Fabiana Alvim

Fabi Alvim
BiCampeã olímpica
Voleibol
Nome completo Fabiana Alvim de Oliveira
Apelido Fabi, Fabizinha
Modalidade Voleibol indoor
Nascimento 7 de março de 1980 (40 anos)
Rio de Janeiro, RJ
Nacionalidade brasileira
Compleição Peso: 59 kg Altura: 1,69 m
Clube Rio de Janeiro
Medalhas
Competidora do Brasil
Jogos Olímpicos
Ouro Pequim 2008 Equipe
Ouro Londres 2012 Equipe
Campeonatos Mundiais
Prata Japão 2006 Equipe
Prata Japão 2010 Equipe
Copa do Mundo
Prata Japão 2007 Equipe
Grand Prix
Ouro Sendai 2005 Equipe
Ouro Reggio Calabria 2006 Equipe
Ouro Yokohama 2008 Equipe
Ouro Tóquio 2009 Equipe
Ouro Sapporo 2013 Equipe
Prata Ningbo 2010 Equipe
Prata Macau 2011 Equipe
Prata Ningbo 2012 Equipe
Copa dos Campeões
Ouro Japão 2005 Equipe
Ouro Japão 2013 Equipe
Prata Japão 2009 Equipe
Jogos Pan-Americanos
Ouro Guadalajara 2011 Equipe
Prata Rio de Janeiro 2007 Equipe
Competidora do Rio de Janeiro
Campeonatos Mundiais
Prata Zurique 2013 Equipe
Prata Kōbe 2017 Equipe
Torneio Top Volley
Ouro Basileia 2006 Equipe
Ouro Basileia 2009 Equipe
Bronze Basileia 2011 Equipe
Salonpas Cup
Ouro São Paulo 2006 Equipe
Ouro São Paulo 2007 Equipe
Prata São Paulo 2005 Equipe
Prata São Paulo 2008 Equipe
Campeonato Sul-Americano
Ouro Lima 2013 Equipe
Ouro Osasco 2015 Equipe
Ouro La Plata 2016 Equipe
Ouro Uberlândia 2017 Equipe
Prata Lima 2009 Equipe

Fabiana Alvim de Oliveira, mais conhecida como Fabi Alvim ou simplesmente Fabi (Rio de Janeiro, 7 de março de 1980), é uma ex-jogadora de voleibol brasileira, bicampeã olímpica em Pequim 2008 e Londres 2012. Ela atuava na posição de líbero. Também é comentarista esportiva.

CarreiraEditar

Fabiana nasceu na cidade do Rio de Janeiro no ano de 1980.[1]

Fabiana começou a jogar vôlei aos treze anos de idade na sua escola quando estava participando de uma competição escolar.[2] Começou a treinar nas categorias de base, e devido sua baixa estatura se especializou na defesa, e logo com a criação da posição de líbero em 1998, passou a se destacar.[1]

Participou das principais conquistas da Seleção Brasileira, incluindo as medalhas de ouro nos Jogos Olímpicos de Verão de 2008 em Pequim e nos Jogos Olímpicos de Verão de 2012 em Londres.[3][4]

Fabiana é considerada por muitos críticos do voleibol como a melhor líbero do mundo da história.[5]

Seleção BrasileiraEditar

A primeira chance de Fabiana na Seleção Brasileira de Voleibol foi em 2001, quando a equipe ainda era comandada por Marco Aurélio Motta.[6] A atleta sobreviveu à crise que dizimou a equipe e foi ao Mundial de 2002, na Alemanha.[7] O Brasil terminou o campeonato em sétimo lugar, mas Fabi foi eleita a segunda melhor defensora e receptora do torneio.[7]

Com a queda de Motta e a ascensão de José Roberto Guimarães ao comando técnico da Seleção Brasileira, Fabi perdeu espaço na equipe e acabou sendo cortada em 2003.[8] Ela voltou a ser convocada em 2005, disputando posição com a veterana Arlene.[5]

Fabi só conseguiu se firmar na seleção no final de 2006, quando ganhou a disputa com Arlene e foi convocada para jogar no Mundial no Japão.[9] A atleta, chamada de Fabizinha pelas amigas da seleção, teve um bom desempenho, sendo uma das responsáveis pela conquista da medalha de prata pelo Brasil.[9]

Dentre os títulos mais importantes pela Seleção Brasileira destacam-se o pentacampeonato do Grand Prix (2005, 2006, 2008, 2009 e 2013), os vice-campeonatos no Mundial, Copa do Mundo e Jogos Pan-Americanos respectivamente.[10] Além das medalhas de ouro nos Jogos Olímpicos de Pequim em 2008 no qual foi eleita a melhor líbero da competição e nos Jogos Olímpicos de Londres.[10]

