Irene Ravache

atriz brasileira

Irene Yolanda Ravache Paes de Melo (Rio de Janeiro, 6 de agosto de 1944) é uma atriz e diretora brasileira. Reconhecida como uma das melhores atrizes do país, venceu o Troféu APCA sete vezes, duas vezes o Troféu Imprensa, uma Troféu Candango e foi indicada ao Emmy Internacional e ao Grande Prêmio do Cinema Brasileiro.

Irene Ravache
Irene Ravache, 2013
Nome completo Irene Yolanda Ravache Paes de Melo
Nascimento 6 de agosto de 1944 (76 anos)
Rio de Janeiro, RJ
Nacionalidade brasileira
Ocupação
Atividade 1961–presente
Outros prêmios

É conhecida pelo grande público por sua atuação na televisão, como em A Viagem (1975), Sol de Verão (1982), Éramos Seis (1994), Eterna Magia (2007) e Além do Tempo (2015), e nos cinemas, por filmes como Lição de Amor (1975), Que Bom Te Ver Viva (1989), Depois Daquele Baile (2007) e Entre Abelhas (2015).

BiografiaEditar

Filha de Carlos Alberto Ravache e Lígia Ravache, desde criança sonhava em ser atriz. Em 1962, começou a fazer um curso de interpretação na Fundação Brasileira de Teatro, a FBT. Em 1963 casou-se com seu noivo, e se formou em seu curso profissional. Em 1964 iniciou um novo curso de interpretação com Gianni Ratto, no Teatro dos Quatro, se formando em 1965. Nesse mesmo ano, aos 21 anos, teve seu primeiro filho: Hiram Ravache. No fim da década de 1960 não estava mais conciliando casamento e carreira, e se desentendia muito com o marido, e assim optaram pelo divórcio. Na década de 1970, aprimorando cada vez mais sua carreira, torna-se aluna de técnica vocal de Glorinha Beuttenmüller, no chamado Método Espaço Direcional. Fez todos seus cursos no Rio de Janeiro, até que viajou para São Paulo e passou a frequentar aulas de Butoh com a atriz Maura Baiochi. Também no início dos anos 70 começou a namorar Edison Paes de Melo Filho. Foram viver juntos em 1972. Em 1973, aos 29 anos, teve seu segundo filho: Juliano Ravache Paes de Melo.

Em entrevistas disse ter passado muitos problemas com seu filho Hiram, que era um bom menino, mas que na adolescência se envolveu com drogas, causando sofrimento a ela e aos seus familiares. Foram muitos anos lutando para tirar o filho das drogas, e um dia, finalmente conseguiu.[1] Irene tem três netos: o ator Cadu Libonati, nascido em 1994, filho de Hiram; Maria Luiza Ravache, nascida em 2001, e mais recentemente, Helena, ambas filhas de Juliano. Irene se casou oficialmente com Edison aos 50 anos, quando o marido preparou uma festa de casamento surpresa no dia do batizado do neto da atriz.[1]

CarreiraEditar

Carreira na televisãoEditar

 
Irene trabalhou com a atriz Eva Wilma em A Viagem (1975).

Iniciou sua trajetória em 1965 na telenovela Paixão de Outono e, no ano seguinte, esteve no elenco de Eu Compro Esta Mulher, obras da Rede Globo.[2][3] Em 1967, foi para a TV Excelsior interpretar Zuleica e Gina em O Grande Segredo e Sublime Amor, respectivamente.[4][5] Concluiu a década como Neide em Beto Rockfeller e como Majô Prado em Super Plá, ambos da TV Tupi.[6][7]

No início década de 1970, interpretou Inês na telenovela Simplesmente Maria, além de viver Cláudia na Na Idade do Lobo e novamente a Neide em A Volta de Beto Rockfeller.[8][9][10] Em 1974, deu vida a Dinorá em O Machão e, no ano seguinte, esteve A Viagem como Estela, personagem que lhe garantiu o Troféu APCA como Melhor Atriz.[11][12][13] Encerrou o decênio nos papéis de Teresa em O Profeta e Zeny em Cara a Cara, esta última, na TV Bandeirantes.[14][15]

