Benedita (Alcobaça)

freguesia de Alcobaça, Portugal
Portugal Portugal Benedita 
  Freguesia  
Aspeto da Benedita
Aspeto da Benedita
Gentílico Beneditense
Localização
Benedita está localizado em: Portugal Continental
Benedita
Localização de Benedita em Portugal
Coordenadas 39° 25' 38" N 8° 58' 42" O
Município ACB1.png Alcobaça
História
Fundação 20 de Dezembro de 1532
Administração
Tipo Junta de freguesia
Presidente Maria de Lurdes Pedro (PSD)
Características geográficas
Área total 29,18 km²
População total (2011[1]) 8 635 hab.
Densidade 296 hab./km²
Código postal 2475
Outras informações
Orago Nossa Sr.ª Encarnação
Sítio http://www.jf-benedita.pt

Benedita é uma vila e freguesia portuguesa do concelho de Alcobaça. A localidade da Benedita foi elevada a vila a 16 de Maio de 1984. A freguesia da Benedita caracteriza-se pelo elevado dinamismo industrial, beneficiando da sua proximidade ao IC2 e à A1.[2] Está localizada no centro de um triângulo que une três capitais de concelho, sendo elas Rio Maior, Alcobaça e Caldas da Rainha, e estando mais ou menos a igual distância das três (a cerca de 15 minutos de automóvel). A freguesia da Benedita é delimitada a norte pela freguesia de Turquel, a oeste pelas freguesias de Santa Catarina e Alvorninha (ambas pertencentes ao concelho das Caldas da Rainha), a leste pela freguesia de Alcobertas (pertencente ao município de Rio Maior) e a sul pela freguesia de Rio Maior.


Localização no Concelho de Alcobaça

HistóriaEditar

A década de 1960 foi essencial para o desenvolvimento da Benedita. Graças a uma experiência piloto de “Desenvolvimento Comunitário”, conduzida por uma vasta equipa chefiada por Manuela Silva, artesãos de vários ramos de actividade associaram-se e criaram empresas industriais, mecanizadas e modernas, dando assim início ao processo de industrialização que é hoje a imagem da Benedita, e que ocupa mais de 5000 pessoas repartidas pela produção de calçado, cutelaria, marroquinaria, exploração de pedreiras, artes gráficas, mármores, madeiras, rações para animais, serralharia civil, construção civil e obras públicas ou artigos de cirurgia, num conjunto de mais de 100 unidades fabris, que constituem um valor acrescentado considerável para a economia regional.[carece de fontes?]

No início da década de 1990, a Benedita assistiu a uma certa estagnação no seu crescimento económico. Porém, a partir da segunda metade dessa mesma década, e sobretudo com a concretização de algumas estruturas que desde há muito eram ansiadas pela população, a Benedita sofreu um novo impulso na senda do desenvolvimento:

  • O arrelvamento do campo de jogos da Fonte da Senhora e a construção da bancada coberta do campo de jogos da Associação Beneditense de Cultura e Desporto (o que permitiu que o clube atingisse a 1ª Divisão B do Nacional de Futebol);
  • A construção da avenida Nova da Igreja e a sua ligação ao IC2;
  • A construção de um complexo moderno e funcional de piscinas cobertas (permitiu aos beneditenses a prática de natação na sua própria terra, não tendo assim necessidade de continuar a deslocar-se a Rio Maior, Caldas da Rainha ou Alcobaça, como tinham de fazer anteriormente);
  • A construção do Centro Cultural Gonçalves Sapinho, propriedade do Externato Cooperativo da Benedita, com todas as suas valências (centro de exposições, biblioteca, videoteca, auditórios, etc.), que colmatou a necessidade de espaço de qualidade dedicado às actividades culturais na freguesia;
  • A modernização da Feira do Gado e a sua adequação às normas e exigências comunitárias (permitiu a continuação do funcionamento deste mercado centenário, e assim dar à população beneditense a oportunidade de no dia 6 de cada mês continuar a ter o seu mercado);

Em 2015, teve lugar a requalificação de um dos locais mais centrais da vila, a Praça Damasceno de Campos.

