Abrir menu principal

RecordTV Belém

Emissora de televisão brasileira de Belém, PA
Question book-4.svg
Esta página cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde novembro de 2016). Ajude a inserir referências. Conteúdo não verificável poderá ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
RecordTV Belém
Rádio e Televisão Marajoara Ltda.
Belém, Pará
Brasil
Tipo Comercial
Canais Digital: 22 UHF
Virtual: 10 PSIP
Outros canais 10 / 519 HD (NET)
8 / 508 HD (Roma Cabo)
ver mais
Analógico:
10 VHF (1997-2018)
Sede Bandeira de Belém.svg Belém, PA
Slogan Reinventar é a nossa marca
Rede RecordTV
Fundador Edir Macedo
Pertence a Grupo Record
Proprietário Edir Macedo
Presidente Luiz Cláudio Costa
Fundação 10 de junho de 1997 (22 anos)
Prefixo ZYB 204
Nome(s) anteriore(s) TV Record Pará (1997-2008)
TV Record Norte (2008-2009)
TV Record Belém (2009-2016)
Cobertura Cerca de 71% do estado do Pará
Coord. do transmissor 1° 27' 44.9" S 48° 29' 30.7" O
Potência 6 kW
Agência reguladora ANATEL
Informação de licença
CDB
PDF
Página oficial recordbelem.com.br

RecordTV Belém é uma emissora de televisão brasileira sediada em Belém, capital do estado do Pará. Opera no canal 10 (22 UHF digital), e é uma emissora própria da RecordTV.

HistóriaEditar

AntecedentesEditar

 Ver artigo principal: TV Guajará

Antes da inauguração da Record Pará, em 1997, a Rede Record foi retransmitida no estado, nos períodos de 1967 à 1969 e 1990 à 1995, pela TV Guajará. A TV Guajará entrou no ar em 1967 com uma programação totalmente local, de apenas 3 horas por dia, ao contrário da concorrente TV Marajoara, canal 2, que entrou no ar em 1961 retransmitindo a Rede Tupi.

Ainda em 1967, a TV Guajará passa a retransmitir a REI (Rede de Emissoras Independentes), lideradas pela Rede Record. Com isso, a emissora amplia sua programação, exibindo programas, séries e telejornais gravados direto da cidade de São Paulo, que eram trazidos de avião para Belém, pois não havia transmissões de micro-ondas e satélite.

Em 1969 a TV Guajará deixa a REI para retransmitir a Rede Globo. Em 1º de novembro de 1990, após afiliar-se por 7 anos à Rede Globo e 14 anos à Rede Bandeirantes, a TV Guajará volta a retransmitir a Rede Record. A parceria entre as duas emissoras dura até 1º de novembro de 1995, quando a TV Guajará, após ser vendida à Assembléia de Deus, é renomeada Boas Novas Belém, e passa a retransmitir a programação da Rede Boas Novas. na época afiliada à CNT.

TV MarajoaraEditar

Outra fase da história da Record em Belém, é quando o empresário,cantor e apresentador Carlos Santos, decide montar sua emissora de TV.[1] Na época, ele conseguiu a concessão para atuar pelo canal 10, porém vários problemas técnicos e administrativos o impediram que continuasse com seu plano. A Rede Record, então ofereceu uma proposta de compra da concessão e dos bens que já haviam sido construídos.[2] O canal foi comprado em 1996 por US$ 3,5 milhões.[3]

1997-2009: Record Pará e Record NorteEditar

A TV Record Pará foi criada em 10 de junho de 1997, pouco mais de 2 anos após o fim da TV Guajará e mais de um ano e meio sem o sinal da Rede Record na região, já que não havia nenhuma emissora disponível na região para substituir a antiga emissora. Anos depois, a Record Pará se tornou a principal retransmissora da Record no norte do Brasil. Sua área de cobertura é de cerca de 71% dos lares paraenses.

No dia 7 de janeiro de 2008, a Record Pará passa a se chamar Record Norte. Há também a inauguração dos novos estúdios da emissora, entre eles a "newsroom", que funciona como pólo de jornalismo da emissora em alcance local e regional. A programação local também é reformulada, com a estréia de novos programas e telejornais.[4][5] Em 2009 a emissora volta a se chamar Record Belém.

A emissora obteve expressivos índices de audiência, e por conta disso ganhou grande destaque nos telejornais e programas da Rede Record a nível nacional.[6] Em alguns momentos conquistou a liderança na capital.[7][8]

Em janeiro de 2014, jornalistas do canal receberam o Prêmio Sistema Fiepa de Jornalismo 2013, iniciativa do Sistema Fiepa, formado pela Federação das Indústrias do Estado do Pará (FIEPA), Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI), Serviço Social da Indústria (SESI) e Instituto Euvaldo Lodi (IEL).[9] Em 24 de novembro de 2016, com a reformulação da marca da rede, passou a se chamar RecordTV Belém.

