SBT Rio

Emissora de televisão brasileira do Rio de Janeiro, RJ
(Redirecionado de SBT Rio de Janeiro)
SBT Rio
TVSBT Canal 11 do Rio de Janeiro Ltda.
Rio de Janeiro, RJ
Brasil
Tipo Comercial
Canais Digital: 24 UHF
Virtual: 11 PSIP
Outros canais 11 (Oi TV)
23 / 511 HD (Claro TV)
514 (Vivo TV)
Analógico:
11 VHF (1976-2017)
Sede Bandeira da cidade do Rio de Janeiro.svg Rio de Janeiro, RJ
Slogan Tão carioca quanto você
Rede SBT
Rede(s) anterior(es) REI (1976-1981)
Fundador(es) Silvio Santos
Pertence a Grupo Silvio Santos
Proprietário(s) Silvio Santos
Presidente Guilherme Stoliar
Fundação 14 de maio de 1976 (44 anos)
Prefixo ZYB 512
Nome(s) anterior(es) TVS Rio de Janeiro (1976-1990)
SBT Rio de Janeiro (1990-2012)
Cobertura Cobertura - SBT Rio.png
Coord. do transmissor 22° 56' 59.4" S 43° 13' 46.6" O
Potência 8,5 kW
Agência reguladora ANATEL
Informação de licença
CDB
PDF
Página oficial www.sbt.com.br/riodejaneiro/home

SBT Rio é uma emissora de televisão brasileira instalada na cidade do Rio de Janeiro, capital do estado homônimo. Opera no canal 11 (24 UHF digital) e é uma emissora própria do SBT. A emissora mantém estúdios e escritórios no bairro de São Cristóvão, e seus transmissores estão no topo do Morro do Sumaré, no bairro do Rio Comprido.

A emissora entrou no ar em 14 de maio de 1976, com o nome de TVS, e foi membro da Rede de Emissoras Independentes até 1981, sendo a primeira concessão de TV adquirida pelo empresário Silvio Santos, cinco anos antes do Grupo Silvio Santos adquirir parte das concessões da Rede Tupi e formar a rede nacional que viria a ser o SBT.

HistóriaEditar

Em 1975, o humorista Manuel de Nóbrega convence o empresário e apresentador Silvio Santos a participar de uma licitação do Governo Federal para a concessão do canal 11 VHF do Rio de Janeiro, licitação essa que foi vencida pelo empresário, e a primeira concessão de TV cedida a um artista de televisão. No mesmo ano, a futura emissora adquire um antigo galpão frigorífico localizado na Rua General Padilha, 134, em São Cristóvão, onde foram montados os primeiros estúdios do canal 11. No ano seguinte, Silvio participa de um leilão da massa falida da TV Continental, arrematando o antigo sistema irradiante da emissora. Apesar de baseada no Rio de Janeiro, suas instalações principais ficariam localizadas em São Paulo, onde o Grupo Silvio Santos mantinha um complexo de 4.000 m² que pertenceu a extinta TV Excelsior no bairro da Vila Guilherme, além do Teatro Manuel de Nóbrega, na Pompeia, onde Silvio fazia seus programas. O nome deste último foi dado em homenagem ao humorista, que faleceu em 17 de março de 1976, durante os preparativos para a inauguração da TVS, e seria seu futuro diretor, fazendo com que Silvio entregasse o cargo para Luciano Callegari. Ao todo, foram investidos pelo menos 60 milhões de cruzeiros na futura emissora.

 
Logotipos da TVS. Boa parte de sua programação visual foi integralmente baseada na WPIX de Nova York. O logotipo de 1979 é o mesmo da WBAL-TV de Baltimore.[1]

A TVS (abreviação para TV Studios, ou TV Studios Silvio Santos) foi inaugurada na noite do dia 14 de maio de 1976, às 21h. De início, além de atrações comandadas pelo próprio Silvio Santos e outros apresentadores, a programação da emissora, que ia ao ar diariamente de 18h até meia-noite era composta por várias séries, desenhos animados e filmes, que eram exaustivamente exibidos mais de uma vez ao dia para preencher os horários. Somente em 1.º de junho de 1977, começou a haver uma diversificação da grade, através da exibição de telenovelas, pequenos telejornais e outras atrações. Nesse mesmo dia, a TVS inaugurou uma nova torre e transmissor, com potência efetiva de 270 kW, que ampliou a qualidade do sinal e de sua cobertura.[2]

