Abrir menu principal

Wikipédia β

Copa do Mundo FIFA de 1930

(Redirecionado de Copa do Mundo de 1930)

A Copa do Mundo FIFA de 1930 foi a primeira edição da Copa do Mundo de Futebol. Sediada no Uruguai, a competição ocorreu entre 13 e 30 de julho envolvendo 13 seleções. Todas as partidas foram disputadas na capital Montevidéu, a maioria no Estádio Centenário, que foi construído especialmente para o torneio. A FIFA escolheu o Uruguai como país sede numa conferência em Barcelona em 18 de maio de 1929 pois o país celebraria o centenário de sua independência e a Seleção Uruguaia vinha de dois títulos olímpicos.

Copa do Mundo FIFA de 1930
1er Campeonato Mundial de Football
Uruguay 1930 World Cup.jpg
Dados
Participantes 13
Organização FIFA
Anfitrião Uruguai
Período 1330 de julho
Gol(o)s 70
Partidas 18
Média 3,89 gol(o)s por partida
Campeão Flag of Uruguay.svg Uruguai (1º título)
Vice-campeão Flag of Argentina.svg Argentina
3º colocado Flag of the United States.svg Estados Unidos
4º colocado Flag of SFR Yugoslavia.svg Iugoslávia
Melhor marcador ArgentinaARG Stábile – 8 gols
Melhor ataque (fase inicial) Flag of Argentina.svg Argentina – 10 gols
Melhor defesa (fase inicial) Nenhum gol:
Maiores goleadas
(diferença)
Argentina Flag of Argentina.svg 6 – 1 Flag of the United States.svg Estados Unidos
Estádio CentenárioMontevidéu
26 de julho, Semifinais
 
Uruguai Flag of Uruguay.svg 6 – 1 Flag of SFR Yugoslavia.svg Iugoslávia
Estádio CentenárioMontevidéu
27 de julho, Semifinais
Público 434 500
Média 24 138,9 pessoas por partida
Soccerball.svg 1934 Reino de Itália ►►

Não houve eliminatórias e apenas treze nações se inscreveram: sete da América do Sul, quatro da Europa e duas da América do Norte. Poucas equipes europeias decidiram participar por causa dos custos e da duração da viagem. Uma briga entre cartolas paulistas e cariocas impediu que a seleção brasileira levasse sua força máxima ao Mundial. Um único paulista, Araken, integrou a delegação.

As duas primeiras partidas da história da Copa do Mundo ocorreram simultaneamente e foram vencidas pela França e pelos Estados Unidos, que bateram respectivamente o México por 4 a 1 e a Bélgica por 3 a 0. O primeiro gol das Copas foi marcado por Lucien Laurent da França. Na final, o país-sede e favorito Uruguai bateu a Argentina por 4 a 2 em frente a uma torcida de 93.000 pessoas e se tornou a primeira nação a vencer uma Copa do Mundo.

Índice

Eleição da sedeEditar

Em 1914 a FIFA concordou em reconhecer o torneio olímpico de futebol como um "campeonato mundial de futebol para amadores",[1] e tomou a responsabilidade por comandar o evento nas próximas três Olimpíadas: de 1920 a 1928 (Nos Jogos Olímpicos de 1908 e nos de 1912 as competições futebolísticas foram organizadas pela The Football Association e pela Svenska Fotbollförbundet respectivamente).

Nos Jogos Olímpicos de 1932, realizados em Los Angeles, não havia o futebol no programa de competições por causa da baixa popularidade do esporte nos Estados Unidos, uma vez que era o futebol americano que crescia em popularidade. A FIFA e o Comitê Olímpico Internacional também divergiram na questão dos jogadores amadores e assim o futebol foi excluído dos jogos.[2] Em 26 de maio de 1928, na conferência de Amsterdã e dia de abertura do torneio olímpico de futebol, o presidente da FIFA Jules Rimet anunciou planos de criar um torneio distinto das Olimpíadas, aberto a todos os membros da FIFA. Itália, Suécia, Países Baixos, Espanha e Uruguai se inscreveriam para sede do evento.[1][3] Até a data da votação, todos os europeus desistiram, ficando apenas o Uruguai. Mas também, a FIFA definiu o Uruguai como sede para homenageá-lo pelo centenário de sua independência e pelo fato de ser o atual campeão olímpico (torneio mundial entre seleções mais importante da época). A decisão final foi no dia 18 de Maio de 1929 em Barcelona, Espanha[4].

