National Basketball Association

Liga Norte-Americana de Basquetebol
(Redirecionado de NBA)

A National Basketball Association (em português: Associação Nacional de Basquetebol; abreviação oficial: NBA) é a principal liga de basquetebol profissional da América do Norte. Com 30 franquias (29 nos Estados Unidos e 1 no Canadá), a NBA também é considerada a principal liga de basquete do mundo. É um membro ativo da USA Basketball (USAB),[2] que é reconhecida pela FIBA (a Federação Internacional de Basquetebol) como a entidade máxima e organizadora do basquetebol nos Estados Unidos. A NBA é uma das 4 'major leagues' de esporte profissional na América do Norte. Os jogadores da NBA são os atletas mais bem pagos do mundo, por salário médio anual.[3]

National Basketball Association
Temporada, competição ou edição atual:
evento esportivo atual Temporada da NBA de 2023–24
Esporte Basquete
País  Estados Unidos (29 times)
 Canadá (1 time)
Continente América do Norte
Fundada 6 de junho de 1946; há 77 anos (como BAA)
Nova Iorque, Estados Unidos[1]
Temporada inaugural 1946–47
CEO Adam Silver
Nº de equipes 30
Campeão
atual
Denver Nuggets (1º título)
(2022–23)
Maior campeão Boston Celtics
Los Angeles Lakers
(17 títulos cada)
Transmissão na
televisão
Estados Unidos:
Canadá:
Sítio eletrónico NBA.com

A liga foi fundada na cidade de Nova Iorque em 6 de Junho de 1946, como a Basketball Association of America (BAA).[4] A liga adotou o nome de National Basketball Association em 1949 quando se fundiu com a rival National Basketball League (NBL). A liga tem diversos escritórios ao redor do mundo, além de vários dos próprios clubes fora da sede principal na Olympic Tower localizada na Quinta Avenida 645. Os estúdios da NBA Entertainment e da NBA TV são localizados em Secaucus, Nova Jérsia.

Atualmente a liga é transmitida em Portugal pela Sport TV e pela NBA TV, e no Brasil pela Band na TV aberta, e pela ESPN e SporTV na TV fechada, além de transmissões em três canais do YouTube (NBA Brasil, Budweiser Brasil e TNT Sports Brasil) e na Twitch (Gaules). Nos Estados Unidos, as emissoras são NBA TV, TNT e ESPN, além da transmissão dos principais jogos pela ABC. O pacote NBA League Pass, que permite ao assinante assistir todos os jogos da liga ao vivo e em alta definição, é disponibilizado para assinatura em todo o mundo.

História editar

Criação e fusão (1946–1956) editar

 Ver artigo principal: Basketball Association of America

A BAA (Basketball Association of America) foi fundada em 1946 pelos proprietários das principais arenas de Hóquei no gelo no Nordeste e no Centro-Oeste dos Estados Unidos e Canadá. Em 1 de novembro de 1946, em Ontário, Canadá, o Toronto Huskies recebeu o New York Knickerbockers, no Maple Leaf Gardens, em um jogo que a NBA agora considera como o primeiro jogo em sua história.[5] Apesar de ter havido tentativas anteriores de criar ligas de basquete profissional, incluindo a American Basketball League e a NBL, a BAA foi a primeira liga à tentar jogar em grandes arenas nas grandes cidades. Durante seus primeiros anos, a qualidade do jogo na BAA não foi significativamente melhor do que nas ligas concorrentes ou contra os principais clubes independentes, como o Harlem Globetrotters. Por exemplo, o finalista da ABL de 1948, Baltimore Bullets, mudou-se para a BAA e conquistou o título da liga em 1948, e o Minneapolis Lakers, campeão da NBL em 1948, ganhou o título da BAA em 1949.

 
A sede da National Basketball Association na Olympic Tower localizada na Quinta Avenida 645, Midtown Manhattan, Nova York, EUA.[6]

Em 3 de agosto de 1949, a BAA aceitou se fundir com a NBL, criando a nova National Basketball Association (NBA).[7] A nova liga tinha 17 franquias localizadas em uma mistura de cidades grandes e pequenas,[7] bem como grandes e pequenos ginásios. Em 1950, a NBA se consolidou em 11 franquias, um processo que continuou até 1953-54, quando o campeonato atingiu o seu menor tamanho de oito franquias, os quais todos ainda estão na liga (New York Knicks, Boston Celtics, Golden State Warriors, Los Angeles Lakers, Sacramento Kings, Detroit Pistons, Atlanta Hawks, e Philadelphia 76ers). O processo de contração fez com que as franquias das menores cidades se movessem para grandes mercados. Os Hawks saíram de Tri-Cities (conhecidas como Quad Cities) para Milwaukee em 1951 e então para St. Louis, Missouri em 1955; os Royals foram de Rochester para Cincinnati (em 1957); e os Pistons de Fort Wayne, Indiana para Detroit (em 1957).