ClubesEditar

Fabiana iniciou sua carreira em clubes em 1992 nas categorias de base do Flamengo, na condição de atacante.[8] Mas como possui baixa estatura se especializou na posição de líbero em 1998.[8] No mesmo ano participou de sua primeira Superliga Brasileira de Voleibol defendendo a equipe de Macaé.[11] Em 2000 sob orientação da técnica Isabel Salgado retornou ao Flamengo. Na temporada seguinte, vestiu as cores do rival Vasco, sagrando-se vice-campeã da Superliga.[12][13] Depois se transferiu para a equipe de Campos dos Goytacazes e somente em 2005 passou a defender o Rexona-Ades, onde jogou até aposentar-se, e pelo qual conquistou títulos como o tetracampeonato da Superliga, Salonpas Cup, Copa Brasil de Vôlei e Campeonato Carioca.[14]

Clube País De Até
C.R. Flamengo   Brasil 1992 1998
Petrobras/Macaé   Brasil 1998 1999
C.R. Flamengo/Petrobras   Brasil 1999 2000
C.R. Vasco da Gama   Brasil 2000 2001
ACF/Campos   Brasil 2001 2004
Oi/Campos   Brasil 2004 2005
Unilever   Brasil 2005 2018

AposentadoriaEditar

Após vinte anos de carreira, em 2018, Fabiana anunciou sua aposentadoria do esporte.[15] Em entrevista para Carlos Gil, Fabi afirmou que: "uma hora tem que chegar esse momento. Então, é uma decisão difícil pra todo mundo. Ninguém tem cem por cento de certeza nunca. Mas o corpo fala e, enfim, os desafios que vão aparecendo para você, você vai se sentindo feliz com as coisas que você conquistou."[16][17]

Pós-aposentadoriaEditar

Posterior a carreira de jogadora de vôlei, Fabi tornou-se comentarista esportiva no SporTV vinculado ao Grupo Globo.[18][19] Desde 2018, Fabiana comenta jogos de vôlei e bastidores do esporte na emissora.[20]

Vida pessoalEditar

Fabiane é torcedora fanática do Flamengo.[21] No ano de 2019, tornou-se mãe após sua esposa Julia Silva fazer o tratamento de fertilização in vitro.[22][23][24]

ConquistasEditar

Pela Seleção BrasileiraEditar

  • Campeã dos Jogos Olímpicos de Londres 2012
  • Campeã dos Jogos Olímpicos de Pequim 2008
  • Vice-campeã da Copa do Mundo 2007
  • Vice-campeã dos Jogos Pan-Americanos 2007
  • Vice-campeã do Campeonato Mundial 2006
  • Pentacampeã do Grand Prix (2005, 2006 , 2008, 2009 e 2013)
  • Hexacampeã Sul-Americana (2003, 2005, 2007, 2009, 2011 e 2013)
  • Bicampeã do Troféu Valle d'Aosta (2005 e 2006)
  • Tricampeã do Montreux Volley Masters (2005, 2006 e 2009)
  • Campeã do Torneio de Voleibol Final Four 2008
  • Vice-campeã da Copa dos Campeões de 2009
  • Copa Pan-Americana - 2009,2011
  • Vice-campeã do Grand Prix 2010
  • Vice-campeã do Campeonato Mundial 2010
  • Campeã do Jogos Pan-Americanos de Guadalajara 2011
  • Bicampeã da Copa dos Campeões (2005 e 2013)

Por clubesEditar

  • Tetracampeã do Campeonato Sul-Americano de Clubes pelo Rio de Janeiro: 2013, 2015,[25] 2016[26] e 2017.[27]
  • Decacampeã da Superliga Brasileira pelo Rio de Janeiro: 2005/2006, 2006/2007, 2007/2008, 2008/2009, 2010/2011, 2012/2013, 2013/2014, 2014/15,[28] 2015/16[29] e 2016/17[30]
  • Bicampeã do Torneio Top Volley na Suíça pelo Rio de Janeiro: 2006 e 2009
  • Tricampeã da Copa Brasil pelo Rio de Janeiro: 2007, 2016[31] e 2017[32]
  • Tricampeã da Supercopa Brasileira pelo Rio de Janeiro: 2015[33] e 2016[34] e 2017[35]
  • Bicampeã da Salonpas Cup pelo Rio de Janeiro: 2006 e 2007
  • Duodecacampeã Carioca pelo Rio de Janeiro: 2005, 2006, 2007, 2008, 2009, 2010, 2011, 2012, 2013, 2014, 2015, 2017[36]
  • Campeã do Grand Prix Vôlei Brasil pelo Campos: 2002
  • Campeã da Copa Rio pelo Rio de Janeiro: 2009
  • Campeã Carioca pelo Vasco: 2000
  • Tricampeã Estadual pelo Campos: 2001, 2002 e 2003
  • Campeã da Taça Premium pelo ACF/Campos: 2001
  • Campeã da Copa Sudeste pelo ACF/Campos: 2001
  • Campeã Paranaense pelo ACF/Campos: 2001
  • Campeã do Grand Prix Vôlei Brasil pelo ACF/Campos: 2002
  • Campeã dos Jogos Abertos do Interior pelo ACF/Campos: 2002
  • Campeã da Supercopa Feminina pelo ACF/Campos: 2002
  • Campeã da Supercopa pelo ACF/Campos: 2003
  • Campeã do Intermunicipal Adulto Feminino pelo ACF/Campos: 2004