ParticipantesEditar

Todos os países afiliados à FIFA foram convidados a competir. 28 de fevereiro de 1930 foi a data estabelecida para que os times se registrassem para o torneio no Uruguai. Brasil, Argentina, Peru, Paraguai, Chile, Bolívia, Estados Unidos e México se inscreveram a tempo, mas a data se passou sem que uma nação do outro lado do Oceano Atlântico se inscrevesse. Uma vez que viagens trans-atlânticas eram longas e caras, poucas equipes européias se interessaram o bastante para competir. A Asociación Uruguaya de Fútbol chegou a mandar uma carta à Football Association (à época ainda não filiada à FIFA). O convite foi declinado pelo comitê da FA em 18 de novembro de 1929 [1]; até dois meses antes do início do torneio, nenhuma seleção européia tinha oficialmente se inscrito.[5] O presidente da FIFA Jules Rimet interveio, junto com o governo uruguaio, prometendo custear as despesas de viagem de qualquer equipe européia.

Quatro times europeus acabaram viajando: Bélgica, França, Romênia e Iugoslávia. Os romenos (que perderam para a Iugoslávia um mês antes da competição mas venceriam a Copa dos Balcãs em 1931), dirigidos por Constantin Radulescu e treinados pelo capitão Rudolf Wetzer e Octav Luchide, embarcaram o SS Conte Verde em Gênova. Os franceses embarcaram em Villefranche-sur-Mer em 21 de junho de 1930 [2]; e os Chelse embarcaram em Barcelona.[6] O Conte Verde seria o mesmo barco pelo qual viria Jules Rimet, a taça e três árbitros europeus: os belgas Jean Langenus e Henri Christophe além de Thomas Balvay, um parisiense de possível origem inglesa. O Brasil pegou o mesmo barco quando este atracou no Rio de Janeiro em 29 de junho de 1930 antes que ele chegasse ao Uruguai em 4 de julho de 1930.[5] Foi no Rio que Balway soube que sua esposa havia morrido na França. Os iugoslavos viajaram no navio correio "SarMarine" partindo de Marselha.

Lista dos participantesEditar

 
Países participantes

EstádiosEditar

Todas as partidas foram disputadas na capital, Montevidéu. Três estádios foram utilizados: o Estádio Centenário, o Estádio Pocitos e o Estádio Parque Central. O Centenário, com capacidade para 90.000 pessoas, foi construído especialmente para a Copa do Mundo. Seu nome vem da celebração do centenário da independência uruguaia. Foi o principal estádio da Copa, sendo apelidado por Jules Rimet de "O Templo do Futebol". O estádio abrigou dez das dezoito partidas do Mundial, incluindo as semifinais e a final. O restante das partidas foi disputado em pequenos estádios frequentemente utilizados pelos clubes de futebol de Montevidéu: o Estádio Parque Central e o Estádio Pocitos, com capacidade máxima de 20.000 e 1.000 pessoas, respectivamente.

Copa do Mundo FIFA de 1930 (Uruguai)
Montevidéu
Estádio Centenário Estádio Gran Parque Central Estádio Pocitos
34° 53′ S 56° 9′ W 34° 54′ S 56° 9′ W 34° 54′ S 56° 9′ W
Capacidade: 90,000 Capacidade: 20,000 Capacidade: 1,000
     

