Abrir menu principal
Grande Prêmio da Espanha de F-1 2017
Formula1 Circuit Catalunya.svg
Grande Prêmio da Espanha de 2017.
Detalhes da corrida
Data 14 de maio de 2017
Nome oficial Formula 1 Gran Premio de España Pirelli 2017
Local Circuito da Catalunha, Montmeló, Espanha
Total 66 voltas / 307.104 km
Pole
Piloto
Reino Unido Lewis Hamilton Mercedes
Tempo 1:19.149
Volta mais rápida
Piloto
Reino Unido Lewis Hamilton Mercedes
Tempo 1:23.593 (na volta 64)
Pódio
Primeiro
Reino Unido Lewis Hamilton Mercedes
Segundo
Alemanha Sebastian Vettel Ferrari
Terceiro
Austrália Daniel Ricciardo Red Bull-TAG Heuer

O Grande Prêmio da Espanha de 2017 (formalmente denominado Formula 1 Gran Premio de Espanã Pirelli 2017) foi a quinta etapa da temporada de 2017 da Fórmula 1. Disputada em 14 de maio de 2017 no Circuito da Catalunha, Montmeló, Espanha[1], foi vencida pelo inglês Lewis Hamilton. Completam o pódio o alemão Sebastian Vettel e o australiano Daniel Ricciardo.

RelatórioEditar

Treino ClassificatórioEditar

Q1

Sebastian Vettel acabara de ter seu motor trocado, entre o último treino livre e classificatório, e ainda agradecia quando seu engenheiro o mandou encostar na pista. Após o susto e algumas mudanças nos comandos do carro, tudo voltou a funcionar e o alemão anotou 1m20s939. Apesar de não ser um tempo de pole, foi suficiente para o alemão acançar ao Q2. Lewis Hamilton, no entanto, foi para pista logo em seguida e botou ordem na casa com 1m20s511, terminando o Q1 no topo. Felipe Massa cehgou a ficar na zona limite para ir ao Q2, no 15º lugar, no minuto final do Q1, chegou a ser ultrapassado por Ericsson, mas melhorou levemente o seu tempo e pulou para a 14ª posição. O único incente foi protagonizado por Grosjean, que rodou nos momentos iniciais do Q1, mas não teve problemas para vançar à etapa seguinte. Destaque para o contraste entre os dois pilotos da STR. Enquanto Sainz foi o nono, Kvyat terminou o Q1 em último.

Eliminados: Marcus Ericsson (Sauber), Jolyon Palmer (Renault), Stoffel Vandoorne (McLaren), Lance Stroll (Williams) e Daniil Kvyat (Toro Rosso).

Q2

Bottas e Hamilton deixaram os boxes assim que a bandeira verde foi dada. Ao completar suas voltas rápidas, os pilotos ficaram separados por 0s090. Mas não demorou muito para que Sebastian Vettel se intrometesse entre a dupla, à frente de Bottas por apenas 0s005.O destaque do Q2 foi Fernando Alonso que, diante do seu público e com uma verdadeira carroça, conseguiu avançar ao Q3 pela primeira vez no ano, fazendo a torcida e o box da McLaren vibrarem de emoção. Grosjean mais uma vez não conseguiu contornar a última chicane e ficou fora do Q3.

Eliminados: Kevin Magnussen (Haas), Carlos Sainz Jr. (Toro Rosso), Nico Hulkenberg (Renault), Romain Grosjean (Haas) e Pascal Wehrlein (Sauber).

Q3

A Mercedes deve ter ligado o tal "botão mágico de potência" para o treino classificatório, porque na primeira saída para o Q3 Hamilton massacrou o recorde de pole, anotado por Mark Webber em 2010, e fez 1m19s149. Sebatian Vettel ainda conseguiu reagir e pular para o segundo lugar a 0s051 de Lewis, mas o britânico estava imbatível neste sábado. Bottas ficou com o terceiro posto a 0s124 do companheiro, com Kimi a 0s290 do melhor tempo.

 
Grid de Largada

CorridaEditar

Vettel largou muito bem, colocou por dentro e superou Hamilton logo na primeira curva, assumindo a ponta. Bottas, Verstappen e Räikkönen tentaram dividir o resto de pista, mas faltou espaço. Ferrari e Mercedes se tocaram. Pior para Räikkönen, que perdeu o controle e bateu em Verstappen. Com a suspensão quebrada, o Homem de Gelo precisou abandonar a corrida. Verstappen voltou para os boxes se arrastando, mas também precisou deixar a prova com problemas no carro. Bottas seguiu na pista em terceiro lugar.

