Abrir menu principal

Final da Copa do Mundo FIFA de 2014

A final da Copa do Mundo FIFA de 2014 foi realizada em 13 de julho no estádio Maracanã, na cidade do Rio de Janeiro, Brasil.[2] Foi a segunda final de mundial disputada no estádio após a definição da Copa do Mundo FIFA de 1950 entre Brasil e Uruguai, vencida pelos uruguaios por 2 a 1.[2]

Final da Copa do Mundo FIFA de 2014
Germany lifts the 2014 FIFA World Cup.jpg
Evento Copa do Mundo FIFA de 2014
Após a prorrogação.
Data 13 de julho de 2014
Local Estádio do Maracanã, Rio de Janeiro
Melhor em campo Alemanha Mario Götze
Árbitro ItáliaITA Nicola Rizzoli
Público 74 738
Tempo Parcialmete nublado
23 °C (73,4 °F)
65% de umidade[1]

Foi disputada entre Alemanha e Argentina, em partida que repetiu decisões de duas edições anteriores de Copa do Mundo (em 1986 com vitória argentina e em 1990 com vitória alemã) e tornando-se a final mais repetida da história.[3] Foi também a segunda vez que uma seleção se tornou finalista com mais do que o dobro do número de gols marcado pelo rival na campanha (a outra foi em 1990).[4] No geral esta foi a oitava final da Alemanha e a quinta da Argentina.

A Alemanha conquistou o título pela quarta vez, a primeira após a reunificação,[5] após vencer o jogo por 1–0 na prorrogação.[6] Foi a primeira conquista de uma equipe europeia no continente sul-americano.[7] Além disso, Miroslav Klose tornou-se um dos 7 jogadores a terem conquistado ambas medalhas de ouro, de prata e de bronze em Copas do Mundo FIFA.

Este foi o evento esportivo mais popular dos dez anos de história da rede social Facebook. 88 milhões de pessoas em todo o mundo (cerca de 10% destes usuários brasileiros) realizaram mais de 280 milhões de ações na rede. Isso inclui publicação de textos, fotos e vídeos e o uso do botão "Curtir".[8]

Além disso, o registro do olhar desolado de Lionel Messi para a taça da Copa do Mundo minutos depois da Argentina ser derrotada pela Alemanha, na final do torneio, valeu o prêmio World Press Photo ao fotógrafo Bao Tailiang, do jornal chinês "Chengdu Economic Daily".[9]

Índice

Performances dos finalistasEditar

AlemanhaEditar

A Seleção Alemã estreou na competição com uma goleada de 4–0 contra Portugal na Arena Fonte Nova, Salvador.[10] No segundo jogo pela fase de grupos empatou com Gana por 2–2 na Arena Castelão.[11] Terminou essa fase ganhando de 1–0 dos Estados Unidos na Arena Pernambuco, em Recife.[12] Nas oitavas de final, teve dificuldades contra a Argélia, ganhando de 2–1 após a prorrogação no Estádio Beira-Rio.[13] Nas quartas de final venceu a França por 1–0 no Estádio do Maracanã, Rio de Janeiro.[14] Nas semifinais enfrentou os anfitriões do Brasil no Estádio Mineirão, em Belo Horizonte, e venceu por um expressivo 7–1.[15]

ArgentinaEditar

A Seleção Argentina estreou na competição com um placar de 2–1 contra a estreante seleção da Bósnia e Herzegovina no Estádio do Maracanã, Rio de Janeiro.[16] No segundo jogo pela fase de grupos ganhou de 1–0 do Irã no Estádio Mineirão, garantindo a vaga nas oitavas de final.[17] Terminou essa fase ganhando de 3–2 da Nigéria no Estádio Beira-Rio, em Porto Alegre.[18] Nas oitavas, teve dificuldades contra a Suíça, ganhando de 1–0 após a prorrogação na Arena de São Paulo.[19] Nas quartas de final venceu a Bélgica por 1–0 no Estádio Nacional Mané Garrincha, Brasília.[20] Nas semifinais enfrentou a seleção dos Países Baixos novamente na Arena de São Paulo, mantendo o empate sem gols no tempo normal de jogo e na prorrogação e ganhando de 4–2 na disputa por pênaltis.[21]

