Abrir menu principal

Liu Shaoqi

político chinês, 2° Presidente da China
Este é um nome chinês; o nome de família é Liu (刘 ).
Liu Shaoqi

刘少奇

Liu Shaoqi
2Presidente da República Popular da China
Período 27 de abril de 1959
a 31 de outubro de 1968
Vice-presidente Dong Biwu
Soong Ching-ling
Antecessor Mao Zedong
Sucessor Li Xiannian (cargo retomado em 1983)
1º Presidente do Comitê Permanente do Congresso Nacional do Povo
Período 15 de setembro de 1954
a 28 de abril de 1959
Sucessor Zhu De
1º Vice-Presidente do Partido Comunista da China
Período 28 de setembro de 1956
a 1 de agosto de 1966
Sucessor Lin Biao
Membro do Congresso Nacional do Povo
Período 15 de setembro de 1954
a 21 de outubro de 1968
Dados pessoais
Nascimento 24 de novembro de 1898
Ningxiang, Hunan, Império Qing
Morte 12 de novembro de 1969 (70 anos)
Kaifeng, Henan, República Popular da China
Nacionalidade Chinês
Cônjuge Zhou (?)
He Baozhen (1923-1934)
Xie Fei (1935-1940)
Wang Qian (1942-1943)
Wang Jian (?)
Wang Guangmei (1948-1969)
Filhos Liu Yunbin
Liu Aiqin
Liu Yunruo
Liu Tao
Liu Ding
Liu Pingping
Liu Yuan
Liu Tingting
Liu Xiaoxiao
Partido Partido Comunista da China
Serviço militar
Lealdade Partido Comunista da China
 República Popular da China
Serviço/ramo Flag of the People's Liberation Army.svg Exército de Libertação Popular

Liu Shaoqi (chinês: 刘少奇, pinyin: Liú Shào qí; 24 de novembro 189812 de novembro de 1969) foi um revolucionário, político e teórico chinês. Foi o primeiro presidente do Comitê Permanente do Congresso Nacional do Povo, de 1954 a 1959, primeiro vice-presidente do Partido Comunista da China, de 1956 a 1966, e presidente da República Popular da China (o líder de estado de jure) de 1959 a 1968, período no qual implementou uma série de políticas para a reconstrução econômica da China.

Durante 15 anos, Liu foi o terceiro homem mais poderoso da China, atrás somente do presidente Mao Zedong e do primeiro-ministro Zhou Enlai. Originalmente preparado para ser o sucessor de Mao, acabou por antagonizar o presidente no começo dos anos 60, antes da Grande Revolução Cultural Proletária, e a partir de 1966 passou a ser objeto direto de crítica até ser expurgado. Desapareceu da vida pública em 1968, sendo rotulado como o "comandante do quartel-general da burguesia chinesa", o maior "seguidor da via capitalista" e traidor da revolução.

Morreu sob forte tratamento no final de 1969, mas foi postumamente reabilitado por Deng Xiaoping em 1980, recebendo assim um memorial em seu nome.[1]

BiografiaEditar

JuventudeEditar

Liu nasceu em uma família de camponeses moderadamente rica na vila de Huaminglou,[2] Ningxiang, província de Hunan;[3] sua cidade natal ancestral está localizada no condado de Jishui, Jiangxi. Estudou na Escola Secundário Zhusheng de Ningxiang, e foi indicado para ter aulas em Xangai para preparar-se para estudar na Rússia. Em 1920, ele e Ren Bishi filiaram-se no Corpo da Juventude Socialista; no ano seguinte, Liu foi recrutado para estudar na da Universidade dos Trabalhadores do Leste em Moscou, da Internacional Comunista.[2]

Ingressou no recém formado Partido Comunista da China em 1921. No ano seguinte, retornou à China, atuando como secretário do Sindicato dos Trabalhadores de Toda a China liderou diversas greves de ferroviários, no vale Yangtzé e em Anyuan na fronteira Jiangxi-Hunan.[2]

Primeiras atividades políticasEditar

Em 1925, Liu tornou-se membro do Comitê Executivo da Federação do Trabalho de Toda a China baseado em Cantão. Durante os próximos dois anos, liderou diversas campanhas políticas e greves em Hubei e Xangai. Trabalhou com Li Lisan em Xangai em 1925, organizando a atividade dos Comunistas após o Incidente de Trinta de Maio. Após seu trabalho em Xangai, Liu viajou para Wuhan. Ele foi brevemente preso em Changsha e então voltou para Cantão para ajudar a organizar a longa greve de 16 meses de Cantão-Hong Kong.[2]

Foi eleito para o Comitê Central do Partido em 1927, e foi nomeado como chefe do Departamento de Trabalho.[4] Liu voltou a trabalhar na base do Partido em Xangai em 1929, e foi nomeado secretário do Comitê do Partido da Manchúria em Fengtian.[2] Em 1930 e 1931, esteve presente nas Terceira e Quarta Plenárias do Sexto Comitê Central, e foi eleito para o Comitê Executo Central (i.e., Politburo) da República Soviética da China entre 1931 e 1932. Ao final de 1932, Liu deixou Xangai e viajou para o Soviéte de Jiangxi.[3]

Referências

  1. «Liu Shaoqi | Chinese statesman». Encyclopedia Britannica (em inglês) 
  2. a b c d e Dittmer, Lowell ([1974]). Liu Shao-ch'i and the Chinese cultural revolution : the politics of mass criticism. [S.l.]: University of California Press. OCLC 1014895343 
  3. a b Snow, Edgar, 1905-1972, author. (2018). Red star over China. [S.l.]: Grove Press UK. ISBN 9781611855128. OCLC 1041125730 
  4. Chen, Jerome (1965). Mao and the Chinese Revolution. Londres: [s.n.]