IndividuaisEditar

  • Melhor líbero do Grand Prix 2002
  • Melhor líbero do Sul-Americano (2003 e 2007)
  • MVP do Sul-Americano 2009
  • Melhor líbero dos Jogos Olímpicos de Pequim 2008
  • Melhor líbero e melhor defesa do Torneio de Voleibol Final Four 2008
  • Melhor líbero do torneio Montreux Volley Masters 2009
  • Melhor recepção da Superliga pelo Campos 2002/2003
  • Melhor líbero da Superliga pelo Campos 2002/2003
  • Melhor Jogadora da final da Superliga pelo Rexona-Ades 2007/2008
  • Melhor Passe da Superliga pelo Rexona-Ades 2007/2008
  • Melhor líbero da final da Superliga pelo Rexona-Ades 2008/2009
  • Melhor Defesa da Superliga pelo Rexona-Ades 2008/2009
  • Melhor Defesa da Superliga pelo Unilever (Ex Rexona Ades) 2010/2011
  • Melhor recepção da Copa do Mundo de Voleibol 2011
  • Melhor líbero do Mundial de Clubes 2016[37]

Referências

  1. a b «Fabi Alvim |». Comitê Olímpico do Brasil. Consultado em 8 de dezembro de 2020 
  2. André, Henrique (11 de agosto de 2018). «'Sou eternamente grata ao criador da posição de líbero', afirma bicampeã olímpica Fabi Alvim». Hoje em dia. Consultado em 8 de dezembro de 2020 
  3. Lopes, Lello (23 de agosto de 2008). «Brasil vence os EUA na final e conquista glória máxima no vôlei feminino - 23/08/2008 - UOL Esporte - Olimpíadas Pequim 2008». UOL. Consultado em 8 de dezembro de 2020 
  4. Lepiani, Giancarlo (11 de agosto de 2012). «Brasil é bi no vôlei feminino olímpico e Zé Roberto é o 1º tri». VEJA. Consultado em 8 de dezembro de 2020 
  5. a b Viana, João (24 de setembro de 2018). «Conheça Fabi, líbero da Seleção Brasileira de Vôlei». VAVEL. Consultado em 8 de dezembro de 2020 
  6. Aguiar, Gustavo (20 de fevereiro de 2019). «Com moral, Marco Aurélio Motta tem contrato renovado por 2 anos no Eczacibasi». To Fly Volleyball. Consultado em 8 de dezembro de 2020 
  7. a b «Folha Online - Esporte - Técnico da seleção feminina de vôlei convoca "rebelada" - 08/04/2003». Folha de S. Paulo. 8 de abril de 2003. Consultado em 8 de dezembro de 2020 
  8. a b c «Fabi - UOL Esporte - Pan 2007». UOL. Pan 2007. Consultado em 8 de dezembro de 2020 
  9. a b Junior, João (16 de novembro de 2016). «Mundial 2006: dez anos de uma revanche frustrada». Saída de rede. UOL. Consultado em 8 de dezembro de 2020 
  10. a b «Fabi Alvim». Consultado em 8 de dezembro de 2020 
  11. Luz, Renata (19 de outubro de 2005). «Oi / Macaé tem mais uma atleta na Seleção Brasileira». Prefeitura Municipal de Macaé. Consultado em 8 de dezembro de 2020 
  12. «Fabi sobre ser flamenguista e jogar no Vasco: "Não lavava camisa em casa"». TV UOL. Consultado em 8 de dezembro de 2020 
  13. Corujão do Esporte | Teresa Cristina fala do Vasco, time do coração, e Fabi aproveita para provocar | Globoplay, consultado em 8 de dezembro de 2020 
  14. «Fabi: Vôlei - UOL Esporte». Olímpiadas. UOL. Consultado em 8 de dezembro de 2020 
  15. «Fabi anuncia aposentadoria e recebe homenagens de companheiros de vôlei». Esporte Espetacular. 22 de abril de 2018. Consultado em 8 de dezembro de 2020 
  16. Gil, Carlos (22 de abril de 2018). «Maior líbero da história, Fabi se despede do vôlei: "Decisão difícil, mas o corpo fala"». Globoesporte. Consultado em 8 de dezembro de 2020 
  17. Chacon, Paulo (22 de abril de 2018). «Após 20 anos de carreira, líbero Fabi se aposenta do vôlei». Olimpíada Todo Dia. Consultado em 8 de dezembro de 2020 