Enquanto isso, o Nipo-americano Wataru Misaka quebrou a barreira de raças na NBA na temporada 1948-49 quando jogou pelos New York Knicks, 1950 é conhecido como o ano em que a NBA se integrou. Em 26 de Abril de 1950, Harold Hunter assinou com os Washington Capitols, se tornando o primeiro Afro-americano a assinar um contrato com qualquer time na NBA na história.[8][9] Hunter foi cortado durante o training camp,[8][10] porém vários Afro-americanos começaram a jogar na liga no final daquele ano, como Chuck Cooper com os Celtics, Nathaniel Clifton com os Knicks e Earl Lloyd com os Washington Capitols. Nesse meio tempo, os Minneapolis Lakers, liderados pelo pivô George Mikan, ganhou 5 títulos da NBA e estabilizou o time pela primeira dinastia da NBA.[11] Para encorajar os arremessos e desencorajar "calmaria", a NBA criou o cronometro de 24 segundos em 1954.[12] Se um time não tentar um arremesso (ou não encostar no aro), em 24 segundos de jogada, a jogada acaba e a posse de bola passa para seu oponente.

Dominância dos Celtics, expansão da liga e concorrência (1956–1979) editar

Em 1957, o pivô Rookie Bill Russell se juntou aos Boston Celtics, que já possuía membros como o armador Bob Cousy e o técnico Red Auerbech, e levou o clube à 11 títulos da NBA em 13 temporadas. O pivô Wilt Chamberlain entrou na liga em 1959 no Warriors e se tornou a grande estrela individual dos anos 1960, estabelecendo o novo recorde de pontos em um jogo (100) e rebotes num jogo (55), recordes mantidos até hoje. A rivalidade Chamberlain-Russell se tornou uma das maiores da história de todos os esportes americanos.

 
Bill Russell guardando Wilt Chamberlain em 1966.

Os anos 1960 foram dominados pelos Celtics. Liderados por Russell, Cousy e Auerbech, Boston ganhou 8 títulos seguidos da NBA entre 1959-66. Essa série de títulos é a maior da história da liga. Eles não ganharam o título em 1966-67, mas ganharam em 1967-68 e novamente em 1968-69. A dominação totalizou 9 títulos na década de 1960.[13]

Durante esse período, a NBA continuou a se fortalecer com a mudança dos Minneapolis Lakers para Los Angeles, dos Philadelphia Warriors para San Francisco, do Syracuse Nationals para Filadélfia para se tornar o Philadelphia 76ers, e dos St. Louis Hawks se mudando para Atlanta, assim como a adição de seu primeiro clube de expansão. Os Chicago Packers (agora Washington Wizards) se tornou o nono time da NBA em 1961. Entre 1966 e 1968, a liga se expandiu de 9 para 14 times, criando Chicago Bulls, Seattle SuperSonics (hoje Oklahoma City Thunder), San Diego Rockets (que se mudou para Houston quatro anos depois), Milwaukee Bucks e Phoenix Suns.

No ano de 1967, a NBA começou a ser desafiada por uma liga rival, com o surgimento da American Basketball Association (ABA). As ligas começaram uma guerra de ofertas à jogadores. Quem lucrou com isso foram os jogadores, que puderam fazer verdadeiros leilões entre as duas ligas para conseguir contratos milionários. A NBA ganhou a estrela do basquete universitário da época, Kareem Abdul-Jabbar (na época conhecido como Lew Acindor). Porém, o líder em pontos na NBA, Rick Barry, foi para a ABA, assim como fizeram quatro árbitros veteranos-Norm Drucker, Earl Strom, John Vanak e Joe Gushue.[14]

Em 1969, Alan Siegel, que criou o logo de Jerry Dior na Major League Baseball um ano antes, criou o logo moderno da NBA, inspirado pelo da MLB. Ele incorpora a silhueta do lendário Jerry West, baseada numa foto tirada por Wen Roberts, porém os representantes da NBA negaram que isso tenha sido a influência de um jogador em particular porque, de acordo com Siegel, "Eles queriam institucionalizar isso mais do que queriam individualizar. Isso se tornou uma coisa obliqua, um símbolo clássico e um ponto vital da identidade da liga e de seu programa de licenciamento, que eles não queriam necessariamente identificar com um único jogador." O logo simbólico estreou em 1971 e viria a continuar a ser uma marca registrada da NBA.[15]

