Abrir menu principal

Eleições estaduais no Rio de Janeiro em 1962

As eleições estaduais no estado brasileiro do Rio de Janeiro em 1962 aconteceram nos dias 7 de outubro de 1962, como parte das eleições gerais no Brasil.

1958 Brasil 1966
Eleições estaduais no Rio de Janeiro em 1962
7 de outubro de 1962
(Turno Único)
Badger da Silveira Original.png Natalício Tenório Cavalcanti de Albuquerque, Deputado (RJ).tif
Candidato Badger da Silveira Tenório Cavalcanti
Partido PTB PST
Vice [nota 1] [nota 1]
Votos 260.841 224.734
Porcentagem 33,50% 28,87%



Governador(a) do Estado

Titular
Luís Miguel Pinaud
Sem partido

Nesta ocasião, foram realizadas eleições em todos os 11 estados brasileiros. Os cidadãos aptos a votar elegeram o Governador e dois senadores por estado, além de deputados estaduais e federais.

Os acontecimentos anteriores à eleição estadual de 1962 foram marcada por mudanças drásticas no governo fluminense; começou com a morte trágica do governador Roberto Silveira em Petrópolis no dia 28 de fevereiro de 1961, o então vice-governador Celso Peçanha assumir o cargo de governador até o dia 7 de julho de 1962, que este renunciou o cargo para se candidatar para uma vaga do Senado Federal e o governo fluminense foi assumido pelos "governos-tampão" de José de Carvalho Janotti e Luís Miguel Pinaud até a posse do govenador eleito.

Nesta eleição, foi eleito para governador o irmão mais velho do falecido Roberto Silveira; o candidato Badger da Silveira do PTB, teve uma vitória apertada sobre os demais candidato ao cargo de governador.Para vice, foi eleito João Batista da Costa e para as duas vagas do Senado; foram eleitos os candidatos Aarão Steinbruch e Vasconcelos Torres.

Esta foi a última eleição direta para o cargo de governador do estado do Rio de Janeiro, por causa do Golpe Militar de 1964, e a vitória de advesário do regime militar nos estados de Minas Gerais e da Guanabara em 1965; fez que o gorveno militar em 1966, decreta-se que a eleição de governador estadual seria indireta, o governador e seu vice seriam escolhidos pelo Governo Federal e as Assembléias Legislativas dos estados ratificariam o resultado, isso durou até o ano de 1982 que tiveram novas eleições diretas para o cargo de gorvernador para o Rio de Janeiro e os demais estados do Brasil.

Resultado da eleição para governadorEditar

Conforme o banco de dados do Tribunal Superior Eleitoral foram apurados 778.573 votos nominais.[1]

Candidatos a governador do estado
Candidatos a vice-governador Número Coligação Votação Percentual
Badger da Silveira
PTB
Ver abaixo
-
-
PTB, PDC
260.841
33,50%
Tenório Cavalcanti[nota 2]
PST
Ver abaixo
-
-
PST, PTN
224.734
28,87%
Paulo Fernandes
PRT
Ver abaixo
-
-
PRT, PRP
150.041
19,27%
Miguel Couto
PSP
Ver abaixo
-
-
PSP, UDN, MTR
108.822
13,98%
Edmundo de Macedo Soares
PSB
Ver abaixo
-
-
PSB, PL
34.135
4,38%
  Eleito

Resultado da eleição para vice-governadorEditar

Conforme o banco de dados do Tribunal Superior Eleitoral foram apurados 596.389 votos nominais.[1][nota 3]

Candidatos a vice-governador
Candidatos a governador do estado Número Coligação Votação Percentual
João Batista da Costa[nota 4]
PL
Ver acima
-
-
PSB, PL, PSD, PST, PTN, PRT, PRP
267.757
44,90%
Saramago Pinheiro
UDN
Ver acima
-
-
PSP, UDN, MTR
195.191
32,73%
Atanagildo Leite Ferraz
PDC
Ver acima
-
-
PDC (sem coligação)
133.441
22,37%
  Eleito

