Meus Filhos, Minha Vida

novela brasileira de 1984 exibida pelo SBT
Disambig grey.svg Nota: Não confundir com Meu Filho, Minha Vida.

Meus Filhos, Minha Vida é uma telenovela brasileira exibida pelo SBT entre 8 de junho de 1984 e 8 de março de 1985.[1] em 237 capítulos, substituindo Vida Roubada e sendo substituída por Jogo do Amor exibida pela emissora.

Meus Filhos, Minha Vida
Informação geral
Formato Telenovela
Duração 30 minutos
Criador(es) Ismael Fernandes
Henrique Lobo
Crayton Sarzy
País de origem  Brasil
Idioma original (em português)
Produção
Diretor(es) Antonino Seabra
Jardel Mello
Elenco Elenco principal

Miriam Pires
Dênis Derkian
Carlo Briani
Raymundo de Souza
Cláudia Alencar
Sônia de Paula
Helena Ramos
Arlete Montenegro
Rogério Márcico
Patrícia Scalvi
Lu Martan
Roberto Scudero
Cleyde Yáconis
Gessy Fonseca
Célia Coutinho
(Ver mais)

Tema de abertura "Obrigado Meu Deus", Agnaldo Rayol
Exibição
Emissora original Brasil SBT
Formato de exibição 480i (SDTV)
Transmissão original 8 de junho de 1984 - 8 de março de 1985
Episódios 237
Cronologia
Vida Roubada
Jogo do Amor

Foi escrita por Ismael Fernandes, Henrique Lobo e Crayton Sarzy e dirigida por Antonino Seabra e Jardel Mello.

EnredoEditar

Conta o drama da batalhadora Luzia Santos Silva, uma viúva que criou sozinha e sustentou com grande dificuldade seus três filhos e sofre ao vê-los seguir maus caminhos. Apesar das provações pelas quais passa, ela tenta ajudar André, Pedro e Mário. Ela passou toda a sua vida se dedicando somente aos seus filhos e sofrerá muito por cada um deles, como toda mãe sofre.

André, o mais velho, após dar golpes na praça, abandona a mãe e os irmãos ao casar por interesse com Olga, uma milionária ciumenta. Mário, o mais novo, participa de um assalto e acaba preso e condenado. Por fim, Pedro, o do meio, se vê obrigado a abandonar a cidade por estar foragido da polícia. Superando os problemas, e apesar das desilusões amorosas que teve durante toda a vida e as grandes injustiças sofridas no trabalho, um trabalho humilde de costureira, Luzia tenta ajudar a encaminhar os filhos. Ela sofre e luta muito para que seus filhos mudem de vida.

Mas ela acaba sozinha e sem nenhum recurso financeiro, abandonada por todos os filhos, passa a viver uma vida de solidão e amargura, sem nenhum amigo ou familiar por perto. Porém, é apegada à fé e à imagem de Nossa Senhora Aparecida, sua única companheira nos péssimos momentos. É muito temente a Deus e jamais desanima, trabalhando muito, pensando sempre positivo e sonhando com um futuro melhor para todos.

ProduçãoEditar

A trama telenovela foi a primeira com trama totalmente original do SBT, escrita por Ismael Fernandes, Henrique Lobo e Crayton Sarzy. Mesmo com a precariedade da produção, a telenovela ficou nove meses no ar, totalizando 237 capítulos. Entretanto o sucesso ficou apenas em sua primeira exibição, já que na segunda a audiência despencou de 12 para apenas 3 pontos de audiência na faixa Novelas da Tarde. A primeira reprise começou antes mesmo da primeira exibição terminar. A terceira e última exibição ocorrida em 1990 ás 18h foi constrangedora para o SBT, já que a produção era visivelmente precária e isso foi percebido pelos telespectadores. Em uma matéria do jornal Folha de São Paulo houve uma dura critica por parte de especialistas que chegavam a comparar a novela com o programa humorístico TV Pirata.

“Reprise de novela, sem querer, imita TV Pirata Velha já de cinco anos, "Meus Filhos, Minha Vida" bem poderia ter servido de inspiração para o "TV Pirata". Fonte inesgotável de chacota, a novela que o SBT reprisa de segunda a sábado, às 18h30, tem cenários que o telespectador torce para não caírem e figurinos que mais parecem a roupa do corpo dos próprios atores. "Meus Filhos" acaba sendo muito mais engraçada do que a média dos programas humorísticos atualmente na TV. Mirian Pires, no papel de Dona Luzia, vive a mãe para quem os filhos representam tudo – inclusive problemas, principalmente de atuação. Atriz que já passou por papéis mais dignos, Míriam amarga mais ainda seu sofrido semblante ao ter que responder às falas atravessadas de seus filhos. Mas ela não está apenas à mercê deles. Todos que contracenam com Míriam não ultrapassam o nível de interpretação de mãe de jogador da seleção brasileira em anúncio de caldo de galinha. Por exemplo, Zilda, pivô da vida dos filhos de Dona Luzia, que acabou se envolvendo com os três irmãos – para a confusão de quem assiste e a desgraça de pelo menos um deles, Pedro, o mecânico. Suas conversas são antológicas – diálogos desencontrados e brancos constrangedores. Em "Meus Filhos", a vida é muito simples. Rico mora no Morumbi, tem motorista e filha problemática. Pobre mora no Brás, dorme tudo no mesmo quarto e vive de fuxico. Tudo bem para os autores. Mas tudo péssimo, para quem assiste.”

A novela ganhou um remake em 1996 chamada Razão de Viver, desta vez a trama era protagonizada por Irene Ravache, Adriana Esteves, Petrônio Gontijo, Gabriel Braga Nunes e Marco Ricca. A mesma também não obteve o mesmo sucesso de sua antecessora.

ReprisesEditar

Foi reprisada pela primeira vez entre 4 de março a 4 de outubro de 1985, às 15h30, em 149 capítulos substituindo Os Ricos Também Choram e sendo substituída por O Direito de Nascer.

Foi reprisada pela segunda vez entre 7 de maio a 3 de novembro de 1990, às 18h30, em 156 capítulos.

AudiênciaEditar

A primeira exibição da telenovela obteve 12,62, tendo um razoável sucesso. A segunda exibição obteve apenas 3,52 e a terceira 6,12 pontos.

ElencoEditar

Participações especiaisEditar

Triha sonoraEditar

Todas as canções da novela foram interpretadas por Agnaldo Rayol, com exceção de Even the Nights Are Better e Therms of Endearment Theme, que são instrumentais.

  • Obrigado meu Deus (Tema de abertura)
  • Champagne
  • É sempre amor (As Time Goes By)
  • Trovador
  • Fascinação

Referências

  1. «"Meus Filhos, Minha Vida"». Teledramaturgia. Consultado em 5 de maio de 2016. Arquivado do original em 5 de junho de 2012 

Ligações externasEditar