Disney+

serviço de streaming

Disney+ (pronunciado como Disney Plus) é um serviço de streaming over-the-top de vídeo sob demanda por assinatura de propriedade e operado pela divisão Media and Entertainment Distribution da The Walt Disney Company.[1] O serviço oferece principalmente filmes e séries de televisão produzidos pela The Walt Disney Studios e Walt Disney Television, com hubs de conteúdo dedicados para marcas como Disney, Pixar, Marvel, Star Wars, National Geographic e incluindo Star em alguns países. Filmes e séries de televisão originais também são distribuídos no Disney+.

Disney+
Tipo de sítio Plataforma de streaming de vídeo OTT
Proprietário(s) The Walt Disney Company
Empresa-mãe Disney Media and Entertainment Distribution
Presidente Michael Paull
Pessoas-chave Marie Roge
Cadastro Obrigatório
País de origem  Estados Unidos
Idioma(s) 16 (incluindo o português)
Usuários
  • Aumento 152.1 milhões
  • (A partir de 2 de julho de 2022)
Lançamento
  • Flag of the United States.svg 12 de novembro de 2019; há 2 anos
  • Flag of Portugal.svg 15 de setembro de 2020; há 2 anos
  • Flag of Brazil.svg 17 de novembro de 2020; há 22 meses
Sede Los Angeles, Califórnia, Estados Unidos
Área(s) servida(s)

(veja lista completa de países)

Endereço eletrônico www.disneyplus.com
Estado atual Ativo

Disney+ conta com a tecnologia desenvolvida pela Disney Streaming Services, originalmente criada como BAMTech em 2015, quando foi derivada da MLB Advanced Media (MLBAM). A Disney aumentou sua participação acionária na BAMTech para uma participação controladora em 2017, e, posteriormente, transferiu a propriedade para a DTCI como parte de uma reestruturação corporativa em antecipação à aquisição da 21st Century Fox pela Disney. Com a BAMTech ajudando a lançar o ESPN+ no início de 2018, e o acordo de distribuição de streaming da Disney com a Netflix que termina em 2019, a Disney aproveitou a oportunidade para usar as tecnologias desenvolvidas para o ESPN+ para estabelecer um serviço de streaming com a marca Disney que apresentaria seu conteúdo. A produção de filmes e programas de televisão para exibição exclusiva na plataforma começou no final de 2017.

O Disney+ estreou em 12 de novembro de 2019 nos Estados Unidos, Canadá e Países Baixos, e expandiu-se para a Austrália, Nova Zelândia e Porto Rico uma semana depois. Foi disponibilizado em alguns países europeus em março de 2020 e na Índia em abril por meio do serviço de streaming Hotstar da Star India, que foi renomeado como "Disney+ Hotstar". Outros países europeus receberam o serviço em setembro de 2020, com a expansão do serviço para a América Latina em novembro de 2020. Após o lançamento, recebeu uma recepção positiva de sua biblioteca de conteúdo, mas foi criticado por problemas técnicos e conteúdo ausente. Alterações feitas em filmes e programas de televisão também atraíram a atenção da mídia. Dez milhões de usuários se inscreveram no Disney+ até o final de seu primeiro dia de operação.[a]

HistóriaEditar

2015–2019Editar

No final de 2015, a Disney lançou um serviço de streaming no Reino Unido chamado DisneyLife para testar o mercado de streaming.[3][4] Acabou sendo substituído pelo Disney+ em 24 de março de 2020.[5]

Em agosto de 2016, a Disney adquiriu uma participação minoritária na BAMTech (uma empresa derivada do negócio de tecnologia de streaming da MLB Advanced Media) por US$ 1 bilhão, com a opção de adquirir uma participação majoritária no futuro. Após a compra, a ESPN anunciou planos para um "projeto exploratório [over-the-top]" baseado em sua tecnologia (ESPN+) para suplantar seus serviços de televisão linear existentes.[6][7] Em 8 de agosto de 2017, a Disney invocou sua opção de adquirir uma participação majoritária na BAMTech por US$ 1,58 bilhão, aumentando sua participação para 75%. Juntamente com a aquisição, a empresa também anunciou planos para um segundo serviço de marca direta da Disney, retirado de seu conteúdo de entretenimento, que seria lançado depois que a empresa terminasse seu acordo de distribuição com a Netflix em 2019.[8][9] Pouco tempo depois, Agnes Chu, executiva de desenvolvimento de histórias e franquias da Walt Disney Imagineering, foi a primeira executiva nomeada para a unidade, como vice-presidente sênior de conteúdo.[10] Chu liderou dois projetos para o lançamento da nova unidade. Primeiro, a Disney precisava verificar exatamente qual conteúdo poderia ser disponibilizado física e legalmente por meio de um serviço de streaming imediatamente, o que significava revisar fisicamente todo o conteúdo nos cofres da Disney que não haviam sido restaurados recentemente e revisar "fichários de pedaços de papel com acordos legais" para identificar potenciais obstáculos.[11] Em segundo lugar, Chu se reuniu com os líderes das várias divisões de produção de conteúdo da Disney para começar a debater quais projetos seriam apropriados para lançamento em um serviço de streaming em vez de nos cinemas.[11] Chu saiu mais tarde em agosto de 2020.[12]

Em dezembro de 2017, a Disney anunciou sua intenção de adquirir os principais ativos de entretenimento da 21st Century Fox,. Destinado a reforçar o portfólio de conteúdo da Disney para seus produtos de streaming,[13][14] a aquisição foi concluída em 20 de março de 2019.[15]

Em janeiro de 2018, foi relatado que o ex-executivo da Apple e da Samsung, Kevin Swint, havia sido nomeado vice-presidente sênior e gerente geral subordinado ao CEO da BAMTech, Michael Paull, que lidera o desenvolvimento.[16][17] Em março de 2018, a divisão de segmento de nível superior da Disney foi reorganizada com a formação da Disney Direct-to-Consumer and International, que incluiu a BAMTech, que contém "todas as tecnologias e produtos voltados para o consumidor".[18] Em junho do mesmo ano, o ex-presidente de marketing do estúdio da Disney, Ricky Strauss, foi nomeado presidente de conteúdo e marketing, porém reportando-se ao presidente da Disney Direct-to-Consumer e International, Kevin Mayer.[19][20] Em janeiro de 2019, o COO do Fox Television Group, Joe Earley, foi nomeado vice-presidente executivo de marketing e operações.[21] Em junho de 2019, Matt Brodlie foi nomeado vice-presidente sênior de desenvolvimento de conteúdo internacional.[22] Em agosto de 2019, Luke Bradley-Jones foi contratado como vice-presidente sênior de direct-to-consumer e gerente geral do Disney+ para Europa e África.[23]

Em 8 de novembro de 2018, o CEO da Disney, Bob Iger, anunciou que o serviço seria chamado de Disney+ (Disney Plus) e que a empresa estava visando um lançamento no final de 2019.[24] Um lançamento em setembro foi planejado,[25] mas em 11 de abril de 2019, a Disney anunciou que o Disney+ seria lançado em 12 de novembro de 2019 nos Estados Unidos. A Disney afirmou que planeja lançar o serviço em todo o mundo nos próximos dois anos, visando a Europa Ocidental e países da Ásia-Pacífico até o final de 2019 e início de 2020, e Europa Oriental e América Latina durante 2020. O momento dos lançamentos internacionais está sujeito a aquisição ou expiração de acordos de direitos de streaming existentes para o conteúdo da Disney.[26] Em 6 de agosto de 2019, Iger anunciou que oferecerá um pacote de streaming do Disney+, ESPN+ e a versão suportada por anúncios do Hulu por US$ 12,99 por mês disponível no lançamento.[27] Na D23 Expo em agosto de 2019, a Disney abriu assinaturas do Disney+ com desconto por três anos.[28]

Em 12 de setembro de 2019, uma versão de teste do Disney+ foi disponibilizada na Holanda com conteúdo limitado disponível. Essa fase de teste durou até o lançamento oficial em 12 de novembro, quando os usuários de teste foram transferidos para um plano pago.[29][30] O Disney+ ficou disponível para pré-venda em setembro nos Estados Unidos com um teste gratuito de 7 dias após o lançamento.[31]

Em outubro de 2019, a Disney lançou um vídeo que durou três horas e dezoito minutos no YouTube para mostrar sua programação de lançamento.[32] Também foi relatado que a Disney proibiria anúncios da concorrente Netflix na maioria de suas plataformas de TV, exceto ESPN.[33][34]

O Disney+ foi lançado em 12 de novembro de 2019, no horário do Pacífico à meia-noite, nos três países de lançamento iniciais anunciados.[35] Os serviços tiveram alguns problemas no primeiro dia de login (cerca de 33% dos problemas), acesso a conteúdos específicos (cerca de 66%), criação de perfis e listas de observação. Alguns dos problemas foram devido a dispositivos de terceiros.[36]

Em 18 de novembro de 2019, uma investigação da ZDNet descobriu que milhares de contas de usuários foram invadidas usando o registro de teclas ou malware de roubo de informações. Seus endereços de e-mail e senhas foram alterados, "efetivamente assumindo a conta e bloqueando o proprietário anterior", e suas informações de login foram colocadas à venda na dark web.[37]

Década de 2020Editar

Em 12 de março de 2020, Vanessa Morrison, que anteriormente atuou como presidente da Fox Family e da 20th Century Animation, foi nomeada Presidente de Streaming da Walt Disney Studios Motion Picture Production e supervisionará o desenvolvimento e a produção do conteúdo de filmes Disney+ da The Walt Disney Studios para a Disney Live Action e 20th Century Studios.[38] Morrison se reporta diretamente ao presidente da Walt Disney Pictures, Sean Bailey.[38]

Em 12 de outubro de 2020, a Disney anunciou uma reorganização de seus negócios de mídia com foco maior em streaming. Eles estão planejando adicionar mais conteúdo para o Disney+ e suas outras plataformas de streaming (como Hulu) no futuro.[39]

Em 10 de dezembro de 2020, a Disney anunciou que um ano após o lançamento do Disney+, ele tinha mais de 86,8 milhões de assinantes.[40] Mais tarde, foi anunciado que em 2 de janeiro de 2021, a plataforma tinha mais de 94,9 milhões de assinantes.[41] Em janeiro do mesmo ano, Ricky Strauss, que liderou os esforços de marketing e curadoria de conteúdo do Disney+, saiu da Walt Disney Company.[42]

Em março de 2021, a Disney anunciou um aumento nos preços do serviço de streaming que ocorreria em 26 de março de 2021.[43] No segundo trimestre de 2021, o Disney+ adicionou 8,7 milhões de assinantes.[44]

Em agosto de 2021, o CEO da Disney, Bob Chapek, deu a entender que uma possível fusão Hulu/Disney+ poderia acontecer no futuro para criar um serviço de streaming completo no Disney+.[45] Ele mencionou que a Disney pode abandonar seu pacote de streaming de Disney+, Hulu e ESPN+ eventualmente. Isso é semelhante à marca Star no Disney+ disponível em mercados estrangeiros fora dos Estados Unidos.