Na década de 1980, retornou para a Rede Globo fazendo participação especial na telenovela Elas por Elas como amiga de Márcia e Sol de Verão como Rachel, esta última, lhe consagrou como Melhor Atriz no Troféu Imprensa e Troféu APCA.[13][16][17][18] Em 1983, foi Antônia Regina em Champagne (indicada como Melhor Atriz no Troféu Imprensa) e, no ano seguinte, fez aparição como Bárbara em Guerra dos Sexos.[19][20][21] Em 1985, foi Madame em Ti Ti Ti, fechando seu trabalho neste período como Leonora em Sassaricando.[22][23]

Na década de 1990, foi para o SBT para atuar na telenovela Brasileiras e Brasileiros.[24] Em 1994, foi Dona Lola em Éramos Seis, papel de destaque sendo eleita como Melhor Atriz no Troféu Imprensa e Troféu APCA.[13][25][26] No ano seguinte, encarnou na pele da Princesa Isabel em Sangue do Meu Sangue.[27] Em 1996, deu vida a Luzia em Razão de Viver e, três anos mais tarde, voltou para a Rede Globo como Eleonor em Suave Veneno.[28][29]

Na década de 2000, foi para a RecordTV viver Dete na telenovela Marcas da Paixão.[30] Em 2003, retornou para a emissora global como Madalena Aguilar na minissérie A Casa das Sete Mulheres.[31] Dois anos mais tarde, foi a grega Katina em Belíssima.[32] Em 2007, deu vida às personagens Beatriz de Amazônia, de Galvez a Chico Mendes e Loreta em Eterna Magia, esta última, sendo indicada na 36.ª edição do Prêmio Emmy Internacional.[33][34][35] No ano seguinte, participou da série Dicas de um Sedutor como Dolores nos episódios "Amor Nío Tem Idade" e "Amor e Amizade"; além de viver Nadir em Faça Sua História.[36][37][38] Concluiu a década como Letícia em Tudo Novo de Novo, no episódio "Duas Irmãs".[39]

No início da década de 2010, interpretou Clô na telenovela Passione, papel em destaque que lhe garantiu, pela quarta vez na carreira, o Troféu APCA como Melhor Atriz; além de participar da série A Mulher Invisível como Vera.[13][40][41] Em 2012, foi Charlô no remake de Guerra dos Sexos e, posteriormente, fez participação em Malhação Sonhos.[42][43] Três anos mais tarde, participou como Condessa Vitória Castellini em Além do Tempo.[44] Em 2017, deu vida a Sabine em Pega Pega.[45] Em 2018, foi Margot e Hildegard em Espelho da Vida e, dois anos mais tarde foi Tereza em Éramos Seis.[46][47]

Carreira no cinemaEditar

Estreou nas telonas em 1972 em Geração de Fuga como Malu.[48] Três anos mais tarde, esteve no elenco de Lição de Amor como Dona Laura, papel reconhecido com o Troféu APCA como Melhor Atriz Coadjuvante.[49] Em 1978, concluiu a década em Doramundo como Dora e fez uma participação especial como Lua em Curumim.[50][51] Retornou ao cinema em 1989 no longa Que Bom Te Ver Viva, personagem que garantiu o Festival de Brasília na categoria de Melhor Atriz.[52] Em 1997, participou da obra Ed Mort como Carmen.[53]

Em 2001, fez parte do filme Amores Possíveis como a mãe Sônia, papel consagrado como Melhor Atriz Coadjuvante pelo Festival de Cinema Brasileiro de Miami.[54][55] Dois anos depois, estava no elenco de Viva Sapato! como Isolda.[56] Em 2006, participou como a viúva Dóris em Depois Daquele Baile; voltando as telonas seis anos mais tarde em A Memória Que Me Contam como Irene.[57][58] Em 2014, participou dos longas Os Homens São de Marte... e É pra lá que Eu Vou; Irmã Dulce e Yvone Kane.[59][60][61] No ano seguinte, interpretou a mãe de Bruno em Entre Abelhas.[62]

