Abrir menu principal

Associação Atlética Caldense

(Redirecionado de Caldense)
Question book-4.svg
Esta página cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde janeiro de 2016). Ajude a inserir referências. Conteúdo não verificável poderá ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)

Associação Atlética Caldense é uma agremiação esportiva de Poços de Caldas, no estado de Minas Gerais. Fundada a 7 de setembro de 1925, manda seus jogos no Estádio Dr. Ronaldo Junqueira (Ronaldão). Suas cores são o verde e branco e o periquito é o mascote. Além do futebol profissional, o clube possui modalidades como futsal, natação, vôlei, basquete, tênis, peteca, críquete, tênis de mesa e diversas outras. Historicamente, seu maior rival é o Rio Branco de Andradas Futebol Clube. [2]

Caldense
AA CALDENSEE1.png
Nome Associação Atlética Caldense
Alcunhas Veterana
Verdão
Periquito
Arriba Caldense
Mascote Periquito
Fundação 7 de setembro de 1925 (93 anos)
Estádio Estádio Dr. Ronaldo Junqueira (Ronaldão)
Capacidade 7.600[1]
Presidente Rovilson Jesus Ribeiro
Treinador Marcus Paulo Grippi
Patrocinador Embracon
Material (d)esportivo Duson
Competição Mineiro - Módulo I
Brasileirão - Série D
Website Associação Atlética Caldense
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Uniforme
titular
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Uniforme
alternativo
Temporada atual
editar

Índice

HistóriaEditar

O futebol chegou a Poços de Caldas em 1904, com a fundação do Foot-Ball Club Caldense. Porém, o primeiro campeonato local só foi disputado em 1920.

A Caldense foi fundada de fato no dia 16 de novembro de 1925, por remanescentes do Foot-Ball Club Caldense. A primeira diretoria do clube teve João de Moura Gavião como presidente, professor Hugo Sarmento como vice-presidente, Romeu Chiacchio como primeiro secretário, Cherubim Borelli como segundo secretário, Caetano Pereira como tesoureiro, Flamínio Maurício como procurador, e Octávio Mantovani como diretor esportivo. A Comissão de Sindicância era composta por João de Oliveira Carmo, Antônio Ricci Júnior, Domingos Lamberti, Vitor Fortunato e Adolpho Guetti. Nesse mesmo ano, o primeiro grande estádio da cidade, Christiano Osório, construído em 1923, passou definitivamente a pertencer à Caldense.

Após reunião realizada no dia 3 de abril de 1926, a Caldense funde-se com o Gambrinus Futebol Clube, originando a Associação Atlética Caldense. A primeira diretoria eleita do novo clube foi teve como presidente o capitão Afonso Junqueira, Fosco Pardini como presidente efetivo e Ulpiano César Mine como vice-presidente. João de Moura Gavião, primeiro presidente da Caldense, desta vez ocupou-se do cargo de tesoureiro, porém falecendo no ano seguinte.

No ano de 1928, o presidente João Porfírio Bueno Brandão resolveu antecipar para o dia 7 de setembro a data de fundação da Caldense, com a justificativa de ser uma importante data cívica e coincidir com o feriado nacional. Somente em 1943, quando João Coelho da Silva presidia o clube, é que esta data foi oficializada pelo Conselho Deliberativo, criado naquele ano.

Desde os primeiros anos, a Caldense foi um clube voltado principalmente para os esportes especializados, tendo conquistado diversos títulos no vôlei, basquete, futsal, natação e outras modalidades.

Em 1968, o time de futebol jogou pela primeira vez em Belo Horizonte. Foi no dia 22 de novembro no Independência, contra o misto do Cruzeiro, que venceu por 3 a 0. Durante muito tempo, a Caldense disputou a Segunda Divisão do Campeonato Mineiro, e somente em 1972 estreou na elite estadual.

