Banda Calypso

Banda brasileira

Banda Calypso foi uma banda brasileira de calypso, com influências de ritmos regionais do estado de origem. O conjunto foi formado em Belém no estado do Pará, no ano de 1999, pela cantora e dançarina Joelma Mendes e pelo guitarrista e produtor musical, Cledivan Almeida Farias, mais conhecido como Chimbinha. Após iniciarem um relacionamento amoroso, Chimbinha ofereceu a proposta de montar uma banda a Joelma, que aceitou instantaneamente, e no ano seguinte liberaram, de forma Independente, o álbum de estreia homônimo do grupo, que vendeu um milhão de exempláres e conquistou um certificado de ouro no Brasil. A popularidade do grupo seguiu em constante crescente com o lançamento de uma série de discos de sucesso, eles atraíram a atenção da mídia a partir do lançamento de seu terceiro disco ao vivo, Na Amazônia (2005) e seu quinto álbum de estúdio e oitavo de carreira, Volume 8, que solidificaram a permanência da banda no cenário musical brasileiro. O registro Banda Calypso pelo Brasil (2006) foi responsável pelo maior recorde de vendas da carreira do grupo, tendo comercializado, ao todo, mais de 2 milhões de exempláres, estabelecendo-se como um dos álbuns de maior vendagem de todos os tempos no Brasil, e recebendo certificação de disco de diamante quíntuplo pela sua comercialização, sendo a única banda musical brasileira a conseguir este feito.

Banda Calypso
Joelma e Ximbinha, líderes da banda.
Informação geral
Origem Belém, PA
País  Brasil
Gênero(s)
Período em atividade 1999—2015
Gravadora(s)
Afiliação(ões) Banda XCalypso
Ex-integrantes Joelma Mendes
Ximbinha
Página oficial www.bandacalypso.com.br

Lançando treze álbuns de estúdio, dez álbuns ao vivo e oito álbuns de vídeo que geraram singles de êxitos como "Dançando Calypso", "Disse Adeus", "Como uma Virgem", "Cúmbia do Amor", "Homem Perfeito", "Pra Te Esquecer", "A Lua Me Traiu", "Tchau pra Você", "Acelerou", "Doce Mel", "Chá de Maracujá", "Xonou, Xonou", "Me Beija Agora" e diversos outros êxitos. O casal atingiu o auge comercial de sua carreira na década de 2000, tornando-se líderes absolutos na vendagem de discos no país: com mais de 22 milhões de obras musicais comercializadas, tornando-se um dos recordistas de vendas no país.[1][2] A banda desfrutou do sucesso em todo o Brasil e firmou-se no exterior com turnês pela África, América Latina, Estados Unidos e Europa.

Em 2007, em levantamento realizado pelo instituto Datafolha, Joelma e Ximbinha foram contatados como os artistas mais populares do país. Em 2015, eles se divorciaram e encerraram as atividades profissionais em conjunto. Em 15 anos de carreira, o grupo concorreu a diversos prêmios importantes da música, incluindo o Melhores do Ano, Prêmio Multishow de Música Brasileira, Prêmio da Música Brasileira, Prêmio Extra de Televisão e o Troféu Internet, além de concorrer três vezes ao Grammy Latino.

HistóriaEditar

1999—2003: Formação, álbum de estreia, Ao Vivo, Volume 3 e 4 e Ao Vivo em São PauloEditar

Cledivan Almeida Farias, mais conhecido, agora, como Ximbinha, nasceu em Oeiras do Pará, no Pará. Começou a tocar guitarra ainda aos 12 anos, sendo influenciado por artistas do estado. Junto com eles, reinventou o ritmo calypso. Aos 18 anos já era o produtor musical mais conhecido de Belém.[3] Joelma da Silva Mendes nasceu em Almeirim, no mesmo estado. Embora desejasse ingressar na profissão de advogada, por ser um sonho de infância, Joelma começou a cantar por intermédio de um colega de escola que a incitava a cantar com ele em pequenos bares e festivais locais.[4][5][6] Aos 19 anos, tornou-se conhecida na região depois de se apresentar na Feira de Arte e Cultura de Almeirim (FEARCA).[4][7] Por esta época, ela foi descoberta por uma proprietária da Banda Fazendo Arte que a convidou para ir à Belém realizar um teste a fim de integrar os vocais do grupo. Com certo reluto, Joelma recusava o convite, no entanto, acabou aceitando-o e foi selecionada.[8][9] Sua saída da banda, aos 23 anos de idade, impulsionou-lhe a decisão de gravar um álbum solo e estava a procura de um produtor musical que produzisse este trabalho, sendo apresentada pelo cantor e compositor Kim Marques a Ximbinha. Logo depois de se conhecerem e concluírem o disco, ambos iniciaram um relacionamento amoroso e não queriam a divisão no ramo profissional por conta da relação.[10] À vista disso, decidiram fundar, juntos, uma banda musical, batizada de Banda Calypso.[3][11][12]

