Abrir menu principal
Salsa e Merengue
logotipo da novela.
Informação geral
Formato Telenovela
Gênero
Duração 45 minutos Aproximado
Criador(es) Miguel Falabella
Maria Carmem Barbosa
País de origem Brasil
Idioma original português
Produção
Diretor(es) Wolf Maya
Elenco
Tema de abertura "María (salsa y merengue)", Ricky Martin
Exibição
Emissora de televisão original Rede Globo
Transmissão original 30 de setembro de 1996 – 3 de maio de 1997
N.º de episódios 185
Cronologia
Vira Lata
Zazá
Programas relacionados Aquele Beijo
A Lua me Disse
Negócio da China

Salsa e Merengue é uma telenovela brasileira produzida e exibida pela Rede Globo de 30 de setembro de 1996 a 3 de maio de 1997, em 185 capítulos,[1] substituindo Vira Lata e sendo substituída por Zazá.[2] Foi a 54ª "novela das sete" exibida pela emissora.

Escrita por Miguel Falabella e Maria Carmem Barbosa, com supervisão de texto de Gilberto Braga, e escrita com colaboração de Jane Santos, e direção de Maurício Farias, Cininha de Paula, Luciano Sabino e Ignácio Coqueiro, é contou com a direção geral e núcleo de Wolf Maya.

Contou com as participações de Marcos Palmeira, Patrícia França, Marcello Antony, Débora Bloch, Arlete Sales, Cristiana Oliveira, Rosamaria Murtinho e José Wilker.[1]

Índice

EnredoEditar

Numa viagem, Eugênio conheceu e se apaixonou pela doce e simples Madalena, mesmo tendo a apaixonada e possessiva Teodora por perto. Mas Eugênio também descobriu que tinha uma grave doença. Só um transplante de medula de alguém da família poderia salvar sua vida. E, por causa disso, Guilherme Amarante Paes teve que revelar que Eugênio não é seu filho, um segredo que abalou toda a poderosa família Amarante Paes.

Mas, para Madalena, o amor por Eugênio resiste a tudo. E foi por esse amor que ela foi para o Rio de Janeiro e acabou conhecendo os moradores da fictícia Vila do Vintém, como o alucinado e divertidíssimo casal Socorro e Candinho. Esse também é o território de Valentim, que se apaixonou por Madalena assim que a viu. Valentim é o amante latino que enlouquece Marinelza, uma senhora casada que brinca com o perigo. A mãe de Valentim é a festeira Anabel Muñoz, uma mulher batalhadora que vive um drama: um filho que teve que abandonar ainda bebê e nunca mais encontrou.

E, ao envolver-se com a família de Anabel, Madalena descobre que a salvação de Eugênio está em Valentim, seu irmão legítimo. Mas como convencer Valentim a ajudar um irmão cuja existência ele desconhecia, ainda mais quando disputa com ele o amor de Madalena?

Do outro lado da história está Adriana, uma moça interesseira e de vida fácil que se envolve com Guilherme, causando o fim de seu casamento com Bárbara. Adriana, mesmo chantageada por Heitor, ambicioso e inescrupuloso sócio da mineradora Amarante Paes, alia-se a ele na busca pelo poder.

ProduçãoEditar

Primeira novela escrita em conjunto pela dupla Maria Carmem Barbosa e Miguel Falabella. Com um texto leve e divertido, a trama se tornou um grande sucesso do horário, registrando uma média geral de 38 pontos no Ibope. Para poder escrever a novela com calma, Miguel Falabella tirou uma licença de um mês do programa humorístico Sai de Baixo[3].

Depois de participar da primeira fase da novela O Rei do Gado, Marcello Antony era alçado a protagonista desta novela.

A novela tece cerca de quarenta cenas gravadas em Miami[4]. Os custos das gravações na cidade americana tiveram cerca de 300 mil dólares[5].

Depois de uma participação especial nos primeiros capítulos de Anjo de Mim, José Wilker entraria no final da trama, na pele do mafioso Urbano. Na época, Wilker dirigia o Sai de Baixo, programa de humor, em que Miguel Falabella, autor de Salsa e Merengue, atuava.

A telenovela mostrou nas primeiras semanas uma cena de topless em pleno horário das 19 horas. A cena foi feita a pedido da produção da novela[6].

O papel de Eugênio foi escrito para Leonardo Vieira, porém, desavenças com Miguel Falabella acabaram destinando o personagem a Marcelo Antony.

Pela sinopse, Valentim ficaria com Adriana e Madalena com Eugênio. No entanto, Adriana, personagem de Cristiana Oliveira acabou novamente como garota-de-programa, para que Valentim (Marcos Palmeira) ficasse com Madalena (Patrícia França) e Eugênio (Marcello Antony) fosse finalmente fisgado por Teodora (Débora Bloch). O público não aprovou a química entre Madalena e Eugênio.

