de 2019 
  174. Pareles, Jon; Caramanica, Jon; Russonello, Giovanni (6 de dezembro de 2017). «The Best Albums of 2017». The New York Times (em inglês). ISSN 0362-4331 
  175. Staff. «The 25 Best Albums of 2017» (em inglês). Consultado em 23 de setembro de 2019 
  176. «Sputnikmusic - Staff's Top 50 Albums of 2017: 10 – 1 « Staff Blog» (em inglês). Consultado em 23 de setembro de 2019 
  177. Kelly, Megan (19 de dezembro de 2017). «Lists: State's Albums of 2017». State. Consultado em 23 de setembro de 2019 
  178. «The best albums of 2017». Time Out New York (em inglês). Consultado em 23 de setembro de 2019 
  179. «2017: Favorite 50 Music Releases». Tiny Mix Tapes (em inglês). Consultado em 23 de setembro de 2019 
  180. «Uncut's 75 Best Albums of 2017». Album of The Year (em inglês). Consultado em 23 de setembro de 2019 
  181. Staff, Noisey (6 de dezembro de 2017). «The 100 Best Albums of 2017». Vice (em inglês). Consultado em 23 de setembro de 2019 
  182. «The 10 Best Albums of 2017». Vulture. Consultado em 23 de setembro de 2019 
  183. Waite, Kelsey J. «The A.V. Club's 20 best albums of 2017». The A.V. Club (em inglês). Consultado em 23 de setembro de 2019 
  184. «The Best Albums of 2017Lorde, 'Melodrama'». Complex (em inglês). Consultado em 23 de setembro de 2019 
  185. 600581112. «Drowned in Sound's Favourite Albums of 2017». DrownedInSound (em inglês). Consultado em 23 de setembro de 2019 
  186. «The Best Albums of 2017». The Line of Best Fit (em inglês). Consultado em 23 de setembro de 2019 
  187. «Top 20 Albums of 2017». Spectrum Culture (em inglês). 20 de dezembro de 2017. Consultado em 23 de setembro de 2019 
  188. «Under the Radar's Top 100 Albums of 2017 | Under the Radar - Music Magazine». undertheradarmag.com (em inglês). Consultado em 23 de setembro de 2019 
  189. «AllMusic Best of 2017 | AllMusic 2017 in Review». AllMusic (em inglês). Consultado em 23 de setembro de 2019 
  190. «The Alternative's Top 50 Releases of 2017». The Alternative (em inglês). 18 de dezembro de 2017. Consultado em 23 de setembro de 2019 
  191. «Terence Cawley's picks for best albums of 2017 - The Boston Globe». web.archive.org. 23 de dezembro de 2017. Consultado em 23 de setembro de 2019 
  192. «The best albums of 2017». The Irish Times (em inglês). Consultado em 23 de setembro de 2019 
  193. Hajdu, David (20 de dezembro de 2017). «The Best Albums of 2017» (em inglês). ISSN 0027-8378 
  194. Schonfeld, Zach; Gaudette, Emily; Williams, Janice; EST, Tufayel Ahmed On 12/15/17 at 6:00 AM (15 de dezembro de 2017). «The 17 best albums of 2017». Newsweek (em inglês). Consultado em 23 de setembro de 2019 
  195. Empire, Kitty (10 de dezembro de 2017). «Kitty Empire's best pop of 2017». The Guardian (em inglês). ISSN 0261-3077 
  196. Wilson, Carl (26 de dezembro de 2017). «The Best Albums of the Year». Slate Magazine (em inglês). Consultado em 23 de setembro de 2019 
  197. Cortes, Amber; Kaplan, Anna; Nelson, Sean; Polk, Leilani; Segal, Dave; Smith, Rich. «Top 10 Albums of 2017, Local and National». The Stranger (em inglês). Consultado em 23 de setembro de 2019 
  198. Mathieson, Craig (14 de dezembro de 2017). «Top 20 albums of 2017: From proven stars to those starting out». The Sydney Morning Herald (em inglês). Consultado em 23 de setembro de 2019 
  199. McDermott, Maeve; Ryan, Patrick. «USA TODAY's 10 favorite albums». USA TODAY (em inglês). Consultado em 23 de setembro de 2019 
  200. «The 10 Best Albums of 2017 | V Magazine». vmagazine.com. Consultado em 23 de setembro de 2019 
  201. Staff, Variety; Staff, Variety (15 de dezembro de 2017). «The Best Albums of 2017». Variety (em inglês). Consultado em 23 de setembro de 2019 
  202. «The Best Pop Albums of 2017». PopMatters (em inglês). 7 de dezembro de 2017. Consultado em 23 de setembro de 2019 
  203. Sheffield, Brittany Spanos,Simon Vozick-Levinson,Maura Johnston,Joe Levy,Will Hermes,Rob; Spanos, Brittany; Vozick-Levinson, Simon; Johnston, Maura; Levy, Joe; Hermes, Will; Sheffield, Rob (12 de dezembro de 2017). «20 Best Pop Albums of 2017». Rolling Stone (em inglês). Consultado em 23 de setembro de 2019 
  204. «Bruno Mars Completes His Big Night by Winning Album of the Year for '24K Magic' at the 2018 Grammy Awards». Billboard. Consultado em 23 de setembro de 2019 
  205. EST, Zach Schonfeld On 1/29/18 at 9:17 AM (29 de janeiro de 2018). «'Melodrama' and actual drama: Lorde's rough night at the Grammys». Newsweek (em inglês). Consultado em 23 de setembro de 2019 
  206. Aswad, Jem; Aswad, Jem (27 de janeiro de 2018). «Why Isn't 2018 Album of the Year Nominee Lorde Performing at the Grammys?». Variety (em inglês). Consultado em 23 de setembro de 2019 
  207. Colin Stutz (18/5/2017). "Lorde Shares 'Melodrama' Track List" (em inglês). Billboard. Nielsen Business Media, Inc. Consultado em 19 de maio de 2017.
