Seleção Sul-Africana de Futebol

A Seleção Sul-Africana de Futebol (em inglês: South Africa national football team; em africâner: Suid-Afrikaanse nasionale sokker span) representa a África do Sul nas competições de futebol da FIFA. Seu apelido é Bafana Bafana, um termo da língua zulu que significa "Os Garotos".

África do Sul
South Africa Flor.png
Alcunhas?  Bafana Bafana (Os Garotos)
Associação Associação Sul-Africana de Futebol (South African Football Association / Sokker Vereniging van Suid-Afrika)
Confederação CAF
Material desportivo?  França Le Coq Sportif
Treinador Bélgica Hugo Broos
Capitão Ronwen Williams
Mais participações Aaron Mokoena (107)
Melhor artilheiro Benni McCarthy (32)
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Uniforme
titular
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Uniforme
alternativo
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Uniforme
alternativo
editar

HistóriaEditar

O futebol existe no país desde o século XIX, mas, por conta da discriminação racial oficial que vigorava no país (o apartheid) até o início da última década de 1990, não havia uma única Seleção, assim como também não havia uma Federação: brancos e negros possuíam seus próprios times, seleções e associações.[3] A Federação Branca fora fundada em 1892; a Hindu, em 1903; a Bantu, em 1933, e, três anos depois, a Parda.

A Branca foi a única que chegou a ser oficializada pela FIFA, em 1958, mesmo ano em que o país foi expulso da CAF. Dois anos depois, entretanto, a entidade máxima estabeleceu prazo de um ano para que a discriminação na seleção terminasse, o que não ocorreu. Em 1961, portanto, a Federação Branca foi suspensa. Ainda naquele ano, o presidente recém-eleito do órgão, Stanley Rous, influenciou para que a suspensão terminasse (o que acabou ocorrendo em 1963), afirmando que a FIFA não deveria envolver-se com questões políticas de cada país, e que o futebol poderia regredir na África do Sul. Entretanto, em 1964 a suspensão foi reimposta em congresso anual da FIFA, que expulsou formalmente a Federação Branca em 1976, após o massacre de Soweto.

O apartheid foi extinto em 1991, e uma Seleção e Federação multiculturais e únicas foram criadas e logo reconhecidas. A primeira partida da nova Seleção foi válida já pelas eliminatórias para a Copa de 1994, em julho de 1992, vencendo Camarões por 1 x 0. A classificação acabou não vindo, mas em 1996 o país, disputando pela primeira vez a Copa das Nações Africanas, venceu, como sede, o torneio continental, tornando-se uma potência africana. Dois anos depois, já figurava na Copa de 1998 e nova classificação viria para o Mundial de 2002, onde obtiveram sua primeira vitória, um 1 x 0 sobre a Eslovênia. Entretanto, os sul-africanos foram novamente eliminados na primeira fase, por terem a diferença mínima em relação ao saldo de gols do Paraguai.

Os pardos costumam ter maior destaque no país; são identificados pelos sobrenomes ocidentais, como Benni McCarthy (estrela do futebol sul-africano na atualidade), Quinton Fortune, Steven Pienaar, Shaun Bartlett, Delron Buckley e Elrio van Heerden.[4] Os negros, que reúnem representantes de várias etnias negras do país, como os bantus, os xhosas e os zulus, podem ser identificados por sobrenomes "africanos", como Lucas Radebe (ex-capitão e ex-jogador do Leeds United), Doctor Khumalo, Jacob Lekgetho (falecido em 2008), Aaron Mokoena (recordista de jogos com a camisa da África do Sul), Siyabonga Nomvethe (com passagem pela Udinese), MacBeth Sibaya, Sibusiso Zuma e Cyril Nzama.

Mesmo entre os brancos (que, no país, geralmente preferem o rúgbi[4]), há etnias diferentes: há os descendentes dos colonizadores britânicos, como Mark Fish, Eric Tinkler e Bradley Carnell, e os dos colonizadores neerlandeses (os bôeres), como Hans Vonk (com passagens por Ajax e Heerenveen) e Bruce Grobbelaar (que jogou pelo Zimbábue). George Koumantarakis, um imigrante grego, jogou o mundial de 2002, onde também figurou um descendente de libaneses, Pierre Issa, presente também na edição de 1998, onde marcou o primeiro gol do país em Copas - para a sua infelicidade, foi contra.

A Seleção Sul-Africana, que não foi para a Copa de 2006, voltou às Copas como sede do mundial de 2010. No ano anterior, sediou e participou também da Copa das Confederações de 2009 quando terminou em quarto lugar. No Mundial jogado em casa, os sul-africanos decepcionaram: na 1ª fase empataram com o México, perderam para o Uruguai e venceram a França na última rodada, mas esses resultados não foram suficientes para que a seleção passasse às oitavas-de-final. Foi a primeira vez na história que o anfitrião de uma Copa do Mundo caiu ainda na primeira fase da competição. Seu pior resultado foi no jogo Brasil 5 x 0 África do Sul no dia: 05/03/2014.

Jogos da seleçãoEditar

TítulosEditar

CONTINENTAIS
Competição Vezes Ano
  Campeonato Africano das Nações 1 1996
Copa das Nações Afro-Asiáticas 1 1997
Copa COSAFA 4 2002, 2007, 2008 e 2016

Elenco atualEditar

Os seguintes jogadores foram convocados para os jogos de qualificação da CAN 2021 contra   Ghana e   Sudão em 25 e 29 de março de 2021

Atualizado até 04 de Junho de 2021

Nome Posição Clube
Khune Goleiro   Kaizer Chiefs
Mothwa Goleiro   AmaZulu
Williams Goleiro   SuperSport United
Hlatshwayo Defesa   Orlando Pirates
Lebusa Defesa   Mamelodi Sundowns
Hlanti Defesa   Moroka Swallows
Xulu Defesa   Hapoel Tel Aviv
Phete Defesa   Belenenses
Martin Defesa   Cape Town City
Morena Defesa   Mamelodi Sundowns
Dolly Médio   Montpellier
Furman Médio   Carlisle United
Jali Médio   Mamelodi Sundowns
Mbule Médio   SuperSport United
Motshwari Médio   Orlando Pirates
Serera Médio   Al-Jazira
Singh Médio   Paços Ferreira
Tau Médio   Brighton & Hove Albion
Zungu Médio   Rangers
Erasmus Avançado   Mamelodi Sundowns
Foster Avançado   Vitória
Gamildien Avançado   Moroka Swallows
Grobler Avançado   SuperSport United
Hugo Broos Treinador

Dez jogadores com mais atuaçõesEditar

em itálico, os jogadores que ainda estão em atividade.

ArtilheirosEditar

Campanhas em CopasEditar