Abrir menu principal

Wikipédia:Esplanada/propostas/Proibição de reatribuição de estatutos retirados por pedido (27dez2018)

Bom dia, como estamos vendo com o atual mutirão para novos administradores, havendo escassez eles podem ser substituídos rapidamente, o mesmo poder-se-ia dizer dos burocratas. Não faz o menor sentido reatribuir o estatuto para alguém que pediu sua retirada e depois voltou atrás. Isso também evitaria diversas polêmicas que conhecemos. Portanto, proponho:

Proibir a reatribuição de estatutos (flags) adquiridos por votação após retirada do mesmo por solicitação do usuário detentor do estatuto.

Não irei propor um texto concreto, mas fiquem a vontade para propô-lo.--Felipe da Fonseca (discussão) 10h13min de 27 de dezembro de 2018 (UTC)

  • Não entendo porque não faz sentido reatribuir o estatuto, a pessoa pode ter um problema momentâneo que força uma parada na Wikipédia e depois de alguns dias ter o problema resolvido e voltar, precisa ser punida por isso? que polêmicas? diffs sff.Jo Loribd 11h07min de 27 de dezembro de 2018 (UTC)
Foi o que pensei também.--PauloMSimoes (discussão) 12h02min de 27 de dezembro de 2018 (UTC)
Idem. De qual polêmica estamos falando? José Luiz disc 12h14min de 27 de dezembro de 2018 (UTC)
Não é punição, há alguma punição aqui? Se a pessoas quiser, pode pedir novamente o estatuto. Visa-se impedir principalmente que a situação da comunidade mude e que o adm/burocrata retorne dos mortes em uma nova comunidade. Não vou colar os difs, se vcs não acompanharam, julguem sem as polêmicas pois o argumento não depende delas. --Felipe da Fonseca (discussão) 12h28min de 27 de dezembro de 2018 (UTC)

Symbol support vote.svg Concordo, se se solicita a remoção do estatuto está-se a prescindir das ferramentas, tanto por motivos pessoais como por conveniência face a determinada ocorrência no projecto.Tornou-se típico que administradores bloqueados, ou que infringem dezenas, repito, dezenas de vezes políticas oficiais do projecto e que saem incólumes dos conflitos, prescindirem das ferramentas antes de a poeira baixar, e solicitarem a sua retribuição semanas mais tarde. Não, não faz o mais mínimo sentido. Shgür Datsügen (discussão) 13h12min de 27 de dezembro de 2018 (UTC)

[necessário esclarecer] Está tudo confuso nesta proposta. O que exatamente se propõe aqui? Retribuir o estatuto por solicitação do editor ou não? Claro que um pedido de retribuição de estatuto deve passar por avaliação da comunidade, não?. Cada caso é um caso. Generalizar os casos pode significar punir os bem intencionados, ou privilegiar os mal intencionados.--PauloMSimoes (discussão) 14h16min de 27 de dezembro de 2018 (UTC)

A proposta está clara. E não, não é preciso... que eu me lembre foram três casos em que os estatutos foram restituídos sem passar pela comunidade nos últimos dois anos, um de administrador e dois de burocratas, o último foi um pedido de Millennium bug: Wikipédia:Pedidos a burocratas#Atribuição do estatuto de burocrata anteriormente renunciado.--Felipe da Fonseca (discussão) 14h23min de 27 de dezembro de 2018 (UTC)
Qual o problema em um editor que solicitou a remoção querer voltar ? Ele pode ter se decepcionado em algum momento e não quer continuar. Depois, vendo novas perspectivas, pode desejar voltar e, se o seu histórico permitir - avaliado em um pedido, não há problema algum. Simples assim, como ocorreu em Wikipédia:Pedidos/Revisão de ações administrativas/Outro/Flag (19jun2017). Sou contra qualquer generalização, proibindo editores bem-intencionados.--PauloMSimoes (discussão) 14h47min de 27 de dezembro de 2018 (UTC)
PauloMSimoes Problema nenhum, pode voltar quando quiser, a comunidade é que também deve poder opinar a respeito. Basta ser aprovado uma vez e pronto o estatuto está sempre disponível para quando a pessoa quiser usá-lo? Com a regra vigente basicamente o estatuto é vitalício sem precisar de ser usado: é possível ser sysop alguns anos, depois a pessoa cansa-se e renuncia, passados 2 ou 3 anos apetece-lhe voltar, usa o estatuto mais 1 ou 2 anos, volta a renunciar, para depois voltar quando quiser, etc. e a comunidade sem ser consultada? Os estatutos não são propriedade de ninguém. Dux Æ 21h50min de 27 de dezembro de 2018 (UTC)
Dux, veja que escrevi "avaliado em um pedido". A regra atual já contempla isso, quando afirma Citação: Se qualquer editor contestar essa devolução, um novo pedido de aprovação deverá ser iniciado. (grifo meu) Esse pequeno tópico é que eventualmente está sendo desrespeitado.--PauloMSimoes (discussão) 21h57min de 27 de dezembro de 2018 (UTC)
Dux Praxis concordo com a resposta. --Felipe da Fonseca (discussão) 10h58min de 28 de dezembro de 2018 (UTC)
PauloMSimoes Segundo vi nas reatribuições ocorridas os burocratas interpretam essa pequeno (mas importante) trecho como tendo de ser uma contestação fundamentada, ora como a validade da fundamentação é avaliada pelos próprios burocratas isso implica que a regra não tem aplicação e qualquer editor pode querer o estatuto de volta quando bem lhe apetecer. A prova é que já foram devolvidos estatutos após oposição expressa de outros editores (que não valeram de nada). Dux Æ 22h05min de 27 de dezembro de 2018 (UTC)
A regra em teoria até tinha alguma lógica, basicamente dava oportunidade à comunidade de se pronunciar (embora sem grande publicidade… o que já era problemático) sobre a devolução e se não houvesse opiniões contrárias (porque a devolução seria pacífica e consensual) permitia a devolução do estatuto sem novo de pedido de aprovação (que seria desnecessário dada a unanimidade verificada). Contudo a prática seguida é que as devoluções são deferidas independentemente da oposição de outros editores, passando os utilizadores a poderem dispor vitaliciamente dos estatutos como se fosse um bem de que sejam proprietários. Ou seja a regra vigente não serve. Dux Æ 22h27min de 27 de dezembro de 2018 (UTC)

Symbol declined.svg Discordo da proposta. WP:POL já permite a requisição sem consulta à comunidade em caso de absenteísmo. Assim, vejo que o que poderia ser feito é alterar a política incluindo que renunciou. Por outro lado poderia ser incluída a obrigatoriedade de anunciar o pedido de retribuição com espera de três a quatro dias para decisão, a fim de que quem fosse contra manifestasse. FábioJr de Souza msg 15h40min de 27 de dezembro de 2018 (UTC)

Symbol declined.svg Discordo Per JoLorib e PauloMSimoes: Citação: Qual o problema em um editor que solicitou a remoção querer voltar ? Ele pode ter se decepcionado em algum momento e não quer continuar. Depois, vendo novas perspectivas, pode desejar voltar Parece-me que a situação é preferível à situação em que as pessoas ficam eternamente agarradas aos estatutos sem nunca os usar, só para não os perderem. JMagalhães (discussão) 16h26min de 27 de dezembro de 2018 (UTC)

Symbol declined.svg Discordo. Haveria um retrocesso enorme com essa proposta. Ao invés de nos aproximarmos da Wikipédia em Inglês, que facilita a reatribuição dos estatutos aos voluntários que decidem voltar, nós complicaríamos ainda mais a atuação de voluntários em um projeto muito menor, com mais carências. Um pedido de aprovação bem sucedido só deixa de valer se outro pedido de remoção é aprovado, ou com bloqueio nos casos dos burocratas e eliminadores. Érico (disc.) 17h33min de 27 de dezembro de 2018 (UTC)

Symbol declined.svg Discordo, e penso que o Érico resumiu tudo o que se poderia dizer a respeito. Não mudo uma vírgula. André Koehne (discussão) 18h04min de 27 de dezembro de 2018 (UTC)

Symbol declined.svg Discordo, assim como os demais já falaram, isso iria desmotivar os usuários a quererem a flag de volta, independente do que fez com que desistissem dela. Porém, concordo a proposta do Fábio Jr., de dar um tempo de espera antes da reatribuição, de forma a ver se não há nenhum conflito de interesses com tal atitude. Mr. Fulano! Fale 18h15min de 27 de dezembro de 2018 (UTC)

Symbol declined.svg Discordo da proposta em si, contudo pessoalmente Symbol support vote.svg eu creio que deveria haver um pequeno asterisco, pois realmente eu considero que um sysop que peça que lhe removam o estatuto em 2018 não deva ter, pelas regras, a oportunidade de pedir o mesmo estatuto em 2028, ou seja, 10 anos depois. O que quero dizer com isto? Que devia haver um período limite dentro do qual o usuário poderia pedir a re-atribuição, e passado desse limite, deveria ir a votação; esse limite poderia ser 2 anos, ou 3, ou 5, ou os que a comunidade achar melhor. Assim, pode-se prevenir o regresso de usuários que já estão fora da comunidade há anos a fio, e que, no pior dos cenários, querem regressar por motivos pouco honráveis. Em 10 anos (por exemplo) muita coisa muda, pelo que este tipo de re-atribuição deva ser impedido. Não sei se alguma vez aconteceu, mas é algo que não faz mal ficar escrito, pois mais vale pecar por excesso do que por falta. Alguém tem alguma objecção sobre esta proposta que eu dei? Luís Almeida "Tuga1143 20h41min de 27 de dezembro de 2018 (UTC)

Assim como existem administradores bem intencionados existem outros mal intencionados, que não são poucos. Qualquer pedido de reatribuição deveria ser sujeito a um novo pedido de aprovação, independentemente da causa que os tenha levado a perder ou renunciar das ferramentas. Se os pedidos de remoção não funcionam, o que se dizer do facto de os administradores nunca mais estarem sujeitos a passar pelo crivo da comunidade... Vamos bem, vamos... Shgür Datsügen (discussão) 21h23min de 27 de dezembro de 2018 (UTC)
Shgür Datsügen, se houvesse uma proposta sobre passar a ser obrigatório, anualmente, todos os administradores abrirem um "pedido de opinião" para que a comunidade delibere se mantém a confiança ou não sobre o administrador, eu seria totalmente a favor; como deves saber, à excepção deste ano de 2018, eu tenho feito sempre isso, e tenho a intenção de o continuar a fazer. Luís Almeida "Tuga1143 22h57min de 27 de dezembro de 2018 (UTC)
Totalmente de acordo. Mas antes disso seria de elementar justiça que os pedidos de remoção fossem dos mais eficientes e implacáveis processos de decisão do projecto, e não são. Muito pelo contrário, alguns até dão aso a que violações flagrantes se voltem a repetir. É que nem os processos de remoção funcionam como tão-pouco os stewards (que infelizmente só existem para se gabarem que o são) porque têm a obrigatoriedade de remover de forma imediata e intransigente os estatutos a administradores que, por exemplo, são contumazes em se envolverem em guerras administrativas e fazer mau uso das ferramentas, e não removem. Seria de elementar justiça, mas está mais do que visto que tudo isto está bom é para os cobardes. Shgür Datsügen (discussão) 23h20min de 27 de dezembro de 2018 (UTC)
Tuga1143 concordo com a obrigatoriedade de haver reavaliação periódica, talvez a cada dois anos... ou mesmo anual. Mas... esta proposta não deixa de ser uma passo significativo para isso.--Felipe da Fonseca (discussão) 10h56min de 28 de dezembro de 2018 (UTC)

Symbol support vote.svg Concordo Afinal qual o problema de solicitar novo voto de confiança à comunidade? Uma votação de uma semana passa rápido e é suficiente para aferir se a comunidade mantém a confiança no editor. Mas mais grave é o alerta do Tuga1143, a regra vigente presta-se a abusos e perigos. Abuso porque um editor abdicar de um estatuto que lhe foi confiado pela comunidade e depois querê-lo de volta passados vários anos é um tremendo desrespeito pela comunidade. Assim parece que o estatuto é propriedade do administrador, uma vez eleito ele pode dispor dele quando quiser, com renuncias e reatribuições quando lhe apetecer. Perigo porque quem é que garante que uma conta de um sysop que simplesmente desistiu do projecto e renunciou ao estatuto ou perdeu-o por absenteísmo não foi comprometida, passando a ser usada por outra pessoa que nunca foi a votos? Dux Æ 21h39min de 27 de dezembro de 2018 (UTC)

Symbol comment vote.svg Comentário É bom lembrar o que se recomenda em WP:POLA#Remoção automática por absenteísmo: Citação: Terá o estatuto removido de maneira automática todo administrador que ficar afastado da Wikipédia por um período de seis meses. Após a remoção do acesso, o administrador deve ser notificado em sua página de discussão e por e-mail, se possível. O administrador que teve o seu estatuto removido por inatividade poderá, a qualquer momento, solicitá-lo novamente aos burocratas. Se qualquer editor contestar essa devolução, um novo pedido de aprovação deverá ser iniciado. (grifo meu)

Agora, Symbol question.svg pergunto : "ficar afastado da Wikipédia por seis meses" e depois resolver voltar e pedir novamente o estatuto é mais ou menos grave do que pedir a remoção por um motivo justo e compreensível - ou mesmo particular e não detalhado, pois não se está obrigado a externar o motivo, se não o desejar - continuar a participar ativamente do projeto e depois de seis meses ou um ano por exemplo, pedir a restituição do estatuto?--PauloMSimoes (discussão) 21h49min de 27 de dezembro de 2018 (UTC)

É igual, a comunidade deve ser consultada. Os estatutos não passam a ser propriedade do editor, para ele usar quando quiser. Dux Æ 21h54min de 27 de dezembro de 2018 (UTC)
Symbol question.svg Pergunto qual o sentido de estar a ter trabalho para remover estatutos por absenteísmo se depois o utilizador pode voltar quando quiser e tem o estatuto reatribuído? Dux Æ 22h01min de 27 de dezembro de 2018 (UTC)
Se a comunidade deve ser sempre consultada, porque não passam todos os admins a ter que fazer um "pedido de opinião" anualmente? Luís Almeida "Tuga1143 22h59min de 27 de dezembro de 2018 (UTC)
@Tuga1143: Certamente seria o ideal, mas não sei se era exequível tantos pedidos todos os anos. Para mais com a tendência do corpo administrativo para crescer, como se tem visto. Dux Æ 07h14min de 28 de dezembro de 2018 (UTC)
@Tuga1143: concordo mais uma vez. Para resolver o problema acima bastaria um pedido bianual. --Felipe da Fonseca (discussão) 11h02min de 28 de dezembro de 2018 (UTC)

Propostas de texto alternativoEditar

Discussões preliminaresEditar

  Comentário O que faz sentido é o que os burocratas de um modo geral já fazem e a meu ver deve estar escrito como regra. Num pedido de remoção pelo próprio (renúncia) deixar o pedido em espera por 24 horas para o editor pensar melhor. E num editor que esteja prestes a cumprir 6 meses de ausência notifica-lo por PDU/e-mail para aviso. Dux Æ 21h58min de 27 de dezembro de 2018 (UTC)

Sempre apoiei uma solução de compromisso, que pudesse definir alguns pontos como a questão do período possível para a reatribuição após a remoção do estatuto. No entanto, mesmo tendo ciência que em uma votação provavelmente a maioria dos utilizadores votariam por permitir a reatribuição sem pedido, os que são contra a ideia, como você, sempre obstruíram um texto alternativo. Dito isto, talvez possamos discutir nesta página um texto que agrade a maioria das pessoas (não é preciso ser unânime) e que possa ser usado para administradores, burocratas e eliminadores. Érico (disc.) 00h57min de 28 de dezembro de 2018 (UTC)
Talvez seja possível aprovar uma alteração dizendo:
"Aqueles cujo estatuto foi removido por absenteísmo ou renúncia poderão reavê-los efetuando pedido aos burocratas.
Nesse caso, o pedido será divulgado na esplanada, aguardando-se dois dias para eventual manifestação de discordância. Decorrido o prazo sem contrariedade o estatuto poderá ser reatribuído.
Nos casos de absenteísmo ou renúncia que tenham ocorrido há mais de 12 meses a requisição do estatuto deverá seguir as regras gerais de obtenção do estatuto."
@Dux Praxis: O que achas? É só um texto inicial para deixar o debate mais concreto....Talvez não seja tudo, mas talvez seja um meio-termo aceitável.FábioJr de Souza msg 02h23min de 28 de dezembro de 2018 (UTC)
Discordo bastante. Por qual motivo uma, ou duas, ou três discordâncias são capazes de anular uma decisão comunitária expressa em um pedido de aprovação? Não faz sentido. Érico (disc.) 03h11min de 28 de dezembro de 2018 (UTC)
O motivo é que a política diz isso quanto ao absenteísmo. Só foi extendido quanto à renúncia.FábioJr de Souza msg 03h45min de 28 de dezembro de 2018 (UTC)
Érico Não tenho uma posição totalmente fechada sobre o assunto, somente acho que a regra vigente se presta a abusos e perigos, e deve ser alterada. Não estou certo que haja maioria favorável a um estatuto sysop self-service, pelo contrário, numa votação com mass message não acredito nisso. Mas sim, talvez o melhor mesmo seja uma solução de compromisso que evite longas discussões e votações desnecessárias.
Fabiojrsouza Acho 1 ano um período equilibrado. Só acho que tem de ficar claro que basta qualquer oposição (de um editor com direito a voto, por exemplo) para impedir a reatribuição sem novo pedido de aprovação, caso contrário a consulta na esplanada por 48 horas será pura perda de tempo e mais vale retirar essa regra obsoleta. É que eu não tenho nada contra a reatribuição até um certo período (12 meses por exemplo) se for um caso pacífico, consensual, em que ninguém se oponha, só isso é que torna desnecessária nova votação, algo do género: um administrador consagrado com bom currículo que queira voltar, não só não carece de novo voto como ainda se deve agradecer a volta, por isso se ninguém se opuser a reatribuição deve ser imediata após as 48h de consulta na esplanada (no fundo era esse o escopo da regra vigente). Mas nunca para casos problemáticos, com diversa oposição à reatribuição, pois isso somente serve para fugir à consulta da comunidade por medo do resultado. Dux Æ 04h14min de 28 de dezembro de 2018 (UTC)

JMagalhães vc ainda fará novas propostas?--Felipe da Fonseca (discussão) 13h22min de 2 de janeiro de 2019 (UTC)

@Felipe da Fonseca: Sim, foi só a pausa de ano novo. JMagalhães (discussão) 13h50min de 3 de janeiro de 2019 (UTC)

Podemos fechar esta proposta com suas diversas subpropostas?--Felipe da Fonseca (discussão) 03h54min de 10 de janeiro de 2019 (UTC)

Proposta 1Editar

Proponho que o seguinte texto seja adicionado em WP:POLA, WP:POLB e WP:POLE, com as devidas mudanças de nomenclatura.

