Abrir menu principal

Eleições estaduais na Paraíba em 1974

As eleições estaduais na Paraíba em 1974 ocorreram em duas fases conforme previa o Ato Institucional Número Três e assim a eleição indireta do governador Ivan Bichara e do vice-governador Dorival Terceiro Neto foi em 3 de outubro e a escolha do senador Rui Carneiro, 11 deputados federais e 33 estaduais aconteceu em 15 de novembro a partir de um ritual aplicado aos 22 estados e aos territórios federais do Amapá, Rondônia e Roraima. Os paraibanos residentes no Distrito Federal escolheram seus representantes no Congresso Nacional por força da Lei n.º 6.091 de 15 de agosto de 1974.[1][2][3][4][5][nota 1][nota 2]

1970 Brasil 1978
Eleições estaduais na  Paraíba em 1974
3 de outubro de 1974
(Eleição indireta)
15 de novembro de 1974
(Eleição direta)


Replace this image male.png
Candidato Ivan Bichara


Partido ARENA


Natural de Cajazeiras, PB


Vice Dorgival Terceiro Neto


Brasão da Paraíba.svg

Governador da Paraíba

Nascido em Cajazeiras e formado na Universidade Federal de Pernambuco, o advogado Ivan Bichara foi escolhido governador pelo presidente Ernesto Geisel. Antes de sua graduação ele trabalhou em O Norte e, além de jornalista foi funcionário do Instituto de Aposentadorias e Pensões dos Industriários engajando-se na oposição ao Estado Novo. Eleito deputado estadual pela UDN em 1947 e 1950 chegou a presidir o legislativo e liderou o governo José Américo de Almeida sendo eleito deputado federal em 1954 figurando como suplente nas eleições seguintes. Filiado à ARENA após o Regime Militar de 1964 foi presidente do Conselho Consultivo das Caixas Econômicas Federais no governo Castelo Branco retornando à iniciativa privada como consultor jurídico da Associação Comercial do Rio de Janeiro, cargo que deixou para assumir o Palácio da Redenção.[6][7]

Com sua renúncia para disputar uma cadeira de senador em 1978 assumiu o governo o também advogado e jornalista Dorgival Terceiro Neto, nascido em Taperoá e formado na Universidade Federal da Paraíba, onde foi professor. Funcionário público lotado no Departamento de Estradas de Rodagem esteve ao dispor do Tribunal de Justiça da Paraíba e da Secretaria de Planejamento assumindo a diretoria de crédito do Banco do Estado da Paraíba no último mês do governo Pedro Gondim sendo mantido no cargo por João Agripino. Filiado à ARENA foi nomeado prefeito de João Pessoa no governo Ernani Sátiro até renunciar ao mandato para ser eleito vice-governador. Graças à renúncia de Ivan Bichara para disputar um mandato de senador em 1978, Dorgival Terceiro Neto assumiria o poder em 14 de agosto do referido ano.[8]

Na eleição para senador a vitória foi do também advogado e jornalista Rui Carneiro. Formado pela Universidade Federal de Pernambuco foi eleitor da chapa Getúlio Vargas e João Pessoa em 1930 e com a Revolução de 1930 foi chefe de gabinete de José Américo de Almeida e João Marques dos Reis no Ministério de Viação e Obras Públicas seguindo este último quando o mesmo assumiu a presidência do Banco do Brasil. Eleito suplente de deputado federal em 1934, foi efetivado no ano seguinte. Nomeado interventor federal na Paraíba em 1940 permaneceu no cargo por cinco anos. Membro do PSD e do MDB, foi eleito deputado estadual em 1947 mas renunciou para ocupar um cargo de direção na Organização Henrique Lage e depois uma diretoria no Banco Lar Brasileiro.[9] Foi eleito senador nos anos de 1950, 1958, 1966 conquistando, portanto, seu quarto mandato consecutivo em 1974 quando já havia deixado a presidência estadual do MDB.[10][11][nota 3]

Resultado da eleição para governadorEditar

Eleição realizada pela Assembleia Legislativa da Paraíba.[12]

Candidatos a governador do estado
Candidatos a vice-governador Número Coligação Votação Percentual
Ivan Bichara
ARENA
Dorgival Terceiro Neto
ARENA
-
ARENA (sem coligação)
-
-
  Eleito

Resultado da eleição para senadorEditar

Dados fornecidos pelo Tribunal Regional Eleitoral da Paraíba que apurou 576.370 votos nominais, 37.707 votos em branco (5,89%) e 26.012 votos nulos (4,06%) totalizando um comparecimento de 640.089 eleitores.[13]

Candidatos a senador da República
Primeiro suplente de senador Número Coligação Votação Percentual
Rui Carneiro
MDB
Ivandro Cunha Lima[14][15]
MDB
-
MDB (sem coligação)
297.780
51,66%
Aluizio Campos
ARENA
Clóvis Cavalcanti
ARENA
-
ARENA (sem coligação)
278.590
48,34%
  Eleito