Em 4 de março de 2022, a Disney anunciou que planeja lançar uma versão de baixo custo suportada por anúncios do Disney+ até o final de 2022 nos Estados Unidos, com essa versão também se expandindo para outros territórios internacionais em 2023.[46] A Disney anunciou mais tarde em 10 de agosto de 2022, que a versão suportada por anúncios do Disney+ seria lançada em dezembro, custando US$ 7,99 por mês, com a versão sem anúncios do Disney+ recebendo um aumento de preço de US$3.[47]

Em maio de 2022, a empresa informou que ganhou 7,9 milhões de assinantes nos primeiros três meses de 2022.[48] Em agosto de 2022, foi anunciado que o total combinado de assinantes em todas as plataformas de streaming da Disney, incluindo Disney +, Hulu e ESPN +, superou a Netflix com aproximadamente 221 milhões.[49]

ConteúdoEditar

 
Logo Disney+ original

O serviço é construído em torno do conteúdo dos principais estúdios de entretenimento e da biblioteca de filmes e televisão da Disney, incluindo Walt Disney Pictures, Walt Disney Animation Studios, Disneynature, DisneyToon Studios, Pixar, Marvel Studios, Lucasfilm, National Geographic, Blue Sky Studios, Saban Entertainment e filmes selecionados da 20th Century Studios, Searchlight Pictures, Touchstone Pictures e Hollywood Pictures.[50] O serviço operará ao lado do Hulu, do qual a Disney ganhou participação majoritária após a compra da 21st Century Fox.[51] Bob Iger afirmou que, no lançamento, o Disney+ estaria focado especificamente no entretenimento voltado para a família (e não carregaria nenhum conteúdo com classificação R e NC-17 ou TV-MA), e que o Hulu permaneceria orientado para o entretenimento geral.[24][52][53] O Hulu também hospedará o Disney+ como um serviço complementar.[54] O conteúdo destinado ao público adulto (R e TV-MA) foi posteriormente adicionado ao serviço, incluindo o original do Disney+ The Beatles: Get Back (2021), que inclui um aviso de conteúdo,[55] e a série Marvel produzida para a Netflix, todos eles avaliado TV-MA. Com a adição da série Marvel Netflix em março de 2022, controles parentais revisados foram introduzidos no serviço nos Estados Unidos para permitir que o conteúdo mais maduro da série seja adicionado, semelhante aos controles que já existem para outras regiões que possuem o hub de conteúdo Star.[56]

Biblioteca de conteúdoEditar

Sugere-se que o Disney+ tenha aproximadamente 7.000 episódios de televisão e 500 filmes,[57] incluindo séries de televisão originais e filmes do Disney Channel e Freeform, e títulos selecionados da 20th Television e ABC Signature.[50][58] Novos lançamentos da 20th Century Studios (como Spies in Disguise da Blue Sky Studios e uma série de filmes em live-action) não estariam imediatamente disponíveis no Disney+ ou no Hulu, pois o estúdio tem acordos de produção pré-existentes com outros provedores de TV premium/streaming (incluindo HBO nos EUA até 2022,[59] Crave no Canadá[60] e Sky no Reino Unido, Irlanda, Itália e Alemanha). Captain Marvel (filme), Dumbo (2019) e Avengers: Endgame se tornaram os primeiros filmes da Disney lançados nos cinemas a serem transmitidos exclusivamente no Disney+ dentro da janela de televisão a cabo/paga.[20]

Foi anunciado que o Disney+ adicionaria as primeiras 30 temporadas de Os Simpsons ao serviço no lançamento,[b] como a nova casa exclusiva da série,[61][62] com a 31ª temporada sendo adicionada em 2 de outubro de 2020 e a 32ª temporada sendo adicionada em 29 de setembro de 2021 nos Estados Unidos.

Iger disse que o Disney+ eventualmente hospedará toda a biblioteca de filmes da Disney, incluindo todos os filmes que estão atualmente no "Disney Vault". No entanto, ele afirmou que o controverso A Canção do Sul (1946), que nunca foi lançado em vídeo caseiro em sua totalidade nos EUA, nunca será lançado no serviço.[63] O filme de 1946 da Walt Disney Animation Studios, Música, Maestro!, não está disponível no serviço, possivelmente devido a uma cena de tiroteio, tornando-o o único filme do cânone animado da Disney a não ser incluído.[64][65] Apesar de estar disponível no lançamento, pelo menos cinco filmes – Home Alone, Home Alone 2: Lost in New York, Pirates of the Caribbean: On Stranger Tides, Ice Age e Garfield: A Tail of Two Kitties – foram removidos do serviço nos EUA.[66][c]

Inicialmente, não estava claro se os seis primeiros filmes da franquia Star Wars estariam disponíveis nos Estados Unidos no lançamento do serviço, já que a TBS detinha os direitos de streaming até 2024 como parte de seus direitos de cabo para a franquia,[68] mas em abril de 2019, foi anunciado que os filmes estariam disponíveis no lançamento junto com The Force Awakens[d] e Rogue One,[71][72] com The Last Jedi adicionado em 26 de dezembro de 2019; The Rise of Skywalker foi adicionado em 4 de maio de 2020,[73] e Solo: A Star Wars Story foi adicionado em 10 de julho de 2020.[74] Em 2 de abril de 2021, vários spin-offs mais antigos de Star Wars foram lançados.[75] Nos Estados Unidos, a maioria dos filmes do Universo Cinematográfico Marvel estava disponível no lançamento, com exceção de sete filmes: Thor: Ragnarok (adicionado em 5 de dezembro de 2019), Black Panther (adicionado em 4 de março de 2020), Avengers: Infinity War (adicionado em 25 de junho de 2020) e Ant-Man and the Wasp (adicionado em 14 de agosto de 2020), devido a acordos de licenciamento existentes com a Netflix; e The Incredible Hulk, Spider-Man: Homecoming e Spider-Man: Far From Home, que não estão disponíveis porque seus direitos de distribuição são de propriedade da Universal Pictures (The Incredible Hulk) e da Sony Pictures através da divisão Columbia Pictures (Homem-Aranha).[76][77] Alguns filmes foram modificados pela Disney: uma cena pós-créditos de Toy Story 2 foi editada;[78] a nudez foi eliminada de Splash (filme) adicionando cabelo digital, borrando e cortando certas cenas;[79][e] filmes como Adventures in Babysitting, Free Solo e Hamilton foram alterados para remover palavrões;[f] The Adventures of Bullwhip Griffin (1967) foi editado para remover insultos raciais, e o curta-metragem Santa's Workshop (1932) foi editado para remover uma "boneca negra estereotipada ".[81] Alguns conteúdos mais antigos, como filmes, curtas de animação e séries, têm um aviso legal de responsabilidade de conteúdo na plataforma observando a possibilidade de representações culturais desatualizadas.[83][84][85][86][g] A partir de outubro de 2020, um aviso legal de responsabilidade de conteúdo de 12 segundos informando os espectadores sobre cenas racialmente insensíveis é exibido antes de alguns filmes mais antigos da Disney – incluindo Peter Pan, Dumbo, Swiss Family Robinson, Lady and the Tramp, The Jungle Book, Aladdin (ao lado das duas sequências diretas em vídeo), e The Aristocats.[88][89] Além disso, em janeiro de 2021, alguns desses filmes não podiam mais ser visualizados em perfis de crianças; os títulos ainda estavam disponíveis para visualização em perfis regulares.[90] X-Men: Days of Future Past, que contém nudez e a palavra "fuck", começou a ser exibido sem censura em meados de 2020.[91] Algumas séries estão faltando episódios, incluindo Darkwing Duck, The Little Mermaid, The Proud Family, Phineas e Ferb, Spider-Man and His Amazing Friends,[92][h] The Muppet Show,[93][i] e Os Simpsons,[96][b] entre outros programas.[98][j] Todos os episódios com Stoney Westmoreland em Andi Mack são banidos do serviço.[100]

Em 22 de novembro de 2021, a Disney e a WarnerMedia chegaram a um acordo para alterar o acordo pré-existente que a HBO tinha com a Fox para permitir que Disney+ ou Hulu e HBO Max compartilhassem os direitos de streaming de metade da lista teatral de 2022 da 20th Century Studios e da Searchlight Pictures nos Estados Unidos durante a primeira janela paga, com Ron's Gone Wrong sendo o primeiro filme sob o acordo, ficando disponível no Disney+ e HBO Max em 15 de dezembro de 2021.[101] A Disney ainda terá direitos totais de streaming para qualquer filme da 20th Century Studios e Searchlight Pictures produzido para Disney+ ou Hulu, enquanto o acordo da Disney com a WarnerMedia para streaming de filmes da 20th Century Studios e Searchlight Pictures na HBO Max terminará em 2022, com Disney+ e Hulu assumindo os direitos de pagamento único para esses filmes daqui para frente.

Conteúdo original roteirizadoEditar

A meta inicial de conteúdo original do serviço foi planejada para incluir quatro a cinco filmes originais e cinco programas de televisão com orçamentos de US$ 25 a 100 milhões.[53] Em janeiro de 2019, foi relatado que a Disney gastaria até US$ 500 milhões em conteúdo original para o serviço. Séries originais baseadas em Star Wars e propriedades da Marvel foram ou estão sendo produzidas. As séries originais de Star Wars incluem The Mandalorian,[102] uma sétima temporada da animação The Clone Wars (e uma série spin-off intitulada The Bad Batch),[103] Obi-Wan Kenobi, Andor, Lando, The Acolyte, também como três séries derivadas de The Mandalorian The Book of Boba Fett, Rangers of the New Republic e Ahsoka.[104] As séries originais da Marvel incluem WandaVision, The Falcon and the Winter Soldier, Loki, a série animada What If, Hawkeye, Moon Knight, She-Hulk, Ms. Marvel e Secret Invasion.[105][106]

Em janeiro de 2019, o Disney+ encomendou Diary of a Future President' da CBS Television Studios, sua primeira série de uma produtora externa.[107]

Um remake para série de televisão do filme High Fidelity foi anunciado inicialmente para o Disney+, mas em abril de 2019, foi anunciado que o projeto havia sido transferido para o Hulu, citando preocupações de sua equipe de que o posicionamento do Disney+ como um serviço familiar estava em desacordo com sua visão criativa para a série.[108] Love, Victor, um spin-off do filme Love, Simon, também foi transferido do Disney+ para o Hulu em fevereiro de 2020.[109]

Em agosto de 2019, Iger anunciou que filmes da 20th Century Fox, como Home Alone, Night at the Museum, Diary of a Wimpy Kid e Cheaper by the Dozen, serão "'reimaginados' para 'uma nova geração'" exclusivamente para o Disney+[110] pela Fox Family.[111]

A maior parte do conteúdo episódico original é lançado semanalmente, ao invés de tudo de uma vez[112] com o horário de lançamento inicialmente sendo 00:01 PT às sextas-feiras, que durou de 15 de novembro de 2019 a 25 de junho de 2021. Com a estreia de Loki, que estreou em 9 de junho de 2021, a Disney mudou o cronograma de lançamento de novas séries originais e novas temporadas das respectivas séries para quartas-feiras.[113][114]

Em 25 de dezembro de 2020, Soul se tornou o primeiro longa-metragem da Pixar a ser lançado como original do Disney+. O próximo filme da Pixar, Luca, também foi lançado como original do Disney+.[115]

Em 1º de fevereiro de 2022, a Disney anunciou que a série dramática coreana Star Original, Snowdrop seria lançada no Disney+ no mercado dos EUA em 9 de fevereiro de 2022 como Disney+ Original, marcando a série como o primeiro conteúdo internacional para o Disney+ Original e o primeiro conteúdo que como original Disney+ e Star.

Conteúdo original sem roteiroEditar

A Disney também planeja conteúdo de televisão factual original para o serviço, com o objetivo de "encontrar o espírito da Disney nas histórias cotidianas, inspirando esperança e despertando a curiosidade de públicos de todas as idades." Algumas dessas séries terão vínculos com propriedades da Disney, incluindo minisséries documentais de bastidores com foco nos estúdios da Disney (como uma após a produção de Frozen II),[105] a competição de culinária com tema da Disney, Be Our Chef, Cinema Relics (uma série de documentários mostrando figurinos icônicos e adereços de filmes da Disney), Marvel's Hero Project (uma série que mostra "crianças inspiradoras [que] dedicaram suas vidas a atos altruístas de bravura e bondade") e The Imagineering Story (uma série documental dirigida por Leslie Iwerks que narra a história e o trabalho da Walt Disney Imagineering).[116][117] A National Geographic também produziu Magic of the Animal Kingdom (uma série documental seguindo os cuidadores de animais do Disney's Animal Kingdom e do aquário do Epcot) e The World According to Jeff Goldblum.[118]

A Disney fechou um pacto de dois anos com o estúdio de documentários Supper Club (Brian McGinn, David Gelb e Jaso Sterman, produtores de Chef's Table, da Netflix) para produzir conteúdo para o serviço, incluindo a série documental de conservação, Earthkeepers, e Marvel's 616, uma série documental que narra o impacto cultural e social dos personagens da Marvel. Outras séries factuais incluem Encore! (uma série produzida por Kristen Bell que reúne elencos de produções musicais do ensino médio para reprisar seus papéis), (Re)Connect(uma série de realidade produzida pela Milojo Productions, de Kelly Ripa e Mark Consuelos), Rogue Trip(uma série de viagens com Bob Woodruff e seu filho Mack), e o reality show Shop Class.[116][117]

Em 8 de abril de 2022, foi anunciado que Dancing with the Stars mudaria da ABC para o Disney+.[119]

Lançamentos simultâneosEditar

Premier AccessEditar

 
Logo do Premier Access

A adaptação live-action de Mulan estreou em países selecionados no Disney+ com Premier Access por uma taxa premium (US$ 29,99) em 4 de setembro de 2020 e, posteriormente, foi disponibilizada gratuitamente para todos os assinantes em 4 de dezembro.[120] Um segundo longa-metragem, Raya e o Último Dragão, foi oferecido através do modelo Premier Access em 5 de março de 2021, mesmo dia de seu lançamento nos cinemas,[121] e foi disponibilizado para todos os usuários em 4 de junho.[122] Em março de 2021, a Disney anunciou que Cruella e Viúva Negra seriam lançados nos cinemas e através do Premier Access.[123] Em maio de 2021, a Disney anunciou que Jungle Cruise também seria lançado nos cinemas e através do Premier Access.[124]

Lançamentos em redes diferentesEditar

Em setembro de 2021, foi relatado que a Disney iniciará uma nova estratégia de lançamento na televisão, dando a episódios de certas séries uma estreia antecipada no Disney+ antes de suas estreias na televisão. A primeira série a ser lançada por meio dessa estratégia foi The Ghost e Molly McGee, com os episódios 3 a 5 lançados no Disney+ em 6 de outubro de 2021.[125][126]

Em novembro de 2021, foi relatado que o filme original do Disney Channel, Christmas Again, seria lançado no Disney+ em 3 de dezembro de 2021, mesmo dia de sua estreia na televisão, marcando o primeiro filme a receber um lançamento simultâneo.[127]

Conteúdo de terceirosEditar

Em 21 de abril de 2021, a Disney e a Sony Pictures chegaram a um acordo de vários anos para permitir que os títulos da Sony (como filmes das franquias Homem-Aranha e Jumanji) fossem transmitidos no Hulu e Disney+. Um número significativo de títulos da Sony começou a ser transmitido no Hulu a partir de junho de 2021. Inclui filmes a partir de 2022.[128] Mais recentemente, a Disney anunciou que Paddington do StudioCanal e sua sequência serão lançados no Disney+ no Reino Unido e na Irlanda.[129] A Fuga das Galinhas, da Aardan, também está disponível no Disney+ em alguns territórios europeus.