Felipe Massa largou bem, chegou a ser sexto, mas se chocou com a McLaren de Fernando Alonso. O espanhol saiu da pista e o brasileiro acabou com um pneu furado e se viu obrigado a ir para os boxes. Depois da troca de pneus, Massa voltou em último e muito atrás dos adversários. Alonso seguiu na pista, mas caiu para o 14º lugar.

Magnussen e Sainz começaram a se estranhar logo após a largada, mas a situação esquentou ainda mais quando os dois foram para os boxes juntos. Ainda no pitlane, Sainz saiu primeiro, mas Magnussen jogou o carro à frente. O espanhol da STR tentou colocar de lado, mas acabou na grama. Apesar das reclamações de ambos os lados, os comissários de prova decidiram não intervir.

Depois de parar nos boxes pela primeira vez, Sebastian Vettel retornou atrás de Valtteri Bottas. O alemão perdeu um bom tempo atrás do finlandês da Mercedes tentando a ultrapassagem. Mas depois de tanto insistir, conseguiu chegar na reta principal colado na traseira do rival, e em uma manobra espetacular colocou de lado para superar Bottas.

Vandoorne fez besteira ao se chocar com Massa, e ficou muito desapontado por quebrar a suspensão do carro e ter de abandonar a prova. Para piorar, ele ainda terminou punido pela direção de prova e vai perder três posições no grid no GP de Mônaco.

Depois do incidente entre Vandoorne e Massa, o safety car virtual foi acionado para a retirada da McLaren da caixa de brita. Com isso, Lewis Hamilton foi para os boxes e voltou de pneus macios. Vettel aproveitou para também fazer nova troca e voltou de médios, fazendo a ordem inversa do britânico. Os dois se encontraram na saída do pitlane e a disputa pela ponta pegou fogo, com um leve toque entre os dois carros, mas com Vettel levando a melhor e segurando a primeira colocação.

O motor da Mercedes de Valtteri Bottas, o terceiro no momento, não aguentou o ritmo de prova e deixou o finlandês na mão, causando um princípio de incêndio. Os fiscais correram para controlar o fogo e o piloto saiu do carro sem ferimentos.

Mais rápido em função dos pneus mais macios, não demorou muito para que Lewis Hamilton superasse Vettel. A partir daí, fez mágica para poupar os pneus e levar o carro até ao fim. De quebra, ainda anotou a volta mais rápida com os compostos macios após quase 30 voltas.

Ao ser ultrapassado por Hamilton, Vettel não se desesperou por acreditar que o britânico seria obrigado a fazer nova parada. Contudo, foi surpreendido pela capacidade do rival de fazer os pneus durarem até o fim. O piloto da Ferrari tentou acelerar para brigar pelo primeiro lugar. Mas para piorar a situação do alemão, ele teve de enfrentar uma fila de retardatários que acabaram com a chance de alcançar o piloto da Mercedes.

Destaque da Corrida

Um garotinho torcedor da Ferrari chamado Thomas é visto na transmissão da corrida aos prantos após Kimi Räikkönen abandonar a corrida, mas é levado para conhecer o ídolo, ganhou presente. É a primeira vez em que Thomas foi pego pelas câmeras da transmissão e conhecido pelo mundo, foi em um mau momento, quando Kimi Räikkönen acabava de abandonar a prova após se enroscar com Max Verstappen. A sua "estreia" em um GP de F1 não começava bem. Choro para Thomas e para sua mãe. Mas, calma. A vida de Thomas começaria a mudar com a espetacular ultrapassagem de Sebastian Vettel sobre Valtteri Bottas, pouco depois. À essa altura, o choro já dava lugar ao sorrisão por ver um dos carros da escuderia ocupando a primeira colocação. Só que a apoteose de Thomas ainda estava por vir. Localizada por um funcionário da Ferrari, a família do norte francês ganhou um passe para rodar pelo paddock até o fim do dia e foi convidade a ir no motorhome da escuderia. Tá bom, né, Thomas. Agora já dá para ir para casa feliz, né? Que nada, a Ferrari tinha mais uma surpresa para o garotinho: conhecer um dos seus ídolos em pessoa e o garotinho ainda levou um boné autografado do Homem de Gelo. Como esquecer um dia como este?![2]

Pela quinta corrida seguida a Force India coloca seus dois pilotos entre os dez primeiros. Dessa vez, no entanto, foi ainda melhor. A dupla não só terminou entre os dez melhores, mas no top 5, com Sergio Pérez em quarto e Esteban Ocon em quinto.