A ABA foi bem-sucedida em assinar com um maior número de estrelas na década de 1970, incluindo Julius Erving do Virginia Squires, em grande parte por ter sucesso em assinar com universitários. A NBA se expandiu rápido durante esse período, com o propósito de chegar mais às grandes cidades. De 1966 a 1974, a liga se expandiu de nove franquias para 18. Em 1970, Portland Trail Blazers, Cleveland Cavaliers, e Buffalo Braves (agora Los Angeles Clippers) estrearam na liga, à levando a 17 franquias.[16] O New Orleans Jazz (hoje Utah Jazz), chegou em 1974 para levar a liga à 18 equipes. Após a temporada de 1975-76, as ligas (ABA e NBA) chegaram a um acordo para realizar uma fusão, que trouxe quatro times da ABA para a NBA, aumentando a quantidade de equipes na época para 22. As franquias adicionadas foram San Antonio Spurs, Denver Nuggets, Indiana Pacers e New York Nets (atual Brooklyn Nets). Algumas das grandes estrelas da época foram Kareem Abdul-Jabbar, Rick Barry, Dave Cowens, Julius Erving, Elvin Hayes, Walt Frazier, Moses Malone, Artis Gilmore, George Gervin, Dan Issel e Pete Maravich. O fim da década, porém, viu números de TV baixos, baixo público nas arenas e problemas com doping, que fizeram a liga decair.

Ascensão na popularidade (1979–1998) editar

A liga adiciona o inovador arremesso de três pontos do ABA para abrir mais o jogo em 1979. O mesmo ano, os calouros Larry Bird e Magic Johnson se juntaram aos Celtics e aos Lakers, respectivamente, iniciando um período de aumento significativo no interesse dos fãs através dos Estados Unidos e do mundo. Em 1984, eles jogaram um contra o outro pela primeira vez nas finais da NBA. Johnson, junto de Kareem Abdul-Jabbar e James Worthy, liderou os Lakers a cinco títulos da NBA e Bird, junto de Kevin McHale e Robert Parish, levou a equipe a três títulos. Também no começo dos anos 80, a NBA adicionou um novo time de expansão, o Dallas Mavericks, levando a quantidade de equipes a 23. Outras equipes de destaque foram o 76ers de Julius "Dr. J" Erving, campeão em 1983 e o Detroit Pistons que com um time muito físico apelidado "Bad Boys", liderados por Isiah Thomas, Chuck Daly e Dennis Rodman, chegou a três finais seguidas e dois títulos em 1989 e 1990. David Stern assumiu o cargo de comissário da liga em 1 de Abril de 1984 e comandou a expansão e crescimento da NBA para um nível global. Hakeem Olajuwon entrou na liga em 1984 com o Houston Rockets, fornecendo uma estrela ainda mais popular para ajudar o aumento de interesse na liga. Isso resultou em mais cidades interessadas em ter uma equipe pertencente a ela. Em 1988 e 1989, quatro cidades tiveram seu desejo realizado com Charlotte Hornets, Miami Heat, Orlando Magic e Minnesota Timberwolves fazendo suas estreias na NBA, fazendo um total de 27 equipes. Após três anos seguidos perdendo para o Pistons, o Chicago Bulls de Michael Jordan e Scottie Pippen, junto com o técnico Phil Jackson, se tornariam a equipe dominante dos anos 90, com seis campeonatos entre 1991 e 1998, sendo duas sequências de três títulos. Olajuwon venceu dois títulos consecutivos com os Rockets em 1994 e 1995.

A equipe de basquetebol das Olimpíadas de 1992, o Dream Team, foi o primeiro a usar as estrelas da NBA, com Michael Jordan na liderança, junto com Magic, Bird, David Robinson, Patrick Ewing, Scottie Pippen, Clyde Drexler, Karl Malone, John Stockton, Chris Mullin, Charles Barkley e Christian Laettner. Onze jogadores do Dream Team foram introduzidos ao Basketball Hall of Fame.

Em 1995, a NBA expandiu para o Canadá com a adição do Vancouver Grizzlies e do Toronto Raptors. Em 2001, o Vancouver Grizzlies se realocou para Memphis, o que deixou os Raptors como a única franquia canadense na liga. Em 1996, a NBA criou a liga feminina, a Women's National Basketball Association (WNBA). Em 1998, os donos de equipes da NBA começaram um lockout (greve), que durou 191 dias e teve fim em 18 de Janeiro de 1999. Como resultado, a temporada da NBA de 1998-99 foi reduzida de 82 para 50 jogos (61% de uma temporada normal) e o All-Star Game foi cancelado. O San Antonio Spurs venceu seu primeiro campeonato, e o primeiro de uma equipe antiga da ABA, derrotando o New York Knicks, que foi o primeiro e até hoje o único oitavo colocado de uma conferência a chegar às Finais da NBA.

