Abrir menu principal
Disambig grey.svg Nota: Se procura o artigo sobre uma competição internacional da década de 1950, veja Copa Rio (torneio internacional).
Copa Rio
Rio de Janeiro
Dados gerais
Organização FERJ
Edições 24
Local de disputa  Rio de Janeiro
Sistema Mata-mata
Soccerball current event.svg Edição atual
editar

Copa Rio é um campeonato promovido pela FERJ desde 1991 para definir times participantes dos Campeonatos Cariocas da Série B1, Série B2, Série C e que não participam do Brasileirão Série A para a Copa do Brasil do ano seguinte. Desde 2008, o campeão escolhe se quer a vaga na Copa do Brasil ou no Campeonato Brasileiro da Série D do ano subsequente, ficando o vice-campeão com a competição que o vencedor não escolher.

Em 24 edições realizadas, houve quinze clubes campeões. O Volta Redonda é o maior vencedor da Copa Rio, com quatro títulos, seguido por Nova Iguaçu, Portuguesa-RJ, Resende, Tigres do Brasil e Vasco da Gama com duas conquistas cada.

HistóriaEditar

1991–1993Editar

 
Troféu da Copa Rio de 2010.

A Copa Rio foi criada em 1991 para definir um dos representantes fluminenses para a Copa do Brasil do ano seguinte (o outro seria o campeão do Campeonato Estadual). Caso o campeão estadual também conquistasse a Copa Rio, o representante seria o segundo colocado do torneio. Na ocasião os participantes eram divididos em quatro grupos: Grupo da Capital A, Grupo do Interior A, Grupo da Capital B e Grupo do Interior B. O campeão de cada grupo disputava a final. Posteriormente houve mais vagas para a fase final. Neste período inicial, a competição contou com a participação de todos os quatro "grandes" clubes do futebol carioca: Botafogo, Flamengo, Fluminense e Vasco da Gama.[1]

1994-1995Editar

Em 1994, houve a primeira desistência de um dos grandes clubes. Na Fase Final do Grupo da Capital, após o empate de 2 a 2 entre America e Vasco da Gama no que seria a "partida de volta", o América queria a prorrogação, mas o Vasco da Gama se negou a disputá-la, alegando que vencera a não-realizada "partida de ida" por w.o. do adversário.[2] No dia seguinte, o Vasco desistiu de pleitear a vaga, alegando já estar classificado à Copa do Brasil de 1995.[3] Neste ano, a competição foi pela primeira vez conquistada por um clube de menor investimento, o Volta Redonda, garantindo assim a sua vaga para a Copa do Brasil de 1995.[4]

No início de 1995, a CBF anunciou que aumentou em 4 o número de vagas na Copa do Brasil, indo uma destas vagas para o Rio de Janeiro, mais especificamente para o Flamengo, vice-campeão carioca de 1994. A partir de então, o vice-campeão carioca passaria a ter vaga na Copa do Brasil. Vice-campeão carioca também em 1995, o Flamengo tinha vaga assegurada na Copa do Brasil de 1996, e por isso, com o calendário apertado, decidiu abrir mão da disputa da Copa Rio de 1995, abandonando-a no meio da competição.[5]

1996–1997Editar

No início de 1996, a CBF aumentou novamente o número de participantes da Copa do Brasil, incluindo não só o campeão e vice cariocas do ano anterior (Fluminense e Flamengo, respectivamente), mas também Botafogo e Vasco da Gama. Com a vaga na Copa do Brasil doravante assegurada, a Copa Rio perdeu prestígio junto aos grandes clubes. Com o pouco interesse dos clubes da capital, houve apenas o Campeonato do Interior.[6] Em 1996, o Rubro Social foi o campeão ao bater na final o Mesquita. No ano seguinte foi a vez do Duquecaxiense, vencer o Rodoviário na final, após a desistência de Volta Redonda e Americano de disputar um quadrangular contra os dois primeiros.

