Abrir menu principal

Wikipédia β

Óbidos (Portugal)

Óbidos é uma vila portuguesa do distrito de Leiria, sub-região do Oeste, região Centro, com cerca de 2 200 habitantes.[1] Faz parte da Região de Turismo do Oeste.

Óbidos
Brasão de Óbidos Bandeira de Óbidos
Obidos 77c.jpg
A vila e as muralhas.
Localização de Óbidos
Gentílico Obidense
Área 141,55 km²
População 11 772 hab. (2011)
Densidade populacional 83,2  hab./km²
N.º de freguesias 7
Presidente da
câmara municipal
Humberto Marques (PSD)
Fundação do município
(ou foral)
1195
Região (NUTS II) Centro
Sub-região (NUTS III) Oeste
Distrito Leiria
Antiga província Estremadura
Orago Santa Maria
Feriado municipal 11 de Janeiro (Tomada de Óbidos aos Mouros)
Código postal 2510 Óbidos
Sítio oficial www.cm-obidos.pt
Municípios de Portugal Flag of Portugal.svg

É sede de um município com 141,55 km² de área[2] e 11 772 habitantes (2011),[3][4] subdividido em 7 freguesias.[5] O município é limitado a nordeste e leste pelo município das Caldas da Rainha, a sul pelo Bombarral, a sudoeste pela Lourinhã, a oeste por Peniche e a noroeste tem costa no oceano Atlântico.

A 11 de Dezembro de 2015 a UNESCO considerou Óbidos como Cidade Literária, como parte do programa Rede de Cidades Criativas.[6]

Índice

EtimologiaEditar

Ao contrário do que se possa pensar, o nome Óbidos não deriva da parónima óbitos, mas sim do termo latino ópido, significando «cidadela», «cidade fortificada». Nas suas proximidades ergue-se a povoação romana de Eburobrício.

HistóriaEditar

Terá sido tomada aos Mouros em 1148, e recebido a primeira carta de foral em 1195, sob o reinado de D. Sancho I. Óbidos fez parte do dote de inúmeras rainhas de Portugal, designadamente Urraca de Castela (esposa de D. Afonso II), Rainha Santa Isabel (esposa de D. Dinis), Filipa de Lencastre (esposa de D. João I), Leonor de Aragão (esposa de D. Duarte), Leonor de Portugal (esposa de D. João II), entre outras.

Em 1527, viviam 161 habitantes na vila, o que corresponderia a cerca de 1/10 da população do município. A área amuralhada era já nessa época idêntica à actual, ou seja, 14,5 ha.

Foi de Óbidos que nasceu o concelho das Caldas da Rainha, anteriormente chamado de Caldas de Óbidos (a mudança do determinativo ficou a dever-se às temporadas que aí passou a rainha D. Leonor).

A 16 de Fevereiro de 2007, o castelo de Óbidos recebeu o diploma de candidata como uma das sete maravilhas de Portugal.

Em 2015, as Muralhas da Vila de Óbidos integraram o projeto "Maravilhas de Portugal", uma iniciativa da Direção-Geral do Património Cultural e da multinacional Google que permite ver ao detalhe, numa visita a 360 graus, 57 monumentos disponíveis 'online' a partir das páginas da Google ou da Google Maps[7].

Óbidos já tem habituado os visitantes à sua transformação pela altura de Natal. Nos últimos anos, a conhecida vila transforma-se na "Vila Natal", um local místico que encanta miúdos e graúdos pela beleza e diversão que proporciona a todos[8]. Adicionalmente à "Vila Natal", Óbidos tem outros eventos tais como a Feira Medieval, onde o castelo regressa às suas origens medievais e onde se pode experienciar o que era viver nessa época. O Festival do Chocolate é também um evento que desperta muito interesse nos turistas, neste festival podem ver-se esculturas de chocolate de tamanho real, as crianças podem participar em workshops e fazer os seus próprios chocolates.

Desde 1996 a Associação de Cursos Internacionais de Música (ACIM) organiza a Semana Internacional de Piano de Óbidos (SIPO) que inclui Master class com intérpretes e professores de piano nacionais e estrangeiros como Josep Colom, para além de um programa de concertos diversificados.

Mais recentemente Óbidos promoveu o evento Fólio, um evento focado na cultura literária e musical.