Sinal digitalEditar

Canal virtual Canal digital Resolução de tela Programação
10.1 22 UHF 1080i Programação principal da RecordTV Belém / RecordTV

No dia 10 de maio de 2012 a Record Belém estreou sua programação local em alta definição, sendo a primeira emissora regional com programação nesse formato.

Transição para o sinal digital

Com base no decreto federal de transição das emissoras de TV brasileiras do sinal analógico para o digital, a RecordTV Belém, bem como as outras emissoras de Belém, cessou suas transmissões pelo canal 10 VHF em 30 de maio de 2018, seguindo o cronograma oficial da ANATEL.[10]

ProgramasEditar

Além de retransmitir a programação nacional da RecordTV, atualmente a RecordTV Belém produz e exibe os seguintes programas:

Diversos outros programas compuseram a grade da emissora e foram descontinuados:

  • Balanço Geral PA: Casos de Polícia
  • Eco Record
  • Esporte Record Pará
  • Fala Pará Entrevista
  • Informe Pará
  • PA Direto da Redação
  • Record em Alerta
  • Tudo a Ver Pará

EquipeEditar

Membros atuaisEditar

Jornalistas e apresentadores
  • Adriana Martins
  • Agenor Santos
  • Berenice Pamplona
  • Edson Carvalho
  • Igor Monteiro
  • Isabela Medeiros
  • Marcus Pimenta
  • Mariana Sena
  • Priscilla Amaral
Repórteres
  • Amanda Pereira
  • Anna Paula Mello
  • Célia Pinho
  • Daniele Monteiro
  • Danilo Alves
  • Danilo Magela
  • Felipe Nobre
  • Flávia Araújo
  • Pollyanna Gomes

Membros antigosEditar

  • Anne Beckhauser (hoje na RIC TV Florianópolis)
  • Carlos Silva (hoje na RBA TV Santarém)
  • Cleverson Amaro
  • Clotilde Dantas (hoje na TV Liberal Belém)
  • Daniele Dias (hoje na TV Liberal Belém)
  • Fabiana Oliveira (hoje na RecordTV São Paulo)
  • Lis Xavier (hoje na RecordTV Itapoan)
  • Lucas Ferraz (hoje na TV Jovem)
  • Manuela Queiroz (hoje na RecordTV Goiás)
  • Márcia Dantas (hoje no SBT São Paulo)
  • Marina Maimone (hoje na TV Jovem)
  • Marina Miralha
  • Matheus Furlan (hoje na RecordTV São Paulo)
  • Nara Bandeira (hoje no SBT Pará)
  • Nyelsen Martins (hoje na TV Correio)
  • Priscila Sousa (hoje na TV Liberal Belém)
  • Raphael Polito (hoje na RIC TV Florianópolis)
  • René Marcelo (hoje na RBA TV)
  • Rogério Spinelli (hoje na RIC TV Florianópolis)
  • Salcy Lima (hoje na RecordTV)
  • Valdo Souza (hoje no SBT Pará)
  • Vanessa Libório (hoje Na RecordTV Rio)

RetransmissorasEditar

Referências

  1. «Amazonas 1; Amazonas 2; Pará 1; Pará 2». Folha de S. Paulo. 8 de agosto de 1994. Consultado em 26 de novembro de 2016 
  2. Elvira Lobato (11 de agosto de 1996). «FHC autoriza transferência de TVs da Igreja Universal». Folha de S. Paulo. Consultado em 26 de novembro de 2016 
  3. Elvira Lobato (5 de novembro de 1996). «Igreja Universal compra mais uma TV». Folha de S. Paulo. Consultado em 26 de novembro de 2016 
  4. Wandreza Fernandes (7 de janeiro de 2008). «Inauguração do newsroom em Belém marca a estréia da Record Norte». Área Vip. Consultado em 26 de novembro de 2016 
  5. «Record inaugura newsroom em Belém». Tela Viva. 7 de janeiro de 2008. Consultado em 26 de novembro de 2016 
  6. Flávio Ricco (1º de agosto de 2010). «Record inclui Belém no seu roteiro obrigatório». Coluna do Flávio Ricco. UOL. Consultado em 26 de novembro de 2016 
  7. «Uma programação que acumula semanas consecutivas de lideranças». Emissoras RecordTV. R7. 25 de março de 2014. Consultado em 26 de novembro de 2016 
  8. «Elenco da Record comemora sucesso da emissora em Belém do Pará». Área Vip. 10 de dezembro de 2010. Consultado em 26 de novembro de 2016 
  9. «Profissionais da Record Belém, são ganhadores do Prêmio Sistema Fiepa de Jornalismo 2013». Emissoras RecordTV. R7. 15 de janeiro de 2014. Consultado em 26 de novembro de 2016 
  10. Higa, Paulo (15 de fevereiro de 2016). «Quando a TV analógica será desligada na sua cidade». Tecnoblog. Consultado em 30 de janeiro de 2017 

Ver tambémEditar

Ligações externasEditar