No último capítulo da trama, era nítido o descontentamento de Rosamaria Murtinho com o desfecho de sua personagem Bárbara.

O ator Ademir Zanyor foi tirado da novela devido a um desentendimento com o diretor Wolf Maya.

Uma das cenas que causaram impacto na novela foi no casamento que não aconteceu entre os personagens Antônio (Alexandre Barillari) e Inês (Juliana Baroni). A patricinha nunca escondeu seu preconceito com os vizinhos do noivo e quando Antônio deu um sonoro "não" em pleno altar, os mesmos presentes na igreja comemoraram a sua atitude. Antônio terminou a novela junto de Kelly (Maria Maya), que engravidou dele enquanto esse estava bêbado.

A abertura mostrava pessoas dançando ao ritmo de salsa e merengue, com a canção Maria de Ricky Martin, que era sucesso na época. Na época da novela, foi lançada a trilha sonora complementar, Bailando Salsa e Merengue, com as músicas que tocavam na história[7].

ElencoEditar

Ator/Atriz Personagem
Patrícia França Madalena Sobral
Cristiana Oliveira Adriana Campos Queiroz
Marcos Palmeira Valentim Muñoz
Marcello Antony Eugênio Amarante Paes
Zezé Polessa Marinelza Bolla
Laura Cardoso Ruth Campos Queiroz
Bia Nunnes Remédios Muñoz
Thaís de Campos Amparo Muñoz
Gabriela Alves Assunção Muñoz
Ariclê Perez Gilda Campos Queiroz
Maria Maya Caroline Bolla (Kelly)
Juliana Baroni Inês Soares da Cunha
Jacqueline Laurence Eglantine Billard
Cláudio Cavalcanti Dr. Olavo
Diogo Vilela Caio Graco Leão
Rosi Campos Dayse Menezes
André Gonçalves Walter
Ricardo Petraglia Tito Soares da Cunha
Mônica Torres Lídia
Ademir Zanyor Jair Billard (Jairzinho)
Estelita Bell Imaculada Muñoz
Stella Miranda Maria do Socorro
Marcos Oliveira Cândido (Candinho)
Maria Lúcia Dahl Laís Soares da Cunha
José D'Artagnan Júnior Edgar
Chico Díaz Ramiro Morales
Maria Gladys Neném
Luís Salém Lázaro
Angela Rebello Tereza
Regiana Antonini Deusa
Mara Manzan Sexta-Feira

Apresentando

Ator/Atriz Personagem
Alexandre Barillari Antônio Muñoz
Adriana Garambone Clarice Amarante Paes
Johnny Rudge Moacir Menezes (Moa)
Bruno Murtinho Wellington
Zezeh Barbosa Jacinta
Vanessa Dantas Flávia
Adriano Garib Juarez

Atrizes convidadas

Atriz Personagem
Arlete Salles Anabel Muñoz
Rosamaria Murtinho Bárbara Amarante Paes

Atores convidados

Ator Personagem
Walmor Chagas Guilherme Amarante Paes
Oswaldo Loureiro Walmir Bolla

Participações especiais

Ator Personagem
Marcos Paulo Gaspar Junqueira
Nelson Xavier Mestre Bento Sobral
Débora Bloch como Teodora Bentes do Gama
Victor Fasano como Heitor Lobato

AudiênciaEditar

A telenovela encerrou com média geral de 35 pontos, considerada satisfatória para o horário.[8] Até dezembro de 1996, a média havia sido de 36 pontos, um ponto a menos que sua antecessora, Vira Lata, que encerrou com 37 pontos, na época considerado "um fracasso" pela própria emissora. A média geral de Salsa e Merengue ficou 16 pontos abaixo de A Viagem, maior sucesso na faixa das sete desde 1993, registrando 52 pontos entre março e outubro de 1994. [9]

Trilha sonoraEditar

Trilha sonora nacionalEditar

Capa: Marcello Antony

  1. "Maria (Salsa Y Merengue) - Ricky Martin (Tema de Abertura)
  2. "La Bella Luna" - Os Paralamas do Sucesso (Tema de Antonio)
  3. "Louca" - Latino (Tema de Kelly Bola)
  4. "Seo Zé" - Carlinhos Brown (partic. especial Marisa Monte) (Tema de Valentim)
  5. "Ama Teu Vizinho Como a Ti Mesmo" - Sá, Rodrix & Guarabira (Tema da Vila do Vintém)
  6. "Sim, Foi Você" - Elba Ramalho (Tema de Bárbara e Guilherme)
  7. "Mueve La Cadera (Move Your Body)" - Reel 2 Real (Tema de Anabel)
  8. "Enquanto Durmo" - Zélia Duncan (Tema de Theodora)
  9. "Dancin' Days" - Lulu Santos (Tema de Marinelza)
  10. "Vida Fácil" - Cazuza (Tema de Adriana)
  11. "Quando Te Vi (Till There Was You)" - Simonny (Tema de Madalena)
  12. "Brasil é o País do Suingue" - Fernanda Abreu (Tema de Assunção)
  13. "Uma Espécie de Irmão" - Guilherme Arantes (Tema de Caio Leão)
  14. "Mais Simples" - Zizi Possi (Tema de Eugênio)

