Maria Gadú

Disambig grey.svg Nota: Se procura pelo álbum de 2009 da cantora, veja Maria Gadú (álbum).

Mayra Corrêa[3], conhecida como Maria Gadú, (São Paulo, 4 de dezembro de 1986), é uma cantora, compositora, instrumentista e produtora brasileira. Desde sua estreia à grande mídia, a cantora chamou a atenção de público e crítica, sendo indicada cinco vezes ao Grammy Latino.

Maria Gadú
Nome completo Mayra Corrêa
Pseudônimo(s) Maria Gadú
Maria Aygadoux
Nascimento 4 de dezembro de 1986 (33 anos)
São Paulo, SP
Nacionalidade brasileira
Cônjuge Lua Leça

(2013 - 2019)

Ocupação cantora
compositora
instrumentista
produtora
Carreira musical
Período musical 1999 - presente
Gênero(s)
Extensão vocal contralto lírico [2]
Instrumento(s) vocal
violão
Gravadora(s) Som Livre - SLAP
Página oficial
https://www.mariagadu.net/

BiografiaEditar

Paulistana, filha de Neusa e Moacyr Corrêa, ambos brasileiros,[nota 1][4] foi criada por sua mãe e madrinha, visto que seu pai a abandonou aos cinco anos de idade, só retomando o contato com ele aos quinze. Com o desejo de ser artista, foi introduzida à prática musical ainda na infância. Aos 7 anos de idade já gravava músicas em fitas cassetes. Fez poucos meses de aulas de violão, longe do suficiente para ler partituras, mas o necessário para criar suas próprias canções. Fez, desde os 13 anos, shows em bares e festas de família em São Paulo. Nessa época adotou o nome artístico Maria Aygadoux, porque não gosta do nome verdadeiro, Mayra, e passou a achar bonito o sobrenome francês de seu produtor musical, passando a considerá-lo como um pai.

Mudou-se sozinha para o Rio de Janeiro no início de 2008, quando começou a tocar em bares da Barra da Tijuca e da Zona Sul. Nesta época adotou o nome artístico Maria Gadú. Sua carreira passou a ter ascensão ao despertar atenção de famosos ligados ao meio musical, como Caetano Veloso, Milton Nascimento, João Donato, dentre outros. Maria Gadú ganhou destaque ao interpretar "Ne me quitte pas", de Jacques Brel, para o diretor Jayme Monjardim, que estava em fase de pré-produção da minissérie Maysa: Quando Fala o Coração. Maysa, cantora e mãe do diretor, fez muito sucesso nas décadas de 1950 e 60 cantando, dentre outras, esta canção. A versão de Gadú logo foi incluída na trilha sonora da minissérie que estreara em janeiro 2009, na qual a cantora, ainda, fez uma participação especial como atriz.

No início de 2009, aos 22 anos de idade, Maria Gadú preparava seu primeiro álbum,[5] homônimo, lançado pelo selo SLAP, da gravadora Som Livre, e produzido por Rodrigo Vidal. Além disso, iniciou uma temporada de shows no Cinemathèque, no bairro de Botafogo, no Rio de Janeiro. Após o lançamento do álbum em meados de 2009, a cantora rapidamente ganhou espaço na mídia brasileira.[6] A canção "Shimbalaiê", sua primeira composição aos 10 anos de idade, foi incluída na trilha sonora de mais uma produção da TV Globo, desta vez em horário nobre, a novela Viver a Vida. Ne me quitte pas foi regravada e, junto com "A história de Lilly Braun", está na trilha sonora da minissérie Cinquentinha, de Aguinaldo Silva.

Fez turnê com um dos seus maiores ídolos, Caetano Veloso. A turnê DUO,Caetano e Gadú passou por cinco cidades no Brasil; Salvador, São Paulo, Belo Horizonte, Recife e Rio de Janeiro; com público de mais de 16 mil pessoas. Com o sucesso da parceria veio a gravação do DVD/CD Multishow Ao Vivo – Caetano e Maria Gadú; que foi gravado no Citibank Hall - Rio de Janeiro, no dia 19 de dezembro de 2010. Após quase dois meses de lançado, o trabalho já havia ganhado status de platina,e alcançando o número expressivo de 90 mil cópias vendidas.

