Abrir menu principal

TV TEM Bauru

Emissora de televisão brasileira de Bauru, SP
(Redirecionado de TV Bauru)
TV TEM Bauru
TV Bauru Ltda.
Bauru, São Paulo
Brasil
Tipo Comercial
Canais Digital: 26 UHF
Virtual: 26 PSIP
Outros canais 24 / 524 HD (Claro TV DTH)
2 (Sky)
206 (Vivo TV)
15 / 515 HD (Claro TV Fibra)
ver mais
Analógico:
2 VHF (1960-2018)
Sede Bandeira Bauru.jpg Bauru, SP
Slogan Todo mundo cabe aqui
Rede TV TEM (Globo)
Fundador João Simonetti
Pertence a Traffic
Proprietário Stefano Hawilla
Antigo proprietário João Simonetti (1960)
Victor Costa Júnior (1960-1966)
Roberto Marinho (1966-2003)
J.Hawilla (2003-2018)
Fundação 1 de agosto de 1960 (59 anos)
Prefixo ZYB 856
Nome(s) anteriore(s) TV Bauru (1960-1984)
TV Globo Oeste Paulista (1984-1998)
TV Modelo (1998-2003)
Cobertura Cobertura - TV TEM Bauru.svg
Coord. do transmissor 22° 21' 35.6" S 49° 5' 59.5" O
Potência 4,2 kW
Agência reguladora ANATEL
Informação de licença
CDB
PDF
Página oficial redeglobo.globo.com/sp/tvtem

TV TEM Bauru é uma emissora de televisão brasileira sediada em Bauru, cidade do estado de São Paulo. Opera no canal 26 UHF digital, e é afiliada à Rede Globo. Fundada em 1960 como TV Bauru, hoje integra a TV TEM, rede de televisão do interior paulista fundada em 2003, e cobre aproximadamente 95 municípios.[1][2] Seus estúdios estão localizados no bairro Jardim Bela Vista, e sua antena de transmissão está no bairro Jardim Ouro Verde.

HistóriaEditar

AntecedentesEditar

Na década de 1950, o empresário ítalo-brasileiro João Simonetti, fundador da Bauru Rádio Clube, primeira emissora de rádio de Bauru, decide se aventurar na implantação da primeira emissora de televisão do município. Ainda durante o governo de Getúlio Vargas, Simonetti solicitou ao presidente a concessão de um canal de televisão, que lhe fora outorgada apenas no fim da década, em 1959. Ele também investiu cerca de Cr$ 7,5 milhões em equipamentos necessários para a criação da emissora, e assinou ainda um contrato com a REBRATEL de Mário Wallace Simonsen, para que fosse possível a instalação de 1000 aparelhos de televisão na cidade. Ainda em 1959, os telespectadores puderam ver a TV Bauru operando em caráter experimental pelo canal 2 VHF.[3]

TV Bauru (1960-1984)Editar

Em 1º de agosto de 1960, foi oficialmente fundada a TV Bauru, primeira emissora de televisão do interior paulista e também de um estado brasileiro (as emissoras existentes até então só haviam sido fundadas em capitais). A emissora foi responsável pela produção de vários programas de auditório, musicais, o noticiário Nosso Jornal, e até uma telenovela que era escrita e também protagonizada por Clorinda Resta. Vários profissionais das emissoras de rádio do município também migraram para o novo meio de comunicação.[3][4]

No entanto, as dificuldades para manter uma emissora de televisão com alto nível eram enormes. Os anunciantes para o canal eram poucos, e com dinheiro faltando no caixa, muitos funcionários recebiam o pagamento já depois do vencimento.[5] Todos esses fatores fizeram com que Simonetti vendesse em outubro do mesmo ano a emissora para as Organizações Victor Costa. Com a compra, houve também um aumento considerável da faixa de programação, com a adição de entalados norte-americanos e programas retransmitidos da TV Paulista, que também pertencia a OVC.[3]

Em 1966, as Organizações Victor Costa e todos os seus meios de comunicação foram adquiridos por Roberto Marinho e as Organizações Globo, e a TV Bauru passou a ser uma emissora própria da Rede Globo, juntamente com a TV Paulista, que em 1967 passou a se chamar TV Globo São Paulo. Sob a direção de Arceno Athas, as produções locais vão sendo aos poucos extintas, e apenas o jornalismo vai sendo priorizado. Destacam-se nessa época os programas Globo Interior e Globo Agora à Noite, que eram produzidos e também apresentados por jornalistas como Roberto Purini, Edson Fagnani, João Dias Antunes e Fred Calmon. No entanto, esses programas foram sendo substituídos gradativamente pelo Jornal Nacional, transmitido via satélite.

