Abrir menu principal

Eleições gerais no Brasil em 1950

Governadores eleitos em 1950Editar

Senadores eleitos em 1950Editar

Câmara dos Deputados em 1950Editar

Partidos Cadeiras
PSD 112
UDN 81
PTB 51
PSP 24
PR 11
PST 9
PL 5
PTN 5
PDC 2
PRP 2
PSB 1
PRT 1
Total 304

Notas

  1. Arnon de Melo foi eleito simultaneamente para o mandato de deputado federal, mas renunciou a este em prol do suplente, Mário Gomes de Barros, a fim de assumir o governo estadual.
  2. a b c Interventor federal no Estado Novo, elegeu-se senador em 1945 e renunciou ao mandato para assumir o governo estadual.
  3. a b c d e f g O substituto do governador era o presidente da Assembleia Legislativa ou o presidente do Tribunal de Justiça.
  4. Juscelino Kubitschek renunciou ao mandato em 31 de março de 1955 para candidatar-se à Presidência da República, disputa na qual foi vencedor.
  5. Agamenon Magalhães faleceu no Recife em 24 de agosto de 1952. Com isso o presidente da Assembleia Legislativa, Antônio Torres Galvão, assumiu o governo interinamente e em seguida Etelvino Lins foi eleito governador por voto direto.
  6. Dix-Sept Rosado faleceu em um acidente aéreo em Aracaju em 12 de julho de 1951.
  7. Landulfo Alves faleceu no Rio de Janeiro em 15 de outubro de 1954.
  8. Alencastro Guimarães foi ministro do Trabalho nos governos de Café Filho e Carlos Luz enquanto Mozart Lago foi eleito para completar o mandato de Luís Carlos Prestes, pois o Tribunal Superior Eleitoral decretou a ilegalidade do PCB em 7 de maio de 1947 e o Congresso Nacional cassou os mandatos da bancada comunista à 10 de janeiro de 1948.
  9. Antônio Bayma renunciou em 1955 mediante um acordo político que permitiu a eleição de Assis Chateaubriand, decisão seguida pelo suplente Newton Belo, o qual foi substituído por Públio de Melo.
  10. Artur Bernardes Filho foi eleito vice-governador de Minas Gerais em 1955 na chapa de Bias Fortes.
  11. Prisco dos Santos foi eleito pela Coligação Democrática Paraense.
  12. Arêa Leão faleceu em Teresina à 1º de fevereiro de 1958.
  13. Sá Tinoco renunciou ao mandato em agosto de 1958 para assumir uma vaga no Tribunal de Contas do Rio de Janeiro.
  14. Vítima de um acidente vascular cerebral, Alberto Pasqualini renunciou ao mandato em 19 de junho de 1956.
  15. César Vergueiro foi assassinado em Santos à 31 de janeiro de 1957.

Referências

  1. «Banco de dados do Tribunal Superior Eleitoral». Consultado em 25 de março de 2019