FilmografiaEditar

TelevisãoEditar

Ano Título Personagem Notas
1965 Paixão de Outono Lígia Ribeiro Moraes
1966 Eu Compro Esta Mulher Helena de Bragança (Lena)
1967 O Grande Segredo Zuleica Batista
Sublime Amor Regina Cardoso (Gina)
1968 Beto Rockfeller Neide
1969 Super Plá Maria Joana Prado (Majô Prado)
1970 Simplesmente Maria Inês Villar Cunha
Ritinha Salário Minimo -
1972 Na Idade do Lobo Cláudia Carneiro Mota
1973 A Volta de Beto Rockfeller Neide
1974 O Machão Dinorá de Moura Jordão
1975 A Viagem Estela Veloso Sousa
1977 O Profeta Teresa Ribeiro
1979 Cara a Cara Zeny Diniz
1982 Elas por Elas Amiga de Márcia Episódio: "12 de junho"
Sol de Verão Rachel Noronha Teixeira
1983 Champagne Antônia Regina Toledo
1984 Guerra dos Sexos Bárbara Episódios: "5–6 de janeiro"
1985 Ti Ti Ti Madame Rica Episódio: "2 de novembro"
1987 Sassaricando Leonora Lammar
1990 Brasileiras e Brasileiros Mirone Pereira Carvalho
1994 Éramos Seis Eleonora Abílio de Lemos (Lola)
1995 Sangue do Meu Sangue Princesa Isabel Episódio: "11 de julho"
1996 Razão de Viver Luzia dos Santos Matos
1999 Suave Veneno Eleonor Bergantes Cerqueira
2000 Marcas da Paixão Odete Gardelha Flores (Dete)
2003 A Casa das Sete Mulheres Madalena Aguilar Episódio: "8 de fevereiro"
2005 Belíssima Katina Solomos Güney
2007 Amazônia, de Galvez a Chico Mendes Beatriz Montez
Eterna Magia Loreta O'Neill
2008 Dicas de um Sedutor Dolores Episódio: "Amor Não Tem Idade"
Episódio: "Amor e Amizade"
Faça Sua História Nadir Carvalho
2009 Tudo Novo de Novo Letícia Padilha Episódio: "Vende-se"
Episódio: "Evasões"
2010 Passione Clotilde Yolanda Souza e Silva (Clô)
2011 A Mulher Invisível Vera Lúcia Amorim Episódio: "8 de novembro"
2012 Guerra dos Sexos Charlotte de Alcântara Pereira Barreto (Charlô II)
2014 Malhação Sonhos Ela mesma Episódio: "18 de novembro"
2015 Além do Tempo Condessa Vitória Castellini
Vitória Ventura
2017 Pega Pega Sabine Favre
Os Dias Eram Assim Ela mesma Episódio: "8 de setembro"
2018 Espelho da Vida Margot Marques Dutra[63]
Hildegard Breton[64]
2020 Éramos Seis Tereza[65] Episódios: "24–25 de março"

CinemaEditar

Ano Título Personagem Notas
1973 Geração em Fuga Maria Luisa "Malu"
1974 O Supermanso
1975 Lição de Amor Laura Costa Ven - Troféu APCA de melhor atriz coadjuvante
1978 Doramundo Ana
Curumim Irene
1989 Que Bom Te Ver Viva Personagem anônima Ven - Troféu Candango de Melhor Atriz
1997 Ed Mort Carmem
1999 Até que a Vida nos Separe mãe de Maria
2001 Amores Possíveis Sônia (mãe de Carlos) Ind - Grande Prêmio do Cinema Brasileiro
2003 Viva Sapato! Isolda
2006 Depois Daquele Baile Dóris
2012 A Memória que me Contam Irene
2014 Os Homens São de Marte... e É pra lá que Eu Vou Maria Alice Dantas
Irmã Dulce Madre Provincial
Yvone Kane Sara Ind - Prémios Áquila de melhor atriz coadjuvante
2015 Entre Abelhas mãe do Bruno
2017 Alguém Como Eu Miranda