Deputados federais eleitosEditar

São relacionados os candidatos eleitos com informações complementares da Câmara dos Deputados.[16][17]

Deputados federais eleitos Partido Votação Percentual Cidade onde nasceu Unidade federativa
Wilson Braga ARENA 65.284 Conceição   Paraíba
Humberto Lucena MDB 54.965 João Pessoa   Paraíba
Antônio Mariz ARENA 55.068 João Pessoa   Paraíba
Ademar Pereira ARENA 43.560 Pombal   Paraíba
Marcondes Gadelha MDB 43.006 Sousa   Paraíba
Petrônio Figueiredo[nota 4] MDB 38.525 Campina Grande   Paraíba
Teotônio Neto ARENA 30.778 Santana dos Garrotes   Paraíba
Maurício Leite ARENA 30.615 Patos   Paraíba
Janduhy Carneiro[nota 4] MDB 27.998 Pombal   Paraíba
Álvaro Gaudêncio ARENA 27.726 São João do Cariri   Paraíba
Antônio Gomes ARENA 27.238 Umbuzeiro   Paraíba

Deputados estaduais eleitosEditar

Na disputa pelas 33 vagas da Assembleia Legislativa da Paraíba a ARENA conquistou 22 cadeiras e o MDB 11.[13]

Notas

  1. Nos territórios federais o pleito serviu apenas para a escolha de deputados federais não havendo eleições no Distrito Federal e em Fernando de Noronha.
  2. Originalmente a Lei n.º 6.091 não previa a eleição para deputados estaduais, algo que ocorreria anos depois.
  3. Com a morte de Rui Carneiro sua cadeira foi ocupada por Ivandro Cunha Lima em 1977. Nascido em Guarabira, estudou na Universidade Federal de Pernambuco onde se formou advogado em 1955. Agropecuarista e tabelião, possui base política em Campina Grande, cidade na qual presidiu o diretório municipal do MDB e onde perdeu a eleição para prefeito em 1976. Dois anos antes fora eleito suplente de senador.
  4. a b Em 7 de junho de 1975 faleceu Janduhy Carneiro e em 13 de setembro do mesmo ano morreu Petrônio Figueiredo. Foram efetivados então Otacilio Queiroz e Arnaldo Lafayette.

Referências

  1. «Banco de dados do Tribunal Superior Eleitoral». Consultado em 1º de junho de 2018 
  2. «Subsecretaria de Informações do Senado Federal: Ato Institucional Número Três». Consultado em 24 de novembro de 2013 
  3. «BRASIL. Presidência da República: Lei n.º 6.091 de 15/08/1974». Consultado em 24 de novembro de 2013 
  4. A ARENA no dia do MDB. Disponível em Veja, ed. 324 de 20/11/1974. São Paulo: Abril. Página visitada em 24 de novembro de 2013.
  5. «Acervo digital Veja». Consultado em 24 de novembro de 2013. Arquivado do original em 29 de outubro de 2013 
  6. «Câmara dos Deputados do Brasil: deputado Ivan Bichara». Consultado em 15 de julho de 2017 
  7. Missão de Petrônio termina e prefere políticos (online). Jornal do Brasil, Rio de Janeiro (RJ), 17/06/1974. Primeiro caderno, p. 07. Página visitada em 26 de maio de 2018.
  8. «Corpo de ex- governador da Paraíba é enterrado em Taperoá (g1.globo.com)». Consultado em 15 de julho de 2017 
  9. «Câmara dos Deputados do Brasil: deputado Rui Carneiro». Consultado em 15 de julho de 2017 
  10. «Senado Federal do Brasil: senador Rui Carneiro». Consultado em 15 de julho de 2017 
  11. R. Carneiro morre em Brasília e será sepultado hoje na Paraíba (online). Jornal do Brasil, Rio de Janeiro (RJ), 21/07/1977. Primeiro caderno, pág. 13. Página visitada em 15 de julho de 2017.
  12. De Norte a Sul, espetáculo igual (online). O Estado de S. Paulo, São Paulo (SP), 04/10/1974. Geral, p. 05. Página visitada em 26 de maio de 2018.
  13. a b «Banco de dados do Tribunal Regional Eleitoral da Paraíba». Consultado em 24 de novembro de 2013 
  14. «Câmara dos Deputados do Brasil: deputado Ivandro Cunha Lima». Consultado em 15 de julho de 2017 
  15. «Senado Federal do Brasil: senador Ivandro Cunha Lima». Consultado em 13 de julho de 2017 
  16. «Página oficial da Câmara dos Deputados». Consultado em 11 de julho de 2017. Arquivado do original em 2 de outubro de 2013 
  17. «BRASIL. Presidência da República: Lei nº 9.504 de 30/09/1997». Consultado em 11 de julho de 2017