1998–2000Editar

A partir de 1998, houve uma nova tentativa de reestruturação do torneio, mas sem classificação para a Copa do Brasil. Contudo, esta empreitada durou apenas três anos. Os quatro "grandes" abandonaram a competição, decidindo não mais disputá-la. As exceções foram a participação de Flamengo e Fluminense em 1998 e do Botafogo em 2000.[7]

2005Editar

Em 2005, a Copa Rio foi recriada, continuando sem a participação dos quatro maiores clubes cariocas, havendo o triunfo do Tigres, da cidade de Duque de Caxias. Não houve vaga para a Copa do Brasil.

2007–atualmenteEditar

 
Sendas, campeão em 2010.

Em 2007, o torneio foi mais valorizado e passou a oferecer vagas à Copa do Brasil de 2008 ou o Campeonato Brasileiro da Série C de 2008. Em 2008, o campeão Nova Iguaçu, desistiu de disputar a Copa do Brasil de 2009 . O Americano foi o convidado e, por sua vez, cedeu a vaga no Campeonato Brasileiro da Série D ao Madureira, terceiro colocado na competição.

Com isso, a Copa Rio-Espírito Santo de 2008, foi disputada pelo Quissamã, que ficou em quarto lugar na classificação. O regulamento previa uma vaga para o Campeonato Brasileiro da Série C de 2009 para o segundo colocado, por se tratar da última divisão disputada no Brasil até então. Com a criação posterior do Campeonato Brasileiro da Série D, o regulamento foi adaptado, passando a contemplar o vice-campeão com uma vaga no mesmo.

Em 2010, o Sendas ficou com o título ao vencer na decisão o Bangu, optando por disputar a Série D em 2011. O Bangu disputou a Copa do Brasil. Em 2011, o campeão foi o Madureira ficando com a classificação para a Copa do Brasil de 2012, pois a equipe já disputava a Série C. O Friburguense, vice-campeão, ficou com a vaga para a Série D de 2012.

No ano de 2012, o Nova Iguaçu conquistou o bicampeonato ao bater o Bangu e, em 2013, o Duque de Caxias conquistou pela primeira vez a competição, ao vencer o Boavista-RJ na grande final.

Em 2014, o Resende ficou com o título pela primeira vez. Após derrotar o Madureira com um gol do goleiro Arthur aos 50 minutos do segundo tempo, a equipe levou a partida para os pênaltis e se sagrou campeã.

A partir do ano de 2017 a Copa Rio mudou de formato, deixando de ter uma fase de grupos e passou a ser disputada apenas em mata-mata, começando nas oitavas de final, em jogos de ida e volta onde um time da Série A enfrentaria um time da Série B1 ou da Série B2 com o mando da partida de volta, a partir das Quartas de Final o mando seria sorteado. Os critérios de classificação foram, seguindo a ordem: Pontos obtidos nos dois jogos; Saldo de Gols; Gol Qualificado; Pênaltis. Foram classificados 16 clubes sendo 8 clubes da Série A, 5 da Série B1 e 3 da Série B2.

Em 2018 o regulamento mudou um pouco, primeiro pelo fim da regra do gol fora de casa e também para dar vagas também aos clubes vindos da Série C e foram acrescentadas mais duas fases, a preliminar, disputada entre o 2° e 3° colocados da Série C do ano anterior e a pré-Oitavas, com 8 jogos em ida e volta disputados por 7 clubes da Série B1, 7 clubes da Série B2, o campeão da Série C e mais o vencedor do Play-Off da fase anterior. Os 6 clubes da Série A, mais os campeões da Série B1 e Série B2 entram direto nas oitavas enfrentando os vencedores da Pré-Oitavas. Os times de divisão superior possuem vantagem do mando do 2° jogo em casa, caso os dois times sejam da mesma divisão o mando é sorteado.

