Abrir menu principal

Eleições estaduais no Maranhão em 1970

As eleições estaduais no Maranhão em 1970 ocorreram em duas etapas conforme previa o Ato Institucional Número Três para os 22 estados brasileiros e os territórios federais do Amapá, Rondônia e Roraima.[nota 1] Assim a eleição indireta do governador Pedro Santana e do vice-governador Colares Moreira aconteceu em 3 de outubro enquanto a eleição dos senadores Alexandre Costa e José Sarney, dos sete deputados federais e vinte e um estaduais ocorreu em 15 de novembro.[nota 2][1][2][3][4]

1966 Brasil 1974
Eleições estaduais no  Maranhão em 1970
3 de outubro de 1970
(Eleição indireta)
15 de novembro de 1970
(Eleição direta)


Pedro Neiva de Santana, Governador do Maranhão..tif
Candidato Pedro Santana


Partido ARENA


Natural de Nova Iorque, MA


Vice Colares Moreira
Votos 17
Porcentagem 100%


Brasão do Maranhão.png
Governador do Maranhão

Natural de Nova Iorque, o governador Pedro Santana estudou em Floriano e São Luís antes de migrar para o Rio de Janeiro onde se formou na Faculdade de Medicina da Universidade Federal do Rio de Janeiro com especialização em Medicina Legal. Titular do Colégio Brasileiro de Cirurgiões, integrou também a Sociedade de Medicina e Cirurgia, a Sociedade Brasileira de Oftalmologia a Sociedade de Medicina Legal e a Academia Maranhense de Letras, voltou ao Maranhão e clinicou para a Legião Brasileira de Assistência, dirigiu o Instituto Médico Legal e lecionou na Universidade Federal do Maranhão. Seu primeiro cargo público foi o de prefeito de São Luís durante o Estado Novo com o apoio do governador Paulo Ramos. Secretário de Fazenda após a eleição de José Sarney para o Palácio dos Leões em 1965 deixou o cargo e foi escolhido governador do Maranhão pelo presidente Emílio Garrastazu Médici com posterior referendo da ARENA. Sobre o vice-governador Colares Moreira, este fora eleito deputado estadual pelo PR em 1947.

O senador mais votado foi o advogado e escritor José Sarney. Nascido em Pinheiro ele se formou em 1953 pela Universidade Federal do Maranhão e no mesmo ano ingressou na Academia Maranhense de Letras. Filiado ao PSD chegou a ser correligionário de Vitorino Freire e foi eleito suplente de deputado federal em 1954 chegando a ser convocado. Reeleito via UDN em 1958 e 1962 figurou na ala Bossa Nova do partido. Apoiador do Regime Militar de 1964, foi eleito governador pelo voto direto em 1965 em oposição ao vitorinismo e ingressou na ARENA após o bipartidarismo sendo eleito senador em 1970, como afirmado anteriormente.[5][6]

A outra vaga ficou com Alexandre Costa, engenheiro civil nascido em Caxias e formado na Universidade Federal de Minas Gerais. Auxiliar do governador Eugênio de Barros foi nomeado por ele prefeito de São Luís e depois secretário de Justiça. Eleito vice-governador do estado pelo PSD em 1955, só tomou posse após dois anos devido a questões judiciais quando já estava no PSP. Efetivado deputado federal após a cassação Neiva Moreira pelos militares através do Ato Institucional Número Um em 1964, foi reeleito em 1966 pela ARENA e conquistou um mandato de senador em 1970.[7][8]

Resultado das eleições para governadorEditar

A eleição realizada pelos membros da Assembleia Legislativa do Maranhão especialmente convocada para tal fim.

Candidatos a governador do estado
Candidatos a vice-governador Número Coligação Votação Percentual
Pedro Santana
ARENA
Colares Moreira
ARENA
-
ARENA (sem coligação)
17
100%
  Eleito

Resultado das eleições para senadorEditar

Conforme os arquivos do Tribunal Superior Eleitoral foram apurados 558.719 votos nominais (79,40%), 120.607 votos em branco (17,14%) e 24.374 votos nulos (3,46%) resultando no comparecimento de 703.700 eleitores.[1]

