Abrir menu principal

Lista de governadores de Santa Catarina

artigo de lista da Wikimedia

Esta é uma lista de governadores de Santa Catarina.

Governador de Santa Catarina
Brasão de Santa Catarina.svg
Brasão do Estado
Carlos Moisés in April 2019 (cropped).jpg
No cargo
Carlos Moisés

desde 1 de janeiro de 2019
Residência Casa D’Agronômica
Duração 4 anos
Criado em 1889
Primeiro titular Lauro Müller
Website http://www.sc.gov.br

O estado de Santa Catarina, assim como uma república, é governado por três poderes, todos com sede na capital: o executivo, representado pelo governador, o legislativo, representado pela Assembleia Legislativa de Santa Catarina, e o judiciário, representado pelo Tribunal de Justiça do Estado de Santa Catarina e outros tribunais e juízes.[1] Também é permitida a participação popular nas decisões do governo através de referendos e plebiscitos. A atual constituição do estado foi promulgada em 1989, acrescida das alterações resultantes de posteriores emendas constitucionais.[1] Constituem símbolos estaduais a bandeira, o brasão e o hino.[1]

O poder executivo catarinense está centralizado no governador do estado, que é eleito em sufrágio universal e voto direto e secreto, pela população para mandatos de até quatro anos de duração, e pode ser reeleito para mais um mandato. Ele é o responsável pela nomeação dos secretários de estado, que auxiliam no governo.[1] A sede do governo estadual é o Centro Administrativo do Governo, localizado no bairro florianopolitano de Saco Grande.[2] Antes do Centro Administrativo, foram também sedes do governo o Palácio Cruz e Sousa, que é atualmente a sede do Museu Histórico de Santa Catarina, e o Palácio Santa Catarina, que se tornou sede após o Cruz e Sousa ter sido tombado e tornado museu.[3][4][5][6] Construída em 1952 e inaugurada em 1954, a residência oficial do governador do estado é a Casa d'Agronômica, no bairro florianopolitano de mesmo nome.[7]

Desde o começo do período republicano, assumiu pela primeira vez o governo do estado o militar, engenheiro e diplomata Lauro Müller, que esteve no poder entre 2 de dezembro de 1889 e 24 de agosto de 1890. Foi apenas no ano de 1947 onde ocorreu a posse do primeiro governador eleito por sufrágio universal, Aderbal Ramos da Silva, eleito pela segunda vez para um mandato entre 1956 e 1961.[8] O atual chefe do executivo catarinense é Carlos Moisés, que assumiu o cargo em 1 de janeiro de 2019.

O poder legislativo estadual é unicameral e exercido pela Assembleia Legislativa de Santa Catarina (Palácio Barriga Verde),[nota 1] formada por 40 deputados estaduais, eleitos de forma direta para mandatos quadrienais. Cabe à casa elaborar e votar leis fundamentais à administração e ao executivo, especialmente o orçamento estadual (conhecido como Lei de Diretrizes Orçamentárias).[9] No Congresso Nacional, a representação catarinense é de três senadores e dezesseis deputados federais.[10]

O poder judiciário tem a função de julgar, conforme leis criadas pelo legislativo e regras constitucionais brasileiras, sendo composto por desembargadores, além dos tribunais de júri, juizados especiais e juízes de direito, substitutos e de paz.[11] A maior corte do Poder Judiciário catarinense é o Tribunal de Justiça de Santa Catarina, localizado no Centro Cívico Tancredo Neves.[12] Representações deste poder estão espalhadas pelo território estadual por meio de unidades denominadas de comarcas. De acordo com o Tribunal Superior Eleitoral, Santa Catarina possuía, em novembro de 2016, 5 005 356 eleitores, representando 3,403% do eleitorado brasileiro, o décimo maior do país.[13]