Anos recentes e internacionalização (1998–presente) editar

 
LeBron James, campeão por três equipes diferentes e quatro vezes na lista das 100 pessoas mais influentes do mundo.

A liga começou a década de 2000 a investir na importação de grandes jogadores de diversas nações, como o espanhol Pau Gasol, o chinês Yao Ming, o alemão Dirk Nowitzki, o brasileiro Leandrinho Barbosa e o argentino Manu Ginóbili. A maioria dos jogadores de países de língua inglesa jogam em universidades americanas antes de ir para NBA, como o canadense MVP de 2005 e 2006 Steve Nash, e o australiano Andrew Bogut. Assim a NBA consegue um público internacional cada vez maior, sendo transmitida para 215 países por 90 canais em 47 idiomas.[17]

A NBA chegou ao número atual de 30 equipes com a fundação do Charlotte Bobcats em 2004 para compensar a saída do Hornets para Nova Orleans em 2002. Outras relocações incluíram a saída do Grizzlies do Canadá para Memphis em 2001, a mudança do SuperSonics para Oklahoma City (que havia abrigado o Hornets enquanto Nova Orleans se recuperava do Furacão Katrina) para se tornar o Oklahoma City Thunder em 2008, e o returno dos New Jersey Nets para Nova York como Brooklyn Nets em 2012.

 
Kobe Bryant venceu cinco títulos em seus vinte anos.

Phil Jackson foi contratado pelo Lakers e retornou o time de Los Angeles à proeminência na liga, com Kobe Bryant e Shaquille O'Neal vencendo três campeonatos seguido entre 2000 e 2002. Em seguida o Spurs de Duncan e o técnico Gregg Popovich, mais Manu Ginóbili e o francês Tony Parker (primeiro jogador a ser escolhido melhor das finais) ganhou três campeonatos em seis anos. O defensivo Detroit Pistons de Chauncey Billups, Richard "Rip" Hamilton e Tayshaun Prince levou o título de 2004.

Contratações para a formação de supertimes levaram à títulos do Miami Heat em 2006 - reforçando Dwyane Wade com O'Neal, Gary Payton e Alonzo Mourning - e do Celtics em 2008 - acrescentando Ray Allen e Kevin Garnett à estrela do time, Paul Pierce. Em seguida Jackson se tornaria o técnico mais vitorioso da história da NBA com um bicampeonato do Lakers de Bryant, Pau Gasol e Derek Fisher.

 
Stephen Curry revolucionou a liga empregando as bolas de 3 pontos com mais frequência nas estratégias das equipes. Steph é o maior arremessador da NBA, foi campeão 4 vezes e 2 vezes MVP.

Após o título do Lakers, começou uma era dominada por LeBron James, que já tinha levado o Cleveland Cavaliers para a final de 2007 (perdida para o Spurs). Desejando ganhar títulos, assinou com o Miami Heat, que renovou com Dwyane Wade e atraiu Chris Bosh em um investimento pesado para garantir novos campeonatos. De cara alcançaram a final de 2011, perdida para o Dallas Mavericks de Dirk Nowitzki, Jason Terry e Jason Kidd. Porém em seguida o Heat venceu dois títulos consecutivos, em 2012 sobre o Thunder de Kevin Durant e Russell Westbrook (em uma temporada encurtada por mais uma greve no final de 2011)[18] e em 2013 sobre os San Antonio Spurs, após forçar uma virada no jogo 6. Em 2014, a final foi novamente Heat contra os Spurs, desta vez com vitória de San Antonio, garantindo seu quinto título. Após a derrota, James decidiu voltar ao Cavaliers, considerando que a única conquista que lhe faltava era um título para o time de sua cidade natal. Acompanhado de Kyrie Irving e Kevin Love, James se tornou o primeiro jogador desde Bill Russell na década de 60 a alcançar 5 finais consecutivas.[19] Seu adversário na final era o Golden State Warriors, que com forte elenco liderado por Stephen Curry e Klay Thompson e muitas baixas por lesão no Cavs, conseguiu o tetracampeonato 40 anos depois do último título. Na temporada seguinte, os Warriors quebraram o recorde de vitórias do Bulls de 1995-96 com 73, e na final contra os Cavaliers abriram 3 a 1, mas James liderou uma virada de Cleveland que conseguiu seu primeiro campeonato. As duas finais seguintes tiveram Warriors e Cavaliers de novo, com a equipe da Califórnia ganhando duas vezes, com James em seguida indo para o Los Angeles Lakers. 2019 teve a quinta final seguida dos Warriors, mas o Toronto Raptors de Kawhi Leonard levou o título, que também foi o primeiro campeonato de um time canadense nas ligas norte-americanas desde 1993.