Em 1971, com o surgimento do Hoje, a emissora cria uma versão local do telejornal apresentado por Alonso Padilha, porém, esta é gradativamente substituída pela versão paulistana apresentada por Marília Gabriela. A emissora chega ao fim da década de 1970 apenas com uma equipe de reportagem composta pelo repórter Jair Acetuno, os cinegrafistas Moacir Mendonça e Walcir Coelho, e o iluminador Carlos Corrente, que juntos produziam apenas matérias exibidas durante o Jornal das Sete, produzido em São Paulo.[4] Em 28 de fevereiro de 1980, a emissora passa exibir um bloco local de 2 minutos do JS, que em 3 de janeiro de 1983 foi substituído pelo SPTV.[3]

TV Globo Oeste Paulista (1984-1998)Editar

 
Logotipo da emissora entre 1984 e 1998

O panorama se mantém o mesmo até 1984, quando a Central Globo de Afiliadas e Expansão surge para aperfeiçoar e revitalizar todo o jornalismo das emissoras próprias e afiliadas da Globo. Nesse ínterim, em 24 de outubro de 1984, a TV Bauru então passa a se chamar TV Globo Oeste Paulista. São investidos 2,5 milhões de dólares na compra de novos equipamentos e a criação de sucursais nos municípios de São José do Rio Preto, Marília e Presidente Prudente, e três meses depois, também é criada uma sucursal em Araçatuba, passando a cobrir 260 municípios do interior do estado. O número de equipes de jornalismo passa a ser de 11, e o SPTV que até então ocupava apenas um pequeno bloco do telejornal gerado em São Paulo ganha duas edições, às 12h45 e às 19h45.[3]

Em 21 de abril de 1986, as sucursais da emissora em Araçatuba e São José do Rio Preto são desvinculadas, e cria-se então a TV Globo Noroeste Paulista, seguindo também o mesmo padrão da emissora de Bauru.[4] Em 9 de julho de 1990, as emissoras da Rede Globo em São Paulo substituem o SPTV pelo SP Já, sendo a 1ª edição retransmitida da TV Globo São Paulo, e a segunda produzida localmente pela TV Globo Oeste Paulista.

Em 11 de abril de 1994, com a volta da exibição do Jornal Hoje para o estado de São Paulo, a primeira edição do SP Já passa a ser também produzida pela TV Globo Oeste Paulista. Também é nesse ano, que com o surgimento da TV Fronteira Paulista, em 1º de junho, a emissora deixa cobrir a Mesorregião de Presidente Prudente, restringindo sua cobertura, que em 1984 era de 260 municípios à 113 municípios. Em 1996, o SP Já é extinto e a emissora volta a produzir o SPTV.

TV Modelo (1998-2003)Editar

 
Logotipo da emissora entre 1998 e 2003

Já no fim da década de 1990, a Central Globo de Afiliadas e Expansão lança o "Projeto Regional do Futuro", que visava dar uma autonomia maior as emissoras próprias da Rede Globo no interior paulista e também a TV Globo Juiz de Fora em Minas Gerais, bem como a expansão da programação local e a interação com a comunidade local.[6] Com isso, a TV Globo Oeste Paulista passa a se chamar TV Modelo, e surgem também novos programas, como o Modelo Esporte, exibido antes da versão paulistana do Globo Esporte; o Comunidade no Ar, boletim exibido durante a programação que mostrava ações de entidades filantrópicas, ONG's, entre outros; Interação, revista eletrônica exibida aos sábados, e o Nosso Campo, programa sobre o agronegócio local, que era produzido junto com a TV Fronteira, TV Progresso de São José do Rio Preto e a TV Aliança Paulista de Sorocaba. A emissora também exibia o Terra da Gente, que era produzido pela EPTV Campinas.[3]

Também foram implementadas campanhas e projetos regionais como a "Campanha do Agasalho", "Semana da Faxina", "Música na Praça", "Recreança", além do "Ação Global", feito em parceria com o SESI, além de eventos esportivos como a Copa TV Modelo de Futsal e a Copa TV Modelo de Vôlei de Praia. Todos esses eventos visavam aproximar ainda mais a identidade da emissora e também das outras com a região onde se estabeleciam, e boa parte deles ocorre até hoje. Essa regionalização também afetou o jornalismo da emissora, quando o SPTV, a partir da remodelação do padrão de jornalismo local da Globo, passou a ter uma linha editorial mais próxima da comunidade.[3]

Em 2002, as Organizações Globo contraíram uma enorme dívida resultante dos investimentos nos canais Globosat e nas empresas de TV por assinatura, que ultrapassava a casa dos R$ 2 bilhões em outubro daquele ano. Como forma de aliviar os gastos, a Rede Globo vendeu suas ações em 15 emissoras onde tinha participação acionária ou estavam em sua propriedade. Dessa forma, 90% das ações da TV Modelo, juntamente com outros 90% da TV Progresso de São José do Rio Preto e da TV Aliança Paulista de Sorocaba foram vendidos para o empresário José Hawilla (proprietário da Traffic, empresa de marketing esportivo), por um valor entre 120 a 180 milhões de reais.[7][3]