Resultado da eleição para senadorEditar

Conforme o banco de dados do Tribunal Superior Eleitoral foram apurados 1.142.516 votos nominais.[1][nota 3][nota 5]

Candidatos a senador da República
Primeiro suplente de senador Número Coligação Votação Percentual
Aarão Steinbruch
MTR
Olegário Bernardes
MTR
-
MTR, UDN, PSP, PR
313.469
27,44%
Vasconcelos Torres
PTB
João Pedro Gouveia Vieira
PTB
-
PTB (sem coligação)
287.372
25,15%
Celso Peçanha
PSD
Lício Araújo
PSD
-
PSD, PTN
213.457
18,68%
Saturnino Braga[nota 6]
PSP
Antônio Dias Rosa
MTR
-
MTR, UDN, PSP
109.329
9,57%
Mário Guimarães
PTB
Jaime Rodrigues Siqueira
PTB
-
PTB (sem coligação)
103.702
9,08%
José Alves
PTB
Augusto Pinheiro de Carvalho
PTB
-
PTB (sem coligação)
83.504
7,31%
Jonas Bahiense
PST
Adail Tinoco
PST
-
PST (sem coligação)
31.683
2,77%
  Eleitos

Deputados federais eleitosEditar

São relacionados os candidatos eleitos com informações complementares da Câmara dos Deputados.[2][3]

Deputados federais eleitos Partido Votação Percentual Cidade onde nasceu Unidade federativa
Amaral Peixoto PSD 45.305 Rio de Janeiro   Rio de Janeiro
Bocaiuva Cunha[nota 7] PTB 42.592 Rio de Janeiro   Rio de Janeiro
Demistoclides Batista[nota 7] PST 38.308 Cachoeiro de Itapemirim   Espírito Santo
Paiva Muniz[nota 7] PTB 37.834 Macaé   Rio de Janeiro
Geremias Fontes PTB 29.857 São Gonçalo   Rio de Janeiro
Edésio Nunes PTB 29.167 Niterói   Rio de Janeiro
Mário Tamborindeguy PSD 24.535 Pelotas   Rio Grande do Sul
Adolfo Oliveira UDN 25.145 Petrópolis   Rio de Janeiro
Edilberto Castro UDN 22.936 Quissamã   Rio de Janeiro
Tenório Cavalcanti[nota 7] PST 21.629 Palmeira dos Índios   Alagoas
Raimundo Padilha UDN 21.434 Fortaleza   Ceará
Augusto de Gregório PTB 21.177 Paraíba do Sul   Rio de Janeiro
Heli Ribeiro Gomes PTB 20.924 Campos dos Goytacazes   Rio de Janeiro
Getúlio de Moura PSD 20.425 Itaguaí   Rio de Janeiro
Adão Pereira Nunes[nota 7] PSP 19.856 Campos dos Goytacazes   Rio de Janeiro
Ário Teodoro PTB 18.510 Rio de Janeiro   Rio de Janeiro
Emanuel Waismann PSP 18.498 Rio de Janeiro   Rio de Janeiro
José Pedroso[nota 7] PSD 16.169 Salvador   Bahia
Afonso Celso PTB 16.098 Campos dos Goytacazes   Rio de Janeiro
Daso Coimbra PSD 15.317 Rio de Janeiro   Rio de Janeiro
Saturnino Braga PSB 7.709 Rio de Janeiro   Rio de Janeiro

Deputados estaduais eleitosEditar

No Rio de Janeiro foram eleitos 62 deputados estaduais.

