Abrir menu principal

Wikipédia β

TV A Crítica

emissora de televisão brasileira de Manaus, AM
TV A Crítica
Televisão A Crítica Ltda.
Manaus, Amazonas
Brasil
Tipo Comercial
Canais Digital: 17 UHF
Virtual: 4 PSIP
Outros canais 14 e 514 HD (NET)
Analógico:
04 VHF (1972-2018)
Sede Bandeira de Manaus.svg Manaus, AM
Avenida André Araújo, 1924 - Aleixo
Slogan De mãos dadas com o povo
É da nossa terra, tá na nossa tela (especiais)
Rede RecordTV
Rede(s) anterior(es) Rede Tupi (1972-1980)
REI (1980-1981)
SBT (1981-2007)
Fundador Condomínio Acionário dos Diários e Emissoras Associados
Pertence a Rede Calderaro de Comunicação
Proprietário Tereza Cristina Calderaro
Antigo proprietário Condomínio Acionário (1972-1985)
Umberto Calderaro Filho (1985-1995)
Ritta Calderaro (1995-2016)
Presidente Dissica Tomaz Calderaro
Fundação 2 de junho de 1972 (46 anos)
CNPJ 04.382.099/0001-94
Prefixo ZYA 246
Nome(s) anteriore(s) TV Baré (1972-1986)
Emissoras irmãs
Cobertura 60% do estado do Amazonas
Coord. do transmissor 3° 05' 52.8" S 59° 59' 33.5" O
Página oficial play.acritica.com

TV A Crítica é uma emissora de televisão brasileira sediada em Manaus, capital do estado do Amazonas. Opera no canal 4 (17 UHF digital) e é afiliada à RecordTV. A emissora faz parte da Rede Calderaro de Comunicação, do qual fazem parte os periódicos A Crítica e Manaus Hoje, as rádios FM O Dia Manaus e Jovem Pan FM Manaus, a Inova TV, entre outros veículos.

Índice

HistóriaEditar

AntecedentesEditar

 Ver artigo principal: TV Baré

Em 1968, o Governo Federal lançou concorrência para segundo canal de televisão em Manaus.[1]

Na época, a TV Ajuricaba estava no ar desde ano anterior, através do canal 4 VHF. Porém, algumas residências já tinham aparelhos de televisão (cerca de 2 mil televisores, em uma população quase 100 mil habitantes em Manaus), que na época recebiam sinais vindos do canal 2 da RCTV (sinal de emissora vinda de Caracas, capital de Venezuela) de maneira muito precária, pois tinha chiado e péssima imagem.

O grupo Diários Associados ganhou a concorrência e obteve a concessão em 1968.[1] Para colocar a emissora no ar, foi formado empresa[qual?] com 30 sócios (entre eles, o empresário Umberto Calderaro Filho, dono do jornal A Crítica), com cada um das cotas, todos ligados aos Diários Associados,[2] entre estes o jornalista Alfredo Sade (falecido em 1971).[3]

Após os testes de sinais, sons e equipamentos, a TV Baré entra no ar em 2 de junho de 1971 transmitindo a cerimônia de abertura direto do Palácio Rio Negro, com um discurso do então governador do Amazonas João Andrade onde ao final ele diz: "Autorizo a partir deste momento, o inicio do funcionamento e das atividades da Rádio e Televisão Baré, canal 4 de Manaus", seguido das imagens do índio curumim com a frase "No Ar, a Pioneira em Imagem-Som, Alcance e Côr!" - sendo esse slogan utilizado como um anuncio das futuras transmissões em cores. Assim, a recém-fundada emissora passa a ser afiliada da Rede Tupi,[4] até então era da TV Ajuricaba, de 1967 a 1971, quando ocorre a inauguração da nova emissora e ser apenas exibidora da REI.[5]

