Bandeira do Oklahoma
Bandeira do Oklahoma

Portal de Oklahoma

Native America

Editar
   O Portal de Oklahoma
Localização de Oklahoma
Localização de Oklahoma

O Oklahoma ou Oclaoma (/ˌoʊkləˈhoʊmə/, ) é um dos 50 estados dos Estados Unidos. Limita-se ao norte com o Colorado e o Kansas, a leste com o Missuri e o Arkansas, ao sul com o Texas, e a oeste com o Texas e o Novo México. Com um pouco mais de 181 mil quilômetros quadrados, é o 20º maior estado americano em área do país.

O produto interno bruto do Oklahoma foi de 86 bilhões de dólares, em 1999, e sua renda per capita foi de . As principais fontes de renda do Oklahoma são a mineração, a agropecuária e a manufatura. O Estado é o terceiro maior produtor de gás natural dos Estados Unidos, e o quarto maior produtor de trigo e carne e leite bovino do país.

O Oklahoma foi o 46º Estado dos Estados Unidos a entrar na União, em 16 de novembro de 1907. Possui a segunda maior população nativo americana dos Estados Unidos, atrás apenas da Califórnia.


Sumários temáticos

Editar
   Artigos destacados

Susana Martinez é uma política dos Estados Unidos. Foi governadora do estado do Novo México. Susana é membro do Partido Republicano. Susana é a primeira mulher governadora do Novo México, bem como o primeiro(a) governador(a) latino(a) dos Estados Unidos.

Ela foi promotora pública do terceiro Distrito Judicial do estado do Novo México. O distrito abrange o Condado de Doña Ana.


Editar
   História de Oklahoma

Laura e Lawrence Nelson foram uma mãe e seu filho negros dos Estados Unidos que foram linchados em Okemah, Oklahoma, em 25 de maio de 1911.[1]

Laura, seu marido e o seu filho de 15 anos de idade, Lawrence (e seu bebê, de acordo com alguns relatos), foram levados sob custódia depois de Lawrence ter baleado e morto George Loney, vice-xerife de Okemah. Loney e um grupo de pessoas chegaram na casa dos Nelsons "para investigar o roubo de uma vaca". O marido de Laura se declarou culpado do roubo e foi enviado para uma prisão estadual de segurança relativa. Em um esforço para salvar seu filho, Laura disse que disparou o tiro fatal. Tanto ela quanto Lawrence foram presos, e o filho foi levado para a cadeia local e Laura para uma cela no tribunal do condado.[1]

Três semanas depois, uma multidão de cerca de 40 homens brancos armados chegaram para raptá-los, amarrando os guardas e levando mãe e filho. Laura foi estuprada, segundo alguns relatos, e em seguida ambos foram enforcados em uma ponte sobre o Canadian North River. Centenas de espectadores se reuniram na ponte na manhã seguinte, e fotografias dos corpos pendurados foram vendidas como cartões postais. Os assassinos nunca foram identificados.[1] O evento foi citado em diversas canções do cantor estadunidense de folk Woody Guthrie, cujo pai participou do linchamento.

Os Nelsons estavam entre pelo menos as 4743 pessoas linchadas nos Estados Unidos entre 1882 e 1968, sendo que cerca de 3.446 deles eram negros, e 73 por cento dos casos ocorridos no sul.


Política

Editar
   Política de Oklahoma


Geografia

Editar
   Geografia de Oklahoma
Coração da Tornado Alley

A Tornado Alley (em português, "Alameda dos Tornados") é um termo comum para designar a região central dos Estados Unidos cobrindo muitos estados ou parte de estados onde ocorrem frequentemente tornados. Inclui as terras baixas que circundam o rio Mississippi, o rio Ohio e os vales do rio Missouri, bem com o sudeste dos Estados Unidos. Mesmo se nenhuma região dos EUA está totalmente livre do fenómeno dos tornados, estes são bem mais frequentes na região das grandes planícies entre as Montanhas Rochosas e os Montes Apalaches.

Os estados de Oklahoma, Kansas, Arkansas, Iowa e Missouri estão totalmente incluídos na Tornado Alley, bem como o nordeste do Texas, leste do Colorado, norte da Luisiana, centro e sul do Minnesota e Dacota do Sul, noroeste do Mississippi, centro e sul do Illinois, sudoeste do Indiana, e partes do centro, sudeste e sudoeste do Nebraska, pequenas áreas no extremo oeste do Tennessee e Kentucky e algumas zonas do Wisconsin.

Estatisticamente, a maioria dos tornados americanos produz-se no Texas. Pelo critério da superfície terrestre atingida, é a Florida que tem o mais forte índice de episódios de tornados mas a maior parte destes são fracos e não produzem supercélulas tempestivas. O Oklahoma tem a maior taxa de grandes tornados super destruidores.

Actividade dos tornados nos Estados Unidos. As zonas mais escuras indicam a zona conhecida como Tornado Alley.

Esta abundância de tornados é possível pelo encontro de massas de ar frio vindas do Canadá e de ar quente vindas do golfo do México. O período do ano com maior frequência de tornados varia consoante as regiões. Em geral, a tornado alley tende a se deslocar mais para norte com o aquecimento primaveril e até ao Verão, e inversamente para sul com o arrefecimento outonal. No entanto, tecnicamente, as grandes planícies centrais podem ser consideradas como estando na tornado alley praticamente todo o ano, pois é lá que os «temperature swings », variações brutais de temperatura entre ar quente e ar frio são mais comuns. Pelo contrário, o nordeste e o oeste são as regiões menos afectadas por tornados.