Restauro das ferramentas administrativas

Os ex-administradores podem solicitar o restauro de suas ferramentas administrativas se elas foram removidas por inatividade ou voluntariamente. O estatuto é atribuído a menos que uma destas situações se aplique:

  • O utilizador renunciou ao estatuto durante alguma DB ou pedido de remoção;
  • O utilizador não fez nenhuma edição nos últimos dois anos;
  • O utilizador não fez nenhuma ação administrativa nos últimos quatro anos;
  • A autenticidade da conta não pode ser comprovada. Os burocratas podem se recusar a reatribuir o estatuto se não estiverem convencidos de que a conta é controlada pela mesma pessoa que a utilizou anteriormente.
Procedimento

Ex-administradores podem solicitar que seu estatuto seja restaurado por um burocrata fazendo um pedido em WP:PAB. Haverá pelo menos um período de espera de 24 horas para a avaliação da validade do pedido.

Érico (disc.) 03h33min de 28 de dezembro de 2018 (UTC)

  Discordo quanto ao prazo de dois anos sem editar ( penso que pode ser um ano) e quanto à previsão de quatro anos sem ações administrativas (poderia ser incluído no prazo de edições). Ou seja, sugiro que o prazo seja de um ano sem edições.FábioJr de Souza msg 03h45min de 28 de dezembro de 2018 (UTC)

São prazos diferentes. Não ter ações administrativas significa que, quando era administrador, não havia uso das ferramentas. Não editar por muito tempo significa que pode desconhecer a nova realidade do site. Quanto os prazos, não são fixos. Érico (disc.) 03h47min de 28 de dezembro de 2018 (UTC)

  Totalmente Contra Isso é deixar ainda pior o que já é mau: 2 anos sem editar é exagerado, 4 anos sem acções administrativas é brutal, e precisamente porque os burocratas não podem saber com segurança se a conta foi comprometida é que não pode haver longos períodos entre a remoção e a reatribuição. Com a agravante de remover da regra a consulta à comunidade, deixa de estar prevista a oposição de editores à reatribuição. Fica pior do que já está. Dux Æ 04h14min de 28 de dezembro de 2018 (UTC)

Ou seja, os estatutos continuarão sendo atribuídos pois a atual política permite uma interpretação neste sentido. Ótima ideia a de vocês de continuar obstruindo um texto consensual sobre o assunto. Não conseguirão nenhum avanço. Termino minha participação nesta que será mais uma proposta rejeitada. Érico (disc.) 04h17min de 28 de dezembro de 2018 (UTC)
Érico A sua proposta não prevê qualquer prazo entre a remoção e a reatribuição. Não sei se você mesmo percebeu o alcance do proposto acima: seria legalizar expressamente que um editor renunciasse ao estatuto, entretanto editasse intermitentemente e fizesse um ou outro bloqueio de IP como reversor, e passados uns bons 10 anos, podia pedir as ferramentas de administrador de volta. É isso que você propõe? Dux Æ 04h26min de 28 de dezembro de 2018 (UTC)
E qual seria o problema? Os prazos foram estipulados para evitar que alguém desatualizado retome as ferramentas. Érico (disc.) 04h28min de 28 de dezembro de 2018 (UTC)
O problema é que a comunidade não tem de levar sem poder opinar com um ex-administrador passados 10 anos quando muito provavelmente a maioria dos que votaram nele nem estão activos, e ninguém mais o conhece. Seria uma espécie de sysop-paraquedista. Os estatutos não existem para serem eternos, mas para serem usados em favor do projecto. Dux Æ 04h35min de 28 de dezembro de 2018 (UTC)
Ser administrador não é participar de um concurso de popularidade. Um administrador não precisa "ser conhecido": precisa ser útil, saber do que faz. E ninguém aqui está dizendo que os estatutos não serão usados a favor do projeto. Minha proposta busca exatamente isso, pois facilita que voluntários tenham acesso a eles. Ademais, você não "discordou totalmente" por causa desse prazo, mas porque apoia a ideia de que dois usuários podem invalidar uma decisão comunitária. E, aí, chegamos a um impasse, pois nunca apoiaria essa bizarra ideia. É uma violação total da soberania da comunidade. Érico (disc.) 04h37min de 28 de dezembro de 2018 (UTC)
A possibilidade de oposição já existe na regra vigente para o regresso após absenteísmo. E não está lá que precisa de ser fundamentada desta ou daquela forma: Citação: O administrador que teve o seu estatuto removido por inatividade poderá, a qualquer momento, solicitá-lo novamente aos burocratas. Se qualquer editor contestar essa devolução, um novo pedido de aprovação deverá ser iniciado. (sublinhado meu). E não sem quem nem como decidiu instituir a reatribuição livre para as remoções por renúncia, sem consulta da comunidade. Isso sim é um problema, e bem grave. Dux Æ 05h07min de 28 de dezembro de 2018 (UTC)

  Discordo Érico, obrigado pela proposta alternativa para tentar alcançar consenso. Antes de comentar os motivos do porque sou contra, uma dúvida: trata-se de edições em qualquer domínio, certo? Não faz sentido exigir edições no domínio principal para ferramentas de administração. Sou contra porque: 1) muitas pessoas podem vir e fazer uma ou duas ações administrativas só para manter a ferramenta, isso deve ser inibido. Se não participa ativamente, deve pedir remoçar da ferramenta; 2) não vejo porque não requisitar sempre (abstenismo e/ou pedido de remoção) reavaliação da comunidade. Sou contra a vitalicidade da ferramenta e concordo com o Tuga1143 de que deveria haver reavaliação periódica, talvez bianual. Caminhando neste sentido, qual o problema de se requisitar retirada da ferramenta e depois solicitá-la novamente junto à comunidade? É claro que há um medo da comunidade não reatribuir o estatuto... de fato é um perigo, mas... e dai?--Felipe da Fonseca (discussão) 11h28min de 28 de dezembro de 2018 (UTC)


  Comentário Esta página de discussão está a ficar uma confusão, em parte porque muitos editores confundem as próprias regras vigentes. Vamos lá esclarecer. Para começar, é preciso separar claramente as situações em que a remoção foi voluntária e a pessoa continuou a editar normalmente, de situações em que a remoção de ferramentas se deveu a inatividade/absentismo (remoção automática):

  1. Nos casos de remoção voluntária e em que o editor continuou a editar normalmente não existe nenhuma regra que impeça a reatribuição do estatuto. A reatribuição é normal em qualquer projeto e, como se vê por esta página, a maior parte da comunidade discorda veemente da instauração de limitações nestes casos.
  2. Nos casos de remoção automática por inatividade/absentismo já existem regras: Citação: POLA escreveu: «Terá o estatuto removido de maneira automática todo administrador que ficar afastado da Wikipédia por um período de seis meses. ... O administrador que teve o seu estatuto removido por inatividade poderá, a qualquer momento, solicitá-lo novamente aos burocratas. Se qualquer editor contestar essa devolução, um novo pedido de aprovação deverá ser iniciado.»
  3. O argumento do risco de hacking de contas inativas ou do desconhecimento de novas regras de pessoas que regressam de períodos de inatividade é certamente válido. Mas isso só se aplica aos casos de remoção por absentismo.
  4. A segunda linha da proposta do Érico aumenta o período de absentismo de seis meses para 2/4 anos. Pode-se discordar deste aumento (eu discordo), mas não se pode discordar da implementação desse período porque o período de seis meses já está nas regras.
  5. Há um loophole nas regras que deve ser tapado: os casos em que a pessoa pede voluntariamente a remoção, mas depois fica inativa durante anos, o que levaria à perda automática por absentismo. Estes casos devem ser equiparados à remoção por absentismo, já que os mesmos problemas se colocam. JMagalhães (discussão) 12h55min de 28 de dezembro de 2018 (UTC)
JMagalhães, mas achas que "O administrador que teve o seu estatuto removido por inatividade poderá, a qualquer momento, pedi-lo de volta"? Achas que não devia haver um limite temporal para este tipo de pedido? Luís Almeida "Tuga1143 14h18min de 28 de dezembro de 2018 (UTC)
No caso de remoção automática por inatividade sim, concordo. Como escrevi, foram aqui apresentados vários argumentos pertinentes para que isso aconteça: risco de hacking/roubo de identidade e o óbvio desconhecimento das alterações nas regras por parte de quem regressa ao fim de 3, 4, 5 anos sem editar. Mas esses argumentos são apenas válidos para editores inativos, não para quem pediu voluntariamente a remoção e continuou a editar normalmente. JMagalhães (discussão) 14h30min de 28 de dezembro de 2018 (UTC)
Citação: JMagalhães escreveu: «Nos casos de remoção voluntária e em que o editor continuou a editar normalmente não existe nenhuma regra que impeça a reatribuição do estatuto.» É precisamente o contrário, a regra geral é quem quer ter acesso a ferramentas criar um pedido de aprovação, há uma excepção nas regras sobre inatividade; não há nenhuma excepção prevista para remoção voluntária, logo aplica-se a regra geral. A reatribuição do estatuto de administrador sem consulta da comunidade após remoção voluntária não está prevista na WP:Política de administradores, portanto actualmente as reatribuições não estão embasadas nas regras vigentes. Urge disciplinar, criar regras claras sobre as reatribuições. Até lá qualquer editor poderá impugnar novas reatribuições fora das regras criando um pedido de remoção (desnomeação) sobre o visado (já que as RAA são ineficientes) e mesmo assim há benefício ilegítimo (num pedido de aprovação são precisos 75% votos e num de remoção bastam 50%+1) mas ao menos a comunidade é consultada. Dux Æ 16h35min de 28 de dezembro de 2018 (UTC)
1) As pessoas a quem é re-atribuído o estatuto já foram legitimadas num pedido de aprovação à comunidade. 2) Não tem que haver "exceções" para coisas que não são sequer proibidas. Esses argumentos falaciosos já foram imensamente rejeitados pela comunidade, até nesta página. Continuar a insistir em proibir reatribuições não vai a lado nenhum. JMagalhães (discussão) 16h48min de 28 de dezembro de 2018 (UTC)
Não é preciso proibir algo que não existe. É muito simples: há uma regra de que para ter acesso a um estatuto é preciso criar um pedido de aprovação. Para validamente incumprir essa regra é preciso outra regra abrir uma excepção, é o caso da inatividade previsto em WP:POLA. E essa excepção não existe para a remoção voluntária. Logo qualquer reatribuição feita nesses termos é irregular. Nada aqui foi rejeitado, a procissão ainda vai no adro. Dux Æ 17h09min de 28 de dezembro de 2018 (UTC)
As pessoas a quem o estatuto é devolvido foram aprovadas pela comunidade num pedido de aprovação. Esses argumentos falaciosos não vão a lado nenhum. Continuar a insistir nisso é perda de tempo. JMagalhães (discussão) 17h11min de 28 de dezembro de 2018 (UTC)
Pode continuar a insistir em adjectivos feios sobre os argumentos dos colegas que isso não adianta. Meia dúzia de editores achou que sem consultar a comunidade podia instalar no projecto um novo sistema sobre reatribuições de estatutos após remoção voluntária. Isso não está previsto em WP:POLA e para incluir essa nova regra só a comunidade o pode fazer. E pior começaram a fazê-lo até contra o disposto na regra sobre inatividade, lá está explícito Citação: WP:POLA escreveu: «O administrador que teve o seu estatuto removido por inatividade poderá, a qualquer momento, solicitá-lo novamente aos burocratas. Se qualquer editor contestar essa devolução, um novo pedido de aprovação deverá ser iniciado.» Ora já foram feitas reatribuições contra a oposição expressa de diversos editores. Isso tem de ser travado. Dux Æ 17h33min de 28 de dezembro de 2018 (UTC)
Concordo inteiramente com os argumentos de Dux Praxis, além do mais, não vejo rejeição maciça nesta página.--Felipe da Fonseca (discussão) 09h42min de 29 de dezembro de 2018 (UTC)
Citação: Ora já foram feitas reatribuições contra a oposição expressa de diversos editores. Isso tem de ser travado. Quem remove ferramentas é a comunidade, não são dois ou três editores. Se esses dois ou três editores consideram que a pessoa não deve ter as ferramentas que apresentem as suas razões num pedido de desnomeação e vejam o que a comunidade pensa. JMagalhães (discussão) 11h51min de 29 de dezembro de 2018 (UTC)
Se quem remove é a comunidade (e quem atribui é a comunidade) quem deveria decidir sobre a reatribuicão não deveria ser a comunidade? Ademais a política de administradores foi aprovada pela comunidade (que decidiu, para os casos de absenteísmo, ao menos, que se um editor se opor deveria haver pedido à comunidade. Ora, é a regra e deve ser aplicada. Quem não concorda que promova a alteração.). FábioJr de Souza msg 12h27min de 29 de dezembro de 2018 (UTC)
Só no caso dos verificadores e supervisores é que as decisões da comunidade têm prazo. Nos outros estatutos não existem prazos nem mandato. A decisão da comunidade em permitir a esse editor usar as ferramentas é válida até uma decisão da comunidade em contrário ou até ao editor abandonar o projeto. JMagalhães (discussão) 12h34min de 29 de dezembro de 2018 (UTC)
Se é isso que defende proponha junto da comunidade a inclusão dessa regra em WP:POLA. Até lá as reatribuições automáticas após remoção voluntária sem limites nem restrições não constam das regras. E quem as fizer contra oposição expressa de outros editores incorre em abuso de ferramenta burocrática e sujeita-se a um pedido de remoção, ele e o ex-sysop que teve as ferramentas irregularmente reatribuídas. Dux Æ 16h34min de 29 de dezembro de 2018 (UTC)

Proposta 2 - Definição de regras para a reatribuição de estatutos removidos voluntariamente ou por inatividadeEditar

O texto seguinte foi movido de: Wikipédia:Esplanada/propostas/Definição de regras para a reatribuição de estatutos removidos voluntariamente ou por inatividade (28dez2018)

No seguimento da proposta anterior iniciada pelo Felipe da Fonseca, resolvi tentar fazer uma proposta juntando as várias visões sobre o problema para podermos ter uma solução consensualizada.

Reatribuição após remoção por inatividade:
Já existe em WP:POLA#Remoção automática por absenteísmo: Citação: O administrador que teve o seu estatuto removido por inatividade poderá, a qualquer momento, solicitá-lo novamente aos burocratas. Se qualquer editor contestar essa devolução, um novo pedido de aprovação deverá ser iniciado. (negritos/grifos meus)

Este trecho tem três problemas:

  • Não define período de tempo máximo entre a remoção e o pedido de reatribuição. Isso é problemático porque permite que um editor abandone a Wikipédia e depois volte passados muitos anos (ex. passados 10 anos) reavendo um estatuto numa enciclopédia com a qual já não está familiarizado, e a comunidade passados todos esses anos pode já não ter confiança nele. Além de que ninguém pode garantir que não haja comprometimento da conta de um ex-administrador que simplesmente abandonou o projecto e passou a ser usada por outra pessoa que nunca foi eleita.
  • Não prevê que o pedido de reatribuição seja publicitado na esplanada. Isso é bastante problemático porque os pedidos a burocratas não são vigiados por quase ninguém fora do corpo de burocratas, logo a divulgação é mínima.
  • Qualquer editor. Se o objectivo é evitar uma (desnecessária) nova votação, então a oposição para ser válida deverá partir de um editor com direito ao voto (e não qualquer editor, o que incluiria anónimos, não autoconfirmados, etc).
  • Acresce ainda que este trecho não consta da política de mais nenhum estatuto, lacuna que é preciso resolver.

Reatribuição após remoção voluntária (renúncia):
Não há nas políticas vigentes qualquer regra quanto à reatribuição de estatutos após a sua remoção a pedido do próprio (renúncia). Recentemente um ex-administrador e dois ex-burocratas viram os seus estatutos reatribuídos pelos burocratas, em decisões controversas e polémicas. Como isso foi feito sem embasamento nas regras vigentes urge disciplinar a reatribuição de estatutos anteriormente renunciados, por forma a evitar abusos e perigos para o projecto. Não pode haver um estatuto sysop self-service, disponível para que os editores peguem nele sempre que quiserem, são precisas regras.

Proposta:
Assim proponho a inclusão em WP:POLA, WP:POLB, WP:POLE e WP:POLAI:

O editor que teve o seu estatuto removido voluntariamente (renúncia) ou por inatividade poderá, no prazo de 12 meses, solicitá-lo novamente aos burocratas. O pedido deverá ser anunciado na esplanada e aberto a discussão durante 3 dias. Se qualquer editor com direito a voto contestar essa devolução, um novo pedido de aprovação deverá ser iniciado.

As alterações estão destacadas. Editor deverá ser substituído pelo nome do estatuto.