A partir de 1823 a cidade-sede dos três poderes políticos de Santa Catarina é a capital Florianópolis. Antigamente, a denominação da cidade era Nossa Senhora do Desterro, em homenagem à sua santa padroeira. O nome foi alterado durante o término da Revolução Federalista, em 1894, e o povo da cidade ainda contesta essa mudança. A denominação Florianópolis é uma homenagem ao então presidente Floriano Peixoto. Dessa denominação vem a alcunha Floripa, pela qual a cidade é muito famosa.[14] Depois da Revolução de 1930, que começou no Rio Grande do Sul, Santa Catarina foi o estado onde ocorreu a primeira invasão pelas forças que levariam Getúlio Vargas ao poder. Apesar da vitória das forças legais, os florianopolitanos sobreviveram ao domínio gaúcho até o triunfo da revolução no Brasil inteiro. Entre 1930 e 1945, interventores federais governaram o estado. No decorrer destes quinze anos, houve um pequeno período, entre 1935 e 1937, em que o Poder Executivo estadual foi dirigido por um governador eleito, Nereu Ramos, que o Estado Novo manteve como interventor em 1937. Nos anos 1940, uma vasta região do território estadual, a qual continuava quase abandonada e pouco colonizada, o meio e o extremo oeste, começou a ser cada vez mais importante. Essas glebas foram sendo povoadas por gaúchos, colonizadores de outros países e seus filhos, netos e bisnetos brasileiros, que aí avistaram um novo eldorado cheio de prosperidade. Em 1966, assumiu o governador Ivo Silveira, escolhido por voto popular. Após essa época, dois governadores foram eleitos pela Assembleia Legislativa: Colombo Sales e Antônio Carlos Konder Reis; e um por voto popular, Jorge Bornhausen.[15]

Período colonial (1711-1739)Editar

  Mandatário titular
  Mandatário interino
Comandantes da Ilha de Santa Catarina Imagem Início do mandato Fim do mandato Observações
1 Salvador de Sousa Britto 1° de fevereiro de 1711 15 de novembro de 1718 Capitão-mor da Ilha do Desterro[16]
Bernardo Cavalcanti de Mello 15 de novembro de 1718 1º de fevereiro de 1721 Vice-Governador Geral da Desterro[17]
2 Francisco de Brito Peixoto 1º de fevereiro de 1721 25 de outubro de 1724 Sargento-Mor de Laguna e Florianópolis
Augusto Xavier de Carvalho 25 de outubro de 1724 13 de junho de 1728 Vice-Governador Geral da Desterro[17]
3 Sebastião Rodrigues de Bragança 13 de junho de 1728 29 de novembro de 1731 Cabo Militar da Praça de Santos
4 Francisco Dias de Mello 11 de dezembro de 1735 28 de maio de 1737 Sargento da Praça de Santos[18]
5 Antônio de Oliveira Bastos 28 de maio de 1737 7 de março de 1739 Capitão de Infantaria da Praça de Santos

Período colonial (1739-1822)Editar

Governador da Capitania de Santa Catarina Início do mandato Fim do mandato
1 José da Silva Pais
Patrício Manuel de Figueiredo
Pedro de Azambuja Ribeiro
José da Silva Pais
7 de março de 1739
25 de agosto de 1743
25 de janeiro de 1744
20 de março de 1746
25 de agosto de 1743
25 de janeiro de 1744
20 de março de 1746
2 de fevereiro de 1749
2 Manuel Escudeiro Ferreira de Sousa 2 de fevereiro de 1749 25 de outubro de 1753
3 José de Melo Manuel 25 de outubro de 1753 7 de março de 1762
4 Francisco Antônio Cardoso de Meneses e Sousa 7 de março de 1762 12 de julho de 1765
5 Francisco de Sousa e Meneses 12 de julho de 1765 5 de setembro de 1775
6 Pedro Antônio da Gama Freitas 5 de setembro de 1775 23 de fevereiro de 1777
Domínio espanhol 23 de fevereiro de 1777 12 de agosto de 1778
7 Francisco Antônio da Veiga Cabral da Câmara 12 de agosto de 1778 5 de julho de 1779
8 Francisco de Barros Morais Araújo Teixeira Homem 5 de julho de 1779 7 de julho de 1786
9 José Pereira Pinto 7 de julho de 1786 7 de janeiro de 1791
10 Manuel Soares de Coimbra 7 de janeiro de 1791 8 de julho de 1793
11 João Alberto Miranda Ribeiro 8 de julho de 1793 18 de janeiro de 1800
Junta governativa catarinense de 1800 18 de janeiro de 1800 8 de dezembro de 1800
12 Joaquim Xavier Curado 8 de dezembro de 1800 3 de junho de 1805
13 Luís Maurício da Silveira 3 de junho de 1805 14 de julho de 1817
14 João Vieira Tovar e Albuquerque 14 de julho de 1817 20 de julho de 1821
15 Tomás Joaquim Pereira Valente 20 de julho de 1821 20 de maio de 1822

Período imperial (1822-1889)Editar

A tabela abaixo indica na primeira coluna o presidente da província, que era nomeado diretamente pelo imperador (de acordo com a constituição brasileira de 1824, artigo 165), aconselhado pelo partido que estivesse no poder (o Partido Conservador ou o Partido Liberal). O presidente da província não tinha um mandato, podendo ser exonerado ou pedir afastamento à revelia. Principalmente devido à esta possibilidade concreta de falta do dirigente diretamente subordinado ao imperador e seu ministério, eram escolhidos pela Assembleia Local seis vice-presidentes, teoricamente aptos a exercer interinamente o cargo vago, até que novo presidente fosse nomeado por Carta Imperial e assumisse o cargo.