2020 começou com a tragédia da morte de Kobe Bryant em um acidente de helicóptero,[20] e quando a pandemia de COVID-19 se intensificou a temporada acabou suspensa.[21] Apenas em 31 de julho a NBA se resumiu em uma "Bolha" no ESPN Wide World of Sports Complex na Walt Disney World, em Orlando,[22] onde após alguns jogos extras para determinar os últimos qualificados para a pós-temporada começaram os playoffs. A final viu o Los Angeles Lakers vencer o Miami Heat, marcando o 24° título do Lakers, empatando em conquistas com o Celtics, e LeBron James virou o primeiro jogador a ser eleito melhor das finais por três times diferentes. 2021 ainda teve restrições por COVID, e fechou com uma final em que o Milwaukee Bucks de Giannis Antetokounmpo venceu o Phoenix Suns para seu primeiro título desde 1971, na primeira final desde aquele ano em que nenhum dos jogadores em quadra tinha um título.[23] 2022 marcou o retorno do Warriors para a final, vencendo o Boston Celtics. Em 2023, o Denver Nuggets de Nikola Jokić conquistou seu primeiro título vencendo o Miami Heat.

Times editar

A NBA se originou em 1946 com 11 times e, por meio de uma sequência de expansões, reduções e realocações de times, atualmente consiste em 30 times. Os Estados Unidos abrigam 29 times; um outro está no Canadá.

A atual organização da liga divide 30 times em duas conferências de três divisões com cinco times cada. O alinhamento divisionário atual foi introduzido na temporada 2004–05. Refletindo a distribuição da população dos Estados Unidos e do Canadá como um todo, a maioria das equipes está na metade oriental do país: 13 equipes estão fuso horário do leste, nove no central, três no de montanha e cinco no Pacífico.

Divisão Time Cidade Arena Capacidade Fundado Ingressou
Conferência Leste
Atlântico Boston Celtics   Boston, Massachusetts TD Garden 19.156 1946
Brooklyn Nets   Cidade de Nova Iorque, Nova Iorque Barclays Center 17.732 1967* 1976
New York Knicks Madison Square Garden 19.812 1946
Philadelphia 76ers   Filadélfia, Pensilvânia Wells Fargo Center 20.478 1946* 1949
Toronto Raptors   Toronto, Ontário Scotiabank Arena 19.800 1995
Central Chicago Bulls   Chicago, Illinois United Center 20.917 1966
Cleveland Cavaliers   Cleveland, Ohio Rocket Mortgage Fieldhouse 19.432 1970
Detroit Pistons   Detroit, Michigan Little Caesars Arena 20.332 1941* 1948
Indiana Pacers   Indianápolis, Indiana Gainbridge Fieldhouse 17.923 1967 1976
Milwaukee Bucks   Milwaukee, Wisconsin Fiserv Forum 17.341 1968
Sudeste Atlanta Hawks   Atlanta, Geórgia State Farm Arena 16.600 1946* 1949
Charlotte Hornets   Charlotte, Carolina do Norte Spectrum Center 19.077 1988*
Miami Heat   Miami, Flórida FTX Arena 19.600 1988
Orlando Magic   Orlando, Flórida Amway Center 18.846 1989
Washington Wizards   Washington, D.C. Capital One Arena 20.356 1961*
Conferência Oeste
Noroeste Denver Nuggets   Denver, Colorado Ball Arena 19.520 1967 1976
Minnesota Timberwolves   Minneapolis, Minnesota Target Center 18.798 1989
Oklahoma City Thunder   Oklahoma City, Oklahoma Paycom Center 18.203 1967*
Portland Trail Blazers   Portland, Oregon Moda Center 19.393 1970
Utah Jazz   Salt Lake City, Utah Vivint Arena 18.306 1974*
Pacífico Golden State Warriors   São Francisco, Califórnia Chase Center 18.064 1946*
Los Angeles Clippers   Los Angeles, Califórnia Crypto.com Arena 19.079 1970*
Los Angeles Lakers 1947* 1948
Phoenix Suns   Phoenix, Arizona Footprint Center 16.645 1968
Sacramento Kings   Sacramento, Califórnia Golden 1 Center 17.608 1923* 1948
Sudoeste Dallas Mavericks   Dallas, Texas American Airlines Center 19.200 1980
Houston Rockets   Houston, Texas Toyota Center 18.055 1967*
Memphis Grizzlies   Memphis, Tennessee FedExForum 18.119 1995*
New Orleans Pelicans   Nova Orleans, Luisiana Smoothie King Center 16.867 2002*
San Antonio Spurs   San Antonio, Texas AT&T Center 18.418 1967* 1976
Notas
  1. Um asterisco (*) denota uma mudança de franquia. Consulte os respectivos artigos da equipe para obter mais informações.
  2. O Fort Wayne Pistons, Minneapolis Lakers e Rochester Royals juntaram-se à NBA (BAA) em 1948 da NBL.
  3. O Syracuse Nationals e Tri-Cities Blackhawks juntaram-se à NBA em 1949 como parte da absorção BAA–NBL.
  4. O Indiana Pacers, New York Nets, San Antonio Spurs, e Denver Nuggets juntaram-se à NBA em 1976 como parte da fusão ABA–NBA.
  5. O Charlotte Hornets é considerado uma continuação da franquia original de Charlotte, que suspendeu as operações em 2002 e voltou à liga em 2004. Eles eram conhecidos como Bobcats de 2004 a 2014. Os New Orleans Pelicans são considerados estabelecidos como uma equipe de expansão em 2002, originalmente conhecida como New Orleans Hornets até 2013.