Caminho até a finalEditar

  Alemanha Fase   Argentina
Oponente Resultado Fase de grupos Oponente Resultado
  Portugal 4–0 Rodada 1   Bósnia e Herzegovina 2–1
  Gana 2–2 Rodada 2   Irã 1–0
  Estados Unidos 1–0 Rodada 3   Nigéria 3–2
Grupo G J V E D GP GC SG Pts
  Alemanha 3 2 1 0 7 2 +5 7
  Estados Unidos 3 1 1 1 4 4 0 4
  Portugal 3 1 1 1 4 7 −3 4
  Gana 3 0 1 2 2 4 −2 1
Resultado final
Grupo F J V E D GP GC SG Pts
  Argentina 3 3 0 0 6 3 +3 9
  Nigéria 3 1 1 1 3 3 0 4
  Bósnia e Herzegovina 3 1 0 2 2 4 −2 3
  Irã 3 0 1 2 1 4 −3 1
Oponente Resultado Fase final Oponente Resultado
  Argélia 2–1 (pro) Oitavas de final   Suíça 1–0 (pro)
  França 1–0 Quartas de final   Bélgica 1–0
  Brasil 7–1 Semifinais   Países Baixos 0–0 (4–2 pen)

Bola da partidaEditar

A bola que foi utilizada na partida foi revelada no dia 29 de maio de 2014.[22] Fabricada pela Adidas e chamada "Adidas Brazuca Final Rio" trata-se de uma bola semelhante a Brazuca, utilizada durante todo o torneio, porém, com alguns detalhes de decoração diferentes. As cores vermelha, azul e verde da original deram lugar ao dourado e verde-limão, inspirados no troféu da Copa do Mundo e com os nomes das seleções finalistas, estádio, cidade e a data do jogo.[22][23]

Detalhes da partidaEditar

13 de julho Alemanha   1 – 0 (pro)   Argentina Estádio do Maracanã, Rio de Janeiro
16:00 (UTC−3)
Götze   113' Relatório Público: 74 738
Árbitro:  ITA Nicola Rizzoli
     
 
 
Alemanha[24]
     
 
 
Argentina[24]
 
ALEMANHA:
G 1 Manuel Neuer
LD 16 Philipp Lahm  
Z 20 Jérôme Boateng
Z 5 Mats Hummels
LE 4 Benedikt Höwedes   34'
V 7 Bastian Schweinsteiger   29'
V 23 Christoph Kramer   31'
A 13 Thomas Müller
M 18 Toni Kroos
A 8 Mesut Özil   120'
A 11 Miroslav Klose   88'
Substituições:
A 9 André Schürrle   31'
M 19 Mario Götze   88'
Z 17 Per Mertesacker   120'
Treinador:
  Joachim Löw
 
 
ARGENTINA:
G 1 Sergio Romero
LD 4 Pablo Zabaleta
Z 15 Martín Demichelis
Z 2 Ezequiel Garay
LE 16 Marcos Rojo
M 6 Lucas Biglia
M 14 Javier Mascherano   64'
M 8 Enzo Pérez   86'
A 10 Lionel Messi  
A 9 Gonzalo Higuaín   78'
A 22 Ezequiel Lavezzi   46'
Substituições:
A 20 Sergio Agüero   65'   46'
A 18 Rodrigo Palacio   78'
M 5 Fernando Gago   86'
Treinador:
  Alejandro Sabella

Homem do Jogo:
Mario Götze (Alemanha)

Bandeirinhas:
  Renato Faverani
  Andrea Stefani
Quarto árbitro:
  Carlos Vera
Quinto árbitro:
  Christian Lescano

EstatísticasEditar

 
Mario Götze, no chão, no momento em que a bola entra no gol, definindo a vitória para a Alemanha.
Geral[25] Alemanha Argentina
Gols marcados 1 0
Finalizações totais 10 10
Finalizações no gol 7 2
Posse de bola 60% 40%
Escanteios 5 3
Faltas cometidas 20 17
Impedimentos 3 2
Defesas 2 6
Cartões amarelos 2 2
Cartões vermelhos 0 0

Esquema de segurançaEditar

 
Visão interna do Maracanã, durante a partida.