Em 1978, o Teatro Manuel de Nóbrega sofre um incêndio em São Paulo, fazendo com que Silvio Santos transferisse a produção do Programa Silvio Santos para o local onde funcionava o antigo Cine Sol, no bairro do Carandiru. Em 1979, a TVS compra o antigo Cine Fluminense, em frente ao Campo de São Cristóvão, que após uma série de reformas, foi adaptado para televisão e inaugurado em 1982, servindo também para abrigar a TV Record. O antigo galpão da Rua General Padilha continuou abrigando a TVS até o fim dos anos 80, quando passou a pertencer exclusivamente ao canal 9.

Em setembro de 1980, Silvio Santos e Adolpho Bloch participam da concorrência aberta em 23 de julho para as concessões da Rede Tupi e da TV Excelsior de São Paulo. Silvio conquista as concessões da Rede Tupi nas cidades de São Paulo (TV Tupi São Paulo), Porto Alegre (TV Piratini) e Belém (TV Marajoara), além do canal 9 do Rio de Janeiro, que foi da extinta TV Continental e passou a ser a TV Record. Em 19 de agosto de 1981, cinco anos após a fundação da TVS Rio de Janeiro, é criado o Sistema Brasileiro de Televisão (SBT), formado pelas emissoras de São Paulo, Rio de Janeiro, Porto Alegre e Belém (estas duas últimas entrando no ar posteriormente) e uma série de afiliadas. A nova rede passou a ser encabeçada a partir de São Paulo, agregando a estrutura já existente que era da agora TVS Rio de Janeiro.

O canal 11 e as outras emissoras próprias do SBT continuaram a utilizar a marca TVS localmente até 1990, quando definitivamente só passam a utilizar o nome SBT — no caso do Rio, SBT Rio de Janeiro. Em 19 de agosto de 2012, quando o SBT completou 31 anos, a emissora simplificou seu nome, passando a se chamar apenas SBT Rio. Em 5 de novembro do mesmo ano, sua programação passou a ser transmitida para todo o estado do Rio de Janeiro, através do SBT Interior RJ de Nova Friburgo. Com isso, o SBT Rio tornou-se a central estadual. Em 2019, o nome SBT Rio deixa de existir e a emissora passa apenas a se chamar de SBT.

Em fevereiro de 2020, o SBT Rio anuncia que irá mudar seus estúdios para o Centro Empresarial Charles de Gaulle, na região do Castelo, no centro da cidade. A mudança orçada em R$ 8 milhões se dá em função dos problemas estruturais da atual sede da emissora, no Campo de São Cristovão, que vinha apresentando infiltrações e rachaduras. Uma vez no novo endereço, também serão agrupados os setores administrativo e comercial da emissora, localizados em um prédio separado na Rua General José Cristino, na mesma região.[3]

Sinal digitalEditar

 
A sede atual do SBT Rio no bairro de São Cristóvão, 2019
Canal virtual Canal digital Resolução de tela Programação
11.1 24 UHF 1080i Programação principal do SBT Rio / SBT

Em 4 de agosto de 2014, o SBT Rio, bem como todas as outras emissoras próprias do SBT, passa a exibir toda a sua programação local em alta definição. A confirmação oficial, no entanto, só veio algumas semanas depois, em 25 de agosto.

Transição para o sinal digital

Com base no decreto federal de transição das emissoras de TV brasileiras do sinal analógico para o digital, o SBT Rio, bem como as outras emissoras da cidade do Rio de Janeiro, cessou suas transmissões pelo canal 11 VHF em 22 de novembro de 2017, seguindo o cronograma oficial da ANATEL.[4] O sinal foi cortado às 23h59, durante o Programa do Ratinho, e foi substituído pelo aviso do MCTIC e da ANATEL sobre o switch-off.