Opiniões, ideias para outros prazos ou correções são bem-vindas. Dux Æ 08h44min de 28 de dezembro de 2018 (UTC)


  Comentário Este tópico já está a ser discutido em Wikipédia:Esplanada/propostas/Proibição de reatribuição de estatutos retirados por pedido (27dez2018). Per WP:FORUMSHOPPING, a discussão deve ser continuada lá, onde já existem propostas em curso. JMagalhães (discussão) 12h31min de 28 de dezembro de 2018 (UTC)

  Concordo Outrora eu redigi uma proposta que visava precisamente estas questões, mas já não me recordo onde é que isso está, ou se sequer cheguei a publicar. Entretanto, pedia-lhe que transferisse esta proposta para a outra discussão que aborda o mesmo problema, para evitar confusões. Shgür Datsügen (discussão) 13h33min de 28 de dezembro de 2018 (UTC)

  Concordo, regra descomplicada e clara. Mas é necessário definir como ficam os casos em que transcorreu "mais de doze meses". Penso que neste caso, só com um novo pedido de aprovação, certo?--PauloMSimoes (discussão) 14h38min de 28 de dezembro de 2018 (UTC)

Passados 12 meses o caso não cabe nesta regra especial, então aplica-se a regra geral de abrir pedido de aprovação. Dux Æ 16h48min de 28 de dezembro de 2018 (UTC)

Mais uma vez, é para discutir aqui ou não? Existe uma página onde o assunto está em discussão. Esta segunda página não tem outro propósito que não lançar ainda mais a confusão e dispersar a discussão. Há coisas na proposta que já foram claramente rejeitadas e outras que estão em discussão. Mas se é para abrir sucessivamente novas páginas até se obter os resultados que se gosta também o posso fazer. JMagalhães (discussão) 14h42min de 28 de dezembro de 2018 (UTC)

Dux, sugiro mover esta nova proposta para uma seção na proposta que já existia.--PauloMSimoes (discussão) 15h15min de 28 de dezembro de 2018 (UTC)
PauloMSimoes Nada contra. Dux Æ 16h46min de 28 de dezembro de 2018 (UTC)

O texto acima foi movido de: Wikipédia:Esplanada/propostas/Definição de regras para a reatribuição de estatutos removidos voluntariamente ou por inatividade (28dez2018)

  Discordo em tudo. Quando se fala que foram reatribuídos estatutos "sem embasamento nas regras vigentes" isto é falso: as regras não colocam obstáculos então foram feitas embasadas nas regras vigentes. A proposta já começa com uma mentira... Mas vamos adiante: a intenção parece combater o absenteísmo - pois coloca um prazo (se sim, a regra já existe ao absenteísmo); se não, então quer proibir bons editores de usar algo que, somente, lhes dá mais amplas ferramentas. Vamos ao cerne da coisa: que parte de projeto voluntário vocês não entenderam ser isto aqui? Sabem o significado da palavra voluntário? O que vocês querem é interferir na "voluntariedade" dos editores... Na essência mesma do que faz isto aqui ser o que é! A proposta, ao contrário do que parece, é uma tentativa de restringir o número de administradores, quando tudo aqui deveria caminhar no sentido oposto! Alguém teria motivos realmente sérios para ser contra termos de volta administradores que por motivos particulares deixaram de ser? Porque o que me parece (e está claro nas vossas falas), é que a reatribuição contrariou interesses de momento de vocês! (me perdoem, se estou errado, mas é o que dá para perceber). Por tudo isso (e outros motivos acima), fui contra desde o começo (e a maioria idem), portanto não entendo por quê insistem... De novo peço desculpas pelo que direi: vocês parecem estar levando adiante algo que a maioria de quem opinou foi contra! Querem impor o POV? André Koehne (discussão) 17h39min de 28 de dezembro de 2018 (UTC)

Mas qual mentira? É muito simples: a reatribuição após remoção por inatividade está prevista em WP:POLA e prevê o procedimento: Citação: WP:POLA escreveu: «O administrador que teve o seu estatuto removido por inatividade poderá, a qualquer momento, solicitá-lo novamente aos burocratas. Se qualquer editor contestar essa devolução, um novo pedido de aprovação deverá ser iniciado.» Nada consta em WP:POLA nem em lado nenhum sobre reatribuição após remoção voluntária, isso foi algo inventado em 2017 sem consulta da comunidade. Não é por acaso que em 14 anos de Wikipédia isso nunca ocorreu até ao ano passado. Mas pior houve reatribuições que nem as regras previstas para inatividade cumpriram, foram feitas reatribuições contra a oposição expressa de diversos editores. Desde já fica o aviso de que novas reatribuições selvagens serão seguidas de pedidos de remoção e depois a comunidade decida (e ainda assim ficam beneficiados, bastam 50%+1 em vez dos devidos 75%). Dux Æ 18h13min de 28 de dezembro de 2018 (UTC)
Koehne, Já todos conhecemos o seu modus operandi, se vem para isto, use o facebook, que por lá certamente obterá correspondência da parte dos seus parceiros. Existe actualmente um claro problema na reatribuição de estatutos a contas dormentes ou que prescindem das ferramentas administrativas e que para reavê-las, deve-se dar à comunidade uma oportunidade para se pronunciar. Se vem para aqui disseminar desconfianças só vai complicar.. O numero de administradores nunca será afectado, muito pelo contrário, o que se procura é aumentar a credibilidade sobre a competência e aptidão do número de voluntários o que, por consequência, vai atrair atenções e o interesse de um maior número de participantes, simples assim.. Shgür Datsügen (discussão) 18h17min de 28 de dezembro de 2018 (UTC)
Shgür Datsügen, ninguém aqui é mais contrário à participação de editores dormentes do que eu, mas não estou conseguindo entender qual é o objetivo de mais essa regra. Há algum caso polêmico ocorrido que justifique a exigência? Os burocratas não estão conseguindo realizar suas funções? José Luiz disc 19h58min de 28 de dezembro de 2018 (UTC)
Jbribeiro1 Lamentavelmente alguns burocratas criaram uma "nova regra" de reatribuição livre e ilimitada de estatutos anteriormente renunciados e isso não consta em nenhuma política nem a comunidade sequer foi consultada a respeito, portanto foi mesmo invenção. Entretanto já foram reatribuídos 2 estatutos de sysop e 2 de burocrata sem que a comunidade pudesse opinar, inclusive mesmo com forte oposição um dos ex-sysops teve as ferramentas devolvidas. É preciso travar isso. Dux Æ 20h12min de 28 de dezembro de 2018 (UTC)
Que caso foi esse que teve "forte oposição"? José Luiz disc 20h21min de 28 de dezembro de 2018 (UTC)
Jbribeiro1 Não queria personalizar com diffs mas já que pergunta foi este. E mesmo nos outros casos não tão polémicos aqui (também teve oposição), aqui (decidido em 11 minutos!!) e aqui, a comunidade não foi consultada (na esplanada por ex) para aferir se haveria oposição. Dux Æ 20h41min de 28 de dezembro de 2018 (UTC)
Aliás, me lembro muito bem. No primeiro caso citado acima pelo Dux Praxis, a flag foi restituída depois de quatro meses em que a discussão estava parada, e em meio a uma das mais sérias e conturbadas DB's que tenho conhecimento, na qual estava envolvido o próprio requerente da flag. É por essas e outras que sou firmemente favorável a haver regras mais rígidas para estas restituições.--PauloMSimoes (discussão) 22h12min de 28 de dezembro de 2018 (UTC)
O problema de não haver quaisquer regras nem procedimento previstos é que não na prática não há limites. Quem nos garante que um sysop perante forte questionamento das suas ações, inclusive com DB aberta ou pedido de remoção aberto ou iminente, não use a figura tática do recuo estratégico: renuncia ao estatuto, o pedido de remoção é cancelado, deixa passar alguns meses e depois pede o estatuto de volta num pedido aos burocratas sem que ninguém da comunidade possa opinar acerca da sua conduta. Ná, isto tem de ter regras, não pode valer tudo. Dux Æ 22h24min de 28 de dezembro de 2018 (UTC)

  Discordo totalmente. A ideia de que um único editor é capaz de anular uma decisão comunitária expressa em um PDA é bizarra. Não existe plausibilidade para a opinião de uma única pessoa se sobrepor a um votação, que muitas vezes possui mais de 80 participantes. Ademais, a proposta neste sentido é tão deficiente que nem esclarece qual tipo de opinião seria levada em conta. Qualquer uma? Até de quem discorda por discordar? Sem chance. Érico (disc.) 20h03min de 28 de dezembro de 2018 (UTC)

Érico Essa mesma regra já existe em WP:POLA#Remoção automática por absenteísmo: Citação: O administrador que teve o seu estatuto removido por inatividade poderá, a qualquer momento, solicitá-lo novamente aos burocratas. Se qualquer editor contestar essa devolução, um novo pedido de aprovação deverá ser iniciado. (negrito/grifo meu) Resta somente estendê-la à reatribuição após remoção voluntária (e integrar este tipo de reatribuição nas regras, claro).comentário não assinado de Dux Praxis (discussão • contrib) (data/hora não informada)
Você acha que não conheço as regras? Essa regra aí que cita foi criada em um outro momento, em que o estatuto de administrador era visto como cargo, símbolo de poder e relevância. Passamos dessa fase. Evoluímos. Érico (disc.) 20h38min de 28 de dezembro de 2018 (UTC)
Se não concorda pode propor a alteração da regra e a comunidade decide. Até lá consta da política oficial e é para cumprir. Dux Æ 20h46min de 28 de dezembro de 2018 (UTC)

  Comentário Shgür Datsügen, menos! Se não me respeita como editor, me respeite pela idade... Não venho aqui atrás de relações pessoais, nem mostrar algum "modus operandi". Minha indignação é causada pelo óbvio acima visto: seis editores foram contra, ao passo que somente dois se disseram a favor. Ainda assim, levam adiante... Dux Praxis, dizer "Desde já fica o aviso de que novas reatribuições selvagens" não torna parcial e uma ameaça o que você está a fazer? Ou seja: "se não fizerem o que eu (nós?) quero, vamos atacar com um pedido de remoção". Só para constar... Quem é que está sendo "selvagem", e onde? André Koehne (discussão) 20h10min de 28 de dezembro de 2018 (UTC)

André Koehne Não fiz ataque pessoal nenhum! Estou numa boa a tentar mudar uma prática recente que considero irregular. Nem fiz nenhuma ameaça, é um direito que asiste a quem está contra a reatribuição irregular de estatutos inventada em 2017 sem consulta da comunidade. O medo de consultar a comunidade é assim tanto? Se nem apoio de 50%+1 um sysop dispõe (deveriam ser 75%!) não pode mesmo continuar com as ferramentas na mão. Repito: não tenho nada contra si. Opa, isto de levarem tudo para o lado pessoal já cansa. Dux Æ 20h32min de 28 de dezembro de 2018 (UTC)
Dux Praxis, não trouxe ao lado "pessoal", até porque estamos a debater aquilo que se disse aqui mesmo. Não me entenda mal, minha oposição a ti foi aqui, pelo que disse aqui. Aliás, quem foi atacado fui eu, e não foi por ti... Quanto ao "apoio" para sysop, acho que deveríamos aqui obedecer ao que a comunidade pensa, em sua maioria. Repito: 6x2 contrários não dá direito a fazer uma proposta que já foi recusada no início! Isto é subverter o sistema, não? (e sim, o que você falou pode ser interpretado como ameaça futura: "se decidirem contra, aqui, eu vou abrir pedido de remoção". Revela que você não segue o que quer a maioria... Precisa de regra? André Koehne (discussão) 21h45min de 28 de dezembro de 2018 (UTC)
Entendi. Vamos aguardar mais opiniões. Dux Æ 22h29min de 28 de dezembro de 2018 (UTC)
Para além de estar constantemente de distorcer os outros também ainda não percebeu que consenso não é unanimidade. Até podiam ser 500x1, ou já conseguiu rebater os argumentos contrários ao seu? Shgür Datsügen (discussão) 22h34min de 28 de dezembro de 2018 (UTC)
Embora a matemática aqui não seja o mais importante o "marcador" vai em 4 a 5 para o estabelecimento de regras claras para disciplinar as reatribuições e ainda sem plena avaliação desta minha proposta "conciliadora". Dux Æ 22h39min de 28 de dezembro de 2018 (UTC)

Não é um ou dois burocratas que vai decidir se se reatribui ou não as ferramentas de administrador ou burocrata a um ex-sysop que viola de forma contumaz a política de administradores ou que apresenta uma conduta difamatória e injuriosa durante meses a fio. Se os burocratas conseguissem realizar as suas funções isso nunca teria acontecido, mas o facto é que acontece e a comunidade não se vai pronunciar se este tipo de decisões são tomadas em espaço com pouquíssima visibilidade e entre amigos conhecidos. Shgür Datsügen (discussão) 21h19min de 28 de dezembro de 2018 (UTC)

  Comentário Shgür Datsügen - sua fala que menciona as palavras "difamatória e injuriosa" acima é contra quem? E quem são os seus "amigos conhecidos" que o apoiam? Gostaria de saber, uma vez que você leva aos outros aquilo que talvez esteja diante de si... André Koehne (discussão) 21h52min de 28 de dezembro de 2018 (UTC)
Não posso julgar a sua dificuldade de interpretação ou de compreensão de texto. Mas também não o posso fazer nada em relação a isso.. Se não entendeu, problema seu.. Shgür Datsügen (discussão) 22h00min de 28 de dezembro de 2018 (UTC)

  Discordo Per JoLorib e PauloMSimoes em relação à reatribuição após remoção voluntária: Citação: Qual o problema em um editor que solicitou a remoção querer voltar ? Ele pode ter se decepcionado em algum momento e não quer continuar. Depois, vendo novas perspectivas, pode desejar voltar Citação: Não entendo porque não faz sentido reatribuir o estatuto, a pessoa pode ter um problema momentâneo que força uma parada na Wikipédia e depois de alguns dias ter o problema resolvido e voltar, precisa ser punida por isso? Quanto à reatribuição após remoção involuntária por absentismo, o enquadramento já está previsto nas regras. Eu até estava disposto a melhorar este último enquadramento, mas parece que aqui há pouco interesse em efetivamente discutir soluções, apenas em forçar coisas já mais do que rejeitadas com base em wikiadvocacia barata. JMagalhães (discussão) 22h54min de 28 de dezembro de 2018 (UTC)

Não é por você dizer mil vezes que algo está rejeitado que passa a estar. O colega PauloMSimoes é a favor da proposta e você cita-o para se opor? Ok, estamos conversados quanto à sua argumentação. Compreendo a sua inquietação, mas pelo que vi ainda ninguém propôs que a novas regras tivessem efeito retroactivo. Dux Æ 23h19min de 28 de dezembro de 2018 (UTC)

  Concordo com a proposta, mas   Discordo que apenas uma pessoas tenha o poder de interromper a reatribuição (talvez três?).   Concordo com a transferência para outra discussão, se de fato são sobre o mesmo tema (não verifiquei), em forma de uma seção daquela. --Felipe da Fonseca (discussão) 09h49min de 29 de dezembro de 2018 (UTC)

Felipe da Fonseca Claro o nº opositores está em aberto. Copiei o que já está previsto para a inatividade. A ideia era que fosse preciso consenso para a reatribuição sem nova votação, mas consenso não precisa ser unânime. Dux Æ 16h23min de 29 de dezembro de 2018 (UTC)

  Discordo. Voluntários querendo ajudar precisam de menos burocracia, menos drama e mais oportunidade de trabalhar. Avaliando o único caso no qual uma coisa assim poderia fazer sentido, uma maneira muito mais eficaz é cobrar para que os burocratas façam um trabalho melhor. Finalmente, esse conceito de que uma pessoa pode bloquear um consenso é incorreto e uma distorção do conceito da decisão por consenso. José Luiz disc 10h10min de 29 de dezembro de 2018 (UTC)

  Concordo em partes. Se já faz tempo que o usuário não se dedica a tal atividade, não há garantias de que ele compreenda as mudanças que tenham sido realizadas no projeto, projeto este que é dinâmico. Entretanto, não compreendo a dificuldade que se tem em participar de uma re-(avaliação), principalmente para se coletar feedbacks da função realizada e ter insights que possam melhorar as atividades do próprio usuário. Também não vejo como vitalícia essas decisões da comunidade, não é porque foi eleito com alta aprovação num pedido de anos atrás, que a percepção seja a mesma. Portanto, se faz necessário um limite de tempo para a reatribuição, conforme já levantado. Porém, penso que estes pedidos podem seguir um modelo mais próximo do consenso, não importando quantos editores se opõem, mas sim a qualidade das argumentações apresentadas, o que seria avaliado pelos burocratas, os quais poderiam aprovar o pedido ou sugerir um novo processo de aprovação. R. Kenneth msg 14h19min de 29 de dezembro de 2018 (UTC)

Proposta 3Editar

(parte não controversa)Editar

Em vez de insistir em coisas que nunca vão ter consenso, vou fazer uma proposta simples: as ferramentas não podem ser automaticamente reatribuídas a quem tiver solicitado a sua remoção durante um pedido de desnomeação em curso. Isto é válido para qualquer caso: eliminador, administrador, burocrata, supervisor, verificador e editor de interface. JMagalhães (discussão) 11h55min de 29 de dezembro de 2018 (UTC)

  Concordo. Mas esta proposta não cobre toda a dimensão da proposta inicial e nem das duas outras. Portanto trata-se de desmembrar a proposta original. Como esta faz parte da primeira, concordo, mas com esta concordância não entendo que o caso foi resolvido e não termino o debate.--Felipe da Fonseca (discussão) 12h02min de 29 de dezembro de 2018 (UTC)

Claro que se trata de desmembrar. O objetivo é chegar a um consenso e aprovar as partes em que toda a gente concorda. Não adianta insistir e forçar a aprovação de "pacotes de regras", quando dentro desse pacote há partes mais do que rejeitadas pela comunidade. Isso só serve para rejeitarem o pacote como um todo. JMagalhães (discussão) 12h11min de 29 de dezembro de 2018 (UTC)

  Concordo @Dux Praxis: Melhor aprovar o possível que insistir em conseguir tudo e acabar com nada. Depois continua-se a discussão quanto aos demais pontos.FábioJr de Souza msg 12h07min de 29 de dezembro de 2018 (UTC)

@Fabiojrsouza: Já cá ando na Wiki há tempo suficiente para perceber que aceitar esta proposta significa legalizar todas as outras reatribuições automáticas (que no fundo são todas, pois há muitos anos que ninguém renuncia durante pedidos de remoção), sem garantias de qualquer consenso sobre outros problemas (os mais importantes). Veja que nem a inclusão das DBs foi aceite. Dux Æ 16h45min de 29 de dezembro de 2018 (UTC)
@Dux Praxis: Te entendo. Só estou vendo que vai ficar tudo na praia (esqueci o ditado). Há o risco do nada ser aprovado. Porque não propõe uma alternativa de consenso, deixando os pontos polêmicos para outra discussão?FábioJr de Souza msg 16h57min de 29 de dezembro de 2018 (UTC)
Fabiojrsouza Percebo. Mas se nada for aprovado significa que a reatribuição após remoção voluntária continua fora da WP:POLA, e só pode operar na base do Quinto Pilar, o que implica consenso. Pela minha parte garanto já a minha oposição. Mas vamos ver o andamento da discussão, outras ideias poderão surgir. Dux Æ 20h21min de 29 de dezembro de 2018 (UTC)

  Concordo. Precisamos progredir aos poucos pois as discordâncias são consideráveis. Quanto a esta proposta, incluiria as DBs também. Érico (disc.) 12h14min de 29 de dezembro de 2018 (UTC)

Vamos continuar no registo do mínimo denominador comum, por favor, de modo a toda a gente poder concordar. Se toda a gente concordar com isto já é um grande passo. Se juntar aqui as DBs é meio caminho andado para sabotar isto, porque existem diversas particularidades que é preciso discutir. No entanto, mais tarde vou abrir uma proposta 4 para discutir o caso específico das DBs. JMagalhães (discussão) 12h20min de 29 de dezembro de 2018 (UTC)
Ótimo. Érico (disc.) 12h27min de 29 de dezembro de 2018 (UTC)

  Concordo. Sigamos em frente. Luís Almeida "Tuga1143 13h25min de 29 de dezembro de 2018 (UTC)

