Abrir menu principal

Cristiana Oliveira

Cristiana Oliveira
Cristiana Oliveira durante um evento de moda em março de 2018.
Nome completo Cristiana Barbosa da Silva de Oliveira
Nascimento 15 de dezembro de 1963 (55 anos)
Rio de Janeiro, RJ
Nacionalidade brasileira
Ocupação Atriz
Atividade 1983–presente
Outros prêmios
Troféu APCA de Melhor Revelação
Kananga do Japão (1990)
Troféu Imprensa de Melhor Revelação Feminina
Pantanal (1990)
Indicações
Prêmio Contigo! de TV de Melhor Atriz Antagonista
O Clone (2001)
Página oficial

Cristiana Barbosa da Silva de Oliveira (Rio de Janeiro, 15 de dezembro de 1963), é uma atriz e ex-modelo brasileira.[1]

BiografiaEditar

Filha de Oscar de Oliveira e Eugênia Barbosa da Silva de Oliveira, é a caçula de nove filhos (dois homens e sete mulheres).[2][3] Nascida e criada em Ipanema, para ajudar nas despesas familiares, começou a trabalhar com 10 anos de idade, numa floricultura próxima de sua residência.[2]

Enfrentando depressão na adolescência, abandonou os estudos e fugiu da casa dos pais para morar com sua melhor amiga, que havia se mudado há poucos meses para São Paulo, onde passou a trabalhar como caixa de supermercado. Ficou 1 mês desaparecida, e só depois desse tempo comunicou aos pais que estava bem e trabalhando, e eles entenderam o que ela estava passando, e pediram para ela voltar. Nessa época, após voltar para casa, voltou a estudar e começou a trabalhar como divulgadora, fazendo assessoria de imprensa para teatro junto a sua irmã Marió.

CarreiraEditar

1983–91: Modelo e primeiros trabalhosEditar

Em 1983, aos 20 anos, Cristiana estreou como modelo ao participar de um concurso de beleza do Jornal do Brasil que promovia uma marca de óculos, no qual foi vencedora.[2] A jovem chamou atenção de diversos produtores de moda, passando a realizar desfiles e fotografar para editoriais de moda. O grande destaque veio no ano seguinte, 1984, quando assinou com o empresário de moda Eli Hadid Wahbe – que dois anos depois fundaria a Class Modelos – e passou a morar na Europa, trabalhando na Alemanha e Espanha.[2] Em 1989 chamou a atenção do diretor Walter Salles Jr. por sua desenvoltura diante das câmeras durante a gravação de um comercial produzido por ele, que indicou-a para Jayme Monjardim para realizar um teste na Rede Manchete para apresentar o programa de videoclipes Shock, que estava vago com a saída de Carolina Ferraz.[2] Cristiana passou no teste, porém não chegou a estrear no programa, uma vez que Jayme convidou-a para realizar novos testes para a novela Kananga do Japão, acreditando que ela poderia se tornar atriz.[2] Na época Bia Seidl havia desistido do papel de Hannah e Cristiana ficou com o papel, estreando como atriz no núcleo principal da trama.[4]

Com esta novela ganhou o prêmio por unanimidade de atriz revelação pela APCA.[3] Em 1990 Cristiana interpretou seu personagem de maior destaque, a protagonista Juma em Pantanal, que inicialmente seria para a atriz Glória Pires. A novela foi um grande sucesso, derrubando a audiência da TV Globo e virando um marco na teledramaturgia brasileira. Cristiana, com este trabalho, ganhou o Troféu Imprensa de "Revelação do ano". Em 1991, fez a sua estreia no cinema, com o longa-metragem Os Trapalhões e a Árvore da Juventude. Nesse mesmo ano, Cristiana participou de um episódio do programa Fronteiras do Desconhecido e protagonizou a novela Amazônia.

1992–16: Protagonistas e amadurecimentoEditar

Em 1992, visando a repercussão de seus trabalhos na Rede Manchete, a Rede Globo contratou Cristiana sob um salário duas vezes maior para viver a protagonista da minissérie Agosto, papel que veio a ser interpretado por Vera Fischer, já que foi decidido pela cúpula da emissora que Cristiana seria a protagonista, junto com Tarcísio Meira, da novela De Corpo e Alma. Em fevereiro daquele ano, posou nua para a edição brasileira da revista Playboy, numa das poucas ocasiões em que o ensaio foi apresentado em um encarte especial. Em 1993, estreou no teatro com o espetáculo Bate Outra Vez, de Eduardo Wotzik. Ainda nesse ano, atuaria na peça Troia, sucesso estrondoso de crítica. Em 1994, participou da minissérie Memorial de Maria Moura e, depois, protagonizou a novela Quatro por Quatro, ao lado das atrizes Letícia Spiller, Elizabeth Savalla e Betty Lago.[5] Pela primeira vez em sua carreira televisiva, a atriz faria um papel cômico. Após o fim da novela, foi morar em NY a fim de se aprimorar no inglês.

