Abrir menu principal
Grande Prêmio da Espanha de F-1 2018
Formula1 Circuit Catalunya.svg
Grande Prêmio da Espanha de 2018.
Detalhes da corrida
Data 13 de maio de 2018
Nome oficial Formula 1 Gran Premio de España Emirates 2018
Local Circuito da Catalunha, Montmeló, Espanha
Total 66 voltas / 307.104 km
Pole
Piloto
Reino Unido Lewis Hamilton Mercedes
Tempo 1:16.173
Volta mais rápida
Piloto
Austrália Daniel Ricciardo Red Bull Racing
Tempo 1:18:441 (na volta 61)
Pódio
Primeiro
Reino Unido Lewis Hamilton Mercedes
Segundo
Finlândia Valtteri Bottas Mercedes
Terceiro
Países Baixos Max Verstappen Red Bull Racing

O Grande Prêmio da Espanha de 2018 (formalmente denominado Formula 1 Gran Premio de España Emirates 2018) foi a quinta etapa da temporada de 2018 da Fórmula 1. Disputada em 13 de maio de 2018 no Circuito da Catalunha, Montmeló, Espanha[1]

Índice

RelatórioEditar

Treino LivreEditar

No finalzinho do 3º treino livre, Brendon Hartley perdeu o controle do carro na entrada da reta oposta e bateu com violência a STR-Honda, causando uma bandeira vermelha. Apesar da força do impacto na traseira, Hartley saiu ileso, mas dificilmente ele não participou do treino classificatório, devido aos grandes danos na parte de trás do carro.

O neozelandês, que já tem sua vaga de titular ameaçada, pelo menos foi liberado para a corrida, apesar da dor de cabeça que sentiu após a batida. De qualquer forma, Hartley vai largar em último.

Treino ClassificatórioEditar

Q1

Depois do domínio da Mercedes nos treinos livres, principalmente com o uso dos pneus macios, a Ferrari reagiu na classificação. Logo na primeira parte do treino, com os pilotos usando na sua maioria os pneus supermacios, Vettel cravou 1m17s031, melhor tempo do fim de semana até então. Já Hamilton e Bottas não repetiram o ótimo desempenho, dando a entender que, com os supermacios, os pneus mais aderentes do fim de semana, o rendimento não é tão bom.

Entre os eliminados, chamou a atenção a presença de Nico Hulkenberg, que havia chegado ao Q3 em três das quatro primeiras corridas da temporada - a Renault suspeita de um problema na pressão de combustível. Já a Williams continuou seu calvário em Barcelona, com Sergey Sirotkin largando em 18º, um posto à frente de Lance Stroll, que outra vez errou e bateu na sua última tentativa. Curiosamente, no momento da saída de pista, o canadense levantou brita e uma pedra quebrou a lente da câmera que filmava a escapada.

Eliminados: Nico Hülkenberg (Renault), Marcus Ericsson (Sauber), Sergey Sirotkin (Williams), Lance Stroll (Williams) e Brendon Hartley (Toro Rosso).

Q2

A segunda parte do treino começou com os principais pilotos usando pneu macio, o segundo na escala de aderência no fim de semana, já que é obrigatório largar com os compostos usados na melhor volta no Q2. Vettel melhorou ainda mais o tempo do Q1 ao cravar 1m16s802 e foi seguido pelo companheiro Raikkonen, com Bottas e Hamilton em terceiro e quarto.

Com supermacios, Hamilton entrou na pista para uma segunda tentativa e visivelmente encontrou problemas para aquecer os pneus. Mesmo assim, vinha mais rápido em relação à primeira volta lançada nos dois primeiros setores. Só que o inglês tirou o pé descaradamente para não fazer um melhor tempo e, assim, ser obrigado a largar com esse jogo de pneus.

Na briga pelas últimas vagas no Q3, os espanhóis passaram sufoco, mas se garantiram, com Carlos Sainz e Fernando Alonso em nono e décimo lugares. Stoffel Vandoorne acabou eliminado no finalzinho, enquanto a dupla da Force India não repetiu o desempenho do Azerbaijão e também ficou fora da parte decisiva.

Eliminados: Stoffel Vandoorne (McLaren), Pierre Gasly (Toro Rosso), Esteban Ocon (Force India), Charles Leclerc (Sauber) e Sergio Pérez (Force India).

Q3

No começo da parte final do treino, os pilotos voltaram aos pneus supermacios. Na primeira rodada de tentativas, Lewis Hamilton foi 0s125 mais rápido do que Max Verstappen, enquanto Vettel e Raikkonen cometeram pequenos erros e ficaram em quinto e sétimo.