ConvocaçõesEditar

A competiçãoEditar

Os treze times foram divididos em quatro grupos, como todos os jogos se realizando na capital uruguaia, Montevidéu. [7] Uma vez que não houve Eliminatórias para esta Copa, as duas partidas de abertura do torneio foram as primeiras partidas da história das Copas, sendo realizados simultaneamente em 13 de julho; a França bateu o México por 4 a 1 no Estádio Pocitos, enquanto os Estados Unidos derrotaram a Bélgica por 3 a 0 ao mesmo tempo no Estádio Gran Parque Central. O francês Lucien Laurent foi o marcador do primeiro gol da história das Copas do Mundo.[8] Laurent depois diria: "Estávamos enfrentando o México e estava nevando, uma vez que era inverno no hemisfério sul. Um dos meus colegas de time cruzou a bola e eu segui seu caminho cuidadosamente, dando um voleio com meu pé direito. Todos ficamos felizes mas não ficamos rolando pelo chão - ninguém percebeu que estávamos a fazer história. Um rápido aperto de mãos e voltamos pro jogo. E não houve nenhum bonus; éramos todos amadores àquela época."[3]

Grupo 1Editar

 
Dois dos jogadores da Seleção Francesa, Lucien Laurent, falecido em 2005, e Marcel Langiller. Laurent marcou o primeiro gol da história das Copas.

Este grupo foi o único a conter quatro times: Argentina, Chile, França e México. Dois dias após a vitória da França sobre o México, os franceses encarariam os argentinos. O único tento da partida foi marcado pelo argentino Luis Monti, de falta. O jogo apresentou uma controversa arbitragem do brasileiro Gilberto de Almeida Rego que erroneamente apitou o final do jogo seis minutos antes do final do tempo regulamentar, com o jogo devidamente encerrado apenas após protestos dos jogadores franceses. Apesar da derrota francesa, o grande destaque da partida foi o goleiro dos Bleus Alex Thépot, que chegou a ser carregado nos braços pela torcida uruguaia. Se não fosse por ele, o placar em favor dos Hermanos seria muito maior[9]. O segundo jogo dos argentinos, contra o México, apresentou o primeiro pênalti da história das Copas. Um total de cinco pênaltis, três de maneira controversa, foram marcados durante a partida que foi apitada pelo técnico da Bolívia, Ulises Saucedo.[10] Guillermo Stábile marcou um hat-trick na sua estréia internacional[11] na vitória argentina sobre os mexicanos por 6 a 3. A França voltou para ao Velho Mundo ao perder por 1 a 0 para o Chile,o que foi considerado uma grande "zebra'' A classificação foi decidida na última rodada do grupo, quando Argentina e Chile se enfrentaram e o placar marcou 3 a 1 para os argentinos, classificando estes para a fase final.

Grupo 2Editar

 
Brasil e Iugoslávia, na estreia de ambas as seleções. Os jogadores são Milovan Jakšić (goleiro), Dragan Mihajlović e Teóphilo.

O segundo grupo: Brasil, Bolívia e Iugoslávia. Brasil mandou um time composto quase que totalmente de cariocas (sendo o paulista Araken a única exceção) por causa de uma briga entre cartolas paulistas e cariocas,[12] mas mesmo assim o time brasileiro poderia progredir. Porém, na partida de abertura do grupo a Iugoslávia conseguiu uma vitória de 2 a 1 sobre a seleção, que na época usava uniformes brancos. Ambos os times bateram a Bolívia por 4 a 0. No jogo entre Brasil e Bolívia ambas as equipes jogaram com o mesmo uniforme por 45 minutos, até que os bolivianos decidiram trocar o uniforme. Com os resultados, a Iugoslávia estava na fase seguinte.

Grupo 3Editar

Antes do início da Copa, o goleiro titular uruguaio Andrés Mazali, considerado um dos melhores arqueiros da época, foi cortado do Mundial por indisciplina. Mazali saiu da concentração para supostamente visitar a família (na realidade,foi se encontrar com uma mulher). Delatado pelo capitão José Nasazzi, Mazali foi imediatamente dispensado, apesar de ser um grande goleiro[13]. Os anfitriões uruguaios se emparelharam numa chave com Peru e Romênia. Na partida de abertura do grupo ocorreu a primeira expulsão da história das Copas, quando Plácido Galindo do Peru foi dispensado de campo contra a Romênia. A vantagem em campo ajudou os romenos a construírem a vitória de 3 a 1, uma vez que dois gols foram marcados após a expulsão. Devido a atrasos na construção do Estádio Centenário, a primeira partida da seleção uruguaia se deu apenas cinco dias depois do início do torneio. A primeira partida a ser jogada no Centenário foi precedida por uma cerimônia em honra ao cem anos de independência do Uruguai. Os donos da casa venceram uma partida dura contra os peruanos por 1 a 0. Depois a Celeste Olímpica sacramentaria sua classificação com relativa facilidade ao golear a Romênia por 4 a 0.