Joelma e Chimbinha durante concerto da banda em Brasília com show da turnê do álbum O Ritmo que Conquistou o Brasil O álbum de estreia dos artistas, a princípio, obteve dificuldade para ser lançado, pois mesmo com os contatos de Chimbinha foi complicado encontrar uma produtora que aceitasse a tarefa de produzir um estilo tão desconhecido em todo o Brasil, até que conseguiram uma parceria que possibilitou uma tiragem incial de mil unidades da obra que foram esgotados em uma semana.[10][13] O álbum, autointitulado Banda Calypso, foi lançado em novembro de 1999 e ficou marcado pelo sucesso dos singles, "Dançando Calypso", "Disse Adeus", "Dois Corações" e "Vendaval", a música que realmente levou a banda a ter uma divulgação, sendo apresentada no Programa Carlos Santos, onde tornou-se a primeira apresentação televisiva do grupo.[14][15] Depois de uma modesta recepção comercial, o álbum recebeu certificação de ouro e ultrapassou a marca de 1 milhão de exempláres vendidos.[10][16]

A Turnê Dançando Calypso, que se estendeu até 2001, deu origem ao primeiro ao vivo da banda, gravado durante uma apresentação realizada no Cordeiro de Recife, em 18 de outubro de 2000 e lançado em fevereiro de 2001, através da Sony Music.[16][17] A obra superou o sucesso comercial de seu predecessor, vendendo mais de 750 mil unidades, até 2001, recebendo certificado de ouro pela Pro-Música Brasil (PMB).[17][18] Em dezembro de 2002, o casal liberou seu segundo álbum de estúdio, O Ritmo Que Conquistou o Brasil!. O projeto foi responsável por produzir singles, como "Chamo por Você", "Temporal" e "Maridos e Esposas".[3] Estima-se que tenham sido adquiridas mais de 750 mil unidades da obra no país.[18] A banda passou a ser apoiada por Gilberto Barros, mais conhecido como Leão, na qual trabalhava como animador e apresentador do programa Sabadaço, na Rede Bandeirantes. Neste programa, a banda conseguiu apresentar seu trabalho por diversas vezes, assim conquistando outras partes do país onde seu alcance ainda era restrito.[19] Em seguida, foi liberado mais um álbum de estúdio, intitulado Volume 4, dentre os singles de destaques desse trabalho estão as canções, "Pra Te Esquecer", "Imagino" e "Tic Tac".[3] O projeto conseguiu vender mais de 600 mil exempláres e obteve um certificado de platina e diamante duplo.[18] Entre novembro 2003, o grupo deu início à turnê O Ritmo que Conquistou o Brasil, associado ao álbum homônimo da digressão, durante um dos concertos realizados em São Paulo, no último trimestre do ano, foi gravado o segundo disco ao vivo do grupo. O registro foi liberado em fevereiro do ano seguinte, em CD e DVD. Comercialmente, o disco recebeu certificado de diamante duplo pela comercialização superior a 300 mil exempláres.[18]

2004—05: Volume 6, Na Amazônia e Volume 8Editar

 
A banda durante a gravação do álbum Na Amazônia, em 14 de novembro de 2004.

Em 16 de outubro de 2004, chegou às lojas o sexto álbum da banda, intiulado Volume 6, o disco traz um conteúdo bastante sentimental, com boa parte de seu conteúdo composto por baladas românticas, em detrimento aos ritmos dançantes — como cúmbia ou merengue — contido nos antecessores.[20] O primeiro single liberado, "A Lua Me Traiu" — tornou-se o maior destaque do projeto — passando a figurar entre as 30 primeiras posições das estações de rádio, convertendo-se, posteriormente, na canção de assinatura do grupo.[21][22] Em julho de 2005, a revista estadunidense Billboard publicou a informação de que o trabalho havia atingido a quinta colocação em vendas no Brasil:, a obra já havia sido adquirida mais de 1 milhão de vezes em todo o páis.Dando continuidade aos trabalhos, a banda providenciou ainda em 2004 a gravação de seu segundo registro áudiovisual. O show foi realizado no dia 14 de novembro no sambódromo de Manaus, reunindo um público de aproximadamente 50 mil pessoas.[23] Esta apresentação foi inclúda no terceiro álbum ao vivo da banda, intitulado Na Amazônia, informou que o trabalho conquistou a terceira colocação em vendas no Brasil,[24] enquanto na parada de álbuns da revista Época, Na Amazônia obteve o primeiro lugar entre os 20 DVDs mais comprados do país e a edição de áudio, por sua vez, conquistou a quinta colocação.[25][26][27] Até dezembro de 2005, a edição de vídeo da obra já havia chegado a marca de meio milhão de exempláres vendidos.[18] No começo de 2005, a Banda Calypso foi convidada para se apresentar pela primeira vez no Domingão do Faustão da Rede Globo. Durante a participação no programa, o apresentador enalteceu o trabalho realizado de forma independente pelo grupo, os premiando com certificações pela alta vendagem dos seus dois últimos trabalhos lançados. Em seguida, a banda deu ínicio a sua primeira turnê internacional, passando por países como EUA, Itália, Portugal e Suíça.[19][28] Entre os singles liberados para também promover Na Amazônia; "Imagino", mostrou ser um grande acerto ao ser relançada, tornando-se a sexta canção mais demasiadamente executada pelas estações de rádio em março de 2006.[29]