ProgramasEditar

Além de retransmitir a programação nacional do SBT, o SBT Rio produz os seguintes programas:

Exibidos por temporada
  • Cozinheiro vs. Chefs: Reality show, com Isabele Benito;
  • Caminhos do Chef: Reality show, com Rafael Paiva

JornalismoEditar

A fim de cumprir a legislação sobre o mínimo obrigatório de 5% de jornalismo na programação, a TVS exibia inicialmente um boletim informativo denominado Plantão 11, com várias edições de curta duração ao longo do dia, e também o programete Por Dentro do Lance, que era um curto comentário esportivo. Somente a partir de 1980, com uma expansão da programação, passaram a ser feitos investimentos maiores no jornalismo, com a criação do Jornal da Manhã, exibido as 8h. No ano seguinte, o telejornal foi transferido para a meia-noite e o seu título foi alterado para Jornal da Noite. Em 1981, com o surgimento do SBT, a emissora local do Rio exibiu a edição local do Noticentro, que em 1988 passou a se chamar TJ Brasil.

A partir de 1984, a TVS Rio de Janeiro tinha como informativo local o Jornal da Cidade, que ia ao ar no começo da noite, além de blocos locais dos telejornais Noticentro e Jornal 24 Horas. Em 1986, o SBT resolve criar um novo padrão de jornalismo local e implanta em suas emissoras o telejornal Cidade, sendo que no Rio de Janeiro, a TVS exibia o Cidade 11, apresentado por Ana Davis e Paulo Carvalho. Em 1989, o Cidade 11 é substituído pelo TJ Rio, versão local do TJ Brasil. O telejornal foi ao ar pela última vez em 18 de maio de 1991, cedendo espaço ao jornalístico Aqui Agora, transmitido em rede nacional pelo SBT.

Já em 1992, após o fim das Olimpíadas, a emissora estreou o programa matinal Agenda, apresentado por Leda Nagle. O programa era baseado em entrevistas e ficou no ar até meados da década de 1990. Após a extinção do Agenda, o SBT Rio de Janeiro passou a atuar quase como uma mera retransmissora do SBT, sem exibir nenhuma atração local. Isso mudou em 1.º de dezembro de 1999, quando estreou o telejornal SBT Rio, apresentado por Renata Affonso, e posteriormente por nomes como Marcelo Castilho e Luiz Bacci. Juntamente com o lançamento do SBT Rio em 1999, estreou o programa semanal de reportagens Câmera em Ação, hoje fora do ar.

Em 2010, Rogério Forcolen é contratado da TV Record RS para apresentar o SBT Rio, enquanto Luiz Bacci saía do telejornal para apresentar o RJ Record na TV Record Rio de Janeiro. Forcolen ficou no comando do SBT Rio até 2013, quando também foi contratado pela Record Rio. Em seu lugar, ficou a repórter e então apresentadora Isabele Benito.[5][6] Em 23 de setembro do mesmo ano, estreou o SBT Rio Manhã, apresentado por Liane Borges, que nasceu da necessidade do SBT Rio ter mais programas locais e aumentar a sua audiência nas manhãs.

Em 11 de agosto de 2014, foi confirmado que a equipe do cronista e narrador esportivo José Carlos Araújo, o "Garotinho", havia sido contratada pela emissora para apresentar um programa esportivo. A equipe, que continha além de Garotinho, Dé Aranha, Gérson e Gilson Ricardo, havia rescindido contrato com a Band Rio, onde apresentava a versão carioca do esportivo Os Donos da Bola.[7]

Em 8 de setembro, estreou na emissora o SBT Esporte Rio, inicialmente, em razão do horário eleitoral gratuito, ocupando os 10 minutos finais do telejornal SBT Rio. Após o fim do horário político, o programa iria ser exibido com 30 minutos de duração, mas por conta da grade nacional da emissora, foi mantido nos 10 minutos finais do telejornal.[8] Em 2 de março de 2015, o programa deixou de ser um bloco do SBT Rio, passando a ir ao ar às 12h30, e apenas com Garotinho, Gérson e Gilson Ricardo.[9] Garotinho também viria a apresentar a partir de 2015 o programa semanal Esporte Mágico, exibido nas tardes de sábado.