Grupo 4Editar

Os Estados Unidos dominaram o quarto grupo. A equipe dos EUA, que continha um ex-profissional de origem britânica e migrantes de várias origens.[3] Os belgas, primeiros oponentes dos EUA foram batidos por 3 a 0. A facilidade da vitória foi inesperada; o jornal uruguaio Imparcial escreveu que "o grande placar da vitória americana (sic) realmente surpreendeu os especialistas".[14] Repórteres belgas criticaram o estado do gramado e as decisões da arbitragem, dizendo que o segundo gol estava impedido.[14] A segunda partida do grupo foi entre Paraguai e Estados Unidos. Neste jogo ocorreu o primeiro hat-trick da história das Copas, marcado por Bert Patenaude dos Estados Unidos. Porém, até 10 de novembro de 2006 o primeiro hat-trick era atribuído pela FIFA a Guillermo Stábile da Argentina, dois dias após Patenaude. Em 2006 a FIFA anunciou que a solicitação de Patenaude para ser o primeiro marcador de hat-trick da história das Copas era válida, pois o gol de Tom Florie tinha sido erroneamente marcado, na verdade pertencia a Patenaude.[15] Os quatro vencedores dos grupos: Argentina, Iugoslávia, Uruguai e Estados Unidos foram às semi-finais.

SemifinalEditar

As duas semifinais tiveram placares idênticos. Na primeira semi, um gol de Luís Monti do meio de campo no primeiro tempo deu a Argentina uma liderança de 1 a 0 contra os Estados Unidos no intervalo. No segundo tempo a força do time dos Estados Unidos foi batida pelo ritmo dos ataques argentinos, com a partida terminando 6 a 1 para a Argentina. Os jogadores e a comissão técnica dos Estados Unidos reclamaram bastante da arbitragem do belga Jean Langenus, com um médico americano chegando a entrar em campo,derrubar uma garrafa de clorofórmio e desmaiar.

Na segunda semifinal; novo encontro entre iugoslavos e uruguaios depois da partida nos Jogos Olímpicos de 1924. Agora a Iugoslávia sairia na frente com Sekulić marcando. O Uruguai conseguiu a virada em 2 a 1, mas pouco antes do intervalo a Iugoslávia teve um gol anulado de maneira controversa por impedimento. Os anfitriões marcaram mais quatro gols no segundo tempo, com um hat-trick de Pedro Cea, assegurando a vitória por 6 a 1.

FinalEditar

 
A bola utilizada na partida final.

A final marcou o reencontro entre os finalistas dos Jogos Olímpicos de 1928, Uruguai e Argentina. Uma vez que a disputa do terceiro lugar não se estabeleceu até a Copa seguinte, a Copa de 1930 é única no fato em que não ocorreram partidas entre as semifinais e a final. Porém, algumas fontes, notadamente um Boletim da FIFA de 1984, afirmam que houve sim uma partida do terceiro lugar e que foi vencida por 3 a 1 pela Iugoslávia.[16] Essa informação nunca foi oficialmente confirmada.