Nomeado Volume 8, o quinto álbum de estúdio e oitavo de carreira do grupo, foi liberado em 21 de outubro de 2005, com 17 músicas inéditas. O projeto produziu singles como "Tchau pra Você", "Pra Me Conquistar", "Isso é Calypso" e "Esqueça Meu Coração" e foi responsável pela primeira indicação da banda ao Grammy Latino — em sua sétima edição — na categoria de Melhor Álbum de Música Regional ou de Raizes Brasileiras, no entanto, perderam a vitória para o disco Vida Marvada da dupla Chitãozinho & Xororó.[30][31] A faixa "Tô Carente" foi posteriormente inclusa na trilha sonora do filme Ó Paí, Ó, de 2007, protagonizado por Lázaro Ramos.[18] Segundo a Billboard, a obra obteve a segunda colocação entre os mais vendidos do Brasil e comercializou mais de um milhão e oitocentos mil exempláres até 2011.[32][33] Em 25 de dezembro, a Banda Calypso foi condecorada na décima edição do Melhores do Ano, da Rede Globo — como a revelação musical de 2005.[34] No final do ano, o grupo chamava a atenção por ter quatro discos na lista dos 50 mais vendidos do páis, e seus dois DVDs entre os 20 mais comprados.[35]

2006—08: Pelo Brasil, 10 e Ao Vivo em GoiâniaEditar

 
Joelma e Ximbinha se apresentando durante um concerto em março de 2006.

Em 2006, a banda volta com novos projetos, além da divulgação do Volume 8, estavam em produção de seu terceiro DVD, gravado em cinco capitais do Brasil — Brasília, capital federativa do país, em 28 de janeiro de 2006; Rio de Janeiro em 11 de fevereiro de 2006 no Km de Vantagens Hall (antiga Claro Hall); Recife em primeiro de abril de 2006 no Classic Hall (antigo Chevrolet Hall); Salvador em 6 de maio de 2006 no Parque de Exposições Agropecuárias e, Belém em 5 de agosto de 2006 —. Em cada show, seria gravado uma parte para ser incluída no projeto.[11][36] Em seguida, banda liberou sua terceira coletânea, As 20+, um relançamento da anteriormente lançada, Os Maiores Sucessos, contendo mais quatro faixas — "Pra te Esquecer", "Imagino", "Fala Pra Mim" e "Paquera".[37] No dia 5 de agosto de 2006 a banda encerrava, em Belém, o quinto e último concento a ser incluído no projeto Calypso pelo Brasil. No dia seguinte, estiveram no ginásio do Ibirapuera para o show do Criança Esperança, lá atuaram com a música "Isso é Calypso".[38][39] Pelo Brasil foi lançado em 9 de setembro de 2006; estreando na sexta posição entre os dez mais comprados do páis — segundo a Billboard — com quinhetas mil cópias vendidas no período de duas semanas; rendendo uma certificação de diamante quíntupla pelas vendas de sua edição em vídeo – tornando-se a única banda musical brasileira a alcançar este nível de certificação.[40][41][42] Ao todo, mais de 2 milhões de exempláres do produto foram adquiridas e tornou-se um dos álbuns com maior vendagem de todos os tempos no Brasil.[43][44] Logo apos o lançamento da obra, foram a Nova Iorque participar do Brazilian Day, com grandes nomes da música brasileira, como Sandy e Junior e Leonardo, numa apresentação para mais de um milhão e duzentos mil expectadores.[45]

Em 2007, Joelma e Chimbinha foram homenageados no Carnaval de Manaus pela escola de samba Balaku Blaku com o enredo "Um fenômeno chamado Calipso". Em 10 de janeiro é lançado 10, o sexto álbum de estúdio e o décimo de carreira do grupo, que gerou singles como "Acelerou", "Louca Sedução" e "Nessa Balada".[46] No campo comercial, a obra obteve um bom desempenho, atingindo a terceira colocação entre os mais vendidos no Brasil e comercializando mais de 500 mil exempláres em sua tiragem inicial.[47][48] Em 9 de maio é lançado — em parceria com a gravadora Som Livre — a quarta coletânea oficial do grupo, 100%, sendo o primeiro álbum da Banda Calypso a ser lançado por uma gravadora. A obra reúne os maiores êxitos de seus três primeiros álbuns de vídeo.[49] Para condecorar as vendas do projeto, a Pro-Música Brasil (PMB) o certificou com ouro.[17] A edição de vídeo do trabalho foi a décima mais comprada em todo o país em 2007.[50] Em julho, foi publicada uma pesquisa realizada pelo instituto Datafolha, que apontava Joelma e Ximbinha como os artistas mais populares do Brasil.[51] Em seguida, a banda realizou duas apresentações nos dias 5 e 6 de outubro, no Atlanta Music Hall em Goiânia, que deu origem ao seu quarto álbum áudiovisual, Ao Vivo em Goiânia, lançado em fevereiro de 2008.[52][53]

2008—10: Acústico, Amor sem Fim, 10 Anos e Vem BalançarEditar

 
A banda atuando ao vivo em 2009.