Além disso, programas de televisão selecionados produzidos por empresas de terceiros, mas transmitidos em canais de televisão de propriedade da Disney, incluindo Miraculous: As Aventuras de Ladybug e Ghostforce do Zagtoon, PJ Masks do eOne, e Peppa Pig e Bluey da BBC Studios, estão disponíveis no Disney+ em vários territórios no mundo todo.[130]

Compatibilidade e recursosEditar

O Disney+ está disponível para streaming por meio de navegadores da web em PCs Windows e macOS, bem como aplicativos em iOS e Apple TV, Android e Android TV, Fire TV e Fire HD, dispositivos Chromecast e Chrome OS, TVs Samsung Smart, TVs LG webOS, TVs Vizio SmartCast,[131] dispositivos Roku, Xfinity Flex,[132] Sky Q,[133] dispositivos Now TV,[134] PlayStation 4, PlayStation 5, Xbox One, Xbox Series X/S, Windows 10, Nintendo Switch e Windows 11.[135][136] O conteúdo disponível no Disney+ também está listado nos aplicativos Apple TV e Google TV.[137][138]

Os recursos de acessibilidade incluem closed caption, descrição de áudio (também conhecida como vídeo descrito) e assistência de navegação por áudio.[139]

O Disney+ permite até sete usuários por conta, com a possibilidade de fazer transmissões em até quatro dispositivos simultaneamente e baixar conteúdos ilimitadamente para visualização offline. O conteúdo pode ser transmitido em resoluções até 4K Ultra HD em Dolby Vision e HDR10, com som Dolby Atmos em dispositivos suportados. Os conteúdos clássicos estão disponíveis em inglês, espanhol, francês e holandês, enquanto os originais do Disney+ trazem opção de idiomas adicionais.[140][141] As legendas e dublagens estão disponíveis em até 16 idiomas. Uma quantidade substancial de conteúdos está disponível em Hindi, Tamil e Telugu na versão indiana, o Disney+ Hotstar.[142]

No final de maio de 2020, o serviço adicionou a capacidade de alternar entre as proporções 4:3 e 16:9 para os primeiros episódios de Simpsons,[143] depois que o serviço recebeu uma reclamações por estender esses episódios para 16:9 por padrão no lançamento.[144] A Disney fez isso "para garantir qualidade visual e consistência em todas as 30 temporadas." Para acomodar o recurso, a Disney Streaming Services "teve que reconfigurar seu mecanismo de entrega de conteúdo", garantindo que o novo recurso não quebrasse nenhum recurso existente, como continuar assistindo, listas de observação e reprodução automática, pois eles não queriam tratar as versões 4:3 como conteúdo bônus. As alterações resultantes permitiram que a Disney aplicasse o áudio existente, as informações das legendas, a arte do episódio e outros metadados dos episódios em ambas as proporções, independentemente de qual fosse escolhida pelo usuário. Joe Rice, vice-presidente de produtos de mídia da Disney Streaming Services, acrescentou que esses ajustes "abrem uma série de oportunidades interessantes para novas formas de apresentar conteúdo no futuro."[143]

Em setembro de 2020, o serviço adicionou o recurso GroupWatch, que permite que até sete contas diferentes do Disney+ vinculem e visualizem a programação entre si. Os espectadores podem reagir ao conteúdo com seis emojis diferentes e controlar a reprodução de todo o grupo. Ele está disponível no navegador da web, aplicativo móvel, smart TVs e dispositivos de TV conectados nos Estados Unidos e será expandido para a Europa no final de 2020.[145] O recurso foi testado anteriormente na Austrália, Canadá e Nova Zelândia.[146]

Em novembro de 2021, a Disney e a IMAX anunciaram que 13 filmes do Universo Cinematográfico Marvel receberiam versões aprimoradas para IMAX (no perfil Dolby Vision 5 por enquanto) no Disney+, que apresentam a proporção de 1.90:1 do IMAX para cenas filmadas no formato. Esse recurso ficou disponível a partir de 12 de novembro de 2021, com a versão IMAX Enhanced também adicionando outros recursos, como áudio DTS posteriormente.[147]

LançamentoEditar

 
  Disponível
  Disponível como Disney+ Hotstar
  Lançamento confirmado
  Nenhum lançamento ou anúncio atual
Cronograma de lançamento
Data de lançamento País/Território Parceiro(s) de lançamento Star incluído?[k]
12 de novembro de 2019 (2019-11-12)   Canadá Rogers Cable   Sim
  Estados Unidos Verizon[148], Xfinity[149]   Nao[l]
  Países Baixos[m] Nenhum   Sim
19 de novembro de 2019 (2019-11-19)[35]   Austrália
  Nova Zelândia
  Porto Rico   Nao[l]
24 de março de 2020 (2020-03-24)[150]   Alemanha Telekom[151]   Sim
  Áustria Nenhum
  Espanha Movistar+[152], BBVA[153]
  Irlanda[n] Sky[154]
  Itália TIM[155]
  Reino Unido[n] Sky,[154] O2[156]
  Suíça Nenhum
2 de abril de 2020 (2020-04-02)[157]   Guernsey
  Ilha de Man
  Jersey
3 de abril de 2020 (2020-04-03)[158]   Índia[o] (via Hotstar)   Sim[p]
7 de abril de 2020 (2020-04-07)[161]   França Canal+[162]   Sim
30 de abril de 2020 (2020-04-30)[163][164]   Antilhas francesas Canal+ Caraïbes[162]
  Guiana Francesa
  Mónaco Nenhum
  Nova Caledônia Canal+ Calédonie[162]
  Wallis e Futuna
11 de junho de 2020 (2020-06-11)[165]   Japão[q] NTT Docomo[165]   Sim[r]
5 de setembro de 2020 (2020-09-05)[167]   Indonésia (via Hotstar), Telkomsel[168] Telkom Indonesia[169]   Sim[p]
15 de setembro de 2020 (2020-09-15)[170]   Bélgica Nenhum   Sim
  Dinamarca
  Finlândia
  Gronelândia
  Islândia
  Luxemburgo
  Noruega
  Portugal
  Suécia
2 de outubro de 2020 (2020-10-02)[171]   Maurícia Canal+ Maurice[162]
  Mayotte Canal+ Mayotte[162]
  Reunião Canal+ Réunion[162]
17 de novembro de 2020 (2020-11-17)[172]   Anguila Visa[173]   Nao[s]
  Antígua e Barbuda
  Argentina Cablevisión (Argentina)[174] Personal, Telecentro, DirecTV, MercadoLibre e Visa[173]
  Aruba Visa[173]
  Bahamas
  Bolívia
  Brasil Globoplay, Bradesco, Next, Mercado Livre e Vivo[175][176]
  Barbados Visa[173]
  Chile DirecTV, MercadoLibre e Visa
  Colômbia DirecTV, Claro, Movistar, MercadoLibre e Visa
  Costa Rica Visa[173]
  Curaçau
  Dominica
  El Salvador
  Equador DirecTV, MercadoLibre e Visa[173]
  Granada Visa[173]
  Guatemala
  Honduras
  Ilhas Caimã
  Ilhas Virgens Britânicas
  Jamaica
  México Telmex, Sky, Izzi Telecom[174] MercadoLibre e Visa[173]
  Monserrate Visa[173]
  Nicarágua
  Países Baixos Caribenhos
  Panamá
  Paraguai Flow, Visa[173]
  Peru DirecTV, MercadoLibre, Visa[173]
  Santa Lúcia Visa[173]
  São Cristóvão e Neves
  São Vicente e Granadinas
  Trinidad e Tobago
  Turcas e Caicos
  Uruguai Cablevisión Flow, DirecTV, MercadoLibre e Visa[173]
  Venezuela Nenhum
23 de fevereiro de 2021 (2021-02-23)[177][178]   Singapura StarHub[179][180]   Sim
1 de junho de 2021 (2021-06-01)[181]   Malásia (via Hotstar), Astro,[181] Unifi (Unifi TV)[182][183]   Sim[p]
30 de junho de 2021 (2021-06-30)[184]   Tailândia (via Hotstar), AIS[185]
12 de novembro de 2021 (2021-11-12)[186]   Coreia do Sul LG Uplus[187][188] KT Mobile[188]   Sim
  Taiwan Taiwan Mobile[189]
16 de novembro de 2021 (2021-11-16)[186]   Hong Kong Hong Kong Broadband Network[190]
18 de maio de 2022 (2022-05-18)[191]   África do Sul DStv[192][193]
8 de junho de 2022 (2022-06-08)[191]   Arábia Saudita Nenhum
  Argélia
  Bahrein
  Catar
  Egito
  Emirados Árabes Unidos
  Iêmen
  Iraque
  Jordânia
  Kuwait
  Líbano
  Líbia
  Marrocos
  Omã
  Palestina
  Tunísia
14 de junho de 2022 (2022-06-14)[191]   Albânia
  Andorra
  Bósnia e Herzegovina
  Bulgária
  Chéquia
  Croácia
  Eslováquia
  Eslovênia
  Estónia
  Gibraltar
  Grécia   Sim[t]
  Hungria   Sim
  Ilhas Åland
  Ilhas Feroé
  Kosovo[u]
  Letônia
  Liechtenstein
  Lituânia
  Malta
  Montenegro
  Macedônia do Norte
  Pitcairn
  Polinésia Francesa
  Polónia Plus, Polsat Box, Netia, Polsat Box Go[194][195]
  Roménia Nenhum
  Santa Helena, Ascensão e Tristão da Cunha
  San Marino
  São Martinho
  São Pedro e Miquelão
  Sérvia
  Svalbard e Jan Mayen
  Terras Austrais e Antárticas Francesas
  Território Britânico do Oceano Índico
  Turquia   Sim[t]
  Vaticano   Sim
16 de junho de 2022 (2022-06-16)[191]   Israel Nenhum[196]
A definir[197]   Filipinas Hotstar,[198] Globe[carece de fontes?] No lançamento
  Vietnã Hotstar[198]

Lançamento como Disney+Editar

Disney+ (Disney Plus) foi lançado inicialmente nos Países Baixos em 12 de setembro de 2019 como um "teste gratuito".[199] Foi lançado oficialmente nos Países Baixos, Estados Unidos e Canadá em 12 de novembro de 2019, pouco antes das 3:00 (UTC−05:00) horas da manhã.[200] Na Austrália, Nova Zelândia e Porto Rico, o serviço foi lançado em 19 de novembro de 2019, e na Áustria, Reino Unido, Espanha, Itália, Alemanha, Irlanda e Suíça em 24 de março de 2020.[201][165] No Reino Unido e na Irlanda, o Disney+ substitui o DisneyLife. Na Espanha, um canal de televisão linear Disney+ foi lançado ao lado do serviço de streaming. O canal está disponível exclusivamente no Movistar+, que atua como parceiro de lançamento do Disney+ na região.[202][152]