Formato da competição editar

Drafts editar

 
Draft da NBA de 2006.

Antes do início da temporada em meados de julho a escolha dos novos jogadores do basquete profissional da NBA é feita num evento anual chamado draft. As equipes com piores campanhas na temporada anterior tem vantagem no sorteio para decidir quem escolhe os primeiros do ranking elaborado durante o campeonato universitário. Após o recrutamento, que é feito em duas fases, 60 jogadores são incorporados a NBA, mas só os que foram selecionados com as melhores escolhas (primeira rodada) têm um contrato garantido.

Primeiras escolhas nos últimos Drafts editar

Temporada regular editar

Começa em meados de outubro e segue até meados de abril do ano seguinte. Cada time joga 82 jogos contra todos os outros, sendo que pode enfrentar alguns times 3 ou 4 vezes, contra times da mesma divisão são sempre 4 jogos, das outras divisões usa-se um sistema dependendo de quantas vezes enfrentou aquele time nas temporadas anteriores. Apesar disso o sistema de pontuação que classifica para os playoffs é válido apenas para as equipes da mesma conferência.

Playoffs editar

Os playoffs (ou mata-mata) começam em meados de abril e seguem até meados de maio. São séries "melhor-de-sete" compostas por 8 times em cada conferência. O primeiro colocado de cada conferência enfrenta o último, o segundo o penúltimo, o terceiro o antepenúltimo e assim sucessivamente. Os três campeões de divisão tem direito a ficar entre os quatro primeiros para mais jogos em casa, embora um time que tenha ficado em segundo na sua divisão mas com resultado melhor que um líder de outra possa ter um posicionamento melhor. Os jogos são realizados de tal maneira: os dois primeiros na cidade do time de melhor campanha, seguido por dois jogos na cidade do outro time. Caso faça-se necessário outras partidas elas serão disputadas alternadamente entre as cidades, sendo o time de melhor campanha o favorecido.

Finais editar

As finais da NBA são realizadas sempre em meados de junho. É disputada pelo campeão da Conferência Leste versus o campeão da Conferência Oeste. Assim como os playoffs também é disputada em uma série "melhor-de-sete". Tem a vantagem no mando de quadra o time de melhor campanha na temporada regular, disputando em casa as duas primeiras partidas e, se necessários, os jogos cinco e sete.

Teto salarial editar

Para evitar a supremacia das equipes mais ricas (como os Boston Celtics e seus 8 títulos consecutivos nos anos 1960), a liga criou um teto salarial que impede as equipes de gastar mais do que um certo valor com salários. Sendo assim uma equipe dificilmente conseguiria manter os maiores craques da atualidade por muito tempo pois com a valorização dos campeões estes querendo maiores salários obrigariam outros a receberem menores salários.

O sistema é muito complexo e possui várias exceções:

  • Uma vez que a equipe estourou o teto salarial, ela somente pode assinar contratos com agentes livres pagando o salário mínimo da liga e com os rookies que ela selecionou no draft;
  • Cada equipe dispõe também do Low Level Exception (LLE) e do Mid Level Exception (MLE), colocando a disposição respectivamente 1M $ e 5M $ a fim de assinar com um ou vários jogadores sem ter em conta a soma dos salários;
  • A exceção Larry Bird permite a uma equipe prolongar o contrato de um jogador sem levar em conta o teto salarial. Esta exceção foi instaurada quando da renovação do contrato do Larry Bird com os Boston Celtics.

Além disso, os contratos dos jogadores são protegidos: se um jogador é demitido antes do fim do seu contrato, ele tem direito de receber os meses restantes (o contrário, por exemplo, da NFL), e o seu salário continua valendo para a soma salarial até o fim da temporada.