  presidente da província
  vice-presidente da província em exercício
  governo provisório
Nome Imagem Partido Início do mandato Fim do mandato Observações
Primeiro Reinado (1822-1831)
Junta governativa catarinense de 1822 20 de maio de 1822 16 de fevereiro de 1824 nota 1
1 João Antônio Rodrigues de Carvalho Partido Popular 16 de fevereiro de 1824 12 de março de 1825 Presidente nomeado por Carta Imperial
2 Francisco de Albuquerque Melo Partido Democrático 12 de março de 1825 14 de janeiro de 1830 Presidente nomeado por Carta Imperial
Período regencial (1831-1840)
3 Miguel de Sousa Melo e Alvim Partido Democrático 14 de janeiro de 1830 22 de abril de 1831 Presidente nomeado por Carta Imperial
Francisco Luís do Livramento Partido Restaurador 22 de abril de 1831 6 de agosto de 1831 1° Vice-Presidente nomeado por Carta Imperial
4 Feliciano Nunes Pires Partido Restaurador 6 de agosto de 1831 4 de novembro de 1835 Presidente nomeado por Carta Imperial
5 José Mariano de Albuquerque Cavalcanti Partido Restaurador 4 de novembro de 1835 28 de maio de 1836 Presidente nomeado por Carta Imperial
Francisco Luís do Livramento Partido Conservador 28 de maio de 1836 24 de janeiro de 1837 1° Vice-Presidente nomeado por Carta Imperial
6 José Joaquim Machado de Oliveira Partido Conservador 24 de janeiro de 1837 14 de outubro de 1837 Presidente nomeado por Carta Imperial
7 João Carlos Pardal Partido Conservador 14 de outubro de 1837 17 de agosto de 1839 Presidente nomeado por Carta Imperial
8 Francisco José de Sousa Soares de Andrea Partido Conservador 17 de agosto de 1839 26 de junho de 1840 Presidente nomeado por Carta Imperial
Segundo Reinado (1840-1889)
9 Antero José Ferreira de Brito Partido Liberal 26 de junho de 1840 26 de dezembro de 1848 Presidente nomeado por Carta Imperial
Severo Amorim do Vale Partido Liberal 26 de dezembro de 1848 6 de março de 1849 3° Vice-Presidente nomeado por Carta Imperial
10 Antônio Pereira Pinto Partido Liberal 6 de março de 1849 30 de novembro de 1849 Presidente nomeado por Carta Imperial
Severo Amorim do Vale Partido Liberal 30 de novembro de 1849 24 de janeiro de 1850 3° Vice-Presidente nomeado por Carta Imperial
11 João José Coutinho Partido Conservador 24 de janeiro de 1850 23 de setembro de 1859 Presidente nomeado por Carta Imperial
Esperidião Elói de Barros Pimentel Partido Conservador 23 de setembro de 1859 21 de outubro de 1859 1° Vice-Presidente nomeado por Carta Imperial
12 Francisco Carlos de Araújo Brusque Partido Conservador 21 de outubro de 1859 17 de abril de 1861 Presidente nomeado por Carta Imperial
João José de Andrade Pinto Partido Conservador 17 de abril de 1861 26 de abril de 1861 3° Vice-Presidente nomeado por Carta Imperial
13 Inácio da Cunha Galvão Partido Conservador 26 de abril de 1861 17 de novembro de 1861 Presidente nomeado por Carta Imperial
14 Vicente Pires da Mota Partido Conservador 17 de novembro de 1861 25 de setembro de 1862 Presidente nomeado por Carta Imperial
João Francisco de Sousa Coutinho Partido Liberal 25 de setembro de 1862 26 de dezembro de 1862 1° Vice-Presidente nomeado por Carta Imperial
15 Pedro Leitão da Cunha Partido Liberal 26 de dezembro de 1862 19 de dezembro de 1863 Presidente nomeado por Carta Imperial
Francisco José de Oliveira Partido Liberal 19 de dezembro de 1863 25 de abril de 1864 1° Vice-Presidente nomeado por Carta Imperial