A final foi disputada no Estádio Centenário em 30 de julho. Os portões do estádio foram abertos às oito da manhã, seis horas antes do pontapé inicial, e ao meio-dia os lugares estavam tomados, oficialmente comportando 93.000 pessoas.[17] A rivalidade entre as duas seleções era tamanha que na véspera da partida, o maior nome do tango, o argentino Carlos Gardel (de mãe uruguaia), depois de visitar os jogadores argentinos, também foi visitar os uruguaios, o que irritou bastante seus compatriotas. Antes do início da partida ocorreu uma discordância em relação a bola que seria usada na partida, forçando a FIFA a interferir decretando que a bola argentina seria usada no primeiro tempo e uma uruguaia no segundo.[3] O jogo começou com os anfitriões charruas abrindo o placar, gol do ponta-esquerda Pablo Dorado. Ainda no primeiro tempo, os argentinos empataram com Peucelle e viraram com Stábile (segundo o capitão uruguaio Nasazzi, em impedimento). No segundo tempo, com o apoio da torcida, os uruguaios viraram para 4 a 2, gols de Pedro Cea, Santos Iriarte e Héctor "Manco'' Castro. Ao final do jogo, os uruguaios adicionaram ao seu palmarés o título de campeões do mundo, assim que o presidente da FIFA Jules Rimet os presenteou com a Copa do Mundo, que seria depois nomeada em sua homenagem. O dia seguinte à partida foi declarado feriado nacional no Uruguai;[17] em Buenos Aires arruaceiros jogaram pedras no consulado uruguaio.

O argentino Francisco Varallo, que era o último sobrevivente dentre os que atuaram na final, faleceu em 31 de agosto de 2010, aos 100 anos de idade.

França, Iugoslávia e Estados Unidos jogariam amistosos na América do Sul após a competição. O Brasil enfrentaria a França em 1 de agosto, a Iugoslávia em 10 de agosto e os Estados Unidos em 17 de agosto [4], enquanto a Argentina recebeu a Iugoslávia em 3 de agosto [5]. Todas as copas tem os mesmos efeitos de jogos nas eliminações, a escolha do país da copa e os países que irão participar desse tipo de comemoração esportiva.

SorteioEditar

O sorteio foi realizado em escritórios da FIFA em Montevidéu no dia 10 de Julho de 1930, depois que todas as seleções já estavam no Uruguai e apenas 3 dias antes de começar a competição.

Em artigo oficial da FIFA diz que os cabeças de chave foram   Argentina,   Brasil,   Paraguai e   Uruguai

JogosEditar

1ª FaseEditar

Grupo 1Editar

Artigo principal: Copa do Mundo FIFA de 1930 - Grupo 1
Classificado para a semifinal
Pos. Seleção Pts J V E D GP GC SG
1   Argentina 6 3 3 0 0 10 4 6
2   Chile 4 3 2 0 1 5 3 2
3   França 2 3 1 0 2 4 3 1
4   México 0 3 0 0 3 4 13 -9
13 de julho França   4 – 1   México Estádio Pocitos, Montevidéu
15:00
Lucien Laurent   19'
Marcel Langiller   40'
André Maschinot   43',   87'
relatório Juan Carreño Sandoval   70' Público: 1 000
Árbitro:  URU Domingo Lombardi

15 de julho Argentina   1 – 0   França Estádio Parque Central
16:00
Luis Monti   81' relatório Público: 23 409
Árbitro:  BRA Gilberto de Almeida Rego

16 de julho Chile   3 – 0   México Estádio Parque Central, Montevidéu
14:45
Guillermo Subiabre   3',   52'
Carlos Vidal   65'
relatório Público: 500
Árbitro:  BEL Henri Christophe

19 de julho Chile   1 – 0   França Estádio Centenário, Montevidéu
12:50
Guillermo Subiabre   65' relatório Público: 2 000
Árbitro:  URU Anibal Tejada

19 de julho Argentina   6 – 3   México Estádio Centenário, Montevidéu
15:00
Guillermo Stábile   8',   17',   80'
Adolfo Zumelzú   12',   55'
Francisco Varallo   53'
relatório Manuel Rosas   42' (pen),   65'
Roberto Gayón   75'
Público: 42 100
Árbitro:  BOL Ulises Saucedo

22 de julho Argentina   3 – 1   Chile Estádio Centenário, Montevidéu
14:45
Guillermo Stábile   12',   13'
Mario Evaristo   51'
relatório Guillermo Subriabre   15' Público: 41 459
Árbitro:  BEL John Langenus