Em dezembro de 2019, foi anunciado que o Canal+ distribuiria com exclusividade o Disney+ na França.[203] O lançamento na França foi adiado de 24 de março para 7 de abril, de acordo com uma solicitação do governo francês para conservar a capacidade da rede devido à pandemia de COVID-19 que sobrecarrega as redes de comunicação.[204]

Em abril de 2020, foi anunciado que o conteúdo original do Disney+ seria licenciado para a operadora de TV paga e streaming OSN, a partir de 9 de abril, em 17 países da região do Oriente Médio e Norte da África, com a Disney observando que eles não tinham "plano de lançamento" atual do Disney+ como um serviço autônomo na região em um futuro próximo".[205][206][207]

O serviço foi lançado no Japão em 11 de junho de 2020, como parte de uma parceria existente da Disney com a NTT Docomo, e sucedendo o serviço Disney Deluxe existente na região.[208]

Poucos meses depois, o serviço expandiu para Portugal, Bélgica, Finlândia, Islândia, Luxemburgo, Noruega, Suécia, Dinamarca e Groenlândia[209] em 15 de setembro de 2020;[170] e na América Latina e Caribe em 17 de novembro de 2020.[172]

O serviço foi expandido para Singapura em 23 de fevereiro de 2021.[177][178]

Em 12 de agosto de 2021, a Disney anunciou que o serviço será lançado no Oriente Médio e na África no verão americano de 2022.[210][211]

Foi anunciado que o serviço também se expandiria para a Europa Central e Oriental, Hong Kong, Taiwan, Coreia do Sul, Israel, África do Sul e Turquia mais tarde, entre 2021 e 2022.[212] Entre eles, foi confirmado que o serviço será lançado em 12 de novembro de 2021 na Coreia do Sul e Taiwan e em 16 de novembro de 2021 em Hong Kong.[186] Ele estará disponível em mais de 50 países até 2022 e em mais de 160 países até o final de 2023.[213][214]

Lançamento como Disney+ HotstarEditar

 Ver artigo principal: Disney+ Hotstar

Em fevereiro de 2020, Iger anunciou que planejava lançar o Disney+ na Índia em 29 de março de 2020, por meio de seu serviço existente Hotstar, renomeando seus níveis pagos como um serviço de marca compartilhada. A Hotstar foi adquirida pela Disney durante a compra da Fox e tem sido o serviço de streaming dominante no país.[215][216] No entanto, o seu lançamento previsto foi adiado.[217] No entanto, foi adiado devido ao reagendamento da Indian Premier League devido à pandemia de COVID-19.[159] Foi então lançado em 3 de abril de 2020.[158] Poucos meses depois, o Disney+ foi lançado na Indonésia através da Hotstar em 5 de setembro de 2020.[167]

Em 25 de fevereiro de 2021, foi relatado que Disney+ seria lançado na Malásia, Filipinas e Tailândia através do Hotstar em 2021.[198][218] Posteriormente, foi anunciado que o lançamento ocorrerá na Malásia em 1 de junho de 2021,[181] e na Tailândia em 30 de junho de 2021.[184] A data de lançamento para as Filipinas ainda não foi anunciada, provisoriamente no início de 2022.[219] Mais tarde, houve um relatório afirmando que o serviço deve ser lançado nas Filipinas e no Vietnã em 2022,[197] mas devido aos inúmeros atrasos, a data de lançamento ainda é desconhecida.

Embora não tenha a marca Hotstar, uma variante do aplicativo Disney+ Hotstar para dispositivos não PC foi disponibilizada para os 17 mercados do Oriente Médio e Norte da África, incluindo Israel, já que o serviço Disney+ foi lançado oficialmente em junho de 2022 nesses mercados, que apresenta o mesma interface de usuário e sistema de login que o Hotstar e não suporta o Disney ID SSO como a versão internacional do aplicativo Disney+. De fato, os usuários nos mercados OMNA recebem uma mensagem de erro ao inicializar a versão internacional do aplicativo Disney+, e os assinantes do OMNA Disney+ não podem acessar suas contas fora da região e vice-versa.[220]

Lançamento do hub de conteúdo StarEditar

Star, a marca do Disney+ para conteúdo de entretenimento geral foi lançada em 23 de fevereiro de 2021 no Canadá, Europa, Austrália, Nova Zelândia e Cingapura e deve ser lançada em mercados internacionais selecionados em um futuro próximo, incluindo Japão, Hong Kong, Taiwan, Israel e África do Sul.[221][222] A Star foi adicionada ao Disney+ no Japão em 27 de outubro de 2021 e foi lançada junto com o serviço na Coreia do Sul, Taiwan em 12 de novembro, e Hong Kong em 16 novembro.[166]

RecepçãoEditar

Em 13 de novembro de 2019, um dia após seu lançamento, a Disney anunciou que o serviço de streaming já havia inscrito mais de 10 milhões de assinantes.[223][224] O Disney+ foi bem recebido, graças ao seu preço acessível e à extensa biblioteca da Disney. Frank Pallotta, da CNN, afirmou que "a empresa [Disney] reembalou sua coleção de conteúdo amado para o serviço, tornando-o um companheiro valioso para os outros serviços no mercado. Nick Pino, do TechRadar, afirmou: "Se a Disney o mantiver atualizado com novos conteúdos, , o Disney+ pode rivalizar com a Netflix mais cedo ou mais tarde."[225]

Após o lançamento, o Disney+ passou por dificuldades técnicas significativas. Os usuários reclamaram do recebimento de mensagens de erro informando que o serviço estava inoperante e que eles "não conseguiam se conectar", o que era irritante porque muitos deles haviam pago pelo serviço com meses de antecedência. Em alguns casos, as senhas precisavam ser redefinidas para permitir o acesso.

Victor Nascimento, do Observatório do Cinema, criticou o Disney+ pela lentidão e por não disponibilizar todos os filmes listados pela empresa. Apesar de tecer críticas relacionadas ao serviço de streaming, Victor elogiou sua interface como uma das melhores disponíveis.[226]

O fato de o lançamento ser limitado a poucos países resultou no aumento da pirataria de seus produtos.[227][228] No caso da série própria "The Mandalorian", a Disney tentou combater os links para download ilegal, mas a quantidade se tornou tão grande que a companhia não deu conta do trabalho.[227]

Em 3 de fevereiro de 2020 o serviço de streaming da Disney já tinha atraído mais de 28 milhões de assinantes.[229]

Em 10 de dezembro de 2020, a companhia revelou em evento para investidores, que o serviço atingiu a marca de 86,8 milhões de assinantes, número que era esperado para 2024.[230]

Ver tambémEditar

Notas

  1. Esse valor pode incluir pré-encomendas com desconto que foram oferecidas em agosto e setembro de 2019.[2]
  2. a b "Stark Raving Dad" (1991) é o único episódio de "Os Simpsons" indisponível no Disney+; o episódio foi retirado de circulação geral em março de 2019 após renovação das acusações de abuso sexual contra a estrela convidada, Michael Jackson.[97]
  3. Os filmes Home Alone foram restaurados em novembro de 2020, após cumprir um contrato com a HBO.[67]
  4. Os direitos de "The Force Awakens" (entre vários outros filmes da Disney) são de propriedade da rede de televisão premium Starz (já que eles já foram o primeiro provedor de TV paga para os lançamentos da Walt Disney Studios entre 1994 e 2015). A fim de sublicenciar os direitos de transmissão, foi relatado que a Disney concordou em fornecer uma veiculação de publicidade para Starz na conclusão do processo de registro para o Disney+ e ESPN+ nas plataformas PC e Android, embora nenhuma outra promoção da Starz seja vista após a conclusão da inscrição.[69][70]
  5. Da mesma forma, um decote foi borrado em Os Feiticeiros de Waverly Place.[80]
  6. Palavras como "fuck", "goddamn" e "homo" foram censuradas em Adventures in Babysitting e Free Solo;[81] no entanto, "Hamilton" manteve uma instância de "fuck", pois isso é permitido em um filme PG-13.[82]
  7. Um aviso adicional é exibido para títulos contendo representações de tabaco.[87]
  8. Um episódio com imagens Nazi e agente nazista Caveira Vermelha foi omitido. Além disso, o terceiro episódio da série apresenta um aviso sobre conteúdo racialmente insensível em relação aos estereótipos de asiáticos.[92]
  9. Todos, exceto dois episódios de "The Muppet Show" foram adicionados em 19 de fevereiro de 2021. Outros episódios foram editados, principalmente devido a problemas de direitos musicais — com alguns segmentos removidos e outros restaurados após estarem ausentes dos lançamentos anteriores em DVD.[94][95]
  10. Além disso, os primeiros episódios de Gravity Falls tiveram o símbolo no fez de Grunkle Stan removido.[99]
  11. Salvo indicação em contrário, "Sim" significa que a programação Star está disponível desde 23 de fevereiro de 2021 e do lançamento do Disney+ no país/território indicado.
  12. a b Erro de citação: Etiqueta <ref> inválida; não foi fornecido texto para as refs de nome star-hulu
  13. O serviço recebeu um lançamento parcial em 12 de setembro de 2019 nos Países Baixos.
  14. a b Precedido por DisneyLife
  15. O serviço deveria ser lançado originalmente em 29 de março, mas foi adiado devido à pandemia de COVID-19 em andamento.[159]
  16. a b c Programas selecionados comercializados como programas Star em outros lugares estão incluídos no Disney+ Hotstar nos hubs "Star World" e "ABC Studios".[160]
  17. Precedido por Disney Deluxe
  18. Star adicionado em 27 de outubro de 2021 (2021-10-27).[166]
  19. Programação comparável disponível através do serviço separado Star+ desde 31 de agosto de 2021.
  20. a b Devido às marcas pré-existentes Star Channel (Grécia) e Star (Turquia) nos respectivos países, a seção é rotulada como "More Entertainment".
  21. O Kosovo é objeto de uma disputa territorial entre Sérvia e a República do Kosovo. Esta última declarou a sua independência, em 17 de fevereiro de 2008, em um movimento que, até fevereiro de 2014, era reconhecido por 112 dos 193 Estados-membros das Nações Unidas e pela República Popular da China (Taiwan).[necessário esclarecer] A Sérvia, no entanto, continua a sustentar que o Kosovo é parte do seu território soberano.