Em 2002, a Caldense conquistou o maior título de sua história, ao vencer o Campeonato Mineiro. Na partida do título, dia 5 de maio, vitória da "Veterana" sobre o Nacional de Uberaba, com gols de Gustavinho e Carioca. É preciso lembrar, porém, que nesse ano as equipes grandes do Estado: Cruzeiro, Atlético Mineiro e América Mineiro, bem como o Mamoré, não disputaram o Campeonato Mineiro, mas sim o Torneio Sul-Minas. Os quatro times só disputaram o Supercampeonato Mineiro, em que a Caldense acabou sendo vice-campeã, atrás apenas do Cruzeiro.

No Campeonato Mineiro (módulo I) de 2007, a Caldense iniciou a disputa como uma das favoritas às semifinais. Chegou a liderar o torneio porém, após forte queda de rendimento, terminou na décima-primeira colocação e amargou o rebaixamento ao módulo II do futebol mineiro em 2008.

No ano de 2008, jogando pelo Campeonato Mineiro (1ª Divisão módulo II), por pouco a Caldense não conseguiu retornar a elite do futebol mineiro, disputando a última vaga no último jogo com o Uberlândia, porém, mesmo com a expressiva vitória por 3 à 0 contra o time do Poços de Caldas Futebol Clube, não foi possível o acesso, pois o Uberlândia necessitava apenas de si para garantir a vaga na (1ª Divisão módulo II).

Em 2009, após uma bela campanha no Campeonato Mineiro (1ª Divisão módulo II), a Caldense conseguiu retornar a elite do futebol mineiro, ficando atrás apenas do Ipatinga Futebol Clube. A Caldense veio a conquistar seu primeiro título mineiro em 2002 quando tinha um elenco mais forte.

Em uma ótima campanha sob o comando do treinador Leonardo Condé no campeonato mineiro da primeira divisão de 2015, a Caldense conseguiu, em um feito inédito, terminar a primeira fase como líder invicto, com 7 vitórias e 4 empates em 11 jogos. Com a liderança, a equipe se classificou para a fase mata-mata do campeonato mineiro, garantindo também uma vaga na série D do brasileirão de 2015.[3]

A Maior Conquista da VeteranaEditar

Em um feito inédito em sua história o clube de Poços de Caldas conseguiu o vice campeonato mineiro 2015 se destacando frente aos dois grandes clubes da Capital e grandes campeões do campeonato regional, Atlético e Cruzeiro. Após permanecer lider e invicto por todo o campeonato o time alvi verde se classificou para a decisão. Mais que isso conquistou a vantagem de jogar por dois empates e a ultima partida em seus domínios. Como o a capacidade mínima necessária para receber a final do Campeonato Mineiro era de 10 mil pessoas, a Caldense não pode mandar o segundo jogo da decisão em Poços de Caldas e sim em Varginha.

O primeiro jogo, no Mineirão ficou empatado em 0x0 com várias chances desperdiçadas pela Caldense Na decisão em Varginha a Caldense jogava melhor até tomar o primeiro gol no segundo tempo. Mas o time não desistiu e empatou imediatamente e teve diversas chances para virar. Mas no final da partida, Jô, atacante do Atlético MG que não fazia gol há um ano, marca um gol irregular e garante o título para o Galo.

No final de jogo membros da comissão técnica e jogadores da Caldense foram pra cima do árbitro enquanto a torcida entoava um canto de vergonha em Varginha. Mesmo assim, o Campeonato Mineiro de 2015 entrou para a história da Veterana.