 
Perspectiva da vila a partir das muralhas do castelo

PopulaçãoEditar

Número de habitantes [9]
1864 1878 1890 1900 1911 1920 1930 1940 1950 1960 1970 1981 1991 2001 2011
6 166 6 541 7 977 8 635 9 467 9 584 9 877 10 799 11 716 11 316 9 587 10 538 11 188 10 875 11 772

(Obs.: Número de habitantes "residentes", ou seja, que tinham a residência oficial neste concelho à data em que os censos se realizaram.)

Número de habitantes por Grupo Etário [10]
1900 1911 1920 1930 1940 1950 1960 1970 1981 1991 2001 2011
0-14 Anos 6 631 6 908 3 144 3 321 3 508 3 324 2 933 2 335 2 447 2 052 1 547 1 723
15-24 Anos 2 892 3 545 1 808 1 790 1 734 2 091 1 832 1 255 1 513 1 712 1 411 1 116
25-64 Anos 7 086 7 662 3 978 4 338 4 782 5 384 5 565 4 700 5 077 5 542 5 713 6 335
= ou > 65 Anos 1 013 1 131 633 727 738 859 986 1 175 1 501 1 882 2 204 2 598
> Id. desconh 92 37 26 21 41

(Obs: De 1900 a 1950 os dados referem-se à população "de facto", ou seja, que estava presente no concelho à data em que os censos se realizaram. Daí que se registem algumas diferenças relativamente à designada população residente)

PatrimónioEditar

GeografiaEditar

FreguesiasEditar

 
Freguesias do concelho de Óbidos.

O concelho de Óbidos está dividido em 7 freguesias:

CulturaEditar

Óbidos, Vila LiteráriaEditar

O projeto Óbidos, Vila Literária iniciou-se com a reabilitação de espaços degradados que foram transformados em livrarias.
Com o objetivo de criar dinâmicas ligadas ao livro, foi criado o Folio - Festival Literário e realizou-se uma candidatura a cidade criativa da literatura da Unesco. A integração ocorreu em dezembro de 2014[11]. O festival literário Folio integra dezenas de atividades que passam por mesas redondas, entrevistas, tertúlias, concertos, exposições, peças de teatro, sessões de cinema, atividades com escolas, com dezenas de escritores e criadores portugueses e estrangeiros.

FotografiasEditar

 
O Castelo e as muralhas, vistos de oeste
 
Turistas passeiam nas ruas de Óbidos.

Referências

  1. INE (2013). Anuário Estatístico da Região Centro 2012. Lisboa: Instituto Nacional de Estatística. p. 31. ISBN 978-989-25-0217-5. ISSN 0872-5055. Consultado em 5 de maio de 2014 
  2. Instituto Geográfico Português (2013). «Áreas das freguesias, municípios e distritos/ilhas da CAOP 2013» (XLS-ZIP). Carta Administrativa Oficial de Portugal (CAOP), versão 2013. Direção-Geral do Território. Consultado em 28 de novembro de 2013 
  3. INE (2012). Censos 2011 Resultados Definitivos – Região Centro. Lisboa: Instituto Nacional de Estatística. p. 118. ISBN 978-989-25-0184-0. ISSN 0872-6493. Consultado em 27 de julho de 2013 
  4. INE (2012). «Quadros de apuramento por freguesia» (XLSX-ZIP). Censos 2011 (resultados definitivos). Tabelas anexas à publicação oficial; informação no separador "Q101_CENTRO". Instituto Nacional de Estatística. Consultado em 27 de julho de 2013 
  5. Lei n.º 11-A/2013, de 28 de janeiro: Reorganização administrativa do território das freguesias. Anexo I. Diário da República, 1.ª Série, n.º 19, Suplemento, de 28/01/2013.
  6. «"47 cities join the UNESCO Creative Cities Network"». UNESCO. 11 de dezembro de 2015. Consultado em 11 de dezembro de 2015 
  7. «57 maravilhas de Portugal para visitar sem sair de casa». DN Portugal. 29 de junho de 2015 
  8. «A Vila Natal regressa mais uma vez a Óbidos». Blasting News. 17 de novembro de 2015 
  9. Instituto Nacional de Estatística (Recenseamentos Gerais da População) - https://www.ine.pt/xportal/xmain?xpid=INE&xpgid=ine_publicacoes
  10. INE - http://censos.ine.pt/xportal/xmain?xpid=CENSOS&xpgid=censos_quadros
  11. Jornal de Letras n.º 1199 (14 a 27 de setembro de 2016), pág. 2.

Ligações externasEditar

Referências