Referências

  1. Nunan, Tom. «5 Reasons Why Disney+ Is Breaking Records While Making History». Forbes (em inglês). Consultado em 12 de dezembro de 2020 
  2. White, Brett (28 de agosto de 2019). «You Can Sign up for Disney+ Right Now at a Huge Discount… But There's a Catch». Decider (em inglês). Consultado em 11 de dezembro de 2020 
  3. «Disney launches streaming service in the UK in 2015». Disney (em inglês). Disney. 23 de novembro de 2015. Consultado em 7 de julho de 2020. Cópia arquivada em 30 de julho de 2020 
  4. Perez, Sarah. «DisneyLife, Disney's New Streaming Service For Movies, TV, Music And More, Goes Live» (em inglês). Consultado em 7 de julho de 2020. Cópia arquivada em 30 de julho de 2020 
  5. Spangler, Todd (24 de fevereiro de 2020). «Disney Plus Launches Plan Discounts in U.K., Europe Ahead of March Debut». Variety (em inglês). Consultado em 16 de dezembro de 2020 
  6. «What's Behind Disney's $1 Billion Investment in Major League Baseball's Digital Arm». Variety. Consultado em 18 de dezembro de 2016 
  7. Miller, Daniel (9 de agosto de 2016). «Walt Disney Co. buys stake in video streaming service BAMTech». Los Angeles Times. Tronc. Consultado em 17 de agosto de 2016 
  8. «Marvel and Star Wars films will ditch Netflix for Disney's own service». CNET (em inglês). CBS Interactive. Consultado em 7 de setembro de 2017. Cópia arquivada em 7 de setembro de 2017 
  9. Kastrenakes, Jacob (8 de agosto de 2017). «Disney to end Netflix deal and launch its own streaming service». The Verge. Consultado em 5 de agosto de 2018. Cópia arquivada em 6 de abril de 2018 
  10. Littleton, Cynthia (29 de janeiro de 2019). «Inside Disney's Daring Dive Into the Streaming World». Variety (em inglês). Consultado em 28 de agosto de 2019. Cópia arquivada em 28 de setembro de 2019 
  11. a b Jarvey, Natalie (16 de outubro de 2019). «Disney Over the Top: Bob Iger Bets the Company (and Hollywood's Future) on Streaming». The Hollywood Reporter (em inglês). Los Angeles. Consultado em 16 de fevereiro de 2020. Cópia arquivada em 17 de outubro de 2019 
  12. White, Peter (31 de julho de 2020). «Disney+ Content Chief Agnes Chu Exits To Head Condé Nast Entertainment». Deadline (em inglês). Consultado em 3 de agosto de 2020. Cópia arquivada em 2 de agosto de 2020 
  13. Littleton, Cynthia; Steinberg, Brian (14 de dezembro de 2017). «Disney to Buy 21st Century Fox Assets for $52.4 Billion in Historic Hollywood Merger». Variety. Consultado em 15 de dezembro de 2017 
  14. Sakoui, Anousha (14 de dezembro de 2017). «Disney Buys Fox Assets in $52 Billion Split of Murdoch Realm». Bloomberg. Consultado em 15 de dezembro de 2017 
  15. Szalai, Georg; Bond, Paul (20 de março de 2019). «Disney Closes $71.3 Billion Fox Deal, Creating Global Content Powerhouse». The Hollywood Reporter (em inglês). Consultado em 19 de agosto de 2021. Cópia arquivada em 20 de março de 2019 
  16. Roettgers, Janko (19 de janeiro de 2018). «Disney Hires Apple Veteran to Launch Its Netflix Killer (EXCLUSIVE)». Variety (em inglês). Consultado em 9 de novembro de 2018 
  17. Jarvey, Natalie (19 de janeiro de 2018). «BAMTech Taps Apple Veteran to Lead Disney OTT». The Hollywood Reporter (em inglês). Consultado em 9 de março de 2018. Cópia arquivada em 10 de março de 2018 
  18. Whyte, Alexandra (15 de março de 2018). «Disney reorganizes, forms Direct-to-Consumer unit». Kidscreen (em inglês). Brunico Communications. Consultado em 28 de agosto de 2019. Cópia arquivada em 13 de novembro de 2019 
  19. Busch, Anita (28 de junho de 2018). «Disney Exec Reorg: Asad Ayaz Named President Of Marketing As Ricky Strauss Moves To President For Studio's New SVOD Service». Deadline Hollywood. Consultado em 2 de julho de 2018 
  20. a b Barnes, Brooks (5 de agosto de 2018). «Disney's Streaming Service Starts to Come Into Focus». The New York Times (em inglês). Consultado em 9 de novembro de 2018 
  21. Holloway, Dan (7 de janeiro de 2019). «Joe Earley Named Disney+ Marketing Chief». Variety (em inglês). Consultado em 22 de junho de 2019. Cópia arquivada em 2 de fevereiro de 2019 
  22. White, Peter; Wiseman, Andreas (14 de agosto de 2019). «Disney Hires Sky Exec Luke Bradley-Jones For Key International Streaming Role». Deadline Hollywood (em inglês). Consultado em 19 de agosto de 2019. Cópia arquivada em 15 de agosto de 2019 
  23. White, Peter; Wiseman, Andreas (14 de agosto de 2019). «Disney Hires Sky Exec Luke Bradley-Jones For Key International Streaming Role». Deadline Hollywood (em inglês). Consultado em 19 de agosto de 2019. Cópia arquivada em 15 de agosto de 2019 
  24. a b Littleton, Cynthia (8 de novembro de 2018). «Bob Iger Talks Disney+, Hulu Plans and His Vision for Enlarged TV Studio». Variety (em inglês). Consultado em 9 de novembro de 2018. Cópia arquivada em 9 de novembro de 2018 
  25. Massabrook, Nicole (23 de dezembro de 2018). «Netflix Titles Leaving In January 2019: Best Movies Disappearing From Streaming Service». International Business Times (em inglês). Consultado em 7 de janeiro de 2019. Cópia arquivada em 27 de dezembro de 2018 
  26. Spangler, Todd (11 de abril de 2019). «Disney+ to Launch in November, Priced at $6.99 Monthly». Variety (em inglês). Consultado em 11 de abril de 2019. Cópia arquivada em 12 de abril de 2019 
  27. Littleton, Cynthia (6 de agosto de 2019). «Disney to Offer Streaming Bundle of Disney Plus, ESPN Plus and Hulu for $12.99». Variety (em inglês). Consultado em 7 de agosto de 2019. Cópia arquivada em 6 de agosto de 2019 
  28. Thorne, Will (23 de agosto de 2019). «Fans Line Up to Subscribe to Disney Plus at D23». Variety (em inglês). Consultado em 28 de agosto de 2019. Cópia arquivada em 24 de agosto de 2019 
  29. Briel, Robert (12 de setembro de 2019). «Dutch viewers get first free taste of Disney+». Broadband TV News (em inglês). Consultado em 12 de setembro de 2019. Cópia arquivada em 14 de setembro de 2019 
  30. Clarke, Stewart (12 de setembro de 2019). «Disney Plus Goes Live in the Netherlands in Free Trial Run». Variety (em inglês). Consultado em 29 de setembro de 2019. Cópia arquivada em 29 de setembro de 2019 
  31. Alexander, Julia (23 de setembro de 2019). «Disney+ is now available for pre-order with a 7-day free trial». The Verge (em inglês). Consultado em 23 de setembro de 2019. Cópia arquivada em 23 de setembro de 2019 
  32. Alexander, Julia (18 de outubro de 2019). «Disney's three-hour Disney+ trailer proves that all those movies it tweeted are real». The Verge (em inglês). Consultado em 22 de outubro de 2019. Cópia arquivada em 22 de outubro de 2019 
  33. Bruell, Alexandra; Vranica, Suzanne (4 de outubro de 2019). «Disney Bans Netflix Ads as Streaming's Marketing Wars Intensify». The Wall Street Journal (em inglês). Consultado em 23 de outubro de 2019. Cópia arquivada em 23 de outubro de 2019 
  34. Haselton, Todd (4 de outubro de 2019). «Disney bans Netflix ads from all of its TV channels except ESPN». CNBC (em inglês). Consultado em 22 de outubro de 2019. Cópia arquivada em 22 de outubro de 2019 
  35. a b White, Peter (13 de novembro de 2019). «Disney+ Struggles With Technical Issues In First Few Hours After Launch». Deadline (em inglês). Consultado em 13 de novembro de 2019. Cópia arquivada em 12 de novembro de 2019 
  36. Spangler, Todd (13 de novembro de 2019). «Disney Plus Service Users Complain of Login Problems, Service Errors on Launch Day». Variety (em inglês). Consultado em 13 de novembro de 2019. Cópia arquivada em 13 de novembro de 2019 
  37. Cimpanu, Catalin (19 de novembro de 2019). «Thousands of hacked Disney+ accounts are already for sale on hacking forums» (em inglês). ZDNet. Cópia arquivada em 19 de novembro de 2019 
  38. a b D'Alessandro, Anthony (12 de março de 2020). «Steve Asbell Takes Over 20th Century Studios Post Emma Watts; Vanessa Morrison Named Walt Disney Studios Streaming Production President» (em inglês). Deadline. Consultado em 4 de abril de 2020. Cópia arquivada em 6 de abril de 2020 
  39. Alexander, Julia (13 de outubro de 2020). «Disney's major reorganization is good news for anyone who loves Disney Plus». The Verge (em inglês). Vox Media. Consultado em 30 de novembro de 2020 
  40. Alexander, Julia (10 de dezembro de 2020). «Disney Plus hits 86 million subscribers in a little over one year». The Verge (em inglês). Vox Media. Consultado em 12 de fevereiro de 2021 
  41. Gartenberg, Chaim (11 de fevereiro de 2021). «Disney Plus hits 94.9 million subscribers, beating its four-year goal in 14 months». The Verge (em inglês). Vox Media. Consultado em 12 de fevereiro de 2021 
  42. Low, Elaine (6 de janeiro de 2021). «Ricky Strauss to Exit Walt Disney, Joe Earley to Curate Content for Disney Plus». Variety (em inglês). Consultado em 6 de junho de 2021 
  43. Soberman·March 4, Matthew; read, 2021·1 Comment·1 min (4 de março de 2021). «Disney+ Price Increase Takes Effect March 26th». WDW News Today (em inglês). Consultado em 4 de março de 2021 
  44. Prang, Erich Schwartzel and Allison (13 de maio de 2021). «Disney Adds Fewer Streaming Subscribers Than Hoped; Revenue Falls Short». Wall Street Journal (em inglês). ISSN 0099-9660. Consultado em 14 de maio de 2021 
  45. Weprin, Alex (13 de agosto de 2021). «Does Disney+ Need to Absorb Hulu and ESPN+ to Rival Netflix?» (em inglês). The Hollywood Reporter. Consultado em 13 de agosto de 2021 
  46. Feuer, Robbie Whelan and Will (4 de março de 2022). «Disney+ to Roll Out Cheaper, Ad-Supported Subscription in Late 2022». Wall Street Journal (em inglês). ISSN 0099-9660. Consultado em 5 de julho de 2022 
  47. Peters, Jay (10 de agosto de 2022). «Disney Plus' ad-supported plan will launch in December». The Verge (em inglês). Consultado em 16 de agosto de 2022 
  48. Clark, Mitchell (11 de maio de 2022). «Disney Plus added almost 8 million new subscribers as Netflix struggles». The Verge (em inglês). Consultado em 5 de julho de 2022 
  49. published, Jon Lafayette (10 de agosto de 2022). «Disney Grows Streaming Subscribers to 221 Million, Tying Netflix». Broadcasting Cable (em inglês). Consultado em 16 de agosto de 2022 
  50. a b Tyler, Adrienne (19 de setembro de 2019). «Every Movie & TV Show Available On Disney+ At Launch». Screen Rant (em inglês). Consultado em 26 de setembro de 2019. Cópia arquivada em 23 de setembro de 2019 
  51. Spangler, Todd (14 de maio de 2019). «Disney Assumes Full Control of Hulu in Deal With Comcast». Variety (em inglês). Consultado em 14 de maio de 2019. Cópia arquivada em 14 de maio de 2019 
  52. Goldman, David (14 de dezembro de 2017). «Disney buys 21st Century Fox: Who gets what». CNNMoney (em inglês). Consultado em 14 de dezembro de 2017. Cópia arquivada em 14 de dezembro de 2017 
  53. a b Fleming, Mike Jr. (8 de fevereiro de 2018). «Disney Unveils Inaugural Streaming Service Launch Slate To Town; No R-Rated Fare». Deadline Hollywood (em inglês). Consultado em 5 de abril de 2018. Cópia arquivada em 26 de fevereiro de 2018 
  54. Topel, Fred (26 de julho de 2019). «Hulu Will Offer Disney+ as an Add-On – Here's What That Means For Current Subscribers [TCA 2019]». /Film (em inglês). Consultado em 27 de julho de 2019. Cópia arquivada em 26 de julho de 2019 
