Abrir menu principal

Grande Prêmio da Bélgica de 2017


Grande Prêmio da Bélgica de F-1 2017
Spa-Francorchamps of Belgium.svg
Grande Prêmio da Bélgica de 2017.
Detalhes da corrida
Data 27 de agosto de 2017
Nome oficial 2017 Formula 1 Pirelli Belgian Grand Prix
Local Spa-Francorchamps, Spa, Bélgica
Total 44 voltas / 308.052 km
Pole
Piloto
Reino Unido Lewis Hamilton Mercedes
Tempo 1:42.553
Volta mais rápida
Piloto
Alemanha Sebastian Vettel Ferrari
Tempo 1:46.577 (na volta 41)
Pódio
Primeiro
Reino Unido Lewis Hamilton Mercedes
Segundo
Alemanha Sebastian Vettel Ferrari
Terceiro
Austrália Daniel Ricciardo Red Bull-TAG Heuer

Grande Prêmio da Bélgica de 2017 (formalmente denominado 2017 Formula 1 Pirelli Belgian Grand Prix) é a décima segunda etapa da temporada de 2017 da Fórmula 1. Foi disputada em 27 de agosto de 2017 no Circuito de Spa-Francorchamps, Spa, Bélgica.[1]

Índice

RelatórioEditar

Treino ClassificatórioEditar

Q1

A primeira parte do treino classificatório começou com um revezamento entre Mercedes e Ferrari nas quatro primeiras posições. Hamilton então assumiu a ponta com o tempo de 1m44s184, seguido muito de perto por Vettel, com o alemão apenas 0s091 atrás. Correndo "em casa", Verstappen se intrometeu entre as duas equipes que brigam pelo título, anotando a terceira melhor marca: 1m44s535. Destaque negativo para a dupla da Williams, que não conseguiu passar para o Q2, com Massa em 16º e Stroll em 18º.

Eliminados:Felipe Massa (Williams), Pascal Wehrlein (Toro Rosso), Lance Stroll (Williams), Pascal Wehrlein (Sauber) e Marcus Ericsson (Sauber).

Q2

Hamilton repetiu o bom desempenho do Q1 e anotou mais uma vez a melhor volta rápida: 1m42s927, com Bottas em segundo. Desta vez, porém, Raikkonen foi a Ferrari mais próxima do inglês, 0s773 mais lento, em terceiro. Verstappen veio em quarto, seguido de Vettel em uma modesta quinta colocação. A grande surpresa foi a presença de Palmer entre os dez primeiros, na sétima posição com o tempo de 1m44s447, enquanto o companheiro de equipe Hulkenberg foi o nono.

Eliminados:Stoffel Vandoorne (McLaren-Honda), Romain Grosjean (Haas), Kevin Magnussen (Haas), Carlos Sainz Jr. (Toro Rosso) e Stoffel Vandoorne(McLaren-Honda).

Q3

O Q3 começou com uma impressionante falta de sorte para Palmer, que abandonou o treino logo no início graças a um problema no câmbio da Renault. Na briga pela pole position, Hamilton não deu a mínima chance para os rivais, conquistando o primeiro lugar no grid com o tempo de 1m42s553. Vettel dividirá a primeira fila com o principal rival na briga pelo título, enquanto Bottas sai em terceiro e Raikkonen em quarto. Na terceira fila ficaram os carros da RBR, sendo Verstappen o quinto e Ricciardo o sexto.

 
Grid de Largada

CorridaEditar

A largada era um dos pontos-chave da corrida quanto à luta pela vitória entre Hamilton e Vettel. O pole-position largou bem e manteve a dianteira, ainda que Seb tenha buscado vácuo no fim da grande reta Kemmel. Mas Lewis se segurou na frente e começou a abrir vantagem. Os dois carros da Force India se tocaram rumo à Eau Rouge, com Esteban Ocon chegando a tocar no muro. Destaque para a grande largada de Alonso, que pulou de décimo para sétimo ainda na primeira volta. Duas voltas depois, Hülkenberg também aproveitava o vácuo para superar o bicampeão. Massa aparecia em P14, enquanto Pascal Wehrlein abandonava.