Grupo 2Editar

Artigo principal: Copa do Mundo FIFA de 1930 - Grupo 2
Classificado para a semifinal
Pos. Seleção Pts J V E D GP GC SG
1   Iugoslávia 4 2 2 0 0 6 1 5
2   Brasil 2 2 1 0 1 5 2 3
3   Bolívia 0 2 0 0 2 0 8 -8
14 de julho Iugoslávia   2 – 1   Brasil Estádio Parque Central, Montevidéu
12:45
Aleksandar Tirnanić   21'
Ivan Bek   30'
relatório Preguinho   62' Público: 5 000
Árbitro:  URU Anibal Tejada

17 de julho Iugoslávia   4 – 0   Bolívia Estádio Parque Central, Montevidéu
12:45
Ivan Bek   60',   67'
Blagoje Marjanović   65'
Vujadinović   85'
relatório Público: 800
Árbitro:  URU Francisco Mateucci

20 de julho Brasil   4 – 0   Bolívia Estádio Centenário, Montevidéu
13:00
Moderato Winsteiner   37',   73'
Preguinho   57',   83'
relatório Público: 1 200
Árbitro:  FRA Thomas Balvay

Grupo 3Editar

Artigo principal: Copa do Mundo FIFA de 1930 - Grupo 3
Classificado para a semifinal
Pos. Seleção Pts J V E D GP GC SG
1   Uruguai 4 2 2 0 0 5 0 5
2   Romênia 2 2 1 0 1 3 5 -2
3   Peru 0 2 0 0 2 1 4 -3
14 de julho Romênia   3 – 1   Peru Estádio Pocitos, Montevidéu
14:50
Adalbert Deșu   1'
Ştefan Barbu   85'
Constantin Stanciu   85'
relatório Luis de Souza Ferreira   75' Público: 300
Árbitro:  CHI Alberto Warnken

18 de julho Uruguai   1 – 0   Peru Estádio Centenário, Montevidéu
14:30
Héctor Castro   65' relatório Público: 70 000
Árbitro:  BEL John Langenus

21 de julho Uruguai   4 – 0   Romênia Estádio Centenário, Montevidéu
14:50
Pablo Dorado   7'
Héctor Scarone   26'
Perigrino Anselmo   31'
Pedro Cea   35'
relatório Público: 80 000
Árbitro:  BRA Gilberto de Almeida Rego

Grupo 4Editar

Artigo principal: Copa do Mundo FIFA de 1930 - Grupo 4
Classificado para a semifinal
Pos. Seleção Pts J V E D GP GC SG
1   Estados Unidos 4 2 2 0 0 6 0 6
2   Paraguai 2 2 1 0 1 1 3 -2
3   Bélgica 0 2 0 0 2 0 4 -4
13 de julho Estados Unidos   3 – 0   Bélgica Estádio Parque Central, Montevidéu
15:00
Bart McGhee   41',   45'
Bert Patenaude   88'
relatório Público: 10 000
Árbitro:  ARG José Bartolomé Macías

17 de julho Estados Unidos   3 – 0   Paraguai Estádio Parque Central, Montevidéu
14:45
Bert Patenaude   10',   15',   50' relatório Público: 800
Árbitro:  ARG José Bartolomé Macías

20 de julho Paraguai   1 – 0   Bélgica Estádio Centenário, Montevidéu
15:00
Luis Peña   40' relatório Público: 900
Árbitro:  URU Ricardo Vallarino

Fase finalEditar

Artigo principal: Copa do Mundo FIFA de 1930 - Fase final
  Semi finais Finais
             
26 de Julho – Montevidéu
   Argentina 6  
   Estados Unidos 1  
 
30 de Julho – Montevidéu
       Argentina 2
     Uruguai 4
27 de Julho - Montevidéu
   Uruguai 6
   Iugoslávia 1  

SemifinaisEditar

26 de julho Argentina   6 – 1   Estados Unidos Estádio Centenário, Montevidéu
14:45
Luis Monti   20'
Alejandro Scopelli   56'
Guillermo Stábile   69',   87'
Carlos Peucelle   80',   85'
relatório Jim Brown   89' Público: 72 886
Árbitro:  BEL John Langenus

