Abrir menu principal
Sophia Loren
Sophia Loren no set de "A Queda do Império Romano", em 1962.[1]
Nome completo Sofia Villani Scicolone
Outros nomes Sofia Villani Scicolone Ponti
Nascimento 20 de setembro de 1934 (85 anos)
Roma
Nacionalidade Italiana
Ocupação atriz
Atividade 1950—presente
Cônjuge Carlo Ponti Sr.
(c. 1957; an. 1962)
(c. 1966; m. 2007)
Filho(s) Carlo Ponti Jr
Edoardo Ponti
Oscares da Academia
Melhor Atriz
1962 - Two Women
Oscar Honorário
1991 - Pelo Conjunto da Obra
Globos de Ouro
Prémio Cecil B. DeMille
1995 - Pelo Conjunto da Obra
Henrietta Award
1964 - Atriz Favorita Mundial
1965 - Atriz Favorita Mundial
1969 - Atriz Favorita Mundial
1977 - Atriz Favorita Mundial
César
César Honorário
1991 - Prêmio Honorário
Prémios BAFTA
Melhor Atriz Estrangeira
1962 - Two Women
Festival de Cannes
Prêmio de Interpretação Feminina
1961 - Two Women
Festival de Berlim
Urso de Ouro
1994 - Prêmio Honorário
Festival de Veneza
Prémio de Honra - Leão de Ouro
1998
Prémios National Board of Review
Melhor Atuação por um Elenco
1994 - Prêt-à-Porter
Outros prêmios
Grammy de Melhor Álbum Falado para Crianças
2004 - Prokofiev: Peter and the Wolf/Beintus: Wolf Tracks
(offline) Página oficial

Sophia Loren, nome artístico de Sofia Villani Scicolone [soˈfiːa vilˈlaːni ʃikoˈloːne], (Roma, 20 de setembro de 1934) é uma premiada atriz italiana. Começou sua carreira no cinema em 1950 e, aos 15 anos, apareceu em vários papéis menores até ser contratada para cinco filmes pela Paramount Pictures em 1956, lançando sua carreira internacional. Atuou em filmes notáveis como Orgulho e Paixão, Tentação Morena e Começou em Nápoles.

Sophia Loren ganhou fama internacional em 1962, quando recebeu o Oscar de Melhor Atriz por sua atuação no filme Duas mulheres, que também lhe rendeu o prêmio de Melhor Atriz no Festival de Cannes e o New York Film Critics Circle Awards. Ela detém o recorde por ter recebido seis David di Donatello Awards de Melhor Atriz, o maior número já recebido. Sua carreira atingiu o auge em 1964, quando recebeu um milhão de dólares para estrelar o filme A Queda do Império Romano.[2]

Além do Oscar, ela ganhou um Grammy Award, cinco Globos de Ouro especiais, um BAFTA, o prêmio de Melhor Atriz no Festival de Cannes, e um Oscar Honorário em 1991. Em 1995, ela recebeu o Prêmio Cecil B. DeMille pelas realizações ao longo da vida. Em 1999, foi nomeada como uma das 25 maiores lendas femininas do cinema pelo American Film Institute.[3]

Depois de constituir família no início dos anos 70, Loren passou a dedicar menos tempo a sua carreira de atriz e optou por fazer apenas aparições em filmes ocasionais. Nos últimos anos, ela ainda apareceu em filmes americanos como Prêt-à-Porter, Grumpier Old Men e Nine.

BiografiaEditar

Sophia Loren nasceu Sofia Villani Scicolone na Clinica Regina Margherita em Roma, Itália, filha de Romilda Villani (1910-1991) e Riccardo Scicolone, um engenheiro de construção de ascendência francesa.[4][5] Riccardo Scicolone recusou-se a casar com Romilda Villani, que era professora de piano clássico. Os pais de Loren tiveram outra filha, sua irmã Maria, nascida no ano de 1938, além de ter dois meio-irmãos paternos, Giuliano e Giuseppe. Romilda, Sofia, e Maria moravam com a avó de Loren em Pozzuoli, perto de Nápoles, em condições econômicas muito difíceis.[6]

Durante a Segunda Guerra Mundial, Pozzuoli foi alvo de bombardeios frequentes. Durante um ataque, Loren correu para um abrigo, foi atingida por estilhaços e feriu seu queixo. Depois disso, a família mudou-se para Nápoles, onde foram acolhidos por parentes distantes.[7] Após a guerra, Sophia e sua família retornaram à Pozzuoli. A avó de Loren, Luisa, abriu um pequeno bar na sua sala de estar, onde vendia licor de cereja caseiro. Romilda Villani tocava piano no bar enquanto Maria cantava e Sophia recolhia os pratos. O lugar era popular entre os soldados americanos das proximidades.[8]