Hamilton melhorou ainda mais na segunda tentativa e fez 1m16s173, enquanto Bottas ficou a apenas 0s040. Mesmo com pneus macios na sua última volta lançada, Vettel ainda subiu para terceiro, a 0s1 do inglês, enquanto Raikkonen garantiu a segunda fila.

 
Grid de Largada

CorridaEditar

Quando as luzes se apagaram, Lewis Hamilton saltou bem e impediu qualquer ataque à liderança. Enquanto isso, Valtteri Bottas, apesar de tracionar bem, viu Sebastian Vettel ultrapassá-lo por fora, para assumir a segunda posição. Kimi Räikkönen, Max Verstappen, Daniel Ricciardo e Kevin Magnussen se colocaram logo atrás.

No grupo intermediário, Carlos Sainz e Fernando Alonso tiveram um pequeno toque e chegaram a escapar do traçado – pior para o bicampeão, que caiu no pelotão. Quase ao mesmo tempo, Romain Grosjean, que perdera posições na largada, saiu de traseira na curva 3 e rodou. A Haas voltou para a pista rapidamente e acertou em cheio a Toro Rosso de Pierre Gasly e a Renault de Hülkenberg. Todos saíram ilesos do acidente, mas sem chance de retornar à prova dados os estragos nos carros.

Por conta dos reparos na pista e em função da quantidade de detritos, a direção de prova acionou o safety-car.

A relargada se deu na abertura da volta 7, e Hamilton tratou de abrir vantagem para Vettel. Bottas, Räikkönen, Verstappen e Ricciardo vieram logo na sequência. Mais atrás, Alonso superava Ocon em uma bonita ultrapassagem para entrar no top-10.

A disputa mais "acirrada" aí era entre os carros da Red Bull. O australiano se via mais veloz e lutava para alcançar o holandês. E ambos já estavam chegando no finlandês da Ferrari.

Quando a prova chegou à volta 17, Vettel foi o primeiro entre os ponteiros a parar. E lá foi o alemão buscar os pneus médios, retornando em sétimo, atrás de Magnussen. A Mercedes reagiu rápido e chamou Bottas na volta seguinte. Mas a ação não deu o resultado esperado. No momento em que o nórdico retornava à pista, Sebastian ultrapassou o dinamarquês da Haas ao mesmo tempo, colocando Kevin entre ele e o adversário, em uma jogada inteligente.

Bottas, então, precisou de mais algumas curvas para superar Magnussen. E aí começou a perseguir o alemão da Ferrari. Enquanto isso, lá na frente, Hamilton seguia com um ritmo muito forte, abrindo mais de 17s para Räikkönen, agora em segundo, à frente de Verstappen e Ricciardo, Vettel Bottas, Magnussen, Sainz, Ocon e Pérez. Já Alonso deixava o top-10 porque também decidiu parar no giro 23 – o espanhol mudou os supermacios da largada para os médios.

Aí Kimi viveu um drama. O finlandês, de repente, se viu lento pela pista, em uma aparente perda de potência. Nisso, Verstappen e Ricciardo passaram pelo #7, que foi apenas levando o carro de volta aos boxes para abandonar.

E ainda na volta 26, foi a vez de Hamilton parar. O inglês foi aos boxes para pegar os pneus médios e voltou entre os carros da Red Bull. Então, Max passou a liderar a corrida, mas sem pit-stop. Lewis vinha 1s atrás, andando muito mais veloz. Ricciardo já tinha 8s2 de desvantagem, também sem parada. Vettel e Bottas completavam os cinco primeiros.

A Red Bull esticou o primeiro stint o quanto deu, e chamou Ricciardo na volta 33. Max veio na seguinte. Os dois também calçaram os pneus médios em uma clara tática de uma única parada. Assim, com todos os pit-stops feitos, a ordem da corrida era: Hamilton, Vettel, Bottas, Verstappen, Ricciardo, Magnussen, Sainz, Leclerc, Alonso, Pérez, Stroll, Ericsson, Vandoorne, Hartley, Ocon e Sirotkin.

Na 40ª volta, a prova catalã viu mais um abandono: Ocon surgiu lento e parou a Force India com um aparente problema mecânico. O francês parou na área de escape interna da curva 4. Por conta do resgate do carro rosa, a direção de prova acionou o safety-car virtual.