  Concordo. R. Kenneth msg 14h19min de 29 de dezembro de 2018 (UTC)

  Discordo proposta de regra excludente e generalista. Então, para qualquer outro caso que não seja "solicitação de remoção durante um pedido de desnomeação", a reatribuição é automática, independente por exemplo do tempo de afastamento e outras particularidades e sem qualquer avaliação? Quantos casos houveram até hoje de "solicitação de remoção durante um pedido de desnomeação". Continuo com a proposta do Dux acima, que precisa de ajustes, apenas.--PauloMSimoes (discussão) 14h38min de 29 de dezembro de 2018 (UTC)

PauloMSimoes, isto é apenas 1 ponto... se houver aprovação, vamos passar ao ponto seguinte e por aí adiante... às vezes é mais produtivo discutirmos ponto por ponto do que apresentar tudo de uma vez e não haver consenso... se concordar com este ponto, diz que concordas, e de seguida adicionamos mais uma proposta e por aí adiante, até conseguirmos ter um bolo de propostas em que todos concordam... o que achas? Luís Almeida "Tuga1143 14h53min de 29 de dezembro de 2018 (UTC)
Eu vou concordar com esse "primeiro passo", se forem apresentados fatos concretos já ocorridos que exemplifiquem essa condição proposta e justifiquem a criação de tal critério. Não precisamos antecipar problemas se estes nunca existiram.--PauloMSimoes (discussão) 15h00min de 29 de dezembro de 2018 (UTC)
PauloMSimoes, o facto de não haver nada escrito é o que leva a que haja esta discussão. Um administrador que veja o seu estatuto removido por inactividade pode, a qualquer momento, solicitá-lo de volta, mas não há nada escrito que é proibido ou obrigatório que o mesmo seja feito a quem peça voluntariamente a remoção do estatuto... por isso é que temos que escrever, para que haja linhas orientadoras nesse sentido. Vamos começar a escrever, um passo de cada vez, até termos linhas orientadoras que evitem conflitos no futuro. Luís Almeida "Tuga1143 15h07min de 29 de dezembro de 2018 (UTC)
@PauloMSimoes: A proposta integral não vai ter aceitação fácil. Vamos aprovar o que é possível agora e depois parte-se para o debate dos pontos polêmicos? Assim evita -se atravancar tudo, evitando a aprovação do que tem acordo.FábioJr de Souza msg 15h12min de 29 de dezembro de 2018 (UTC)
@Tuga1143 e Fabiojrsouza: fui lá na lista de ex-administradores e vi que já houve sim esses casos, portanto entendo o propósito. Mas não entendi se o JMagalhães propõe uma revisão digamos, "conta-gotas" - em que se revisa a regra passo a passo, a cada aprovação aqui - ou estão se criando tópicos como este "(parte 1)" e assim outros em sequência para avaliação, e ao final implementa-se de uma só vez? Particularmente, conhecendo como se desenvolvem as discussões, prefiro o segundo procedimento.--PauloMSimoes (discussão) 16h08min de 29 de dezembro de 2018 (UTC)
Agora foi alterado de "parte 1" para "parte única"... Assim fica realmente difícil concordar.--PauloMSimoes (discussão) 16h11min de 29 de dezembro de 2018 (UTC)
PauloMSimoes vc está com muitos preciosismos nesta discussão desde o início. --Felipe da Fonseca (discussão) 16h28min de 29 de dezembro de 2018 (UTC)
Não são preciosismos, Felipe. Precisamos avaliar bem o que estamos fazendo, propondo a alteração uma regra importante sobre políticas. Precisa ver as consequências disso lá na frente, abrindo frestas por onde pode passar todo tipo de gente. Na condição proposta, se ficar com está. Um ex-sysop que abandonou a Wikipédia há 5,6,7 anos pode ter seu estatuto restituído de forma automática, sem qualquer avaliação. estou errado?--PauloMSimoes (discussão) 16h36min de 29 de dezembro de 2018 (UTC)
PauloMSimoes vc está confundindo tudo e ainda tumultuando. Isso é hoje possível e tem acontecido, um exemplo já foi fornecido porque vc pediu. O que se quer é evitar isso. Hoje os burocratas têm julgado de forma subjetiva. --Felipe da Fonseca (discussão) 16h38min de 29 de dezembro de 2018 (UTC)
Nem adianta argumentar que não está argumentando, porque está sim... um ato individual e, entendo eu, de vandalismo para provar ponto de vista (troca do título para forçar consenso) e vc já anuncia que está tudo confuso. Favor, pesquisar antes o tema. Mais uma vez, vc está confundindo tudo. --Felipe da Fonseca (discussão) 16h40min de 29 de dezembro de 2018 (UTC)

──────────────────────────── Foi comigo, o que escreveu acima? Com já ocorreu em outras discussões, você gosta de me desqualificar quando não concordo com sua propostas. Não estou confundindo nada. Se há falhas nas regras atuais, isso tem que ser revisado. No caso da remoção por absenteísmo, como pode "um único editor contestar a devolução, levando a um novo pedido de aprovação". Isso é causa de conflitos, obviamente. Jogaram o "consenso" na lata de lixo.--PauloMSimoes (discussão) 16h50min de 29 de dezembro de 2018 (UTC)

PauloMSimoes eu fico realmente triste por fazer isso, e assumo que estou fazendo, porque te considero bastante, além do que vc me ajudou a compreender vários temas por aqui. O problema é que nas duas últimas discussões vc entrou sem conhecimento de causa e atacou a proposta... quando o problema não estava na proposta, mas na sua compreensão dela. Espero que fiquemos bem. Abraços.--Felipe da Fonseca (discussão) 12h38min de 30 de dezembro de 2018 (UTC)
Caro Felipe da Fonseca, not at all – um ótimo 2019 para ti.--PauloMSimoes (discussão) 15h20min de 30 de dezembro de 2018 (UTC)

  Concordo Shgür Datsügen (discussão) 14h46min de 29 de dezembro de 2018 (UTC)

  Concordo com a terceira proposta. Millbug fala 15h21min de 29 de dezembro de 2018 (UTC)

  Concordo, isto já era intuitivo e aplicado pelo que pude ver. Mas   Discordo da insistência em levar os demais pontos rejeitados a debate! Isto já foi rejeitado, e a insistência é Abuso da Wikipédia para provar um ponto de vista, por isto alterei o título para "parte única". Desmembrar não pode significar burlar a decisão da maioria. André Koehne (discussão) 15h59min de 29 de dezembro de 2018 (UTC)

André Koehne, nada é imutável aqui. Seria bom você ler WP:C#O consenso pode ser alterado.--PauloMSimoes (discussão) 16h17min de 29 de dezembro de 2018 (UTC)
Por vezes fico espantado com os argumentos invocados. Mas qual decisão, você quer encerrar debates ao fim de 1 ou 2 dias, para mais em temas tão importantes? Haja paciência. Dux Æ 16h11min de 29 de dezembro de 2018 (UTC)
André Koehne tenta forçar consenso (negativo) que não existe. Debate em aberto. É vc que começa a tentar provar ponto de vista vandalizando a discussão.--Felipe da Fonseca (discussão) 16h27min de 29 de dezembro de 2018 (UTC)
Agradeço ao PauloMSimoes pelo link. Veja o que se diz ali: "Por outro lado, se há um consenso recente sobre um assunto, pode ser desestabilizador trazê-lo de novo à discussão." (grifei). Isto responde, também, aos demais: 6x2 obriga seja obedecido por um tempo razoável, não contrariado na mesma discussão! Abraços. André Koehne (discussão) 16h40min de 29 de dezembro de 2018 (UTC)
6x2 não é nada. Principalmente se desmembrado como está sendo. Vc tenta usar o espaço público para forçar ponto de vista.--Felipe da Fonseca (discussão) 16h46min de 29 de dezembro de 2018 (UTC)
@André Koehne: na minha concepção, estando há mais de quatro anos, não é exatamente um "consenso recente sobre um assunto".--PauloMSimoes (discussão) 17h04min de 29 de dezembro de 2018 (UTC)
Paulo, não falo do que se debate há 4 anos, mas no que aconteceu aqui mesmo. Foi só a proposta inicial ser rejeitada maiormente, que começaram as tentativas de esquiva dessa vontade. Exatamente o que comprova o oposto do que falou o Felipe: bastou a comunidade rejeitar suas ideias, que ele tenta a todo custo prosseguir. Se isso não é abusar do espaço, e dentro da regra que o Paulo mostrou, desestabilização, então... De que adianta termos regras, se não as seguimos quando contrárias aos nossos interesses? André Koehne (discussão) 17h15min de 29 de dezembro de 2018 (UTC)
Estou a ponto de abandonar esta discussão, que já começou com um título politicamente incorreto. O termo "proibição" em um projeto comunitário é altamente questionável na maioria dos casos, em que não estejam envolvidos vandalismos e outras coisas graves. Esse foi o motivo principal da rejeição da proposta inicial. --PauloMSimoes (discussão) 18h07min de 29 de dezembro de 2018 (UTC)
Acho por confusão houve colegas que entenderam que se tratava de proibir um ex-administrador de voltar a ter acesso às ferramentas, quando o proposto era somente acabar com as reatribuições automáticas do estatuto sem consulta da comunidade. Dux Æ 20h12min de 29 de dezembro de 2018 (UTC)

  Discordo Esta proposta consegue piorar o que já está mau. Esta é uma forma subliminar de legalizar qualquer reatribuição com excepção das renúncias durante pedidos de remoção. Pelos vistos o JMagalhães percebeu que as reatribuições após renúncia não estão nas regras e qualquer editor que as contestasse poderia iniciar um pedido de remoção ao visado e aí a comunidade poderia pronunciar-se, e ele quer evitar isso. Não, não concordo em legalizar o estatuto sysop self-service com o pretexto de proibir um dos muitos problemas que as reatribuições selvagens têm. Dux Æ 16h11min de 29 de dezembro de 2018 (UTC)

  Comentário Não existe essa questão de que já foi decidido e se está tentando ir em sentido contrário. Estamos numa discussão. Se percebe-se que dada proposta não tem muita aceitação , pois não há concordância com o todo, é natural que se busque aprovar aquilo que tem certa aprovação. Assim, penso que a proposta 3 é o início apenas, buscando aprovar o que tem consenso em vez de insistir numa proposta que vai ser rejeitada apesar de haver pontos com os quais a maioria concorda. FábioJr de Souza msg 16h46min de 29 de dezembro de 2018 (UTC)

Fabiojrsouza, eu discordo: as propostas anteriores obtiveram rejeição sim; quando se "desmembrou", como falei ao concordar com esta parte, deixou entrever que haveria "parte 2", "parte 3", "parte 4..." ad infinitum até passar o que querem! O correto é esperar um tempo, até apresentar novas proposições, com novos argumentos, etc. Já o Dux Praxis, me parece que você é contra o aumento do número de administradores? Mas... Não é o oposto pelo todos deveríamos pugnar? Num projeto essencialmente voluntário, não é extremamente positivo que pessoas voltem? Este não é o sentido da palavrinha "Wiki"? Não entendo tua resistência... André Koehne (discussão) 16h58min de 29 de dezembro de 2018 (UTC)
Opa, se tenho votado a favor de (quase) todas as candidaturas administrativas, sou totalmente pro-sysop!!! Quantos mais sysops melhor. Mas sysops ponderados e principalmente activos, se quer o estatuto é para o usar. Mas acho que não é bonito (nem aceitável) querer um estatuto de volta sem consulta à comunidade, pelo menos sem prazo razoável para aferir se há oposição. E muito menos um sistema self-service, em que o sysop pega ou deita fora no estatuto quando quer, sem que a comunidade opine a respeito. Por favor, não há rejeição de nenhuma proposta nas primeiras 24h somente porque teve algumas opiniões contrárias, isso não existe, a discussão continua e novas opiniões poderão surgir, novas ideias, outras propostas, etc. Dux Æ 17h48min de 29 de dezembro de 2018 (UTC)

  Estou fora desta discussão - Pessoal, vou deixar de seguir esta discussão pois está-se a gerar discussões sem a menor necessidade. Se um dia houver uma votação e/ou discussão saudável, chamem-me pela PDU. Boa sorte a todos. Luís Almeida "Tuga1143 21h13min de 29 de dezembro de 2018 (UTC)

Eu também estou quase. O objetivo de se desmembrar cada ponto é fazer com que sejam aprovadas pelo menos as regras com que toda a gente concorda. Comecei pela "proposta 3", que é uma coisa estupidamente óbvia para qualquer pessoa de bom senso. Mas há gente que até disso "discorda", claramente com o único propósito de sabotar a discussão, amuado e chateadinho por não se estar a discutir "pacotes de regras" que incluem coisas que já foram rejeitadas nesta página. Isso não é uma discussão saudável. É claramente abuso do projeto para forçar um ponto de vista. JMagalhães (discussão) 22h49min de 29 de dezembro de 2018 (UTC)
Lamento se dificultei o consenso sobre uma proposta que à conta de proibir algo óbvio (que duvido que algum burocrata tivesse coragem de fazer) levava à legalização das reatribuições automáticas, sem limites temporais e sem avaliação (passava a ser uma reatribuição automática). Ao menos esta discussão provou que não há qualquer consenso na comunidade sobre as reatribuições automáticas após remoção voluntária. Não constando elas das regras vigentes (WP:POLA) nem havendo consenso (5º Pilar) não vejo como poderão seguir com a prática. Dux Æ 01h02min de 30 de dezembro de 2018 (UTC)
Realmente uma discussão não é muito saudável quando alguns editores consideram de imediato rejeitado tudo o que não concordam. Dux Æ 01h45min de 30 de dezembro de 2018 (UTC)

  ConcordoThanks for the fish! talkcontribs 01h18min de 30 de dezembro de 2018 (UTC)

  Concordo Stuckkey (discussão) 10h25min de 31 de dezembro de 2018 (UTC)

Proposta 4Editar

Como já tinha dito, a minha ideia era desmembrar sucessivamente os 'pacotes' em propostas simples para saber em que pontos há ou não consenso. Recapitulando: a proposta 3 propunha impedir a reatribuição automática das ferramentas nos casos em que a remoção voluntária tivesse sido pedida durante uma desnomeação em curso.

Para a proposta 4 pretendo resolver outro possível exploit das regras. Imaginem a seguinte situação: um administrador/eliminador/burocrata pede voluntariamente a remoção do estatuto e fica durante anos inativo. Agora imaginem que ele regressa passado uns anos e pede novamente a ferramenta. Dilema: os burocratas consideram que foi uma remoção voluntária ou remoção por absentismo? É que se ele não tivesse pedido a remoção, as ferramentas ser-lhe-iam removidas por absentismo e estaria sujeito a uma nova aprovação, precisamente porque desconhece as novas regras e desconhece a comunidade.

A proposta 4 é esta: se após pedir a remoção voluntária das ferramentas a pessoa incorrer num período de absentismo, ao requisitar novamente as ferramentas ser-lhe-ão aplicadas as mesmas regras para os casos de absentismo.

Se a pessoa esteve ausente durante o período de absentismo estipulado, deverá ser sempre considerada uma remoção por absentismo. É irrelevante se antes de ficar inativo ele/a pediu ou não a remoção voluntária. Dito de outra forma, o período de absentismo invalida a decisão da comunidade que lhe atribuiu as ferramentas. Caso contrário, fica muito fácil subverter o sistema de má-fé: basta pedir remoção voluntária para se daqui a uns anos quiser regressar ao projeto lhe ser atribuído automaticamente o estatuto. A reatribuição automática deve ser reservada apenas para usuários que se mantenham ativos e que acompanhem a evolução da comunidade.

É importante que isto fique esclarecido antes de outras propostas relativas a prazos de absentismo. JMagalhães (discussão) 01h07min de 30 de dezembro de 2018 (UTC)

Tenho minhas dúvidas quanto a esta proposta, pois pode ocorrer de o usuário ter de se ausentar por um período estendido por motivos pessoais, e pede a remoção do estatuto antes disto ocorrer, e ao voltar (digamos, após um ano), gostaria de voltar a ativa, e assim, ter o estatuto de volta. Talvez a adição de um prazo máximo seja uma solução. —Thanks for the fish! talkcontribs 01h20min de 30 de dezembro de 2018 (UTC)

Tks4Fish Na proposta 2 tem esse prazo: 12 meses (embora outros prazos possam ser considerados). Dux Æ 01h41min de 30 de dezembro de 2018 (UTC)
Obrigado por avisar, Dux Praxis. No entanto, lendo melhor, fico com dúvida se realmente é válido ou não, ao considerar que somos todos voluntários. Por outro lado, penso que alguém que se distanciou por 5 anos, por exemplo, não deveria ter o estatuto automaticamente reatribuído, pois muita coisa pode mudar nesse meio tempo. —Thanks for the fish! talkcontribs 01h46min de 30 de dezembro de 2018 (UTC)
@Tks4Fish: Veja a proposta 5. JMagalhães (discussão) 01h51min de 30 de dezembro de 2018 (UTC)

  Contra Confusão entre remoção voluntária e por inatividade. O editor que pediu a remoção voluntária é livre de fazer o que entender, seja editar no domínio principal ou abandono/ausência de longa duração. Para todos os efeitos ele renunciou ao estatuto e é isso que deve ser considerado. Tem de haver é limites temporais à devolução das ferramentas, e procedimentos claros acerca disso, caso contrário estas propostas não adiantam e as reatribuições automáticas seriam legalizadas sem quaisquer limites. Dux Æ 01h40min de 30 de dezembro de 2018 (UTC)

O seu "contra" não passa de abuso para provar um ponto de vista, tal como na proposta anterior e tal como extensivamente notado pelos participantes nesta discussão. Você tem uma visão minoritária e residual de que toda e qualquer reatribuição é "contra as regras" e como ninguém lhe dá bola decidiu sabotar todas as propostas, por mais óbvias que sejam. O que você pretende nunca vai ser aprovado. Ou se comporta como um adulto construtivo e começa a aceitar compromissos em regras com que todos concordam ou pode continuar aí a fazer birra. JMagalhães (discussão) 01h49min de 30 de dezembro de 2018 (UTC)
Já lhe pedi moderação na linguagem mais que uma vez. Novo ataque pessoal acarretará o pedido das medidas cabíveis. Dux Æ 02h20min de 30 de dezembro de 2018 (UTC)

Citação: WP:POLA escreveu: «O administrador que teve o seu estatuto removido por inatividade poderá, a qualquer momento, solicitá-lo novamente aos burocratas. Se qualquer editor contestar essa devolução, um novo pedido de aprovação deverá ser iniciado». A remoção por absenteismo está sujeita a reatribuição. Então, com todo o respeito, o raciocínio inicial desta quarta proposta não é válido. Melhor seria o transformar esta frase no seguinte.