Em 2008, a banda assina definitivamente um contrato com a Som Livre, e lançam Acústico, seu sétimo álbum de estúdio, com conteúdo composto por diversos êxitos da carreira e músicas inéditas. O trabalho foi liberado em 27 de julho, obtendo um desempenho comercial exitoso, sendo certificado de ouro pela Pro-Música Brasil (PMB), vendendo mais de 500 mil exempláres.[17][54] Joelma e Chimbinha foram a atração brasileira escolhida pelo público angolano para participar do espetáculo, Dia da Amizade Brasil-Angola, realizado em 7 de outubro no Estádio dos Coqueiros, em Luanda, capital do páis, para um público de mais de 40 mil pessoas. O show, promovido e transmitido pelo programa Caldeirão do Huck, da Rede Globo, possui a intenção social e política de "firmar a amizade entre os dois países".[55][56] No fim do ano, a banda realizou uma regravação em inglês da canção "Acelerou", intiulada "Accelerated My Heart", para a trilha sonora do filme estadunidense, Cupid's Arrow.[57] No Carnaval de 2009, o grupo reuniu um público de 2 milhões de expectadores durante um show realizado em Recife, no Galo da Madrugada, considerando o maior bloco carnavalesco do mundo pelo Guinness Book.[57] Em fevereiro, é lançado Amor sem Fim, o oitavo álbum de estúdio da banda. Entre os singles lançados a partir da obra, "Vida Minha" e "Xonou, Xonou", obtiveram o maior destaque, sendo a última condecorada com o Troféu Internet de melhor música.[58][59] Gravado em duas semanas, o projeto apresenta um dueto com a filha do casal, Yasmin, na canção gospel, "Luz de Deus" e as participações especiais de amigos da banda, como os compositores Edu Luppa e Marquinhos Maraial, e dos levantadores de toadas Caprichoso e Garantido do Festival de Parintins.[60] Amor sem Fim rendeu ao grupo a sua segunda indicação ao Grammy Latino, durante a décima cerimônia do prêmio, na categoria de Melhor Álbum de Música de Raízes em Língua Portuguesa. No entanto, a condecoração foi conquistada pelo disco, Balaio de Amor, de Elba Ramalho.[61][62]

Em 26 de outubro, Joelma e Chimbinha foram honrados com o Título de Cidadões Pernambucanos, pela Assembleia Legislativa de Pernambuco, em Recife. A comenda foi proposta pelo deputado Nelson Pereira, do PCdoB. O 2º vice-presidente da Mesa Diretora, Antônio Moraes, do PSDB, coordenou a solenidade e justificou a honraria cedida, a importância do Estado para o início da carreira artística dos músicos; "Há vários anos com residência no Recife e com diversos empreendimentos ligados a área musical, Joelma e Ximbinha têm contribuído para a rica cultura pernambucana".[63] Ainda em 2009, a banda completou 10 anos de carreira. Em celebração a isso, no dia 6 de novembro, foi realizado um concerto no Classic Hall em Recife, para um público de 70 mil expectadores, com a participações de Fagner, Voz da Verdade, Bruno & Marrone e Maestro Spok.[64] A gravação gerou o sexto álbum ao vivo do grupo, intitulado 10 Anos, liberado em 11 de março de 2010.[65] O projeto recebeu, pela Pro-Música Brasil (PMB), o certificado de platina pelas vendas da edição em vídeo da obra e dois certificados de ouro pela comercialização de ambos os volumes do CD duplo.[17] O disco foi, ainda, responsável pela terceira indicação do conjunto ao Grammy Latino, à categoria Melhor Álbum de Música de Raízes em Língua Portuguesa, mas mais uma vez não obteve vitória.[66][67] Em fevereiro de 2010, a banda participou novamente do Galo da Madrugada de Recife e em 5 de maio de 2010, chega às lojas o nono álbum de estúdio dos artistas, Vem Balançar, incluindo dezenove faixas inéditas, precedido pela faixa-título e pela canção "Perdoa".[68][56]

2011—13: Meu Encanto, Ao Vivo em Angola, Eternos Namorados e Eu Me RendoEditar

Em abril de 2011, é lançado como single a canção "Entre Tapas e Beijos" — que é uma regravação da dupla Leandro & Leonardo — para ser inclusa como tema de abertura da série Tapas & Beijos, da Rede Globo, rendendo ao grupo uma indicação vitoriosa ao Prêmio Extra de Televisão, na categoria Melhor Tema Musical.[69] Em maio, foi lançado, através da Som Livre, o décimo álbum de estúdio dos artistas, intitulado Meu Encanto.[70][71] Entre os singles de maior destaque do projeto, estão a faixa-título, que ganhou um videoclipe oficial e "Não Posso Negar que Te Amo", no qual apresenta a participação de Reginaldo Rossi nos vocais.[72][73] Na televisão, a banda esteve no dia 5 de junho — durante uma particpação no programa Tudo é Possível da Record — apresentando "Meu Encanto" e realizando a primeira performance televisionada da música, "Não Posso Negar Que Te Amo", com Rossi presente.[74] Em 15 de setembro, estiveram em Sumbe, na Angola, para se apresentarem no Festival Internacional de Música do Sumbe. A Radar Records lançou a gravação do concerto, nos formatos CD e DVD, em 8 de maio de 2012, sob o título Ao Vivo em Angola. O projeto contém a participação do cantor angolano Anselmo Ralph, na canção "O Som da África".[75][76]