27 de julho Uruguai   6 – 1   Iugoslávia Estádio Centenário, Montevidéu
14:45
Pedro Cea   18',   67',   72'
Peregrino Anselmo   20',   31'
Santos Iriarte   61'
relatório Branislav Sekulić   4' Público: 93 000
Árbitro:  BRA Gilberto de Almeida Rego

FinalEditar

 Ver artigo principal: Final da Copa do Mundo FIFA de 1930
30 de julho Uruguai   4 – 2   Argentina Estádio Centenário, Montevidéu
15:30
Pablo Dorado   12'
Pedro Cea   57'
Santos Iriarte   68'
Héctor Castro   89'
relatório Carlos Peucelle   20'
Guillermo Stábile   37'
Público: 68 346
Árbitro:  BEL John Langenus
     
 
 
Uruguai
     
 
 
Argentina

PremiaçãoEditar

ArtilhariaEditar

 
O argentino Guillermo Stábile, o artilheiro da primeira Copa.

Classificação finalEditar

Pos. Seleção Pts J V E D GP GC SG %
1   Uruguai 8 4 4 0 0 15 3 12 100%
2   Argentina 8 5 4 0 1 18 9 9 80%
3   Estados Unidos 4 3 2 0 1 7 6 1 66.7%
4   Iugoslávia 4 3 2 0 1 7 7 0 66.7%
Eliminados na Fase de Grupos
5   Chile 4 3 2 0 1 5 3 2 66.7%
6   Brasil 2 2 1 0 1 5 2 3 50%
7
  França 2 3 1 0 2 4 3 1 33.3%
8
  Romênia 2 2 1 0 1 3 5 -2 50%
9
  Paraguai 2 2 1 0 1 1 3 -2 50%
10
  Peru 0 2 0 0 2 1 4 -3 0%
11
  Bélgica 0 2 0 0 2 0 4 -4 0%
12
  Bolívia 0 2 0 0 2 0 8 -8 0%
13
  México 0 3 0 0 3 4 13 -9 0%

CuriosidadesEditar

Se(c)ções de curiosidades são desencorajadas pelas políticas da Wikipédia.
Ajude a melhorar este artigo, integrando ao corpo do texto os itens relevantes e removendo os supérfluos ou impróprios.
  • Quando a imprensa elegeu o time combinado perfeito do Mundial de 30, apenas um brasileiro entrou para a lista: Fausto. Outros dois países tiveram um jogador cada escolhidos, Iugoslávia e França. Os outros jogadores estavam divididos entre uruguaios e argentinos.
  • O primeiro jogador a perder um pênalti em Copas do Mundo foi o chileno Carlos Vidal. Ele desperdiçou a cobrança aos 35 minutos do primeiro tempo no jogo entre Chile e França, no Mundial de 1930.
  • João Coelho Neto, o Preguinho, marcou o primeiro gol do Brasil em uma Copa do Mundo. Foi na derrota de 2 X 1 para a Iugoslávia. Ele era filho do escritor Coelho Neto e também praticava natação, vôlei e atletismo. Ele foi o artilheiro brasileiro na competição, marcando três gols em duas partidas. Além de Preguinho, Veloso foi o primeiro goleiro a defender um pênalti em mundiais, esse no segundo jogo do Brasil, contra a Bolívia, que terminou com vitória brasileira por 4 a 0.
  • Em entrevista a um jornal uruguaio após a Copa, o presidente da FIFA, Jules Rimet, disse que o mundial seguinte seria realizado somente em 1938 e que o Uruguai seria campeão do mundo por oito anos.
  • Com receio de problemas entre a torcida local e os milhares de argentinos que atravessariam o rio da Prata para ver a final, a polícia de Montevidéu destacou 10 mil homens para realizar a segurança.
  • O capitão da seleção francesa, Villaplane, foi acusado de colaborar com a Alemanha nazista durante a Segunda Guerra Mundial e foi fuzilado em 1944.
  • O centroavante argentino Manuel Ferreyra não pôde defender sua seleção no jogo contra o México porque tinha, na mesma hora, prova da faculdade. Em seu lugar entrou Guillermo Stábile, que fez três gols, ganhou a posição e terminou como artilheiro da Copa. Ferreyra reconquistou um lugar entre os titulares, mas teve de ser deslocado para a ponta direita.
  • Nas semifinais contra a Argentina, o médico dos EUA invadiu o gramado para protestar contra uma marcação do árbitro. Sem querer, derrubou sua sacola, quebrando uma garrafa de clorofórmio. O norte-americano foi coberto pela fumaça e teve de receber atendimento.
  • O atacante uruguaio Castro não tinha a mão direita. Por isso, recebeu o apelido de "El Manco". Ele marcou, contra o Peru, o primeiro gol do Estádio Centenário e ainda fez o quarto – e último – do Uruguai na final contra a Argentina.
  • Na véspera da final, Carlos Gardel, maior nome do tango, visitou a concentração da Argentina. Porém, ele também foi cumprimentar os jogadores uruguaios, o que irritou os compatriotas, que consideravam o cantor patrimônio nacional.
  • O atacante argentino Francisco Varallo, morreu em 30 de agosto de 2010, sendo o último jogador que participou deste mundial a falecer.
  • Antes do início da final, ocorreu uma discordância entre os dois países pra saber qual bola seria usada na final. A FIFA decidiu então que cada tempo seria jogado com a bola de um país. Assim, argentinos venceram o primeiro tempo (2x1) com sua bola e os uruguaios venceram o segundo com a bola deles, fechando o jogo em 4x2.
  • O boliviano Ulices Saucedo, além de ser técnico da Bolívia, támbem apitou a partida Argentina x México, no qual os argentinos venceram por 6 a 3.