Millbug fala 01h56min de 30 de dezembro de 2018 (UTC)

@Millennium bug: Estamos a falar de coisas diferentes. Talvez se vir a proposta 4 em conjunto com a proposta 5 faça mais sentido. Aliás, a proposta 4 nem é propriamente uma proposta. É mais um esclarecimento das regras. JMagalhães (discussão) 02h00min de 30 de dezembro de 2018 (UTC)

Se bem entendi, a proposta é que a perda do estatuto por absenteísmo ocorre automaticamente com o decurso do tempo (ainda que a implantação efetiva seja depois). Assim, se a pessoa fica inativa por seis meses e no sétimo pede a remoção, quem remover vai fazê-lo pelo absenteísmo e não pelo pedido voluntário. Se for nesse sentido   Concordo.FábioJr de Souza msg 02h15min de 30 de dezembro de 2018 (UTC)

@Fabiojrsouza: Not quite. Nesse exemplo, a pessoa ao ficar inativa por seis meses não pode pedir remoção voluntária ao sétimo mês porque os estatutos já lhe foram removidos automaticamente no mês anterior. Isto é para situações em que a pessoa pede remoção voluntária e depois fica anos ausente do projeto. Se ela tivesse ferramentas, elas seriam removidas por absentismo. Se passado anos a pessoa quiser novamente as ferramentas não pode alegar que tem direito a recebê-las de forma automática só porque há dez anos atrás pediu remoção voluntária. É um ausente como todos os outros ausentes. JMagalhães (discussão) 02h24min de 30 de dezembro de 2018 (UTC)
@JMagalhães: Me desculpe, mas seu texto está confuso, então. O texto do Millennium bug ficou mais claro.FábioJr de Souza msg 02h46min de 30 de dezembro de 2018 (UTC)
O texto do Millenium bug não tem relação nenhuma com o que está aqui a ser proposto. Eu estou a propor que, se uma pessoa que pedir remoção voluntária entretanto ficar inativa, ao pedir novamente as ferramentas deve-se reger pelas regras de reatribuição para casos de inativos. O Millenium bug está a propor aplicar as regras de inativos aos ativos. Mas vou simplificar o texto. JMagalhães (discussão) 02h54min de 30 de dezembro de 2018 (UTC)
@JMagalhães: Acho que agora entendi (foi mais direto).  ConcordoFábioJr de Souza msg 03h22min de 30 de dezembro de 2018 (UTC)

  Concordo com esta parte proposta pelo JMagalhães, apesar de também ter que haver, posteriormente, uma regra que preveja a remoção por pedido e, após isso, a pessoa continua activa no projecto. Luís Almeida "Tuga1143 03h00min de 30 de dezembro de 2018 (UTC)

Tuga1143 Aí é que está o problema, ele não aceita sequer discutir quaisquer limites/restrições às reatribuições após remoção voluntária de editores activos, diz que isso já foi rejeitado (por ele). Ou seja na lógica dele bastaria uma pessoa renunciar ao estatuto e ir fazendo uma edição menor de 6 em 6 meses para manter direito vitalício ao estatuto, passados 10 ou 20 anos poderia pedir o estatuto de volta, o estatuto estaria sempre disponível. E a comunidade sem poder opinar. Os que são contra as reatribuições estamos fartos de fazer cedências e ele não cede um milímetro. Assim não há consenso possível. Dux Æ 06h27min de 30 de dezembro de 2018 (UTC)
Mentir descaradamente não ajuda. As minhas propostas 3 e 4 são restrição à reatribuição após remoção voluntária. Mas são coisas lógicas e objetivas para evitar abusos, com as quais qualquer pessoas de bom senso concorda. Não são essas abetardas sem pés nem cabeça e miguxices de ter uma única pessoa a sabotar decisões da comunidade. A prova é que as versões que estou a propor estão a gerar apoios e consensos, ao contrário da sua obstinação que só gera discordância. Já o modo como é calculado o absentismo não é da minha responsabilidade nem vai ser da responsabilidade desta discussão. Esse "direito vitalício" acontece quer tendo as ferramentas quer abdicando delas. Se você acha que deve haver maior exigência para o cálculo do absentismo, faça uma proposta na esplanada. Mas informo-o que isso foi votado há relativamente pouco tempo e a grande maioria opôs-se. JMagalhães (discussão) 06h41min de 30 de dezembro de 2018 (UTC)

  Discordo da proposta do Millbug. Um único editor, ou dois, não pode, nunca, anular uma decisão comunitária. Isso é bizarro. Érico (disc.) 03h06min de 30 de dezembro de 2018 (UTC)

  Concordo a proposta de Millenium bug. Não faz sentido diferenciar os dois motivos de remoção. Dux Æ 06h16min de 30 de dezembro de 2018 (UTC)

  Concordo com a proposta 4. --Felipe da Fonseca (discussão) 11h48min de 30 de dezembro de 2018 (UTC)

  Concordo com a proposta quatro e   Discordo da intermediária do Millennium bug. Stuckkey (discussão) 10h37min de 31 de dezembro de 2018 (UTC)

Proposta 5Editar

Como já tinha dito, a minha ideia era desmembrar sucessivamente os 'pacotes' em propostas simples para saber em que pontos há ou não consenso. Recapitulando: a proposta 3 propunha impedir a reatribuição automática das ferramentas nos casos em que a remoção voluntária tivesse sido pedida durante uma desnomeação em curso. A proposta 4 propunha considerar que todos os casos em que a pessoa incorresse num período de absentismo seriam considerados remoção por absentismo, independentemente de a pessoa ter ou não pedido remoção voluntária antes de desaparecer.

Para a proposta 5 proponho que haja um limite de tempo para a reatribuição nos casos de absentismo. Não faz qualquer sentido um ex-administrador desaparecer do projeto durante quatro, cinco, dez anos e do meio do nada aparecer a pedir a reatribuição. A justificação já foi apontada por vários editores nesta página: risco de hacking, desconhecimento das alterações nas regras e desconhecimento da nova dinâmica da comunidade.

A situação atual para as remoções por absentismo é a seguinte:

  • Ao fim de seis meses de inatividade, a pessoa é avisada e o estatuto removido automaticamente.
  • A partir daí, a pessoa pode a qualquer momento pedir a reatribuição do estatuto (mesmo que tenham decorrido dez anos ou mais).
  • Se em 24 horas ninguém discordar, o estatuto é novamente atribuído (mesmo que tenham decorrido dez anos ou mais).

O que proponho:

  • Ao fim de seis meses de inatividade, a pessoa é avisada e o estatuto removido automaticamente.
  • A partir da data em que o estatuto foi removido, a pessoa tem um prazo de seis meses em que pode pedir para lhe serem novamente atribuídas as ferramentas, de forma automática e sem questionamentos.
  • A partir desses seis meses (ou seja, doze meses desde que ficou inativa), a pessoa tem sempre que abrir um novo pedido de aprovação.

Exemplo: em 1 de janeiro de 2019 a pessoa fica inativa . Em 1 de julho o estatuto é-lhe automaticamente removido. (tal como acontece agora. Novidade:) A pessoa tem até 31 de dezembro para poder requisitar a atribuição automática do estatuto. A partir de 1 de janeiro de 2020 terá sempre que abrir novo pedido.

Nota: o prazo aqui proposto é 6+6 meses. Se concordam com o princípio da proposta, mas acham o prazo curto, acrescentem ao 'concordo' o prazo que seria ideal para vocês. P.ex. 6+9, 6+12, etc. No fim faz-se uma proposta específica com a média de todas as sugestões.

JMagalhães (discussão) 01h43min de 30 de dezembro de 2018 (UTC)

EDIT: Contagem das propostas de prazos para no fim se fazer a média:
  • proposta original: 6+6
  • Millenium bug: 6+18
  • Tks4Fish: lig. superior a 6+6, mas ainda não especificou
  • Tuga1143: 6+6 ou mais, desde que exista um prazo
  • Fabiojrsouza: 6+18
  • Shgür Datsügen: 6+0
  • Felipe da Fonseca: não indicou outro prazo, suponho que concorde com 6+6
  • Stuckkey: 6+18
  • Jbribeiro1: não indicou outro prazo, suponho que concorde com 6+6
  • DARIO SEVERI: não indicou outro prazo, suponho que concorde com 6+6
JMagalhães (discussão) 03h18min de 30 de dezembro de 2018 (UTC)

  Concordo em parte É interessante estabelecer um prazo, pelas razões já trazidas aqui, mas 6m+6m=1a parece muito pouco. Será que as pessoas "esquecem" ou se "desatualizam" tanto e tão rápido? Millbug fala 02h02min de 30 de dezembro de 2018 (UTC)

Adendo: um editor pode ficar dez anos ou mais como admin sem usar ferramenta nenhuma, apenas editando e não perde o estatuto por isso. Então não seria desproporcional o que está sendo proposto, ou melhor, algo sem consequência prática substancial? Millbug fala 02h05min de 30 de dezembro de 2018 (UTC)
(conflito) Millennium bug este é meu pensamento também. Acho que a proposta 2 do Dux Praxis é melhor ao ampliar o prazo e obrigar o anúncio para uma contestação, mas ao (continuar a) permitir que apenas um usuário, mesmo que com direito a voto, jogue um PDA por água abaixo é um tanto ruim. —Thanks for the fish! talkcontribs 02h06min de 30 de dezembro de 2018 (UTC)
@Millennium bug: @Tks4Fish: O importante é concordar com o princípio. Prazos podem ser ajustados. Neste momento é 6+6. O que seria ideal para vocês? 6+9? 6+12? JMagalhães (discussão) 02h11min de 30 de dezembro de 2018 (UTC)
6+18, o que acha? Millbug fala 02h12min de 30 de dezembro de 2018 (UTC)
Tks4Fish Percebo o dilema. A lógica era exigir consenso para evitar uma nova votação, mas realmente o consenso não precisa de ser unânime. Só ainda não vi alternativa, porque deixar para os burocratas a interpretação de se há ou não consenso numa consulta de 72 horas parece-me problemático. Dux Æ 02h14min de 30 de dezembro de 2018 (UTC)
JMagalhães creio que 6+18 seja o ideal. Dois anos várias coisas mudam, então é justo que seja o prazo máximo. —Thanks for the fish! talkcontribs 01h31min de 31 de dezembro de 2018 (UTC)

(conflito) Citação: Dux Praxis escreveu: «Pelos vistos o JMagalhães percebeu que as reatribuições após renúncia não estão nas regras e qualquer editor que as contestasse poderia iniciar um pedido de remoção ao visado e aí a comunidade poderia pronunciar-se, e ele quer evitar isso». Por favor, colega, não faça isso. Assim vc está argumentando ad hominem e atingindo a mim também, como se houvesse um lobby de reatribuídos temerosos de uma remoção, o que não é verdade; não é saudável argumentar assim. Millbug fala 02h18min de 30 de dezembro de 2018 (UTC)

Millennium bug Reconheço que tem a sua razão. Mas também os casos não são comparáveis. Que eu saiba no seu caso não houve oposição de ninguém, portanto no problem. Dux Æ 02h25min de 30 de dezembro de 2018 (UTC)

  Contra também. Proposta demasiado cega. Tá certo que deve haver limites temporais mas daí a exigir sempre uma nova votação não concordo, depende dos casos, seria até ofensivo exigir novo PDA a editores que tanto deram ao projecto como Nuno Tavares, Lusitana, PatríciaR ou Belanidia só para citar alguns, se eles quiserem voltar teríamos era de agradecer e não exigir votos. Dux Æ 02h32min de 30 de dezembro de 2018 (UTC)

E quem é que decide os casos e com base em que critérios? Você, dependendo se os requerentes são seus amigos ou não? Eu não conheço quase ninguém daí, e 99% da comunidade atual também não. JMagalhães (discussão) 02h43min de 30 de dezembro de 2018 (UTC)
Ver Proposta 6, não há necessidade de novo PDA se houver consenso unânime sobre a reatribuição. Dux Æ 04h02min de 30 de dezembro de 2018 (UTC)
Proposta 6 é igual à 2: dar poder a uma única pessoa para sabotar uma decisão da comunidade, coisa mais do que rejeitada aqui nesta página. JMagalhães (discussão) 04h26min de 30 de dezembro de 2018 (UTC)

  Concordo com este ponto. Fico feliz por ver que se está, aos poucos, a formular uma coisa mais decente do que a que existe actualmente. As pessoas tendem a dizer que não se deve fazer regras para coisas que nunca aconteceram, mas elas esquecem-se que o projecto é composto por seres humanos, e os seres humanos nascem bons mas tornam-se "maus" com o passar do tempo... daí a necessidade de regras, para que quando aconteça algo "mau", já exista uma regra e não se esteja à espera que se discuta se a acção X foi bem ou mal feita. Sobre o prazo, eu sugeria um 6+6, contudo não me oponho a nenhum outro prazo, desde que exista um! Sigamos em frente... venham mais propostas claras e concisas como esta. Luís Almeida "Tuga1143 03h04min de 30 de dezembro de 2018 (UTC)

  Concordo no prazo 6 + 18.Regra deve valer para todos. É preciso saber ceder. Consenso é ganhar na média. FábioJr de Souza msg 03h07min de 30 de dezembro de 2018 (UTC)

  Concordo 6 + 0. No prazo de 6 meses para devolução do estatuto ainda é possível a abertura de um pedido de remoção. Passados 6 meses, é inevitável que a memória da comunidade se desvaneça com o tempo, de modo que considero improvável que um eventual pedido de remoção depois desse período seja exitoso. É inenarrável, vergonhoso o que alguns burocratas fazem (de bom grado, diga-se), re-atribuírem estatutos a quem corrompe reincidentemente políticas oficiais com GAs, cyberbulling e wikistalking, demonstra o seu total despreparo para a tomada deste tipo de decisão. Ficou mais do que provado no passado o acordo estabelecido entre dois ou mais burocratas para com um ou mais infractores com o intuito de prejudicar outrem. Competência é regra, e se não o são deixe-se que a comunidade decida. Shgür Datsügen (discussão) 03h46min de 30 de dezembro de 2018 (UTC)

  Concordo com a proposta 5. --Felipe da Fonseca (discussão) 11h51min de 30 de dezembro de 2018 (UTC)

  Concordo com a proposta 5 e prazos de 6 + 18. Stuckkey (discussão) 16h49min de 30 de dezembro de 2018 (UTC)

  Concordo É isso. Essa insistência no consenso=unanimidade não faz o menor sentido. José Luiz disc 19h26min de 30 de dezembro de 2018 (UTC)

  Concordo com a proposta 5. -- DARIO SEVERI (discussão) 19h28min de 30 de dezembro de 2018 (UTC)

  Comentário Sem o adendo abaixo esta proposta 5 piora em muito a regra vigente sem motivo válido: WP:POLA#Remoção automática por absenteísmo: Citação: O administrador que teve o seu estatuto removido por inatividade poderá, a qualquer momento, solicitá-lo novamente aos burocratas. Se qualquer editor contestar essa devolução, um novo pedido de aprovação deverá ser iniciado. tal como aprovado em votação pela comunidade. Não há motivo para depois de 1 ano da remoção obrigar sempre a votação; se houver consenso unânime na devolução não faz sentido obrigar a um novo PDA. Sem o adendo sou   Contra a proposta. Dux Æ 20h10min de 30 de dezembro de 2018 (UTC)

Adendo à Proposta 5Editar

Proposta 5

  • Ao fim de seis meses de inatividade, a pessoa é avisada e o estatuto removido automaticamente.
  • A partir da data em que o estatuto foi removido, a pessoa tem um prazo de seis meses em que pode pedir para lhe serem novamente atribuídas as ferramentas, de forma automática e sem questionamentos.
  • A partir desses seis meses (ou seja, doze meses desde que ficou inativa), a pessoa tem sempre que abrir um novo pedido de aprovação.

Adendo

  • A partir desses 6 meses (ou seja, 12 meses desde que ficou inativa), a pessoa precisa de consenso unânime (com consulta durante 3 dias na esplanada) ou, em caso de oposição de qualquer editor com direito a voto, um novo pedido de aprovação.

Nota: Esta proposta é idêntica à 5, com a diferença que mantém o que a própria comunidade aprovou em 2011 quando definiu as regras da inatividade: em caso de consenso unânime é desnecessária nova votação, princípio basilar da Wikipédia.

Dux Æ 17h23min de 30 de dezembro de 2018 (UTC)

  Discordo --Felipe da Fonseca (discussão) 17h25min de 30 de dezembro de 2018 (UTC)

  Concordo --DARIO SEVERI (discussão) 19h25min de 30 de dezembro de 2018 (UTC)

  Discordo totalmente também. Mesma proposta de antes com palavras diferentes. "Consenso unânime" é a mesma proposta já rejeitada, na qual uma única pessoa anula uma decisão comunitária. Não vai ser aprovada por insistência. Érico (disc.) 21h42min de 30 de dezembro de 2018 (UTC)

Érico Qual o motivo para obrigar TODOS os ex-sysops cuja remoção tenha mais 1 ano (ou o prazo que for definido na proposta 5)? Se houver consenso unânime para a reatribuição é totalmente desnecessário um novo PDA. Ex. se um sysop consensual como JoLorib perder o estatuto por inatividade e passados 13 meses desejar regressar faz algum sentido obrigá-lo a nova votação? Daí eu defender uma regra mais flexível, que permita evitar votações em caso de consenso após esgotado o prazo de reatribuição automática. Dux Æ 22h54min de 30 de dezembro de 2018 (UTC)
Falácia do apelo à emoção misturada com informações falsas. A proposta 5 apenas se aplica aos casos de absentismo prolongado. O Jo Lorib não está ausente. E se não faz sentido para o Jo Lorib, porque é que haveria de fazer para qualquer outro administrador? Há administradores que são mais do que outros? É um único editor que tem o poder de achar o que é um administrador "consensual"? JMagalhães (discussão) 23h01min de 30 de dezembro de 2018 (UTC)

  Discordo Até à proposta 5, o proponente deste "adendo" fartou-se de alegar que as pessoas que pedem ferramentas após anos de inatividade: 1) podem-se tratar de contas hackadas, 2) não conhecem a comunidade e a comunidade não as conhece a elas, 3) não estão a par das novas regras. Certo, todos estes argumentos são preocupações válidas e justas. Por isso é que criei a proposta 5. Mas parece que para o proponente o mesmo argumento serve para uma coisa e o seu contrário. Então se a pessoa que regressa for um miguxo, já não há o risco de hacking nem problema em desconhecer as novas regras ou a comunidade? Uns são filhos outros são enteados? Não, nem pensar. Regras iguais para todos. Ou são todos obrigados a fazer novo pedido após x tempo ou ninguém é obrigado. JMagalhães (discussão) 22h25min de 30 de dezembro de 2018 (UTC)

Proposta 6Editar

Proponho a inclusão em WP:POLA, WP:POLB, WP:POLE e WP:POLAI:

O editor que teve o seu estatuto removido voluntariamente (renúncia) ou por inatividade poderá, no prazo de 12 meses(*), solicitá-lo novamente aos burocratas, tendo o estatuto devolvido automaticamente.