Alonso, aliás, era presa fácil por conta da enorme fragilidade do motor Honda em termos de potência: "É vergonhoso, muito vergonhoso", bradou o bicampeão, que era ultrapassado também por Sergio Pérez, Ocon e Romain Grosjean, caindo para 11º. Lá na frente, Hamilton tentava abrir caminho, mas Vettel ainda mantinha o rival na alça de mira. E Max Verstappen, correndo em casa, voltava a lidar com o azar na temporada. Por conta de perda de potência no motor Renault-TAG Heuer, o holandês, nascido na Bélgica, encostou na subida da reta Kemmel e abandonou. "Não acredito", disparou o jovem após enfrentar seu sexto abandono em 2017.

Com os pneus ultramacios bem desgastados, sobretudo os dianteiros, Hamilton começava a perder um pouco de ritmo e Vettel aproveitava a chance para apertar e fazer a melhor volta da corrida, reduzindo para 1s7 a dianteira do rival. A Ferrari lidava melhor com os pneus em relação ao carro da Mercedes. Assim, Lewis entrou no pit-lane na abertura da volta 13 e calçou seu #44 com pneus macios para tentar ir até o fim sem fazer outro pit-stop. O britânico voltava em quarto e Vettel assumia a liderança.

Bottas parou na volta seguinte e repetiu a estratégia adotada pela Mercedes para Hamilton. A Ferrari então finha uma momentânea dobradinha, com Vettel à frente de Räikkönen. Até que Seb fez seu pit-stop e também abriu seu segundo stint com os macios. Kimi tomou a ponta, mas logo foi ultrapassado por Hamilton, que aproveitou o vácuo desde a saída da Eau Rouge. Quando o finlandês, investigado por não respeitar trecho sinalizado com bandeira amarela, fez sua parada, a luta voltou a ser direta entre Hamilton e Vettel.

Räikkönen foi punido com um stop-and-go de 10s pela irregularidade e ficava praticamente fora da luta pelo pódio. Antes, Pérez brilhava após dupla ultrapassagem sobre dupla sobre Carlos Sainz e Romain Grosjean, mas depois cortou a Les Combes ao não conseguir frear. Por isso, o mexicano tomou uma punição de 5s. E Alonso, de 'saco cheio' pela falta de competitividade, era bem claro: "Não quero mais saber de rádio durante o resto da corrida", disse em conversa com os engenheiros da McLaren.

O fato era que Hamilton não conseguia desgarrar de Vettel e sequer tinha 2s de frente para o alemão. Seb vinha em uma posição confortável e, ao mesmo tempo, estava cada vez mais perto do rival. Bottas, bem mais atrás, fazia uma corrida solitária e aparecia em terceiro, seguido por Daniel Ricciardo e Hülkenberg, com Räikkönen em sexto. Na metade da prova, Massa vinha em 11º, logo à frente de Alonso.

Kimi, aliás, passava Hülkenberg e voltava ao top-5 da corrida, partindo para cima de Ricciardo para amenizar o estrago e somar alguns pontos importantes para a Ferrari. E Alonso, claramente insatisfeito, deixava a prova. E culpava o desempenho do motor Honda.

Ainda restava muita corrida pela frente. Na volta 30, Pérez e Ocon voltaram a se estranhar, novamente no trecho onde os dois se chocaram no início do GP. O mexicano fechou a porta para o companheiro de equipe novamente. Mas Ocon não aliviou e não conseguiu evitar o choque. Pérez levou a pior e teve o pneu traseiro esquerdo furado. Clima de guerra na Force India. O incidente espalhou tantos detritos na pista que a intervenção do safety-car foi inevitável.

Com a bandeira amarela, a maioria dos pilotos foi aos boxes para trocar pneus. E aí Mercedes e Ferrari foram com estratégias diferentes. Hamilton voltou à pista com pneus macios, contra ultramacios de Vettel e Räikkönen. Assim, a luta pela vitória estava bem longe de ser definida. A Mercedes não tinha pneus ultramacios sobrando. Tal cenário indicava um cenário bem mais favorável a Vettel.

Na relargada, ocorrida quando restavam dez voltas para o fim, Vettel tentou tudo: entrou na La Source colado em Hamilton e assim foi por toda a reta. O tetracampeão tentou o bote final na Les Combes, mas Lewis fechou a porta e se segurou na liderança mesmo com pneus mais lentos que o do rival. Mais atrás, Ricciardo deu o bote e conseguiu subir para terceiro lugar, à frente de Räikkönen e Bottas.