CarreiraEditar

1950-1957 (Começo e estrelato em Hollywood)Editar

Aos 14 anos, Sophia Loren participou do concurso Miss Italia de 1950 e, apesar de não ganhar, foi selecionada como uma das finalistas.[9] Mais tarde, ela se matriculou em aulas de teatro e foi escalada como extra, creditada no filme de Quo Vadis, em 1951. No mesmo ano, ela também apareceu em lui Era ... si! sì!, onde interpretou uma odalisca, sendo creditada profissionalmente como Sofia Lazzaro.[10] Ela apareceu em vários pequenos papéis no início da década de 1950. Sophia começou a usar seu nome artístico atual em 1952 no filme La Favorita. Seu primeiro papel como protagonista foi em Aida (1953), pelo qual recebeu elogios da crítica. No entanto, seu primeiro trabalho de destaque foi em O Ouro de Nápoles, em 1954, dirigido por Vittorio de Sica.

Fama InternacionalEditar

 
Sophia Loren em Five Miles to Midnight, 1962.
 
Sophia Loren no filme 'Ontem, Hoje e Amanhã', 1963.

Sophia Loren tornou-se uma estrela internacional após seu contrato de cinco filmes com a Paramount Pictures em 1957. Entre os trabalhos que realizou neste período está Desire Under the Elms com Anthony Perkins.[11] Em 1961, protagonizou o aclamado filme de Vittorio De Sica, Two Women, que conta a história de uma mãe que está tentando proteger a filha de 12 anos numa Itália devastada pela guerra[12] e acabam estupradas dentro de uma igreja enquanto viajam de volta à sua cidade natal. O Desempenho de Loren lhe rendeu vários prêmios, incluindo o de Melhor Atriz no Festival de Cannes e tornou-se a primeira atriz a conquistar um Oscar em um filme não falado em inglês. Ao todo, ela ganhou 22 prêmios internacionais por Duas Mulheres.[13]

Durante os anos 1960, Sophia Loren foi uma das atrizes mais populares do mundo, estrelando filmes tanto nos Estados Unidos quanto na Europa.[14] Em 1964, sua carreira atingiu o auge quando ela recebeu US $ 1 milhão para aparecer em A Queda do Império Romano. Em 1965, ela recebeu uma segunda indicação ao Oscar por sua atuação em Marriage Italian Style.[15]

Entre os filmes mais conhecidos de Loren deste período estão El Cid (1961), com Charlton Heston, The Millionairess (1960), com Peter Sellers, Começou em Nápoles (1960), com Clark Gable, Ontem, Hoje e Amanhã (1963), com Marcello Mastroianni, Lady L (1965), com Paul Newman e A Condessa de Hong Kong (1967), do lendário Charlie Chaplin, ao lado de Marlon Brando, dentre outros.[16]

1970-1988Editar

 
Loren em 1986

Sophia Loren acabou trabalhado menos depois de se tornar mãe. Durante a década de 1970, a maior parte de seus trabalhos estavam em papéis que enfatizavam suas características de mulher italiana.[17] Em 1975, atuou com Richard Burton no filme A Viagem e em um remake de um filme inglês chamado Breve Encontro, que teve sua estréia na televisão dos EUA em 12 de novembro 1974.[18] Ela se saiu muito bem internacionalmente e foi um sucesso de bilheteria respeitável no mercado norte-americano.

Em 1977, co-estrelou com Marcello Mastroianni Una giornata particolare.[19] Este filme foi indicado a 11 prêmios internacionais, tais como dois Oscars (melhor ator principal e melhor filme estrangeiro).[20] Ele ganhou um Globo de Ouro e um prêmio César de melhor filme estrangeiro. O desempenho de Loren foi premiado com um David di Donatello, o sétimo de sua carreira.[21] O filme foi extremamente bem recebido pelos críticos americanos e tornou-se um sucesso de bilheteria.[22][23]

Sophia estrelou um thriller americano intitulado O Alvo de Quatro Estrelas, em 1978. Este filme recebeu críticas mistas, embora tenha sido um sucesso moderado nos Estados Unidos e internacionalmente.[24] Em 1978, ela conquistou o seu quarto Globo de Ouro por Una giornata particolare. Outros filmes desta década foram indicados ao Oscar e dividiram a crítica, como Man of La Mancha (1972), de Arthur Hiller, que foi um fracasso comercial e de crítica apesar de ter sido nomeado para vários prêmios, incluindo dois Globos de Ouro.[25]

Em 1980, após o sucesso de sua autobiografia, foi lançado uma outra biografia, desta vez cinematográfica, de sua vida e carreira.[26] Em 1982, enquanto na Itália, ela ganhou as manchetes depois de receber uma sentença de 18 dias de prisão por evasão fiscal, um fato que não conseguiu prejudicar sua imagem pública.[27]

Loren atuou com pouca freqüência durante os anos de 1980 e recusou o papel de Alexis Carrington em 1981 para a série televisiva Dynasty.[28] Embora ela tenha sido escalada para estrelar a serie Falcon Crest em 1984, como meia-irmã de Angela Channing, as negociações fracassaram no último momento e o papel foi para Gina Lollobrigida. Em vez de aceitar novos trabalhos no cinema, Sophia preferiu dedicar mais tempo para os seus filhos.[29]

Carreira PosteriorEditar

 
Sophia Loren em Cannes em 2014.