  18. Rivera, Raíssa (9 de novembro de 2020). «Fabi Alvim comenta transição das quadras para a TV: "Como se mudasse de time"». Marie Claire. Consultado em 8 de dezembro de 2020 
  19. «Com comentários de Fabi, SporTV transmite Paulista Feminino de Vôlei». Lance!. 22 de setembro de 2020. Consultado em 8 de dezembro de 2020 
  20. «É hora de se reinventar, afirma ex-líbero Fabi em seu 1º Dia das Mães». Folha de S.Paulo. 10 de maio de 2020. Consultado em 8 de dezembro de 2020 
  21. «Bicampeã olímpica, Fabi visita a Gávea e declara seu amor ao Flamengo». Flamengo. 16 de agosto de 2012. Consultado em 8 de dezembro de 2020 
  22. «Ex-jogadora de vôlei, Fabi Alvim fala de bebê que terá com a mulher: 'Vivendo um sonho'». Extra Online. 23 de maio de 2019. Consultado em 8 de dezembro de 2020 
  23. «Nasce a filha da ex-jogadora de vôlei Fabi Alvim com a mulher, Julia Silva». Extra Online. 2 de julho de 2019. Consultado em 8 de dezembro de 2020 
  24. «Ex-jogadora de vôlei, Fabi Alvin posa com a mulher e filha de 1 ano». Extra Online. 24 de julho de 2020. Consultado em 8 de dezembro de 2020 
  25. «Rexona derrota Osasco de virada e é campeão sul-americano - Esportes». Estadão. 8 de fevereiro de 2015. Consultado em 8 de dezembro de 2020 
  26. «Rexona fatura o título do Sul-Americano de Clubes de Vôlei - Esportes». Estadão. 28 de fevereiro de 2016. Consultado em 8 de dezembro de 2020 
  27. Papel, Lucas (18 de fevereiro de 2017). «É tetra! Rio de Janeiro bate Praia Clube e conquista Sul-Americano em Minas». Globoesporte. Consultado em 8 de dezembro de 2020 
  28. «Rexona domina Molico e vence 10ª Superliga no adeus de Fofão». Terra. 26 de abril de 2015. Consultado em 8 de dezembro de 2020 
  29. Inácio, Bruno (3 de abril de 2016). «Rexona vence o Praia é campeão da Superliga feminina de vôlei». SuperFC. O Tempo. Consultado em 8 de dezembro de 2020 
  30. Gabriel Rodrigues, João (23 de abril de 2017). «Supremacia carioca: Rio bate Osasco em final histórica e é campeão da Superliga pela 12ª vez». globoesporte.com. Grupo Globo. Consultado em 14 de maio de 2017. Cópia arquivada em 24 de abril de 2017 
  31. Veira, Carlos (31 de janeiro de 2016). «Rexona-Ades leva o título da Copa do Brasil de vôlei Feminino». Terra. Consultado em 8 de dezembro de 2020 
  32. «Rexona-Sesc conquista tricampeonato da Copa do Brasil Feminina de Vôlei | Gaúcha 2020». Gaúcha 2016. Consultado em 8 de dezembro de 2020 
  33. «Rexona-AdeS vence o Pinheiros e é campeão da Supercopa Brasil feminina de Vôlei | Gaúcha 2020». Gaúcha 2016. Consultado em 8 de dezembro de 2020 
  34. «Rio de Janeiro vence Praia Clube e fatura o bicampeonato da Supercopa - Gazeta Esportiva». Gazeta Esportiva. 7 de outubro de 2016. Consultado em 8 de dezembro de 2020 
  35. «Rio bate Minas no tie-break e conquista o tri da Supercopa de vôlei - Gazeta Esportiva». Gazeta Esportiva. 13 de outubro de 2017. Consultado em 8 de dezembro de 2020 
  36. Pantaleão, Gabriela (8 de outubro de 2018). «Roberta dita ritmo, Sesc/Rio vence Fluminense e conquista título do Carioca». Globoesporte. Consultado em 8 de dezembro de 2020 
  37. «MVP Boskovic leads Dream Team of Club Worlds in Manila». FIVB (em inglês). 23 de outubro de 2016. Consultado em 14 de maio de 2017. Cópia arquivada em 14 de maio de 2017 

Ligações externasEditar