A TV Baré era controlada pelos Diários Associados e constituía-se 30 acionistas, que posteriormente venderam suas ações de participação ao empresário e jornalista Umberto Calderaro Filho, dono do jornal A Crítica, quando a crise financeira-administrativa atinge os Diários Associados.[2] As cotas da sociedade compradas pelo Umberto Calderaro Filho por anos anteriores o leva a assumir o controle majoritário da emissora em meados de 1981.[2] É quando a TV Baré muda razão social para Televisão A Crítica Ltda e nome fantasia para TV A Crítica, em 1º de setembro do mesmo ano e tornou-se umas das primeiras afiliadas do recém inaugurado Sistema Brasileiro de Televisão (SBT), de propriedade do empresário e animador Silvio Santos, deixando a REI.

Suspensão das transmissões em 2006Editar

No dia 30 de setembro, véspera do dia da eleição federal e estadual brasileira de 2006, um Oficial de Justiça[quem?] do Tribunal Regional Eleitoral de Amazonas (TRE-AM) foi enviado à sede da TV A Crítica em Manaus para lacrar os transmissores para suspender transmissões em Manaus e todo Amazonas por 24 horas por determinação da juíza Encarnação Graça Sampio.[6] da Justiça Eleitoral. O motivo foi que a emissora tentou associar o candidato Eduardo Braga à escândalos administrativos durante debate entre candidatos à Governador do Estado (mediado pelo jornalista do SBT, Hermano Henning), na qual nem Braga e nem Amazonino Mendes não compareceram durante debate, o que levou pedido da coligação do governador Braga a entrar no TRE contra emissora, que ficou quase 24 horas fora do ar, o que quase prejudicou na cobertura das eleições[7][8] (Ver Controvérsias).

2007: Mudança de Redes SBT para RecordEditar

Nos primeiros meses, a TV A Crítica demonstra interesse em querer sair do SBT, devido as mudanças repentinas da programação por ordem de Sílvio Santos a partir de 2001 e que sofria forte oposição por parte da direção da emissora.[9]

No dia 5 de julho, representantes da TV A Crítica fecham parceria com os da Record.[10]

No final de outubro, surgiram especulação de que a TV A Crítica quer voltar a se afiliar ao SBT por conta da queda de audiência sofrida nos primeiros meses após a afiliação à Record, perdendo dessa forma a vice-liderança de audiência na capital para agora recém nomeada TV Em Tempo (antiga TV Manaus), para que a ex-afiliada voltasse com a Record,[11]

Em 13 de agosto de 2009, a retransmissora de Manicoré, no interior do Amazonas, foi alvo de um atentado, ainda não investigado pelas autoridades.[12]

2009 e 2010: Sinal DigitalEditar

Em 10 de agosto de 2009, a emissora em Manaus inaugura o sinal digital, sendo a primeira afiliada da Record na Região Norte com esta tecnologia, transmitindo para mais de 2 milhões de telespectadores em Manaus e municípios adjacentes, através do canal 17 UHF.[13]

Em 22 de março de 2011 a emissora veiculou com exclusividade (mais tarde toda imprensa amazonense), vídeo com imagens de policiais militares atirando à queima-roupa contra adolescente de 14 anos num bairro da periferia de Manaus, gravado por câmeras de segurança do hipermercado nas proximidades do local.[14] As imagens chocaram pela frieza do ato e posteriormente ganharam repercussão nacional e internacional, através dos telejornais das maiores redes de televisão do país, chegando tal atitude a ser condenada pelo UNICEF (órgão da ONU com o qual o Governo do Estado do Amazonas possui convênios). Os sete policiais militares envolvidos no vídeo foram presos e o comandante da Polícia Militar do Amazonas, Coronel Dan Câmara, foi exonerado do cargo pelo governador Braga em 29 de março.[15]

Em 2 de junho de 2012, a emissora completou 40 anos de existência, com uma programação especial e o início das transmissões em 3D, sendo a primeira da Região Norte a implementar tal tecnologia.[16]

