Abrir menu principal
Question book-4.svg
Esta página cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde junho de 2019). Ajude a inserir referências. Conteúdo não verificável poderá ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Diocese de Taubaté
Taubatensis
Localização
País
 Brasil,  São Paulo
Arquidiocese metropolitana Arquidiocese de Aparecida
Estatísticas
População 637,064 habitantes
Área 4.626[1] km²
Informação
Rito latino (ou romano)
Criação 7 de junho de 1908 (111 anos)
Padroeiro(a) São Francisco das Chagas
Governo da diocese
Bispo Dom Wilson Luís Angotti Filho
Bispo emérito Dom Antônio Afonso de Miranda e Dom Carmo João Rhoden, SCJ
Jurisdição Sul 1
Página oficial http://www.diocesedetaubate.org.br/
dados em catholic-hierarchy.org

A Diocese de Taubaté é uma divisão territorial da Igreja Católica no estado de São Paulo. Sua sede é o município de Taubaté. Seu atual Bispo é D. Wilson Luís Angotti Filho. Foi fundada em 7 de junho de 1908 pelo então papa Pio X.[2]

Atualmente, a diocese de Taubaté abrange as paróquias das seguintes cidades:[3]Taubaté, Pindamonhangaba, Caçapava, São Bento do Sapucaí, Santo Antônio do Pinhal, Campos do Jordão, São Luiz do Paraitinga, Natividade da Serra, Jambeiro, Redenção da Serra e Tremembé.

Índice

HistóricoEditar

A Diocese de Taubaté foi criada pelo Papa Pio X em 7 de junho de 1908 por meio da publicação da Bula “Diocesium Nimiam Amplitudinem”. O documento deu nova constituição à Província Eclesiástica em São Paulo. Foram criadas juntamente com a diocese de Taubaté a Arquidiocese de São Paulo e as dioceses de Botucatu, Campinas, Ribeirão Preto e São Carlos do Pinhal.

Para a formação do patrimônio das novas dioceses organizaram-se comissões de arrecadação. Na Diocese de Taubaté as doações dos monsenhores Miguel Martins da Silva e Antônio Nascimento Castro consistiram quase que inteiramente o patrimônio inicial da diocese. O Mons. Miguel Martins da Silva renunciou de toda a sua fortuna em prol da diocese, doando tudo que possuía em São Paulo e Mons. Antônio Nascimento Castro, prevendo a necessidade de uma sede episcopal, adquiriu da Igreja Nossa Senhora do Rosário o palacete que pertencera à família do Barão do Pouso Frio, doando-o à diocese.

Nesse período ainda não havia sido nomeado o primeiro bispo da diocese. Enquanto se esperava a decisão sobre quem seria o bispo, o então Administrador Apostólico nomeou em 4 de novembro de 1908, o Monsenhor Antônio Nascimento Castro, até aquele momento vigário episcopal de Taubaté, para exercer a função de Governador do Bispado com a função de organizar a Cúria.

A organização e instituição da nova Diocese de Taubaté foi concluída em 29 de abril de 1909. O Papa Pio X nomeou então o cônego Epaminondas Nunes de Ávila e Silva como Bispo Diocesano de Taubaté.

Os limites traçados para a Diocese de São Francisco das Chagas de Taubaté atingiam até o litoral paulista. No início da diocese, formavam-na todas as cidades do Vale do Paraíba Paulista, o lado paulista da Serra da Mantiqueira e da Serra do Mar e do Litoral Norte. A ela estavam ligadas as seguintes paróquias:

Posteriormente, a Diocese de Taubaté passou a ter novas paróquias: Caraguatatuba, Ubatuba, Vila Bela (Ilha Bela), Quiririm, Campos do Jordão, Roseira e Jatahy (Santa Cabeça, hoje bairro de Cachoeira Paulista).

Com o passar dos anos e o desenvolvimento econômico da região, o tamanho da diocese e o aumento do número de fiéis fizeram com que a diocese, para facilitar a administração das paróquias, desse origem às dioceses de Caraguatatuba, de Lorena e de São José dos Campos.

BisposEditar

Referências

Ligações externasEditar