Em 3 de novembro de 2012, o casal liberou seu décimo primeiro álbum de estúdio, Eternos Namorados, a obra apresenta doze canções inéditas, incluindo o single do álbum, "Me Beija Agora" — que foi inclusa na trilha sonora da telenovela Guerra dos Sexos, da Rede Globo; "Quem Ama Não Deixa de Amar", com a colaboração de Amado Batista, fez parte da trilha sonora da novela da RecordTV, Balacobaco; além de uma regravação em espanhol da canção "Perdeu o Trono", "Perdiste el Trono", e a faixa gospel composta por Joelma, "O Poder de Deus".[77] No decorrer de 2013, lançaram Eu Me Rendo, seu décimo segundo disco de estúdio, pela Radar Records. A partir da obra, a banda passou a explorar uma sonoridade mais focada na bachata — gênero musical originado da República Dominicana — e apresentou regravações de canções de seu catálogo predecessor, como "Maridos e Esposas", "Disse Adeus", "Desfaz as Malas", "Esqueça Meu Coração" e outros. A obra também contém regravações de outros artistas, incluindo "Abandonada", de Fafá de Belém; "Pressentimento", de Fagner, e "Onde Anda Meu Amor", de Léo Magalhães. Apesar de ser composto em sua maioria de faixas românticas, o material traz também faixas dançantes como a "A Festa Começou" e "Malhando com Calypso".[78] No dia 25 de maio, Joelma e Ximbinha se apresentaram no evento Brazilian Day Portugal, realizado no Passeio Marítimo de Algés, em Lisboa, para um público de 80 mil pessoas, promovido pela Rede Globo.[79] Em 8 de agosto, participaram do espetáculo, O Maior São João do Cerrado, em Ceilândia, Distrito Federal, e gravaram o seu nono álbum ao vivo para uma audiência superior a 100 mil pessoas no estacionamento do Estádio Abadião, com as participações de Amado Batista e Reginaldo Rossi. O registro do concerto, foi lançado, em CD e DVD, em dezembro de 2013, pela Radar Records, sob o nome Ao Vivo no Distrito Federal.[80][81]

2014—15: Vibrações, 15 Anos e separaçãoEditar

 
Joelma e Ximbinha se apresentando com a turnê do álbum Banda Calypso 15 Anos em abril de 2015.

Vibrações — o décimo terceiro e último álbum de estúdio da banda — apresenta muitos diferenciais em sua estrutura musical em relação aos outros lançamentos predecessores do grupo, com uma mistura de gêneros composta por calipso caribenho, reggae, surf music e bachata, incluindo uso de novos instrumentos como ukulele — típico do Hawai. A faixa-título, "Vibrações", foi o primeiro single a ser liberado a partir da obra. A canção flerta pop com reggae, mas sem deixar de apresentar o ritmo notório da banda, o calipso.[82] O lançamento oficial do material aconteceu, primeiramente, por intermédio digital no site do iTunes, em 29 de agosto de 2014.[83] Em 8 de setembro, a obra foi disponibilizada na integra, através do canal oficial da Radar Records, no YouTube e em 30 de outubro, o lançamento físico ocorreu.[84][85] No mesmo ano, a banda completou 15 anos de carreira. Para celebrar o fato, Joelma e Ximbinha, gravaram no dia 23 de novembro de 2014, na Praça Siqueira Campos, em Belém, seu décimo primeiro e último álbum ao vivo — 15 Anos — atraindo a presença de mais de 80 mil expectadores. O concerto apresentou as participações de Calcinha Preta, Daniel, Ludmila Ferber, David Assayag & Edilson Santana, Lia Sophia, Mestre Vieira, Mestre Curica, Alberto Moreno, Edilson Morenno, Marcelo Wal, Nelsinho Rodrigues e Viviane Batidão e chegou às lojas em um CD duplo e em DVD, a partir de 5 de junho de 2015, pela Radar Records.[86][87]

Joelma e Chimbinha chegaram a ir a Miami, Estados Unidos, com o intuíto de iniciar a produção de seu primeiro disco em espanhol, com ajuda do produtor Cesar Lemos. A gravação aconteceu no Circle House Studios. No entanto, o projeto não chegou a ser concluído.[88] Em 19 de agosto de 2015, a assessoria de imprensa da banda anunciou a separação conjugal de Joelma e Ximbinha.[89] Após ser anunciado a separação dos músicos, durante uma participação no Programa da Sabrina, a cantora anunciou também o fim da parceria profissional com o ex-marido.[90] A assessoria confirmou que a mesma passaria a se chamar, artisticamente, Joelma Calypso (posteriormente somente Joelma) e Chimbinha, adotaria Ximbinha, como nome artístico, passando a seguir agora com a sua nova banda, a XCalypso.[91][92] O fim do conjunto foi marcado por vários episódios conturbadores, afetando as atividades da mesma.[93] Em 31 de dezembro de 2015, Joelma realizou, sozinha, em Macapá, o último show da Banda Calypso.[93]