  208. "Lorde - Melodrama" (em inglês). iTunes Store. Apple Music. Consultado em 29 de maio de 2017.
  209. «Melodrama [Japan Bonus Track] Lorde CD Album». CDJapan (em inglês). Consultado em 23 de setembro de 2019 
  210. Melodrama (em inglês), consultado em 23 de setembro de 2019 
  211. Melodrama (notas de mídia). Lorde. Lava Records / Republic Records. 2017.
  212. «Offizielle Deutsche Charts - Offizielle Deutsche Charts». www.offiziellecharts.de. Consultado em 23 de setembro de 2019 
  213. «australian-charts.com - Lorde - Melodrama». australian-charts.com. Consultado em 23 de setembro de 2019 
  214. Hung, Steffen. «Lorde - Melodrama». austriancharts.at. Consultado em 23 de setembro de 2019 
  215. «Lorde - Melodrama». ultratop.be. Consultado em 23 de setembro de 2019 
  216. «Lorde - Melodrama». ultratop.be. Consultado em 23 de setembro de 2019 
  217. «Lorde Chart History». Billboard. Consultado em 23 de setembro de 2019 
  218. «국내 대표 음악 차트 가온차트!». gaonchart.co.kr. Consultado em 23 de setembro de 2019 
  219. «danishcharts.com - Lorde - Melodrama». danishcharts.dk. Consultado em 23 de setembro de 2019 
  220. «Official Scottish Albums Chart Top 100 | Official Charts Company». www.officialcharts.com (em inglês). Consultado em 23 de setembro de 2019 
  221. «spanishcharts.com - Lorde - Melodrama». spanishcharts.com. Consultado em 23 de setembro de 2019 
  222. «Lorde Chart History». Billboard. Consultado em 23 de setembro de 2019 
  223. «Lorde Chart History». Billboard. Consultado em 23 de setembro de 2019 
  224. «Lorde Chart History». Billboard. Consultado em 23 de setembro de 2019 
  225. «Suomen Virallinen Lista». Musiikkituottajat (em finlandês). Consultado em 23 de setembro de 2019 
  226. «Le Top de la semaine : Top Albums». SNEP - Syndicat Nation de l'Edition Phonographique. 1 de novembro de 2013. Consultado em 23 de setembro de 2019 
  227. «Top 40 album-, DVD- és válogatáslemez-lista - Hivatalos magyar slágerlisták». zene.slagerlistak.hu. Consultado em 23 de setembro de 2019 
  228. «irishcharts.com - Discography Lorde». www.irish-charts.com. Consultado em 23 de setembro de 2019 
  229. «italiancharts.com - Lorde - Melodrama». italiancharts.com. Consultado em 23 de setembro de 2019 
  230. «メロドラマ | Lorde». ORICON NEWS. Consultado em 23 de setembro de 2019 
  231. «charts.org.nz - Lorde - Melodrama». charts.nz. Consultado em 23 de setembro de 2019 
  232. «norwegiancharts.com - Lorde - Melodrama». norwegiancharts.com. Consultado em 23 de setembro de 2019 
  233. Hung, Steffen. «Lorde - Melodrama». hitparade.ch. Consultado em 23 de setembro de 2019 
  234. «Oficjalna lista sprzeday :: OLIS - Official Retail Sales Chart». olis.onyx.pl. Consultado em 23 de setembro de 2019 
  235. «portuguesecharts.com - Lorde - Melodrama». portuguesecharts.com. Consultado em 23 de setembro de 2019 
  236. «ČNS IFPI». hitparada.ifpicr.cz. Consultado em 23 de setembro de 2019 
  237. «Official Albums Chart Top 100 | Official Charts Company». www.officialcharts.com (em inglês). Consultado em 23 de setembro de 2019 
  238. «swedishcharts.com - Lorde - Melodrama». swedishcharts.com. Consultado em 23 de setembro de 2019 
  239. «Lorde - Melodrama - hitparade.ch». swisscharts.com. Consultado em 23 de setembro de 2019 
  240. «ARIA End Of Year Albums 2017 | Top 100 Australian Albums Chart | ARIA Charts». web.archive.org. 6 de janeiro de 2018. Consultado em 23 de setembro de 2019 
  241. «ultratop.be - ULTRATOP BELGIAN CHARTS». ultratop.be. Consultado em 23 de setembro de 2019 
  242. «Top Billboard 200 Albums - Year-End». Billboard. Consultado em 23 de setembro de 2019 
  243. «The Official New Zealand Music Chart». THE OFFICIAL NZ MUSIC CHART (em inglês). Consultado em 23 de setembro de 2019 
  244. «Australia's Official Music Charts - Single, Album | ARIA Charts». web.archive.org. 28 de março de 2019. Consultado em 23 de setembro de 2019 
  245. «The Official New Zealand Music Chart». THE OFFICIAL NZ MUSIC CHART (em inglês). Consultado em 23 de setembro de 2019 
  246. «ANUARIO SGAE 2016». www.anuariossgae.com. Consultado em 23 de setembro de 2019 
  247. ‎Melodrama by Lorde (em inglês), consultado em 23 de setembro de 2019 
  248. «Lorde - Melodrama - Amazon.com Music». Amazon. Consultado em 23 de setembro de 2019 
  249. «Lorde – Melodrama [LP] – Amazon.com Music». Amazon. Consultado em 23 de setembro de 2019 

Ligações externasEditar