Trilha sonora internacionalEditar

Capa: Patrícia França

  1. "Donde Estás Corazón (Remix Single)" - Shakira (Tema Geral)
  2. "Solo Se Vive Una Vez" - Azucar Moreno (Tema de Inês)
  3. "Why" - 3T with Michael Jackson (Tema de Eugênio)
  4. "Groovin' " - Pato Banton (Tema de locação: Rio de Janeiro)
  5. "Dáme" - Luis Miguel (Tema de Clarisse)
  6. "Moliendo Café / Tequila" - Mestizzo (Tema de locação: Rio de Janeiro)
  7. "Solamente Tu Amor" - Chayanne (Tema de Adriana e Heitor)
  8. "Incancellabile" - Laura Pausini (Tema de Theodora)
  9. "El Dia En Que Me Quieras" - Julio Iglesias (Tema de Anabel e Urbano)
  10. "Don't Look Back In Anger" - Oasis (Tema de Antonio e Kelly Bola)
  11. "L'Aurora" - Eros Ramazzotti (Tema de Madalena e Eugênio)
  12. "Si Tu No Estás" - Rosana (Tema de Bárbara)
  13. "I'll Always Be Right There" - Bryan Adams (Tema de Madalena)
  14. "Come To Me" - Tita (Tema de Marinelza)

Trilha sonora complementar: Bailando Salsa e MerengueEditar

  1. "El Tongoneo" - Mestizzo
  2. "Tres Deseos" - Ednita Nazario
  3. "Mezcla" - Rio Salsa
  4. "Capullito de Alelí" - Caetano Veloso
  5. "Me Queima" - Ása de Águia
  6. "Lá Vai a Loura (La Bailadora)" - Xuxa
  7. "Vamonos de Fiesta" - The Heartbreakers
  8. "El Volcano de Caribe" - Chucho Valdez e Irakere
  9. "Mamma Mia" - Kleiton e Kledir
  10. "Coubanakan (Coubanakan)" - Ney Matogrosso
  11. "Piel Canela" - Pablo Herrera
  12. "Química Perfecta" - Banda Eva (partic. especial Netinho)
  13. "A Festa da Patchanga" - Angélica
  14. "Maria (Salsa Y Merengue)" - Ricky Martin

PrêmiosEditar

Troféu APCA (1996)

  • Melhor Novela

Troféu Imprensa (1996)

Prêmio Contigo! (1996)

Melhores do ano - Domingão do Faustão (1997)

Notas

Referências

  1. a b c «Salsa e Merengue». Teledramaturgia. Arquivado do original em 17 de fevereiro de 2019 
  2. «'Salsa e Merengue' estreia hoje na Globo». Folha de S.Paulo. 30 de setembro de 1996. Consultado em 26 de julho de 2015 
  3. «Falabella se diverte como autor». Folha de S.Paulo. 29 de setembro de 1996. Consultado em 2 de dezembro de 2017 
  4. «'Salsa e Merengue' mostra a ginga e a mediocridade da classe média». Folha de S.Paulo. 29 de setembro de 1996. Consultado em 2 de dezembro de 2017 
  5. «Gangue surra equipe técnica». Folha de S.Paulo. 29 de setembro de 1996. Consultado em 2 de dezembro de 2017 
  6. «Nudez de 'Xica' invade 'Salsa'». Folha de S.Paulo. 20 de outubro de 1996. Consultado em 2 de dezembro de 2017 
  7. «Música latina invade pistas e rádios». Folha de S.Paulo. 11 de novembro de 1996. Consultado em 2 de dezembro de 2017 
  8. «Audiência detalhada de Salsa e Merengue». TV Foco. 22 de fevereiro de 2013. Consultado em 22 de agosto de 2014 
  9. «Anjo' e `Salsa' têm a pior audiência: Atuais tramas das seis e das sete da Rede Globo têm os menores índices do Ibope nos horários desde 1993». Folha de S.Paulo. 23 de fevereiro de 1997. Consultado em 22 de agosto de 2014 

Ligações externasEditar

  Este artigo sobre telenovelas é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.