Após esse prazo para a devolução do estatuto será exigido consenso unânime ou, não o havendo, um novo pedido de aprovação. Idêntico procedimento será exigido caso a renúncia tenha ocorrido quando questionada a conduta do editor (pedido de remoção ou discussão de bloqueio aberta ou iminente) ou para uma 3.ª solicitação de devolução no período de 2 anos. Procedimento: O pedido deverá ser anunciado na esplanada e aberto a discussão durante 3 dias. Se qualquer editor com direito a voto contestar essa devolução, um novo pedido de aprovação deverá ser iniciado.
(*) Prazo aberto, podem ser considerados outros prazos.

Assim é possível fazer WikiPausas, tendo 1 ano para pedir livremente a devolução das ferramentas, mas sem poder abusar do sistema renunciando e pedindo o estatuto a toda a hora (estatuto sysop self-service). Para os restantes casos aplica-se o sistema antigo: consulta prévia por 72 horas, com aviso na esplanada (novidade!) e unanimidade na discussão. Não há necessidade de nova votação se a reatribuição não tem qualquer oposição (consenso unânime). Casos que exigem consulta prévia:

  • Remoção do estatuto há mais de 12 meses;
  • Renúncia quando questionada a conduta do editor;
  • 3.ª solicitação de devolução em 2 anos.

Nesta discussão há os que são contra todas as reatribuições, os que defendem as reatribuições com consenso prévio (onde me incluo) e os que defendem reatribuições (quase) livres. Tentei compatibilizar as várias sensibilidades. Quem somente discordar de um determinado prazo não tem problema, a proposta está aberta a outras ideias, prazos, etc., é somente uma base para o aprofundamento da discussão. Dux Æ 04h01min de 30 de dezembro de 2018 (UTC)

  Discordo Outra vez arroz? Você está simplesmente a re-propor o pacote da proposta 2, com coisas que já foram mais do que rejeitadas pela maioria dos editores nesta página de discussão. JMagalhães (discussão) 04h07min de 30 de dezembro de 2018 (UTC)

Recomendo ler a proposta antes de comentar… Dux Æ 04h10min de 30 de dezembro de 2018 (UTC)
Já li. Outra vez arroz: dar poder a uma única pessoa para impugnar uma decisão da comunidade com base em coisa nenhuma. É a única coisa que você sabe propor, é a mesma coisa sucessivamente rejeitada e é com essa birrinha que tem torrado a paciência de todos aqui nesta discussão. Quando viu que outras propostas mais simples estavam a avançar com apoio significativo da comunidade, decidiu estragar a festa mais uma vez. JMagalhães (discussão) 04h13min de 30 de dezembro de 2018 (UTC)
Nesta proposta o editor pode fazer uma WikiPausa de 1 ano, dentro desse período a devolução do estatuto é livre. Após 1 ano a devolução é condicionada a consenso unânime, caso contrário exige-se novo pedido de aprovação. E tive o cuidado de dizer que o prazo era discutível. Isto é uma cedência significativa para os colegas que são contra todas as reatribuições ou as reatribuições livres. E você o que está disposto a ceder para atingir o consenso? Esta proposta é uma tentativa séria de compatibilizar as várias tendências e inclui ideias já defendidas por si nesta discussão, mas como são propostas por outro já estão erradas. Haja paciência… Dux Æ 04h27min de 30 de dezembro de 2018 (UTC)
Quem está a abusar da paciência alheia é você. Ninguém aqui é criança para fazer birrinhas. Mas você tem sempre de ofender quando é contrariado, não é? Dux Æ 04h28min de 30 de dezembro de 2018 (UTC)
Não tente atirar areia para os olhos da comunidade nem fazer dos outros parvos. A sua proposta não se aplica apenas a quem faz Wikipausas. A sua proposta é dar poder a uma única pessoa para sabotar uma decisão da comunidade e impedir a reatribuição das ferramentas a quem se manteve perfeitamente ativo. JMagalhães (discussão) 04h32min de 30 de dezembro de 2018 (UTC)
Errado! Está preto no branco: após renúncia o editor tem 1 ano para pedir livremente a devolução do estatuto, nesse período não interessa se editou ou abandonou o projecto, é livre de fazer o que entender. Passado 1 ano para ter o estatuto de volta precisa de consenso ou, não o tendo, novo PDA. Dux Æ 04h39min de 30 de dezembro de 2018 (UTC)
Atualmente quem pede remoção voluntária e se mantém ativo não tem nenhum prazo, nem existe qualquer razão para tê-lo. Os argumentos do hacking e de ter desacompanhado as regras e a comunidade só se aplicam aos inativos. Mas quem o ouvir falar até parece muito 'generoso' a 'oferecer' um ano inteirinho. JMagalhães (discussão) 04h50min de 30 de dezembro de 2018 (UTC)

E como se não bastasse dar a uma única pessoa o poder de subverter decisões da comunidade, ainda lhe quer dar um arsenal de manhas, termos vagos e weasel words subjetivas e bacocas para que possa "justificar" a idiotice. O que é isso de "discussão de bloqueio iminente"? Isso é baseado em quê? Em telepatia? Ou foi aberta uma DB ou não foi. E o que é essa coisa de "quando questionada a conduta do editor"? Se no dia anterior ao pedido de remoção tiver ido um spammer à PDU reclamar de lhe terem apagado o artigo, isso conta como "conduta questionada"? JMagalhães (discussão) 04h46min de 30 de dezembro de 2018 (UTC)

  Discordo. Mesma proposta reciclada de sempre. Vou deixar registrado: discordo de qualquer proposta que incluir a bizarra ideia de que um editor pode anular uma decisão comunitária. É absurda, ainda mais se a qualidade dessa contestação não é levada em conta. Érico (disc.) 04h56min de 30 de dezembro de 2018 (UTC)

Érico Mas esta proposta prevê o período de 1 ano para devolução livre, após o que se exige consenso unânime ou novo PDA. A proposta 5 prevê igualmente 1 ano (6m+6m) para devolução livre e depois exige sempre novo PDA. Qual o sentido de forçar novo voto se não houver qualquer oposição? Dux Æ 05h06min de 30 de dezembro de 2018 (UTC)
É feio mentir descaradamente e fazer os outros de parvos. A proposta 5 prevê apenas para os casos de absentismo e apenas uma modificação ligeira às regras existentes. Esta proposta prevê a introdução dessas restrições para os casos de editores ativos, coisa que de tanto rejeitada já mete dó. JMagalhães (discussão) 05h12min de 30 de dezembro de 2018 (UTC)

  Discordo da proposta 6, uma vez que concordo com a 3, 4 e 5. Estou me adequando as regras mais bradas, porque concordo com o Tuga1143, de que deve haver confirmação da comunidade periodicamente, digamos a cada 2 anos. Depois de terminada esta discussão, iremos passar para esta outra. --Felipe da Fonseca (discussão) 11h54min de 30 de dezembro de 2018 (UTC)

  Discordo da proposta 6. @Dux Praxis:, deixa a coisa andar e vamos ver o que vamos conseguir aqui. Se no final achares que falta alguma coisa, então manifesta-te... mas enquanto a caravana está a andar bem, porque é que continuas a travar? Moving foward, concordo com o Felipe da Fonseca. Luís Almeida "Tuga1143 14h27min de 30 de dezembro de 2018 (UTC)

  Discordo da proposta 6. Nem toda unanimidade é boa. Millbug fala 16h54min de 30 de dezembro de 2018 (UTC)

  Discordo Dux Praxis Pode, por favor, me esclarecer como é que criamos um projeto para 300 milhões de lusófonos no qual UMA pessoa pode travar um consenso? José Luiz disc 19h27min de 30 de dezembro de 2018 (UTC)

Jbribeiro1 Já existe em WP:POLA#Remoção automática por absenteísmo: Citação: O administrador que teve o seu estatuto removido por inatividade poderá, a qualquer momento, solicitá-lo novamente aos burocratas. Se qualquer editor contestar essa devolução, um novo pedido de aprovação deverá ser iniciado. tal como aprovado em votação, e curiosamente você votou a favor! Dux Æ 20h06min de 30 de dezembro de 2018 (UTC)
Outros tempos, muito menos politizados do que agora. Em 2011 eu mal sabia que que faltava a esta comunidade (e à lusofonia, diga-se de passagem) qualquer tradição na construção de consensos. Tentamos copiar a legislação anglófona, toda ela de tradição consuetudinária, até hoje sem nenhum sucesso. Nosso costume é recorrer, recorrer, recorrer, recorrer até prescrever.... José Luiz disc 21h05min de 30 de dezembro de 2018 (UTC)
Em tempo: respondi a sua pergunta. Pode responder a minha? José Luiz disc 21h06min de 30 de dezembro de 2018 (UTC)
Jbribeiro1 É pena, mas provavelmente será utópico. De qualquer modo para tentar consensualizar as posições a minha proposta só prevê consenso para evitar novo PDA após esgotado o prazo de reatribuição automática, de modo a evitar votações desnecessárias. Dux Æ 23h06min de 30 de dezembro de 2018 (UTC)

Proposta 7Editar

Como já tinha dito, a minha ideia era desmembrar sucessivamente os 'pacotes' em propostas simples para saber em que pontos há ou não consenso. Recapitulando: a proposta 3 propunha impedir a reatribuição automática das ferramentas nos casos em que a remoção voluntária tivesse sido pedida durante uma desnomeação em curso. A proposta 4 propunha considerar que todos os casos em que a pessoa incorresse num período de absentismo seriam considerados remoção por absentismo, independentemente de a pessoa ter ou não pedido remoção voluntária antes de desaparecer. A proposta 5 propõe, para os casos absentismo, que haja um prazo de tempo em que a pessoa possa pedir a reatribuição automática.

Em complemento à proposta 3, proponho que seja proibida a reatribuição automática nos casos em que o pedido de remoção voluntária tenha ocorrido durante uma discussão de bloqueio em curso.

Que problema é que isto resolve? Atualmente há estatutos em que um bloqueio validado implica a remoção automática das ferramentas. Ao ver que está prestes a ser bloqueada, a pessoa pode subverter as regras pedindo a remoção voluntária, para mais tarde alegar que tem direito à reatribuição por "nunca ter sido bloqueado enquanto estava na posse das ferramentas".

JMagalhães (discussão) 22h40min de 30 de dezembro de 2018 (UTC)

  Concordo. Shgür Datsügen (discussão) 22h50min de 30 de dezembro de 2018 (UTC)

  Concordo. Érico (disc.) 22h54min de 30 de dezembro de 2018 (UTC)

  Concordo. Stuckkey (discussão) 23h07min de 30 de dezembro de 2018 (UTC)

  Concordo Luís Almeida "Tuga1143 23h12min de 30 de dezembro de 2018 (UTC)

  Concordo GhostP. diz aê! edições! 23h14min de 30 de dezembro de 2018 (UTC)

  Concordo Dux Æ 23h17min de 30 de dezembro de 2018 (UTC)

  Concordo FábioJr de Souza msg 23h17min de 30 de dezembro de 2018 (UTC)

  ConcordoThanks for the fish! talkcontribs 01h29min de 31 de dezembro de 2018 (UTC)

  Concordo Millbug fala 03h11min de 31 de dezembro de 2018 (UTC)

  Concordo. DARIO SEVERI (discussão) 08h45min de 31 de dezembro de 2018 (UTC)

  Concordo --Felipe da Fonseca (discussão) 10h25min de 31 de dezembro de 2018 (UTC)

  Concordo José Luiz disc 17h37min de 31 de dezembro de 2018 (UTC)

Proposta 8Editar

No seguimento das Propostas 4 e 7, que propõem proibir a reatribuição após renúncia durante pedidos de remoção e discussões de bloqueio, falta definir um prazo para a reatribuição automática do estatuto anteriormente renunciado no casos dos editores que se mantiveram activos no projecto (não caíram no conceito de inatividade).

Proponho que a reatribuição automática somente seja possível até 12 meses(*) após remoção voluntária (renúncia) do estatuto, mesmo que o editor se mantenha activo no projecto (não incorra no conceito de inatividade).

(*) Prazo discutível, pode ser 12, 18 ou 24 meses, somente é conveniente ser equivalente ao prazo definido para a reatribuição automática após remoção por inatividade (para igualdade de tratamento).

Motivo: Os estatutos não são direitos ou bens vitalícios, existem para ser usados em favor do projecto e dependem da confiança da comunidade. A manutenção da confiança depende do bom uso que o editor faça das ferramentas que lhe são confiadas. Mesmo que o editor se mantenha activo no projecto é natural que após um período alargado fora do estatuto a comunidade queira voltar a avaliar o candidato num novo pedido de aprovação.

Ex. Não seria apropriado um administrador renunciar e, embora não abandonando o projecto, tenha o estatuto vitaliciamente ao seu dispôr, podendo pedir a reatribuição automática passados 10 anos. Passado tanto tempo a comunidade activa alterou-se e a confiança no editor também poderá ter mudado.

Dux Æ 02h10min de 31 de dezembro de 2018 (UTC)

  Comentário Apesar de reconhecer o direito de propor que cada editor possui, estamos tendo muitas propostas. Daqui a pouco chega a 20. Vamos tentar aprovar o fácil, fechar e depois tentar o difícil. Acho que é cristalino que não se possa reatribuir o estatuto para quem renunciou durante DB ou pedido de remoção. Vamos avançar nos pontos menos polêmicos para conseguir aprovar algo.FábioJr de Souza msg 02h40min de 31 de dezembro de 2018 (UTC)

Fabiojrsouza concordo, vamos deixar que se organize as coisas do menos regulado para o mais regulado, do menos conflituoso ao mais conflituoso, uma vez que hoje não há regulação alguma. Eu sou a favor da proposta, mas como vi acima, ela não passará muito facilmente. Depois de acertado os pontos mais consensuais, pode-se avançar para os menos consensuais... Peço ao Dux Praxis, portanto, que caminhe do mais consensual para o menos consensual. O JMagalhães tem feito um bom trabalho e estou certo que não impedirá que outras propostas avancem, depois que que as suas forem discutidas. --Felipe da Fonseca (discussão) 10h36min de 31 de dezembro de 2018 (UTC)

Nâo é redundante com uma das anteriores? Millbug fala 03h12min de 31 de dezembro de 2018 (UTC)

Millennium bug Não, esta abrange os editores que renunciaram ao estatuto e se mantiveram activos no projecto (não caíram no conceito de inatividade). Vou tornar mais claro. Dux Æ 03h14min de 31 de dezembro de 2018 (UTC)
Ok,   Concordo com 24 meses. Millbug fala 05h49min de 31 de dezembro de 2018 (UTC)

  Concordo com o período de 18 ou 24 meses. DARIO SEVERI (discussão) 08h49min de 31 de dezembro de 2018 (UTC)

  Discordo Outra vez arroz. No caso dos absentistas, o argumento para um novo PDA é 1) risco de hacking da conta; 2) desconhecimento das novas regras; 3) desconhecimento da comunidade. Ora, se durante todo esse tempo a pessoa se manteve ativa, nenhuma destas razões se aplica. Mais uma proposta dissimulada para tentar obstruir o legítimo acesso às ferramentas a quem foi eleito e continua ativo. JMagalhães (discussão) 10h13min de 31 de dezembro de 2018 (UTC) EDIT: chega-se ao ridículo de se propor que o prazo limite para pessoas que se mantiveram plenamente ativas na comunidade seja significativamente menor do que absentistas.