Elenco atualEditar

  • Atualizado em 18 de janeiro de 2018.[4]


Goleiros
Jogador
  Omar
  Fernando
  Edgar
  Gabriel
Defensores
Jogador Pos.
  Robert Z
  Marcelinho Z
  Robinho Z
  Cayo Pitbull Z
  Carlinhos Ijuí Z
  Lazarini Z
  Feijão LD
  Baiano LD
  Fernandinho LE
  Wallace LE
Meio-campistas
Jogador Pos.
  Jean V
  Meia Noite V
  Moisés Martins V
  Mineiro V
  João Vítor V
  Anderson M
  Charles M
  Van Van M
  Matheus M
  Marquinhos M
Atacantes
Jogador
  Carlinhos
  Neilson
  Dudu Mineiro
  Juninho
  Potita
Comissão técnica
Nome Pos.
  Robert Coutinho T

HinoEditar

 
Fachada da sede social da Caldense

A primeira vez que houve referências a uma proposta de se criar um hino para a Caldense, foi em 1933, quando o maestro Carlos Sangiorgi ofertou uma composição sua para Associação Atlética. Porém, dificuldades momentâneas não possibilitaram fazer o arranjo.

No dia 23 de setembro de 1973 é apresentada, em uma reunião, a letra e a música “Verdão”, de autoria de José Rafael dos Santos Neto, poeta poços-caldense. Seu trabalho foi aprovado por unanimidade pela diretoria, sob a presidência de Benedicto Norberto Filho.

ÍdolosEditar

Defensores
  Mauro

  Mauro Algaz

Meio-campo
  Aílton Lira
Atacantes
  Casagrande
  Buzuca
  Caio Cambalhota
Trenadores
  Léo Condé

Centro de TreinamentosEditar

Hoje, além de contar com uma sede administrativa e para uso de atividades de lazer pelos associados, a Caldense possui também o Centro de Treinamentos Geraldo Martins Costa, o “Ninho dos Periquitos”, inaugurado no ano de 1996, na administração do presidente Laércio Otávio Martins, hoje o CT conta com:

  • 3 campos de treinamento
  • 11 apartamentos com 44 camas
  • Cozinha industrial
  • Sala com aparelho de TV
  • Sala de recreação
  • Sala de musculação
  • Escritório
  • Sala de departamento médico
  • Piscina aquecida
  • Vestiário para jogadores
  • Vestiário para comissão técnica.

TítulosEditar

Estaduais.Editar

Outras ConquistasEditar

  • Primeira fase Campeonato Mineiro: 2015.
  • Torneio Mauro Ramos de Oliveira: 1966 e 1967
  • Copa Sul Triângulo: 1974.
  • Torneio Cidade de Poços de Caldas: 1977.

EstatísticasEditar

ParticipaçõesEditar

 Ver artigo principal: Temporadas da Caldense
Participações em 2019
Competição Temporadas Melhor campanha Estreia Última P   R  
  Campeonato Mineiro 47 Campeã (2002) 1970 2019 2
Módulo II 8 Vice-campeã (1985 e 2009) 1961 2009 3
  Campeonato Brasileiro 1 30ª colocada (1979) 1979 1989
Série B 1 30ª colocada (1980) 1980 1980
Série C 1 83ª colocada (1995) 1995 1995
Série D 5 7ª colocada (2015) 2015 2019
Copa do Brasil 6 2ª fase (2003 e 2014) 2003 2018

ParticipaçõesEditar

  Campeonato Mineiro
Ano 1960 1961 1962 1963 1964 1965 1966 1967 1968 1969
Pos. ? 
Ano 1970 1971 1972 1973 1974 1975 1976 1977 1978 1979
Pos. 24º * 11º
Ano 1980 1981 1982 1983 1984 1985 1986 1987 1988 1989
Pos. 14º 11º 12º  14º    14º
Ano 1990 1991 1992 1993 1994 1995 1996 1997 1998 1999
Pos. 10º 12º 21º
Ano 2000 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009
Pos. 10º 11º   
Ano 2010 2011 2012 2013 2014 2015 2016 2017 2018 2019
Pos. 8
Legenda
Primeira Divisão e Módulo I
Módulo II
Segunda Divisão
Terceira Divisão

Ranking da CBFEditar

Ranking atualizado em dezembro de 2018

  • Posição: 70º
  • Pontuação: 1024 pontos[5]

Ranking criado pela Confederação Brasileira de Futebol para pontuar todos os clubes do Brasil[6].

Referências

Ligações externasEditar