Em agosto de 2011, Maria Gadú participou do show de gravação do DVD de Chitãozinho e Xororó, em comemoração aos 40 anos de carreira da dupla. O evento foi realizado na Sala São Paulo, na capital paulista, e contou com a participação da Orquestra Sinfônica Bachiana, do maestro João Carlos Martins. Além de Gadú, participaram do evento Caetano Veloso, Alexandre Pires, Fafá de Belém, Jair Rodrigues, Fábio Jr. e os filhos de Xororó, Sandy e Júnior.

Maria Gadú participou de um show do cantor e compositor sueco-americano Eagle-Eye Cherry realizado na Via Funchal, em São Paulo, em 21 de janeiro de 2010. O show foi registrado para o DVD ao vivo do cantor[7]. Também participou do CD e do DVD do álbum N9ve, da cantora e compositora Ana Carolina, cantando a música inédita "Mais que a mim".[8][9] A trilha sonora do filme Sonhos Roubados tem a participação de Maria Gadú na faixa principal. A faixa homônima ao longa saiu na internet em abril e foi lançada para promover o filme.[10] Também em 2010, a cantora fez uma participação com Xuxa em seu XSPB 10, cantando a música "O Leãozinho", de Caetano Veloso. No mesmo ano, recebeu duas indicações ao Grammy Latino nas categorias Melhor Artista Revelação e Melhor Álbum de Cantor/Compositor. A cantora também fez uma participação especial no álbum Umbigobunker!?, do cantor e compositor carioca Jay Vaquer, na sexta canção do álbum, intitulada "Do Nada, me Jogaram aos Leões". Em dezembro de 2011, Maria Gadú lançou seu segundo álbum de estúdio, "Mais Uma Página", cuja primeira música, "Axé Acappella", de Dani Black e Luísa Maita, foi lançada como single e disponibilizada para download gratuito no site da cantora. O disco também traz a regravação de "Amor de índio", música já interpretada pelo grupo Roupa Nova, e conta com a participação de Lenine e do cantor português Marco Rodrigues no tema "A Valsa".

 
Maria Gadú e banda (show Guelã - 06/2016).

Em junho de 2014, voltou a Portugal para dois concertos nos coliseus de Lisboa e Porto, que tiveram, como sempre, casa cheia. Gadú cantou os seus principais êxitos.

Em 27 de março de 2015, a cantora publica em seu Facebook oficial uma imagem confirmando o lançamento de seu terceiro álbum em estúdio. No final de abril do mesmo ano, a cantora confirmou o lançamento de seu novo disco, "Guelã", ainda durante o ano de 2015. O primeiro single do disco foi lançado pela cantora em 6 de maio de 2015 e se chama "Obloco". Devido à prospecção do disco, a versão ao vivo do álbum - Guelã Ao Vivo, foi gravada no dia 11 de agosto de 2016, no Centro Cultural São Paulo em São Paulo/SP.

Em abril de 2019, lançou o single e clipe Mundo Líquido, em um mergulho nas águas do Rio Negro, Maria Gadú se debruça nas origens da ancestralidade indígena.

Iniciou em agosto de 2019 uma tour comemorativa que celebra os seus vinte anos de carreira - A Turnê -Gadú 20 Anos, percorreu algumas capitais do Brasil.

Em novembro de 2019, Maria fecha o ano com a Euro Tour 2019 - Pelle. A turnê passou por Portugal, Espanha e Itália, e essa, seria sua última turnê, como declarou em entrevista à uma TV Portuguesa. Na entrevista, Maria deixa claro que continuará se relacionando com a música, porém de outras formas; "Nas ruas, com os povos"[2]. E deixará de fazer música no âmbito comercial.

Em dezembro 2019, a cantora participou da Turnê de despedida do Clube da Esquina, com Milton Nascimento e convidados. A Tour que já passou por Belo Horizonte (15), ainda tem shows marcados em São Paulo e Rio de Janeiro.

Vida pessoalEditar

Assumidamente lésbica desde a adolescência, sempre foi discreta quanto à sua vida pessoal. Em 2012 começou a namorar com a produtora Lua Leça. No início de 2013 foram morar juntas. Em novembro do mesmo ano assinaram em cartório um acordo de união estável. No dia 3 de junho de 2017 oficializaram a relação conjugal em uma cerimônia íntima, na residência delas em São Paulo. No final de 2019, o relacionamento das duas chegou ao fim. Em março de 2020, Maria Gadú confirmou o término, em sua rede social.