16 Alexandre Rodrigues da Silva Chaves Partido Liberal 25 de abril de 1864 24 de abril de 1865 Presidente nomeado por Carta Imperial
Francisco José de Oliveira Partido Liberal 24 de abril de 1865 16 de agosto de 1865 1° Vice-Presidente nomeado por Carta Imperial
17 Adolfo de Barros Cavalcanti de Albuquerque Lacerda Partido Liberal 16 de agosto de 1865 11 de junho de 1867 Presidente nomeado por Carta Imperial
Francisco José de Oliveira Partido Liberal 11 de junho de 1867 9 de outubro de 1867 1° Vice-Presidente nomeado por Carta Imperial
17 Adolfo de Barros Cavalcanti de Albuquerque Lacerda Partido Liberal 9 de outubro de 1867 23 de maio de 1868 Presidente nomeado por Carta Imperial
Francisco José de Oliveira Partido Liberal 23 de maio de 1868 4 de agosto de 1868 1° Vice-Presidente nomeado por Carta Imperial
João Francisco de Sousa Coutinho Partido Liberal 4 de agosto de 1868 30 de agosto de 1868 2° Vice-Presidente nomeado por Carta Imperial
Carlos de Cerqueira Pinto Partido Liberal 30 de agosto de 1868 11 de janeiro de 1869 3° Vice-Presidente nomeado por Carta Imperial
18 Carlos Augusto Ferraz de Abreu Partido Conservador 11 de janeiro de 1869 11 de agosto de 1869 Presidente nomeado por Carta Imperial
Joaquim Xavier Neves Partido Conservador 11 de agosto de 1869 22 de novembro de 1869 2° Vice-Presidente nomeado por Carta Imperial
Manuel do Nascimento da Fonseca Galvão Partido Conservador 22 de novembro de 1869 3 de janeiro de 1870 1° Vice-Presidente nomeado por Carta Imperial
19 André Cordeiro de Araújo Lima Partido Conservador 3 de janeiro de 1870 10 de abril de 1870 Presidente nomeado por Carta Imperial
Manuel do Nascimento da Fonseca Galvão Partido Conservador 10 de abril de 1870 11 de abril de 1870 1° Vice-Presidente nomeado por Carta Imperial
Manuel Vieira Tosta Partido Liberal 11 de abril de 1870 18 de maio de 1870 2° Vice-Presidente nomeado por Carta Imperial
20 Francisco Ferreira Correia Partido Liberal 18 de maio de 1870 9 de janeiro de 1871 Presidente nomeado por Carta Imperial
Manuel Vieira Tosta Partido Liberal 9 de janeiro de 1871 16 de janeiro de 1871 2° Vice-Presidente nomeado por Carta Imperial
21 Joaquim Bandeira de Gouveia Partido Conservador 16 de janeiro de 1871 7 de janeiro de 1872 Presidente nomeado por Carta Imperial
Guilherme Cordeiro Coelho Cintra Partido Conservador 7 de janeiro de 1872 15 de junho de 1872 1° Vice-Presidente nomeado por Carta Imperial
Inácio Accioli de Almeida Partido Conservador 15 de junho de 1872 8 de julho de 1872 3° Vice-Presidente nomeado por Carta Imperial
22 Delfino Pinheiro de Ulhoa Cintra Júnior Partido Conservador 8 de julho de 1872 13 de novembro de 1872 Presidente nomeado por Carta Imperial
Manuel do Nascimento da Fonseca Galvão Partido Conservador 13 de novembro de 1872 27 de janeiro de 1873 1° Vice-Presidente nomeado por Carta Imperial
Inácio Accioli de Almeida Partido Conservador 27 de janeiro de 1873 4 de abril de 1873 3° Vice-Presidente nomeado por Carta Imperial
23 Pedro Afonso Ferreira Partido Conservador 4 de abril de 1873 8 de outubro de 1873 Presidente nomeado por Carta Imperial
Luís Ferreira do Nascimento Melo Partido Conservador 8 de outubro de 1873 24 de outubro de 1873 4° Vice-Presidente nomeado por Carta Imperial
24 João Tomé da Silva Partido Conservador 24 de outubro de 1873 23 de abril de 1875 Presidente nomeado por Carta Imperial
Luís Ferreira do Nascimento Melo Partido Conservador 23 de abril de 1875 7 de agosto de 1875 4° Vice-Presidente nomeado por Carta Imperial
