Abrir menu principal

Lista de disputas territoriais

artigo de lista da Wikimedia
Ambox grammar.svg
Esta página ou secção precisa de correção ortográfico-gramatical.
Pode conter incorreções textuais, e ainda pode necessitar de melhoria em termos de vocabulário ou coesão, para atingir um nível de qualidade superior conforme o livro de estilo da Wikipédia. Se tem conhecimentos linguísticos, sinta-se à vontade para ajudar.

Este artigo mostra uma lista de lugares que estão em disputa entre vários países.

Regiões e territórios em disputa atualmenteEditar

Territorio/Região/País Países que

disputam este

território

Motivos Desde Continente
Crimeia   Rússia

 Ucrânia

A Crimeia foi cedida à Ucrânia em 1954 pela União Soviética, e a Ucrânia tornou-se independente somente em 1991. Configurou-se então na Crimeia uma forte divisão política e cultural, com o leste sendo pró-Rússia e o oeste pró-UE. O estopim dos conflitos foram as manifestações de rua de Novembro de 2013 em favor do acordo comercial com a União Europeia em detrimento de um acordo com a Rússia.[1] 2014[2] Ásia e Europa
Abyei  Sudão

  Sudão do Sul

A região de Abyei, rica em petróleo, gerou a disputa a partir de 2010 entre o exército sudanês e um grupo rebelde de libertação. 2011[3] África
  Egito

  Síria

  Jordânia

  Arábia Saudita

  Israel

Desde a criação do estado de Israel, a região vive intensa disputa entre sionistas e estados árabes.

Em 1948, a guerra árabe-israelense aconteceu logo após a criação do novo estado e a retirada das tropas britânicas.

Nos anos seguintes, aconteceram a Guerra de Suez e a Guerra dos Seis Dias, onde Israel conquistaria territórios do Egito, da Síria, da Jordânia e a Faixa de Gaza.

1948[4] Ásia
 Ilhas Malvinas   Argentina

  Reino Unido

Argentina reivindica da Grã-Bretanha a posse das Ilhas Malvinas, localizadas no Atlântico Sul.

Em 1982, a Argentina invadiu as ilhas, mas tropas britânicas as recuperaram rapidamente. O conflito ficou conhecido como Guerra das Malvinas.

Até hoje, o governo argentino reivindica perante a ONU a posse das ilhas. Em 2009, o governo britânico começou a explorar petróleo na região.

1982 América do Sul
Ilha de Guajará-mirim   Bolívia

 Brasil

A área foi demarcada pelo Tratado de Ayacucho, a 27 de março de 1867, que, em seu artigo 2º, declara:

(…) [A fronteira entre o Brasil e a Bolívia] baixará [pelo rio Verde] até á sua confluencia com o Guaporé e pelo meio deste e do Mamoré até ao Beni, onde principia o Rio Madeira.(…)[1] A fronteira nesta área foi demarcada em 1877, estabelecendo-se lá a empresa boliviana Irmãos Suarez em 1896. O Tratado de Petrópolis, em 17 de novembro de 1903, confirmou o mesmo limite estabelecido em 1867. Em 1 de abril de 1930, a legação brasileira em La Paz reclamou pelo que considerava uma inadequada ocupação da ilha. Em 1937, o governo da Bolívia emitiu um relatório mostrando uma proximidade maior da ilha ao lado boliviano, que foi rejeitado pelo Brasil. Em 1955, o Brasil teve a intenção de estabelecer um posto policial na ilha, mas não levou o projeto a cabo.

Em 29 de março de 1958, foi assinado um acordo entre os dois países chamado Acordo de Roboré, no qual, além da resolução de outras questões em litígio, foi acordado, no futuro, resolver a disputa sobre a soberania da ilha Suárez. Esta convenção foi ratificada pelo Congresso Brasileiro em 30 de novembro de 1968. No seu artigo 4º, estabelece que:

O Governo do Brasil concordou com o Governo da Bolívia a fim de examinar outra vez a questão sobre o estatuto jurídico da ilha de Guajará Mirim (Isla Suárez).[2] A ilha continua, em 2009, sem uma solução definitiva acerca de sua posse territorial, e permanece supostamente sob administração boliviana, apesar de que a ilha é local de atividade econômica dos habitantes brasileiros de Guajará-Mirim que detém a maior parte do territorio da ilha. Mais de 80 ilhas nos rios Guaporé e Mamoré ainda têm de ser atribuídas a um ou outro país.

1930 América do Sul
 Gibraltar   Espanha

  Reino Unido

Disputa sobre a interpretação do Tratado de Utrecht e a localização da Fronteira Espanha-Gibraltar.[5] 1713 Europa
Plazas de soberanía   Espanha

  Marrocos

A Conferência Islâmica (57 estados membros), a União Africana (54 estados membros) e a Liga Árabe (23 estados membros) consideram Ceuta e as outras partes dos lugares de Plazas de soberanía, território marroquino.[6] 1956 Europa
Olivença   Espanha

  Portugal

A administração e soberania espanhola de Olivença e territórios adjacentes não são reconhecidas por Portugal, estando a fronteira por delimitar nessa zona. Em 1801, através do Tratado de Badajoz, denunciado em 1808 por Portugal, o território foi anexado por Espanha. Em 1817, quando subscreveu o diploma resultante do Congresso de Viena (1815), Espanha reconheceu a soberania portuguesa, comprometendo-se à devolução do território o mais rapidamente possível. No entanto, tal nunca chegou a acontecer.[7] 1815 Europa
Ilhas Faroé   Dinamarca

com a

  Islândia,

  Reino Unido e   Irlanda

Dinamarca disputa com a Islândia, o Reino Unido e a Irlanda a posse de uma plataforma continental das ilhas Faroé. É uma região autônoma da Dinamarca e que estuda a independência total. 1948[8] Europa
Caxemira   Índia

  Paquistão

Após a partição da Índia e do Paquistão, a maioria muçulmana de Caxemira queria fazer parte do Paquistão (Que já era muçulmano), porém o líder que era Indu fez com que Caxemira continuasse neutra. Isto também fez com que ocorresse a Primeira Guerra Indo-Paquistanesa em 1947. 2000[9] Ásia

Referências

  1. «Entenda por que Ucrânia e Rússia brigam pelo controle da Crimeia - 07/03/2014 - Mundo - Folha de S.Paulo». www1.folha.uol.com.br. Consultado em 2 de julho de 2016 
  2. «Pro EU Rally in Kiev, Pro Government Rally in Donetsk – The World Reporter». www.theworldreporter.com. Consultado em 2 de julho de 2016 
  3. «Abyei, Sudão, urgente». Consultado em 2 de julho de 2016 
  4. League, Arab. Cablegram from the Secretary-General of the League of Arab States to the Secretary-General of the United Nations. [S.l.: s.n.] 
  5. «Disputa sobre o território de Gibraltar vira obstáculo antes de cúpula do Brexit; entenda». globo.com. Consultado em 27 de novembro de 2018 
  6. «Ceuta, Melilla profile». globo.com. Consultado em 27 de novembro de 2018 
  7. «Europe :: Spain». globo.com. Consultado em 27 de novembro de 2018 
  8. «Iceland History». www.mnh.si.edu. Consultado em 2 de julho de 2016 
  9. «Conflito na região da Caxemira - Mundo Educação». Mundo Educação. Consultado em 2 de julho de 2016