As equipes são obrigadas a respeitar uma soma salarial mínima também. Existe também além do salary cap um outro teto, muito mais duro: se a soma dos salários do clube ultrapassa 57,7 milhões de dólares, o valor além deste limite sofre uma taxa proporcional com o valor ultrapassado.[24] Esta taxa é chamada de Luxury tax.

All-Star Game editar

 Ver artigo principal: NBA All-Star Game
 
NBA All-Star Game de 2010 no Cowboys Stadium.

Desde 1951 é realizado um jogo amigável chamado NBA All-Star Game. Ele é disputado após ocorrer um draft pelos capitães dos respectivos times através do voto popular, então há o confronto entre o time de um capitão contra o outro.[25] Ele marca tradicionalmente a metade da temporada regular da liga e é disputado em três dias. Na história, a Conferência Leste venceu 37 vezes o All-Star Game, contra 29 vitórias da Conferência Oeste.[26]

Prêmios editar

Diversos prêmios são dados ao fim da temporada regular. O mais importante é o de MVP (Most Valuable Player), concedido ao jogador que é considerado, por votação entre jornalistas, o melhor da Liga na temporada regular. Após as finais, também ocorre uma eleição para o MVP da série final.

Campeões editar

 Ver artigo principal: Finais da NBA

Títulos por franquias editar

Franquias Conquistas Temporadas dos Títulos
Celtics 17 1956-57 / 1958-59 / 1959-60 / 1960-61 / 1961-62 / 1962-63 / 1963-64 / 1964-65 / 1965-66 / 1967-68 / 1968-69 / 1973-74 / 1975-76 / 1980-81 / 1983-84 / 1985-86 / 2007-08
Lakers 17 1948-49 / 1949-50 / 1951-52 / 1952-53 / 1953-54 / 1971-72 / 1979-80 / 1981-82 / 1984-85 / 1986-87 / 1987-88 / 1999-00 / 2000-01 / 2001-02 / 2008-09 / 2009-10 / 2019-20
Warriors 7 1946-47 / 1955-56 / 1974-75 / 2014-15 / 2016-17 / 2017-18 / 2021-22
Bulls 6 1990-91 / 1991-92 / 1992-93 / 1995-96 / 1996-97 / 1997-98
Spurs 5 1998-99 / 2002-03 / 2004-05 / 2006-07 / 2013-14
Pistons 3 1988-89 / 1989-90 / 2003-04
76ers 3 1954-55 / 1966-67 / 1982-83
Heat 3 2005-06 / 2011-12 / 2012-13
Bucks 2 1970-71 / 2020-21
Knicks 2 1969-70 / 1972-73
Rockets 2 1993-94 / 1994-95
Cavaliers 1 2015-16
Mavericks 1 2010-11
Supersonicsc 1 1978-79
Wizards 1 1977-78
Blazers 1 1976-77
Hawks 1 1957-58
Kings 1 1950-51
Bullets 1 1947-48
Raptors 1 2018-19
Nuggets 1 2022–23

Títulos por equipes editar

Equipe Conquistas Vice Temporadas dos Títulos
Los Angeles Lakers[a] 17 15 1948-49 / 1949-50 / 1951-52 / 1952-53 / 1953-54 / 1971-72 / 1979-80 / 1981-82 / 1984-85 / 1986-87 / 1987-88 / 1999-00 / 2000-01 / 2001-02 / 2008-09 / 2009-10 / 2019-20
Boston Celtics 17 5 1956-57 / 1958-59 / 1959-60 / 1960-61 / 1961-62 / 1962-63 / 1963-64 / 1964-65 / 1965-66 / 1967-68 / 1968-69 / 1973-74 / 1975-76 / 1980-81 / 1983-84 / 1985-86 / 2007-08
Golden State Warriors[b] 7 4 1946-47 / 1955-56/ 1974-75 / 2014-15 / 2016-17 / 2017-18 / 2021-22
Chicago Bulls 6 0 1990-91 / 1991-92 / 1992-93 / 1995-96 / 1996-97 / 1997-98
San Antonio Spurs 5 1 1998-99 / 2002-03 / 2004-05 / 2006-07 / 2013-14
Philadelphia 76ers[c] 3 6 1954-55 / 1966-67 / 1982-83
Detroit Pistons 3 4 1988-89 / 1989-90 / 2003-04
Miami Heat 3 4 2005-06 / 2011-12 / 2012-13
New York Knicks 2 6 1969-70 / 1972-73
Houston Rockets 2 2 1993-94 / 1994-95
Milwaukee Bucks 2 1 1970-71 / 2020-21
Cleveland Cavaliers 1 4 2015-16
Atlanta Hawks[d] 1 3 1957-58
Washington Wizards[e] 1 3 1977-78
Oklahoma City Thunder[f] 1 3 1978-79
Portland Trail Blazers 1 2 1976-77
Dallas Mavericks 1 1 2010-11
Baltimore Bullets[j] 1 0 1947-48
Sacramento Kings[g] 1 0 1950-51
Toronto Raptors 1 0 2018-19
Denver Nuggets 1 0 2022–23
Phoenix Suns 0 3
Brooklyn Nets[h] 0 2
Orlando Magic 0 2
Utah Jazz[i] 0 2
Indiana Pacers 0 1
Chicago Stags[j] 0 1
Washington Capitols[j] 0 1