25 João Capistrano Bandeira de Melo Filho Partido Liberal 7 de agosto de 1875 7 de junho de 1876 Presidente nomeado por Carta Imperial
26 Alfredo d'Escragnolle Taunay Partido Conservador 7 de junho de 1876 2 de janeiro de 1877 Presidente nomeado por Carta Imperial
Hermínio Francisco do Espírito Santo Partido Conservador 2 de janeiro de 1877 3 de janeiro de 1877 1° Vice-Presidente nomeado por Carta Imperial
27 José Bento de Araújo Partido Liberal 3 de janeiro de 1877 14 de fevereiro de 1878 Presidente nomeado por Carta Imperial
Joaquim da Silva Ramalho Partido Liberal 14 de fevereiro de 1878 7 de maio de 1878 1° Vice-Presidente nomeado por Carta Imperial
28 Lourenço Cavalcanti de Albuquerque Partido Liberal 7 de maio de 1878 11 de dezembro de 1878 Presidente nomeado por Carta Imperial
Joaquim da Silva Ramalho Partido Liberal 11 de dezembro de 1878 18 de abril de 1879 1° Vice-Presidente nomeado por Carta Imperial
29 Antônio de Almeida e Oliveira Partido Conservador 18 de abril de 1879 10 de maio de 1880 Presidente nomeado por Carta Imperial
Manuel Pinto de Lemos Partido Conservador 10 de maio de 1880 7 de julho de 1880 1° Vice-Presidente nomeado por Carta Imperial
30 João Rodrigues Chaves Partido Conservador 7 de julho de 1880 9 de março de 1882 Presidente nomeado por Carta Imperial
Joaquim Augusto do Livramento Partido Conservador 9 de março de 1882 5 de abril de 1882 1° Vice-Presidente nomeado por Carta Imperial
31 Ernesto Francisco de Lima Santos Partido Conservador 5 de abril de 1882 30 de junho de 1882 Presidente nomeado por Carta Imperial
Joaquim Augusto do Livramento Partido Conservador 30 de junho de 1882 6 de setembro de 1882 1° Vice-Presidente nomeado por Carta Imperial
32 Antônio Gonçalves Chaves Partido Conservador 6 de setembro de 1882 27 de janeiro de 1883 Presidente nomeado por Carta Imperial
Manuel Pinto de Lemos Partido Conservador 27 de janeiro de 1883 28 de fevereiro de 1883 2° Vice-Presidente nomeado por Carta Imperial
33 Teodureto Carlos de Faria Souto Partido Conservador 28 de fevereiro de 1883 29 de agosto de 1883 Presidente nomeado por Carta Imperial
34 Francisco Luís da Gama Rosa Partido Liberal 29 de agosto de 1883 9 de setembro de 1884 Presidente nomeado por Carta Imperial
35 José Lustosa da Cunha Paranaguá Partido Conservador 9 de setembro de 1884 22 de junho de 1885 Presidente nomeado por Carta Imperial
Manuel Pinto de Lemos Partido Conservador 22 de junho de 1885 28 de junho de 1885 2° Vice-Presidente nomeado por Carta Imperial
36 Antônio Lara de Fontoura Palmeiro Partido Liberal 28 de junho de 1885 29 de setembro de 1885 Presidente nomeado por Carta Imperial
37 Francisco José da Rocha Partido Liberal 29 de setembro de 1885 20 de maio de 1888 Presidente nomeado por Carta Imperial
38 Augusto Fausto de Sousa Partido Conservador 20 de maio de 1888 13 de fevereiro de 1889 Presidente nomeado por Carta Imperial
José Ferreira de Melo Partido Conservador 13 de fevereiro de 1889 6 de março de 1889 4° Vice-Presidente nomeado por Carta Imperial
Joaquim Elói de Medeiros Partido Conservador 6 de março de 1889 26 de junho de 1889 2° Vice-Presidente nomeado por Carta Imperial
Abdon Batista Partido Conservador 26 de junho de 1889 19 de julho de 1889 1° Vice-Presidente nomeado por Carta Imperial
39 Luís Alves Leite de Oliveira Belo Partido Liberal 19 de julho de 1889 17 de novembro de 1889 Presidente nomeado por Carta Imperial