Em 4 de dezembro a emissora estreia o primeiro reality-show da TV amazonense, Peladão A Bordo, O Reality, em que as candidatas a Rainha do Peladão são colocadas em um barco de luxo, no qual elas participam de provas de eliminação a cada semana.[17]

2013Editar

Em 30 de janeiro a emissora firmou parceria entre os clubes de futebol amazonense e a Federação Amazonense de Futebol para a transmissão de mais um Campeonato Amazonense, havendo novidade na mudança dos dias de transmissão dos jogos, que passará a ser nas quintas-feiras à noite e aos sábados à tarde.[18]

Em 15 de fevereiro o Boi Bumbá Garantido assinou contrato de exclusividade com a Rede Calderaro de Comunicação (TV A Crítica, emissoras de rádio, portal e demais veículos de comunicação do grupo) para a transmissão de suas apresentações oficiais no Festival Folclórico de Parintins por um período de 05 anos. O contrato prevê cobertura jornalística na programação local da TV A Crítica, no site do Jornal A Crítica, transmissão na íntegra das apresentações do Garantido no Festival Folclórico de Parintins através da emissora e da Record Internacional, inserção dos itens do Garantido nos programas da Rede Record, gravação e divulgação do CD e DVD do Garantido, aporte financeiro, entre outros itens. O Boi Bumbá Caprichoso, por sua vez, também recebeu as propostas da Rede Calderaro de Comunicação, porém posteriormente decidiu por assinar contrato de exclusividade com a TV Amazonas. Entre os anos de 2008 e 2012 o Festival Folclórico de Parintins era transmitido para todo o Brasil através da Rede Bandeirantes.[19]

No dia 15 de maio a emissora transmitiu, em conjunto com a Record Internacional, a partida entre Vasco e Fast Clube pela Copa Brasil de Beach Soccer, direto do Centro Cultural Povos da Amazônia.[20]

Em 25 de junho a emissora lançou seu sinal digital em HDTV para a cidade de Parintins.[21]

2014Editar

Em 22 de março, num sábado, às 20h42, quando transmitia a sessão de filmes Cine Maior, a emissora, por motivos desconhecidos, teve o seu sinal suspenso, ficando fora do ar por mais de 35 horas na Grande Manaus. A TV A Crítica voltou ao ar na manhã de segunda-feira, dia 24 de março, às 08h11, durante o Fala Brasil. Há relatos de que a emissora não teve queda de sinal, apenas os telespectadores que moram nas adjacências da mesma assistiram a programação de fim de semana da Rede Record. Porém, nas demais zonas da cidade, os telespectadores não conseguiram sintonizar a emissora.[22]

Sinal digitalEditar

Canal virtual Canal digital Resolução de tela Programação
4.1 17 UHF 1080i Programação principal da TV A Crítica / RecordTV

Em 10 de agosto de 2009, a emissora em Manaus inaugura o sinal digital, sendo a primeira afiliada da Record na Região Norte com esta tecnologia, transmitindo para mais de 2 milhões de telespectadores em Manaus e municípios adjacentes, através do canal 17 UHF.[23]

Transição para o sinal digital

Com base no decreto federal de transição das emissoras de TV brasileiras do sinal analógico para o digital, a TV A Crítica, bem como as outras emissoras de Manaus, cessou suas transmissões pelo canal 04 VHF em 30 de maio de 2018, seguindo o cronograma oficial da ANATEL.[24]

ProgramasEditar

Além de retransmitir a programação nacional da RecordTV, atualmente a TV A Crítica produz os seguintes programas:

Diversos outros programas compuseram a grade da emissora e foram descontinuados:

Transmissões especiaisEditar

Transmissões esportivasEditar

ControvérsiasEditar

Fora do ar em 2006Editar

No dia 30 de setembro, véspera do dia da eleição federal e estadual brasileira de 2006, um Oficial de Justiça[quem?] do Tribunal Regional Eleitoral do Amazonas (TRE-AM) foi enviado à séde da TV A Crítica em Manaus para lacrar os transmissores para suspender transmissões em Manaus e todo Amazonas por 24 horas por determinação da juíza Encarnação Graça Sampio.[25] da Justiça Eleitoral.[7][8]