DiscografiaEditar

Turnês e concertosEditar

Prêmios e indicaçõesEditar

Referências

  1. «Ostentação é pouco! Joelma vai morar em mansão em Goiânia com 10 banheiros e 7 suítes». Perfeito. Consultado em 21 de maio de 2018. Arquivado do original em 1 de fevereiro de 2020 
  2. «Em homenagens às mães, Joelma se apresenta em Marabá». Ananindeua Mais. Consultado em 31 de março de 2018. Arquivado do original em 1 de fevereiro de 2020 
  3. a b c d «A Trajetória Da Banda Calypso». Cultura Mix. Consultado em 19 de julho de 2020 
  4. a b «60 curiosidades que você não sabia sobre Joelma». Diário Online. 15 de novembro de 2017. Consultado em 18 de julho de 2020 
  5. «"A vida me levou para a música sem eu querer", diz Joelma, do "Calypso"». Universo Online. 10 de maio de 2020. Consultado em 10 de setembro de 2020 
  6. «Divas do forró, Joelma e Solange Almeida falam sobre conquistas femininas». Gshow. Globo.com. 30 de junho de 2018. Consultado em 18 de julho de 2020 
  7. «"A vida me levou para a música sem eu querer", diz Joelma, do "Calypso"». Universo Online. 10 de maio de 2020. Consultado em 10 de setembro de 2020 
  8. «Joelma». Caras. Consultado em 10 de setembro de 2020 
  9. «Joelma conta que sua carreira na música começou por acaso: 'Não queria como profissão'». Gshow. Globo.com. 11 de março de 2019. Consultado em 18 de julho de 2020 
  10. a b c «Joelma é uma das estrelas do CD Divas do Pará». Diário Online. 11 de março de 2012. Consultado em 10 de setembro de 2020 
  11. a b «Banda Calypso: Dados Artísticos». Dicionário Cravo Albin da Música Popular Brasileira. Instituto Cultural Cravo Albin. Consultado em 18 de julho de 2020 
  12. «Joelma». A Revista da Mulher. Consultado em 19 de julho de 2020 
  13. JC Online (10 de junho de 2019). «Primeiro CD da Banda Calypso completa 20 anos de lançamento». Jornal do Commercio. NE10. Universo Online. Consultado em 19 de julho de 2020 
  14. «Banda Calypso - Vol. 1». AllMusic. Consultado em 18 de março de 2016 
  15. «Joelma e Chimbinha no 'Programa Carlos Santos', exibido em TV do Nordeste. Foi a primeira apresentação da banda Calypso na telinha.». Purepeople.com. Consultado em 4 de dezembro de 2015 
  16. a b «Discografi». Banda Calypso. Consultado em 18 de agosto de 2020. Arquivado do original em 1 de abril de 2004 
  17. a b c d e «Certificados (Banda Calypso)». Pro-Música Brasil. Consultado em 27 de agosto de 2020 
  18. a b c d e f Kriss, Elba (11 de dezembro de 2005). «Calypso, sucesso que vem de Belém». OFuxico. Terra. Consultado em 18 de agosto de 2020 
  19. a b Calil, Ricardo (13 de março de 2009). «Chimbinha». Trip. Consultado em 1 de novembro de 2016 
  20. «Banda Calypso - Vol. 6». AllMusic. Consultado em 18 de março de 2016 
  21. «Confira 30 músicas mais tocadas; Rebelde é destaque». Folha Online. 5 de abril de 2006. Consultado em 4 de dezembro de 2015 
  22. Revista Veja (25 de outubro de 2015). «Calypso corta 'A Lua me Traiu' do repertório após traição de Chimbinha». Consultado em 4 de dezembro de 2015 
  23. Predefinição:Cweb
  24. «Hits of the world». Billboard (em inglês). Nielsen Business Media, Inc. 16 de julho de 2005. p. 78. Consultado em 31 de agosto de 2020 
  25. «Lista dos 20 DVDs mais vendidos na semana». Época. Globo.com. 21–27 de setembro de 2005. Consultado em 29 de agosto de 2020 
  26. «Lista dos 20 DVDs mais vendidos na semana». Época. Globo.com. 19–25 de outubro de 2005. Consultado em 29 de agosto de 2020 
  27. «Lista dos 50 CDs mais vendidos na semana». Época. Globo.com. Consultado em 29 de agosto de 2020 
  28. «Banda Calypso é atração hoje no Faustão». Diário de Cuiabá. 5 de Março de 2005. Consultado em 31 de agosto de 2020 
  29. «Rádios tocam Marisa Monte; veja 30 músicas da parada». Folha Online. 15 de março de 2006. Consultado em 4 de dezembro de 2015 
  30. «Veja os indicados nas principais categorias do Grammy Latino». Folha de S.Paulo. 26 de setembro de 2006. Consultado em 27 de maio de 2017 
  31. «Ganhadores - Ano de 2006». Grammy Latino. Consultado em 6 de Setembro de 2011 
  32. Nielsen Business Media, Inc. (2 de Julho de 2005). «Billboard Hits of The World: Brazil Albums». Billboard (em inglês). Consultado em 18 de dezembro de 2013 