E com o ritmo de prova 40% menor, Vettel foi aos boxes mudar os pneus médios novamente. E pegou um jogo novinho do mesmo composto, voltando em quarto, entre os carros da Red Bull. Lá na frente, Hamilton e Bottas seguiam na ponta - o finlandês ganhou a posição do ferrarista com a parada extra. Neste meio tempo, Verstappen ainda tocou a traseira da Williams de Sirotkin, enquanto tentava superar o retardatário russo.

A corrida voltou ao desempenho normal na volta 47. E aí Alonso tratou de passar o jovem, Leclerc para assumir o oitavo lugar. Na ponta, Hamilton seguiu com seu forte ritmo, tendo agora Bottas 16s atrás, que tinha 10s para Verstappen, que vinha 2s à frente de Vettel, que sustentava uma folga de mais de 15s para Ricciardo, o quinto colocado.

Enquanto isso, a McLaren vivia o primeiro abandono da temporada 2018. Vandoorne surgiu lento e parou no fim da saída dos boxes. O belga era apenas o 13º. Já Alonso seguia no oitavo posto.

Com 12 voltas para o fim, a Mercedes mantinha a dobradinha lá na frente, sem qualquer esboço de novo pit-stop - na verdade, seguiria assim até o fim. Mais atrás, Vettel teimava em alcançar Verstappen. Ricciardo vinha distante dos dois, mas andando muito forte. Magnussen, Sainz, Alonso, Leclerc e Pérez fechavam o grupo da zona de pontuação.

No fim da contas, não houve mudanças na ordem. Lá na frente, Hamilton cruzou a linha de chegada para vencer pela segunda vez consecutiva neste ano. Bottas garantiu a dobradinha, com Verstappen em terceiro. Vettel ainda tentou uma última vez atacar Verstappen, mas não aproximou-se o suficiente para ameaçar o holandês e teve de se contentar com a quarta posição, em um dia fora do pódio. Ricciardo completou a lista dos cinco. Pontuaram também: Magnussen (sexto), Sainz (sétimo), Alonso (oitavo), Pérez (nono) e Leclerc (décimo), com a Sauber – pela segunda vez também.

 
Resultado da corrida

PneusEditar

Os compostos de pneus fornecidos pela Pirelli para este Grande Prêmio[2]
Nome do composto Cor Banda de rolamento Condições de Tempo Dry Type Aderência Longevidade
Super Macio   Slick
(P Zero)
Seco Supersoft Mais aderência Menos durável
Macio   Slick
(P Zero)
Seco Soft Médio Médio
Médio   Slick
(P Zero)
Seco Medium Médio Médio

ResultadosEditar

Treino ClassificatórioEditar

Pos. Piloto Construtor Q1 Q2 Q3 Grid
1 44   Lewis Hamilton Mercedes 1:17.633 1:17.166 1:16.173 1
2 77   Valtteri Bottas Mercedes 1:17.674 1:17.111 1:16.213 2
3 5   Sebastian Vettel Ferrari 1:17.031 1:16.802 1:16.305 3
4 7   Kimi Räikkönen Ferrari 1:17.483 1:17.071 1:16.612 4
5 33   Max Verstappen Red Bull Racing-TAG Heuer 1:17.411 1:17.266 1:16.816 5
6 3   Daniel Ricciardo Red Bull Racing-TAG Heuer 1:17.623 1:17.638 1:16.818 6
7 20   Kevin Magnussen Haas-Ferrari 1:18.169 1:17.618 1:17.676 7
8 14   Fernando Alonso McLaren-Renault 1:18.276 1:18.100 1:17.721 8
9 55   Carlos Sainz Jr. Renault 1:18.480 1:17.803 1:17.790 9
10 8   Romain Grosjean Haas-Ferrari 1:18.305 1:17.699 1:17.835 10
11 2   Stoffel Vandoorne McLaren-Renault 1:18.885 1:18.323 11
12 10   Pierre Gasly Toro Rosso-Honda 1:18.550 1:18.463 12
13 31   Esteban Ocon Force India-Mercedes 1:18.813 1:18.696 13
14 16   Charles Leclerc Sauber-Ferrari 1:18.661 1:18.910 14
15 11   Sergio Pérez Force India-Mercedes 1:18.740 1:19.098 15
16 27   Nico Hülkenberg Renault 1:18.923 16
17 9   Marcus Ericsson Sauber-Ferrari 1:19.493 17
18 35   Sergey Sirotkin Williams-Mercedes 1:19.695 191
19 18   Lance Stroll Williams-Mercedes 1:20.225 18
Tempo dos 107%: 1:22.423
28   Brendon Hartley Toro Rosso-Honda S/Tempo 202
Fonte: [3]
Notas
  • ↑1  – Sergey Sirotkin recebeu uma penalidade de três posições por causar um acidente evitável na volta de abertura do Grande Prêmio do Azerbaijão.[4]
  • ↑2  – Brendon Hartley não conseguiu definir um tempo de volta dentro de 107% do tempo mais rápido no Q1. Sua participação na corrida será feita a critério dos comissários de corrida.