2003 - presenteEditar

Em 7 de maio de 2003, já com a compra aprovada pelo CADE e o Ministério das Comunicações, as emissoras de TV de Bauru, Sorocaba e São José do Rio Preto passaram a formar a TV TEM (sigla de Traffic Entertainment and Marketing), que juntamente com a emissora de Itapetininga, fundada no mesmo dia, passava a cobrir 318 municípios do interior paulista, totalizando 49% do estado de São Paulo. A TV Modelo então passa a se chamar TV TEM Bauru, e os programas exibidos até então são extintos e substituídos pelo Bom Dia Cidade, sucessor do bloco local do Bom Dia São Paulo, e o TEM Notícias, sucessor do SPTV. Os demais programas passam a ser produzidos pela TV TEM Sorocaba, matriz da rede.[4]

Sinal digitalEditar

Canal virtual Canal digital Resolução de tela Programação
26.1 26 UHF 1080i Programação principal da TV TEM Bauru / Globo

A emissora inaugurou o seu sinal digital em 23 de julho de 2012, em uma cerimônia realizada em sua sede em Bauru.[8] O presidente da TV TEM, J.Hawilla, e a diretora da Central Globo de Afiliadas, Cláudia Quaresma, apertaram simbolicamente um botão que acionava o sinal digital da emissora, pelo canal 26 UHF.[9] Os telejornais da emissora porém, passaram a ser exibidos em alta definição apenas em 2 de junho de 2015, com a exceção dos programas retransmitidos da TV TEM Sorocaba já exibidos no formato.[10]

Transição para o sinal digital

Com base no decreto federal de transição das emissoras de TV brasileiras do sinal analógico para o digital, a TV TEM Bauru, bem como as outras emissoras de Bauru, cessou suas transmissões pelo canal 02 VHF em 28 de março de 2018, seguindo o cronograma oficial da ANATEL.[11]

ProgramasEditar

Além de retransmitir a programação nacional da Rede Globo, a TV TEM produz e exibe os seguintes programas:

  • Bom Dia Cidade: Telejornal, com Fernanda Ubaid;
  • TEM Notícias 1.ª edição: Telejornal, com Evandro Cini;
  • TEM Notícias 2.ª edição: Telejornal, com Giuliano Tamura;
  • TEM Informa: Boletim informativo, durante a programação
Retransmitidos da TV TEM Sorocaba
Retransmitidos da TV Globo São Paulo

RetransmissorasEditar

Lista de retransmissoras

Referências

  1. «Confira quais são as cidades que recebem o sinal digital da TV TEM». TV TEM - Rede Globo. 29 de novembro de 2018. Consultado em 26 de dezembro de 2018 
  2. «TV TEM amplia o sinal digital para a região de Marília, SP». TV TEM Digital - Rede Globo. 11 de março de 2015. Consultado em 26 de dezembro de 2018 
  3. a b c d e f g h Fernandes da Silva, Adriana (2005). «Telejornalismo Regional: Identidade e Representações» (PDF). UNESP. Consultado em 27 de junho de 2015. Arquivado do original (PDF) em 29 de junho de 2015 
  4. a b c d Soler, Mário Novelino Alonso (Agosto de 2005). «Quem Pauta a Pauta: Rotinas Produtivas do TEM Notícias 1ª edição» (PDF). UNESP. Consultado em 7 de setembro de 2015 
  5. «O pioneiro João Simonetti». Vivendo Bauru. Consultado em 7 de setembro de 2015 
  6. Oliveira, Wagner (19 de outubro de 1998). «Globo dá mais autonomia a TVs regionais». Folha Web. Consultado em 7 de setembro de 2015 
  7. «Crise financeira afeta as Organizações Globo». Paraná Online. 12 de outubro de 2002. Consultado em 7 de setembro de 2015 
  8. «TV TEM estreia sinal digital para Bauru nesta segunda-feira (23)». TV TEM. 19 de julho de 2012. Consultado em 7 de setembro de 2015 
  9. Redação (24 de julho de 2012). «Evento inaugura o sinal digital em alta definição em Bauru, SP». G1. Consultado em 7 de setembro de 2015 
  10. «Sinal da TV TEM começa a ser exibido em alta definição». globo.tv. 2 de junho de 2015. Consultado em 7 de setembro de 2015 
  11. Nascimento, Luciano (28 de março de 2018). «Sinal analógico de TV será desligado hoje em cidades do Maranhão e de São Paulo». Agência Brasil. Consultado em 29 de março de 2018 

Ver tambémEditar

BibliografiaEditar

  • Cava, Márcio Antônio Blanco (2001). Um Modelo de Televisão. Como nasceu a TV Modelo, primeira emissora do interior da América Latina. Bauru: EDUSC e IMESP. 148 páginas. ISBN 8574601349 

Ligações externasEditar