TeatroEditar

Como atrizEditar

  • 1962 - Aconteceu em Irkutsk
  • 1963 - Eles Não Usam Black-Tie, de Gianfrancesco Guarnieri
  • 1963 - Aonde Vais, Isabel?
  • 1966 - Pindura Saia
  • 1968 - A Cozinha, de Arnold Wesker - Direção de Antunes Filho
  • 1971 - A Ratoeira
  • 1972 - Os Inocentes
  • 1975 - Roda Cor de Roda
  • 1977 - Os Filhos de Kennedy
  • 1978 - Bodas de Papel
  • 1980 - Tem Um Psicanalista na Nossa Cama
  • 1980 - Pato com Laranja
  • 1981 - Afinal Uma Mulher de Negócios, de Rainer Werner Fassbinder
  • 1982 - Filhos do Silêncio
  • 1984 - De braços abertos, de Maria Adelaide Amaral
  • 1989 - Uma Relação Tão Delicada
  • 1995 - Eu Me Lembro
  • 1996 - Brasil S/A
  • 1997 - Inseparáveis
  • 2001 - Intimidade Indecente
  • 2008 - A Reserva, de Marta Góes - Direção de Regina Galdino
  • 2014/2015 - Meu Deus!, de Anat Gov
  • 2019 - Alma despejada, de Andréa Bassitt

Como diretoraEditar

  • 1979 - As Avestruzes
  • 1979 - A Gema do Ovo da Ema
  • 1995 - Beijo de Humor, de sua autoria
  • 1995 - Clarice em Casa
  • 1998 - As Vantagens de Ser Bobo

Prêmios e indicaçõesEditar

Ravache é reconhecida como uma das melhores atrizes de sua geração e do país. Em 1975, venceu seu primeiro Prêmio Molière, o maior da do teatro à época, como melhor atriz por Roda Cor de Roda. No mesmo ano venceu os prêmios APCA e Governador do Estado.[66]

Em 1976, conquistou uma estatueta do mais importante prêmio da televisão brasileira, o Prêmio APCA de Televisão, na categoria melhor atriz por seu papel em A Viagem. Irene voltou a ser laureada com tal prêmio por mais 3 vezes na mesma categoria: em 1983 levou o prêmio por Sol de Verão, em 1995 levou o prêmio por Dona Lola de Éramos Seis e em 2011 por Passione. Em 2015 voltou a ser indicada na categoria por Além do Tempo.[67][68]

Foi vencedora do Troféu Imprensa por duas edições, em 1983 por Sol de Verão e em 1995 por Éramos Seis. Em 1992, ganhou um Prêmio Shell, de teatro, como melhor atriz pela peça Uma Relação Tão Delicada.[69]

Em 2008, Irene foi indicada ao Emmy Awards, considerado o maior prêmio da televisão mundial, por sua atuação em Eterna Magia.[70]

No cinema, Ravache foi reconhecida com o Troféu Candango de Melhor Atriz por Que Bom Te Ver Viva em 1990, pelo mesmo trabalho também levou o APCA de Cinema. Por Amores Possíveis, foi indicada ao Grande Prêmio do Cinema Brasileiro e venceu o Prêmio Guarani, ambos na categoria melhor atriz coadjuvante.

Em 2018, ganhou um Prêmio Extra de Televisão de melhor atriz coadjuvante por Espelho da Vida.[71] Em 2019, foi homenageada com um Troféu Mário Lago pelo conjunto da obra.