Pelo já exposto acima, sou contra esta proposição neste momento, mas   Concordo com ela, e como já foi apresentada, mantenho concordância. Mas novamente peço calma ao Dux Praxis, propostas mais polêmicas poderão ser propostas depois de fixadas as bases. Obs: concordo com os 12 meses e com os maiores se for para conseguir consenso. --Felipe da Fonseca (discussão) 10h36min de 31 de dezembro de 2018 (UTC)

  Discordo Não é possível igualar os ativos no projeto com os absenteístas. Criar entraves na reatribuição aos ativos só estimularia a posse do estatuto com uma ação administrativa a cada seis meses, como forma de evitar a perda. Numa situação hipotética criar entraves aumentaria a quantidade de administradores inertes que seria evitável com uma dinâmica mais simplificada para o uso da ferramenta. Mas por mera cautela, acaso isso seja aprovado então que seja no prazo de 24 meses. Stuckkey (discussão) 11h21min de 31 de dezembro de 2018 (UTC)

Stuckkey estive pensando neste argumento, ele é realmente forte. Não adianta fazer a exigência da proposta sem uma exigência geral de revalidação pela comunidade, pois acabaria ocorrendo oq vc alega: incentiva o uso da ferramenta esporadicamente apenas para mantê-la. Passo a   discordar da proposta.--Felipe da Fonseca (discussão) 11h53min de 31 de dezembro de 2018 (UTC)
Mais para a frente na discussão pode-se apertar os critérios para definição de absentismo. Talvez não para perda imediata da ferramenta, mas por exemplo exigindo que administradores com muito pouca atividade sejam sujeitos a reconfirmação. Por outro lado, antevejo que obrigar todos os administradores sem exceção a se revalidarem periodicamente, incluindo os que são perfeitamente ativos, vá ter oposição em massa. Primeiro, porque é uma burocracia desnecessária que iria obrigar a haver meses com dezenas de eleições, segundo porque qualquer administrador que não seja covarde e não tenha receio de mexer com amiguismos e interesses instalados tem obviamente uma quebra de popularidade abaixo dos 75%. Acontece o mesmo na vida real: escolha qualquer governante na História que você admire e que ache que é consensual e vai ver que na realidade a popularidade ao fim de alguns anos andou sempre pelos 30-50%. O resultado prático e desastroso de tal medida seria a desnomeação de todos os administradores mais interventivos, deixando apenas aqueles que pouco ou nada intervêm em decisões difíceis e, por isso, mantêm a popularidade inicial. Em resumo, criam-se uma série de problemas para não resolver qualquer problema. Lembro que para casos de efetiva falta de confiança por violação das regras pode ser aberto um pedido de desnomeação a qualquer momento. JMagalhães (discussão) 12h21min de 31 de dezembro de 2018 (UTC)
Sua sugestão é boa, mas obviamente só ataca um aspecto do problema. Estou ciente da dificuldade citada, i.e. baixa popularidade pelo envolvimento em temas menos populares. Porém, sou radicalmente contra mandatos vitalícios, basta ver o que ocorre no STF (já que foi citado a política externa à Wikipédia): um governo pode infestar todo um poder por décadas. Portanto, acredito que um prazo deva haver para revalidações. Para contornar o problema colocado por vc, pode-se deixar a critério do adm escolher quando se colocar à prova. P.ex., a obrigatoriedade de reavaliação a cada 2, 3 ou 4 anos, escolhendo o adm quando esta será feita, não necessariamente após o prazo, mas reiniciando a contagem após a confirmação. Enfim, existem muitas possibilidades que podem ser discutidas em tópico apartado. Que há a necessidade de reavaliação, de alguma maneira, acredito que é consenso.--Felipe da Fonseca (discussão) 12h32min de 31 de dezembro de 2018 (UTC)
Desde já me ponho contra à necessidade de revalidação do estatuto. Os estatutos não são vitalícios, mas somos todos voluntários e não há porque estabelecer metas de produtividade para manter o estatuto. Ademais o estatuto é uma ferramenta que ajuda o editor nas atividades que pretende exercer. Tanto que, se aprovados, todos os editores poderiam ser administradores. Assim, enquanto o editor entender que é útil mantem. Mas vejo que deva ser regulamentada a reatribuicao. FábioJr de Souza msg 12h47min de 31 de dezembro de 2018 (UTC)
A revalidação só se justifica ou em ferramentas que são muito sensíveis ou quando o número de membros do grupo é limitado. Quando o grupo é limitado, exige-se que só façam parte dele os membros mais ativos. É isso que acontece no STF brasileiro, em qualquer outro tribunal supremo ou em qualquer outro grupo restrito. Ora, não existe limite para o número de administradores da Wikipédia, pelo que essa questão não se coloca. Mesmo os que contribuem pouco são uma ajuda adicional e não estão a roubar o lugar a outros potencialmente mais ativos. JMagalhães (discussão) 13h32min de 31 de dezembro de 2018 (UTC)
Em todo caso não é o tema da presente proposta. Desde a primeira, efetuada por mim, a proposta não cai na reavaliação geral, portanto sugiro não delongar neste tema aqui. Eu mesmo paro de discutir o tema nesta proposta. --Felipe da Fonseca (discussão) 13h36min de 31 de dezembro de 2018 (UTC)

ResultadoEditar

Felipe da Fonseca Não houve consenso face à proposta 4. Relativamente às demais nada a dizer. Dux Æ 01h27min de 11 de janeiro de 2019 (UTC)
Pela minha análise a discussão produziu:
  • Proposta inicial: sem consenso
  • Proposta 1: rejeitada
  • Proposta 2: sem consenso
  • Proposta 3: consenso
  • Proposta 4: sem consenso
    • Adendo: sem consenso
  • Proposta 5: consenso
  Comentário Sem consenso quanto ao tempo. Millbug fala 21h03min de 11 de janeiro de 2019 (UTC)
Verdade, o tempo permanece em aberto. Dux Æ 05h15min de 12 de janeiro de 2019 (UTC)
    • Adendo: sem consenso
  • Proposta 6: rejeitada
  • Proposta 7: consenso unânime
  • Proposta 8: sem consenso

Dux Æ 01h39min de 11 de janeiro de 2019 (UTC)

Concordo, só estou em dúvida em relação a sua conclusão da "proposta 4".--Felipe da Fonseca (discussão) 10h22min de 11 de janeiro de 2019 (UTC)
Dux Praxis Concordo com exceção a sua conclusão da "proposta 4". nesta houve sim consenso, as dois "discordos" se refere a um adendo colocado no meio da proposta. Obs: Dux, após aplicação destes consenso, sugiro que vc tente seguir com suas propostas.--Felipe da Fonseca (discussão) 10h25min de 11 de janeiro de 2019 (UTC)
JMagalhães como vc trabalhou na maioria das propostas, favor verificar se concorda com os resultados acima, incluindo minha correção para "proposta 4".--Felipe da Fonseca (discussão) 10h27min de 11 de janeiro de 2019 (UTC)
Felipe da Fonseca Não vejo como pode existir consenso quando não foram rebatidos os argumentos contrários de confusão entre absentismo e renúncia voluntária, são coisas totalmente diferentes e o texto proposto mistura os dois conceitos. Mas mesmo em termos aritméticos, sobre a proposta 4:
  •   Apoio JMagalhães, Fábio, Tuga1143 (com a ressalva que defende regras para a devolução de estatutos renunciados a editores activos), Felipe da Fonseca, Stuckkey
  •   Contra Dux, Millbug
  •   Neutro Thanks for the fish!, Érico (contra o adendo mas não se pronunciou sobre a proposta 4)

Não vejo aqui consenso acerca da proposta. Dux Æ 17h32min de 11 de janeiro de 2019 (UTC)

O Milleniumbug não foi contra a proposta 4. O único contra foi você, alegando coisas sem relação nenhuma com a proposta. JMagalhães (discussão) 17h37min de 11 de janeiro de 2019 (UTC)
Ou seja, só vc foi contra (por isso não há consenso?): um não pode ter este poder que vc imagina. Bom, esta claro que houve consenso e acho que podemos partir para implementação.--Felipe da Fonseca (discussão) 17h43min de 11 de janeiro de 2019 (UTC)
Felipe da Fonseca Veja Citação: Milleniumbug escreveu: «Então, com todo o respeito, o raciocínio inicial desta quarta proposta não é válido.» Acho que está claro o posicionamento, sendo que em seguida propôs um adendo em alternativa. Dux Æ 17h53min de 11 de janeiro de 2019 (UTC)
Érico parece ter sido a favor. Não encontro a passagem do Millennium bug mas creio que ele possa esclarecer. --Felipe da Fonseca (discussão) 18h20min de 11 de janeiro de 2019 (UTC)
Minha oposição é clara. Millbug fala 21h00min de 11 de janeiro de 2019 (UTC)
Foi tão pouco clara que ninguém percebeu pelo comentário que era uma oposição. Não vi nada no comentário que invalidasse o raciocínio da proposta. JMagalhães (discussão) 21h05min de 11 de janeiro de 2019 (UTC)
O que invalida o raciocínio é que ele tenta tratar maçãs como se fossem laranjas. As regras já contemplam especificamente o absenteísmo e a renúncia como coisas diferentes, de modo que não há dilema algum. A proposta 4 quer tratar renúncia como absenteísmo se ele vier depois, criando uma nova figura de "absenteísmo de ex-". Ora, se vamos estipular prazo para a reatribuição no caso de absenteísmo (e isso já é consenso), é muito mais inteligível que isto esteja tratado de forma sucinta, como no meu texto alternativo. Millbug fala 21h50min de 11 de janeiro de 2019 (UTC)
Não vejo o que é que está a "invalidar o raciocínio", você não está a ser minimamente claro nem me parece que tenha percebido o que está em causa. A coisa é tão simples como isto: imagine que administrador X pede a remoção voluntária das ferramentas. A partir daí fica cinco anos inativo. Concorda que lhe sejam reatribuídas automaticamente as ferramentas? JMagalhães (discussão) 09h13min de 12 de janeiro de 2019 (UTC)
Peço permissão para me intrometer na discussão, fiz uma breve análise da proposta 4 e, no meu entendimento, não trata-se de uma proposta e sim de uma adequação do texto, evitando que usuários abdicam voluntariamente das ferramentas perto do prazo de absenteísmo. Sobre o caso do Millennium bug, vejo o comentário dele como um questionamento e não, necessariamente, uma oposição. Portanto, creio que o próprio deve se manifestar sobre seu argumento. Edmond Dantès d'un message? 18h28min de 11 de janeiro de 2019 (UTC)
Na minha análise guiei-me pelo que foi escrito. Érico foi contra o adendo mas não se manifestou face à proposta 4. Não se pode presumir o silêncio como concordância. Mas concordo com vocês, melhor os próprios esclarecerem. Dux Æ 18h48min de 11 de janeiro de 2019 (UTC)
Conde Edmond Dantès Conde, veja que para renunciar ao estatuto é preciso editar (na página de pedidos a burocratas), então mesmo que alguém o faça aos 5 meses 29 dias de inatividade iniciaria novo período de 6 meses para incorrer na regra de absentismo. E não é possível renunciar ao estatuto após 6 meses de inatividade porque simplesmente nessa altura já não tinha o estatuto por ter incorrido em absentismo. Se o editor não tem qualquer estatuto vai incorrer em absenteísmo do quê? De um ex-estatuto? Realmente a proposta 4 não faz sentido, é uma confusão de conceitos entre absentismo e renúncia. De qualquer modo está esclarecida a ausência de consenso sobre ela. Dux Æ 05h14min de 12 de janeiro de 2019 (UTC)

Ok, concordo que não houve consenso na proposta 4. Talvez possamos fechar as que tiveram consenso, seja concordando ou discordando, e reavaliar aquelas (como a 4), em que o consenso quase foi atingido, para quem sabe atingi-lo se houver algumas mudanças.--Felipe da Fonseca (discussão) 12h46min de 12 de janeiro de 2019 (UTC)

  ConcordoFábioJr de Souza msg 13h29min de 12 de janeiro de 2019 (UTC)
  Concordo Dux Æ 00h31min de 13 de janeiro de 2019 (UTC)

  Discordo que não houve consenso na proposta 4. Pois é possível deduzir o consenso na proposta 4 de forma indireta, consiste nisto: Em todo debate houve maioria para rejeitar que "um único editor" pudesse criar objeções ao pedido de reatribuição automática por burocrata. Na proposta 4 também não seria diferente a interpretação, pois a proposta (adendo) do millennium bug reincluía exatamente a possibilidade, já rejeitada várias vezes, de que apenas um editor seria suficiente para criar óbice injustificado para reatribuição automática. Ou seja, aquela particularidade introduzida no adendo foi rejeitada inúmeras vezes em várias partes do debate. Não se pode analisar as partes do debate sem a consideração das linhas gerais de toda a discussão desde o início. Stuckkey (discussão) 14h44min de 12 de janeiro de 2019 (UTC)

Proposta 9Editar

Imaginem a seguinte situação: 1) Um editor pede voluntariamente a remoção das ferramentas; 2) passado algum tempo fica inativo durante X anos; 3) ao fim de X anos regressa ao projeto e pede de novo as ferramentas, alegando que pediu a remoção voluntária e, como tal, as regras de absentismo não se lhe aplicam. Isto é justo ou faz sentido? Claro que não. Se ele não tivesse pedido a remoção voluntária, as ferramentas ter-lhe-iam sido removidas por absentismo.

Assim, proponho que as regras para reatribuição por absentismo se apliquem a todos os que tenham atravessado um período de absentismo, independentemente de antes desse período terem pedido ou não a remoção voluntária.

Isto é uma reformulação da proposta 4, cuja texto muita gente considerava confuso. JMagalhães (discussão) 16h46min de 14 de janeiro de 2019 (UTC)

  Concordo --Felipe da Fonseca (discussão) 16h55min de 14 de janeiro de 2019 (UTC)

  Concordo FábioJr de Souza msg 17h04min de 14 de janeiro de 2019 (UTC)

  Concordo Stuckkey (discussão) 17h24min de 14 de janeiro de 2019 (UTC)

Uma vez mais,   Concordo. Luís Almeida "Tuga1143 19h35min de 14 de janeiro de 2019 (UTC)

  Discordo Outra vez arroz? Você está simplesmente a re-propor o pacote da proposta 4, com os mesmos problemas que levaram à ausência de consenso. Continua a confusão entre absenteísmo e renúncia. Como é que uma pessoa poderá incorrer em absenteísmo de um estatuto que já não tem, uma vez que renunciou ao dito? Não tem lógica exigir edições para manter um estatuto de que o editor abdicou. Em suma: não consegue explicar qual o interesse em misturar conceitos. Dux Æ 03h23min de 15 de janeiro de 2019 (UTC)

Quais problemas e qual confusão? A única confusão parece ser da sua parte e parece que nem consegue explicar porque "discorda". A "mistura de conceitos" existe agora, daí a proposta de os separar. JMagalhães (discussão) 09h05min de 15 de janeiro de 2019 (UTC)
Dux Praxis creio que a recolocação da proposta foi por indicação minha tentando alcançar consenso também em relação a proposta 4, portanto: Eu entendo sua colocação, agora pelo menos. Sua crítica faz sentido, obrigado por tocar neste ponto, porém eu discordo: a proposta 4 não faz com que o absenteísta perca um estatuto que ele renunciou... por óbvio ele já o renunciou. A proposta 4 faz com que o absenteísta perca o "direito de ter seu estatuto novamente atribuído sem nova votação". Veja que este direito não existe nas normas, ele foi criado aqui por jurisprudência e é exatamente ele que queremos atacar, eu de forma absoluta, o JMagalhães e a maior parte dos usuários de forma relativa. --Felipe da Fonseca (discussão) 10h25min de 15 de janeiro de 2019 (UTC)
Felipe da Fonseca Sim, claro concordo que há esse problema (grave), discordo é desta solução, porque acho absurdo um editor autoconfirmado incorrer em absenteísmo de um estatuto de que abdicou faz tempo. Há dois conceitos, o absenteísmo e a remoção voluntária; as regras para a respectiva reatribuição devem constar de cada conceito, e não como nesta proposta 9 em que se quer tratar carne como se fosse peixe. Alguém explique isso ao proponente. Dux Æ 21h36min de 15 de janeiro de 2019 (UTC)
Portanto, você defende que uma pessoa possa pedir a remoção voluntária, fique dez anos sem meter os pés no projeto, e ao fim de dez anos possa pedir de volta as ferramentas só porque dez anos atrás pediu a remoção voluntária. JMagalhães (discussão) 21h39min de 15 de janeiro de 2019 (UTC)
Para mim está claro e acho que vc é que está confundindo: o absenteísta perde o "direito de ter seu estatuto novamente atribuído sem nova votação". Não tem como ficar mais claro. --Felipe da Fonseca (discussão) 21h47min de 15 de janeiro de 2019 (UTC)
Felipe da Fonseca Mas um autoconfirmado não é absenteísta de um estatuto que não tem (já teve!), isso não faz sentido. Dux Æ 21h53min de 15 de janeiro de 2019 (UTC)
Qualquer sysop que renuncie do estatuto é um autoconfirmado que pode ficar afastado da Wikipédia por um período de seis meses, sendo logicamente absenteísta. A regra nada diz sobre o uso ou não uso das ferramentas. Shgür Datsügen (discussão) 23h25min de 15 de janeiro de 2019 (UTC)

  Concordo Qualquer sysop que renuncie das ferramentas é automaticamente abrangido pela política de reatribuição do estatuto. Esta, por sua vez, implica sincronicamente a regra de absenteísmo. Sim, obviamente faz todo o sentido! Shgür Datsügen (discussão) 23h16min de 15 de janeiro de 2019 (UTC)

  Concordo. O texto ficou mais simples. Millbug fala 23h48min de 15 de janeiro de 2019 (UTC)

  Comentário O texto continua a não estar claro, deixa dúvidas desnecessárias, ex. nesta proposta por absenteísmo considera-se o prazo de 6 meses para a remoção por inactividade ou o prazo de 6+6 meses (se for este o aprovado) para a reatribuição automática? Texto demasiado confuso. comentário não assinado de Dux Praxis (discussão • contrib) Data/Hora (UTC).

No momento apenas para vc o texto aparece como obscuro. sinto dizer. --Felipe da Fonseca (discussão) 11h56min de 16 de janeiro de 2019 (UTC)
Felipe da Fonseca Já que você percebeu poderia elucidar outros, como eu, a qual dos prazos esta proposta se refere: 6 meses (prazo para reatribuição automática após remoção por absenteísmo) ou 12 meses (prazo dos 6 meses inatividade para remoção por absenteísmo + o prazo reatribuição automática)? Dux Æ 04h24min de 18 de janeiro de 2019 (UTC)
Dux Praxis que outros? Eu não sei os prazos, como se trata de assunto dos burocratas os desconheço completamente, então não posso ajudar na quantificação, mas está claro que se trata do prazo de absenteísmo (não sei qual é, mas se não me engano se trata de 6 meses + aviso). Em todo caso, se se trata de obscuridade na quantificação, basta fazer um adendo a proposta (o que seria até bom colocar expressamente o prazo), mas não parece ser este o problema, pois vc inicia com um problema conceitual, depois deste elucidado, passa para um problema de quantificação, etc. --Felipe da Fonseca (discussão) 09h34min de 18 de janeiro de 2019 (UTC)
Felipe da Fonseca Se nem se sabe a qual prazo esta proposta 9 se refere (6 meses, 12 meses, outro qualquer?) então está visto que o texto não está claro. Também defendo que o prazo esteja preto no branco na regra (para evitar prováveis mas totalmente desnecessárias futuras discussões interpretativas), daí ter criado a proposta 10, que é semelhante à 9, com a diferença que adiciona o prazo (que naturalmente pode ser discutido) e não chama o ex-administrador de absenteísta de um estatuto que já não tem. Dux Æ 19h54min de 18 de janeiro de 2019 (UTC)
O prazo está claro, eu não sei de onde vem a dúvida: é o prazo do absenteísta. Se há dúvida quanto a este prazo é outro problema (não sei se há), problema que deve ser tratado em outro documento, naquele que quantifica o prazo de absenteísta, que não é tarefa deste documento. O deste só alude ao prazo para absenteísta. Se houver realmente confusão quanto ao prazo do absenteísta (não sei se há) talvez seja bom esclarecer neste, porém, se não houver, será pior esclarecer neste (haverá dois prazos para o mesmo conceito). Portanto acho que como está está bom, pois deixa o problema para o documento apropriado. Repito ainda que suas criticas estão atingindo cada hora um alvo, não entendo o motivo. --Felipe da Fonseca (discussão) 20h29min de 18 de janeiro de 2019 (UTC)
É que há dois prazos do absenteísta (ver questionamento abaixo). Dux Æ 20h48min de 18 de janeiro de 2019 (UTC)
Neste caso este tema deve ser tratado nos outros documentos e não neste. Acho que a colocação da data neste pode trazer mais confusão e deve ser colocada apenas em último caso, i.e. se realmente houver confusão quanto a isso. Em todo caso, se trata de detalhe a ser tratado no âmbito desta proposta.--Felipe da Fonseca (discussão) 21h22min de 18 de janeiro de 2019 (UTC)