Pascal Wehrlein, que sequer competiu nas duas primeiras corridas do ano, conseguiu mais um ótimo resultado. Com a Sauber equipada com motor Ferrari de 2016, o alemão terminou a corrida em sétimo, mas levou uma punição de cinco segundos por não ter se mantido à direita do cone de entrada do pit lane, com isso caiu para oitavo[3]. O seu companheiro mais experiente, Marcus Ericsson, terminou em 11º.

 
Resultado da corrida

PneusEditar

Os compostos de pneus fornecidos pela Pirelli para este Grande Prêmio[4]
Nome do composto Cor Banda de rolamento Condições de condução Dry Type* Aderência Longevidade
Macio   Slick
(P Zero™)
Seco Soft Médio Médio
Médio   Slick
(P Zero™)
Seco Medium Médio Médio
Duro   Slick
(P Zero™)
Seco Hard Menos aderência Mais durável

ResultadosEditar

Treino ClassificatórioEditar

Pos. Piloto Construtor Q1 Q2 Q3 Grid
1 44   Lewis Hamilton Mercedes 1:20.511 1:20.210 1:19.149 1
2 5   Sebastian Vettel Ferrari 1:20.939 1:20.295 1:19.200 2
3 77   Valtteri Bottas Mercedes 1:20.991 1:20.300 1:19.373 3
4 7   Kimi Räikkönen Ferrari 1:20.742 1:20.621 1:19.439 4
5 33   Max Verstappen Red Bull-TAG Heuer 1:21.430 1:20.722 1:19.706 5
6 3   Daniel Ricciardo Red Bull-TAG Heuer 1:21.704 1:20.855 1:20.175 6
7 14   Fernando Alonso McLaren-Honda  1:22.015 1:21.251 1:21.048 7
8 11   Sergio Pérez Force India-Mercedes  1:21.998 1:21.239 1:21.070 8
9 19   Felipe Massa Williams-Mercedes 1:22.138 1:21.222 1:21.232 9
10 31   Esteban Ocon Force India-Mercedes 1:21.901 1:21.148 1:21.272 10
11 20   Kevin Magnussen Haas-Ferrari   1:21.945 1:21.329 11
12 55   Carlos Sainz Jr. Toro Rosso 1:21.941 1:21.371 12
13 27   Nico Hülkenberg Renault 1:22.091 1:21.397 13
14 8   Romain Grosjean Haas-Ferrari 1:21.822 1:21.517 14
15 94   Pascal Wehrlein Sauber-Ferrari 1:22.327 1:21.803 15
16 9   Marcus Ericsson Sauber-Ferrari   1:22.332 16
17 30   Jolyon Palmer Renault 1:22.401 17
18 18   Lance Stroll Williams-Mercedes 1:22.411 18
19 2   Stoffel Vandoorne McLaren-Honda  1:22.532 20 1
20 26   Daniil Kvyat Toro Rosso 1:22.746 19
Tempo dos 107%: 1:26.660
Fonte:[5][6]
Notas

↑1 - Stoffel Vandoorne (McLaren) perdeu 10 posições por ter usado componentes adicionais na unidade de potência.