DiscografiaEditar

 Ver artigo principal: Discografia de Maria Gadú
Álbum de Estúdio/Ao Vivo

Discografia/Singles/Trilhas SonorasEditar

Prêmios e indicaçõesEditar

“Reggio chiama Rio-fatti di musica brasil festival” - Ano 2017.

Grammy Latino
Ano Categoria Indicação Resultado
2010 Melhor Artista Revelação Maria Gadú Indicado
2010 Melhor Álbum de Cantor/Compositor Maria Gadú (2009) Indicado
2011 Melhor Álbum de MPB Multishow ao Vivo: Caetano e Maria Gadú Indicado
2012 Canção do Ano "Extranjero" (Maycon Ananias e Cassyano Correr) Indicado
2015 Melhor Álbum de MPB Guelã Indicado
MTV Vídeo Music Brasil
Ano Categoria Indicação Resultado
2012 Artista Feminino Maria Gadú Indicado
Prêmio da Música Brasileira
Ano Categoria Indicação Resultado
2017 Melhora Cantora Pop/rock/reggae/hip-hop/funk Maria Gadú Venceu
Prêmio Multishow da Música
Ano Categoria Indicação Resultado
2010 Melhor Cantora Maria Gadú Indicado
Melhor Música Shimbalaiê Indicado
Melhor Álbum Maria Gadú Venceu
Revelação Maria Gadú Indicado
2011 Melhor Cantora Maria Gadú Indicado
Melhor Show Caetano Veloso e Maria Gadú Indicado
Melhor DVD Multishow ao Vivo: Maria Gadú Indicado
2012 Melhor Cantora Maria Gadú Indicado
Prêmio Contigo! MPB FM
Ano Categoria Indicação Resultado
2012 Melhor Álbum de MPB Mais uma Página Indicado
Melhor Cantora Maria Gadú Indicado
Melhor DVD Multishow ao Vivo: Caetano e Maria Gadú (com Caetano Veloso) Indicado
Projetos Especiais Multishow ao Vivo: Caetano e Maria Gadú (com Caetano Veloso) Indicado
Troféu Imprensa
Ano Categoria Indicação Resultado
2011 Melhor Cantora Maria Gadú Indicado
Melhores do Ano - Faustão
Categoria Ano Indicação Resultado
Melhor Revelação Musical 2009 Maria Gadú Indicado
Música do Ano Shimbalaiê Indicado
Melhor Cantora 2010 Maria Gadú Indicado
Prêmio Extra de Televisão
Ano Categoria Indicação Resultado
2010 Melhor Tema Musical Shimbalaiê Venceu
Prêmio de Música Digital
Ano Categoria Indicação Resultado
2010 Música mais vendida MPB Shimbalaiê Venceu

Na cultura popularEditar

Notas

  1. O sobrenome Aygadoux, de origem francesa, é do seu produtor musical, que conheceu na infância, o músico Marc Aygadoux, conhecido como Marc Gadú.[3]

Referências

  1. Leitão, Gustavo (24 de maio de 2009). «Conheça Maria Gadú, cantora que caiu nas graças de Milton Nascimento e Caetano Veloso». O Globo. Consultado em 2 de janeiro de 2010 
  2. [[1]]
  3. a b «Filha do Mundo». RollingStone. 29 de janeiro de 2011 
  4. «Maria Gadú estudava piano por sete horas direto e compôs Shimbalaiê aos 13 anos». Vírgula. 12 de novembro de 2009. Consultado em 15 de outubro de 2012 
  5. Rezende, Sidney (4 de agosto de 2009), CD: "Maria Gadú" – Um bom começo .
  6. «Maria Gadú». Veja São Paulo 
  7. «Eagle-Eye Cherry e Maria Gadú cantam juntos em SP; veja trecho do show». Folha Online. 22 de janeiro de 2010. Consultado em 21 de fevereiro de 2010 
  8. «Estou sempre a pensar em música», Destak (entrevista), PT .
  9. Ana Carolina – Multishow Registro: + Um (CD, álbum), Discogs .
  10. «Maria Gadú é destaque musical no filme Sonhos roubados», Get box, Word press, 14 de abril de 2010 .

Ligações externasEditar

 
O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Maria Gadú