CampeõesEditar

Ano Final 3º lugar 4º lugar
Campeão Placar Vice
1991
Detalhes
 
Flamengo
1 – 0
3 – 0
 
Americano
 
Botafogo
 
América de Três Rios
1992
Detalhes
 
Vasco da Gama
2 – 0
2 – 1
 
Fluminense
 
Americano
 
Volta Redonda
1993
Detalhes
 
Vasco da Gama
2 – 0
1 – 0
 
Flamengo
 
Americano
 
Entrerriense
1994
Detalhes
 
Volta Redonda
1 – 4
1 – 0
5 – 4 (pen)
 
Fluminense
 
America
 
Americano
1995
Detalhes
 
Volta Redonda
4 – 0
0 – 0
 
Barra-RJ
 
Botafogo
 
Bangu
1996
Detalhes
 
Rubro Social
1 – 3
2 – 0 (pro)
 
Mesquita
 
Desconhecido
 
Desconhecido
1997
Detalhes
 
Duquecaxiense
2 – 0
0 – 0
 
Rodoviário
 
Coelho da Rocha
 
Heliópolis
1998
Detalhes
 
Fluminense
4 – 0  
São Cristóvão
 
Volta Redonda
 
Botafogo de Macaé
1999
Detalhes
 
Volta Redonda
2 – 0
1 – 0
 
Madureira
 
Americano
 
Bangu
2000
Detalhes
 
Portuguesa-RJ
4 – 1  
Casimiro de Abreu
 
Botafogo
 
Rio das Ostras
2001–2004 Não houve disputa
2005
Detalhes
 
Tigres do Brasil
1 – 0
2 – 0
 
Macaé
 
Miguel Couto
 
Profute
2006 Não houve disputa
2007
Detalhes
 
Volta Redonda
3 – 1
0 – 2
4 – 2 (pen)
 
Cabofriense
 
Bangu
 
Nova Iguaçu
2008
Detalhes
 
Nova Iguaçu
1 – 0
3 – 2
 
Americano
 
Madureira
 
Quissamã
2009
Detalhes
 
Tigres do Brasil
2 – 2
2 – 0
 
Madureira
 
Sendas
 
Resende
2010
Detalhes
 
Sendas
1 – 0
1 – 2
4 – 3 (pen)
 
Bangu
 
Goytacaz
 
Madureira
2011
Detalhes
 
Madureira
2 – 1
3 – 2
 
Friburguense
 
Macaé
 
Bangu
2012
Detalhes
 
Nova Iguaçu
0 – 0
1 – 0
 
Bangu
 
Madureira
 
Resende
2013
Detalhes
 
Duque de Caxias
0 – 1
3 – 1
 
Boavista-RJ
 
Volta Redonda
 
Bangu
2014
Detalhes
 
Resende
0 – 1
1 – 0
3 – 1 (pen)
 
Madureira
 
Boavista-RJ
 
Friburguense
2015
Detalhes
 
Resende
0 – 0
5 – 2
 
Portuguesa-RJ
 
Volta Redonda
 
Gonçalense
2016
Detalhes
 
Portuguesa-RJ
2 – 3
4 – 3
3 – 4 (pen)
[nota 1]
 
Friburguense
 
Itaboraí
 
Resende
2017
Detalhes
 
Boavista-RJ
0 – 1
1 – 0
4 – 2 (pen)
 