  55. Sharf, Zack; Sharf, Zack (29 de novembro de 2021). «Peter Jackson Says Disney Wanted to Ban All Curse Words in 'Get Back,' but Beatles Team Refused». IndieWire (em inglês). Consultado em 16 de agosto de 2022 
  56. Andreeva, Nellie; Andreeva, Nellie (1 de março de 2022). «Disney+ Expands Into TV-MA Fare As It Adds Marvel's 'Defenders' Franchise & 'Agents Of S.H.I.E.L.D.' From Netflix». Deadline (em inglês). Consultado em 16 de agosto de 2022 
  57. Libbey, Dirk (10 de novembro de 2017). «How Much Will Disney's Streaming Service Cost? Here's What Bob Iger Says». Cinemablend. Consultado em 5 de abril de 2018. Cópia arquivada em 24 de dezembro de 2017 
  58. Schedeen, Jesse (16 de agosto de 2018). «Everything Coming to Disney's Streaming Service (So Far)». IGN (em inglês). Ziff Davis. Consultado em 31 de outubro de 2018. Cópia arquivada em 1 de novembro de 2018 
  59. Flint, Joe (15 de agosto de 2012). «HBO and 20th Century Fox renew output deal». Los Angeles Times (em inglês). Consultado em 30 de março de 2019. Cópia arquivada em 18 de agosto de 2012 
  60. «The Movie Network Expands Exclusive Movie Offering with New and Extended Multi-Year Studio Deals». Bell Media (em inglês). 1 de maio de 2018. Consultado em 11 de agosto de 2019. Cópia arquivada em 8 de setembro de 2020 
  61. Sarkar, Samit (11 de abril de 2019). «Every Simpsons episode coming exclusively to Disney Plus». Polygon (em inglês). Consultado em 13 de outubro de 2020. Cópia arquivada em 6 de janeiro de 2020 
  62. Otterson, Joe (11 de abril de 2019). «'The Simpsons' to Stream Exclusively on Disney+». Variety (em inglês). Consultado em 12 de abril de 2019. Cópia arquivada em 12 de abril de 2019 
  63. Grater, Tom (11 de março de 2020). «Bob Iger Confirms 'Song Of The South' Won't Be Added To Disney+, Even With Disclaimer». Deadline Hollywood (em inglês). Consultado em 12 de março de 2020. Cópia arquivada em 12 de março de 2020 
  64. Spiegel, Josh (7 de janeiro de 2020). «The 15 Movies We Most Want Added to Disney Plus». ScreenCrush (em inglês). Consultado em 5 de maio de 2021 
  65. Spiegel, Josh (11 de novembro de 2019). «Disney+ Wish List: What Needs to Come Next». /Film (em inglês). Consultado em 14 de julho de 2020. Cópia arquivada em 29 de julho de 2020 
  66. Schmidt, JK (1 de janeiro de 2020). «Disney+ Fans Are Furious Home Alone 1 and 2 Have Been Removed». ComicBook.com (em inglês). Consultado em 1 de janeiro de 2020. Cópia arquivada em 2 de janeiro de 2020 
  67. «Home Alone Trilogy Returning To Disney+ (US)». What's On Disney Plus (em inglês). 8 de novembro de 2020. Consultado em 18 de novembro de 2020 
  68. Shaw, Lucas (2 de agosto de 2018). «Disney Is Seeking 'Star Wars' Rights Back From TBS, TNT». Bloomberg (em inglês). Consultado em 8 de março de 2019. Cópia arquivada em 21 de março de 2019 
  69. Hayes, Dade (5 de novembro de 2019). «Some Disney+ Subscribers Will See Starz Promo Due To 'Star Wars' Rights Deal». Deadline (em inglês). Consultado em 5 de novembro de 2019. Cópia arquivada em 5 de novembro de 2019 
  70. Alexander, Julia (5 de novembro de 2019). «Disney+ will run Starz ad as part of a deal to get its own movies back at launch». The Verge. Consultado em 5 de novembro de 2019. Cópia arquivada em 5 de novembro de 2019 
  71. Hayes, Dade (11 de abril de 2019). «Entire 'Star Wars' Franchise Will Be On Disney+ Within Its First Year». Deadline Hollywood (em inglês). Consultado em 23 de abril de 2019. Cópia arquivada em 14 de abril de 2019 
  72. Whitbrook, James (11 de abril de 2019). «The Mandalorian Will Premiere on Disney+ November 12». io9. Consultado em 11 de abril de 2019. Cópia arquivada em 12 de abril de 2019 
  73. France, Lisa Respers (27 de abril de 2020). «Disney + to stream 'Star Wars: The Rise of Skywalker' early». CNN (em inglês). Consultado em 28 de abril de 2020. Cópia arquivada em 28 de abril de 2020 
  74. Smith, Dale (14 de dezembro de 2019). «Disney Plus: Find out when missing movies will arrive». CNET (em inglês). Consultado em 2 de maio de 2020. Cópia arquivada em 6 de maio de 2020 
  75. Ridgely, Charlie (16 de março de 2021). «Disney+: Every Movie and TV Show Arriving in April 2021». ComicBook.com (em inglês). Consultado em 16 de março de 2021 
  76. Alexander, Julia (11 de novembro de 2019). «Disney+ gets last-minute update, will have most Marvel movies at launch». The Verge (em inglês). Consultado em 11 de novembro de 2019. Cópia arquivada em 11 de novembro de 2019 
  77. Reichert, Corinne (12 de novembro de 2019). «Disney Plus reveals when missing Marvel movies are coming». CNET (em inglês). Consultado em 14 de novembro de 2019. Cópia arquivada em 13 de novembro de 2019 
  78. Tangcay, Jazz (16 de abril de 2020). «Disney Plus Censors Casting Couch Joke in 'Toy Story 2' and Other Subtle Edits». Variety. Consultado em 8 de julho de 2021. Cópia arquivada em 8 de julho de 2021 
  79. Taylor, Drew (14 de abril de 2020). «On Disney+, Not All Butts Are Created Equal». Vanity Fair (em inglês). Consultado em 16 de abril de 2020. Cópia arquivada em 8 de setembro de 2020 
  80. Barnhardt, Adam (23 de maio de 2020). «Disney+ Censors Cleavage From Episode of Old Disney Channel Series». ComicBook.com (em inglês). Consultado em 25 de maio de 2020. Cópia arquivada em 30 de maio de 2020 
  81. a b Spencer, Samuel (15 de abril de 2020). «Disney Plus Censorship: All the Movies and TV Shows Edited and Censored on the Streaming Service». Newsweek (em inglês). Consultado em 16 de abril de 2020. Cópia arquivada em 21 de abril de 2020 
  82. Roots, Kimberly (22 de junho de 2020). «Yes, Hamilton on Disney+ Will Include the F-Bomb (But Only One)». TVLine (em inglês). Consultado em 26 de junho de 2020. Cópia arquivada em 25 de junho de 2020 
  83. «Disney Plus Offers Warnings Over 'Outdated Cultural Depictions' in Classic Films - IGN» (em inglês). 16 de outubro de 2020 – via www.ign.com 
  84. Holub, Christian (12 de novembro de 2019). «'Dumbo' and other old movies get a content warning on Disney+». EW.com (em inglês). Consultado em 13 de novembro de 2019. Cópia arquivada em 13 de novembro de 2019 
  85. «Disney Plus racks up 10 million subscribers, adds warning to some older shows» (em inglês). CNN. 13 de novembro de 2019. Cópia arquivada em 14 de novembro de 2019 – via WJRT-TV 
  86. Perez, Lexy (21 de fevereiro de 2021). «Disney+ Adds "Negative Depictions" Disclaimer to 'The Muppet Show'». The Hollywood Reporter (em inglês). Consultado em 21 de fevereiro de 2021 
  87. Pulver, Andrew (14 de novembro de 2019). «Disney+ attaches warnings of 'outdated cultural depictions' to classic films». The Guardian (em inglês). Consultado em 16 de novembro de 2019. Cópia arquivada em 15 de novembro de 2019 
  88. Oxner, Reese (16 de outubro de 2020). «Disney Warns Viewers Of Racism In Some Classic Movies With Strengthened Label». NPR.org (em inglês). Consultado em 17 de novembro de 2020 
  89. Pietsch, Bryan (18 de outubro de 2020). «Disney Adds Warnings for Racist Stereotypes to Some Older Films». The New York Times (em inglês). Consultado em 19 de outubro de 2020. Arquivado do original em 19 de outubro de 2020 
  90. Patches, Matt (27 de janeiro de 2021). «Disney Plus quietly pulls Peter Pan, Dumbo from Kids profiles over racist stereotypes». Polygon (em inglês). Consultado em 27 de janeiro de 2021 
  91. Tangcay, Jazz (12 de julho de 2020). «Disney Plus Leaves Hugh Jackman's Butt Uncensored For 'X-Men: Days of Future Past'». Variety. Consultado em 8 de julho de 2021. Cópia arquivada em 8 de julho de 2021 
  92. a b Pearl, Nick (22 de novembro de 2020). «A Problematic Spider-Man and His Amazing Friends Carries a Warning on Disney+». CBR (em inglês). Consultado em 25 de novembro de 2020 
  93. Shafer, Ellise (21 de fevereiro de 2021). «Disney Plus Adds Content Disclaimer to Select 'The Muppet Show' Episodes». Variety. Consultado em 21 de fevereiro de 2021 
  94. Ausiello, Michael (19 de janeiro de 2021). «The Muppet Show Headed to Disney+: All 5 Seasons of the Jim Henson Classic Will Begin Streaming in February». TVLine (em inglês). Consultado em 23 de janeiro de 2021 
  95. Aquilina, Tyler (20 de fevereiro de 2021). «Here's why certain Muppet Show episodes are missing from Disney+». Entertainment Weekly (em inglês). Consultado em 22 de fevereiro de 2021 
  96. Teuton, Christopher (15 de novembro de 2019). «Disney+ Streams X-Men: The Animated Series & More Out Of Order». Screen Rant (em inglês). Consultado em 16 de novembro de 2019. Cópia arquivada em 16 de novembro de 2019 
  97. Ferguson, LaToya (14 de novembro de 2019). «Disney+ Is Missing the Michael Jackson Episode of 'The Simpsons'». IndieWire (em inglês). Consultado em 3 de junho de 2021. Cópia arquivada em 3 de junho de 2021 
  98. Merrill, Allison McClain (25 de março de 2020). «Disney+: 10 Episodes That Are Missing Or Altered». ScreenRant (em inglês). Consultado em 28 de dezembro de 2020 
  99. Elderkin, Beth (15 de novembro de 2019). «Gravity Falls and the Vanishing Symbol: A Disney+ Illuminati Mystery». io9 (em inglês). Consultado em 16 de novembro de 2019. Cópia arquivada em 15 de novembro de 2019 
  100. «Disney+ Still Streaming 'Andi Mack' in Full in One Country Despite Star's Child Sex Case». Pop Culture (em inglês). Consultado em 20 de novembro de 2021 
  101. Spangler, Todd (22 de novembro de 2021). «Disney, WarnerMedia Carve Up Fox Film Slate Streaming Rights Through End of 2022 (EXCLUSIVE)». Variety (em inglês) 
  102. Wade, Jessie (13 de novembro de 2018). «The Mandalorian: Star Wars TV Series Casts Pedro Pascal in Lead Role». IGN (em inglês). Consultado em 28 de novembro de 2018. Cópia arquivada em 28 de novembro de 2018 
  103. «Disney+ reveals premiere dates for Loki, Star Wars: The Bad Batch». The San Francisco Times (em inglês). 25 de fevereiro de 2021. Consultado em 1 de março de 2021 
  104. Lindahl, Chris (10 de dezembro de 2020). «Justin Simien's 'Lando,' Ahsoka Tano and High Republic Series, Plus 'The Rangers of the New Republic' Set on Disney+». IndieWire (em inglês). Consultado em 11 de dezembro de 2020 
  105. a b Littleton, Cynthia (11 de abril de 2019). «Marvel 'What If' Animated Show, 'Frozen II' Docu-Series Headed to Disney +». Variety (em inglês). Consultado em 12 de abril de 2019. Cópia arquivada em 12 de abril de 2019 
  106. Couch, Aaron (23 de agosto de 2019). «Marvel Unveils 3 New Disney+ Shows Including 'She-Hulk' and 'Moon Knight'». The Hollywood Reporter (em inglês). Consultado em 23 de agosto de 2019. Cópia arquivada em 23 de agosto de 2019 
  107. Goldberg, Lesley; Couch, Aaron (9 de abril de 2019). «Disney+: A Comprehensive Guide to All Its Programming (So Far)». The Hollywood Reporter (em inglês). Consultado em 9 de abril de 2019. Cópia arquivada em 9 de abril de 2019 
  108. Andreeva, Nellie (9 de abril de 2019). «'High Fidelity' Series Reboot Starring Zoë Kravitz Moves From Disney+ To Hulu». Deadline Hollywood (em inglês). Consultado em 13 de agosto de 2019. Cópia arquivada em 9 de abril de 2019 