  33. IguatuNet (1 de julho de 2011). «História de Joelma e Chimbinha, da banda Calypso, vai virar filme». Consultado em 2 de abril de 2017. Arquivado do original em 2 de abril de 2017 
  34. «Confira quem levou o troféu do Domingão para casa». Domingão do Faustão. Globo.com. 21 de dezembro de 2005. Consultado em 5 de setembro de 2020. Arquivado do original em 28 de dezembro de 2005 
  35. Revista Época. «Os 50 CDs e DVDs mais vendidos». Consultado em 10 de janeiro de 2012 
  36. Sato, Nelson (11 de agosto de 2006). «SHOW - Calypso em Londrina». Folha de Londrina. Consultado em 12 de setembro de 2020 
  37. «Banda Calypso - As 20+». AllMusic. Consultado em 18 de março de 2016 
  38. Almeida, Flávia (20 de julho de 2006). «Calypso finaliza gravação de DVD». OFuxico. Terra. Consultado em 18 de agosto de 2020 
  39. Takano, Andréia (26 de julho de 2006). «Começa campanha do Criança Esperança». OFuxico. Terra. Consultado em 18 de agosto de 2020 
  40. Nielsen Business Media, Inc. (2 de Julho de 2005). «Billboard Hits of The World: Brazil Albums». Billboard (em inglês). Consultado em 18 de dezembro de 2013 
  41. «Bamboa Brasília recebe banda Calypso em outubro». Jornal de Brasília. 2 de outubro de 2015. Consultado em 20 de julho de 2020 
  42. Mairins, Simão (11 de junho de 2014). «Banda Calypso: você precisa reconhecer que eles sabem fazer negócios». Administradores. Consultado em 12 de setembro de 2020 
  43. «Os 22 discos brasileiros mais vendidos de todos os tempos». Associação Brasileira de Música e Artes. Consultado em 20 de julho de 2020 
  44. Pop Brasil (2 de Julho de 2005). «A única banda brasileira a receber o certificado de 'Diamante Quíntuplo'». Consultado em 2 de Julho de 2005. Arquivado do original em 19 de fevereiro de 2020 
  45. «Calypso se apresenta pela primeira vez no Brazilian Day». Consultado em 1 de Fevereiro de 2012 
  46. «Banda Calypso - Acelerou, Vol. 10». AllMusic. Consultado em 18 de março de 2016 
  47. Pedro Alexandre, Sanches (16 de abril de 2007). «A indústria das ruas». Farofafá. Arquivado do original em 1 de fevereiro de 2020 
  48. Nielsen Business Media, Inc. (15 de setembro de 2007). «Diva das caras e bocas, Toni Braxton põe CD no top 10 nacional». Folha Online. Consultado em 4 de dezembro de 2015 
  49. «Banda Calypso lança primeiro DVD e CD por grande gravadora». Território da Música. 30 de maio de 2007. Consultado em 26 de agosto de 2020. Arquivado do original em 22 de outubro de 2017 
  50. «Ano 2007». Pro-Música Brasil. Consultado em 27 de agosto de 2020 
  51. Marco Aurélio Caônico, Tereza Novaes (22 de julho de 2007). «Preferência nacional». Folha de S.Paulo. Universo Online. Consultado em 11 de agosto de 2020 
  52. Michel, Lima (28 de Setembro de 2007). «Próximo DVD da Banda Calypso será gravado em Goiânia». Bahia Notícias 
  53. «Banda Calypso - Ao Vivo em Goiânia». AllMusic. Consultado em 18 de março de 2016 
  54. «Ritmo Calypso: Joelma e Chimbinha e a agenda de sucesso no Sudeste». Redação SRZD. Consultado em 17 de outubro de 2012. Arquivado do original em 17 de fevereiro de 2020 
  55. «Exclusivo - Show do Calypso no Dia da Amizade». Caldeirão do Huck. Globo.com. 27 de outubro de 2008. Consultado em 4 de fevereiro de 2020. Arquivado do original em 1 de fevereiro de 2020 
  56. a b Dulcides, Netto. «Banda Calypso vai agitar Farol neste sábado». Prefeitura Municipal de Campos dos Goytacazes. Consultado em 2 de Agosto de 2011. Arquivado do original em 25 de Maio de 2009 
  57. a b G1. «Cantando em inglês, Calypso investe em carreira internacional». Consultado em 2 de fevereiro de 2012 
  58. Vasconcelos (4 de abril de 2008). «As novas do Calypso». Agora São Paulo. Consultado em 4 de fevereiro de 2020 
  59. «Confira o resultado do Troféu Imprensa!». Caras. Universo Online. 28 de março de 2010. Consultado em 5 de setembro de 2020 
  60. Amauri, Stamboroski Jr. (28 de janeiro de 2009). «Com participação da filha de Joelma e Chimbinha, Calypso lança novo disco». G1. Consultado em 2 de fevereiro de 2012 
  61. Redação Terra (8 de setembro de 2010). «Confira os indicados nas principais categorias do Grammy Latino». Terra. Consultado em 2 de janeiro de 2019 
  62. «Ganhadores - Ano de 2010». Grammy Latino. Consultado em 6 de Setembro de 2011 
