Abrir menu principal
Chiquinha Gonzaga
Informação geral
Formato Minissérie
Duração 40 minutos aproximadamente
Criador(es) Lauro César Muniz
Marcílio Moraes
País de origem Brasil
Idioma original Português
Produção
Elenco Regina Duarte
Carlos Alberto Riccelli
Susana Vieira
Gabriela Duarte
Marcelo Novaes e grande elenco
Exibição
Transmissão original 12 de janeiro de 1999 - 19 de março de 1999
N.º de episódios 38
Cronologia
O Auto da Compadecida
Luna Caliente

Chiquinha Gonzaga foi uma minissérie brasileira produzida pela Rede Globo e exibida de 12 de janeiro a 19 de março de 1999[1].

Baseada em obra de Dalva Lazaroni de Moraes, teve o roteiro escrito por Lauro César Muniz e Marcílio Moraes, baseada na vida da maestrina e compositora Francisca Edwiges Neves Gonzaga, dirigida por Jayme Monjardim, Luiz Armando Queiroz e Marcelo Travesso[2].

Contou com Regina Duarte, Carlos Alberto Riccelli, Susana Vieira, Gabriela Duarte, Marcelo Novaes, Danielle Winits e Norton Nascimento nos papéis principais.

A minissérie se baseou no livro "Chiquinha Gonzaga. Sofri e Chorei. Tive Muito Amor", de Dalva Lazaroni de Moraes. Por conta do descumprimento do contrato que previa a menção à obra nos episódios da minissérie, a Rede Globo foi condenada em 2018 a indenizar os herdeiros da autora.[3]

Índice

SinopseEditar

A vida da compositora Chiquinha Gonzaga, que escandalizou a sociedade carioca de sua época com seus ideais libertários e com a popularização do samba como música genuinamente brasileira.

Jovem, é obrigada pelo pai, Basileu, um militar rígido, a casar-se com Jacinto, um homem que, apesar de amá-la, privava Chiquinha de sua maior paixão, a música, ao sentir que seu casamento é preterido pelos ideais de sua esposa. Chiquinha, não hesita em deixar o marido para viver com o seu grande amor, o músico João Batista, um homem liberal que mantém uma relação mal resolvida com Suzette, a proprietária do maior salão da corte.

E é entre a classe artística marginalizada que Chiquinha Gonzaga encontra o apoio para compor e vai tornar-se a primeira compositora e maestrina do cenário brasileiro do final do século XIX. Mas sua vida, tão marcada por paixões ainda lhe reservaria uma surpresa: Chiquinha tem um intenso caso de amor com Joãozinho, um jovem com idade para ser seu filho, com quem acabaria vivendo até o resto de sua vida.

ElencoEditar

ReexibiçõesEditar

Foi reexibida na íntegra pelo Canal Viva de 25 de novembro de 2010 a 17 de janeiro de 2011, substituindo Desejo e sendo substituída por Dona Flor e Seus Dois Maridos, às 23h45.[4]

Foi reexibida novamente na íntegra pelo Canal Viva de 9 de julho a 22 de agosto de 2012, substituindo Os Maias e sendo substituída por Engraçadinha: Seus Amores e Seus Pecados, às 23h15.[5]

Exibição InternacionalEditar

Trilha sonoraEditar

Capa: Gabriela Duarte

  1. Lua Branca - Joanna
  2. Machuca - Daniela Mercury
  3. Não Venhas - Emílio Santiago
  4. Romance da Princesa - Roberta Miranda
  5. Menina Faceira - Paulinho Moska
  6. Cordão Carnavalesco (Forrobodó) - Alcione
  7. A Brasileira - Adriana Calcanhoto
  8. Ô Abre Alas - Marlene, Ângela Maria e Emilinha Borba
  9. A Corte Na Roça - Beto Guedes
  10. Atraente - Edson Cordeiro
  11. Maxixe da Zeferina - Beth Carvalho
  12. O Que É Sympathia - Zé Ramalho
  13. Santa - Zélia Duncan
  14. Namorados da Lua - Milton Nascimento
  15. O Namoro - Renato Teixeira
  16. Corta Jaca - Marcus Viana e Maria Teresa Madeira
  17. Um Novo Século - Marcus Viana (Tema de Abertura)

Referências

  1. «Série da Globo revê vida de compositora». Diário do Grande ABC. 11 de janeiro de 1999. Consultado em 10 de junho de 2016 
  2. «Globo filmará vida de Chiquinha Gonzaga». Folha de S.Paulo. 8 de julho de 1998. Consultado em 10 de junho de 2016 
  3. Castro, Daniel (10 de agosto de 2018). «Após 19 anos, Globo é condenada por causar baque psicológico em escritora». Notícias da TV. Consultado em 12 de agosto de 2018 
  4. «Chiquinha Gonzaga estreia no Canal Viva». Área Vip. 24 de novembro de 2010. Consultado em 16 de junho de 2015 
  5. «Canal Viva irá reprisar minissérie "Chiquinha Gonzaga"». Correio de Uberlândia. 21 de junho de 2012. Consultado em 16 de junho de 2015 
  6. http://memoriaglobo.globo.com/Memoriaglobo/0,27723,GYN0-5273-240037,00.html

Ligações externasEditar