Abrir menu principal

Alessandro Mori Nunes

futebolista brasileiro
Question book-4.svg
Este artigo ou se(c)ção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde dezembro de 2011). Ajude a inserir referências. Conteúdo não verificável poderá ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)

Alessandro Mori Nunes (Assis Chateaubriand, 10 de janeiro de 1979) é um ex-futebolista brasileiro que atuava como lateral-direito.

Alessandro
Alessandro
Alessandro em jogo do Mundial de Clubes da FIFA,
contra o Chelsea, no Estádio Internacional de Yokohama.
Informações pessoais
Nome completo Alessandro Mori Nunes
Data de nasc. 10 de janeiro de 1979 (40 anos)
Local de nasc. Assis Chateaubriand (PR), Brasil
Altura 1,77 m
Destro
Apelido Guerreiro, Capitão América,
Alessandro Balboa, Jason Statham
Informações profissionais
Período em atividade 19972013
Clube atual Sem clube
Posição Gerente de futebol
(ex-Lateral-direito)
Clubes de juventude
Assis Chateubriand
Clubes profissionais2
Anos Clubes Jogos e gol(o)s
19972003
2003
20032007
20042005
20052007
2007
20082013
Flamengo
Palmeiras (emp.)
Dinamo de Kiev
Cruzeiro (emp.)
Grêmio (emp.)
Santos
Corinthians[1]
0000 00000(0)
0016 00000(1)
0044 00000(3)
0027 00000(1)
0258 00000(4)
0496 0000(17)
{{{jogos(golos)}}}


2 Partidas e gols totais pelo
clube, atualizados até 7 de dezembro de 2013.

Índice

CarreiraEditar

O início no Flamengo (1997-2003)Editar

Revelado nas divisões de base de Assis Chateaubriand PR, e posteriormente transferido para o Flamengo, acostumou-se a jogar na posição de volante quando solicitado, o que lhe valeu um enorme aperfeiçoamento na qualidade defensiva e um crédito absurdo com todos os técnicos que o comandaram, não só no Flamengo como nos demais times.

O jogador estreou bastante cedo pelo Flamengo, e assumiu a responsabilidade de tomar conta de uma posição historicamente dominada pelo Flamengo, a lateral-direita, que já havia passado por nomes como Leandro e Jorginho. No entanto, disposto e irredutível de mostrar seu talento, Alessandro não só assumiu o desafio, como não tardou a se firmar na posição. Suas fortes características técnicas, é bem verdade, ajudaram na sua manutenção, pois, apesar de atuar de forma exímia na defesa, Alessandro tornou-se figurinha carimbada nas escalações do Fla, em virtude da sua técnica apurada no que diz respeito ao apoio de ataque.

Trabalhou com diversos técnicos no Flamengo, no entanto, foi sob o comando do velho lobo Zagallo, que o lateral viveu o seu auge. Tricampeão carioca entre 1999 e 2001, Alessandro também faturou a Copa dos Campeões e se tornou essencial para o time, que então, era formado por estrelas do calibre de Dejan Petković e Edílson.

Certamente, uma das imagens mais presentes do jogador para a torcida rubro-negra, foi justamente aquela em que Alessandro reza sentado ao banco, e aguarda pela cobrança de falta do sérvio Petković que resultaria no tri de 2001. Título que não só entraria para a história do clube, como carregaria consigo todo o elenco que lutou bravamente por ele.

Carreira pelo Brasil e Europa (2003-2007)Editar

Em 2003, período conturbado para o Fla, Alessandro teve de abandonar a Gávea e seguiu por empréstimo para o Palmeiras. Sua passagem pelo Palestra Itália, entretanto, durou pouco mais de três meses e logo em seguida, o jogador teve seus direitos econômicos adquiridos pelo Dínamo de Kiev. Ucrânia não foi das melhores, sua estadia no Dínamo durou pouco tempo, e já em agosto de 2004, o jogador viria por empréstimo para o Cruzeiro, a fim de completar o elenco celeste.[2]

Com contrato na Toca da Raposa até dezembro de 2005, Alessandro preferiu não cumprir, e á pedido do próprio e também do então técnico do Grêmio, Mano Menezes, seguiu para o clube gaúcho que vivia um momento difícil, na disputa da Série B do Campeonato Brasileiro. Foi no Rio Grande do Sul, aliás, que o lateral voltou a apresentar um bom futebol, sendo inclusive, considerado um dos heróis do acesso do Grêmio para a Série A do Campeonato Nacional. Do Grêmio, Alessandro rumou em 2007 para o badalado Santos, que vinha em uma crescente de boas campanhas, e logo no início da sua passagem, faturou o primeiro Campeonato Paulista da carreira. Apesar disso, as atuações do atleta não foram muito além, e já em 2008, tornou-se peça dispensável do elenco santista.[2]