No fim, Vettel apertou ao máximo e andou praticamente em ritmo de classificação. Tudo para aproveitar os pneus ultramacios e pressionar Hamilton. Mas Lewis foi brilhante e garantiu a dianteira para confirmar uma grandiosa vitória em Spa-Francorchamps, vencendo um grande confronto envolvendo os dois grandes nomes da F1 na atualidade.

 
Resultado da corrida

PneusEditar

Os compostos de pneus fornecidos pela Pirelli para este Grande Prêmio[2]
Nome do composto Cor Banda de rolamento Condições de Tempo Dry Type Aderência Longevidade
Ultra Macio*   Slick
(P Zero)
Seco Ultrasoft Mais aderência Menos durável
Super Macio   Slick
(P Zero)
Seco Supersoft Mais aderência Menos durável
Macio   Slick
(P Zero)
Seco Soft Médio Médio
Intermediário   Sulcos
(Cinturato)
Molhado Intermediate
(água não estagnante)
Chuva   Sulcos
(Cinturato)
Molhado Wet
(água estagnante)

ResultadosEditar

Treino ClassificatórioEditar

Pos. Piloto Construtor Q1 Q2 Q3 Grid
1 44   Lewis Hamilton Mercedes 1:44.184 1:42.927 1:42.553 1
2 5   Sebastian Vettel Ferrari 1:44.275 1:43.987 1:42.795 2
3 77   Valtteri Bottas Mercedes 1:44.773 1:43.249 1:43.094 3
4 7   Kimi Räikkönen Ferrari 1:44.729 1:43.700 1:43.270 4
5 33   Max Verstappen Red Bull-TAG Heuer 1:44.535 1:43.940 1:43.380 5
6 3   Daniel Ricciardo Red Bull-TAG Heuer 1:45.114 1:44.224 1:43.863 6
7 27   Nico Hülkenberg Renault 1:45.280 1:44.988 1:44.982 7
8 11   Sergio Pérez Force India-Mercedes 1:45.591 1:44.894 1:45.244 8
9 31   Esteban Ocon Force India-Mercedes 1:45.277 1:45.006 1:45.369 9
10 30   Jolyon Palmer Renault 1:45.447 1:44.685 S/Tempo 14 1
11 14   Fernando Alonso McLaren-Honda 1:45.668 1:45.090 10
12 8   Romain Grosjean Haas-Ferrari 1:45.728 1:45.133 11
13 20   Kevin Magnussen Haas-Ferrari 1:45.535 1:45.400 12
14 55   Carlos Sainz Jr. Toro Rosso 1:45.374 1:45.439 13
15 2   Stoffel Vandoorne McLaren-Honda 1:45.441 S/Tempo 20 2
16 19   Felipe Massa Williams-Mercedes 1:45.823 16 3
17 26   Daniil Kvyat Toro Rosso 1:46.028 19 4
18 18   Lance Stroll Williams-Mercedes 1:46.915 15
19 9   Marcus Ericsson Sauber-Ferrari 1:47.214 17 1
20 94   Pascal Wehrlein Sauber-Ferrari 1:47.679 18 1
Tempo dos 107%: 1:51.476
Fonte: [3]
Notas

↑1 - Jolyon Palmer, Marcus Ericsson e Pascal Wehrlein foram punidos pela perda de 5 posições por trocar de câmbio.

↑2 - Stoffel Vandoorne recebeu uma série de penalidades totalizando 65 posições por exceder a cota de unit elements and an unscheduled gearbox change.

↑3 - Felipe Massa recebeu uma punição de 5 posições por ultrapassar no Treino Livre uma bandeira amarela[N 1]

↑4 - Daniil Kvyat recebeu uma punição de 20 posições por exceder a cota de power unit elements.