No coração da Tornado Alley, as normas de construção são mais exigentes que noutros locais dos EUA, exigindo tectos reforçados e ligações mais fortes entre a construção e as suas fundações. Encontram-se também medidas de prevenção como células antitempestade ou sirenes de alarme para tornados. A consciência popular conhece o risco e a cobertura meteorológica oferecida pelas mídias locais está presente quase sempre.


Editar
   Clima de Oklahoma
Agricultor com os dois filhos durante uma tempestade de areia, no condado de Cimarron, Oklahoma, em 1936.

Designa-se por Dust Bowl um fenómeno climático de tempestade de areia que ocorreu nos Estados Unidos na década de 1930 e que durou quase dez anos.


Cultura

Editar
   Biografia selecionada

Miller James Huggins (27 de março de 1878 - 25 de setembro de 1929) foi um jogador e gerente profissional de beisebol americano. Huggins jogou na segunda base do Cincinnati Reds (1904–1909) e do St. Louis Cardinals (1910–1916). Ele gerenciou o Cardinals (1913–1917) e o New York Yankees (1918–1929), incluindo os times Murderers 'Row da década de 1920 que ganharam seis flâmulas da American League (AL) e três campeonatos da World Series.

Huggins nasceu em Cincinnati. Ele formou-se em direito pela Universidade de Cincinnati, onde também foi capitão do time de beisebol. Em vez de servir como advogado, Huggins escolheu seguir uma carreira profissional no beisebol. Ele jogou beisebol semiprofissional e da liga secundária de 1898 a 1903, quando assinou com os Reds.

Como jogador, Huggins era adepto de chegar à base. Ele também foi um excelente jogador de segunda base, ganhando os apelidos de "Rabbit", "Little Everywhere" e "Mighty Mite" por suas proezas defensivas e mais tarde foi considerado um treinador inteligente que entendia os fundamentos do jogo. Apesar de colocar equipes bem-sucedidas no Yankees na década de 1920, ele continuou a fazer mudanças de pessoal para manter a superioridade de suas equipes na AL. Ele foi eleito para o Hall da Fama do Beisebol Nacional pelo Comitê de Veteranos em 1964.


Editar
   Educação em Oklahoma

Cameron University é uma universidade estadual fundada em 1908 em Lawton, Oklahoma, que oferece mais de 50 cursos que duram dois anos, quatro anos e programas de graduação. Os cursos enfatizam as artes, ciências e tecnologia e estudos de pós-graduação.


Editar
   Transportes e comunicações

A Interstate 35 (abreviado I - 35) é uma auto-estrada interestadual de sentido norte-sul, na região central dos Estados Unidos, que inicia em Laredo, Texas, na fronteira Estados Unidos-México, e termina em Duluth, Minnesota, na MN 61.

A auto-estrada possui 2 518 quilômetros de extensão.


Editar
   Demografia de Oklahoma
Crescimento populacional
Censo Pop.
1890258 657
1900790 391205,6%
19101 657 155109,7%
19202 028 28322,4%
19302 396 04018,1%
19402 336 434−2,5%
19502 233 351−4,4%
19602 328 2844,3%
19702 559 2299,9%
19803 025 29018,2%
19903 145 5854,0%
20003 450 6549,7%
20103 751 3518,7%
20203 959 3535,5%
Fonte: US Census

O censo nacional de 2000 estimou a população de Oklahoma em 3 450 654 habitantes, um crescimento de 9,7% em relação à população do Estado em 1990, de 3 145 585 habitantes. Uma estimativa realizada em 2005 estima a população do Estado em 3 547 884 habitantes, um crescimento de 12,8% em relação à população do Estado em 1990, de 2,8% em relação à população do Estado em 2000, e de 0,7% em relação à população do Estado em 2004.

O crescimento populacional natural de Oklahoma entre 2000 e 2005 foi de 80 800 habitantes - 264 324 nascimentos menos 183 571 óbitos - o crescimento populacional causado pela imigração foi de 36 546 habitantes, enquanto que a migração interestadual resultou na perda de 15 418 habitantes. Entre 2000 e 2005, a população de Oklahoma cresceu em 97 232 habitantes, e entre 2004 e 2005, em 24 338 habitantes.


Editar
   Desportos em Oklahoma
Chesapeake Energy Arena, casa do Oklahoma City Thunder.

O estado possui apenas uma equipe em uma das quatro grandes ligas dos Estados Unidos, o Oklahoma City Thunder da NBA que joga no estado desde 2008 no Chesapeake Energy Arena (antes o time jogava em Seattle como Seattle SuperSonics). Em 2005, após o furacão Katrina o New Orleans Hornets jogou temporariamente alguns jogos no estado. No beisebol o estado tem dois times em ligas menores, o Oklahoma City Dodgers e o Tulsa Drillers. No futebol o FC Tulsa e o Oklahoma City Energy jogam a USL.


Editar
   Imagens destacadas

Crédito: en:User:CPacker
Seminary Hall serviu com o edifício principal do Seminário Familiar dos Cherokee de 1889 a 1909


Editar
   Categorias


Editar
   Tópicos

Estado da banda Hanson, formada pelos três irmãos: Isaac, Taylor e Zac.

  • Pássaro: Tyrannus forficatus
  • Pedra: Rose rock
  • Peixe: Morone chrysops
  • Réptil: Crotaphytus collaris
  • Slogan: Native America (América Nativa)
  • Football Team: Oklahoma Sooners


Editar
   Portais relacionados




Territórios fronteiriços

Aqueles listados em negrito itálico são Portais em destaque.

Descubra a Wikipédia utilizando portais


Editar
   Wikimedia


  1. a b c Davidson, James West. They say': Ida B. Wells and the Reconstruction of Race. Oxford University Press, 2007, p. 5ff; Allen, James and Lewis, Jon. Without Sanctuary: Lynching Photography in America. Twin Palms Publishers, 2000, p. 179.

Purgar cache do servidor