  63. «Joelma e Chimbinha, novos cidadãos pernambucanos». Vermelho. 27 de outubro de 2009. Consultado em 13 de agosto de 2020 
  64. Piunti, André (7 de novembro de 2009). «Calypso grava DVD em comemoração aos 10 anos da banda em quase três horas de show». Universo Online. Consultado em 11 de agosto de 2020 
  65. Monólitos Post (7 de novembro de 2009). «Banda Calypso lança DVD no Faustão». Monólitos. Consultado em 11 de agosto de 2020 
  66. Redação Terra (8 de setembro de 2010). «Confira os indicados nas principais categorias do Grammy Latino». Terra. Consultado em 2 de janeiro de 2019 
  67. «Ganhadores - Ano de 2010». Grammy Latino. Consultado em 6 de Setembro de 2011 
  68. «Banda Calypso levanta o público no Galo da Madrugada». G1. Consultado em 15 de fevereiro de 2012 
  69. «Ganhadores do Prêmio Extra de TV 2011». Extra. 14 de setembro de 2012. Consultado em 5 de setembro de 2020 
  70. «Calypso lança o álbum 'Meu Encanto'». FM 93. Consultado em 15 de fevereiro de 2012 
  71. Ferreira; Mauro (24 de maio de 2011). «Calypso lança 'Meu Encanto' em junho com dueto de Joelma com Rossi». Notas Musicais. Blog Notas Musicais. Consultado em 15 de fevereiro de 2012 
  72. «Banda Calypso lança música com Reginaldo Rossi». Terra. 15 de março de 2011. Consultado em 1 de fevereiro de 2012 
  73. «Banda Calypso lança novo clipe». FM 93. 9 de junho de 2011. Consultado em 1 de fevereiro de 2012 
  74. «Reginaldo Rossi e Calypso se encontram no Tudo é Possível». Consultado em 1 de fevereiro de 2012. Arquivado do original em 1 de fevereiro de 2020 
  75. Territoriodamusica (2011). «Banda Calypso grava DVD em Angola». 12/09/2011. Consultado em 13 de Maio de 2012. Arquivado do original em 1 de fevereiro de 2020 
  76. O fuxico! (2011). «Gravação do DVD da banda Calypso durante festival de música em Angola». 17 de Setembro de 2011. Consultado em 13 de Maio de 2012 
  77. Som Perfeito (2012). «Calypso lança novo CD Eternos Namorados». 02 de Novembro de 2012. Consultado em 28 de Novembro de 2012. Arquivado do original em 1 de fevereiro de 2020 
  78. Eri Medeiros. «Banda Calypso lança CD "EU ME RENDO"». Consultado em 18 de junho de 2013. Arquivado do original em 1 de fevereiro de 2020 
  79. «Brazilian Day Portugal: Ana Maria Braga e Louro José comandam festa». Rede Globo. 27 de maio de 2013. Consultado em 28 de Novembro de 2012 
  80. «Joelma se emociona em gravação de DVD da Banda Calypso». Caras. 9 de agosto de 2013. Consultado em 17 de julho de 2016. Arquivado do original em 1 de fevereiro de 2020 
  81. «Banda Calypso lança site inspirado em DVD Ao Vivo no Distrito Federal». Muito Mais Música. 5 de dezembro de 2013 
  82. «Banda Calypso lança o álbum 'Vibrações' em todas as lojas do Brasil». Portalsucesso. Consultado em 1 de setembro de 2014 
  83. «Banda Calypso lança novo disco no iTunes». Portalsucesso. Consultado em 1 de setembro de 2014. Arquivado do original em 17 de fevereiro de 2020 
  84. «Banda Calypso libera novo disco no YouTube». Portalsucesso. Consultado em 8 de setembro de 2014. Arquivado do original em 17 de fevereiro de 2020 
  85. «Banda Calypso lança o álbum 'Vibrações' em todas as lojas do Brasil». Portalsucesso. Consultado em 1 de setembro de 2014 
  86. «Gravação do DVD da banda Calypso atrai multidão em Belém». Rede Globo. 24 de novembro de 2014. Consultado em 8 de setembro de 2014 
  87. «CALYPSO ANUNCIA GRAVAÇÃO DO DVD DE 15 ANOS DE CARREIRA». Consultado em 14 de setembro de 2014 
  88. «Empresário deixa Joelma e Chimbinha e fala sobre CD em espanhol: "Ninguém vai colher essa plantação"». R7. Consultado em 6 de outubro de 2015 
  89. «Joelma e Chimbinha terminam casamento, diz assessoria do Calypso». G1. Globo.com. 19 de agosto de 2015. Consultado em 11 de agosto de 2020 
  90. «Joelma anuncia fim do Calypso, chora e emociona plateia e Sabrina Sato». R7. Consultado em 25 de agosto de 2015 
  91. «Joelma tira sobrenome Calypso para carreira solo após ação judicial». EGO. Consultado em 4 de dezembro de 2015 
  92. «Chimbinha passa a adotar a letra X e anuncia nome de nova banda». EGO. Consultado em 22 de novembro de 2015 
  93. a b «Como na Banda Calypso, desavenças pessoais marcam rompimentos na música». Consultado em 29 de agosto de 2015 

Ligações externasEditar

 
O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Banda Calypso