República JulianaEditar

Nome Imagem Início do mandato Fim do mandato Partido Referências
1 David Canabarro   24 de julho de 1839 15 de novembro de 1839 Partido Farroupilha Eleito Governador pelo Colégio Eleitoral

Período republicano (1889-2019)Editar

No período republicano a província passou a ser denominada estado. Os governantes eram denominados "presidentes do estado" até a Revolução de 1930, quando passaram a ser denominados "governadores do estado". Os governadores passaram a ser eleitos pela população, exceto em situações de exceção, quando os mesmos eram nomeados ou o poder governamental era confiado a juntas governativas provisórias.

  Mandatários eleitos por votação direta
  Mandatários que assumiram o governo por serem vice-governadores
  Mandatários eleitos por votação indireta ou que assumiram na qualidade de representantes do Poder Legislativo
  Mandatários nomeados diretamente pelo governo central em épocas de convulsão político-social e ditadura militar
  Mandatários eleitos, mas que não chegaram a tomar posse
Governador Imagem Partido Início do mandato Fim do mandato Observações
Junta governativa catarinense de 1889 17 de novembro de 1889 2 de dezembro de 1889 Nomeados por decreto do Presidente Deodoro da Fonseca
1 Lauro Müller Partido Republicano Catarinense

PRC

2 de dezembro de 1889 29 de junho de 1890 Nomeado por decreto do Presidente Deodoro da Fonseca
Gustavo Richard Partido Republicano Catarinense

PRC

29 de junho de 1890 10 de novembro de 1891 Vice-Interventor no cargo interinamente
Lauro Müller Partido Republicano Catarinense

PRC

10 de novembro de 1891 28 de dezembro de 1891 Nomeado por decreto do Presidente Deodoro da Fonseca
Junta governativa catarinense de 1891 29 de dezembro de 1891 1º de março de 1892 Nomeado por decreto do Presidente Floriano Peixoto
Manuel Joaquim Machado Partido Republicano Catarinense

PRC

1º de março de 1892 15 de setembro de 1892 Interventor no cargo interinamente
2 Manuel Joaquim Machado Partido Republicano Catarinense

PRC

15 de setembro de 1892 13 de outubro de 1892 Nomeado Interventor Federal pelo Presidente Floriano Peixoto
Eliseu Guilherme da Silva Partido Republicano Catarinense

PRC

13 de outubro de 1892 28 de outubro de 1892 Vice-Interventor no cargo interinamente
Manuel Joaquim Machado Partido Republicano Catarinense

PRC

28 de outubro de 1892 18 de junho de 1893 Nomeado Interventor Federal pelo Presidente Floriano PeixotoRenunciou o cargo
Eliseu Guilherme da Silva Partido Republicano Catarinense

PRC

18 de junho de 1893 22 de abril de 1894 Vice-Interventor no cargo definitivamente
Antônio Moreira César Partido Moderador Brasileiro

PMB

22 de abril de 1894 28 de setembro de 1894 Nomeado Interventor Federal pelo Presidente Floriano Peixoto
3 Hercílio Luz Partido Republicano Catarinense

PRC

28 de setembro de 1894 28 de setembro de 1898 Governador eleito em sufrágio universal
4 Filipe Schmidt Partido Republicano Catarinense

PRC

28 de setembro de 1898 28 de setembro de 1902 Governador eleito em sufrágio universal
5 Lauro Müller Partido Republicano Catarinense

PRC

28 de setembro de 1902 6 de março de 1905 Governador eleito em sufrágio universal
Vidal Ramos Partido Republicano Catarinense

PRC

6 de março de 1905 28 de setembro de 1906 Vice-Governador eleito no cargo de titular
Abdon Batista Partido Republicano Catarinense

PRC

28 de setembro de 1906 21 de novembro de 1906 Presidente da Assembléia Legislativa no cargo de titular interinamente
6 Gustavo Richard Partido Republicano Catarinense

PRC

21 de novembro de 1906 29 de setembro de 1910 Governador eleito em sufrágio universal
7 Vidal Ramos Partido Republicano Catarinense

PRC

29 de setembro de 1910 28 de outubro de 1914 Governador eleito em sufrágio universal
8 Filipe Schmidt Partido Republicano Catarinense

PRC

28 de outubro de 1914 28 de setembro de 1918 Governador eleito em sufrágio universal
9 Lauro Müller Partido Republicano Catarinense

PRC

Renunciou no dia da posse Governador eleito em sufrágio universal
Hercílio Luz Partido Republicano Catarinense

PRC

28 de setembro de 1918 28 de setembro de 1922 Vice-Governador eleito no cargo de titular
10 Hercílio Luz Partido Republicano Catarinense

PRC

28 de setembro de 1922 9 de maio de 1924 Governador eleito em sufrágio universal
Antônio Pereira Oliveira Partido Republicano Catarinense

PRC

9 de maio de 1924 20 de novembro de 1925 Vice-Governador eleito no cargo de titular
Antônio Vicente Bulcão Viana Partido Republicano Catarinense

PRC

20 de novembro de 1925 28 de setembro de 1926 Governador eleito indiretamente pela Assembléia Legislativa
11 Adolfo Konder Partido Republicano Catarinense

PRC

28 de setembro de 1926 29 de setembro de 1930 Governador eleito em sufrágio universal
12 Fúlvio Aducci Partido Republicano Catarinense