Para este jogo foi preparado o maior esquema de segurança da história do país para um único evento.[26] Segundo José Mariano Beltrame, então secretário de segurança do Rio de Janeiro, esta operação foi a maior já feita no Brasil, superando inclusive a Rio+20, em 2012, e o encerramento da Jornada Mundial da Juventude, em 2013,[27] pois além de ser a final do principal evento do futebol mundial, com expectativa de quase 75 mil espectadores e a presença de autoridades e chefes de Estado, existia o temor de tentativa de invasão ao Maracanã por torcedores sem ingressos, como aconteceu no mesmo estádio antes da partida entre Chile e Espanha, pela fase de grupos.[28] Havia também outras preocupações, como brigas e distúrbios entre torcedores, consumo de álcool dentro dos estádios, protestos e até o terrorismo.[29]

Dentre os envolvidos no esquema de segurança estiveram 9 300 agentes das Forças de Defesa (Exército, Marinha e Aeronáutica), 1.000 agentes da Polícia Federal, 800 agentes da Polícia Rodoviária Federal, 800 agentes da Força Nacional, 14.984 policiais militares, 505 policiais civis, 1.750 bombeiros, 1.032 guardas municipais, 600 fiscais de trânsito e 1.600 stewards (seguranças dentro do estádio).[30] Contou ainda com 30 equipes de batedores, que fizeram a escolta das comitivas das autoridades, sete helicópteros e sete embarcações de grande porte da Marinha do Brasil.

Além deste aparato humano, a polícia do Rio de Janeiro usou uma banda larga 4G exclusiva, com a qual os policiais no entorno do estádio transmitiram os dados para o Centro Integrado de Comando e Controle, que permitiu o envio de imagens com maior resolução e rapidez. O sitema de rádio de voz das operações teve sua capacidade ampliada para comportar o tamanho do evento, permitindo que a comunicação crítica ocorresse sem nenhuma tentativa de chamada receber o sinal de ocupado.[31]

ConvidadosEditar

A presidente do Brasil Dilma Rousseff esteve presente na final. Ela entregou, em mãos, o troféu para a equipe campeã.[32]

O presidente russo Vladimir Putin aproveitou sua viagem pela América Latina e compareceu a Final no Brasil. A Rússia será a próxima sede da Copa de 2018.[33] Outros Chefes de Estado como o presidente da África do Sul, Jacob Zuma, o Emir do Catar, Tamim bin Hamad al-Thani, e outros também estiveram presentes na final, assim como o presidente do Comitê Olímpico Internacional, Thomas Bach.[34]

Representantes da finalista Alemanha, a chanceler Angela Merkel e o presidente Joachim Gauck estiveram presentes para apoiar a equipe nacional. Merkel já esteve na partida entre Alemanha e Portugal, em Salvador, quando a equipe alemã venceu por 4–0.[35] Já a presidente argentina Cristina Kirchner não pode estar presente, pois recuperava-se de uma inflamação na garganta.[36]

Algumas celebridades também estiveram presentes, entre elas Mick Jagger, Rihanna, David Beckham, Kaká, Zico, Plácido Domingo, Ashton Kutcher, Daniel Craig, Tom Brady, LeBron James e Pelé.[37]

Cerimônia de EncerramentoEditar

 
Alegorias utilizadas durante a Cerimônia de Encerramento.