Times que ainda não participaram da final:

Ver também editar

Referências

  1. «This Date in the NBA: June». National Basketball Association. Consultado em 29 de abril de 2023 
  2. «Inside USA Basketball». Usabasketball.com. Consultado em 5 de janeiro de 2012. Arquivado do original em 11 de junho de 2010 
  3. «REVEALED: The world's best paid teams, Man City close in on Barca and Real Madrid». SportingIntelligence.com. 1 de maio de 2012. Consultado em 11 de junho de 2012 
  4. Goldaper, Sam. «The First Game». NBA. Consultado em 5 de agosto de 2010 
  5. «History of Basketball in Canada». NBA Media Ventures, LLC. Consultado em 13 de abril de 2007 
  6. «National Basketball Association, Inc.». Copyright © 2012, Hoover's Inc., All Rights Reserved. Consultado em 29 de abril de 2012 
  7. a b «A NBA nasceu». History Channel. Consultado em 29 de Julho de 2010 
  8. a b McDowell, Sam (9 de Março de 2013). «Sumner grad Harold Hunter, first African-American to sign with NBA team, dies at 86». Kansas City Star. Consultado em 30 de Março de 2013 
  9. «Pioneiro da NBA Harold Hunter, um ex-treinador da Xavier, morreu Quinta-Feira». Times-Picayune. 7 de Março de 2013. Consultado em 30 de Março de 2013 
  10. «Antigo treinador de basquetebol da Tennessee State Harold Hunter morre». The City Paper. 7 de Março de 2013. Consultado em 30 de Março de 2013. Cópia arquivada em 2 de novembro de 2013 
  11. «1949–51: Lakers Win First NBA Finals». Consultado em 30 de julho de 2010 
  12. «NBA Rules History». NBA. 8 de maio de 2008. Consultado em 30 de julho de 2010 
  13. «Títulos ganhos; Celtics.com - O site oficial dos Boston Celtics». Nba.com. Consultado em 5 de janeiro de 2012 
  14. Salzberg, Charles (1998). From Set Shot to Slam Dunk. New York: McGraw-Hill. p. 203. ISBN 978-0-8032-9250-5 
  15. Crowe, Jerry. «That iconic NBA silhouette can be traced back to him». Los Angeles Times (em inglês). Consultado em 22 de Julho de 2021 
  16. «1970–71 SEASON OVERVIEW». NBA. Consultado em 30 de julho de 2010 
  17. Jessop, Alicia. «The Surge of the NBA's International Viewership and Popularity». Forbes (em inglês). Consultado em 6 de junho de 2021 
  18. [1]
  19. Sherman, Rodger (26 de maio de 2015). «LeBron did something nobody's done since Russell». SBNation.com (em inglês). Consultado em 6 de junho de 2021 
  20. «NBA, sports worlds mourn the death of Kobe Bryant». ESPN.com. 26 de janeiro de 2020. Consultado em 26 de janeiro de 2020 
  21. «NBA to suspend season following Wednesday's games». NBA.com. 11 de março de 2020. Consultado em 12 de março de 2020 
  22. «Inside the first night of the NBA's bold bubble experiment». July 31, 2020. 31 de julho de 2020. Consultado em 27 de agosto de 2020 
  23. «No prior champions in NBA Finals for first time in 50 years». NBCSports.com. 6 de julho de 2021. Consultado em 8 de julho de 2021 
  24. Ark (3 de abril de 2020). «COMO FUNCIONA O TETO SALARIAL NA NBA?» 
  25. Almeida, João. «All-Star Game da NBA: Como funciona, quem joga e onde assistir ao Jogo das Estrelas». Bolavip Brasil. Consultado em 16 de abril de 2023 
  26. ge, Redação. «All-Star Game 2023: data, horário, onde assistir e como funciona». ge. Consultado em 16 de abril de 2023 

Ligações externas editar

Outros projetos Wikimedia também contêm material sobre este tema:
  Categoria no Commons
  Notícias no Wikinotícias