  109. Andreeva, Nellie (24 de fevereiro de 2020). «'Love, Simon' Spinoff Series 'Love, Victor' Moves From Disney+ To Hulu, Sets Launch & Opens Season 2 Writers Room». Deadline (em inglês). Consultado em 25 de fevereiro de 2020. Cópia arquivada em 21 de abril de 2020 
  110. Hayes, Dade; Hipes, Patrick (6 de agosto de 2019). «Disney+ To Revive 'Home Alone', 'Night At The Museum', More As Part Of Fox Reset». Deadline Hollywood (em inglês). Consultado em 11 de agosto de 2019. Cópia arquivada em 7 de agosto de 2019 
  111. Donnelly, Matt; Lang, Brent (13 de agosto de 2019). «Fox Feels the Pressure From Disney As Film Flops Mount». Variety (em inglês). Consultado em 13 de agosto de 2019. Cópia arquivada em 13 de agosto de 2019 
  112. Mitovitch, Matt Webb (24 de agosto de 2019). «Disney+ to Release Episodes Weekly: A Welcome Break From Stress-Bingeing?». TV Line (em inglês). Consultado em 24 de agosto de 2019. Cópia arquivada em 24 de agosto de 2019 
  113. Clarke, Stewart (12 de novembro de 2019). «Two Episodes of 'The Mandalorian,' Other Originals to Drop This Week as Disney Plus Goes Live». Variety (em inglês). Consultado em 14 de novembro de 2019. Cópia arquivada em 13 de novembro de 2019 
  114. Ausiello, Michael (16 de junho de 2021). «Disney+ Officially Moves Original Series 'Drop Day' From Friday to Wednesday in Wake of Lokis Record-Setting Launch». TVLine (em inglês). Consultado em 16 de junho de 2021 
  115. D'Alessandro, Anthony (23 de março de 2021). «Disney Shifts 'Black Widow' & 'Cruella' To Day & Date Release In Theaters And Disney+, Jarring Summer Box Office». Deadline (em inglês). Consultado em 9 de maio de 2021 
  116. a b Goldberg, Lesley (10 de abril de 2019). «Disney+ Unveils Robust Unscripted Slate Featuring Pair of Marvel Docuseries». The Hollywood Reporter (em inglês). Consultado em 13 de maio de 2019. Cópia arquivada em 13 de maio de 2019 
  117. a b Thorne, Will (10 de abril de 2019). «Disney+ Announces Nonfiction Slate, Signs Deal With 'Chef's Table' Producer Supper Club». Variety (em inglês). Consultado em 29 de abril de 2019. Cópia arquivada em 26 de abril de 2019 
  118. Sippell, Margeaux (11 de abril de 2019). «Jeff Goldblum Is Getting His Own Disney+ Docuseries». The Wrap (em inglês). Consultado em 13 de maio de 2019. Cópia arquivada em 13 de maio de 2019 
  119. Rice, Lynette (8 de abril de 2022). «'Dancing With The Stars' Moving To Disney+ In Stunning Move After 16 Years On ABC». Deadline (em inglês). Consultado em 5 de julho de 2022 
  120. Spangler, Todd (2 de setembro de 2020). «'Mulan' Will Be Available to All Disney Plus Subscribers in December for No Extra Cost». Variety (em inglês). Consultado em 2 de setembro de 2020. Cópia arquivada em 3 de setembro de 2020 
  121. Alexander, Julia (10 de dezembro de 2021). «Disney to release Raya and the Last Dragon on Disney Plus and in theaters on the same day». The Verge (em inglês). Vox Media. Consultado em 8 de fevereiro de 2021 
  122. Swensen, Krysten (1 de maio de 2021). «Everything Coming to Disney+ In June» (em inglês). Inside the Magic. Consultado em 2 de maio de 2021 
  123. Rubin, Rebecca (23 de março de 2021). «'Black Widow,' 'Cruella' to Debut on Disney Plus and in Theaters as Disney Shifts Dates for Seven Films». Variety. Consultado em 23 de março de 2021. Cópia arquivada em 23 de março de 2021 
  124. D'Alessandro, Anthony (13 de maio de 2021). «Dwayne Johnson Movie 'Jungle Cruise' Hitting Theaters & Disney+ Premier This Summer». Deadline Hollywood (em inglês). Consultado em 13 de maio de 2021 
  125. “THE GHOST AND MOLLY MCGEE” COMING SOON TO DISNEY+ (US)
  126. Disney+ USA To Debut New Episodes Ahead Of Release Dates On Disney Channel & Disney Junior New Shows
  127. Next on Disney+: December 2021
  128. Hayes, Dade (21 de abril de 2021). «Disney & Sony Reach Windows Deal That Can Sling 'Spider-Man' And Other Franchises To Disney+ For First Time». Deadline Hollywood (em inglês). Consultado em 21 de abril de 2021 
  129. Palmer, Roger (18 de novembro de 2021). «Both "Paddington" Films Coming To Disney+ (UK/Ireland)» (em inglês). What's On Disney Plus. Consultado em 19 de novembro de 2021 
  130. Tyler, Adrienne (19 de setembro de 2019). «Every Movie & TV Show Available On Disney+ At Launch». ScreenRant (em inglês). Consultado em 16 de agosto de 2022 
  131. Chin, Monica (20 de fevereiro de 2020). «Vizio is adding Disney Plus to its smart TV platform». The Verge (em inglês). Consultado em 21 de maio de 2021 
  132. Spangler, Todd (29 de março de 2021). «Comcast Starts Rollout of Disney Plus, ESPN Plus on Xfinity Set-Top Platforms». Variety (em inglês). Consultado em 21 de maio de 2021 
  133. «How to watch Disney+ on Sky - how to get it on Sky Q and NOW TV». Radio Times (em inglês). Consultado em 4 de maio de 2020. Cópia arquivada em 4 de maio de 2020 
  134. Pocket-lint (23 de abril de 2020). «Disney+ available on Now TV devices, streaming in up to 4K». Pocket-lint (em inglês). Consultado em 4 de maio de 2020. Cópia arquivada em 7 de maio de 2020 
  135. Radulovic, Petrana (19 de agosto de 2019). «Disney reveals which devices will support Disney Plus». Polygon (em inglês). Consultado em 19 de agosto de 2019. Cópia arquivada em 19 de agosto de 2019 
  136. Reichert, Corinne. «Disney Plus reaches deal with Amazon». CNET (em inglês). Consultado em 7 de novembro de 2019. Cópia arquivada em 7 de novembro de 2019 
  137. «Disney+ Set to Launch in the Netherlands and Canada on November 12th and Australia and New Zealand November 19th». DTCI Media (em inglês). 19 de agosto de 2019. Consultado em 23 de agosto de 2019. Cópia arquivada em 23 de agosto de 2019 
  138. Schoon, Ben (1 de outubro de 2020). «Google TV integrates with over 30 streaming services, here's the full list». 9to5Google (em inglês). Consultado em 7 de outubro de 2020 
  139. Graham, Jefferson (23 de agosto de 2019). «What to expect from Disney+ streaming service: Yes, it'll include Marvel and Star Wars». USA TODAY (em inglês). Consultado em 10 de setembro de 2021 
  140. Radulovic, Petrana (24 de agosto de 2019). «Everything we learned at D23's Disney Plus presentation». Polygon (em inglês). Consultado em 21 de agosto de 2020 
  141. «Tudo sobre o Disney Plus: o mais novo concorrente da Netflix». vpnConfiável. Consultado em 21 de agosto de 2020 
  142. «Disney+ Hotstar - Watch TV Shows, Movies, Live Cricket Matches & News Online». Disney+ Hotstar (em inglês). Consultado em 21 de agosto de 2020 
  143. a b Spangler, Todd (28 de maio de 2020). «To Deliver 'The Simpsons' in 4:3 Aspect Ratio, Disney Plus Had to Rearchitect Its Content-Delivery System». Variety (em inglês). Consultado em 28 de maio de 2020. Cópia arquivada em 29 de maio de 2020 
  144. Gennis, Sadie (12 de novembro de 2019). «The Simpsons Fans Are Rightfully Annoyed at Disney Plus Cropping Old Episodes». TV Guide (em inglês). Consultado em 13 de novembro de 2019. Cópia arquivada em 12 de novembro de 2019 
  145. Alexander, Julia (29 de setembro de 2020). «Disney Plus is rolling out GroupWatch feature to all US subscribers». The Verge (em inglês). Consultado em 29 de setembro de 2020. Cópia arquivada em 29 de setembro de 2020 
  146. Radulovic, Petrana (29 de setembro de 2020). «Disney Plus gets a remote group watch feature». Polygon (em inglês). Consultado em 29 de setembro de 2020. Cópia arquivada em 29 de setembro de 2020 
  147. Byford, Sam (8 de novembro de 2021). «Disney Plus is upgrading Marvel movies to IMAX aspect ratio». The Verge (em inglês). Consultado em 8 de novembro de 2021. Cópia arquivada em 8 de novembro de 2021 
  148. «Disney+ on us: Verizon Unlimited, Verizon Fios or 5G Home Internet with 12 months of Disney Plus». www.verizon.com (em inglês). 27 de novembro de 2019. Consultado em 13 de junho de 2022 
  149. «Xfinity Flex | 4K Streaming Box Free with Xfinity Internet». Xfinity (em inglês). Consultado em 16 de agosto de 2022 
  150. Vourlias, Christopher (21 de janeiro de 2020). «Disney Plus Set for Earlier Launch in U.K. & Western Europe». Variety (em inglês). Consultado em 21 de janeiro de 2020. Cópia arquivada em 21 de janeiro de 2020 
  151. Weis, Manuel (12 de março de 2020). «Exklusive Partnerschaft: Telekom sichert sich Disney+». Quotenmeter.de (em alemão). Consultado em 12 de março de 2020. Cópia arquivada em 15 de junho de 2020 
  152. a b «Movistar will be the strategic distributor for Disney+ launch in Spain» (Nota de imprensa). Madrid: Telefónica. 8 de março de 2020. Consultado em 16 de dezembro de 2020 
  153. BBVA (6 de abril de 2022). «BBVA España ofrece gratis a nuevos clientes seis meses de Netflix, HBO Max, Disney +, Spotify, Playstation Plus o DAZN». BBVA NOTICIAS (em espanhol). Consultado em 16 de agosto de 2022 
  154. a b «Sky and Disney announce new multi-year deal for Disney+» (Nota de imprensa). Sky Group. 3 de março de 2020. Consultado em 16 de dezembro de 2020 
  155. «Disney and TIM announce exclusive wholesale distribution deal for Disney+ in Italy with TIM's best broadband offers» (Nota de imprensa). Telecom Italia. 5 de março de 2020. Consultado em 16 de dezembro de 2020 
  156. «O2 is the exclusive UK mobile network distributor for Disney+» (Nota de imprensa) (em inglês). O2. 16 de março de 2020. Consultado em 16 de dezembro de 2020 
  157. Disney UK [@Disney_UK] (24 de março de 2020). «Disney+ will be launching in the Channel Islands and Isle of Man on April 2nd, 2020» (Tweet) (em inglês). Consultado em 24 de março de 2020. Cópia arquivada em 24 de março de 2020 – via Twitter 
  158. a b Grater, Tom (31 de março de 2020). «Disney+ to Launch in India on April 3 After Short Delay». Deadline Hollywood. Consultado em 31 de março de 2020. Cópia arquivada em 1 de abril de 2020 
  159. a b Singh, Manish (20 de março de 2020). «Disney+ India launch postponed». TechCrunch. Consultado em 21 de março de 2020. Cópia arquivada em 25 de março de 2020 
  160. «Star World». Disney+ Hotstar. Consultado em 19 de janeiro de 2022 
  161. Haring, Bruce (21 de março de 2020). «Disney+ To Reduce Bandwidth By 25 Percent, Delays France Launch Until April 7». Deadline Hollywood. Consultado em 21 de março de 2020. Cópia arquivada em 25 de março de 2020 
  162. a b c d e f Keslassy, Elsa (15 de dezembro de 2019). «Disney Plus Signs Exclusive Distribution Deal With Canal Plus in France». Variety. Consultado em 16 de dezembro de 2019. Cópia arquivada em 15 de dezembro de 2019 
  163. «Date de lancement et tarif de Disney+ en France». Chronique Disney (em francês). 21 de janeiro de 2020. Consultado em 24 de março de 2020. Cópia arquivada em 7 de abril de 2020 
  164. Disney+ FR [@DisneyPlusFR] (7 de abril de 2020). «Bonjour, Disney+ sera lancé fin avril à Monaco et dans les territoires d'outre-mer (Antilles, Guyane, Nouvelle Calédonie, Wallis & Futuna) et dès l'automne pour la Réunion, Mayotte et Maurice. Excellente journée !» (Tweet) (em francês). Consultado em 16 de dezembro de 2020 – via Twitter 
  165. a b c Solsman, Joan E. «Disney Plus: Everything you need to know as The Mandalorian returns». CNET (em inglês). Consultado em 8 de novembro de 2020 
  166. a b Frater, Patrick (7 de setembro de 2021). «Disney Plus Sets Dates for Korea Launch, Japan Upgrade». Variety (em inglês). Consultado em 7 de setembro de 2021. Cópia arquivada em 8 de setembro de 2021 