À data de 2017, entre as principais obras públicas a serem concretizadas futuramente na vila contam-se a nova Unidade de Saúde Familiar e a requalificação da zona envolvente da Casa da Vila, onde está sediada a Junta de Freguesia da Benedita. [3]

EconomiaEditar

A agro-pecuária, designadamente a suinicultura, é outra actividade económica de grande importância para a freguesia da Benedita.

A par da indústria e da suinicultura, o comércio é outra actividade em crescimento na Benedita, que é visitada anualmente por milhares de pessoas que preferem fazer as suas compras no comércio da vila.

Também o Externato Cooperativo da Benedita, criado em 1964, como Cooperativa de Ensino e Cultura, é hoje uma referência regional e nacional como estabelecimento de ensino secundário. Ali são ministrados cursos secundários diurnos e nocturnos, gerais e tecnológicos, até ao 12º ano, nas seguintes áreas: Científico-Natural, Artes, Humanidades, Informática e Administração. Esta escola é frequentada por 1500 alunos, não só da Benedita, mas também das freguesias vizinhas, incluindo freguesias dos concelhos de Rio Maior e Caldas da Rainha.

Para além do ensino, o Externato Cooperativo da Benedita oferece aos seus alunos, assim como à restante comunidade educativa, actividades várias que, incluem, entre outras, música, teatro, futebol, judo, karaté, xadrez, rugby e krav maga.

Em fase de estudo está também a criação da zona de acolhimento empresarial, há muitos anos reivindicada pelos empresários da Benedita, que dará resposta às necessidades por eles sentidas, quer de espaço quer de integração e harmonização urbano/industrial. Uma das intenções é a expansão e dinamização das empresas da Benedita.

Na década de 2000, a Benedita assistiu à decadência da actividade económica e várias fábricas abriram falência. O êxodo entre a população estudantil acentuou a crise económica e, já no início da década de 2010, a Benedita revelava-se como um sítio de quebra económica.

A questão da constante adiamento da concretização da Área de Localização Empresarial da Benedita, que se prevê que seja construída numa área exterior à vila (Quinta da Serra[4]), na parte sul da freguesia, junto ao IC2, acaba também por constituir um entrave ao desenvolvimento económico da mesma.[5]

PopulaçãoEditar

População da freguesia de Benedita [6]
1864 1878 1890 1900 1911 1920 1930 1940 1950 1960 1970 1981 1991 2001 2011
1 572 1 764 1 891 2 079 3 167 2 650 3 138 3 872 4 550 5 176 5 979 6 810 7 397 8 233 8 635

     

AglomeradosEditar

Para além da vila homónima, fazem parte da freguesia da Benedita os seguintes povoados, que são maioritariamente [7]:

  • Taveiro
  • Ribafria;
  • Algarão;
  • Azambujeira;
  • Bairro da Figueira (Tefes)
  • Venda das Raparigas;
  • Charneca do Casal do Guerra;
  • Casal do Carvalho;
  • Casal do Guerra;
  • Casal Gregório;
  • Lagoa do Frei João;
  • Freires;
  • Frei Domingos;
  • Moinhos Novos:
  • Cabecinha

Referências

  1. «População residente, segundo a dimensão dos lugares, população isolada, embarcada, corpo diplomático e sexo, por idade (ano a ano)». Informação no separador "Q601_Centro". Instituto Nacional de Estatística. Consultado em 1 de Março de 2014. Cópia arquivada em 4 de Dezembro de 2013 
  2. Plano Estratégico de Desenvolvimento Urbano de Alcobaça, 2015.
  3. Susano, Sara (29 de outubro de 2015). «Praça Damasceno Campos é inaugurada amanhã». O Alcoa. Consultado em 13 de fevereiro de 2017 
  4. Lopes, Mário (8 de agosto de 2005). «PS: compra da Quinta da Serra na Benedita é um acto de gestão danosa». Tinta Fresca. Consultado em 15 de maio de 2017 
  5. Eusébio, Catarina (5 de setembro de 2015). «Empresários admitem sair da Benedita». Região de Cister. Consultado em 15 de maio de 2017 
  6. Instituto Nacional de Estatística (Recenseamentos Gerais da População) - https://www.ine.pt/xportal/xmain?xpid=INE&xpgid=ine_publicacoes
  7. Plano Estratégico de Desenvolvimento Urbano de Alcobaça, 2015.