As 14h20, iniciou-se a Cerimônia de Encerramento da Copa. 30 casais de Mestre-Sala e Porta-Bandeira, símbolos do Carnaval carioca, entraram no estádio carregando as bandeiras dos trinta países participantes da Copa, e eliminados até o momento. Por fim, entraram os casais representantes dos dois países finalistas, que dançaram ao redor de uma Porta-Bandeira em vestes douradas, representando a Taça do campeão. A bateria da Grande Rio, Shakira e Carlinhos Brown executaram a canção "La La La", da colombiana. Em seguida, o rapper haitiano Wyclef Jean, o guitarrista mexicano Carlos Santana e o cantor Alexandre Pires cantaram "Dar Um Jeito (We Will Find a Way)", música feita especialmente para essa Final. Ivete Sangalo também subiu ao palco, acompanhado da mascote Fuleco, para cantar um conjunto de seus maiores sucessos. A cerimônia terminou com, todos juntos, cantando o samba-enredo "Explode Coração", do Salgueiro.[38] O protocolo oficial da Final iniciou-se com a supermodelo Gisele Bündchen, junto do jogador espanhol e então campeão do mundo Carles Puyol, apresentarndo o troféu ao mundo.[39]

Ver tambémEditar

Referências

  1. «Esquema tático – Alemanha–Argentina» (PDF) (em inglês). FIFA.com. 13 de julho de 2014. Consultado em 14 de julho de 2014 
  2. a b «Estádio do Maracanã - Rio de Janeiro». FIFA.com. Consultado em 11 de março de 2014. Arquivado do original em 12 de março de 2014 
  3. «Em 'maior' final de Copa, Argentina leva a melhor, mas Alemanha é soberana em Mundiais». ESPN.com.br. 9 de julho de 2014. Consultado em 10 de julho de 2014 
  4. «Alemães repetem 1990 e chegam à final com dobro de gols da Argentina». GloboEsporte.com. 12 de julho de 2014. Consultado em 14 de julho de 2014 
  5. «Título pode ser a primeira Copa da Alemanha unificada». Exame.com. 13 de julho de 2014. Consultado em 14 de julho de 2014 
  6. «Para a história! Alemanha é tetra no Maracanã com gol na prorrogação!». GloboEsporte.com. 13 de julho de 2014. Consultado em 14 de julho de 2014 
  7. «Alemanha quebra sina de 'Copa América' e é primeira europeia a ganhar 'fora de casa'». ESPN.com.br. 13 de julho de 2014. Consultado em 14 de julho de 2014 
  8. «Decisão da Copa do Mundo rende recorde ao Facebook». Veja. 14 de julho de 2014. Consultado em 15 de julho de 2014 
  9. «Desolação: foto de Messi olhando taça da Copa leva prêmio internacional». GloboEsporte.com. 12 de fevereiro de 2015. Consultado em 12 de fevereiro de 2015 
  10. «Portugal nem vê a Alemanha passar». UOL Copa. 16 de junho de 2014. Consultado em 9 de julho de 2014 
  11. «Ih, o alemão apareceu». UOL Copa. 21 de junho de 2014. Consultado em 9 de julho de 2014 
  12. «Sem marmelada». UOL Copa. 26 de junho de 2014. Consultado em 9 de julho de 2014 
  13. «Alemanha leva susto, mas letra de Schürrle abre vitória contra Argélia». GloboEsporte.com. 30 de junho de 2014. Consultado em 9 de julho de 2014 
  14. «Sempre ela: Neuer brilha, Alemanha bate França e vai enfrentar o Brasil». GloboEsporte.com. 4 de julho de 2014. Consultado em 9 de julho de 2014 
  15. «Brasil sofre goleada da Alemanha em vexame histórico e disputará 3º lugar». GloboEsporte.com. 4 de julho de 2014. Consultado em 9 de julho de 2014 
  16. «Messi responde gritos de Neymar com golaço, e Argentina bate Bósnia.». GloboEsporte.com. 15 de junho de 2014. Consultado em 9 de julho de 2014 
  17. «Bastou Messi: Com golaço do craque no fim, Argentina bate o Irã e avança». GloboEsporte.com. 21 de junho de 2014. Consultado em 9 de julho de 2014 