CorridaEditar

Pos. Nu. Piloto Construtor Voltas Tempo/Retirado Grid Pontos
1 44   Lewis Hamilton Mercedes 44 1:24:42.820 1 25
2 5   Sebastian Vettel Ferrari 44 +2.358 2 18
3 3   Daniel Ricciardo Red Bull-TAG Heuer 44 +10.791 6 15
4 7   Kimi Räikkönen Ferrari 44 +14.471 4 12
5 77   Valtteri Bottas Mercedes 44 +16.456 3 10
6 27   Nico Hülkenberg Renault 44 +28.087 7 8
7 8   Romain Grosjean Haas-Ferrari 44 +31.553 11 6
8 19   Felipe Massa Williams-Mercedes 44 +36.649 16 4
9 31   Esteban Ocon Force India-Mercedes 44 +38.154 9 2
10 55   Carlos Sainz Jr. Toro Rosso 44 +39.447 13 1
11 18   Lance Stroll Williams-Mercedes 44 +48.999 15
12 26   Daniil Kvyat Toro Rosso 44 +49.940 19
13 30   Jolyon Palmer Renault 44 +53.239 14
14 2   Stoffel Vandoorne McLaren-Honda 44 +57.078 20
15 20   Kevin Magnussen Haas-Ferrari 44 +1:07.262 12
16 9   Marcus Ericsson Sauber-Ferrari 44 +1:09.711 17
17 11   Sergio Pérez Force India-Mercedes 42 Acidente 8
Ret 14   Fernando Alonso McLaren-Honda 25 Unid. de potência 10
Ret 33   Max Verstappen Red Bull-TAG Heuer 8 Unid. de potência 5
Ret 94   Pascal Wehrlein Sauber-Ferrari 2 Suspensão 18
Fonte: [4][5]

Voltas na LiderançaEditar

Outros projetos Wikimedia também contêm material sobre este tema:
  Categoria no Commons
Nº de Voltas Piloto Voltas
44   Lewis Hamilton 1-44

CuriosidadesEditar

Lewis Hamilton igualou o recorde de poles de Michael Schumacher.[6]

2017 DHL Fastest Pit Stop AwardEditar

ResultadoEditar

Pos. Nu. Piloto Construtor Tempo Pontos
1 44   Lewis Hamilton Mercedes 2.35 25
2 26   Daniil Kvyat Toro Rosso 2.36 18
3 5   Sebastian Vettel Ferrari 2.50 15
4 19   Felipe Massa Williams-Mercedes 2.51 12
5 20   Kevin Magnussen Haas-Ferrari 2.62 10
6 8   Romain Grosjean Haas-Ferrari 2.64 8
7 7   Kimi Räikkönen Ferrari 2.70 6
8 77   Valtteri Bottas Mercedes 2.80 4
9 31   Esteban Ocon Force India-Mercedes 2.85 2
10 3   Daniel Ricciardo Red Bull-TAG Heuer 2.93 1
Fonte: [7]

ClassificaçãoEditar

Tabela do campeonato após a corridaEditar

Somente as cinco primeiras posições estão incluídas nas tabelas.

Referências

  1. «2017 Formula 1 Pirelli Belgian Grand Prix» (em inglês). Formula 1.com 
  2. «Pirelli announces compound choices and mandatory sets for the 2017 Grands Prix in Belgium and Japan» (em inglês). Pirelli.com. 22 de junho de 2017. Arquivado do original em 25 de junho de 2017 
  3. «2017 FORMULA 1 PIRELLI BELGIAN GRAND PRIX - QUALIFYING» (em inglês). Formula1.com. 26 de agosto de 2017. Consultado em 26 de agosto de 2017 
  4. «2017 FORMULA 1 PIRELLI BELGIAN GRAND PRIX - RACE RESULT» (em inglês). Formula1.com. 27 de agosto de 2017. Consultado em 27 de agosto de 2017 
  5. «Belgian Grand Prix: Hamilton resists F1 title rival Vettel for win» (em inglês). Autosport. 27 de agosto de 2017. Consultado em 2 de setembro de 2017 
  6. «Hamilton faz a pole na Bélgica, iguala Schumacher e chora; Massa: 18º» 
  7. «2017 DHL Fastest Pit Stop Award» (em inglês). Formula1.com. 26 de março de 2017 
Prova Anterior:
GP da Hungria de 2017
Campeonato do Mundo FIA de Fórmula 1
Temporada 2017
Próxima Prova:
GP da Itália de 2017

Prova Anterior:
GP da Bélgica de 2016
Grande Prêmio da Bélgica Próxima Prova:
GP da Bélgica de 2018


Erro de citação: Existem elementos <ref> para um grupo chamado "N", mas não foi encontrado nenhum <references group="N"/> correspondente (ou falta um elemento de fecho </ref>)