Em 29 de junho de 2018, foi ao ar pela última vez o telejornal SBT Rio Manhã, cujo cancelamento se deu após decisão da matriz em São Paulo para permitir a exibição do Primeiro Impacto.[10] Em dezembro, José Carlos Araújo deixou a apresentação do SBT Esporte Rio após entrar em férias, porém em 1.º de fevereiro de 2019, ele deixou oficialmente o SBT Rio juntamente com Gérson e Gilson, ficando apenas Fernanda Maia no comando da atração.[11] Neste ínterim, o programa passou a contar com os comentários de Pedro Certezas e Cazé.[12]

Em maio, o repórter e comediante Smigol passa a fazer parte do elenco do SBT Esporte Rio. Também em maio, o Esporte Mágico passa a ser exibido nas manhãs de domingo, devido a estreia da nova temporada de Cozinheiro vs. Chefs e o sucesso de audiência da série Henry Danger. O programa foi exibido pela última vez em 20 de outubro.[13]

EntretenimentoEditar

Em seus primeiros anos no ar, a TVS apostou numa grade experimental que era majoritariamente composta de séries, filmes e desenhos animados, que eram reprisados inúmeras vezes em horários e dias diferentes. Uma delas era a Sessão Corrida, que levava ao ar o mesmo filme três vezes seguidas ao longo do dia na programação. Das atrações feitas pela própria emissora, constavam programas como Silvio Santos Diferente, programa de entrevistas com personalidades famosas e games de perguntas e respostas, num estilo completamente diferente (como o próprio título dizia) do que ele fazia até então na Rede Globo, o humorístico Bacará 76 com Ronald Golias, Um Instante Maestro com Flávio Cavalcanti e o Horóscopo com Zora Yonara. Ainda no mesmo ano, em conjunto com a Rede Tupi (via TV Tupi Rio de Janeiro), passou a retransmitir o Programa Silvio Santos, assim que a atração deixou a Globo e estreou na Tupi em 1.º de agosto.[14]

A partir de 1.º de junho de 1977, a TVS começa a expandir sua programação, apostando inicialmente em telenovelas como Meu Pedacinho de Chão, produzida e exibida originalmente em 1971 pela TV Cultura e Rede Globo, e O Espantalho, que estava no ar pela TV Record em São Paulo.[2] A emissora também viria a produzir em 1978 a telenovela Solar Paraíso, que teve sua exibição restrita ao Rio de Janeiro, sendo reprisada anos mais tarde pelo SBT. Também surgiram atrações como Programa Carlos Imperial, o infantil Bozo, o popularesco O Povo na TV e a Sessão Premiada. Muitos desses programas também eram exibidos para São Paulo através da TV Record, co-irmã da TVS e cabeça da Rede de Emissoras Independentes.

Com o surgimento do SBT em 1981, a nova rede aproveitou toda a grade que até então ia ao ar pela TVS, que gerava a maior parte da sua programação dos estúdios localizados em São Paulo, agora servindo à TVS São Paulo. Com exceção do jornalismo, que também deixou de fazer parte da programação local em intervalos ocasionais, nenhum programa de entretenimento foi ao ar pela emissora até o ano de 2017. Nesse ano, estreou em 20 de maio o reality show culinário Cozinheiros vs. Chefs, apresentado por Isabele Benito e Carlos Bertolazzi. O programa, dividido em temporadas anuais, consiste em desafios culinários feitos pelo cozinheiro Rubens Zerbinato, que recebe um chef a cada semana.[15]

Em agosto do mesmo ano, estreou o programa de variedades Cariocou, derivado do quadro "Cariocando com Isabele Benito" exibido no telejornal SBT Rio. Além de Isabele que deixou a atração em 2018,[16] o programa já foi apresentado por Liane Borges,[17] e atualmente é comandado por Rafael Paiva. Em 27 de outubro de 2018, estreou o programa Caminhos do Chef, apresentado por Rafael Paiva, também veiculado em temporadas. A atração consiste em procurar pratos especiais feitos nos vários restaurantes, botecos e bares do Rio de Janeiro, e as histórias por trás de cada um deles.[18][19]

RetransmissorasEditar

O sinal do SBT Rio cobre a Região Metropolitana do Rio de Janeiro além de outras três cidades fora dela. O restante do estado é coberto pelo SBT Interior RJ, de Nova Friburgo.