CorridaEditar

Pos. Nu. Piloto Construtor Voltas Tempo/Retirado Grid Pontos
1 44   Lewis Hamilton Mercedes 66 1:35:29.972 1 25
2 77   Valtteri Bottas Mercedes 66 +20.593 2 18
3 33   Max Verstappen Red Bull Racing-TAG Heuer 66 +26.873 5 15
4 5   Sebastian Vettel Ferrari 66 +27.584 3 12
5 3   Daniel Ricciardo Red Bull Racing-TAG Heuer 66 +50.058 6 10
6 20   Kevin Magnussen Haas-Ferrari 65 +1 volta 7 8
7 55   Carlos Sainz Jr. Renault 65 +1 volta 9 6
8 14   Fernando Alonso McLaren-Renault 65 +1 volta 8 4
9 11   Sergio Pérez Force India-Mercedes 64 +2 voltas 15 2
10 16   Charles Leclerc Sauber-Ferrari 64 +2 voltas 14 1
11 18   Lance Stroll Williams-Mercedes 64 +2 voltas 19
12 28   Brendon Hartley Toro Rosso-Honda 64 +2 voltas 20
13 9   Marcus Ericsson Sauber-Ferrari 64 +2 voltas 17
14 35   Sergey Sirotkin Williams-Mercedes 63 +3 voltas 18
Ret 2   Stoffel Vandoorne McLaren-Renault 45 Câmbio 11
Ret 31   Esteban Ocon Force India-Mercedes 38 Vazamento de Óleo 13
Ret 7   Kimi Räikkönen Ferrari 25 Turbo 4
Ret 8   Romain Grosjean Haas-Ferrari 0 Colisão 10
Ret 10   Pierre Gasly Toro Rosso-Honda 0 Colisão 12
Ret 27   Nico Hülkenberg Renault 0 Colisão 16
Fonte: [5]

Voltas na LiderançaEditar

Outros projetos Wikimedia também contêm material sobre este tema:
  Categoria no Commons
Nº de Voltas Piloto Voltas
58   Lewis Hamilton 1-24 e 33-66
8   Max Verstappen 25-32

2018 DHL Fastest Pit Stop AwardEditar

ResultadoEditar

Pos. Nu. Piloto Construtor Tempo Pontos
1 3   Daniel Ricciardo Red Bull Racing 2.26 25
2 18   Lance Stroll Williams 2.36 18
3 33   Max Verstappen Red Bull Racing 2.38 15
4 35   Sergey Sirotkin Williams 2.49 12
5 14   Fernando Alonso McLaren 2.49 10
6 44   Lewis Hamilton Mercedes 2.59 8
7 16   Charles Leclerc Sauber 2.64 6
8 9   Marcus Ericsson Sauber 2.67 4
9 5   Sebastian Vettel Ferrari 2.71 2
10 11   Sergio Pérez Force India 2.77 1
Fonte: [6]

ClassificaçãoEditar

Tabela do campeonato após a corridaEditar

Somente as cinco primeiras posições estão incluídas nas tabelas.

Referências

  1. «Formula 1 Gran Premio de España 2018» (em inglês). Formula 1.com 
  2. «Pirelli announces compound choices and mandatory sets for the 2018 Grands Prix in Spain and Canada» (em inglês). news.pirelli.com 
  3. «Formula 1 Gran Premio de España Emirates 2018 – Qualifying». Formula1.com. Formula One World Championship Limited. 12 de maio de 2018. Consultado em 28 de maio de 2018 
  4. Coch, Mat (9 de maio de 2018). «FIA rejects Williams penalty review». speedcafe.com. Consultado em 28 de maio de 2018 
  5. «Formula 1 Gran Premio de España Emirates 2018 – Race Result». Formula1.com. Formula One World Championship Limited. 13 de maio de 2018. Consultado em 28 de maio de 2018 
  6. «2018 DHL Fastest Pit Stop Award» (em inglês). Formula1.com 

Ligações externasEditar

Prova Anterior:
GP do Azerbaijão de 2018
Campeonato do Mundo FIA de Fórmula 1
Temporada 2018
Próxima Prova:
GP de Mônaco de 2018

Prova Anterior:
GP da Espanha de 2017
Grande Prêmio da Espanha Próxima Prova:
GP da Espanha de 2019