Referências

  1. a b [1]
  2. «Paixão de Outono». Memória Globo. Consultado em 27 de agosto de 2020 
  3. «Eu Compro Esta Mulher». Memória Globo. Consultado em 27 de agosto de 2020 
  4. Xavier, Nilson. «O Grande Segredo». Teledramaturgia. Consultado em 27 de agosto de 2020 
  5. Xavier, Nilson. «Sublime Amor». Teledramaturgia. Consultado em 27 de agosto de 2020 
  6. Xavier, Nilson (7 de novembro de 2018). «Há 50 anos, Beto Rockfeller nacionalizou e revolucionou a nossa telenovela». UOL. Consultado em 27 de agosto de 2020 
  7. Xavier, Nilson. «Super Plá». Teledramaturgia. Consultado em 27 de agosto de 2020 
  8. Xavier, Nilson. «Simplesmente Maria». Teledramaturgia. Consultado em 27 de agosto de 2020 
  9. Xavier, Nilson. «Na Idade do Lobo». Teledramaturgia. Consultado em 27 de agosto de 2020 
  10. Xavier, Nilson. «A Volta de Beto Rockfeller». Teledramaturgia. Consultado em 27 de agosto de 2020 
  11. Xavier, Nilson. «O Machão». Teledramaturgia. Consultado em 27 de agosto de 2020 
  12. Costa, Fábio (2018). «A Viagem: os 43 anos do clássico de Ivani Ribeiro». Observatório da TV. Consultado em 27 de agosto de 2020 
  13. a b c d Xavier, Nilson. «APCA». Teledramaturgia. Consultado em 27 de agosto de 2020. Troféu APCA 
  14. Secco, Duh (16 de outubro de 2017). «7 diferenças entre as duas versões de O Profeta; remake da Globo estreou há 11 anos». TV História. Consultado em 27 de agosto de 2020 
  15. Xavier, Nilson. «Cara a Cara». Teledramaturgia. Consultado em 27 de agosto de 2020 
  16. «Ficha Técnica - Elas por Elas». Memória Globo. Consultado em 27 de agosto de 2020 
  17. Santana, André (2017). «Sol de Verão estreava há 35 anos». Observatório da TV. Consultado em 27 de agosto de 2020 
  18. «Troféu Imprensa 1982». Chance de Gol. Consultado em 27 de agosto de 2020 
  19. Xavier, Nilson. «Champagne». Teledramaturgia. Consultado em 27 de agosto de 2020 
  20. «Troféu Imprensa 1983». Chance de Gol. Consultado em 27 de agosto de 2020. Indicada como Melhor Atriz 
  21. «Ficha Técnica - Guerra dos Sexos - 1ª versão». Memória Globo. Consultado em 27 de agosto de 2020 
  22. Xavier, Nilson. «Ti-ti-ti (1985)». Teledramaturgia. Consultado em 27 de agosto de 2020 
  23. «Hora de matar as saudades: veja o antes e o depois do elenco de Sassaricando». Estrelando. 5 de agosto de 2020. Consultado em 27 de agosto de 2020 
  24. Xavier, Nilson. «Brasileiras e Brasileiros». Teledramaturgia. Consultado em 27 de agosto de 2020 
  25. «Irene e Othon gravam o final de "Éramos Seis"». Folha de S.Paulo. 20 de novembro de 1994. Consultado em 27 de agosto de 2020 
  26. «Troféu Imprensa 1994». Chance de Gol. Consultado em 27 de agosto de 2020 
  27. Costa, Fábio (2019). «Princesa Isabel: no dia da Abolição da Escravatura, relembre atrizes que interpretaram a monarca na TV». Observatório da TV. Consultado em 27 de agosto de 2020 
  28. Secco, Duh (6 de dezembro de 2017). «A novela que o SBT prejudicou: 21 anos do último capítulo de Razão de Viver; relembre trama e bastidores». TV História. Consultado em 27 de agosto de 2020 
  29. Lee, Anna (17 de janeiro de 1999). «Novela é inspirada em 'Rei Lear'». Folha de S.Paulo. Consultado em 27 de agosto de 2020 
  30. «Casamento duplo encerra "Marcas da Paixão"». O Estado de S.Paulo. 12 de novembro de 2000. Consultado em 27 de agosto de 2020 
  31. «Ficha Técnica - A Casa das Sete Mulheres». Memória Globo. Consultado em 27 de agosto de 2020 
  32. «Irene Ravache, Carolina Dieckmann e as melhores frases da semana». UOL Entretenimento. PopTevê. 14 de fevereiro de 2006. Consultado em 27 de agosto de 2020 
  33. «Começa hoje nova fase da minissérie Amazônia». A Tarde. Agência Estado. 15 de março de 2007. Consultado em 27 de agosto de 2020 
  34. Guaraldo, Luciano (13 de maio de 2017). «Há dez anos, Eterna Magia estreava com vilão importado e Paulo Coelho». Notícias da TV. Consultado em 27 de agosto de 2020 
  35. «Brasil emplaca seis indicações ao Emmy Internacional». O Estado de S.Paulo. 13 de outubro de 2018. Consultado em 27 de agosto de 2020 
  36. «Amor nío tem idade, no ar 09/05». Central Globo de Comunicação. 29 de abril de 2008. Consultado em 27 de agosto de 2020 
  37. «Amor e amizade, no ar 23/05». Central Globo de Comunicação. 13 de maio de 2008. Consultado em 27 de agosto de 2020 
  38. «Irene Ravache estréia em "Faça sua História" em outubro». O Tempo. 28 de setembro de 2008. Consultado em 27 de agosto de 2020 