Corinthians (2008-2013)Editar

Em 2008 foi contratado pelo Corinthians, comandado pelo parceiro de outrora, Mano Menezes, para o decorrer da temporada. A missão era a mesma dos tempos de Grêmio, conquistar a Série B do Campeonato Brasileiro e voltar á elite do futebol brasileiro. Alessandro foi um dos principais jogadores do elenco no ano, o Corinthians conquistou 85 pontos em 38 rodadas, naquele mesmo ano, foi vice-campeão da Copa do Brasil. Em 2009 veio a afirmação de Alessandro no Corinthians, com a contratação de Ronaldo, o Corinthians conquistaria um Campeonato Paulista em 2009 e coroaria a boa fase sendo finalmente campeão da Copa do Brasil.[2]

Em 2010, no ano em que o Corinthians completaria 100 anos de idade, Alessandro completou seu centésimo jogo pelo clube. Naquele ano, disputou ainda o Campeonato Paulista e a Copa Libertadores, do qual o time foi eliminado nas Oitava-de-final da competição, diante do clube que o revelou ao futebol, Flamengo. Alessandro foi muito criticado pela torcida após a eliminação no torneio continental, mas continuou no elenco para o Campeonato Brasileiro, do qual o clube fez uma boa campanha, terminando em 3° colocado, conquistando uma vaga na pré-libertadores.[2]

Em 2011, Alessandro disputou o Campeonato Paulista pelo Corinthians, sendo vice-campeão, naquele mesmo ano, Alessandro ganhou a braçadeira de capitão após divergências entre o zagueiro Chicão e o treinador Tite.[2] O jogador se sagrou Pentacampeão Brasileiro com o Corinthians como capitão.

Ainda capitão do Corinthians, em 4 de Julho de 2012, Alessandro sagra-se campeão da Copa Libertadores da América de 2012. Na final contra o Boca Juniors, o Corinthians vence por 2x0 e Alessandro levanta o troféu da Copa Santander Libertadores.[3] Pouco mais de 5 meses depois conquista a taça da Copa do Mundo de Clubes da FIFA após vitórias contra o Al-Ahly Sporting Club, do Egito, e o poderoso campeão europeu Chelsea, entrando de vez para a história do Corinthians.

No dia 19 de maio de 2013, levanta outro troféu, o de Campeão Paulista de 2013.

É considerado um dos maiores ídolos da história do clube.

AposentadoriaEditar

No dia 28 de novembro de 2013, anuncia que se aposentará no final da temporada.[4]

EstatísticasEditar

ClubesEditar

Atualizado até 7 de dezembro de 2013

Clube Temporada Campeonato
nacional[a]
Copa
nacional[b]
Competições
continentais[c]
Outros
torneios[d]
Total
Jogos Gols Jogos Gols Jogos Gols Jogos Gols Jogos Gols
  Flamengo 1997 2 0 0 0 0 0 0 0 2 0
1998 3 0 0 0 0 0 6 3 9 3
1999 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0
2000 12 0 0 0 1 0 4 0 17 0
2001 24 1 10 1 8 0 18 1 60 3
2002 14 1 5 1 0 0 19 0 38 2
2003 1 0 2 0 0 0 13 1 16 1
Total 56 2 17 2 9 0 60 5 142 9
  Palmeiras 2003 9 0 0 0 0 0 0 0 9 0
Total 9 0 0 0 0 0 0 0 9 0
  Dínamo de Kiev 2003-04 0 0 0 0 0 0 0 0
Total 0 0 0 0 0 0 0 0
  Cruzeiro 2004 16 0 0 0 0 0 16 0
Total 16 0 0 0 0 0 16 0
  Grêmio 2005 9 0 4 0 5 0 18 0
2006 19 3 2 0 5 0 26 3
Total 28 3 6 0 10 0 44 3
  Santos 2007 23 1 4 0 0 0 27 1
Total 23 1 4 0 0 0 27 1
  Corinthians 2008 25 2 4 0 11 0 40 2
2009 17 0 8 0 16 0 41 0
2010 31 0 2 0 14 0 47 0
2011 22 0 2 0 14 1 38 1
2012 26 0 9 0 12 1 47 1
2013 21 0 3 0 8 0 13 0 45 0
Total 142 2 15 0 21 0 80 2 258 4
Total na carreira 274 8 38 2 34 0 150 7 496 16

TítulosEditar

Referências

  1. «Alessandro Mori Nunes». porcopedia. Consultado em 21 de abril de 2019 
  2. a b c d e «Alessandro, Ídolo do Corinthians». Meu Timão (site apoiador do Corinthians). Consultado em 21 de abril de 2019 
  3. «Alessandro espera que conquista marque a vida dos corintianos». Tribuna do Norte. 5 de julho de 2012. Consultado em 21 de abril de 2019 
  4. «Em coletiva, Alessandro anuncia sua aposentadoria». Site Oficial do Corinthians. 28 de novembro de 2013. Consultado em 21 de abril de 2019. Cópia arquivada em 28 de novembro de 2013 

Ligações externasEditar