Referências

  1. «A evolução do design do SBT». Tele História. 30 de setembro de 2008. Consultado em 8 de julho de 2017. Arquivado do original em 27 de julho de 2014 
  2. a b «Canal 11 inaugura hoje novo transmissor e lança novela em sua programação». Jornal do Brasil. 1 de junho de 1977. Consultado em 19 de janeiro de 2016 
  3. Feltrin, Ricardo (14 de fevereiro de 2019). «SBT investe R$ 8 milhões e muda sede no Rio de Janeiro». Consultado em 15 de fevereiro de 2020 
  4. Castro, Daniel (23 de outubro de 2017). «No quintal da Globo, TV digital falha e apagão analógico é adiado». Notícias da TV - UOL. Consultado em 27 de outubro de 2017 
  5. Clube da Televisão (25 de março de 2013). «SBT Rio investe em redes sociais para se aproximar do telespectador». Consultado em 3 de outubro de 2013 
  6. Bonde Carioca. «Isabele Benito, personalidade forte e líder de audiência». Consultado em 3 de outubro de 2013 
  7. Rangel, Eduardo (12 de agosto de 2014). «SBT Rio contrata equipe esportiva que fazia "Os Donos da Bola" na Band». NaTelinha - UOL. Consultado em 11 de setembro de 2014 
  8. Vaquer, Gabriel (8 de setembro de 2014). «"SBT Esporte Rio" com José Carlos Araújo estreia com bom Ibope». NaTelinha - UOL. Consultado em 11 de setembro de 2014 
  9. Vaquer, Gabriel (25 de fevereiro de 2015). «"SBT Esporte Rio" estreia na próxima segunda no SBT Rio de Janeiro». NaTelinha - UOL. Consultado em 1 de fevereiro de 2019 
  10. Nascimento, Sandro (28 de junho de 2018). «Fim do "SBT Rio Manhã" foi uma decisão de Silvio Santos para não interromper o "Primeiro Impacto"». NaTelinha - UOL. Consultado em 29 de junho de 2018 
  11. Falcheti, Fabrício (1 de fevereiro de 2019). «No SBT desde 2014, Garotinho e Gérson Canhotinha deixam emissora no Rio». NaTelinha - UOL. Consultado em 1 de fevereiro de 2019 
  12. «Pedro Certezas e Cazé estarão no 'SBT Esporte Rio' nas férias do Garotinho». Esporte e Mídia. 30 de dezembro de 2018. Consultado em 11 de abril de 2019 
  13. Maia, Auvaro (21 de outubro de 2019). «SBT acaba com programa "Esporte Mágico" no Rio de Janeiro». Consultado em 22 de outubro de 2019 
  14. «Festival de Astros». O Fluminense. 30 de julho de 1976. Consultado em 21 de janeiro de 2016 
  15. Martinez, Léo (22 de maio de 2017). «Isabele Benito e Carlos Bertolazzi comandam reality de culinária no SBT». O Dia. Consultado em 17 de fevereiro de 2020 
  16. Moura, Eduardo (3 de maio de 2018). «'Cariocou', do SBT, terá novo apresentador». Audiência Carioca. Consultado em 17 de fevereiro de 2020 
  17. Moura, Eduardo (24 de agosto de 2018). «Liane Borges assume o comando do "Cariocou" no SBT». Audiência Carioca. Consultado em 17 de fevereiro de 2020 
  18. Dia, O. (24 de outubro de 2018). «'Caminhos do Chef' é o novo programa do SBT RIO». O Dia - Leo Dias. Consultado em 28 de maio de 2019 
  19. «Caminhos do Chef é o novo programa do SBT Rio». Observatório da Televisão. 24 de outubro de 2018. Consultado em 17 de fevereiro de 2020 

Ligações externasEditar