O governador Eduardo Braga foi reeleito no dia 1º de outubro.[8]

Referências

  1. a b Fábio Fonseca de Castro (fabio.fonsecadecastro@gmail.com) (2012). «Sistemas de comunicação na Amazônia (Communication systems in Amazon)». Unisinos (da revista Fronteiras). Consultado em 7 de agosto de 2014. 
  2. a b c Rodrigo Cunha (22 de setembro de 2008, 7hs37min). «Antena Norte/Nordeste: Em Manaus, a primeira televisão a cabo no Brasil (TV Baré)». Tele História. Consultado em 7 de agosto de 2014.  Verifique data em: |data= (ajuda)
  3. Sade, Alfredo (15 de julho de 1971). «Homenagem Póstuma ao Jornalista Alfredo Sade» (PDF). Anais do Senado Federal. Consultado em 25 de maio de 2017. 
  4. Erro de citação: Código <ref> inválido; não foi fornecido texto para as refs de nome TV Baré 1972
  5. Diversos Autores (Novembro de 2004). «Comunicação: Veredas» (PDF). Unimar. Consultado em 7 de agosto de 2014. 
  6. Thais Brianezi (1 de outubro de 2006). «Canal de TV no Amazonas continua fora do ar por determinação da Justiça». Folha da Região. Consultado em 30 de janeiro de 2016. 
  7. a b «Justiça suspende programação de TV no Amazonas e na Paraíba». Consultado em 21 de novembro de 2009. 
  8. a b c «Eduardo Braga é reeleito governador do Amazonas». Consultado em 21 de novembro de 2009. 
  9. «TV A Crítica, do Amazonas, abandona o SBT em agosto e adere à programação da Record». Cidade Biz. 17 de julho de 2007 
  10. «FLORESTA». Consultado em 20 de novembro de 2009. 
  11. «TV A Crítica quer voltar para o SBT». Blog Internacional. 2 de novembro de 2007 
  12. «TV A Crítica em Manicoré sofre atentado, Jornal do Apuí, Agosto de 2009» 🔗 
  13. «Sinal em alta definição da Record chega à Manaus (AM), Jornal da Record, 7 de dezembro de 2009» 🔗 
  14. «Imagens mostram policiais atirando contra adolescente em Manaus, 23 de março de 2011» 🔗 
  15. «Comandante da PM do Amazonas é exonerado, 29 de março de 2011» 🔗 
  16. «TV A Crítica: 40 anos de inovação e pionerismo» 
  17. «'Peladão a bordo', o 1º reality show do AM estreia na terça» 
  18. «TV Acrítica e Rede Record confirmam transmissão do Amazonense pelo 5º ano seguido com jogos às quintas e sábados» 
  19. «Garantido assina contrato em definitivo com a TV A Crítica/Record» 
  20. «Copa Brasil de Beach Soccer começa nesta quarta-feira, em Manaus» 
  21. TV A CRÍTICA lança sinal de alta definição em Parintins (AM)
  22. TV 'A Crítica', afiliada da Record em Manaus, está fora do ar. http://www.tudodatv.com.br/2014/03/tv-critica-afiliada-da-record-em-manaus.html
  23. «Sinal em alta definição da Record chega à Manaus (AM), Jornal da Record, 7 de dezembro de 2009» 🔗 
  24. Higa, Paulo (15 de fevereiro de 2016). «Quando a TV analógica será desligada na sua cidade». Tecnoblog. Consultado em 30 de janeiro de 2017. 
  25. Thais Brianezi (1 de outubro de 2006). «Canal de TV no Amazonas continua fora do ar por determinação da Justiça». Folha da Região. Consultado em 30 de janeiro de 2016. 

Ver tambémEditar

Ligações externasEditar