  39. «Irene Ravache entrará no seriado 'Tudo novo de novo', na Globo». O Globo. 29 de maio de 2009. Consultado em 27 de agosto de 2020 
  40. Alves, Guilherme (16 de dezembro de 2010). «Irene Ravache é premiada por personagem na novela Passione». Ofuxico. Consultado em 27 de agosto de 2020 
  41. «Personagem de Luana Piovani vai aparecer vestida de diaba em "A Mulher Invisível"». UOL TV e Famosos. 7 de novembro de 2011. Consultado em 27 de agosto de 2020 
  42. «Remake de 'Guerra dos Sexos' com Tony Ramos e Irene Ravache estreia em El Salvador». Folha de S.Paulo. 17 de fevereiro de 2015. Consultado em 27 de agosto de 2020 
  43. «Irene Ravache grava participação na série». Comunicação Globo. 12 de novembro de 2014. Consultado em 27 de agosto de 2020 
  44. Soares, Louise (12 de julho de 2015). «'Brasileiro tem mania de esquecer as maldades', critica Irene Ravache, vilã da próxima novela das 18h». Folha de S.Paulo. F5 do Rio. Consultado em 27 de agosto de 2020 
  45. Carvalho, Marcelle (13 de dezembro de 2017). «Irene Ravache sobre o sequestro de Dom em 'Pega pega': 'Espero que Sabine seja processada'». Extra. Consultado em 27 de agosto de 2020 
  46. Teixeira, Julia (17 de dezembro de 2018). «Irene Ravache fala de personagem em Espelho da Vida: 'Tem um lado forte'». Consultado em 27 de agosto de 2020 
  47. «Globo promove reencontro de Lola e Júlio e comove web com homenagem ao SBT». Notícias da TV. 25 de março de 2020. Consultado em 27 de agosto de 2020 
  48. «Filmografia - Geração em Fuga». Cinemateca brasileira. Consultado em 27 de agosto de 2020 
  49. «Filmografia - Lição de Amor». Cinemateca brasileira. Consultado em 27 de agosto de 2020 
  50. «Filmografia - Doramundo». Cinemateca brasileira. Consultado em 27 de agosto de 2020 
  51. «Filmografia - Curumin». Cinemateca brasileira. Consultado em 27 de agosto de 2020 
  52. «Filmografia - Que Bom Te Ver Viva». Cinemateca brasileira. Consultado em 27 de agosto de 2020 
  53. «Filmografia - Ed Mort». Cinemateca brasileira. Consultado em 27 de agosto de 2020 
  54. «Filmografia - Amores Possíveis». Cinemateca brasileira. Consultado em 27 de agosto de 2020 
  55. «Amores Possíveis». TV Brasil. 10 de março de 2013. Consultado em 27 de agosto de 2020 
  56. «Viva Sapato! (2004)». RioFilme. Consultado em 27 de agosto de 2020 
  57. «Sessão Brasil: Depois Daquele Baile é o filme desta segunda, dia 15». Rede Globo. 15 de março de 2010. Consultado em 27 de agosto de 2020 
  58. «Estreia: 'A memória que me contam' investiga militância contra ditadura». G1. Reuters. 13 de junho de 2013. Consultado em 27 de agosto de 2020 
  59. Astuto, Bruno (14 de maio de 2014). «"Os Homens são de Marte... e É pra lá que eu vou" chega aos cinemas». ÉPOCA. Consultado em 27 de agosto de 2020 
  60. «Regina Braga e Irene Ravache se enfrentam em 'Irmã Dulce'; veja trecho». G1. 11 de novembro de 2014. Consultado em 27 de agosto de 2020 
  61. Araujo, Inácio (30 de novembro de 2017). «Distâncias permeiam cenas das diversas tramas de 'Yvone Kane'». Folha de S.Paulo. Consultado em 27 de agosto de 2020 
  62. «'Entre Abelhas' explora o outro lado de Fábio Porchat». O Tempo. 29 de abril de 2015. Consultado em 27 de agosto de 2020 
  63. Patrícia Kogut (3 de agosto de 2018). «Irene Ravache volta às novelas em 'Espelho da vida'». O Globo. Consultado em 3 de agosto de 2018 
  64. Redação (21 de setembro de 2018). «Irene Ravache fala sobre personagem em 'Espelho da Vida' e experiência em Minas Gerais». Gshow. Consultado em 23 de setembro de 2018 
  65. Flávio Ricco (12 de março de 2020). «Irene Ravache e Nicette Bruno farão participação especial em Éramos Seis». UOL. Consultado em 12 de março de 2020 
  66. RODA Cor de Roda. In: ENCICLOPÉDIA Itaú Cultural de Arte e Cultura Brasileiras. São Paulo: Itaú Cultural, 2020. Disponível em: Site. Acesso em: 11 de Ago. 2020
  67. «APCA elege os melhores do ano na TV; Verdades Secretas leva mais prêmios». 25 de janeiro de 2017 
  68. « Conheça os finalistas da APCA aos melhores de 2015 na Televisão ». 25 de janeiro de 2017 
  69. UMA Relação Tão Delicada. In: ENCICLOPÉDIA Itaú Cultural de Arte e Cultura Brasileiras. São Paulo: Itaú Cultural, 2020. Disponível em: Site. Acesso em: 11 de Ago. 2020
  70. «Pedro Cardoso e Irene Ravache concorrem ao Emmy». Folha de S.Paulo. 13 de outubro de 2008. Consultado em 25 de janeiro de 2017 
  71. «Prêmio Extra de TV 2018: vote nos melhores da televisão». Extra. Consultado em 17 de março de 2019 