  Pergunta É uma pergunta simples: esta proposta 9 refere-se ao prazo de 6 meses (perda de ferramentas por inactividade) ou 12 meses (prazo perda de ferramentas por inatividade+prazo de reatribuição automática)? Ou é outro prazo qualquer? Quem souber/puder que responda. Nem é questão de consenso (ausente neste momento), é que sem isto ficar esclarecido (e incluído no texto!) a proposta é inviável. Não se pode aprovar uma alteração de regras sem todos os elementos estarem bem claros. Dux Æ 20h42min de 18 de janeiro de 2019 (UTC)

O esclarecimento é bem vindo, mas o editor insiste em não compreender: o prazo se refere a um conceito, a quantificação está em outro documento (se não está, deveria). Portanto, não há nada e "inviável" aqui, apenas má compreensão de um editor.--Felipe da Fonseca (discussão) 12h10min de 20 de janeiro de 2019 (UTC)
Felipe da Fonseca Imagine que esta proposta estava em vigor e um editor lhe perguntava qual o prazo de que dispunha para pedir as ferramentas de volta após renunciar e iniciar uma WikiPausa. Se não consegue dar uma resposta clara e concreta é porque o texto da proposta 9 não está claro. Dux Æ 23h14min de 20 de janeiro de 2019 (UTC)
Última vez, pois não irei me delongar mais nisso... 1) cabe aos burocratas responderem isso; 2) trata-se do mesmo prazo de absentismo (esta é a resposta exata, perfeita e clara no documento), qual é este prazo, desconheço, algum burocrata pode te ajudar. Se não, que se coloque o prazo na norma (pode gerar mais confusão), mas nada aqui é inviável.--Felipe da Fonseca (discussão) 10h26min de 21 de janeiro de 2019 (UTC)
Fiquemos a aguardar uma resposta então, se o prazo vier a ser esclarecido certamente poderei rever a minha posição, até lá mantenho o meu discordo. Dux Æ 01h53min de 22 de janeiro de 2019 (UTC)
@Dux Praxis: e Felipe da Fonseca O prazo do absenteísmo continua sendo 6 meses, salvo futura modificação da regra. O prazo máximo para reatribuição automática foi definido na proposta 5 tal qual como originalmente proposto, pois as outras indicações não conseguiram consenso, ou seja, até 6 meses após remoção da ferramenta. Stuckkey (discussão) 09h28min de 22 de janeiro de 2019 (UTC)

Conde_Edmond_Dantès vc poderia nos confirmar uma coisa? Este documento faz referência ao absentismo, mas não defino seu prazo, pois este é definido em outro lugar. Qual é exatamente este prazo?--Felipe da Fonseca (discussão) 09h53min de 22 de janeiro de 2019 (UTC)

@Felipe da Fonseca: não compreendi muito bem sua pergunta, caso seja o tempo em que o a conta fica inativa para que o estatuto seja removido, então são 6 meses. Edmond Dantès d'un message? 10h36min de 22 de janeiro de 2019 (UTC)
Isso. Obrigado.--Felipe da Fonseca (discussão) 10h53min de 22 de janeiro de 2019 (UTC)
Stuckkey, Conde Edmond Dantès e Felipe da Fonseca Vocês concordam então em colocar os 6 meses no texto desta proposta 9? É que tem de ficar claro qual é o prazo. Sem isso alguns editores poderiam entender a referência a absenteísmo como o prazo de 6 meses que há para a remoção das ferramentas por inactividade enquanto outros editores poderiam interpretar como 12 meses (6 meses para a remoção por inactividade + 6 meses para reatribuição automática). Dux Æ 21h23min de 22 de janeiro de 2019 (UTC)

  Discordo, argumentos na proposta 10. —Pórokhov Порох 17h35min de 19 de janeiro de 2019 (UTC)

Não acompanhei a proposta desde o início, mas visualizando-a cheguei a conclusão que trata-se de estatutos em geral, não especificando-os. No entanto, na minha opinião as propostas são voltadas aos estatutos de eliminador, administrador e burocrata (JMagalhães poderia me confirmar ou me corrigir).

Sendo assim, vou resumir a política atual dos 3 estatutos citados por mim e, em seguida, as propostas que aparentemente foram aceitas:

Na política atual
  • Não há regra específica para a devolução das ferramentas em caso da remoção ter sido solicitada voluntariamente pelo próprio usuário.
  • Após 6 meses de inatividade, o estatuto é removido e o usuário pode solicitar sua devolução a qualquer momento (sem prazo).
Após as propostas aceitas

Analisar essa página não é fácil! Existe demasiadas propostas repetidas com leves alterações, visando uma melhor estrutura, o JMagalhães abordou três assuntos em três tópicos distintos e, aparentemente, houve consenso para aceitação das propostas de número 3, 5 e 7. Sendo assim, podemos dizer que:

  • Não é permitido reatribuir as ferramentas caso o usuário tenha solicitado a remoção durante o curso de uma discussão de bloqueio em que ele está em pauta.
  • Após o estatuto ter sido removido por inatividade, o usuário tem 6 meses para poder solicitar a devolução das ferramentas. Caso o mesmo fique inativo por mais 6 meses (12 no total), será necessário abrir uma nova candidatura.

Analisando tais casos, a proposta de número 9 não teria nexo nas regras atuais. No entanto, com o consenso das novas propostas, o JMagalhães propõe que: se um usuário pedir a remoção das ferramentas voluntariamente, mas se o mesmo ficar inativo por determinado tempo, a regra de absenteísmo será aplicada no caso. Sendo assim, o usuário "Fulano" voluntariamente solicita a remoção do estatuto de administrador, continua editando o projeto por 2 meses e depois fica inativo por um ano! Analisando a regra friamente, esse usuário completamente inativo pode retornar de sua hibernação e pedir o estatuto de administrador. Portanto,   Concordo com a proposta de número 9, pois considero que determinado período inativo faz com que o usuário fique inapto ao estatuto. O ponto a ser debatido é o período.

Por fim, deixo aqui um texto sobre meu entendimento desta proposta: "Um antigo administrador/eliminador/burocrata que tenha ficado determinado tempo inativo (a definir) obrigatoriamente terá que abrir um novo pedido de aceitação, mesmo que a remoção das ferramentas tenha sido solicitado voluntariamente pelo próprio. Edmond Dantès d'un message? 11h21min de 22 de janeiro de 2019 (UTC)

Citação: Conde Edmond Dantès escreveu: «Um antigo administrador/eliminador/burocrata que tenha ficado determinado tempo inativo (a definir) obrigatoriamente terá que abrir um novo pedido de aceitação, mesmo que a remoção das ferramentas tenha sido solicitado voluntariamente pelo próprio.» É isso mesmo, falta somente definir o prazo, tem de ficar preto no branco qual é. Dux Æ 21h10min de 22 de janeiro de 2019 (UTC)

JMagalhães acho que podemos fechar este discussão. Se houver mais proposta sugiro que seja feita depois de fechadas estas, pois ela se torna realmente muito complexa. Havia dúvida em relação a proposta 4, que foi agora substituída pela proposta 9. --Felipe da Fonseca (discussão) 11h42min de 22 de janeiro de 2019 (UTC)

Não vejo como, para além de não haver qualquer consenso (há dois discordos fundamentados!) há um questionamento que continua sem resposta. Não percebo o motivo de tanta resistência em definir o prazo. Dux Æ 21h10min de 22 de janeiro de 2019 (UTC)

Conforme WP:POLA, WP:POLB e WP:POLE, o prazo atual para a definição de absentismo são 6 meses afastado do projeto. Não sei qual é a dificuldade aqui. JMagalhães (discussão) 12h07min de 23 de janeiro de 2019 (UTC)

Preferia ter o prazo escrito no próprio texto, mas se a maioria entende que basta uma indicação indirecta para o prazo do absenteísmo, e uma vez que esse prazo foi esclarecido, como a minha objecção era de forma e não de conteúdo, então   Concordo com a proposta 9. Dux Æ 03h12min de 27 de janeiro de 2019 (UTC)

Proposta 10Editar

Para evitar confusão de conceitos (absenteísmo e renúncia) proponho este texto, que parece mais claro:

O direito à reatribuição automática de estatuto anteriormente renunciado cessa se, após a remoção, em qualquer momento, o editor permanecer afastado da Wikipédia durante 12 meses consecutivos.

Para haver igualdade de tratamento os 12 meses referem-se ao prazo (6+6 meses) referido na proposta 5 para a reatribuição automática após remoção por absenteísmo. Se esse prazo for alterado o mesmo poderá suceder aqui. A meu ver o prazo deve ser o mesmo.
A expressão afastado da Wikipédia está previsto para o absenteísmo e significa ausência total de edições.

Resolve-se na mesma o problema, que é evitar que um editor renuncie e passados muitos anos inactivo regresse e queira as ferramentas de volta, mas sem confundir desnecessariamente conceitos que são distintos (absenteísmo e renúncia) como a meu ver ocorre na proposta 9.

Chamando alguns colegas participantes Felipe da Fonseca, Fabiojrsouza, Stuckkey, Tuga1143, Shgür Datsügen, Millennium bug, Rafael Kenneth, PauloMSimoes, André Koehne, Tks4Fish. Dux Æ 01h18min de 16 de janeiro de 2019 (UTC)

  Comentário

  1. A proposta 9 não "confunde" nada. De todos os que participaram nesta página você é o único que afirma não perceber. A proposta já foi reformulada para ficar mais clara, mas se toda a gente percebe menos uma, o problema não está no texto, está nessa única pessoa.
  2. Não se pode definir segundas condições de absentismo. A sua proposta define doze meses. A proposta 9 simplesmente remete para os critérios de absentismo já existentes ou que a comunidade pode vir a aumentar ou diminuir no futuro. JMagalhães (discussão) 01h30min de 16 de janeiro de 2019 (UTC)


  Discordo, e serve para a proposta anterior. A partir do momento em que é estabelecido que um usuário que voluntariamente solicitou a remoção das ferramentas tem direito à reatribuição depois, que é algo que não está previsto, não deve haver restrição alguma à devolução. O raciocínio de que o estatuto é do projeto, e não do usuário, se perde com a possibilidade de devolução. Sendo que tal estatuto é seu, se ele pode ficar inativo depois da resignação, não há porque obstar a reatribuição quando for de sua vontade e possibilidade. Até quem fica inativo e é removido por absenteísmo pode solicitar a reatribuição quando a colaboração volta a ser viável, então a artimanha citada na justificativa da proposta não se justifica. As regras são praticamente as mesmas, só diferem porque quando de remoção por inatividade a reatribuição pode ser contestada, mas a única forma justa de evitar essa subversão/artimanha seria permitindo que também possa haver contestação no caso de ter pedido a reatribuição depois da renúncia, até porque um hipotético caso de renúncia para evitar possível desnomeação é "moralmente" pior que uma remoção por inatividade de um usuário que, por exemplo, teve problemas pessoais e não pôde editar, então é uma incongruência muito grande haver possibilidade de contestação no segundo e não no primeiro. —Pórokhov Порох 01h43min de 16 de janeiro de 2019 (UTC)

Pórokhov Opa que de uma só vez você discordou da proposta 5, 9 e 10!   Relativamente à proposta 5 também fui contra uma vez que piora em muito as regras vigentes sobre reatribuição após remoção por inactividade. Qual o sentido de um editor experiente e respeitado pela comunidade pedir renúncia por motivos pessoais e passados 2 anos por ex ao querer regressar ser-lhe exigido um novo PDA mesmo que a reatribuição seja consensual? Qual o motivo para impor votações obrigatórias mesmo em caso de haver consenso na reatribuição é algo tão transcendente que simplesmente não dá para entender. Dux Æ 01h57min de 16 de janeiro de 2019 (UTC)
Exatamente, esse discordo serve para as demais propostas parecidas.—Pórokhov Порох 00h16min de 17 de janeiro de 2019 (UTC)

  Discordo trata-se de reformulação da proposta 9 que já alcançou consenso relativo (se terminasse hoje), então prefiro manter a 9 para criar menos confusão. A proposito, não há qualquer confusão na proposta 9. --Felipe da Fonseca (discussão) 12h03min de 16 de janeiro de 2019 (UTC)

Com 2 discordos (ver posicionamento do colega Pórokhov) no momento não vejo consenso sobre a proposta 9. Dux Æ 23h48min de 16 de janeiro de 2019 (UTC)

  Discordo Não vi confusão na proposta 9. Além de que o prazo do absenteísmo foi consensualmente aceito o atual durante o debate inteiro. Da leitura geral do mesmo o que se percebe é que modificar o prazo em si mesmo foi rejeitado várias vezes, ou deixado para futura discussão, não por aqui. Stuckkey (discussão) 12h32min de 16 de janeiro de 2019 (UTC)

  Pergunta Esta proposta não é redundante com as anteriores? Millbug fala 01h50min de 17 de janeiro de 2019 (UTC)

Millennium bug Na prática conduz ao mesmo, ou seja aplicar as regras do absenteísmo aos ex-sysops (ou outros estatutos) que fiquem ausentes da Wiki, mas sem lhes chamar absenteístas de um estatuto que já não têm. Dux Æ 04h18min de 18 de janeiro de 2019 (UTC)

Consenso?Editar

Eu seria a favor de que nenhuma reatribuição fosse feita sem um novo pedido. Acho que a comunidade deveria ser consultada sempre, mas vamos facilitar as coisas, para poder avançar. Parece que o que foi consensual até aqui é o seguinte:

As ferramentas não podem ser automaticamente reatribuídas a quem tiver solicitado a sua remoção durante um pedido de desnomeação ou discussão de bloqueio em curso. Isto é válido para qualquer caso: eliminador, administrador, burocrata, supervisor, verificador e editor de interface.

Minha dúvida é: onde fazer tal alteração? Depois podemos discutir outras questões. Acho que a #Proposta 5 é consenso também, mas essa alteração que estou colocando aqui é consenso sem dúvidas. -- Leon saudanha 14h02min de 18 de janeiro de 2019 (UTC)

Já houve mais coisas que foram consensuais. Ver mais acima discussão de resultados em #Resultado JMagalhães (discussão) 14h06min de 18 de janeiro de 2019 (UTC)
Subscrevo JMagalhães.--Felipe da Fonseca (discussão) 14h52min de 18 de janeiro de 2019 (UTC)
@Leon saudanha: há consenso sobre várias propostas em andamento não apenas da 5 como os colegas acima informaram. Se discordar ou concordar de alguma das propostas queira manifestar no tópico de cada uma. Mais produtivo que fragmentar a discussão em andamento. Este tópico é extemporâneo ao que já vem sendo discutindo com um ligeiro desvio do consenso aferido na discussão em seus vários tópicos. Peço que seja paciente em ler e compreender o todo. Stuckkey (discussão) 16h57min de 18 de janeiro de 2019 (UTC)

JMagalhães, Felipe da Fonseca e Stuckkey vocês tem razão, foi falta de atenção. Mas então quais alterações foram ou serão feitas?-- Leon saudanha 16h05min de 19 de janeiro de 2019 (UTC)

3, 5 e 7 mais a 4 reformulada na 9. Esperando fechar a 9. Creio que o JMagalhães irá aplicar as propostas aprovadas. Também não sei se novas serão apresentadas. --Felipe da Fonseca (discussão) 16h37min de 19 de janeiro de 2019 (UTC)
Para além de não terem sido contraditados argumentos contrários, com 6 concordos e 2 discordos, a proposta 9 no momento não tem qualquer consenso. Dux Æ 02h35min de 20 de janeiro de 2019 (UTC)

  Comentário Salientando que meu discordo vale para as propostas 5, 9 e 10.—Pórokhov Порох 17h05min de 19 de janeiro de 2019 (UTC)

Favor colocar no lugar correto, se não será impossível quantificá-las. Eu mesmo sugiro a quem fechar a proposta em ignorar este tipo de manifestação fora dos espaços corretos.--Felipe da Fonseca (discussão) 17h08min de 19 de janeiro de 2019 (UTC)
Que quer dizer? Eu já deixei meu comentário no lugar adequado, onde pô-lo-ia? —Pórokhov Порох 17h09min de 19 de janeiro de 2019 (UTC)
Sua concordância ou discordância em relação à proposta 1, na seção dedicada à proposta 1, sua concordância ou discordância à proposta 2, na seção dedicada à proposta dois, e assim por diante.--Felipe da Fonseca (discussão) 17h12min de 19 de janeiro de 2019 (UTC)
Sim, coloquei. Obrigado.—Pórokhov Порох 17h37min de 19 de janeiro de 2019 (UTC)

JMagalhães Como vc trabalhou nas elaboração da maioria das propostas, vc poderia fechá-las? Em relação a proposta nove, o prazo já foi esclarecido várias vezes e por mais de uma pessoa, então eu entendo como encerrada a discussão. --Felipe da Fonseca (discussão) 12h02min de 23 de janeiro de 2019 (UTC)

  Concordo que o JMagalhães é o mais qualificado para fechar e aplicar a proposta. Millbug fala 02h41min de 25 de janeiro de 2019 (UTC)

  Comentário Encerrada a fase de discussão havendo consenso em várias propostas, também   Concordo que o JMagalhães seja o mais indicado para adendar as novas regras. Stuckkey (discussão) 09h21min de 25 de janeiro de 2019 (UTC)

  Comentário Dado que a proposta 9 já alcançou consenso, por mim nada obsta ao encerramento da discussão. Dux Æ 03h14min de 27 de janeiro de 2019 (UTC)

Felipe da Fonseca, o JMagalhães parece estar sem tempo de fechar este consenso e aplicar. Você então se habilita? Ou mais alguém?-- Leon saudanha 16h19min de 13 de fevereiro de 2019 (UTC)

Eu discordei da proposta 9 (que disseram que tem consenso) com argumentação que não foi respondida. Não aceito que haja consenso, posto que meu raciocínio refuta a proposta.—Pórokhov Порох 15h30min de 16 de fevereiro de 2019 (UTC)
Pois acho que já não vão reconsiderar, mas fica registada a sua oposição. Dux Æ 18h37min de 21 de fevereiro de 2019 (UTC)

Aplicação   Em progresso Millbug fala 13h20min de 21 de fevereiro de 2019 (UTC)

  aplicado em WP:POLA Millbug fala 13h42min de 21 de fevereiro de 2019 (UTC)
  aplicado em WP:POLE Millbug fala 13h55min de 21 de fevereiro de 2019 (UTC)
  aplicado em WP:POLB Millbug fala 14h02min de 21 de fevereiro de 2019 (UTC)
  Feito Millbug fala 14h02min de 21 de fevereiro de 2019 (UTC)
Millennium bug Acho que faltou em WP:POLAI. Dux Æ 18h37min de 21 de fevereiro de 2019 (UTC)
  Feito Millbug fala 18h58min de 21 de fevereiro de 2019 (UTC)