CorridaEditar

Pos. Nu. Piloto Construtor Voltas Tempo/Retirado Grid Pontos
1 44   Lewis Hamilton Mercedes 66 1:35:56.497 1 25
2 5   Sebastian Vettel Ferrari 66 +3.490 2 18
3 3   Daniel Ricciardo Red Bull-TAG Heuer 66 +1:15.820 6 15
4 11   Sergio Pérez Force India-Mercedes  65 +1 Volta 8 12
5 31   Esteban Ocon Force India-Mercedes 65 +1 Volta 10 10
6 27   Nico Hülkenberg Renault 65 +1 Volta 13 8
7 55   Carlos Sainz Jr. Toro Rosso 65 +1 Volta 12 6
8 94   Pascal Wehrlein Sauber-Ferrari 65 +1 Volta 15 4
9 26   Daniil Kvyat Toro Rosso 65 +1 Volta 19 2
10 8   Romain Grosjean Haas-Ferrari 65 +1 Volta 14 1
11 9   Marcus Ericsson Sauber-Ferrari   64 +2 Voltas 16
12 14   Fernando Alonso McLaren-Honda  64 +2 Voltas 7
13 19   Felipe Massa Williams-Mercedes 64 +2 Voltas 9
14 20   Kevin Magnussen Haas-Ferrari   64 +2 Voltas 11
15 30   Jolyon Palmer Renault 64 +2 Voltas 17
16 18   Lance Stroll Williams-Mercedes 64 +2 Voltas 18
Ret 77   Valtteri Bottas Mercedes 38 Unid. de potência 3
Ret 2   Stoffel Vandoorne McLaren-Honda  32 Colisão 20
Ret 33   Max Verstappen Red Bull-TAG Heuer 1 Colisão 5
Ret 7   Kimi Räikkönen Ferrari 0 Colisão 4
Fonte:[7][8][9]

Voltas na LiderançaEditar

Outros projetos Wikimedia também contêm material sobre este tema:
  Categoria no Commons
Nº de Voltas Piloto Voltas
32   Sebastian Vettel (1-13) - (25-43)
31   Lewis Hamilton (14-21) - (44-66)
3   Valtteri Bottas (22-24)

2017 DHL Fastest Pit Stop AwardEditar

ResultadoEditar

Pos. Nu. Piloto Construtor Tempo Pontos
1 44   Lewis Hamilton Mercedes 2.39 25
2 3   Daniel Ricciardo Red Bull-TAG Heuer 2.45 18
3 77   Valtteri Bottas Mercedes 2.57 15
4 55   Carlos Sainz Jr. Toro Rosso 2.61 12
5 18   Lance Stroll Williams-Mercedes 2.66 10
6 26   Daniil Kvyat Toro Rosso 2.67 8
7 5   Sebastian Vettel Ferrari 2.78 6
8 8   Romain Grosjean Haas-Ferrari 2.79 4
9 19   Felipe Massa Williams-Mercedes 2.87 2
10 31   Esteban Ocon Force India-Mercedes 3.01 1
Fonte: [10]

ClassificaçãoEditar

Tabela do campeonato após a corridaEditar

Somente as cinco primeiras posições estão incluídas nas tabelas.

Referências

  1. «Formula 1 Gran Premio de Espanã Pirelli 2017» (em inglês). Formula 1.com 
  2. «Das lágrimas ao sorrisão: pequeno Ferrarista vive dia para jamais esquecer». Globoesporte.com. 14 de Maio de 2017. Consultado em 14 de Maio de 2017 
  3. «Wehrlein one-stops his way to Sauber's first points». Formula 1® - The Official F1® Website (em inglês). Consultado em 15 de maio de 2017 
  4. «Pirelli confirm compounds for Spain through Azerbaijan» (em inglês). Formula 1.com. 10 de março de 2017 
  5. «Qualifying Results». Formula 1® - The Official F1® Website (em inglês). Consultado em 13 de maio de 2017 
  6. «Starting Grid». Formula 1® - The Official F1® Website (em inglês). Consultado em 14 de maio de 2017 
  7. «Race - Hamilton beats Vettel in Spain to close title race». Formula 1 (em inglês). Consultado em 14 de maio de 2017 
  8. «FORMULA 1 GRAN PREMIO DE ESPAÑA PIRELLI 2017 - RACE RESULT». Formula 1 (em inglês). Consultado em 14 de maio de 2017 
  9. «Lewis Hamilton defeats Sebastian Vettel in thrilling Spanish GP». Autosport (em inglês). Consultado em 14 de maio de 2017 
  10. «2017 DHL Fastest Pit Stop Award» (em inglês). Formula1.com. 26 de março de 2017 
Prova Anterior:
GP da Rússia de 2017
Campeonato do Mundo FIA de Fórmula 1
Temporada 2017
Próxima Prova:
GP de Mônaco de 2017

Prova Anterior:
GP da Espanha de 2016
Grande Prêmio da Espanha Próxima Prova:
GP da Espanha de 2018