  167. a b Frater, Patrick (5 de agosto de 2020). «Disney Plus Hotstar to Launch in Indonesia in September». Variety (em inglês). Consultado em 5 de agosto de 2020. Cópia arquivada em 5 de agosto de 2020 
  168. Frater, Patrick (10 de agosto de 2020). «Local Content Gets Priority as Disney Plus Hotstar Confirms Indonesia Launch». Variety (em inglês). Consultado em 10 de agosto de 2020. Cópia arquivada em 8 de setembro de 2020 
  169. Astutik, Yuni (30 de setembro de 2021). «Disney+ Hotstar & IndiHome Kerjasama Hadirkan 7 Ribu Konten». CNBC Indonesia (em indonésio). Consultado em 1 de outubro de 2021 
  170. a b Ramachandran, Naman (23 de junho de 2020). «Disney Plus Reveals European Expansion, Pricing Plans». Variety (em inglês). Consultado em 23 de junho de 2020. Cópia arquivada em 24 de junho de 2020 
  171. Mihu, Florian (29 de setembro de 2020). «Disney+ lancé le 2 octobre à La Réunion, Mayotte et l'Ile Maurice» [Disney+ launched on October 2 in Reunion, Mayotte and Mauritius]. Disneyphile (em francês). Consultado em 30 de setembro de 2020. Cópia arquivada em 30 de setembro de 2020 
  172. a b Disney+ Latinoamérica [@disneyplusla] (18 de agosto de 2020). «[NO PUBLICAR] Posteo anunciando el lanzamiento de Disney+ en Latinoamérica el 17 de noviembre. *Nota: usar hashtag #DisneyPlus» (Tweet) (em espanhol). Consultado em 18 de agosto de 2020 – via Twitter 
  173. a b c d e f g h i j k l m «Visa announces agreement with Disney to bring the magic of Disney+ to cardholders» (Nota de imprensa). Miami, Florida: Visa. 4 de novembro de 2020. Consultado em 16 de dezembro de 2020 
  174. a b O'Halloran, Joseph (19 de novembro de 2020). «Disney+ lands in LATAM with Izzi, Flow». Rapid TV News. Consultado em 16 de dezembro de 2020. Cópia arquivada em 19 de novembro de 2020 
  175. «Globoplay anuncia parceria com Disney+». G1. 3 de novembro de 2020. Consultado em 3 de novembro de 2020. Cópia arquivada em 3 de novembro de 2020 
  176. «Disney Plus para todos: confira as principais ofertas em combo disponíveis». TudoCelular. 3 de novembro de 2020. Consultado em 3 de novembro de 2020. Cópia arquivada em 13 de novembro de 2020 
  177. a b Loh, Genevieve Sarah (11 de dezembro de 2020). «Mandalorian, WandaVision and more: Disney+ to launch in Singapore next year». CNA. Consultado em 11 de dezembro de 2020 
  178. a b Lee, Jan (11 de dezembro de 2020). «Disney+ streaming service launches in Singapore on Feb 23». The Straits Times (em inglês). Consultado em 18 de junho de 2021 
  179. «StarHub to offer customers upsized entertainment with Disney+» (Nota de imprensa). 7 de janeiro de 2021 
  180. Frater, Patrick (7 de janeiro de 2021). «Disney Plus to Launch in Singapore Following Deal With StarHub». Variety. Consultado em 28 de janeiro de 2021. Cópia arquivada em 28 de janeiro de 2021 
  181. a b c Frater, Patrick (3 de maio de 2021). «Disney Plus Hotstar to Launch in Malaysia With Local Content Component». Variety. Consultado em 4 de maio de 2021 
  182. «Newsroom DISNEY+ HOTSTAR AND OTHER TOP-NOTCH INTERNATIONAL AND LOCAL CONTENT WILL ROCK MALAYSIAN SCREENS VIA UNIFI TV'S COMPREHENSIV». www.tm.com.my. Consultado em 23 de junho de 2022 
  183. «Disney+ Hotstar Is Coming To unifi TV This May». Lowyat.NET (em inglês). 22 de abril de 2022. Consultado em 23 de junho de 2022 
  184. a b Datta, Tiyashi; Richwine, Lisa (13 de maio de 2021). «Disney's streaming growth slows as pandemic lift fades, shares fall». Reuters (em inglês). Consultado em 14 de maio de 2021 
  185. Frater, Patrick (8 de junho de 2021). «Disney Plus Hotstar Thailand Launch Plans Confirmed». Variety (em inglês). Consultado em 8 de junho de 2021 
  186. a b c «The Walt Disney Company Celebrates Disney+ Day on November 12 to Thank Subscribers with New Content, Fan Experiences, and More» (Nota de imprensa) (em inglês). The Walt Disney Company. 21 de setembro de 2021. Consultado em 21 de setembro de 2021 
  187. Bo-Eun, Kim (26 de setembro de 2021). «LG Uplus boosts paid content service with Disney partnership». The Korea Times (em inglês). Consultado em 29 de setembro de 2021 
  188. a b Frater, Patrick (12 de novembro de 2021). «Disney Plus Goes Live in Korea and Taiwan». Variety (em inglês). Consultado em 12 de novembro de 2021 
  189. «Taiwan Mobile is the exclusive telecom distributor of Disney+ in Taiwan». Central News Agency (em inglês). 14 de outubro de 2021. Consultado em 20 de outubro de 2021 
  190. «HKBN is the Exclusive Broadband Service Provider for Disney+ in Hong Kong». PR Newswire (em inglês). 8 de outubro de 2021. Consultado em 8 de outubro de 2021 – via Yahoo! Finance 
  191. a b c d Spangler, Todd (29 de março de 2022). «Disney Plus Sets Launch Dates, Pricing for 42 Countries in Europe, West Asia and Africa». Variety (em inglês). Consultado em 29 de março de 2022. Cópia arquivada em 29 de março de 2022 
  192. «Disney+ available to South African DStv subscribers» (em inglês). Consultado em 13 de junho de 2022 
  193. «MultiChoice Group and The Walt Disney Company Africa to bring Disney+ to South African DStv subscribers». MultiChoice (em inglês). Consultado em 13 de junho de 2022 
  194. «Disney+ w ofertach Polsat Box, Plusa, Netii i Polsat Box Go. Możliwy rok korzystania bez opłat». WirtualNeMedia (em polaco). Consultado em 13 de junho de 2022 
  195. «Disney+ w ofercie Grupy Polsat Plus. Bez opłat nawet przez dwa lata». Polsat News (em polaco). Consultado em 13 de junho de 2022 
  196. «Competition investigation forces Disney+ to drop Yes exclusivity». Broadband TV News (em inglês). 28 de junho de 2022. Consultado em 5 de julho de 2022 
  197. a b Thomson, Stuart (28 de outubro de 2021). «Omdia: Disney+ Hotstar boosts OTT to surpass pay TV in SE Asia». digitaltveurope.com (em inglês). Consultado em 9 de novembro de 2021 
  198. a b c «Disney+Hotstar expected to end 2021 with 50 million subscribers». indiantelevision.com. 25 de fevereiro de 2021. Consultado em 25 de fevereiro de 2021 
  199. Lima, Bruna (13 de setembro de 2019). «Aplicativo do Disney+ está disponível para testes na Holanda - Olhar Digital». Olhar Digital. Consultado em 8 de novembro de 2020 
  200. «Disney+ é lançado oficialmente: Saiba o que esperar do streaming!». O Fuxico. Consultado em 8 de novembro de 2020 
  201. Spangler, Todd (11 de abril de 2019). «Disney+ to Launch in November, Priced at $6.99 Monthly». Variety (em inglês). Consultado em 8 de novembro de 2020 
  202. «Disney+ entra em Espanha pela mão da Telefónica». Jornal Expresso. Consultado em 8 de novembro de 2020 
  203. Keslassy, Elsa (15 de dezembro de 2019). «Disney Plus Signs Exclusive Distribution Deal With Canal Plus in France». Variety (em inglês). Consultado em 8 de novembro de 2020 
  204. Haring, Bruce (21 de março de 2020). «Disney+ To Reduce Bandwidth By 25 Percent, Delays France Launch Until April 7». Deadline (em inglês). Consultado em 8 de novembro de 2020 
  205. Dams, Tim (2 de abril de 2020). «Disney Plus Originals to Play on OSN in Middle East». Variety (em inglês). Consultado em 2 de abril de 2020. Cópia arquivada em 8 de abril de 2020 
  206. «Disney+ ready for Mena launch on April 9». Gulf Daily News (em inglês). 2 de abril de 2020. Consultado em 2 de abril de 2020. Cópia arquivada em 3 de abril de 2020 
  207. Cornwell, Alexander (1 de abril de 2020). «Disney+ Content to Make Exclusive Middle East Debut on OSN». Reuters (em inglês). Consultado em 21 de agosto de 2020. Cópia arquivada em 6 de agosto de 2020 
  208. Grater, Tom (28 de maio de 2020). «Disney+ To Launch In Japan June 11». Deadline (em inglês). Consultado em 8 de novembro de 2020 
  209. «Disney+ Continues International Expansion» (Nota de imprensa) (em inglês). The Walt Disney Company Europe, Middle East & Africa. 15 de setembro de 2020 
  210. Haring, Bruce (12 de agosto de 2021). «Disney Plus Tops Expectations, Reaches 116 Million Subscribers». Variety (em inglês). Consultado em 12 de agosto de 2021 
  211. Palmer, Roger (12 de agosto de 2021). «DISNEY'S CEO BOB CHAPEK PROVIDES UPDATED DISNEY+ INTERNATIONAL ROLL OUT PLANS». What's On Disney Plus (em inglês). Consultado em 12 de agosto de 2021 
  212. Disney [@disney] (11 de dezembro de 2020). «Across @DisneyPlus, Hotstar, Hulu, and ESPN+, Disney Direct-to-Consumer services have over 137 million subscriptions. In 2021, @DisneyPlus will launch in more markets including Eastern Europe, South Korea, Hong Kong, and more!» (Tweet). Consultado em 16 de dezembro de 2020 – via Twitter 
  213. «Disney+ to Launch in 50 New Countries by Fiscal 2023 | What's on Disney Plus» (em inglês). 10 de novembro de 2021 
  214. «Disney+ Subscriber Growth Slows, Company Misses Wall Street Expectations». The Hollywood Reporter (em inglês). 10 de novembro de 2021 
  215. Frater, Patrick (5 de fevereiro de 2020). «Disney Plus To Launch on India's Hotstar». Variety (em inglês). Consultado em 8 de novembro de 2020 
  216. «Disney+ to launch in India through Hotstar on March 29». TechCrunch (em inglês). Consultado em 8 de novembro de 2020 
  217. «Disney+ India launch postponed». TechCrunch (em inglês). Consultado em 8 de novembro de 2020 
  218. Brzeski, Patrick (25 de fevereiro de 2021). «Disney+ Projected to Expand Asia Subscriber Lead Over Netflix». The Hollywood Reporter. Consultado em 25 de fevereiro de 2021 
  219. Santos, Kara (15 de outubro de 2021). «Disney Plus unveils lineup for APAC region, streaming service coming to the Philippines soon?». PhilstarLife.com (em inglês). Consultado em 19 de outubro de 2021 
  220. Bedirian, Razmig (10 de junho de 2022). «Can't access Disney+ on iOS or Android in the Mena region? Here's how to fix it». The National (em inglês). Consultado em 5 de julho de 2022 
  221. Alexander, Julia (10 de dezembro de 2020). «Disney unveils Star, its Hulu replacement for international Disney Plus subscribers». The Verge. Consultado em 11 de dezembro de 2020 
  222. White, Peter (10 de dezembro de 2020). «Disney To Launch General Entertainment Streaming Service Star Globally In February». Deadline Hollywood. Consultado em 11 de dezembro de 2020 
  223. Henrique Freitas. «Software do Disney+ não suporta demanda pós lançamento». Olhar Digital 
  224. Spangler, Todd; Spangler, Todd (13 de novembro de 2019). «Disney Says Disney Plus Has Over 10 Million Sign-Ups After Launch Day». Variety (em inglês). Consultado em 16 de agosto de 2022 
  225. Pino, Nick; updated, Tom Power last (14 de dezembro de 2021). «Disney Plus review». TechRadar (em inglês). Consultado em 16 de agosto de 2022 
  226. Victor Nascimento. «Disney+ soluciona grande problema da Netflix – mas cria outro». Observatório do Cinema 
  227. a b Mateus Mognon. «Disney+ e The Mandalorian geram crescimento na pirataria». Mundo Conectado 
  228. Minha Série. «The Mandalorian e Disney+ restrito impulsionam pirataria». Minha Série 
  229. «Disney+ Hits 28.6 Million Paid Subscribers Since Launch». The Hollywood Reporter 
  230. «Disney+ avança contra Netflix e chega a 86,8 milhões de assinantes | Negócios». Tecnoblog. 10 de dezembro de 2020. Consultado em 14 de dezembro de 2020 

Ligações externasEditar