PRC

29 de setembro de 1930 25 de outubro de 1930 Governador eleito em sufrágio universal
Ptolomeu de Assis Brasil Aliança Liberal

AL

25 de outubro de 1930 26 de outubro de 1932 Interventor nomeado pelo governo federal
Rui Zobaran Aliança Liberal

AL

26 de outubro de 1932 19 de abril de 1933 Interventor nomeado pelo governo federal
Aristiliano Ramos Partido Progressista

PP

19 de abril de 1933 1º de maio de 1935 Governador eleito indiretamente pela Assembléia Legislativa
13 Nereu Ramos Partido Liberal Catarinense

PLC

1º de maio de 1935 16 de novembro de 1937 Governador eleito indiretamente pela Assembléia Legislativa
Nereu Ramos Aliança Liberal

AL

16 de novembro de 1937 6 de novembro de 1945 Interventor nomeado pelo governo federal
Luís Gallotti Partido Social Democrático

PSD

6 de novembro de 1945 8 de fevereiro de 1946 Interventor nomeado pelo governo federal
Udo Deeke Partido Social Democrático

PSD

8 de fevereiro de 1946 26 de março de 1947 Interventor nomeado pelo governo federal
14 Aderbal Ramos da Silva Partido Social Democrático

PSD

26 de março de 1947 31 de janeiro de 1951 Governador eleito em sufrágio universal
15 Irineu Bornhausen União Democrática Nacional

UDN

31 de janeiro de 1951 31 de janeiro de 1956 Governador eleito em sufrágio universal
16 Jorge Lacerda Partido de Representação Popular

PRP

31 de janeiro de 1956 16 de junho de 1958 Governador eleito em sufrágio universal, morto em acidente aéreo
Heriberto Hülse União Democrática Nacional

UDN

16 de junho de 1958 31 de janeiro de 1961 Vice-Governador eleito no cargo de titular
17 Celso Ramos Partido Social Democrático

PSD

31 de janeiro de 1961 31 de janeiro de 1966 Governador eleito em sufrágio universal
18 Ivo Silveira Aliança Renovadora Nacional

ARENA

31 de janeiro de 1966 15 de março de 1971 Governador eleito em sufrágio universal
19 Colombo Salles Aliança Renovadora Nacional

ARENA

15 de março de 1971 15 de março de 1975 Governador eleito indiretamente pela Assembléia Legislativa
20 Antônio Carlos Konder Reis Aliança Renovadora Nacional

ARENA

15 de março de 1975 15 de março de 1979 Governador eleito indiretamente pela Assembléia Legislativa
21 Jorge Bornhausen Partido Democrático Social

PDS

15 de março de 1979 14 de maio de 1982 Governador eleito indiretamente pela Assembléia Legislativa
Henrique Córdova Partido Democrático Social

PDS

14 de maio de 1982 15 de março de 1983 Vice-Governador eleito no cargo de titular
22 Esperidião Amin Partido Democrático Social

PDS

15 de março de 1983 15 de março de 1987 Governador eleito em sufrágio universal
23 Pedro Ivo Campos Partido do Movimento Democrático Brasileiro

PMDB

15 de março de 1987 27 de fevereiro de 1990 Governador eleito em sufrágio universal, faleceu no cargo
Casildo Maldaner Partido do Movimento Democrático Brasileiro

PMDB

27 de fevereiro de 1990 15 de março de 1991 Vice-Governador eleito no cargo de titular
24 Vilson Kleinübing Partido da Frente Liberal

PFL

15 de março de 1991 6 de abril de 1994 Governador eleito em sufrágio universal
Antônio Carlos Konder Reis Partido Progressista Reformador

PPR

6 de abril de 1994 1º de janeiro de 1995 Vice-Governador eleito no cargo de titular
25 Paulo Afonso Vieira Partido do Movimento Democrático Brasileiro

PMDB

1º de janeiro de 1995 1º de janeiro de 1999 Governador eleito em sufrágio universal
26 Esperidião Amin Partido Progressista Brasileiro

PPB

1º de janeiro de 1999 1º de janeiro de 2003 Governador eleito em sufrágio universal
27 Luiz Henrique da Silveira Partido do Movimento Democrático Brasileiro

PMDB

1º de janeiro de 2003 9 de abril de 2006 Governador eleito em sufrágio universal
Eduardo Moreira Partido do Movimento Democrático Brasileiro

PMDB

9 de abril de 2006 1º de janeiro de 2007 Vice-Governador eleito no cargo de titular
28 Luiz Henrique da Silveira Partido do Movimento Democrático Brasileiro