Deputados estaduais eleitos Partido Votação Percentual Cidade onde nasceu Unidade federativa
José de Amorim Pereira MTR
Nicanor de Abreu Campanário MTR
Sebastião Bruno MTR
Teotônio Araújo PDC Campos dos Goytacazes   Rio de Janeiro
Tanus Alexandre PDC
Dayl de Almeida PDC Rio de Janeiro   Rio de Janeiro
Zeyr de Souza Porto PDC
Wilson Peçanha Federici PDC
Hydekel de Freitas PR Porciúncula   Rio de Janeiro
Calixto Nami Kalil PR
Francisco Eugênio Freire de Moraes PR
José Peixoto Filho PR Rio de Janeiro   Rio de Janeiro
Ignácio Montedônio Bezerra de Menezes PR
Amâncio Azevedo PSD Nova Friburgo   Rio de Janeiro
José Montes Paixão PSD Rio de Janeiro   Rio de Janeiro
José Sally PSD Itaocara   Rio de Janeiro
Togo de Barros PSD Campos dos Goytacazes   Rio de Janeiro
Heleno Barros Nunes PSD
João Pedro da Silveira PSD
José Haddad PSD
José Kezen PSD
Waldemar Lima Teixeira PSD
Altineu Côrtes Pires PSD
Amyl Ney Rechaid PSD
Jamil Miguel Sabra PSD
Altair de Oliveira Lima PSP
Feliciano Benedito da Costa PSP
Aécio Nanci PSP
Waldir de Souza Medeiros PSP
Ordener Pereira Veloso PSP
Jorge Assia Tanus Bedran PSP
Waldir Barbosa Moreira PSP
Raul de Oliveira Rodrigues PSP
Aristóteles de Miranda Melo PST
Elzio Ramalho PST
Francisco Alves da Costa PSB
Afonso Celso Nogueira Monteiro PSB
Zulmar Batista de Almeida PSB
Egídio Mendonça Thurler PTB
Antônio Carlos Pereira Pinto PTB
Miguel Salim Saad PTB
Arson Silveira de Macedo PTB
Cordolino Ambrósio PTB Miracema   Rio de Janeiro
Nilo Teixeria Campos PTB
Zorly Martins PTB
João Kiffer Neto PTB
Walter Faria Pacheco PTB
José da Costa França PTB
Henri Novo PTB
Antonio Gaspar PTB
Joadélio de Paula Codeço PTB
Lucas de Andrade Figueira PTN
Lenísio Sócrates Batista PTN
José Antônio da Silva PTN
José Inácio Romeiro Júnior PTN
Jorge Sessim David UDN
Paulo Hervé UDN
Simão Mansur UDN
Antônio Carlos Sá Rego UDN
Luís de Araújo Braz UDN Itaocara   Rio de Janeiro
José de Cerqueira Garcia UDN
Norberto Marques Guimarães UDN

Notas

  1. a b O número de candidatos a governador não correspondia ao de candidatos a vice-governador e dada a mixórdia relativa às coligações partidárias ficou possível correlacionar as chapas.
  2. Durante a Quarta República Brasileira a legislação permitia que um candidato disputasse mais de um cargo numa mesma eleição.
  3. a b A legislação da época era de tal forma permissiva quanto às coligações que as mesmas tinham um aspecto de mistifório.
  4. Homônimo do pintor brasileiro João Batista da Costa.
  5. Graças a uma alteração legislativa a eleição para senador e o respectivo suplente ocorreria sob uma mesma chapa a partir de 1962.
  6. Este candidato foi identificado no acervo do TSE sob o nome "Saturnino Braga" e como a Constituição de 1946 exigia a idade mínima de 35 anos para candidatos a senador é possível afirmar que se trata do pai de Saturnino Braga.
  7. a b c d e f Teve o mandato cassado via Ato Institucional Número Um baixado pelo Regime Militar de 1964 e estando ao lado de outros na mesma situação permitiu a efetivação, respectivamente, dos suplentes: Carlos Werneck, José Fontes Torres, José Maria Ribeiro, Glênio Martins, Bernardo Bello e Alair Ferreira.

Referências

  1. a b c «Banco de dados do Tribunal Superior Eleitoral». Consultado em 16 de maio de 2018 
  2. «Página oficial da Câmara dos Deputados». Consultado em 19 de abril de 2018. Arquivado do original em 2 de outubro de 2013 
  3. «BRASIL. Presidência da República: Lei nº 9.504 de 30/09/1997». Consultado em 19 de abril de 2018