Em 1991, Loren recebeu um Oscar Honorário por suas contribuições para o cinema e foi declarada "um dos tesouros do cinema mundial".[7][30] Em 1995, ela recebeu outro Globo de Ouro.[31]

Em 2009 Sophia declarou no programa de Larry King que Federico Fellini tinha planejado em dirigir um filme estrelado por ela pouco antes de sua morte em 1993. Ao longo dos anos de 1990 e 2000, Loren foi seletiva sobre a escolha de seus filmes e se aventurou em várias áreas de negócios, incluindo livros de receitas, óculos, jóias e perfumes. Ela recebeu uma indicação ao Globo de Ouro por sua atuação em Prêt-à-Porter (1994), co-estrelado por Julia Roberts.[32]

No 20º Festival Internacional de Cinema de Moscou, em 1997, ela foi premiada com um Prémio Honroso por sua contribuição à sétima arte.[33]

Em 1999, foi nomeada pelo American Film Institute umas das 25 maiores lendas femininas do cinema. Em 2001, ela recebeu um Grand Prix Especial do Prêmio Américas no Festival de Cinema de Montreal Mundial por seu trabalho.[34]

Em 2009, estrelou um filme teatral de destaque nos Estados Unidos, o musical Nine, que conta a história de um diretor que luta para concluir seu filme mais recente.[35]

Em 2014, foi dirigida pelo filho Edoardo Ponti, no filme (Voce umana), que lhe valeu mais um David di Donatello Awards.

Vida pessoalEditar

Ao contrário de outras estrelas do cinema, Sophia Loren casou-se apenas uma vez durante sua vida, com o diretor italiano Carlo Ponti, e com quem viveu até a morte de Carlo em 2007.

Sophia e Carlo Ponti se conheceram em 1950, quando ela tinha 16 anos e ele 37. Embora Ponti tenha sido separado de sua primeira esposa, Giuliana, ele não era legalmente divorciado na época. Os dois se casaram no México em 17 de setembro de 1957, mas tiveram seu casamento anulado em 1962 para escapar das acusações de bigamia. No entanto, continuaram a viver juntos. Em 1965, os dois se tornaram cidadãos franceses depois de um pedido ser aprovado pelo presidente Georges Pompidou.[36] Ponti então obteve o divórcio de Giuliana na França, permitindo que ele se casasse com Sophia Loren em 9 de abril de 1966. Eles tiveram dois filhos, Carlo Ponti Jr., nascido em 29 de dezembro de 1968, e Edoardo Ponti, nascido em 6 de janeiro de 1973. As noras de Loren são Sasha Alexander e Andrea Meszaros e atualmente ela tem quatro netos.

Em 1962, a irmã de Sophia Loren, Maria, casou-se com o filho mais novo de Benito Mussolini, Romano Mussolini, com quem teve duas filhas, Alessandra, uma política conservadora italiana, e Elisabetta.

Desde o final de 2006 Loren tem vivido em sua casa em Genebra, na Suíça.[37] Ela também é dona de imóveis em Nápoles e Roma.

Sophia é uma fervorosa fã do clube Società Sportiva Calcio Napoli. Em maio de 2007, quando a equipe ficou em terceiro lugar na Série B, ela disse ao Gazzetta dello Sport que faria um strip-tease se a equipe vencesse.[38]

CuriosidadeEditar

Lina Wertmüller desejava filmar Tieta de Jorge Amado, antes da produção de Cacá Diegues e a protagonista seria Sophia Loren.[39]