PMDB

1º de janeiro de 2007 25 de março de 2010 Governador reeleito em sufrágio universal
Leonel Pavan Partido da Social Democracia Brasileira

PSDB

25 de março de 2010 1º de janeiro de 2011 Vice-Governador eleito no cargo de titular
29 Raimundo Colombo Democratas
DEM
1º de janeiro de 2011 1° de janeiro de 2015 Governador eleito em sufrágio universal
Partido Social Democrático
PSD
1° de janeiro de 2015 16 de fevereiro de 2018 Governador reeleito em sufrágio universal
Eduardo Moreira Partido do Movimento Democrático Brasileiro
PMDB
16 de fevereiro de 2018 1 de janeiro de 2019 Vice-Governador eleito no cargo de titular
30 Carlos Moisés Partido Social Liberal
PSL
1 de janeiro de 2019 Em exercício Governador eleito em sufrágio universal

Notas

BibliografiaEditar

  • CABRAL, Oswaldo Rodrigues (organizado por Sara Regina Poyares dos Reis): A história da política em Santa Catarina durante o império. Volumes I, II, III e IV. Florianópolis: Editora da UFSC, 2004.
  • CORRÊA, Carlos Humberto Pederneiras: Os governantes de Santa Catarina de 1739 a 1982. Florianópolis: Editora da UFSC, 1983.
  • MEIRINHO, Jali: Datas históricas de Santa Catarina, de 1500 a 2000. Florianópolis: Editora da UFSC, 2000.
  • Piazza, Walter: O poder legislativo catarinense: das suas raízes aos nossos dias (1834 - 1984). Florianópolis: Assembleia Legislativa do Estado de Santa Catarina, 1984.

Ligações externasEditar

Ver tambémEditar

Referências

  1. a b c d Santa Catarina. Constituição, 1989. Constituição do Estado de Santa Catarina. Ed. atualizada com 62 Emendas Constitucionais – Florianópolis: Assembleia Legislativa, 2017.
  2. Guia Floripa (2017). «Centro Administrativo do Governo do Estado de Santa Catarina». Consultado em 4 de junho de 2017 
  3. Guia Floripa (2017). «Museu Histórico de Santa Catarina no Palácio Cruz e Sousa». Consultado em 4 de junho de 2017 
  4. Governo de Santa Catarina (2017). «Histórico». Museu Histórico de Santa Catarina. Consultado em 4 de junho de 2017. Arquivado do original em 12 de novembro de 2017 
  5. Hagah (2015). «Museu Histórico de Santa Catarina - Palácio Cruz e Sousa». Consultado em 4 de junho de 2017 
  6. «Começa a ocupação do novo Fórum Eduardo Carneiro da Luz» 
  7. Governo de Santa Catarina (2017). «Casa d'Agronômica – Palácio Residencial». Secretaria Executiva da Casa Militar. Consultado em 4 de junho de 2017 
  8. Governo de Santa Catarina. «Governadores de Santa Catarina». Secretaria Executiva da Casa Militar. Consultado em 25 de novembro de 2016 
  9. Santa Catarina. Constituição, 1989. Constituição do Estado de Santa Catarina. Ed. atualizada com 62 Emendas Constitucionais – Florianópolis: Assembleia Legislativa, 2017.
  10. «Número de deputados pode aumentar nas próximas eleições». Vote Brasil. Consultado em 16 de dezembro de 2016. Cópia arquivada em 22 de maio de 2011 
  11. Santa Catarina. Constituição, 1989. Constituição do Estado de Santa Catarina. Ed. atualizada com 62 Emendas Constitucionais – Florianópolis: Assembleia Legislativa, 2017.
  12. Google (2017). «Estacionamento Centro Civico». Google Maps. Consultado em 4 de junho de 2017 
  13. «Consulta Quantitativo». Tribunal Superior Eleitoral. Consultado em 23 de dezembro de 2013 
  14. Governo de Santa Catarina (2017). «Constituição catarinense em vigor é de 1989». Consultado em 4 de junho de 2017 
  15. Bepeli (2017). «Estado de Santa Catarina». Consultado em 11 de agosto de 2017. Arquivado do original em 6 de maio de 2016 
  16. Evaldo Pauli, Enciclopédia Simpozio. Foi o primeiro capitão-mor da Ilha de Santa Catarina, por patente de 3 de agosto de 1715, passada pelo governador Francisco Xavier de Távora.
  17. a b «Governo Geral - Brasil Escola». Brasil Escola. Consultado em 15 de outubro de 2018 
  18. Enciclopédia Simpozio