Ver tambémEditar

Referências

  1. a b «History of FIFA - The first FIFA World Cup» (em inglês). FIFA.com. Consultado em 20 de setembro de 2010 
  2. The Olympic Odyssey so far… (Part 1: 1908 - 1964) Sítio oficial da FIFA. Acessado em 25/2/2007.
  3. a b c Uruguay 1930 BBC. Acessado em 25/2/2007.
  4. «Copa do Mundo 1930 - Uruguai | globoesporte.com». globoesporte.globo.com. Consultado em 22 de janeiro de 2017 
  5. a b Overview of Uruguay 1930 - Sítio oficial da Copa do Mundo FIFA
  6. Uruguay 1930 - Marca.com
  7. Brian Glanville (2005). The Story of the World Cup. [S.l.]: Faber. 17 páginas. ISBN 0-571-22944-1 
  8. «Lucien Laurent: The World Cup's First Goal Scorer». CBC. Consultado em 6 de maio de 2007 
  9. «Copa do Mundo 1930 - Uruguai | globoesporte.com». globoesporte.globo.com. Consultado em 23 de janeiro de 2017 
  10. «Six countries entered bidding for first World Cup». India Times. Consultado em 7 de maio de 2007 
  11. «1930 Golden Boot - Guillermo Stabile». Sky Sports. Consultado em 7 de maio de 2007 [ligação inativa] 
  12. «Brazil in the 1930 World Cup». V-Brazil. Consultado em 7 de maio de 2007 
  13. «História: Conheça quem foi o primeiro jogador baladeiro das Copas». m.futebolinterior.com.br. Consultado em 23 de janeiro de 2017 
  14. a b Rony J. Almeida (2006). Where It All Began. [S.l.]: Lulu. 91 páginas. ISBN 978-1-4116-7906-1 
  15. American Bert Patenaude credited with first hat trick in FIFA World Cup™ history FIFA.com
  16. World Cup 1930 - full details by RSSSF
  17. a b «FIFA World Cup Origin]» (PDF), FIFA Media Release, consultado em 20 de maio de 2007 
  18. «BOLA N@ ÁREA - Copa do Mundo 1930 - Almanaque». www.bolanaarea.com. Consultado em 22 de janeiro de 2017 

Ligações externasEditar