Abrir menu principal

Belivaldo Chagas

Governador do Estado do Sergipe
Belivaldo Chagas
50° Governador de Sergipe
Período 6 de abril de 2018
até atualidade
Vice-governador Eliane Aquino
Antecessor Jackson Barreto
Vice-governador de Sergipe
Período 1 de janeiro de 2015
a 6 de abril de 2018
Governador Jackson Barreto
Antecessor Jackson Barreto
Dados pessoais
Nascimento 19 de abril de 1960 (59 anos)
Simão Dias, SE
Partido PSB ,PSD
Profissão Advogado

Belivaldo Chagas Silva (Simão Dias, 19 de abril de 1960), é um Defensor público aposentado, advogado e político brasileiro. Filiado ao Partido Social Democrático (PSD), é o atual governador do Estado de Sergipe.

Foi deputado estadual por quatro mandatos, duas vezes vice-governador de Sergipe (2006 e 2014), e Secretário-Chefe da Casa Civil.[1] Assumiu o governo do Estado pela primeira vez em 07 de abril de 2018, após a renúncia do estão governador Jackson Barreto (MDB) que deixou o cargo para disputar uma vaga no Senado Federal.[2][3]

Nas eleições estaduais de 2018, ao lado de Eliane Aquino do Partido dos Trabalhadores (PT), Chagas conseguiu reeleger-se ao governo do Estado com 64,72% dos votos válidos, derrotando o deputado federal Valadares Filho (PSB) no segundo turno das eleições.[4]

BiografiaEditar

Filho de Arivaldo Chagas Silva, já falecido, e Maria Belizana da Silva, Belivaldo Chagas é natural de Simão Dias, Sergipe, mas ainda jovem mudou-se para Salvador, na Bahia, onde concluiu o Ensino médio.[5] De volta à Sergipe, graduou-se em Direito pela Universidade Tiradentes, unidade Aracaju.[5]

Além disso, Belivaldo Chagas é divorciado e tem três filhos: Priscila, Guilherme e Maria Clara.[5]

Trajetória políticaEditar

Belivaldo Chagas disputou sua primeira eleição na década de 1980, quando concorreu ao cargo de vereador no município de Simão Dias. Porém, foi em 1990 que Chagas ocupou seu primeiro cargo público ao eleger-se deputado estadual, mantendo-se na Assembleia Legislativa de Sergipe por mais três legislaturas.[5]

Em 2006, foi eleito pela primeira vez vice-governador de Sergipe no governo de Marcelo Déda do Partido dos Trabalhadores (PT), falecido em 2013. Em 2014, assumiu o cargo pela segunda vez ao lado de Jackson Barreto do Movimento Democrático Brasileiro (MDB) e, em 07 de abril de 2018, assumiu como Governador do Estado após a renúncia de Jackson Barreto que deixou o cargo para disputar uma vaga no Senado Federal.[5]

Já em outubro de 2018, foi reeleito Governador do Estado de Sergipe no segundo turno com a soma de 679.051 votos, derrotando o deputado federal Valadares Filho do (Partido Socialista Brasileiro) (PSB), com 370.161 votos.[6]

Além disso, Belivaldo Chagas ocupou diversos cargos públicos, atuando como Oficial Administrativo da Secretaria de Estado da Educação de Sergipe (SEED), Diretor-Presidente dos Serviços Gráficos de Sergipe (SEGRASE), Secretário de Estado de Articulação com os Municípios, Coordenador Geral do Projeto Nordeste (PRONESE), Secretário de Estado de Desenvolvimento Municipal de Aracaju, Secretário Extraordinário de Relações Institucionais e de Articulação Política do Município de Aracaju, Secretário de Estado da Educação, Vice-Presidente do Conselho Nacional de Secretários de Estado da Educação (CONSED) e Secretário de Estado-Chefe da Casa Civil.[7]

ControvérsiasEditar

Em 2018, o Ministério Público Federal de Sergipe (MPF/SE) pediu a cassação e a inelegibilidade por oito anos do governador reeleito Belivaldo Chagas por suspeita de práticas irregulares durante a campanha. De acordo com a procuradoria regional eleitoral, as investigações mostraram abuso de poder político, econômico e de autoridade.[8] Também de acordo com o Ministério Público Eleitoral, Chagas teria feito uso repetido da propaganda institucional e da máquina administrativa do Governo do Estado no intuito de promover sua imagem e beneficiar sua candidatura. Ainda de acordo com a ação, próximo ao período eleitoral, o governador realizou a assinatura de dezenas de ordens de serviços em diversos municípios sergipanos.[9]

Em 4 de julho de 2019, durante o "Simpósio de Oportunidades para o Novo Cenário do Gás Natural em Sergipe", evento que discutiria com empresários as perspectivas para o setor no Estado, o empresário Sadi Paulo Castiel Gitz cometeu suicídio na frente de Belivaldo Chagas e do Ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque.[10] Segundo testemunhas, o empresário gritou a frase "Belivaldo, você é um mentiroso" após a fala do governador sergipano e, em seguida, sacou uma arma e atirou contra a própria boca.[10][11]

Referências

BibliografiaEditar

  Este artigo sobre um político é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.
Precedido por
Jackson Barreto
Vice-Governador de Sergipe
2015 — 2018
Sucedido por
Eliane Aquino
Precedido por
Jackson Barreto
Governador de Sergipe
2018 — atualidade
Sucedido por
-