FilmografiaEditar

 Ver artigo principal: Filmografia de Sophia Loren

PremiaçõesEditar

Referências

  1. «Sophia Loren». AdoroCinema.com. Consultado em 11 de julho de 2013 
  2. http://www.imdb.com/name/nm0000047/bio?ref_=nm_dyk_qt_sm#quotes
  3. «AFI's 100 Years...100 Stars». www.afi.com. Consultado em 20 de setembro de 2016 
  4. EnciclopediaTreccani. «Sophia Loren profile». Treccani.it. Consultado em 15 de março de 2010 
  5. Sophia Loren (em inglês) no Internet Movie Database
  6. Carr, Jay (22 de agosto de 1993). «Sophia Loren Now Appearing in 'El Cid', she remains a very human icon». Boston Globe. Consultado em 15 de março de 2010 
  7. a b «Sophia Loren Archives – Chronicles». Lorenarchives.com. Consultado em 10 de dezembro de 2010 
  8. «Sophia Loren Has a Secret: How She's Managed To Survive». Parade. 18 de janeiro de 1987 
  9. [1]
  10. «Sophia Loren biography at». Yahoo! Movies. Consultado em 15 de março de 2010 
  11. Davies, Lizzy (24 de outubro de 2013). «Sophia Loren wins tax case after 40 years». The Guardian. Consultado em 17 de novembro de 2013 
  12. Hall, Jane (22 de outubro de 1984). «Sophia's Choice – Kids & Family Life, Sophia Loren». People. Consultado em 10 de dezembro de 2010 
  13. «Sophia Loren – Actors and Actresses – Films as Actress:, Publications». Filmreference.com. Consultado em 10 de dezembro de 2010 
  14. «CNN.com – Transcripts». CNN. 15 de dezembro de 2009. Consultado em 15 de março de 2010 
  15. «Sophia Loren reflects on her Hollywood». Golden Globes. Consultado em 19 de março de 2013. Arquivado do original em 13 de março de 2013 
  16. Palm Springs Walk of Stars by date dedicated Arquivado em 13 de outubro de 2012, no Wayback Machine., palmspringswalkofstars.com; accessed January 31, 2015.
  17. «20th Moscow International Film Festival (1997)». MIFF. Consultado em 22 de março de 2013. Arquivado do original em 22 de março de 2013 
  18. Awards 2001 Arquivado abril 20, 2012 no WebCite . Festival des Films du Monde.
  19. «Sophia Loren to return to big screen in son's film». Reuters. 9 de julho de 2013 
  20. «Sophia Loren – Loren Leaves Italy For Switzerland». Contactmusic.com. 12 de outubro de 2006. Consultado em 10 de dezembro de 2010 
  21. Loren's religion, contactmusic.com; accessed 31 January 2015.
  22. The Fake Detective. «Law Suits Involving Fakes And Celebrity Photographs». Consultado em 10 de dezembro de 2010. Arquivado do original em 27 de maio de 2010 
  23. Profile Arquivado em 3 de março de 2016, no Wayback Machine., markroesler.com; accessed 31 January 2015.
  24. Staff writers (15 de maio de 2007). «Napoli fan Sofia Loren to strip if team go up». Thomson Reuters. Consultado em 23 de abril de 2008 
  25. Gorgan, Elena (17 de novembro de 2006). «Sophia Loren Sizzles in the New Pirelli Calendar». Softpedia 
  26. «Carlo Ponti, Husband to Sophia Loren, Dead at 94». Fox News. 10 de janeiro de 2007 
  27. Jaynes, Barbara Grant & Trachtenberg, Robert (2004). Cary Grant: A Class Apart. Burbank, California: Turner Classic Movies (TCM) and Turner Entertainment 
  28. Profile, commdiginews.com; accessed 31 January 2015.
  29. Exshaw, John (12 de janeiro de 2007). «Carlo Ponti obituary». The Independent. London, UK 
  30. «Carlo Ponti, Jr., Weds in St. Stephen's Basilica». Life. 18 de setembro de 2004. Consultado em 10 de dezembro de 2010 
  31. Carlo Ponti, Husban to Sophia Loren, Dead at 94 Arquivado em 4 de setembro de 2013, no Wayback Machine., foxnews.com, 10 January 2007.
  32. «Sophia Loren's Husband Carlo Ponti Passes Away». Hello. 10 de janeiro de 2007. Consultado em 10 de dezembro de 2010 
  33. Gordon, Jane (7 de novembro de 2009). «Sophia Loren: 'I still don't know what I want to do when I grow up'». Daily Mail. London, UK 
  34. [Sophia Loren (em inglês) no Internet Movie Database] Sophia Loren -imdb.com
  35. 007 again tops the poll: London, Jan. 1 South China Sunday Post - Herald (1950-1972) [Hong Kong] 02 Jan 1966: 8.
  36. Profile, accessed 31 January 2015.
  37. «Sophia Loren – Loren Leaves Italy For Switzerland». Contactmusic.com 
  38. Staff writers. «Napoli fan Sofia Loren to strip if team go up». Thomson Reuters 
  39. «Sophia Loren to Start Wertmuller's 'Tieta». The New York Times (em inglês). Nytimes.com. Consultado em 20 de setembro de 2011 

Ligações externasEditar

  Este artigo sobre um ator ou atriz de cinema é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.