Ligações externasEditar

Outros projetos Wikimedia também contêm material sobre este tema:
  Citações no Wikiquote

Precedida por
Fernanda Montenegro
por Brilhante
Troféu Imprensa de Melhor Atriz
por Sol de Verão

1983
Sucedida por
Fernanda Montenegro
por Guerra dos Sexos
Precedida por
Glória Pires
por Mulheres de Areia
Troféu Imprensa de Melhor Atriz
por Éramos Seis

1995
Sucedida por
Aracy Balabanian
por A Próxima Vítima
Precedida por
-
APCA de Melhor Atriz
com Eva Wilma por A Viagem (1975)

1975
Sucedida por
Renata Sorrah e Yara Cortes
por O Casarão
Precedida por
Fernanda Montenegro por Brilhante
e Lilian Lemmertz por Baila Comigo (telenovela)
APCA de Melhor Atriz
por Sol de Verão

1983
Sucedida por
Fernanda Montenegro
por Guerra dos Sexos
Precedida por
Glória Pires
por Mulheres de Areia
APCA de Melhor Atriz
por Éramos Seis

1995
Sucedida por
Aracy Balabanian por A Próxima Vítima
e Laura Cardoso por Irmãos Coragem
Precedida por
Larissa Maciel
por Maysa - Quando Fala o Coração
APCA de Melhor Atriz
por Passione

2011
Sucedida por
Glória Pires
por Insensato Coração
Precedida por
Dira Paes
por Caminho das Índias
Melhores do Ano de Melhor Atriz Coadjuvante
por Passione

2011
Sucedida por
Cássia Kis Magro
por Morde & Assopra