Candidatos a senador da República
Primeiro suplente de senador Número Coligação Votação Percentual
José Sarney
ARENA
Odilo Costa Filho
ARENA
-
ARENA (sem coligação)
236.618
42,35%
Alexandre Costa
ARENA
Alfredo Duailibe
ARENA
-
ARENA (sem coligação)
183.990
32,93%
Epitácio Cafeteira
MDB
José Lima Martins dos Reis
MDB
-
MDB (sem coligação)
138.111
24,72%
  Eleitos

Deputados federais eleitosEditar

São relacionados os candidatos eleitos com informações complementares da Câmara dos Deputados.[9][10]

Deputados federais eleitos Partido Votação Percentual Cidade onde nasceu Unidade federativa
João Castelo ARENA 41.701 Caxias   Maranhão
Américo de Souza ARENA 36.234 Coroatá   Maranhão
Henrique de La Rocque ARENA 34.518 São Luís   Maranhão
Pires de Saboia ARENA 29.434 Independência   Ceará
Freitas Diniz MDB 21.040 Araioses   Maranhão
Eurico Ribeiro ARENA 16.897 Pedreiras   Maranhão
Osvaldo Nunes Freire ARENA 15.670 Grajaú   Maranhão

Deputados estaduais eleitosEditar

O placar final na disputa pelas vinte e uma vagas na Assembleia Legislativa do Maranhão foi de dezessete para a ARENA e quatro para o MDB.[1]

Deputados estaduais eleitos Partido Votação Percentual Cidade onde nasceu Unidade federativa
Luís Rocha ARENA 9.812 Loreto   Maranhão
Ivar Saldanha ARENA 9.485 Rosário   Maranhão
Euvaldo Neiva de Sousa ARENA 9.149
Artur Carvalho ARENA 8.861
Nagib Haickel ARENA 8.788 Pindaré-Mirim   Maranhão
Napoleão Guimarães ARENA 8.432 São João dos Patos   Maranhão
Wilson Ramos Neiva ARENA 8.335
João Alberto Souza ARENA 8.197 Bacabal   Maranhão
Manoel Maria Soares de Paiva ARENA 8.004
Eliezer Moreira ARENA 7.932 Rio de Janeiro   Rio de Janeiro
Antônio Pontes de Aguiar ARENA 7.364
Alberico de França Soares ARENA 6.980
Orlando Brito de Aquino ARENA 6.664
Joaquim Sales de Oliveira Itapary Filho ARENA 6.074
Acrísio dos Santos Viegas ARENA 6.027
Raimundo Gomes de Lima ARENA 5.809
Marconi Caldas ARENA 5.721
Isaac Rubens Brito Dias MDB 4.478
José Ribamar Bayma Serra MDB 4.286
José da Assunção Brandão MDB 4.042
Bernardo Coelho de Almeida MDB 3.771

Notas

  1. Nos referidos territórios o pleito serviu apenas para a escolha de deputados federais, não havendo eleições no Distrito Federal e no Território Federal de Fernando de Noronha.
  2. Registre-se que dois ex-governadores e seis futuros governadores do estado disputaram um mandato nesse pleito.

Referências

  1. a b c «Banco de dados do Tribunal Superior Eleitoral». Consultado em 21 de maio de 2018 
  2. «Subsecretaria de Informações do Senado Federal do Brasil: Ato Institucional Número Três». Consultado em 27 de outubro de 2013 
  3. ... e fez-se o Arenão. Disponível em Veja, ed. 116 de 25/11/1970. São Paulo: Abril. Página visitada em 27 de outubro de 2013.
  4. «Acervo digital Veja». Consultado em 27 de outubro de 2013. Arquivado do original em 29 de outubro de 2013 
  5. «Câmara dos Deputados do Brasil: deputado José Sarney». Consultado em 3 de março de 2019 
  6. «Senado Federal do Brasil: senador José Sarney». Consultado em 3 de março de 2019 
  7. «Câmara dos Deputados do Brasil: deputado Alexandre Costa». Consultado em 29 de outubro de 2013 
  8. «Senado Federal do Brasil: senador Alexandre Costa». Consultado em 21 de maio de 2018 
  9. «Página oficial da Câmara dos Deputados». Consultado em 25 de fevereiro de 2017. Arquivado do original em 2 de outubro de 2013 
  10. «BRASIL. Presidência da República: Lei nº 9.504 de 30/09/1997». Consultado em 25 de fevereiro de 2017