Em 1996, atuou em Salsa e Merengue, como a vilã Adriana. Posteriormente, emendaria trabalhos, e logo voltaria ao ar como a protagonista da novela Corpo Dourado, em 1998, na pele da batalhadora e rude Selena, uma mulher da roça, sem vaidade e guerreira. Em 1999, novamente faria uma mocinha, interpretando a determinada e apaixonada Pilar, formando um triângulo amoroso, em Vila Madalena, composto também por Edson Celulari e Maitê Proença. Em 2001, participou da primeira fase da novela Porto dos Milagres. No mesmo ano, esteve na segunda fase da novela O Clone, como a pérfida Alicinha, uma mulher dissimulada e extremamente ambiciosa, que manipula todos ao seu redor por dinheiro e poder, sendo a principal vilã do folhetim. Também em 2002 apresentou a peça Pequeno Dicionário Amoroso, de Jorge Fernando, marcando a sua volta aos palcos e foi cedida à SIC, de Portugal, para atuar na novela O Olhar da Serpente. Cristina ficou então cerca de três anos limitando-se a pequenas aparições no vídeo, quando, em 2005, retornou como a dona de casa Rita na temporada daquele ano da novela Malhação.

Em 2006, filmou o longa-metragem Gatão de Meia Idade, onde interpretou uma motoqueira masculinizada, que na verdade sonha em casar-se e ter filhos. Em 2007, integrou o elenco da minissérie Amazônia, de Galvez a Chico Mendes, e participou de últimos capítulos da novela Sete Pecados, como a advogada Margareth, e filmou o longa Nossa Senhora de Caravaggio, em que viveu uma mulher simples e sofrida, vítima dos maus tratos do marido, que busca na fé para sua dor. Em 2009, despontou no remake de Paraíso, como a moderna Zuleika, par romântico do cantor Daniel. Em 2010, Cristiana retorna ao teatro interpretando Maria em Paixão de Cristo de Nova Jerusalém.[6] Em 2011, interpretou uma elogiada participação especial da crítica e do público em Insensato Coração, no papel da presidiária lésbica e traficante de drogas, chamada Araci Laranjeira.[7][8][9] Em 2012, interpretou a fútil e bem humorada Yolanda em Salve Jorge.[10] Em 2014, volta à TV na série do GNT, Animal, no papel da ex-delegada e prefeita Mariana Gomes.[11]

2016–presente: Trabalhos recentesEditar

Em 2016, após quatro anos de sua última novela, decide assinar com a RecordTV para integrar o elenco da novela A Terra Prometida, lançada no ano seguinte, onde deu vida a amargurada Mara, uma mulher ambiciosa e dominadora, que aos poucos vai demonstrando o seu caráter perigoso e perverso até se revelar a grande antagonista da história. A personagem foi elogiada pelos jornalistas especializados, que notaram que era seu papel de maior destaque desde O Clone.[12] Em 2018, Cristiana retorna ao cinema após onze anos desde o último filme em que participou, Nossa Senhora de Caravaggio. Ela está no elenco de Eu sou Brasileiro,[13] de Alessandro Barros; Borderline,[13] de Cibele Amaral; Paixão Nacional,[13] de Teresa Jessouron, e em Uma Carta para Ferdinand,[13] de Anderson e Kleber Dresch.

Em 2019, após três anos afastada da televisão, retorna às novelas em Topíssima, telenovela da RecordTV, interpretando a grande vilã cômica Lara, uma socialite fútil e obcecada pelas colunas sociais, mas que no íntimo se trata de uma mulher fria e sem escrúpulos, capaz de tudo por seus objetivos e responsável por infernizar a vida da própria filha, a protagonista Sophia (Camila Rodrigues).[14]

Vida pessoalEditar

Aos 13 anos, em 1976, tornou-se viciada em cigarro, só conseguindo se livrar da dependência em 1998, com a ajuda de Victor Fasano, seu amigo de profissão.[2] Cristiana foi casada com o fotógrafo André Wanderley, dessa união nasceu Rafaella. Em 1994, Cristiana se casa pela segunda vez, dessa vez com o empresário Marcos Sampaio, com quem ficou casada por 8 anos. Em 1999, nasceu sua segunda filha, Antônia. Não quis mais casar-se após a separação. Em 7 de fevereiro de 2013, tornou-se avó pela primeira vez, com o nascimento de Miguel, filho de Rafaella.[15]