  18. «Uma hora de Messi é suficiente, e Argentina bate a Nigéria "em casa"». GloboEsporte.com. 25 de junho de 2014. Consultado em 9 de julho de 2014 
  19. «O craque da vez: Di María decide, Argentina bate Suíça e sobrevive». GloboEsporte.com. 1 de julho de 2014. Consultado em 9 de julho de 2014 
  20. «Higuaín faz papel de Messi, Argentina vence a Bélgica e está na semifinal». GloboEsporte.com. 5 de julho de 2014. Consultado em 9 de julho de 2014 
  21. «Romero repete Goyoco, Argentina bate Holanda nos pênaltis e está na final». GloboEsporte.com. 9 de julho de 2014. Consultado em 9 de julho de 2014 
  22. a b «adidas revela a bola da decisão: conheça a brazuca Final Rio». FIFA.com. 29 de maio de 2014. Consultado em 14 de julho de 2014. Arquivado do original em 15 de julho de 2014 
  23. «Bola feita para final da Copa foi testada por Messi e Schweinsteiger». UOL. 10 de julho de 2014. Consultado em 14 de julho de 2014 
  24. a b «FIFA define uniformes para a Final». Goal. 11 de julho de 2014. Consultado em 11 de julho de 2014 
  25. «Relatório da partida – Alemanha 1–0 Argentina» (PDF) (em inglês). FIFA.com. 13 de julho de 2014. Consultado em 14 de julho de 2014 
  26. «Final da Copa: com segurança de 26 mil homens, Rio recebe chefes de Estado e 100 mil argentinos». R7. 13 de julho de 2014. Consultado em 14 de julho de 2014 
  27. «Mais de 25 mil homens farão segurança na final da Copa, diz Beltrame». Jornal Ipanema. 13 de julho de 2014. Consultado em 14 de julho de 2014. Arquivado do original em 14 de julho de 2014 
  28. «Maior esquema de segurança do Rio impressiona na chegada ao Maracanã». iG. 13 de julho de 2014. Consultado em 14 de julho de 2014 
  29. «Para final, polícia monta esquema recorde de 25 mil agentes». A Tarde. 13 de julho de 2014. Consultado em 14 de julho de 2014 
  30. «Rio de Janeiro terá a maior operação de segurança da história na final da Copa do Mundo». Unisite. 12 de julho de 2014. Consultado em 14 de julho de 2014. Arquivado do original em 9 de junho de 2015 
  31. «Polícia do Rio testa banda larga exclusiva na final da Copa». ururau.com.br. 13 de julho de 2014. Consultado em 14 de julho de 2014. Arquivado do original em 15 de julho de 2014 
  32. «Presidente Dilma entregará taça na final da Copa do Mundo». Estadão. 7 de julho de 2014. Consultado em 10 de julho de 2014 
  33. «Putin visitará o Brasil e confirma presença na final da Copa». UOL. 4 de julho de 2014. Consultado em 10 de julho de 2014 
  34. «Final da Copa reúne convidados». Estadão. 9 de julho de 2014. Consultado em 12 de julho de 2014 
  35. «Germany chancellor and president to watch final at Maracanã» (em inglês). Agência Brasil. 9 de julho de 2014. Consultado em 10 de julho de 2014 
  36. «Cristina Kirchner cancela presença na Final». G1. 11 de julho de 2014. Consultado em 11 de julho de 2014 
  37. Maese, Rick; Phillips, Dom (13 de julho de 2014). «2014 World Cup draws to a close in conflicted Brazil». Rio de Janeiro: The Washington Post. Consultado em 13 de julho de 2014 
  38. «FIFA World Cup 2014 Closing Ceremony Details: Time and Venue; Shakira to Perform Live» (em inglês). International Business Time. 10 de julho de 2014. Consultado em 11 de julho de 2014 
  39. «Puyol, Gisele to unveil Trophy prior to the Final» (em inglês). FIFA.com. 9 de julho de 2014. Consultado em 10 de julho de 2014 


Outros projetos Wikimedia também contêm material sobre este tema:
  Imagens e media no Commons