Americano
 
São Gonçalo EC
 
Tigres do Brasil
2018
Detalhes
 
Americano
1 – 1
1 – 0
 
Itaboraí
 
Audax Rio
 
Friburguense
2019
Detalhes

 
Bonsucesso

0 – 0
1 – 0

 
Portuguesa-RJ

 
Sampaio Corrêa-RJ
 
Boavista-RJ

Títulos por clubeEditar

Clube Títulos Vice-campeonatos Semifinais
  Volta Redonda 4 (1994, 1995, 1999 e 2007) 4 (1992, 1998, 2013 e 2015)
  Portuguesa-RJ 2 (2000 e 2016) 2 (2015) (2019)
  Resende 2 (2014 e 2015) 2 (2012 e 2016)
  Tigres do Brasil 2 (2005 e 2009) 1 (2017)
  Vasco da Gama 2 (1992 e 1993)
  Nova Iguaçu 2 (2008 e 2012)
  Americano 1 (2018) 3 (1991, 2008 e 2017) 4 (1992, 1993, 1994 e 1999)
  Madureira 1 (2011) 3 (1999, 2009 e 2014) 1 (2012)
  Fluminense 1 (1998) 2 (1992 e 1994)
  Boavista-RJ 1 (2017) 1 (2013) 2 (2014 e 2019)
  Flamengo 1 (1991) 1 (1993)
  Audax Rio[SEN] 1 (2010) 1 (2018)
  Rubro Social 1 (1996)
  Duquecaxiense 1 (1997)
  Duque de Caxias 1 (2013)
  Bonsucesso 1 (2019)
  Bangu 2 (2010 e 2012) 4 (1995, 1999, 2011 e 2013)
  Friburguense 2 (2011 e 2016) 2 (2014 e 2018)
  Macaé[BOT] 1 (2005) 2 (1998 e 2011)
  Itaboraí 1 (2018) 1 (2016)
  Barra-RJ 1 (1994)
  Mesquita 1 (1996)
  Rodoviário 1 (1997)
  São Cristóvão 1 (1998)
  Casimiro de Abreu 1 (2000)
  Cabofriense 1 (2007)
  Botafogo 3 (1991, 1995 e 2000)
  América de Três Rios 1 (1991)
  Entrerriense 1 (1993)
  America 1 (1994)
  Rio das Ostras 1 (2000)
  Miguel Couto 1 (2005)
  Profute Volantes[PRO] 1 (2005)
  Gonçalense 1 (2015)
  São Gonçalo EC 1 (2017)
  Sampaio Corrêa-RJ 1 (2019)

Títulos por cidadeEditar

Cidade Títulos Vices Semifinais
  Rio de Janeiro 7 10 9
  Volta Redonda 4 4
  Duque de Caxias 4 1
  Resende 2 2
  Nova Iguaçu 2 1
  Campos dos Goytacazes 1 3 4
  Saquarema 1 1 3
  Araruama 1
  São João de Meriti 1
  Nova Friburgo 2 1
  Itaboraí 1 2
  Macaé 1 2
  Cabo Frio 1
  Casimiro de Abreu 1
  Mesquita 1
  Piraí 1
  Teresópolis 1
  São Gonçalo 2
  Três Rios 2
  Rio das Ostras 1

ArtilhariaEditar

Ano Artilheiro Time Gols
2007 Éberson   Portuguesa-RJ 10
2008 Assumpção   Olaria 13
2009 Daniel   Sendas 16
2010 Pipico   Bangu 8
2011 Wellinton Pimenta   Serra Macaense 8
2012 Derley   Madureira 10
2013 Tiago Amaral   Volta Redonda 9
2014 Gilcimar   America 8
2015 Douglas Caé   Resende 6
Sabão   Gonçalense
Tiago Amaral   Volta Redonda
2016 Lohan   Friburguense 11
2017 Felipe Augusto   Boavista-RJ 5
2018 Cláudio Maradona   Americano 7

NotasEditar

  1. Mesmo após derrota na decisão por pênaltis, a Portuguesa-RJ foi declarada campeã da Copa Rio de 2016 pelo Tribunal de Justiça Desportiva do Rio de Janeiro, que puniu o Friburguense com a perda de seis pontos por conta da escalação irregular do jogador Diego Guerra na primeira partida da final.[8]

Referências

  1. «Flapedia: Copa Rio. Acesso em 18 de maio de 2016.». Consultado em 18 de maio de 2016. Arquivado do original em 13 de março de 2016 
  2. Jornal do Brasil. 27/11/1994. Página 35.
  3. Jornal do Brasil. 28/11/1994. Página 3 da Seção de Esportes.
  4. Há 20 anos, Voltaço batia o Fluminense e conquistava sua primeira Copa Rio. Super-Gol:18 de dezembro de 2014.
  5. Jornal do Brasil, 26/10/1995, página 31.
  6. «Flapedia: Copa Rio. Acesso em 18 de maio de 2016.». Consultado em 18 de maio de 2016. Arquivado do original em 13 de março de 2016 
  7. «Flapedia: Copa Rio. Acesso em 18 de maio de 2016.». Consultado em 18 de maio de 2016. Arquivado do original em 13 de março de 2016 
  8. «Friburguense é punido por escalação irregular e perde o título da Copa Rio». GloboEsporte.com. 28 de outubro de 2016. Consultado em 28 de outubro de 2016 

Ver tambémEditar