FilmografiaEditar

TelevisãoEditar

Ano Título Personagem Notas
1989 Kananga do Japão Hannah
1990 Pantanal Juma Marruá
1991 Fronteiras do Desconhecido Billie Frechette Episódio: "Inimigos Públicos"
Amazônia Camille / Milla
1992 Amazônia - Parte II Camille
De Corpo e Alma Paloma Bianchi
1994 Memorial de Maria Moura Marialva
Quatro por Quatro Tatiana Tarantino (Raio de Sol) /
Maria das Dores Santana
1996 Salsa e Merengue Adriana Campos Queiroz
1998 Corpo Dourado Selena Pereira
1999 Vila Madalena Pilar Ramirez
2001 Porto dos Milagres Eulália Vieira Episódio: "5 de fevereiro"
O Clone Alice Ferreira das Neves (Alicinha)
2002 O Olhar da Serpente Celeste Carvalho Pinto
2003 Kubanacan Helena Episódios: "7–8 de maio"
2005 Malhação Rita Garcia Temporada 12
2006 A Diarista Betty Episódio: "Até Que a Nete os Separe"
2007 Amazônia Carminha
Dança dos Famosos Participante Temporada 4
Sete Pecados Drª. Margareth
2008 Casos e Acasos Simone Episódio: "O Colar, O Cachorro e O DVD"
Bárbara Episódio: "O Parto, o Batom e o Passaporte"
Faça sua História Talita Episódio: "Álbum de Família"
2009 Paraíso Zuleika Tavares
2011 Insensato Coração Araci Laranjeira Episódios: "19 de março–25 de abril"
2012 Salve Jorge Yolanda Pereira Galvão
2014 Animal Mariana Gomes
2016 A Terra Prometida Mara Nabi
2017 Tô de Graça Drª Verônica Episódio: "Mudança de Sexo"
2019 Topíssima Lara Alencar

FilmesEditar

Ano Título Papel
1991 Os Trapalhões e a Árvore da Juventude Juliana
2006 Gatão de Meia Idade Sandrão
2007 Nossa Senhora de Caravaggio Angélica
2018 Eu Sou Brasileiro Carmem
Borderline
Paixão Nacional
Uma Carta para Ferdinand

TeatroEditar

Prêmios e indicaçõesEditar

Ano Prêmio Categoria Indicação Resultado
1990 APCA Melhor Revelação Feminina Hannah em Kananga do Japão Venceu
Troféu Imprensa Revelação do Ano Juma Marruá em Pantanal
2002 Prêmio Contigo! Melhor Vilã Alicinha em O Clone Indicado
2011 Prêmio Extra de TV Melhor atriz coadjuvante Araci em Insensato Coração[16]

Referências

  1. Gabriela Antunes (5 de maio de 2017). «Cristiana Oliveira investe em loja e dá palestras sobre autoestima». Patrícia Kogut. Globo.com. Consultado em 4 de abril de 2018 
  2. a b c d e f g «Biografia da atriz Cristiana Oliveira». Consultado em 18 de dezembro de 2011. Arquivado do original em 3 de março de 2016 
  3. a b «Confira a biografia de Cristiana Oliveira». 22 de março de 2011. Consultado em 18 de dezembro de 2011. Arquivado do original em 14 de outubro de 2016 
  4. Contigo!. «Carreira da atriz Cristiana Oliveira». Consultado em 19 de setembro de 2011. Arquivado do original em 1 de abril de 2012 
  5. «Lista: Como Griselda de Fina Estampa, elas ganham banho de loja». Globo.com. 18 de agosto de 2011. Consultado em 18 de dezembro de 2011 
  6. «Thiago Fragoso e Cristiana Oliveira participaram da Paixão de Cristo em Arapicara». Cadaminuto. 18 de fevereiro de 2010. Consultado em 18 de abril de 2018 
  7. «Cristiana Oliveira promete vilã "muito pior" que Alicinha». Quem. Globo.com. 16 de outubro de 2010. Consultado em 18 de dezembro de 2011 
  8. Gshow (13 de março de 2011). «Cristiana Oliveira se transforma para viver detenta que vai infernizar a vida de Norma». Vem por aí - Insensato Coração. Consultado em 14 de julho de 2014 
  9. Fernando Oliveira (14 de março de 2011). «Veja a primeira imagem de Cristiana Oliveira com 15 quilos mais como presidiária em 'Insensato Coração'». IG Colunistas - Na TV. Consultado em 14 de julho de 2014 
  10. Roseane Santos (13 de maio de 2013). «Cristiana Oliveira diz que "personagem estava perdida" em "Salve Jorge"». UOL Televisão. Consultado em 14 de julho de 2014 
  11. Pollyana de Moraes (27 de junho de 2014). «Com jeans, botas e colete, Cristiana Oliveira fala do estilo de sua personagem em 'Animal'». Animal - GNT. Consultado em 14 de julho de 2014 
  12. «Confira o elenco da novela "A Terra Prometida"». Consultado em 2 de junho de 2017 
  13. a b c d Redação (16 de julho de 2018). «Cristiana Oliveira relembra sua personagem mais famosa: "A Juma é para sempre"». Cena Pop. Uol. Consultado em 9 de novembro de 2018 
  14. «Cristiana Oliveira fará 'Topíssima', na Record». Patrícia Kogut. Globo.com. 19 de dezembro de 2018. Consultado em 7 de janeiro de 2019. Arquivado do original em 7 de janeiro de 2019 
  15. «Nasce o neto de Cristiana Oliveira». Ego. Globo.com. 7 de fevereiro de 2013. Consultado em 28 de dezembro de 2017 
  16. Redação Extra Online (29 de novembro de 2011). «Prêmio Extra de TV: Deborah Secco fica com o prêmio de melhor atriz coadjuvante». Extra Online. Consultado em 29 de novembro de 2011 

Ligações externasEditar

Outros projetos Wikimedia também contêm material sobre este tema:
  Citações no Wikiquote
  Este artigo sobre uma atriz é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.