Abrir menu principal

Camilo Santana

Governador do Estado do Ceará
Camilo Santana
Camilo Santana em 2018.
60.º Governador do Ceará
Período 1 de janeiro de 2015
até 31 de dezembro de 2022
Vice-governador Izolda Cela
Antecessor Cid Gomes
Deputado Estadual pelo Ceará
Período 1º de fevereiro de 2011
até 31 de dezembro de 2014
Secretário das Cidades do Ceará
Período 1º de janeiro de 2012
até 5 de junho de 2012
Sucessor Carlo Ferrentini Sampaio
Secretário do Desenvolvimento Agrário do Ceará
Período 1º de fevereiro de 2007
até 31 de dezembro de 2010
Dados pessoais
Nome completo Camilo Sobreira de Santana
Nascimento 3 de junho de 1968 (51 anos)
Crato, Ceará
Cônjuge Onélia Leite Santana
Partido PT (2010-atualmente)
Religião Católico
Profissão Engenheiro agrônomo
Assinatura Assinatura de Camilo Santana

Camilo Sobreira de Santana (Crato, 3 de junho de 1968) é um engenheiro agrônomo, professor e político brasileiro. Em 2018, Santana foi reeleito governador do Ceará pelo Partido dos Trabalhadores (PT).

BiografiaEditar

Camilo Santana, filho de Ermengarda Maria de Amorim Sobreira e de Eudoro Walter de Santana, formou-se em Agronomia pela Universidade Federal do Ceará (UFC) e como mestre em Desenvolvimento e Meio Ambiente pela mesma instituição. Durante a graduação, exerceu a função de diretor do Diretório Central dos Estudantes da UFC.[1]

Trajetória políticaEditar

Camilo Santana foi candidato à prefeito de Barbalha em 2000 e 2004,[2] mas não obteve sucesso em nenhuma das candidaturas, dando espaço ao mandato de Edmundo de Sá Filho no ano de 2001, e alcançando o segundo lugar nas eleições de 2004, recebendo cerca de 9.925 votos.[3]

Santana também foi professor e coordenador da FATEC Cariri e ocupou, como servidor público federal por concurso, a superintendência adjunta do IBAMA no Ceará em 2003 e 2004. Além disso, também foi Secretário do Desenvolvimento Agrário do Estado do Ceará no governo de Cid Gomes, de 1 de fevereiro de 2007 a 31 de dezembro de 2010.[1][2]

Camilo já recebeu o título de cidadão honorário dos municípios de Barbalha, Juazeiro do Norte, Quixeramobim, Crateús e Palmácia. Em 2010, chegou ao posto de deputado estadual pelo Ceará, sendo o político mais votado do pleito, com cerca de 131.171 votos no Estado.[2] O então deputado foi licenciado para assumir a Secretaria das Cidades durante o governo de Cid Gomes em 2012.[4]

Governo do CearáEditar

A candidatura de Santana foi oficializada no dia 29 de junho de 2014, em Fortaleza, durante convenção coletiva do PROS, PT e outros partidos aliados à coligação liderada pelo então governador Cid Gomes.[5] A convenção foi marcada, entretanto, pela indefinição a respeito das indicações aos cargos de senador e vice-governador da coligação. Santana já havia sido cogitado anteriormente para o cargo máximo do executivo do estado, mas não figurava a lista dos favoritos para o cargo, dominado por integrantes do PROS.[6]

Nas eleições de primeiro turno pra governador do Ceará, Santana teve 47,81% dos votos válidos contra 46,41% de Eunício Oliveira, o que levou a decisão para o segundo turno. No segundo embate, Santana conseguiu alcançar 53,35% dos votos válidos contra apenas 46,65% de Eunício, alcançando a vitória ao Governo do Estado. Contudo, seu candidato ao Senado, Mauro Filho (PROS), não conseguiu vencer a disputa com Tasso Jereissati (PSDB).[7]

Camilo Santana foi eleito governador do Ceará em 26 de outubro de 2014. Em 2015, no auge da luta pela instalação do HUB da LATAM (ponte de conexões de voos internacionais) no Ceará contra os interesses do Rio Grande do Norte e Pernambuco, o governador Camilo conseguiu reunir os ex-governadores do Ceará em evento suprapartidário em prol da cidade de Fortaleza, destacando-se a presença de Tasso Jereissati, Ciro Gomes, Gonzaga Mota, Francisco Aguiar (Presidente do TCM na época), Adauto Bezerra e Cid Gomes, embora o ex-governador Lúcio Alcântara não tenha comparecido.[8]

 
Camilo Santana em julho de 2015.

Na eleição de 2016, Camilo Santana contrariou seu partido, o PT, para apoiar o candidato à reeleição Roberto Cláudio (PDT) em detrimento da candidatura da petista Luizianne Lins à prefeitura de Fortaleza.[9]

Em 05 de agosto de 2018, Camilo Santana é homologado candidato a reeleição para o governo do estado do Ceará. Em 07 de outubro de 2018, o candidato foi reeleito com 79,96% (3.457.556 votos) Governador do Estado do Ceará, contra o seu principal adversário General Theophilo (PSDB), que obteve 488.438 votos, correspondente a 11,30% dos votos válidos.[10]

ControvérsiasEditar

Em 2012, na época em que era secretário estadual das Cidades, teve seus bens bloqueados pela Justiça do município de Horizonte por suposto envolvimento no chamado "Escândalo dos banheiros", ou seja, o desvio de verbas computado para a construção de 200 banheiros sanitários que nunca foram realizados.[11] Em defesa, Camilo se pronunciou dizendo que o escândalo se iniciou em 2010, antes do início de sua gestão na secretaria em 2011, tendo ele colaborado para a investigação e fiscalização do problema.[12] Com processos sendo julgados em 2013 e questões judiciais sendo levadas para a frente nos anos seguintes, a temática do escândalo fora utilizada pela oposição de Camilo durante as eleições de 2014, aparecendo nos debates e discussões oficiais.[13][14][15][16]

Referências

BibliografiaEditar

Ligações externasEditar

Precedido por
Cid Gomes
Governador do Ceará
2015 – presente
Sucedido por
-
  Este artigo sobre um político é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.